• Eletrobás
  • VIP TAXI teresina
  • bbrock
  • assinatura jornal

Notícias Pelo Piauí

11 de outubro de 2016

Piauí ganha quatro CEOs e amplia o atendimento à saúde bucal

Piauí ganha quatro CEOs e amplia o atendimento à saúde bucal

O Piauí vai dispor de quatro Centros Estaduais de Especialidades Odontológicas (CEOs), que serão implantados nos municípios de Floriano, Picos, Parnaíba e Bom Jesus e terão gestão estadual. O projeto foi solicitado no início de 2016 pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), por meio da Coordenação de Saúde Bucal, ao Ministério da Saúde, e objetiva ampliar o atendimento odontológico, com aumento da oferta diversificada de procedimentos, e, a partir de investimentos, aumentar o acesso aos níveis secundário e terciário de atenção.

Segundo o coordenador estadual de Saúde Bucal do Piauí, Marcelo Almeida, os Centros de Especialidades Odontológicas são estabelecimentos de saúde, participantes do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), classificadas como Clínica Especializada ou Ambulatório de Especialidade. Os CEOs estão preparados para oferecer à população, no mínimo, os serviços de diagnóstico bucal (com ênfase no diagnóstico e detecção do câncer de boca), periodontia especializada, cirurgia oral menor dos tecidos moles e duros, endodontia e atendimento a pessoa com deficiência. Posteriormente, poderão ser ofertadas as especialidades ortodontia (aparelhos) e implantodontia.

“Os centros são uma das frentes de atuação do Brasil Sorridente. O tratamento oferecido nos Centros de Especialidades Odontológicas é uma continuidade do trabalho realizado pela rede de atenção básica e, no caso dos municípios que estão na Estratégia Saúde da Família, pelas equipes de saúde bucal. Agora, com a implantação do CEO estadual, será possível ampliar o atendimento de saúde bucal à população dando suporte maior ao trabalho realizado pelos CEOs municipais já existentes”, afirma Marcelo Almeida.

Para a implantação dos centros de especialidades odontológicas, serão disponibilizados de R$ 120.000 para cada um dos CEO, que poderão ter de sete a 11 consultórios odontológicos. Já para o funcionamento desses espaços de saúde, vão dispor mensalmente de custeio federal de R$ 19.750, e contrapartida de R$ 10.000 da Secretaria de Estado da Saúde.

Para facilitar a implantação e reduzir os custos, os CEOs funcionarão em prédios do Governo do Estado e, de início, vão contar com profissionais que já atuam na rede estadual desses municípios. Em casos específicos, poderá haver a necessidade de contratações, por não conseguir o profissional necessário para a especialidade em questão.

Os Centros de Especialidades Odontológicas possuem gestão estadual e a participação dos municípios será no encaminhamento dos pacientes a partir da Atenção Básica, ou seja, do Programa de Saúde Bucal fazendo, assim, a regulação do atendimento.

10 de outubro de 2016

Piauí atrai investimentos de R$ 40 bilhões

Piauí atrai investimentos de R$ 40 bilhões

O Piauí tem atraído olhares de empreendedores de todo o mundo. Com o apoio do Governo do Estado, que tem dado prioridade à captação de recursos que geram emprego e renda e elevam o Produto Interno Bruto (PIB), mais de R$ 40 bilhões serão investidos no Piauí até o ano de 2017. Empresários de várias partes do país e do exterior já firmaram o compromisso de investir no estado, que apresenta inúmeras potencialidades em setores como o do turismo, comércio, mineração, agronegócio, infraestrutura e energias renováveis.

Uma das áreas que se destacam é a do agronegócio. Dentre as empresas que investirão no setor, o Grupo Budny, de Santa Catarina, montará, no município de Campo Maior, uma fábrica de pequenos tratores para a agricultura familiar.

O investimento inicial previsto é de R$ 30 milhões, com geração de 200 empregos diretos. Além de fornecer maquinário para o mercado interno, aproveitando a vocação do Piauí para a agricultura familiar, a empresa deve se aproveitar da posição geográfica estratégica para atingir novos mercados.

Para a instalação da empresa, que é parceira do governo e da Prefeitura de Campo Maior, um terreno foi doado. A previsão é que as obras iniciem no segundo semestre do próximo ano. “Atualmente, o grupo resolve a parte burocrática, na qual é necessário a abertura do CNPJ no estado e logo depois o projeto é apresentado ao Conselho de Incentivo a Indústria, que aprova os incentivos fiscais. Já existe um protocolo de intenções assinado pelo governador Wellington Dias e pelos empresários que declara a obrigatoriedade da devolução do terreno, caso o empreendimento não se realize”, explica a assessora de Estratégica para Investimentos do Governo do Estado, Lucile Moura.

Os equipamentos ofertados pela Budny no Piauí serão voltados, principalmente, para os pequenos produtores. “A empresa disponibilizará tratores e roçadeiras baratos, que custam em torno de 20 a 30 mil reais. Essas máquinas serão financiadas e a própria renda que o agricultor conseguirá com o novo equipamento irá ajudar a pagar o empréstimo. Quando o pequeno produtor sai da foice e da enxada e usa uma tecnologia, mesmo que seja de pequeno porte, a produção aumenta 30 vezes. É o que chamamos de círculo virtuoso. Ele produz mais, vende mais, gera mais renda e com aquele dinheiro ele paga o empréstimo sem dificuldades”, destaca o governador.

Mais investimentos

Outras empresas estão em processo de implantação no estado. É o caso da Terracal Alimentos e Bioenergia, que pretende produzir cana-de-açúcar e tomate, promover a geração de energia de biomassa e também ofertar produtos de segunda geração, como o etanol, açúcar e pasta de tomate. No setor de mineração, a BR Níquel irá trabalhar com a extração de níquel no município de Capitão Gervásio. Há ainda a Atlantic Energia Renováveis S.A, que irá trazer, além da produção de energia limpa, a fábrica própria de torres eólicas. A pretensão é produzir cerca de 100 torres por mês na região de Lagoa do Barro.

Ao todo, quase 50 empresas se instalarão no estado, gerando cerca de 15 mil empregos. São pequenos e grandes empreendimentos, com investimentos que chegam a R$ 5 bilhões. Todos estão na fase de captação de recursos e assinatura de protocolo de intenção.

“Criamos uma sistemática para esses acompanhamentos. A empresa apresenta suas intenções, nós apresentamos os potenciais do estado e vamos afunilando os interesses, que culmina no protocolo de intenções que determina a obrigação do estado para com a empresa e vice-versa. Portanto, ele dá garantia de empregos, respeito a questões ambientais, fundiárias, dentre outros. A partir da assinatura do documento, o projeto passa a ser do e para o Piauí e não apenas da empresa”, atenta Lucile Moura.

Equipe da SDR participa de inauguração de quintal ecológico em Parnaíba

Equipe da SDR participa de inauguração de quintal ecológico em Parnaíba

O diretor do Crédito Fundiário da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR), Adalberto Pereira; o coordenador de Agricultura e Pesca da SDR, Luciano Sousa; e o coordenador-geral de Formação de Técnicos de Assistência Técnica e Extensão Rural da Sead/MDA, Gereissat Rodrigues, participaram, no sábado (8), da inauguração do Quintal Agroecológico da Estação de Piscicultura no campus da UFPI de Parnaíba. O espaço abriga um conjunto de tecnologias voltadas para o aproveitamento da água, não só para a criação de peixes, mas para a produção de alimentos, utilizando a irrigação na horticultura e fruticultura em pequenas áreas.

O Quintal Agroecológico adota tecnologias que preservam o meio ambiente e proporcionam a diversificação da produção, como a criação de peixe, camarão e galinha, assim como o cultivo de hortaliças e frutas, um modelo com base familiar e produção variada.

A visita também se estende à escola Agrotécnica de Piracuruca, quando a equipe da SDR teve a oportunidade de discutir com os alunos concludentes  do curso Técnico Agropecuário sobre as linhas de financiamento do Crédito Fundiário do Programa 'Nossa Primeira Terra', que permite ao jovem entre 18 e 29 anos que esteja cursando ou concluindo curso na área de agricultura  tenha direito a financiamento e a compra de uma propriedade.

Inauguração de quintal agroecológico em Parnaíba( Foto: Ascom SDR)

Segundo o diretor do Crédito Fundiário, o grande desafio é que o jovem já saia da escola não apenas com a expectativa de conseguir um emprego, mas com a visão empreendedora, com a certeza de que se especializando na produção de alimentos terá uma profissão digna. “Temos pelo CF, uma área de 1000 hectares de terra nas mãos de pequenos agricultores e nossa meta é que essas áreas se tornem ainda mais áreas de produção de alimentos para abastecer escolas, hospitais, penitenciárias e outras entidades e instituições a fim de atender o mercado local e valorizar a atividade, já que sabemos que, se o campo não produz, não temos alimento e a cidade não prospera” afirma Adalberto Pereira.

Crédito Fundiário

O Crédito Fundiário atua nos assentamentos de 21 municípios realizando instalações ou na fase de estruturação de 26 assentamentos. Segundo a direção do programa, esses assentamentos  estão recebendo créditos para construção de casas, abastecimento de água e área produtiva.
A visita da equipe da SDR foi realizada em assentamentos dos municípios de  Nossa Senhora  de Nazaré, Cocal e Bom Princípio.

“São assentamentos que estão finalizando construção das casas, com cercados, preparando área para produção e instalação de abastecimento de água. Até o fim do mês de novembro, o governador Wellington Dias deverá inaugurar esses assentamentos que estarão recebendo 40 famílias, até o início do ano de 2016. A expectativa é de que aproximadamente 400 famílias estejam sendo assentadas e recebendo lotes da terra em 30 assentamentos, com com toda a estrutura necessária e com o crédito do Pronaf A para produzir melhor e com qualidade”, conclui o diretor.