• click
  • Anuário 2017
  • Unimed
  • assinatura jornal

Com a seleção, piauiense Luís Carlos busca ouro na paracanoagem

O piauiense vai para sua quarta participação em pan-americano e já tem três ouros na canoa e uma prata no caiaque.

12/10/2017 09:44h

Hoje (12) iniciam as disputas do Pan-Americano de Paracanoagem, que acontece em Ibarra, no Equador. A competição vai até o domingo (15) e a delegação brasileira tem 30 atletas na busca por pódio, entre eles o piauiense Luís Carlos Cardoso, que briga por medalha na canoa e no caiaque. A delegação brasileira chegou ao Equador ontem (11) e Luís cai nas águas no domingo (15). O paratleta busca o ouro inédito no caiaque.

O piauiense vai para sua quarta participação em pan-americano e já tem três ouros na canoa e uma prata no caiaque. Agora Luís Carlos busca um ouro inédito na categoria caiaque KL1 200m. “Essa competição é importante primeiro por ser mais um campeonato internacional, onde vamos estar disputando com os melhores atletas de cada país das américas, e segundo pelo fato de, em 2019, a paracanoagem vai estrear nos jogos Pan”, explica.

A temporada 2017 vem sendo grata ao paratleta, que se sagrou em agosto tetracampeão mundial na canoa e conquistou o bronze no caiaque. No Brasileiro, Luís Carlos se sagrou tricampeão e tem o ano com 100% de aproveitamento, subindo ao pódio em todas as competições que participou e chega como um forte nome no Pan, apesar de não saber quem serão seus adversários.

“Ainda não tenho muita noção de quem vou encontrar. Mas creio que, esse ano, o número de atletas vai ser bem maior por causa dos jogos Pan 2019, mas independente de encontrar outros adversários, ou os mesmos, meu foco é sempre fazer dentro da competição tudo que venho trabalhando nos treinamentos”, frisa Luís Carlos Cardoso.

Além de estar no pódio, a meta do paracanoista é conseguir repetir o tempo do Mundial, que aconteceu este ano na República Tcheca e fazer o tempo de 48s, ou até mesmo baixar esse tempo. Como Luís Carlos só compete no domingo (15) as provas de canoa e caiaque 200m, o atleta ainda realiza alguns treinos. “Chegamos aqui no Equador e hoje [ontem] será de descanso. Amanhã [hoje] iremos treinar pela manhã até mesmo como uma forma de adaptação paras as provas”, explica.

Por: Pâmella Maranhão - Jornal O Dia

Deixe seu comentário