• Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Bom Jesus

06 de dezembro de 2017

SaliBom começa em Bom Jesus nesta quarta (6)

SaliBom começa em Bom Jesus nesta quarta (6)

A 2ª edição do Salão do Livro de Bom Jesus (SaliBom) tem início nesta quarta-feira (6), no campus Cinobelina Elvas, da Universidade Federal do Piauí (UFPI). A solenidade de abertura será às 9h, seguida por um show do humorista Vinícius Karcan. Além de palestras com escritores de todo o país e bate-papo literário, o evento também conta com shows musicais e venda de livros.

Os professores Marcos Vilhena, Alfredo Werney e Danny Barradas serão os palestrantes do primeiro dia do evento, focando principalmente no papel que a literatura desempenha em diversos campos. A partir das 21h, as bandas Radiofônicos (Teresina) e Acordes (Bom Jesus) se apresentam no campus da UFPI.

Na quinta-feira (7), o cineasta e jornalista Cícero Filho faz palestra sobre os 10 anos do filme “Ai que vida”, dirigido por ele e sucesso de público ainda hoje. Às 14h, o consagrado poeta Salgado Maranhão, vencedor do prêmio Jabuti por “Mural de Ventos”, em 1999, apresenta uma discussão sobre Torquato Neto e a Tropicália. O bate-papo literário, a partir das 19h fica por conta do trio BR-O-BRÓ, Laís Rosa, Afonso Celso e Alexandre Nolleto, que juntos somam mais de 500 mil seguidores no Instagram.

No último dia do Salibom as palestras serão com José Inácio de Melo (AL/BA), professor Cineas Santos, professor e escritor Júnior Vianna e com Gustavo Lacombe (RJ). A banda In The Clouds e a dupla Thiago e Samuel fecham a programação cultural.

Os salões regionais do livro são realizados pela Fundação Quixote, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). O evento visa dar oportunidade a novos autores e incentivar a leitura como agente de transformação social.

16 de outubro de 2017

Festival de Rabecas muda realidade em escolas públicas de Bom Jesus

Festival de Rabecas muda realidade em escolas públicas de Bom Jesus

Pouco mais de três dias de aula foram suficientes para revelar grandes talentos entre jovens de Bom Jesus. Eles participaram das dez oficinas do Circuito Cultura Viva, que aconteceram em duas escolas da cidade. Os resultados, foram apresentados no palco do Queijinho, nesse sábado (14), último dia do X Festival de Rabecas de Bom Jesus. Antes disso, um cortejo cultural percorreu as ruas de Bom Jesus, levando alegria por onde passava.

O cortejo foi recebido pelo batuque do grupo Patubatê, de Brasília-DF, que também ministrou oficina de percussão para alunos da rede pública. “É a primeira vez que temos essa oportunidade dentro da escola. O teatro me ensinou a perder a vergonha e a interagir mais com meus colegas”, diz a estudante Maylane Duarte de 17 anos, que se apresentou junto com a turma da oficina de teatro ministrada pelo professor Adalmir Miranda.

No palco, em meio aos olhares atentos das crianças, um teatro de bonecos chamava a atenção e arrancava gargalhada do público. O hip hop, oficina ministrada por Francisco Machado, também se apresentou no Palco do Queijinho, assim como a dança, coreografada pelo professor Sidy Ribeiro, que não escondeu a emoção.

“Há talentos por toda parte e em Bom Jesus não seria diferente. Quando um gestor tem essa preocupação e essa visão privilegiada de trabalhar com arte ele oportuniza a esses jovens algo muito maior, ajuda a torna-los grandes homens e grandes mulheres. Tenho 30 anos de dança, já dei aula fora do país, tenho vários prêmios internacionais, mas o mais gratificante é ver essa meninada se interessar pela arte”, disse, abraçado pelos 60 alunos inscritos na oficina.

A praça também recebeu os brinquedos confeccionados durante a oficina do professor Wilson Cordeiro, que chamou a atenção para a importância de se frequentar a escola. “Mais de 30% de crianças e jovens da cidade não estão frequentando a escola. Não façam isso. Acreditem nos seus sonhos e no estudo”, afirmou.

As dez oficinas realizadas durante o Festival aconteceram em duas escolas de Bom Jesus: José Lustosa Elvas Filho e Joaquim Parente. Além de despertar o encanto pela arte, neste ano o Festival veio com uma responsabilidade social a mais. O valor arrecadado com a venda de camisas do evento será investido na melhoria dessas duas escolas. Artistas que passaram por Bom Jesus, durante o evento, como as cantoras Solange Almeida e Roberta Miranda, fizeram questão de comprar a camisa e ajudar a melhorar as escolas.

“Todo ano o festival vem com uma ação social e neste ano escolhemos as escolas. Eu estudei nessas escolas e tenho responsabilidade sobre elas também. Todos devem dar as mãos para construir escolas melhores para Bom Jesus, só assim poderemos formar pessoas melhores”, afirmou o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo. 

A décima edição do Festival de Rabecas de Bom Jesus atraiu mais de 30 mil pessoas em três dias de festa. Montado na Avenida Josué Parente, o palco "Mestre Joaquim Carlota" recebeu grandes nomes da música nacional.

Nesse sábado (14) quem se apresentou foi a cantora baiana Margareth Menezes, que levou sucessos da sua carreira para a avenida. Antes dela, os mestres rabequeiros se apresentaram, além dos Bandolins Mirins de Oeiras. A banda Patubatê, de Brasília-DF, também subiu no palco Mestre Joaquim Carlota, dando um show de percussão na avenida.

A cantora Joelma, uma das atrações mais esperadas pelo público, também se apresentou na noite de sábado. Fãs da cantora, de várias cidades do Piauí, fizeram questão de prestigiar o show.

O 10º Festival de Rabecas é uma realização da Associação de Filhos e Amigos de Bom Jesus com o apoio do Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Cultura e patrocínio da Caixa Econômica e do Governo Federal.

21 de novembro de 2016

Saúde implanta serviço de mamografia em Bom Jesus

Saúde implanta serviço de mamografia em Bom Jesus

O secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, apresenta nesta segunda-feira (21), o serviço de mamografia do Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, em Bom Jesus. A implantação do serviço de mamografia é uma estratégia adotada pela Secretaria na expansão e descentralização da oferta dos serviços de Saúde em todo o estado.

Costa relata que ainda em 2015 foi implantado o programa Amigos do Peito, "cujo objetivo era ofertar, por meio de duas carretas equipadas com dois mamógrafos cada, exames naqueles municípios onde tínhamos uma vazio assistencial. E avançamos bastante. Realizamos em um ano, cerca de seis mil exames, beneficiando mulheres de mais de 70 municípios". Bom Jesus e municípios do seu entorno tiveram acesso ao programa em 2015, quando foram realizados mais de 200 exames, para mulheres entre 50 a 69 anos de idade.

Com o programa consolidado, explica o secretário, o próximo desafio foi ampliar a assistência de forma fixa. Atualmente,  quatro hospitais já realizam mamografia: os de Corrente, Uruçuí, Campo Maior e Floriano. O Hospital de Bom Jesus é o quinto a implantar o serviço,  que atenderá 23 municípios do território Chapada das Mangabeiras, com a capacidade de realizar cerca de 200 exames por mês.

Para ter acesso ao Programa Amigos do Peito no hospital, a mulher deve procurar o seu médico na unidade básica de saúde no seu município para receber o encaminhamento.

Serviços ampliados

Além da implantação do serviço de mamografia,  o Hospital Regional Manoel de Sousa Santos tem ampliado a assistência hospitalar; desde o pronto atendimento a realização de multirões de cirurgias.

Outros avanços nos serviços foram a implantação do Teste da Orelhinha, beneficiando todo o território, e ainda a instalação de novos equipamentos de  Raio X.

16 de novembro de 2016

Emater inicia ações do PAA na regional de Bom Jesus-PI

Emater inicia ações do PAA na regional de Bom Jesus-PI

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater), em parceria com a SDR, prefeituras municipais, conselhos locais e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR), iniciou no escritório regional de Bom Jesus, as atividades que mobilizam entidades parceiras e agricultores familiares para execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A expectativa é de que 30% das propostas sejam executadas até dezembro. Apesar da estiagem os produtores estão otimistas e se preparam para comercializar 70% da produção até maio de 2017. As reuniões acontecem nos municípios de Manoel Emídio, Colônia do Gurgueia, Palmeira, Redenção do Gurguéia e Alvorada.

O técnico Sebastião Mendes informou que só a proposta de Colônia do Gurgueia girou em torno de 180 mil reais, beneficiando 47 agricultores familiares do município. “Será liberado nos meses de novembro a dezembro cerca de 30% do valor. Em Manoel Emídio foram beneficiados 22 agricultores, e 90 mil reais liberados, e três produtores já estão com dinheiro em conta”, destacou.  

O PAA tem fortalecido a renda das famílias beneficiadas e viabiliza o escoamento da produção, garantindo mercado certo e preço justo. O Emater além de contribuir com apoio a execução do Programa, tem um papel fundamental na Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) pública, ofertando também cursos e capacitações que garantem a qualidade e equidade dos produtos comercializados.

Segundo o diretor técnico do Emater, Clebio Coutinho, o PAA é uma ação executada pela Conab e SDR, e que no caso do Emater, ele atua em parceria, no sentido de apoiar os agricultores familiares individuais ou em coletivos, a fim de organizar a produção dos agricultores e elaborar projetos de fornecimento de produtos da agricultura familiar, tanto de origem vegetal quanto animal aos mercados institucionais. Já o mercado da Compra Direta é diretamente ligado a SDR em convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. “No caso de Bom Jesus, esta ação é direcionada no sentido de organizar um grupo de agricultores, em toda a região, com a finalidade de elaborar a proposta de aquisição de alimentos e acompanhar esses agricultores na distribuição dos alimentos nas entidades sociais cadastradas no Programa.

Atualmente, constituem as entidades cadastradas os CRAS e as associações também registradas no Conselho de Segurança Alimentar ou no Conselho Municipal de Assistência Social.  O Programa, por exemplo, gera uma expectativa de alimento para as pessoas carentes, pois são gerenciados em alguns municípios pelo Fundo Municipal de Assistência Social e o Centro Municipal de Assistência Social.

O diretor geral do Emater, Marcos Vinicius, acrescenta que nesta mesma ação o Emater trabalha orientando os produtores através de oficinas e cursos de capacitação, visando o manejo das culturas que o agricultor desenvolve em sua propriedade, como também na manipulação de produtos que irão passar por algum tipo de beneficiamento.  “O Emater e parceiros priorizaram a coordenação dos mais de 150 municípios beneficiados através do Programa, e os técnicos do Emater farão o acompanhamento. Um destaque ficou por conta da preocupação do Governo do Estado com a comercialização, atualmente se faz a aquisição de mais de 30% dos produtos da agricultura familiar, e queremos que as prefeituras façam o mesmo, para fortalecermos o Programa e, por conseguinte fortalecer também a agricultura familiar”, disse.

Após a finalização desta etapa pretende-se fazer uma avaliação do impacto que este programa gera nos municípios beneficiados, com ênfase no aumento da produção, eficiência na comercialização e melhoria das condições de vida das pessoas carentes.

14 de novembro de 2016

Emater inicia ações do PAA na regional de Bom Jesus

Emater inicia ações do PAA na regional de Bom Jesus

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater), em parceria com a SDR, prefeituras municipais, conselhos locais e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR), iniciou no escritório regional de Bom Jesus, as atividades que mobilizam entidades parceiras e agricultores familiares para execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A expectativa é de que 30% das propostas sejam executadas até dezembro. Apesar da estiagem os produtores estão otimistas e se preparam para comercializar 70% da produção até maio de 2017. As reuniões acontecem nos municípios de Manoel Emídio, Colônia do Gurgueia, Palmeira, Redenção do Gurguéia e Alvorada.

O técnico Sebastião Mendes informou que só a proposta de Colônia do Gurgueia girou em torno de 180 mil reais, beneficiando 47 agricultores familiares do município. “Será liberado nos meses de novembro a dezembro cerca de 30% do valor. Em Manoel Emídio foram beneficiados 22 agricultores, e 90 mil reais liberados, e três produtores já estão com dinheiro em conta”, destacou.  

O PAA tem fortalecido a renda das famílias beneficiadas e viabiliza o escoamento da produção, garantindo mercado certo e preço justo. O Emater além de contribuir com apoio a execução do Programa, tem um papel fundamental na Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) pública, ofertando também cursos e capacitações que garantem a qualidade e equidade dos produtos comercializados.

Segundo o diretor técnico do Emater, Clebio Coutinho, o PAA é uma ação executada pela Conab e SDR, e que no caso do Emater, ele atua em parceria, no sentido de apoiar os agricultores familiares individuais ou em coletivos, a fim de organizar a produção dos agricultores e elaborar projetos de fornecimento de produtos da agricultura familiar, tanto de origem vegetal quanto animal aos mercados institucionais. Já o mercado da Compra Direta é diretamente ligado a SDR em convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. “No caso de Bom Jesus, esta ação é direcionada no sentido de organizar um grupo de agricultores, em toda a região, com a finalidade de elaborar a proposta de aquisição de alimentos e acompanhar esses agricultores na distribuição dos alimentos nas entidades sociais cadastradas no Programa.

Atualmente, constituem as entidades cadastradas os CRAS e as associações também registradas no Conselho de Segurança Alimentar ou no Conselho Municipal de Assistência Social.  O Programa, por exemplo, gera uma expectativa de alimento para as pessoas carentes, pois são gerenciados em alguns municípios pelo Fundo Municipal de Assistência Social e o Centro Municipal de Assistência Social.

O diretor geral do Emater, Marcos Vinicius, acrescenta que nesta mesma ação o Emater trabalha orientando os produtores através de oficinas e cursos de capacitação, visando o manejo das culturas que o agricultor desenvolve em sua propriedade, como também na manipulação de produtos que irão passar por algum tipo de beneficiamento.  “O Emater e parceiros priorizaram a coordenação dos mais de 150 municípios beneficiados através do Programa, e os técnicos do Emater farão o acompanhamento. Um destaque ficou por conta da preocupação do Governo do Estado com a comercialização, atualmente se faz a aquisição de mais de 30% dos produtos da agricultura familiar, e queremos que as prefeituras façam o mesmo, para fortalecermos o Programa e, por conseguinte fortalecer também a agricultura familiar”, disse.

Após a finalização desta etapa pretende-se fazer uma avaliação do impacto que este programa gera nos municípios beneficiados, com ênfase no aumento da produção, eficiência na comercialização e melhoria das condições de vida das pessoas carentes.  

04 de outubro de 2016

Festival de Rabecas promove intercâmbio cultural em Bom Jesus

Festival de Rabecas promove intercâmbio cultural em Bom Jesus

Três cordas e um som rústico e inconfundível. A rabeca, instrumento tocado há séculos no Piauí, se misturou à zabumba, ao triângulo, ao acordeon e a tantos outros instrumentos que deram o ritmo ao 9º Festival de Rabecas de Bom Jesus, no sul do Piauí. Durante esta edição do festival, que aconteceu de 28 a 30 de setembro, os mestres rabequeiros da cidade dividiram o palco com a nova geração, composta por alunos que fazem parte da Orquestra de Rabecas de Bom Jesus. Além deles, grupos de outros estados, como Ceará, Minas Gerais, Pernambuco e do Distrito Federal, levaram sua arte para o palco Mestre Erondino e mostraram a riqueza do intercâmbio cultural promovido neste grande encontro.

Ver a experiência dos mestres rabequeiros e de outros grupos ajuda a inspirar aqueles que estão começando a tocar algum instrumento. João Victor Costa, de 13 anos, é um dos alunos que assiste às aulas de rabeca no Espaço Cultural Mestre Joaquim Carlota. Essa foi a primeira vez que ele se apresentou no palco do festival, que neste ano reuniu mais de 20 mil pessoas. João tocou a zabumba na companhia do professor Staylon Sales, que tocou rabeca. “Tem um mês que comecei nas aulas e já toco tudo”, diz, se referindo à rabeca, ao triângulo e à zabumba.

Do Ceará, Makito Vieira tocou junto com os mestres rabequeiros da cidade. Nessa sexta-feira (30), último dia do festival, o público pôde se encantar com a apresentação da orquestra Acordes do Campestre, de São Raimundo Nonato. No repertório, da sanfona tocada por jovens atendidos pelo projeto que leva o mesmo nome da orquestra, o sucesso de Alceu Valença, “Anunciação”.

“Essa é a segunda vez que a orquestra participa do Festival de Rabecas. Hoje o projeto que existe há sete anos atende 120 alunos em São Raimundo Nonato, São João do Piauí e Dom Inocêncio”, diz o músico Sandrinho do Acordeon, coordenador do projeto.

O público também viu a apresentação de Martinha do Coco, do Distrito Federal, que levou uma mistura de ritmos para o evento e desafiou os presentes para dançar o samba do coco. No teatro e na dança também não foi diferente. As apresentações aconteceram durante os três dias no palco do Queijinho Mestre Beija, na praça do Fórum. De Cabo Verde, na África, a Cia Pessoa 50, apresentou o espetáculo infantil Ti Lobo e Chibinho.

Os alunos de Bom Jesus, que também participam das aulas de teatro e de dança que acontecem no Espaço Cultural Mestre Joaquim Carlota, dividiram experiências com grupos de Teresina. Crianças de todas as idades tomaram conta do palco do Queijinho. Elas também marcaram presença na apresentação da peça “Cora dentro de mim”, levada pela maranhense Lília Diniz, ao Espaço Cultural. Um fogão de lenha, um baú de memórias, uma colcha de retalhos fizeram parte do cenário da apresentação, que recontava a vida da poetisa goiana Cora Coralina.

Mestres Rabequeiros( Foto: Margareth Leite)


Ao final da peça, Lília falou um pouco da vida de Cora Coralina e conversou com as crianças e jovens sobre o espetáculo e a escolha da obra para interpretar. “Me apaixonei pela obra dela. Ela fala de coisas simples. Quando conheci pensei: quando crescer quero escrever como essa mulher”, diz Lília, que além de atriz, é cantora e escritora.

O Festival reuniu o maior público da sua história. Só na quinta-feira (29), mais de 10 mil pessoas ocuparam a avenida Josué Parente, que recebeu o palco Mestre Erondino. Por lá passaram Tom Cleber, Aviões do Forró, Mara Pavanelly, Léo Santana, dentre outros.

“Conseguimos atender todos os públicos, de todas as idades e o resultado é o sucesso desse grande festival. Durante três dias, a cidade respirou cultura, atraiu turistas e a rabeca segue se consolidando. Só temos que agradecer o apoio e a presença de todos”, diz o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo.

Cia 50 Pessoa - África( Foto: Margareth Leite)


O Festival de Rabecas de Bom Jesus é uma realização do Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Cultura – Secult e tem o patrocínio do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura – Siec.
 

02 de outubro de 2016

Com mistura de ritmos, Festival de Rabecas multidão

Com mistura de ritmos, Festival de Rabecas multidão

O festival que resgata a tradição secular da rabeca em Bom Jesus reuniu cerca de 10 mil pessoas nesta quinta-feira (29), no palco principal do evento, na Av. Josué Parente. O público diversificado veio dos estados do Maranhão, Bahia, Pernambuco e Ceará, além de outros municípios do Piauí.

Os mestres rabequeiros abriram a noite acompanhados do músico Makito Vieira. Ilan Câmara, de apenas 10 anos, que encantou o público com sua voz e com um repertório repleto de músicas de forró tradicionais. Em seguida, Aviões do Forró, Anderson Rodrigues, Mara Pavanelly e Banda Pegada Show lotaram a avenida. Um dos destaques da noite foi o grupo Rabequinha Gemedeira, de Pernambuco, que mistura ritmos regionais com o som rústico da rabeca.

“O nosso ritmo é chamado cavalo marinho, é um folguedo típico da região da mata que foi trazido da África. Ele ganhou grandes proporções e espaço na cultura popular e mistura música, dança e teatro”, conta Nice Teles, integrante do grupo Rabequinha Gemedeira.

No Palco do Queijinho/Mestre Beija diversas apresentações culturais deram diversidade ao festival com espetáculos de teatro, dança e musical 

Festival da Rabeca em Bom Jesus, 2016( Foto: Ascom Secult)

infantil. O grupo Abracadabra fez a alegria das crianças com personagens infantis e canções conhecidas do público mirim. O espetáculo teatral “Que horas passará o ônibus” e performances de dança mostraram o resultado de oficinas permanentes realizadas com alunos de escolas públicas no Espaço Cultural Mestre Joaquim Carlota.

“Em Bom Jesus tem muitos talentos que só precisam de uma oportunidade para crescer, é um trabalho gratificante dar aulas para eles e ver como evoluíram”, diz a coreógrafa e professora, Beth Battali.

Nesta sexta-feira (30), a companhia de Moçambique 50 Pessoa apresenta “Ti lobo e Chibinho”, no Palco do Queijinho. O palco principal Mestre Erondino encerra o festival com Acordes do Campestre, Martinha do Coco, Léo Santana, Lene Silva e Xenhenhém. 

Imprimir

06 de maio de 2016

Cidade sediou 1º Seminário ‘Perspectivas Sociais sobre o MATOPIBA’

Bom Jesus foi sede do 1º Seminário ‘Perspectivas Sociais sobre o MATOPIBA’

Diante das incertezas climáticas, políticas e financeiras vividas pelo Brasil, há uma expressiva discussão acerca dos sistemas produtivos agrícolas, em síntese principalmente pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia que fazem parte do MATOPIBA.

Debates altamente antagônicos respaldam esse cenário de discussão: uma vertente defendida pelos pequenos agricultores na qual vem afirmar que o agronegócio tem trazido desvalorização da classe, bem como ocasionado uma grande opressão social e ainda vinculado a grande destruição do meio ambiente resultado do monocultivo e uso intensivo de máquinas.

Outra vertente, defendida pelos grandes produtores dessas regiões, vem sintetizar que há uma necessidade dessa produção em alta escala. A justificativa é o crescimento da população que tem aumentado a cada ano, portanto há uma necessidade de alimentar essa população.

Pensando nesse debate de perspectiva e de construção de saberes a UFPI junto a FETAG e CPT criaram o 1º Seminário ‘Perspectivas Sociais sobre o MATOPIBA’ que aconteceu nos dias 28 e 29 de abril.

Evento reuniu representantes da Universidade Federal do Piauí – UFPI, da Comissão Pastoral da Terra – CPT, do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – MSTTR, do Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido, da Confederação dos Trabalhadores da Agricultura – CONTAG, da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Piauí – FETAG e da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos – ONG REDE SOCIAL, além do Bispo Dom Marcos Tavoni representando a Igreja, o Promotor Francisco Santiago e o Juiz Heliomar Rios, dentre outras autoridades.

Em maio de 2015, foi criado o projeto por meio do decreto nº 8447, que prevê a expansão da fronteira agrícola em parte dos territórios do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia - o MATOPIBA. Segundo o Embrapa, o mesmo abrange 337 municípios e 31 microrregiões, num total de 73 milhões de hectares dentro de uma delimitação territorial dentro da qual existem 28 terras indígenas, 42 unidades de conservação, 865 assentamentos e 34 quilombos, o Piauí representa 11,21% desse total com 8,2 milhões de hectares e 33 municípios, e dentre os estados que compõem o MATOPIBA é o que mais tem áreas de cerrado para exploração, o que deixa a atenção dos investidores voltada para cá.

O evento foi um grande debate, que contou com a participação dos pequenos agricultores rurais da região presentes em grande número, além de representantes de assentamentos, fazendo perguntas e participado da discussão com pessoas de renomadas áreas como Juiz, Promotor, representante da Igreja, dentre outros.

A implantação do MATOPIBA não é unanimidade, muitos são contra, como a CPT – Comissão Pastoral da Terra, que entende que a implantação deste projeto reforçará a grilagem de terra e o aumento da violência, dos conflitos e assassinatos no campo, além de causar a salubridade dos povos do cerrado pelo abusivo uso de agrotóxicos com pulverização de aérea intensiva. A CPT também entende que autorizações de desmatamento e outorgas de uso de água trás como consequencia a redução dos aquíferos e nascentes na região. Segundo a CPT, somente as grandes empresas e multinacionais irão se beneficiar.

No primeiro dia de Seminário, uma mesa composta por representantes da CPT – Gregório Borges, da FETAG – Antônio José, o Juiz da Vara Agrária – Heliomar Rios, o Secretário da SDR – Francisco das Chagas Lima, o Direto do Campos da UFPI – Stécio Bezerra, da ASA-PI – Carlos Humberto Campos, Secretária de Planejamento – Rejane Tavares, da Fundação CEPRO – Simplício Rodrigues, da Ouvidoria Agrária – James Carvalho e da SEDET – Marcos Wilamis foi responsável pela apresentação do projeto oficial do MATOPIBA, e que alguns destes falaram um pouco sobre o mesmo.

- Muita gente não sabe o que é o MATOPIBA, o que é preocupante. Precisamos conscientizar a todos, pois é fundamental para o Piauí se desenvolver, sustentavelmente, é claro – disse o Juiz da Vara Agrária Dr. Heliomar Rios.

A principal preocupação com o projeto MATOPIBA, segundo a FETAG-PI, é em saber como os agricultores rurais estarão incluídos no projeto, para que não sejam prejudicados.

Este primeiro Seminário do MATOPIBA teve um saldo bastante positivo, pois teve uma enorme participação de representante de todos os lados, desde investidores até pequenos agricultores familiares que lotaram o auditório da UFPI, sendo um dos maiores eventos já realizados no Campos. Todos esperam que o que foi discutido ali seja colocado em prática na implantação do projeto, para que todos possam ser favorecidos.

13115762_10209150481023939_294811158_n.jpg

13140568_10209150481183943_1304100651_n.jpg

13140587_10209150481823959_136387694_n.jpg

16 de dezembro de 2015

Seduc premia melhores escolas e professores de 2015

Três escolas e quatro professores, que compõem as redes estadual e municipais de ensino do Piauí foram premiados durante a solenidade

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), através da Gerência de Gestão, realizou na manhã desta terçafeira (15) a etapa estadual do Prêmio Gestão Escolar e Prêmio Professores do Brasil 2015. O evento reconheceu os destaques na gestão e docência das escolas públicas municipais e estaduais do Piauí. 
Os vencedores foram duas escolas em Teresina e uma no município de Bom Jesus. O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral (Cemti) Didácio Silva, da rede estadual de ensino de Teresina, levou o primeiro lugar. O Cemti João Henrique de Almeida Sousa, também em Teresina, ficou em segundo, e a Unidade Escolar Antônio Borges Leal situada na cidade de Bom Jesus em terceiro.
Três escolas e quatro professores, que compõem as redes estadual e municipais de ensino do Piauí foram premiados. O 1º, 2º e 3º colocados entre as escolas ganharam viagens de intercâmbio cultural a um Estado do Nordeste e quantias de 5 mil, 3 mil e 2 mil, respectivamente. 
“Participar do prêmio gestão é uma oportunidade de divulgar as boas ações das nossas escolas, dos diretores e dos professores, para que tenhamos uma educação de qualidade. Todos que concorreram na etapa estadual tinham concorrido na etapa nacional. O que fizemos foi selecionar o melhor entre aqueles que de destacaram”, disse Maria do Carmo Pires, gerente de gestão da Seduc. 

Vencedores ganharam viagens de intercâmbio cultural e prêmios no valor de 5 mil, 3 mil e 2 mil reais (Foto: Divulgação)

O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral (Cemti) Didácio Silva, da rede estadual de ensino de Teresina, conquistou o 1º lugar e ainda premiou a plateia com a apresentação da coreografia do poema Navio Negreiro, de autoria do escritor Castro Alves. 
Segundo Alberto Machado, diretor da escola, a conquista do prêmio se deve ao trabalho de excelência realizado por todos que compõem a escola. “Os motivos são tantos. São dez anos na luta pelo prêmio e agora, finalmente, chegou a nossa vez. É um trabalho de equipe que vai desde o agente de portaria até quem está na sala de aula. A escola trabalha em todas as suas dimensões e a arte foi a grande sacada da nossa escola. Foi através da arte que zeramos a evasão escolar e a violência na nossa escola”, disse o diretor. 
Em 2º lugar ficou o Cemti João Henrique de Almeida Sousa (Teresina), que recebeu a quantia de R$ 3.000,00, e em 3º a Unidade Escolar Antônio Borges Leal situada na cidade de Bom Jesus. 
No Prêmio Professores do Brasil 2015, ganharam viagens de intercâmbio cultural a um Estado do Nordeste Francisca Eluar Marinho Silva Soares, que concorreu na categoria creche, representando o Centro Municipal de Educação Infantil 1º de Maio, de Teresina; Elândia Peres Rêgo na categoria Ciclo de Alfabetização, representando o Centro Educacional Municipal Vereador Valdemar S. de Oliveira, da cidade de Piripiri; Clécio de Macedo Reis na categoria 6º ao 9º ano, representando a Unidade Escolar Maria Natividade Coelho, de Betânia do Piauí; e Lessandra Ribeiro Carvalho na categoria Ensino Médio, representando a Escola Técnica Estadual Prefeito João Mendes Olímpio de Melo, de Teresina. 
Para Lessandra Carvalho, estar em sala de aula não é uma obrigação, mas a realização como pessoa, cidadã e em especial como profissional. “Eu poderia ter trilhado outros caminhos, mas ser professora me faz realizada. Sou convicta de que fiz a escolha certa e isso se reflete em sala de aula”, destacou. 
A etapa estadual do Prêmio Gestão Escolar e do Prêmio Professores do Brasil 2015 foi criada pela equipe da secretária de Estado da Educação, Rejane Dias, como forma de reconhecer quem faz a educação no Piauí. 
“O nosso objetivo em criar as versões estaduais desses prêmios foi valorizar as boas práticas pedagógicas tanto na área da gestão quanto em relação aos professores”, relata Rejane Dias.

06 de junho de 2014

PP realiza seminário sobre Segurança Pública em Bom Jesus

PP realiza seminário sobre Segurança Pública em Bom Jesus

O Partido Progressista do Piauí e a Fundação Milton Campos realizam na próxima segunda-feira, 9 de junho, o Seminário Progressista sobre Segurança Pública, no Gurguéia Palace Hotel, em Bom Jesus. 

De acordo com o presidente do partido, Júlio Arcoverde, a expectativa é de que mais de duzentas pessoas participem do evento, que tem como objetivo principal promover o debate e a disseminação de conhecimentos sobre a segurança pública no Piauí. "Estamos esperando a participação de todos os que se interessam pela questão da segurança pública, prefeitos da região, vereadores, lideranças comunitárias, comunicadores, estudantes, professores, representantes de instituições religiosas. à um tema que precisa ser discutido com a comunidade, queremos ouvir sugestões, ouvir as pessoas", diz Júlio. 

O subcomandante do RONE, capitão Fábio Abreu, vai ministrar palestra com o tema "Desafios Atuais e Perspectiva de Segurança Pública no Estado do Piauí". 

A questão da segurança envolve também ações de prevenção ao uso de drogas e combate ao tráfico, visto que boa parte das ações violentas são cometidas sob efeito ou por causa de drogas. 

As inscrições para o seminário são gratuitas e poderão ser feitas no dia do evento. 

Mais informações: Erinalda Feitosa - 86-9981-9357

15 de janeiro de 2014

Papa Francisco nomeia novo bispo para Bom Jesus de Gurgueia (PI)

Foi ordenado presbítero em 30 de novembro de 1996, pelo então cardeal, dom José Freire Falcão

O papa Francisco nomeou hoje, 15, o padre Marcos Antônio Tavoni como bispo da diocese de Bom Jesus de Gurgueia (PI). Atualmente, padre Marcos é pároco da paróquia Cristo Redentor, em Taguatinga Norte (DF).

Padre Marcos nasceu na cidade de São Carlos (SP), em 21 de abril de 1967. à filho de Antônio e Dirce Tavoni. Quando criança, foi acólito na paróquia Santa Izabel da diocese de São Carlos, na qual também exerceu atividades como catequista. Também atuou como funcionário da área acadêmica da Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo, por nove anos.

Ingressou no Seminário Diocesano de São Carlos em 1989 e cursou os dois primeiros anos de Filosofia. Mudou-se para Brasília (DF) para prosseguir com os estudos, concluindo a Filosofia e a Teologia no Seminário Maior Arquidiocesano. Recebeu espiritualidade e formação missionária no Seminário âRedemptoris Materâ, integrando a primeira turma.

Foi ordenado presbítero em 30 de novembro de 1996, pelo então cardeal, dom José Freire Falcão. O trabalho missionário é marca de sua trajetória sacerdotal. Quando seminarista participou de uma missão itinerante na Amazônia, nas capitais Belém, Manaus e Porto Velho.

Missão

Exerceu seu ministério, por muitos anos, como missionário na arquidiocese de Palmas (TO), na qual, desde 1997, desempenhou as funções de pároco, professor, ecônomo e reitor do Centro de Evangelização e do Seminário Interdiocesano. Dedicou-se à direção da Casa de Marta que desenvolve atividades de reintegração à sociedade de jovens adolescentes grávidas. Foi um dos primeiros professores da Escola Diaconal São Lourenço. Coordenou a Comissão que elaborou o primeiro Diretório de Iniciação Cristã.

Também atuou como secretário do Conselho Presbiteral por dois períodos e vigário episcopal da região São Pedro de 2007 a 2008. Na vacância da arquidiocese de Palmas, esteve como secretário do Colégio Consultivo, entre outras atividades no Conselho Ampliado de Pastoral e coordenador da Pastoral da Comunicação. Padre Marcos é um dos precursores do Caminho Neocatecumenal no estado do Tocantins.

07 de novembro de 2013

OAB-PI solicita terreno para novo Fórum na Comarca de Bom Jesus

MP já ajuizou ação solicitando a interdição do Fórum de Bom Jesus.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, oficiou, nesta quinta-feira (07), o Governo do Estado do Piauí solicitando a doação de um terreno para a construção de um novo Fórum na cidade de Bom Jesus, no sul do Piauí. Segundo a presidente da Subseção da OAB-PI na cidade, Patrícia Barili, o atual prédio do Fórum de Bom Jesus não tem condições de atender a demanda da Comarca por falta de estrutura física e de segurança.

Durante reunião com Willian Guimarães, presidente da OAB-PI, a advogada Patrícia Barili apresentou um relatório acerca das condições dos fóruns das cidades de Bom Jesus, Cristino Castro, Redenção do Gurguéia e Uruçuí. âA situação desses prédios é periclitante. O Ministério Público já ajuizou uma ação solicitando a interdição do Fórum de Bom Jesus, porque as instalações físicas do prédio não possuem nenhuma segurançaâ, disse Patrícia Barili.

Foto: OAB/PI

De acordo com a ação civil do Ministério Público, o processo de investigação foi iniciado em maio deste ano em razão das constantes quedas de energia no prédio, além do risco iminente de incêndio pela precariedade da rede elétrica.

Com base nessa ação, o presidente Willian Guimarães encaminhou um ofício ao governador Wilson Martins solicitando a doação de um terreno para que seja construído um novo prédio. Ainda, segundo ele, a OAB-PI vai solicitar que o Tribunal de Justiça adote as medidas necessárias para a realização da obra.

âManteremos contato direto com o Tribunal de Justiça para que o novo prédio do Fórum da Comarca de Bom Jesus seja viabilizado o mais rápido possível. Este Fórum é de suma importância para a realização das atividades jurisdicionais da Comarca de forma condignaâ, afirmou Willian Guimarães.

Ainda de acordo com Patrícia Barili, fóruns de outras Comarcas da região sul do Estado estão em situação de risco. Na cidade de Cristino Castro, por exemplo, a Corregedoria Geral de Justiça já interditou parcialmente o prédio por falta de segurança. Já os fóruns das cidades de Redenção do Gurguéia e Uruçuí necessitam de reparos, manutenção e ainda há carência de servidores efetivos.

18 de setembro de 2013

Bom Jesus recebe 400 residências do Minha Casa, Minha Vida

A obra deve ser concluída em 18 meses

 

A prefeitura de Bom Jesus e a Caixa Econômica Federal assinaram ordem de serviço para a construção de 400 unidades habitacionais no município, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Bom Jesus conta, hoje, com 24 mil habitantes.

A obra, que deve ser concluída em 18 meses e levará o nome de Residencial Gilson Coelho, está orçada em R$ 21,6 milhões. Atualmente, mais de 70% da população de Bom Jesus vive na zona urbana, o que, na visão do superintendente da Caixa Econômica Federal no Piauí, Manoel Veloso, consolida a importância do Minha Casa, Minha Vida no município.

âNos últimos dois anos, o Governo Federal construiu 30 mil unidades habitacionais no Piauí, um investimento de cerca de R$ 1,4 bilhão. Agora, graças ao empenho da prefeitura, Bom Jesus recebe esse que é um dos mais importantes e eficazes programas do Governoâ, pontua Manoel Veloso.

O deputado estadual Fábio Novo (PT), um dos articuladores para a implementação do Minha Casa, Minha Vida em Bom Jesus, destacou a relevância de obras que foquem na preocupação social e com o respeito à cidadania.

O prefeito de Bom Jesus, Marcos Elvas, ressalta o empenho de sua gestão na busca pelos recursos do Minha Casa, Minha Vida para município, o que, segundo ele, só não aconteceu antes por âirresponsabilidade da antiga gestão em não inscrever o município no programaâ.

âBom Jesus, hoje, está de parabéns, pois sabe o que é melhor para si. Conseguir o Minha Casa, Minha Vida para nossa cidade muito nos orgulha, pois demonstra que estamos no caminho certo, buscando recursos para investimentos no município. Na minha opinião, não existe obra grande nem obra pequena, mas obra necessária e nós enxergamos essa necessidade e, enfim, conseguimos trazer o programaâ, finaliza Elvas.