• assinatura jornal

Notícias Gilbués

22 de agosto de 2017

Água: Velhos problemas, sem novas soluções.

Gilbués Piauí

Diante do meu pouco saber, acredito que não há mais espaço para pensar, planejar e cuidar isoladamente de alguns elementos fundamentais que são indispensáveis à vida do ser humano no planeta.

Parece-me que só agora começamos a despertar para o fato de que fazem parte do mesmo pacote da nossa sobrevivência; a água, o saneamento básico, a tecnologia, a produção de alimentos, de energia e o meio ambiente.

No caso do Extremo Sul do Piauí, devemos atentar para o princípio de conscientização; para a necessidade de utilizarmos amplamente as tecnologias existentes, além de uma boa política que englobe reuso da água, reaproveitamento dos efluentes domésticos e até providências de menor efeito, mas também importantes, como a coleta da água das chuvas.

Não é mais segredo pra ninguém os motivos que nos empurraram para a atual crise hídrica já que estamos vivendo nessa região. Há tempos assistimos calados a morte dos nossos principais mananciais; rio Gurguéia, rio Corrente, rio Paraim e Lagoa de Parnaguá (apenas estes como exemplo).

Não adianta estarmos no topo da lista de uma das regiões do país mais bem servidas de água doce, se não conseguimos vencer velhos problemas crônicos por falta de um planejamento integrado, que englobe as três esferas da administração pública (municipal, estadual e federal) e sociedade.

Os órgãos responsáveis pelas estruturas de fornecimento de água com qualidade e esgotamento sanitário também precisam melhorar seus métodos de gestão, buscando maior eficiência, especialmente no tratamento e  distribuição da água. Evitando assim, os desperdícios.

O Brasil está se preparando para receber no próximo ano, em abril de 2018, o oitavo Fórum Mundial da Água, organizado pelo Conselho Mundial que reúne 70 países e organiza esses encontros a cada três anos.

Cá pra nós, no próximo dia  05 de setembro teremos na cidade de Bom Jesus, uma reunião do Comitê da Bacia Hidrográfica do Gurguéia onde estarão presentes várias associações, poder público, técnicos  e ambientalistas do vale do Gurguéia. Considerando as proporções, são eventos de grande relevância diante dos problemas que serão discutidos.

Em nossa região, o cenário é cada vez mais sombrio, com a evidência cada dia mais forte do aumento da fome e da pobreza devido à escassez da água. Em nossos debates não podemos deixar de discutir as dificuldades que grande parte de nossa população enfrenta nessa área. Temos que abordar tudo o que diz respeito a água, incluindo seus aspectos culturais e sociais.

Os aspectos sociais dizem respeito à importância de haver água potável para todos os cidadãos em qualquer parte da região, a tão almejada universalização dos serviços de saneamento, que acontece apenas em um número muito reduzido de cidades de nosso estado (Piauí).

No Piauí, excetuando Teresina, onde a população tem água limpa em suas torneiras e os esgotos são tratados, todos os municípios padecem das mesmas “enfermidades” que enfrentamos aqui: pouca (nenhuma) utilização das modernas tecnologias, enorme desrespeito ao meio ambiente, desperdício de água potável, excesso de burocracia, ausência de uma política única e integradora para essa área etc.

As providências para a construção de um bom sistema que atenda aos anseios do povo já são conhecidas; por isso não é preciso ser especialista em água e tratamento de esgoto para sabermos que não há mais novidades a serem discutidas.

É preciso apenas decisão política dos governos para implantar o que já existe. Enquanto eles não decidem, o povo do Extremo Sul do Piauí, padece.

18 de agosto de 2017

Audiência pública debate problema da desertificação no sul do Piauí

Gilbués Piauí

                                             Foto: Pedro Santiago/G1

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) realizará nesta segunda-feira (21) uma audiência pública para discutir a implementação de políticas públicas no combate à desertificação no Piauí. Proposto pelo procurador-geral do Ministério Público de Contas, Plínio Valente, e aprovado por unanimidade pelo Pleno do TCE-PI, o evento reunirá especialistas em clima e meio ambiente e autoridades do Judiciário.

Os conselheiros do TCE-PI, representantes da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Associação Piauiense de Municípios (APPM), 25º Batalhão de Caçadores e de outras instituições e entidades também participarão. A audiência acontecerá no plenário do TCE-PI, a partir das 9 horas. O objetivo é discutir o problema da desertificação no sul do Piauí, especialmente em Gilbués (816 quilômetros ao sul de Teresina), onde está a maior área contínua desertificada do Brasil, a fim de propor alternativas para conter o processo.

Também será discutida a viabilidade de implantação da Adutora do Sertão, projeto apontado como solução para o abastecimento d’água em cerca de 50 municípios da região sul que sofrem com a estiagem, a partir de poços da região do Vale do Gurgueia. O procurador-geral do MPC-PI, Plínio Valente, explica que o objetivo é trazer discussões sobre políticas públicas para o combate e prevenção da desertificação no Piauí.

Ele citou que os municípios do Piauí não colocam em prática a lei federal que prevê a implantação do plano municipal de combate à desertificação. Plínio Valente cita também o desperdício de água em dezenas de poços jorrantes do sul do Piauí, enquanto boa parte da população da região passa sede por conta da estiagem e do aproveitamento quase nulo da água dos poços.

A desertificação é um processo de degradação ambiental que acontece em áreas secas e semiáridas e provoca perda de fertilidade do solo e escassez de recursos hídricos. No Piauí, ocorre principalmente no município de Gilbués, e tem como consequência a degradação dos principais rios da região – Gurguéia e Uruçuí Vermelho.

17 de agosto de 2017

TRE-PI aprova Resolução para extinção de 24 Zonas Eleitorais

Medida afeta os municípios Santa Filomena, Monte Alegre, Cristalândia e Curimatá

Em sessão realizada nesta terça-feira (15), o Tribunal Regional do Piauí (TRE-PI) decidiu aprovar, por maioria, proposta de Resolução de rezoneamento eleitoral no Estado do Piauí, por meio da extinção, remanejamento, renomeação e recomposição de Zonas Eleitorais. A medida ocorreu em cumprimento às Resoluções 23.422/2014 e 23.512/2017, bem como a Portaria nº 372/2017, todas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 Relatório da Comissão do TRE-PI responsável pelos estudos do rezoneamento, indicou a necessidade de extinção de vinte e nove Zonas Eleitorais e o remanejamento de sete Zonas Eleitorais, conforme os parâmetros estabelecidos pelo TSE. No mesmo Relatório consta ainda a indicação da manutenção de cinquenta e sete Zonas Eleitorais, sendo que vinte e seis delas terão suas áreas ampliadas e em seis haverá redução de tamanho.

Na região Extremo-Sul do estado, serão extintas as Zonas Eleitorais de Santa Filomena e Monte Alegre, agregadas à 35ª ZE, de Gilbués; Cristalândia, agregada à 22ª ZE, de Corrente; Curimatá, sendo agregada à 26ª ZE, de Parnaguá, com o município termo de Júlio Borges agregado à jurisdição da 88ª ZE, de Avelino Lopes.

O município mais afetado com a medida será o de Santa Filomena, com população estimada em 6.155 habitantes e 4.848 eleitores. A cidade está a 100 quilômetros de Gilbués, município a qual a Zona Eleitora foi agregada.

Veja como ficaram as Zonas Eleitorais com a alteração:

22ª ZE - CORRENTE

ALTERADA, recebendo a 69ª ZE (Cristalândia do Piauí).

23ª ZE - SANTA FILOMENA

EXTINTA. Jurisdição agregada à 35ª ZE - GILBUÉS.

26ª ZE - PARNAGUÁ

ALTERADA, recebendo o município de Curimatá da 51ª ZE - CURIMATÁ.

35ª ZE - GILBUÉS

ALTERADA, recebendo a 23ª ZE (Santa Filomena) e 94ª ZE (Monte Alegre do Piauí).

51ª ZE - CURIMATÁ

EXTINTA. O município de Curimatá será agregado à jurisdição da 26ª ZE - PARNAGUÁ e o município termo de Júlio Borges será agregado à jurisdição da 88ª ZE - AVELINO LOPES.

88ª ZE - AVELINO LOPES

ALTERADA, recebendo o município de Júlio Borges da 51ª ZE - CURIMATÁ.

94ª ZE - MONTE ALEGRE DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 35ª ZE - GILBUÉS.

5ª ZE - OEIRAS

ALTERADA, perdendo os municípios termos de Cajazeiras do Piauí, Colônia do Piauí, São Francisco do Piauí e São Miguel do Fidalgo para 75ª ZE - Oeiras.

8ª ZE - AMARANTE

ALTERADA, recebendo a 31ª ZE (Palmeirais).

9ª ZE - FLORIANO

ALTERADA, recebendo a jurisdição da 61ª ZE (Floriano).

10ª ZE - PICOS

ALTERADA, recebendo a jurisdição do município de Picos da 62ª ZE - PICOS e o município de Paquetá da 66ª ZE - SANTA CRUZ DO PIAUÍ.

14ª ZE - URUÇUÍ

ALTERADA, recebendo a 78ª ZE (Antônio Almeida e Porto Alegre do Piauí).

18ª ZE - VALENÇA DO PIAUÍ

ALTERADA, perdendo o município termo de Lagoa do Sítio para a 92ª ZE - Valença do Piauí.

20ª ZE - SÃO JOÃO DO PIAUÍ

ALTERADA, perdendo os municípios termos de Capitão Gervásio Oliveira, Lagoa do Barro do Piauí, Campo Alegre do Fidalgo, Nova Santa Rita e Pedro Laurentino para a 69ª ZE - São João do Piauí.

28ª ZE - BERTOLÍNIA

REMANEJADA para Picos. Jurisdição agregada à 67ª ZE - MANOEL EMÍDIO.

28ª ZE – PICOS

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 28ª ZE - Bertolínia. Será composta pela 65ª ZE (Francisco Santos, Monsenhor Hipólito e Santo Antônio de Lisboa) e pela 93ª ZE (Bocaina, São João da Canabrava e São Luis do Piauí).

30ª ZE - SÃO PEDRO DO PIAUÍ

ALTERADA, recebendo a 70ª ZE (São Gonçalo do Piauí e Santo Antônio dos Milagres).

31ª ZE - PALMEIRAIS

EXTINTA. Jurisdição agregada à 8ª ZE - AMARANTE.

33ª ZE - BURITI DOS LOPES

ALTERADA, recebendo o município termo de Murici dos Portelas da 85ª ZE – Joaquim Pires.

34ª ZE - CASTELO DO PIAUÍ

ALTERADA, perdendo o município termo de São João da Serra para a 47ª ZE - Altos.

37ª ZE - SIMPLÍCIO MENDES

ALTERADA, recebendo a 83ª ZE (Paes Landim) e o município de Socorro do Piauí da 73ª ZE. PERDE o município termo de Isaías Coelho para a 57ª ZE – ITAINÓPOLIS.

41ª ZE - ESPERANTINA

ALTERADA, recebendo o município de Joaquim Pires da 85ª ZE – JOAQUIM PIRES

42ª ZE - ALTO LONGÁ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 47ª ZE - Altos.

43ª ZE - REGENERAÇÃO

ALTERADA, recebendo a 84ª ZE (Angical do Piauí e Jardim do Mulato).

46ª ZE - GUADALUPE

ALTERADA, recebendo a 75ª ZE (Landri Sales) e 87ª ZE (Marcos Parente).

47ª ZE - BENEDITINOS

REMANEJADA para Altos. Jurisdição agregada à 47ª ZE - Altos.

47ª ZE – ALTOS

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 47ª ZE - Beneditinos. Será composta pela 42ª ZE (Alto Longá e Novo Santo Antônio), 47ª ZE (Beneditinos) e pelo município de São João da Serra (34ª ZE - CASTELO DO PIAUÍ).

48ª ZE - ELESBÃO VELOSO

ALTERADA, recebendo a 74ª ZE (Francinópolis) e a 82ª ZE (Várzea Grande, Barra D'Alcântara e Tanque do Piauí).

49ª ZE - PORTO

ALTERADA, recebendo a 86ª ZE (Nossa Senhora dos Remédios).

50ª ZE - CONCEIÇÃO DO CANINDÉ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 83ª ZE - Simplício Mendes.

52ª ZE - ÁGUA BRANCA

ALTERADA, perdendo os municípios termos de Barro Duro e Passagem Franca para a 74ª ZE - Barro Duro.

55ª ZE - PIMENTEIRAS

EXTINTA. Jurisdição agregada à 92ª ZE - Valença do Piauí.

57ª ZE - ITAINÓPOLIS

ALTERADA, recebendo o município de Isaías Coelho da 37ª ZE.

60ª ZE - NAZARÉ DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 61ª ZE em Floriano.

61ª ZE - FLORIANO

ALTERADA, recebendo a 60ª ZE (Nazaré do Piauí e São José do Peixe) e a 77ª ZE (Arraial e Francisco Ayres). Perde a jurisdição sobre o município de Floriano que passa para a 9ª ZE.

62ª ZE – PICOS

ALTERADA, recebendo a RECEBE os municípios de Santa Cruz do Piauí e Wall Ferraz da 66ª ZE - SANTA CRUZ DO PIAUÍ. PERDE a jurisdição sobre o município de São José do Piauí que passa para a 64ª ZE e sobre o município de Picos que passa para a 10ª ZE – PICOS.

64ª ZE - INHUMA

ALTERADA, recebendo a 89ª ZE (Ipiranga do Piauí) e o município de São José do Piauí da 62ª ZE.

65ª ZE - FRANCISCO SANTOS

EXTINTA. Jurisdição agregada à 28ª ZE - Picos.

66ª ZE - SANTA CRUZ DO PIAUÍ

EXTINTA. Os municípios de Santa Cruz do Piauí e Wall Ferraz serão agregados à jurisdição da 62ª ZE - PICOS e o município de Paquetá será agregado à jurisdição da 10ª ZE - PICOS.

67ª ZE - MANOEL EMÍDIO

ALTERADA, recebendo a 28ª ZE (Bertolínea e Sebastião Leal) e a 90ª ZE (Eliseu Martins e Colônia do Gurguéia).

69ª ZE - CRISTALÂNDIA DO PIAUÍ

REMANEJADA para São João do Piauí. Jurisdição agregada à 22ª ZE - CORRENTE.

69ª ZE – SÃO JOÃO DO PIAUÍ

Zona proveniente de REMANEJAMENTO DA 69ª ZE – Cristalândia do Piauí. Será composta pelos termos da 20ª ZE - SÃO JOÃO DO PIAUÍ: Capitão Gervásio Oliveira, Lagoa do Barro do Piauí, Campo Alegre do Fidalgo, Nova Santa Rita e Pedro Laurentino.

70ª ZE - SÃO GONÇALO DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 30ª ZE - SÃO PEDRO DO PIAUÍ.

72ª ZE - ITAUEIRA

ALTERADA, recebendo o município de Ribeira do Piauí da 73ª ZE.

73ª ZE - SOCORRO DO PIAUÍ

EXTINTA. O município de Ribeira do Piauí será agregado à jurisdição da 72ª ZE - ITAUEIRA e o município de Socorro do Piauí será agregado à jurisdição da 37ª ZE – SIMPLÍCIO MENDES.

74ª ZE - FRANCINÓPOLIS

REMANEJADA para Barro Duro. Jurisdição agregada à 48ª ZE - ELESBÃO VELOSO.

74ª ZE – BARRO DURO

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 74ª ZE - Francinópolis. Será composta pelos municípios de Barro Duro e Passagem Franca da 52ª ZE e pela 76ª ZE (São Félix do Piauí, São Miguel da Baixa Grande, Prata do Piauí e Santa Cruz dos Milagres).

75ª ZE - LANDRI SALES

REMANEJADA para Oeiras. Jurisdição agregada à 46ª ZE - GUADALUPE.

75ª ZE - OEIRAS

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 75ª ZE – Landri Sales. Será composta pelos termos da 5ª ZE – OEIRAS: Cajazeiras do Piauí, Colônia do Piauí, São Francisco do Piauí e São Miguel do Fidalgo.

76ª ZE - SÃO FÉLIX DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 74ª ZE - Barro Duro.

77ª ZE - ARRAIAL

EXTINTA. Jurisdição agregada à 61ª ZE - FLORIANO.

78ª ZE - ANTÔNIO ALMEIDA

EXTINTA. Jurisdição agregada à 14ª ZE - URUÇUÍ.

79ª ZE - CARACOL

ALTERADA, recebendo os municípios de Anísio de Abreu e Jurema da 95ª ZE.

81ª ZE - CAMPINAS DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 83ª ZE - Simplício Mendes.

82ª ZE - VÁRZEA GRANDE

EXTINTA. Jurisdição agregada à 48ª ZE - ELESBÃO VELOSO.

83ª ZE - PAES LANDIM

REMANEJADA para Simplício Mendes. Jurisdição agregada à 37ª ZE – SIMPLÍCIO MENDES.

83ª ZE – SIMPLÍCIO MENDES

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 83ª ZE – Paes Landim. Será composta pela 50ª ZE (Conceição do Canindé e São Francisco de Assis do Piauí) e pela 81ª ZE (Campinas do Piauí, Floresta do Piauí e Santo Inácio do Piauí).

84ª ZE - ANGICAL DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 43ª ZE – REGENERAÇÃO.

85ª ZE - JOAQUIM PIRES

EXTINTA. Município de Joaquim Pires agregado à 41ª ZE – ESPERANTINA e município de Murici dos Portelas agregado à 33ª ZE – BURITI DOS LOPES.

86ª ZE - NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS

EXTINTA. Jurisdição agregada à 49ª ZE – PORTO.

87ª ZE - MARCOS PARENTE

EXTINTA. Jurisdição agregada à 46ª ZE - GUADALUPE.

89ª ZE - IPIRANGA DO PIAUÍ

EXTINTA. Jurisdição agregada à 64ª ZE – INHUMA.

90ª ZE - ELISEU MARTINS

EXTINTA. Jurisdição agregada à 67ª ZE - MANOEL EMÍDIO.

92ª ZE - AROAZES

REMANEJADA para Valença do Piauí. Jurisdição agregada à 92ª ZE - Valença do Piauí.

92ª ZE – VALENÇA DO PIAUÍ

Zona proveniente de REMANEJAMENTO da 92ª ZE - Aroazes. Será composta pelos termos da 18ª ZE – VALENÇA DO PIAUÍ: Lagoa do Sítio, e pela agregação da 55ª ZE – PIMENTEIRAS e 92ª ZE – AROAZES.

93ª ZE - BOCAINA

EXTINTA. Jurisdição agregada à 28ª ZE - Picos.

95ª ZE - SÃO RAIMUNDO NONATO

ALTERADA, perdendo os municípios de Anísio de Abreu e Jurema para a 79ª ZE – CARACOL.

11 de agosto de 2017

11 DE AGOSTO — DIA DO ESTUDANTE

Desde 1927, aos onze dias do mês de agosto, é comemorado o Dia do Estudante no Brasil.

No dia 11 de agosto, é comemorado, no Brasil, o Dia do Estudante. Essa comemoração acontece desde o ano de 1927 e teve como ponto de partida algo que ocorreu cem anos antes, isto é, em 1827, na época do recém-instituído ImpérioBrasileiro. Em 11 de agosto de 1827, o então imperador Dom Pedro I autorizou a criação das duas primeiras faculdades do Brasil, a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, e a Faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo. Por esse motivo, no dia 11 de agosto, também se comemora o Dia do Advogado no Brasil.

Dada a importância crucial que as faculdades de Direito tiveram no processo de consolidação do ensino superior e do execício da vida intelectual no Brasil, grande parte dos responsáveis por “pensar o Brasil”, interpretar nossa história e definir e compreender nossa formação teve a sua base intelectual como bacharéis em Direito.

Sendo assim, em 11 de agosto de 1927, cem anos após a criação das referidas faculdades, houve uma comemoração em homenagem a elas. O advogado Celso Gand Ley, que estava participando das comemorações, sugeriu aos demais participantes que, na mesma data, fosse instituído o Dia do Estudante, já que, mais do que símbolo do início dos cursos jurídicos no Brasil, as faculdades de Direito eram também ícones da história da educação brasileira.

A sugestão de Gand Ley foi acatada e, desde então, o Dia do Advogado e o Dia do Estudante são comemorados na mesma data. Houve ainda, dez anos depois, em 1937 – ano em que teve início a ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas –, a criação da UNE – União Nacional dos Estudantes, fato que “fez coro” para reforçar o dia dedicado aos estudantes.

No âmbito internacional, o Dia do Estudante é comemorado em 17 de novembro e faz referência à resistência estudantil à ocupação nazista na antiga Tchecoslováquia, em 1939. Tal data foi escolhida pelo Conselho Internacional de Estudantes (que hoje é a atual União Internacional dos Estudantes), em 1941, na capital da Inglaterra, como forma de homenagear a referida resistência e, sobretudo, um dos jovens participantes, Jan Opletal,que acabou indo a óbito em 11 de novembro de 1939.


Por Me. Cláudio Fernandes

Rodovia da Morte – Políticos vão invadir a BR-135

GILBUÉS PIAUÍ


Povo cobra por solução. Chega de mortes!

A cidade de Bom Jesus será palco hoje (11/008), de uma das maiores demonstrações de atuação dos políticos do Estado do Piauí.

Estarão na cidade para fazer uma vistoria nas obras da famosa “rodovia da morte”, o governador Wellington Dias, os senadores Ciro Nogueira, Elmano Ferrer e Regina Sousa; e sete deputados federais; Marcelo 

Castro, Heráclito Fortes, Júlio César, Flávio Nogueira e Assis carvalho, além do diretor nacional do DNIT, Walter Casemiro.

Nunca na história desta região se reuniu tantos representantes políticos por uma causa social.

Eles vão percorrer cerca de 45 quilômetros vistoriando as obras que estão em andamento na rodovia.

A BR 135 nos últimos meses tem sido umas das principais pautas da mídia do Piauí e nacional, devido a quantidade de acidentes ocorridos

no trecho entre as cidades de Eliseu Martins a Cristalândia, despertando a atenção da sociedade e das autoridades do Estado.

Somente nesses últimos sete meses, segundo dados da Policia Rodoviária Federal, já ocorreram 56 acidentes, resultando em 40 mortos e 80 feridos. Apenas nesta semana já aconteceram três acidentes.

A população das cidades que margeiam a BR está vivendo em estado de pânico, pois muitas famílias já perderam parentes ou amigos vítimas de acidentes automobilístico neste trecho.

Até o momento da publicação desta matéria ainda não havia sido divulgada para a imprensa local a pauta da reunião que acontecerá a partir das 10:30h, no auditório do Gurguéia Palace Hotel.

Espera-se que sejam anunciadas soluções imediatas para que mais pessoas não sejam vítimas da rodovia que mais mata no Piauí.


08 de agosto de 2017

Bom Jesus vai sediar o 2º Encontro das Cidades do Extremo Sul do Piauí

PIAUÍ

Nestor Pinheiro e Marcos Elvas, juntos pela integração regional.

A cidade de Bom Jesus vai receber no próximo dia (18), o 2º Encontro das Cidades do Extremo Sul do Piauí com as Políticas Públicas.

O evento é realizado pela Associação dos Municípios do Extremo Sul do Piauí (AMES), em parceria com a Câmara Municipal e Prefeitura de Bom Jesus.

O objetivo é discutir com a sociedade e gestores públicos, as políticas sociais implementadas na região, que é composta de 23 municípios; de Eliseu Martins à Cristalândia.

Todos os prefeitos foram convidados, a expectativa é que se reúna pelo menos 20 chefes do executivo e representantes de todas as Câmaras de vereadores da região, além de lideranças políticas, associações, sindicatos, OAB e outras entidades de classe.

Pode participar do evento qualquer cidadão ou segmento social, podendo contribuir por meio de sugestões aos palestrantes que abordarão diferentes temas.

“Será um Encontro de grande importância para que possamos adquirir novos conhecimentos e aprimorar nossas ideias em prol do desenvolvimento das cidades pelas quais somos responsáveis”, destaca o prefeito de Bom Jesus, Marcos Elvas que pretende realizar um grande evento na sua cidade.

No encontro serão discutidos os problemas que as cidades do Extremo Sul  têm em comum, além de haver um compartilhamento de ideias e encontrar soluções para tornar os serviços públicos mais eficientes.

Para o presidente da Câmara de Bom Jesus, Nestor Pinheiro, a região precisa de uma agenda política como esta, que está sendo construída pelo Encontro das Cidades. “Vamos dar um salto no desenvolvimento, é assim que se discute política”, disse o vereador.

O encontro das cidades já se tornou o maior evento do Piauí sobre a formulação de políticas públicas que proporcionem uma melhor qualidade de vida para todos.

Estarão em debate temas como: segurança pública, agricultura, abate e comercialização da carne, prestação de contas públicas, saúde, meio ambiente, entre outros assuntos.

Vamos ao Encontro, dia 18 de agosto.

07 de agosto de 2017

Piauí recebe R$ 12,6 milhões para agricultura familiar

Serão atendidos 3.500 agricultores familiares de 128 municípios

Serão atendidos 3.500 agricultores familiares de 128 municípios

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) – Compra Direta recebeu do governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, R$ 12,6 milhões, beneficiando diretamente 3.500 agricultores e agricultoras familiares em 128 municípios do Piauí.

Serão beneficiadas com a distribuição de alimentos 297 instituições, que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar como os Centros de Referência e Asistência Social (CRAS), Escolas Públicas, creches, abrigos e APAEs.

Nos meses de junho e julho de 2017, foi liberado pelo Programa de Aquisição de Alimentos, o montante de R$ 890.971,64 que beneficiou 540 agricultores em 55 municípios, com um total de 304.270 quilos de alimentos como melancia, abóbora, feijão verde e cheiro-verde, distribuídos para entidades de assistências sociais.

Feiras: Fortalecimento da Agricultura familiar

O coordenador do PAA, Durval Gomes, reforça que a SDR, ao longo dos anos, vem apoiando e buscando estratégias de enfrentamento da exclusão social e do fortalecimento de geração de trabalho e renda, de forma sustentável, coletiva e digna. Para ele, a Agricultura Familiar e na Economia Solidária são propostas diferentes de produzir e comercializar sem exploração e preservando o meio ambiente, que é uma orientação do governador Wellington Dias e do secretário Francisco Lima.

“O Programa de Aquisição de Alimentos é apenas uma das ações que a SDR desenvolve para fortalecer a agricultura familiar. Outra frente de fortalecimento nestes três anos é o apoio à divulgação e realização das feiras, por ser um espaço adequado, que contribui de forma significativa e aproximam o empreendimento do vendedor dos consumidores, tirando de cena, com a compra direta, a figura do atravessador.

Durval informa que este ano o calendário de feiras já está concluído, mas o município que tiver interesse nesta ação, deve procurar a SDR com antecedência, para saber como proceder para participar do calendário do próximo ano.



Rapaz encontrado morto em São Gonçalo do Gurgueia foi assassinado

PIAUÍ


















O rapaz que foi encontrado morto na última terça-feira (1) no município de São Gonçalo do Gurgueia teve como causa da morte 6 facadas no tórax. Alonis Carvalho de Sousa, de 20 anos, natural de Barreiras do Piauí, estava desaparecido desde o dia 19 de julho. Seu corpo foi encontrado por um agricultor que cortava lenha, à 200 metros da BR 135, na entrada de Barreiras.

O delegado Yure Saulo de Oliveira Aranha informou que, de acordo com as investigações, Alonis era usuário de drogas e bebida alcoólica e já tinha passagem pela polícia. “Segundo os depoimentos, todos tinham conhecimento do comportamento agressivo do rapaz. Ele não era  bem visto pela comunidade”.

Aranha também relatou que a família reconheceu imediatamente o corpo, apesar do avançado estado de decomposição.

Alonis foi visto pela última vez  no dia 19, quando saiu de um bar acompanhado por um homem. A polícia ainda não identificou nenhum suspeito.

Governo do estado assina termo de cooperação técnica com a ONG SOS Gilbués

Celebração da parceria aconteceu durante fórum de desertificação, nesta última sexta (5) em Teresina Comentar















Presidente da Associação Ambiental de Combate à Desertificação em Gilbués e Secretário Municipal de Meio Ambiente, Fabriciano Corato, com o governador Wellington Dias. (Foto: Paulo Barros)

O governador Wellington Dias participou, nesta sexta-feira (4), da reunião de Implementação de Políticas Públicas de Combate à Desertificação no Brasil. O evento, sediado no Tribunal de Justiça do Piauí, reuniu pesquisadores e gestores da área, e discutiu alternativas para barrar a degradação no solo. O encontro marcou a assinatura dos termos de cooperação entre municípios, Estado e a União, estabelecendo compromissos com a causa da desertificação.

Teresina é a única capital brasileira suscetível a desertificação. O Piauí tem 173 municípios suscetíveis, e uma área aproximada de 800 mil hectares nessa condição. A cidade de Gilbués, no sul do estado, sozinha, possui 160 mil hectares em processo de desertificação. O quadro, preocupante, recebe a devida atenção do Governo Estadual.

“À medida em que temos degradado onde a terra perde a capacidade produtiva, significa uma menor capacidade produtiva alimentos, ou alimento mais caro. Isso culmina com a necessidade de importar de outros lugares do mundo”, pontuou o governador.

Em Gilbués, a 815 km de Teresina, o governo do Piauí mantém o NUPERAD (Núcleo de Pesquisa e Recuperação de Áreas Degradadas). Trata-se de uma área de 53 hectares, aberta a pesquisadores do mundo inteiro, para fins de experimentos em combate à desertificação. Em 2016, o NUPERAD recebeu investimentos acima de R$ 400 mil, aplicados na reformulação de viveiros, construção de cercas, barragens e outras intervenções. Como resultado desse trabalho, o núcleo distribuiu 30 mil mudas de espécies nativas do bioma cerrado para municípios em situações mais alarmantes de desertificação, como Palmeira, Santa Filomena, Uruçuí, Currais, Baixa Grande do Ribeiro e Ribeiro Gonçalves.

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos quer avançar mais. No evento, foi assinado um termo de cooperação técnica entre o governo do Estado e a ONG SOS Gilbués, para ampliar as ações de combate à desertificação já desenvolvidas pelo NUPERAD.

“Possibilita que o terceiro setor, representado por essa Ong, que está muito mais perto da comunidade, possa dar mais eficiência a gestão das técnicas desenvolvidas dentro do núcleo. O poder público sozinho não consegue conduzir esse processo. Essas parcerias com Ong’s e com as universidades, potencializam nossas ações”, avaliou o secretário de Estado do Meio Ambiente, Ziza Carvalho.

O governador Wellington Dias recebeu de um representante do Ministério do Meio Ambiente, um plano de recuperação 100 mil hectares desertificados na região de Picos. O governo deve recorrer a fontes internacionais para obter os recursos para a execução. O custo é estimado em US$ 200 milhões. Dias ressaltou ainda a intenção de inserir a desertificação na pauta de prioridades do Fórum de Governadores do Nordeste e do Fórum de Governadores do Brasil.

Participaram do encontro, o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, Erivan Lopes, a secretária de extrativismo e desenvolvimento rural sustentável MMA, Juliana Simões, representantes dos Tribunais de Contas do Piauí e Amazonas, prefeitos de municípios nordestinos.

04 de agosto de 2017

Aneel recomenda revogar concessões de transmissão de energia da Abengoa

Empresa espanhola deveria construir mais de 6 mil quilômetros de linhas de transmissão

BRASÍLIA — A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, nesta quinta-feira, enviar recomendação ao Ministério de Minas e Energia para que revogue todos os contratos de concessão da empresa espanhola Abengoa para construção de linhas de transmissão de energia elétrica. Com a decisão, o ministério pode declarar a caducidade dos contratos e fazer novos leilões para construir os empreendimentos.

LEIA MAIS: Justiça reverte decisão e Aneel pode retomar revogação de concessões da Abengoa

A elétrica espanhola paralisou o andamento de todas as linhas de transmissão que deveria construir no Brasil em dezembro de 2015, quando a holding da companhia pediu recuperação judicial. A subsidiária brasileira da empresa entrou em recuperação judicial em janeiro de 2016.

Ao todo, nove empreendimentos, com mais de 6 mil quilômetros de linhas de transmissão de energia cujas obras estão paradas. Os investimentos eram de R$ 7 bilhões e o governo deveria pagar R$ 720 milhões após as linhas entrarem em operação. De acordo com a Aneel, dos nove lotes, apenas um teve as obras iniciadas.

— Os atrasos nas linhas não geraram um blackout, mas deixaram o sistema menos inteligente e mais caro — disse o diretor da Aneel Tiago Correia.

O principal ativo dos espanhóis é o chamado “pré-linhão” de Belo Monte, que vai escoar a energia da hidrelétrica no Rio Xingu (PA) para o Nordeste. Só nesse caso, a linha tem 1,8 mil quilômetros de extensão, com investimento previsto de R$ 1,3 bilhão. A empresa ganhou a concessão em 2012, e a obra deveria ter ficado pronta em fevereiro deste ano, o que não ocorreu. Como a usina ainda não opera com toda a sua capacidade, não houve problemas para escoar a energia de Belo Monte para o restante do país. As linhas que devem levar a eletricidade para o Sudeste são de responsabilidade de outras empresas.

Para evitar um gargalo na transmissão de energia elétrica, desde o pedido de recuperação judicial da Abengoa, no início do ano passado, o governo busca alternativa para que as obras da empresa no país sejam retomadas. A primeira alternativa buscada foi tentar vender para outras empresas as concessões da elétrica espanhola. No entanto, não houve interessados.

PUBLICIDADE

Sem encontrar uma saída de mercado para o problema, a Aneel partiu para a solução de declarar caducidade da concessão. Esse processo, no entanto, foi interrompido pela Justiça do Rio de Janeiro, a pedido da empresa. Só nesta semana, após o presidente do Tribunal de Justiça do estado revogar a decisão que impedia o processo de caducidade, a Aneel pode recomendar ao Ministério de Minas e Energia a cassação dos contratos. Com a decisão da Justiça, a Aneel convocou uma reunião extraordinária para esta quinta-feira. Normalmente, as reuniões da diretoria colegiada da agência reguladora ocorrem nas terças-feiras.

Após declarar a caducidade dos contratos com a Abengoa, o ministério vai reavaliar os lotes, para decidir se coloca em licitação novamente a construção dos empreendimentos. A tendência é que algumas linhas sejam redesenhadas para atender às novas necessidades de transmissão de energia.

Além de Belo Monte, outros empreendimentos prejudicados pela paralisação das obras da Abengoa são as usinas eólicas e solares que dependem das instalações a serem implantadas pelas concessionárias do grupo para o escoamento de energia. Esse problema foi alvo de diversas reuniões internas na Aneel e com os agentes envolvidos. Como forma de minimizar o problema, a agência reguladora tomou uma série de decisões desde o início da recuperação judicial da empresa para que não houvesse gargalo na transmissão de energia.

03 de agosto de 2017

01 de agosto de 2017

Grupos SOS BR-135 planejam bloquear novamente “rodovia da morte”

Planejam bloquear por tempo indeterminado.

São 54 acidentes com 38 mortes este ano

Em protesto aos frequentes acidentes ocorridos na BR-135 nos últimos dias, os grupos SOS BR-135 organizam novos bloqueios na famosa rodovia da morte.

O objetivo é despertar a atenção das autoridades para a gravidade do trecho entre Cristalândia e Eliseu Martins, onde muitas pessoas morreram nos últimos meses.

Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal somente este ano já aconteceram 54 acidentes, causando a morte de 38 pessoas. Nos últimos dez dias quatro pessoas morreram no trecho próximo a Cristalândia.

A população da Extremo Sul do Piauí, está em pânico com a trágica rotina de acidentes nas pacatas cidades da região.

Marcelo Soares um dos organizadores do SOS na cidade de Corrente, disse que o grupo já está convocando toda a sociedade para realizar um novo bloqueio por tempo indeterminado, ou seja, até que sejam tomadas providências concretas pelas autoridades.

“Vamos pra “guerra”! Chega de mortes!”, exclamou o manifestante acrescentando que o Governo  aumenta os impostos, os combustíveis e não investe no social.

Segundo Janderson Maia, do SOS em Bom Jesus, é necessária uma reação mais forte da sociedade em relação às melhorias da 135.

“As obras realizadas, até agora, não estão reduzindo os acidentes. Vamos unir forças em toda região e mostrar a força do povo, parando a 135. Não dá mais pra conviver diariamente com tantas tragédias” afirmou o líder do movimento.

Após o bloqueio da BR no início do mês de junho, o Governo Federal, liberou R$ 30 milhões para iniciar as obras do acostamento no trecho entre Eliseu Martins a Redenção do Gurguéia.


28 de julho de 2017

Rodovia da morte faz mais uma vítima no Piauí; quase 40 óbitos em sete meses

Acidente foi próximo a cidade de Cristalândia deixando uma pessoa morta e duas feridas.

Mais um acidente foi registrado no km 619 da BR-315, próximo a cidade de Cristalândia, 900 km ao Sul do Piauí. Dessa vez uma caminhonete tombou deixando uma idosa morta e seus dois filhos feridos. A ocorrência foi por volta das 10h30 desta sexta-feira (28). De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) a família seguia de São Paulo para Floriano.

“O acidente aconteceu após o veículo entrar numa curva. O motorista da caminhonete modelo S10 perdeu o controle da direção, saiu da pista e capotou na entrada do município de Cristalândia”, disse o inspetor Jonas Mata.

Ainda segundo a PRF, entre as vítimas estão o motorista de 36 anos, sua irmã de 50 anos, que estavam nos bancos da frente e usavam cinto de segurança e sofreram apenas ferimentos leves.

“A mãe deles de 74 anos identificada como Maria Lindalva Pereira, não usava cinto de segurança. Ela foi sacada do veiculo e faleceu no local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Cristalândia chegou ao local rapidamente e encaminhou os sobreviventes para o Hospital em Corrente”, contou.

Devido a grande quantidade de acidentes a estrada é conhecida como ‘rodovia da morte’. Nessa quinta-feira (27)  O primeiro envolveu um carro e uma moto, às 6h no km 621, em uma colisão frontal que deixou um morto. No segundo acidente, um caminhão que transportava enxofre pegou fogo no km 615 da estrada.

No dia 22 desse mês a BR-135 ficou interditada por mais de 40 horas por risco de incêndio após um caminhão carregado de diesel e gasolina tombar, causando vazamento de combustível na pista. O motorista do veículo morreu e um passageiro ficou ferido.

"Prefeitura remove árvores,diante de uma grande desertificação".

Moradores de Gilbués ficaram revoltados depois que a prefeitura removeu árvores da Praça Joaquim Nogueira Paranaguá. Ninguém sabe o motivo da retirada das arvores.

O fim de uma história Na tarde desta quinta-feira (27 de julho) ocorreu um fato que jamais será esquecido, um fato que dói no peito.

A Prefeitura do Município de Gilbués cometeu um crime sem precedentes, dentro de alguns minutos anos de história foi colocado a baixo, foi destruído por uma serra elétrica.

É inacreditável mas é verdade, as árvores da Praça Joaquim Nogueira Paranaguá simplesmente foram derrubadas, árvores que para a população gilbueense remete muita coisa, pra quem nasceu e cresceu aqui eram muito importantes.

Um crime gravíssimo foi cometido e a impunidade não pode ser deixada acontecer, os culpados que respondam pelos seus atos. Resumindo, é feio, é negligente, é inaceitável, é imoral, pra não dizer coisa pior.

 A intenção do gestor e de seus assessores não se sabe, pouco importa, não precisa saber de intenções quando se vê a história sendo jogada no lixo.

Novas árvores serão plantadas? Que bom que seja feito isso, mas essas árvores que lá estavam eram históricas, verdadeiros patrimônios históricos da cidade que marcou a infância de muitos gilbueenses e que nunca mais será olhada, admirada ou aproveitada novamente, as sombras por elas projetadas nunca mais serão utilizadas para um descanso ou até "pra ficar sem fazer nada, o ar purificado por elas não mais será sentido, os frutos nunca mais comidos, sem falar nos prejuízos ambientais provocados, esses eu deixo para que alguém especializado discorra sobre, agora eu deixo a interrogação, para o progresso é necessário a destruição do passado?

Que as pessoas que contribuíram com esse ato ponham a mão na consciência e pense sobre o que foi feito.

Em publicações, moradores demonstraram revolta. Muitos que ajudaram a plantar e a cuidar dar árvores lamentaram o ocorrido.

Antes 

Depois



27 de julho de 2017

Acidentes na BR-135 deixam um morto e um ferido próximo a Cristalândia

Um homem morreu após moto colidir com carro e caminhão pegou fogo na pista. PRF ressalta que acidentes não estão relacionados às condições da pista.

Dois acidentes, um deles grave, aconteceram na manhã desta quinta-feira (27) na BR-135, próximo a Cristalândia, no Sul do Piauí. O primeiro envolveu um carro e uma moto, às 6h no km 621, em uma colisão frontal que deixou um morto. No segundo acidente, um caminhão que transportava enxofre pegou fogo no km 615 da estrada. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), nenhum dos acidentes teve relação com as condições da rodovia.

De acordo com a PRF, a colisão entre o carro e a moto teria sido causada por uma provável embriaguez alcóolica do condutor do automóvel. O motorista foi encaminhado para o Hospital Regional de Corrente do Piauí, já o motociclista morreu no local.

Na outra eventualidade, um caminhão bitrem com uma carga de enxofre incendiou e, segundo a PRF, a possível causa seria a falta de manutenção do veículo. A pista ficou interditada por alguns momentos por causa do fogo e de alguns elementos químicos entornados, mas já foi liberada para circulação. Ninguém ficou ferido.

A Polícia Rodoviária Federal destacou, em nota, que nenhum dos acidentes foram causados por conta das condições da pista, que ultimamente tem sido palco de diversas ocorrências por conta da falta de acostamento e espaço na pista, além do grande desnível no asfalto.

TCE-PI vai notificar municípios sobre regulamentação de publicação oficiais

Gilbués

Acolhendo proposição do Ministério Público de Contas (MPC), o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) vai notificar todos os prefeitos e presidentes de Câmaras Municipais do Piauí de decisão da Corte de Contas sobre a regulamentação da publicação de atos oficiais dos municípios do Estado por associações e empresas privadas. A proposta foi apresentada na sessão desta quinta-feira (20), pelo procurador-geral do MPC, Plínio Valente, e aprovada por unanimidade pelos conselheiros presentes.

A notificação é para que os prefeitos e presidentes de Câmaras Municipais “se abstenham de contratar associação ou empresa com personalidade jurídica de direito privado para serviços de publicação de atos oficiais enquanto os requisitos de segurança e autenticidade da publicação oficial não estejam regulamentados pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí”. A decisão é referente ao TC/ 008634/2017, resultante de consulta da Associação Piauiense de Municípios (APPM).

A consulta, julgada pelo TCE-PI em junho, autoriza os municípios a contratarem associação ou empresa privada para publicar seus atos administrativos. Essa contratação, porém, está condicionada à garantia de segurança, inviolabilidade, autenticidade e transparência na publicação dos atos municipais. Esses requisitos estarão definidos em regulamentação a ser elaborada pelo TCE-PI.

A proposta aprovada nesta quinta-feira pelo Pleno do TCE-PI alerta que os gestores devem considerar a decisão nº 1017/17, da Sessão Plenária Ordinária nº 23, do dia 6 de julho passado, que diz que “caso o município decida por publicar em órgão público municipal ou contratar associação ou empresa com personalidade jurídica de direito privado deverá aguardar regulamentação do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, sobre os requisitos de segurança e autenticidade da publicação oficial”.

A proposta considera ainda o artigo 28, parágrafo único, combinado com o artigo 40, da Constituição Estadual, que exige a edição impressa no Diário Oficial Municipal (D.O.M.). Em caso de descumprimento da determinação, que seja aplicada multa no valor de 15 mil UFRs (Unidades Fiscais de Referência), conforme o artigo 79 da Lei Orgânica nº 5.888/2009.

TCE-PI quer reduzir prazo de prestação de contas dos municípios

Gilbués

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) aprovou nesta quinta-feira (27) a proposta de indicativo de proposta de emenda à Constituição Estadual para redução do prazo de prestação de contas dos municípios à Corte de Contas. O indicativo será encaminhado à Assembleia Legislativa, a quem compete legislar sobre a matéria em questão.

A proposta foi apresentada pelo procurador-geral do Ministério Público de Contas, Plínio Valente e aprovada por unanimidade pelos conselheiros presentes à sessão. A ideia é que o prazo de entrega dos balancetes mensais seja reduzido dos atuais 60 dias para 30 dias. Ele argumentou que 60 dias para prestação de contas prejudica o controle preventivo e a fiscalização concomitante, causando dano ao erário.

Os conselheiros Kennedy Barros e Lílian Martins e o conselheiro-substituto Jaylson Campelo lembraram que na grande maioria dos estados os municípios têm 30 dias para prestar contas e argumentaram que o prazo de 60 dias acaba sendo ruim para as prefeituras. Para eles, a redução para 30 dias facilitará o trabalho dos gestores e das empresas responsáveis pela contabilidade das prefeituras.

O presidente do TCE-PI, conselheiro Olavo Rebelo, disse que o Tribunal vai levar o indicativo à Assembleia Legislativa para apreciação dos deputados. Para ele, a redução sintoniza o Piauí com os outros estados brasileiros quanto ao prazo de prestação de contas, e facilita a fiscalização e o controle externo dos gastos públicos.

TCE-PI vai notificar municípios sobre regulamentação de publicação oficiais

PIAUÍ

Acolhendo proposição do Ministério Público de Contas (MPC), o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) vai notificar todos os prefeitos e presidentes de Câmaras Municipais do Piauí de decisão da Corte de Contas sobre a regulamentação da publicação de atos oficiais dos municípios do Estado por associações e empresas privadas. A proposta foi apresentada na sessão desta quinta-feira (20), pelo procurador-geral do MPC, Plínio Valente, e aprovada por unanimidade pelos conselheiros presentes.

A notificação é para que os prefeitos e presidentes de Câmaras Municipais “se abstenham de contratar associação ou empresa com personalidade jurídica de direito privado para serviços de publicação de atos oficiais enquanto os requisitos de segurança e autenticidade da publicação oficial não estejam regulamentados pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí”. A decisão é referente ao TC/ 008634/2017, resultante de consulta da Associação Piauiense de Municípios (APPM).

A consulta, julgada pelo TCE-PI em junho, autoriza os municípios a contratarem associação ou empresa privada para publicar seus atos administrativos. Essa contratação, porém, está condicionada à garantia de segurança, inviolabilidade, autenticidade e transparência na publicação dos atos municipais. Esses requisitos estarão definidos em regulamentação a ser elaborada pelo TCE-PI.

A proposta aprovada nesta quinta-feira pelo Pleno do TCE-PI alerta que os gestores devem considerar a decisão nº 1017/17, da Sessão Plenária Ordinária nº 23, do dia 6 de julho passado, que diz que “caso o município decida por publicar em órgão público municipal ou contratar associação ou empresa com personalidade jurídica de direito privado deverá aguardar regulamentação do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, sobre os requisitos de segurança e autenticidade da publicação oficial”.

A proposta considera ainda o artigo 28, parágrafo único, combinado com o artigo 40, da Constituição Estadual, que exige a edição impressa no Diário Oficial Municipal (D.O.M.). Em caso de descumprimento da determinação, que seja aplicada multa no valor de 15 mil UFRs (Unidades Fiscais de Referência), conforme o artigo 79 da Lei Orgânica nº 5.888/2009.

17 de julho de 2017

16 de julho de 2017

Produção de melão avança no Piauí com manutenção de vegetação nativa

Irrigação por gotejamento é um exemplo da prática de cuidado com o solo.

Mesmo numa região considerada seca e poucas possibilidades, uma fazenda piauiense mostra que é possível fazer bonito e colher melão com qualidade. A irrigação por gotejamento é um exemplo da prática de cuidado com o solo. A água pinga somente o necessário. A vazão é controlada por estação. Existem várias instaladas em cada unidade de produção da fazenda. A energia vem da luz do sol e o sistema é de tecnologia brasileira, desenvolvida por uma empresa cearense.

“A gente controla tudo em tempo real. Nós temos uma casa de máquinas e um escritório de monitoramento. Dessa forma se algo estiver fora do padrão a gente comunica a pessoa que está naquele local para apurar o que está ocorrendo”, disse o tecnólogo Eder Elton.

A semente do melão não é plantada direto na terra. No espaço chamado de berçário são feitas as mudas. Primeiro prepara o insumo feito com fibra de coco seca, água e produtos biológicos. Depois ele descansa até atingir a umidade ideal para colocar a semente.

O insumo e a semente ficam em bandejas. A máquina faz parte do trabalho, mas as mãos e os olhos dos funcionários finalizam este processo.

As primeiras vinte quatro horas da muda de melão amarelo são dentro desta câmara de refrigeração. As outras variedades, espanhol e gália, passam dois dias. É na estufa onde acontece a germinação. As folhas com o tom de verde mais escuro são as mudas mais novas.

O mais claro é uma característica das mais velhas, mas todas ficam aqui o mesmo tempo, 14 dias. Esta gaiola cercada por tela é usada para levar as mudas até o campo. Assim se evita que qualquer ameaça chegue até lá. Durante o plantio, máquina e homem se completam. Este plástico branco colocado no solo também faz parte do circuito de proteção, evitando o contato da fruta com a terra.

A área fica coberta com o TNT (tecido especial). A planta se desenvolve e depois de 21 dias a cobertura é retirada. Acredita-se que durante este tempo a imunização aumente e a chance de uma impestação diminua.

Este cuidado é aplicado nos 826 hectares plantados com mudas de melão. A variedade amarelo toma conta da maior área, 756. A colheita acontece 65 dias depois do plantio. O padrão de qualidade de cada fruta é avaliado de várias maneiras, mas só uma confirma o que a fazenda Itaueira entende como o melhor.

Melões colhidos, agora lavados em um tanque com água e cloro. O cuidado é para não deixar passar nenhuma deformidade na casca. Só assim eles entram no setor de embalagem. Peso, cumprimento, sabor são requisitos que determinam o destino da fruta. O melão colhido no semiárido piauiense ultrapassa fronteiras.