• assinatura jornal

Notícias Luís Correia

28 de outubro de 2013

Nova direção do Sindicato dos pescadores de Luís correia toma posse

“Entre os principais projetos da nova direção estão a luta por aquisição de uma sede própria para o Sindicato, que funciona em um local improvisado”, ressaltou Paulo Henrique.

A posse da nova direção do Sindicato dos pesadores de Luís correia, realizada na manhã da ultima desta sexta-feira (18/10), no auditório do Sindicato Rural. O evento contou com a presença de lideranças políticas locais, de representantes do Poder Judiciário, além de muitos pescadores da cidade, que fizeram questão de prestigiar o evento.

âA vitória da Chapa 2 demonstrou que quando os pescadores se unem para garantir os seus direitos e melhores condições de trabalho fortalece o seu sindicato. Isso foi demonstrado com a eleição da Chapa 2 com 58% dos votos. à um sindicato e uma categoria que recomeçam do zero, mas já mostram positividade, mostram que querem melhorarâ, ressaltou Ivan Sousa, Assessor de Comunicação da SINDPLC.

Processo concorrido

A nova direção do Sindicato dos pescadores foi eleita após duas votações. A primeira foi anulada por irregularidade, e a segunda, realizada no dia 19 de outubro, foi vencida pela Chapa 2 - Valorizando o Pescador, que obteve 58% dos votos.

âEstamos ansiosos e com muita vontade de fazer tudo àquilo que a categoria merece. Vamos agora desenvolver projetos para fazer um sindicato atuante, que esteja próximo ao pescador para atender às suas demandasâ, afirmou Paulo Henrique, presidente do Sindicato dos pescadores. âEntre os principais projetos da nova direção estão a luta por aquisição de uma sede própria para o Sindicato, que funciona em um local improvisadoâ, ressaltou Paulo Henrique.


Marco importante

A eleição da nova direção do Sindicato dos pescadores foi muito importante, não apenas pelas mudanças que trará para a categoria, mas, pelo que ela representa para todos os pescadores. A votação expressiva da chapa encabeçada por Paulo Henrique mostra que os pescadores e pescadoras não querem mais sindicatos de fachada e que estão dispostos a acabar com este tipo de entidade.