• BSL NE
  • VIP TAXI teresina
  • bbrock
  • assinatura jornal

Defesa de Joesley Batista compara delação para justificar perdão judicial

Delação de Joesley é comparada com as de executivos de construtoras; tabela contabiliza número de políticos citados por Joesley e Marcelo Odebrecht com metodologia diferente.

14/06/2017 18:34h

Os advogados de defesa dos delatores do grupo J&F compararam o acordo de colaboração premiada de Joesley Batista com os acordos firmados por outros 5 empresários e executivos para justificar o perdão judicial a Joesley. As informações estão em documento enviado no dia 12 de junho ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) ao qual o G1 teve acesso.

O documento faz parte da defesa contra o pedido do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), para anular a delação premiada dos executivos da JBS. O fato de Joesley receber o perdão judicial das ações em andamento na Lava Jato e não ser denunciado como réu em ações penais foi alvo de críticas. O ministro Celso de Mello, do STF, rejeitou o pedido de anulação do acordo.

Os advogados comparam a delação de Joesley com as de Marcelo Odebrecht (Odebrecht), Otávio Azevedo (Andrade Gutierrez), Ricardo Pessoa (UTC Engenharia), Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Junior (Carioca Engenharia) e Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro.

Uma tabela comparativa entre as delações foi anexada no processo. O documento mostra que Joesley entregou mais provas contra mais políticos e pagou multas maiores para justificar por que ele não foi denunciado.

Ressalvas

Na planilha dos advogados da JBS há a informação de que a delação de Marcelo Odebrecht citou 70 agentes políticos, enquanto Joesley citou 1.893. A própria defesa faz uma ressalva de que considera apenas os políticos delatados por Marcelo Odebrecht e não por todos os executivos do grupo. Segundo levantamento do G1, 400 políticos foram citados por todos os delatores da construtora.

Ao apontar o número de Joesley, no entanto, a tabela considera os políticos que constam em planilha entregue por Ricardo Saud, outro executivo do grupo J&F.

Fonte: G1

Deixe seu comentário