• Anuário 2017
  • Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Esporte

17 de outubro de 2017

Conselho mantém Edson Menezes no comando do Co-Rio por mais 180 dias

Após o prazo previsto no estatuto da entidade, membros do grupo terão novo encontro para decidir o novo presidente após o afastamento de Carlos Arthur Nuzman

Membros do conselho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 se reuniram nesta terça-feira no escritório do advogado Sergio Mazzillo no Centro do Rio de Janeiro para discutir a reestruturação da governança da entidade. Havia a expectativa da escolha de um novo nome para assumir a entidade, mas, de acordo com Mazzillo, ficou definido que, a princípio, o vice-presidente Edson Menezes, ex-presidente do Banco Prosper, segue no comando. Ele já vinha conduzindo o Co-Rio com o afastamento temporário de Carlos Arthur Nuzman, envolvido em suposto esquema de compra de votos para a escolha do Rio como sede olímpica no ano passado, e o advogado explicou que, no encontro desta terça, ficou definida a aplicação da regra prevista no estatuto. Ela mantém o Edson Menezes no cargo por mais 180 dias. Depois disso, o conselho vai se reencontrar para a decisão sobre o novo presidente.

- Aplicou-se a regra estatutária, o afastamento temporário do presidente implica que o primeiro vice-presidente assume. Os trabalhos vão continuar. O afastamento de Nuzman é temporário, e o estatuto prevê que nessas hipóteses, a presidência seja exercida temporariamente pelo vice-presidente, que é o Edson Menezes. Não há propriamente uma deliberação a esse respeito, apenas a aplicação da regra estatutária. O Comitê segue em busca da solução definitiva de todos os seus problemas. Notoriamente, o Comitê tem créditos a solver. As soluções estão sendo buscadas e serão encontradas. O assunto não foi alvo de debate, apenas a aplicação da regra. Quanto às demais deliberações, elas constam da ata que, infelizmente, não é pública - comentou o advogado em entrevista ao SporTV.

Ninguém quis se pronunciar após a reunião. O advogado Sergio Mazzillo só aceitou responder a essa pergunta, e ela foi feita enquanto a reunião ainda acontecia. Os membros do conselho saíram do escritório por uma porta lateral do prédio.


Sergio Mazzillo, advogado do COB e do Rio 2016 (Foto: Reprodução / H.B. Cavalcanti e Mazzillo Advogados)

Preso no dia 5 de outubro acusado de ser a ponte no esquema de compra de votos da eleição do Rio de Janeiro como sede dos Jogos de 2016, Nuzman pediu afastamento da presidência do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Co-Rio no dia 7 de outubro. Ele renunciou ao seu posto no COB no dia 11 de outubro, mas não à presidência do Co-Rio, apesar de continuar afastado.

Além de Edson Menezes, primeiro vice-presidente da entidade e que já vinha comandando os trabalhos, há mais quatro membros no conselho que se reuniu nesta terça-feira. Integram o grupo a empresária Luiza Trajano, o ex-jogador de vôlei Bernard Rajzman, Manoel Felix Cintra Neto (ex-presidente da BM&F) e José Antônio do Nascimento Brito (ex-presidente do conselho editorial do "Jornal do Brasil").

Segundo a "Folha de S. Paulo", Luiza Trajano é a preferida dos parceiros do Co-Rio para assumir a presidência da entidade, mas resiste ao convite para suceder Nuzman. Manoel Felix Cintra Neto é a segunda opção. Bernard Rajzman deve se declarar impedido para o cargo, por ser membro do COI. Há ainda a possibilidade de o conselho operar a entidade sem a figura de um presidente.

O Comitê Organizador da Rio 2016 trabalha para a dissolução da entidade, principalmente na quitação das dívidas. No contrato firmado com o COI na eleição de 2009, uma cláusula obriga judicialmente a Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo do Estado a bancar o déficit da Olimpíada após a dissolução do Co-Rio, que está programada juridicamente para 2023.

Sem jogar, Luis Fabiano pede para não receber salário no Vasco

Atacante ainda se recupera de cirurgia no joelho direito e precisará fazer novo tratamento em São Paulo. Incomodado, ele procurou a diretoria com proposta.

Luis Fabiano ainda não sabe quando voltará a jogar, mas tem uma ideia clara na cabeça: não quer receber salário no Vasco enquanto não estiver recuperado. O jogador procurou a diretoria do Vasco nos últimos dias e reafirmou a proposta que fizera desde que foi operado. O caso ainda está sendo estudado pela cúpula cruz-maltina.

O contrato de Luis Fabiano com o Vasco é dividido: tem uma parte fixa, de cerca de R$ 150 mil, e outra por produtividade, de acordo com metas estipuladas. O jogador, de 36 anos, tem vínculo com o clube até o fim de 2018.

O Fabuloso não joga desde o dia 20 de agosto, contra o Bahia. Depois disso, passou por uma artroscopia no joelho direito. Ele vinha sendo preparado para retornar em breve, mas, na segunda-feira, ao fazer nova reavaliação da cirurgia com o doutor que o operou, Renê Abdalla, foi constatado um novo problema.


Luis Fabiano não quer receber do Vasco enquanto não estiver recuperado (Foto: Andre Durão)

O atacante tem uma contratura miofascial na perna direita, e ficará em São Paulo para fazer um tratamento que pode levar até duas semanas. Depois disso, segundo Abdalla, ele estará liberado para a preparação física.

- A recuperação foi muito boa. O trabalho feito no Vasco foi muito bom. Mas o Luis é um atleta rodado, e vamos precisar fazer esse tratamento. Provavelmente tem no Rio, mas eu não conheço os profissionais. Por isso, em comum acordo com o atleta e o clube, ele ficará até duas semanas em São Paulo. Quando voltar vai estar liberado para a preparação física e para o treinador - disse Abdalla.

CBF anuncia amistoso da Seleção contra a Rússia, em Moscou

Partida é marcada para o dia 23 de março, quatro dias antes do duelo com a Alemanha

Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta terça-feira que a seleção brasileira disputará um amistoso contra a Rússia, país-sede da próxima Copa do Mundo, no dia 23 de março de 2018. A partida está marcada para a cidade de Moscou e acontecerá quatro dias antes do amistoso contra a Alemanha. Apesar de ainda não confirmado oficialmente, o estádio do jogo será o Luzhniki, palco do jogo de abertura e da final do torneio no ano que vem. A inauguração da arena está prevista para dia 11 de novembro, em teste dos anfitriões diante da Argentina.

A ideia da Federação Russa de futebol era realizar o amistoso com a seleção brasileira no dia 24 de março. Mas a CBF pediu para não marcar nesta data porque os comandados de Tite teriam um dia a menos de preparação para o jogo contra a Alemanha. Além disso, os alemães jogam dia 23 com Espanha em Duesseldorf, portanto teriam um dia a mais de recuperação antes do duelo com os brasileiros.

O amistoso contra a Rússia era um objetivo do técnico Tite e da comissão técnica da Seleção como um dos itens de preparação a serem cumpridos antes da apresentação para a Copa do Mundo de 2018.

- Achamos importante sentir o clima da Rússia, do torcedor, do estádio, e dos jogadores neste ambiente antes de a comissão técnica definir a lista final. Estar no país da Copa nos proporcionará um nível interessante de observação dos atletas, de como será nosso trabalho no país sede - disse o coordenador de seleções, Edu Gaspar.


Edu Gaspar ressalta a importância do amistoso contra a Rússia em Moscou (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

A intenção da CBF, além do amistoso, é fazer a preparação para esse jogo contra a Rússia já no complexo (hotel + campos de treino) que será usado pela Seleção durante o Mundial. A cidade de Sochi é a preferida da comissão técnica.

- Era nosso objetivo quatro jogos de alto nível. Enfrentaremos Japão, Inglaterra, Alemanha e a Rússia. Essa será uma ótima base de trabalho para a comissão na construção e consolidação da equipe - finalizou Edu Gaspar.

O técnico Tite convoca a seleção brasileira nesta sexta-feira para os amistosos contra Japão e Inglaterra nos dias 10 e 14 de novembro, em Lille e Londres, respectivamente. O Brasil encerrou sua participação nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018 na primeira colocação com 41 pontos, dez a mais do que o Uruguai que ficou com a segunda colocação.

Por vaga já no G4, Botafogo experimenta novo sentimento: secar

O Alvinegro é o sexto, com 43 pontos, e está a quatro do Palmeiras. Embora eles ainda vão se enfrentar, o Glorioso não tira a desvantagem. Arnaldo confessa: secou no domingo

Com um 2017 marcado por vagas decididas dentro dos 90 minutos, o Botafogo conhece, na reta final desta temporada, uma nova forma de alcançar os seus objetivos: secando, ou seja, a velha torcida para que os adversários tropecem. O Botafogo está em sexto no Campeonato Brasileiro, com 43 pontos. A distância para o Cruzeiro, quinto, mas com vaga já na Libertadores, é de quatro pontos. Esta é a pontuação que também separa o Palmeiras, quarto, do Alvinegro.

As equipes se enfrentam na penúltima rodada do Brasileirão, em São Paulo, mas mesmo que o time de Jair Ventura vença, a distância diminui para um ponto, o que obriga o Glorioso a torcer por um tropeço dos paulistas. Por isso, o lateral-direito Arnaldo confessa: secou não só o Palmeiras, como também os outros concorrentes por uma vaga já na fase de grupos do ano que vem, mas não deu muito certo.

O time verde venceu o Atlético-GO. O Flamengo, sétimo, com 43, bateu a Chapecoense. O Grêmio derrotou o Coritiba e pulou para 49. Todos venceram como visitante, algo que o Botafogo não fez na rodada do fim de semana. O Santos empatou com o Vitória, na Vila Belmiro, e também tem 49, em terceiro. Apesar disso, ele pediu: é melhor focar no Botafogo a torcer por tropeços dos rivais.

" Sempre pensamos no próximo jogo. Temos que pensar em fazer o nosso. O estamos na Libertadores. Pensar em nós dá mais certo do que torcer por outros resultado. Infelizmente a rodada não foi boa. Perdemos o clássico, e os times de baixo pontuaram. Fiquei secando um pouco, mas o Brasileiro é muito difícil. Temos que manter o equilíbrio até o fim para conquistarmos a vaga", opinou Arnaldo.

Secando ou não, o Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h45, quando visita o Avaí, na Ressacada, em jogo da 29° rodada. O zagueiro Carli, suspenso, é uma baixa confirmada.

Procuradoria apresenta queixa e acusa Marcelo de fraude fiscal

O defensor é acusado de fraude de 490.917,70 euros (R$ 1.829.993,91) na sua declaração do imposto de renda de 2013

De acordo com reportagem da agência de notícias "Efe", a Procuradoria Provincial de Madri apresentou uma queixa contra o lateral brasileiro Marcelo, do Real Madrid. O defensor é acusado de fraude de 490.917,70 euros (R$ 1.829.993,91) na sua declaração do imposto de renda de 2013.

O Ministério Público informou a apresentação da queixa pelo possível delito contra a Fazenda da Espanha. Marcelo é acusado de criar uma estrutura corporativa para esconder os ganhos obtidos pela exploração de seus direitos de imagem.

Além disso, as autoridades responsáveis acreditam que Marcelo escondeu nas declarações de 2011, 2012 e 2013 valores ligados aos seus direitos de imagem para buscar um "benefício fiscal ilegal".


O jogador atuou em campo junto com a Seleção Brasileira na Copa 2014 e nas Olimpíadas 2016. Foto: Reprodução/RealMadrid

Segundo reportagem do jornal espanhol "El País", o jogador concedeu seus direitos de imagem para a empresa uruguaia Consultora Heltry por 70 mil dólares (R$ 221,21 mil). Essa mesma empresa cedeu os direitos de imagem do lateral para a empresa britânica Chatarella Investors Limited por 802.813,00 euros (R$ 2.992.646,02) um ano depois, em acordo válido até junho de 2012.

Depois disso, em acordo de transação datado em 28 de janeiro de 2013, a Heltry repassou os direitos a outra empresa uruguaia chamada Birsen Trade.

"Todas essas estruturas corporativas foram usadas pelo contribuinte para tornar fiscalmente opacos os benefícios derivados da exploração de seus direitos de imagem", diz a queixa.

Segundo o Ministério Público, Marcelo declarou seus rendimentos entre 2007 e 2012 usando regime aplicável aos trabalhadores deslocados para o território espanhol. Uma vez que o escopo temporário terminou, o defensor deveria obedecer as regras gerais da Fazenda local, declarando seus rendimentos globais.

‘Muito ansioso’, Massa diz que EUA têm uma das melhores novas pistas da F1

“Embora eu adore pistas clássicas como as de Suzuka (no Japão) e Spa (Bélgica), Austin é também uma pista muito legal para se dirigir”, ressaltou.

Apenas o atual 11º colocado do Mundial de Fórmula 1, com 34 pontos, Felipe Massa espera poder iniciar no GP dos Estados Unidos, marcado para acontecer neste domingo, uma boa arrancada nesta reta final da temporada, que tem apenas quatro corridas para o seu término. Após a prova norte-americana, o campeonato contará com as suas últimas três etapas no México, no Brasil e em Abu Dhabi.

Ao projetar o GP dos EUA, o piloto brasileiro da Williams procurou exibir otimismo ao dizer que o Circuito das Américas, em Austin, no Texas, é “definitivamente uma das melhores novas pistas do calendário” da F-1. “Embora eu adore pistas clássicas como as de Suzuka (no Japão) e Spa (Bélgica), Austin é também uma pista muito legal para se dirigir”, ressaltou.

A própria atmosfera proporcionada pelos fãs de automobilismo em Austin é vista com empolgação por Massa, que no ano passado terminou a corrida norte-americana na sétima posição. “É um lugar em que gosto de correr e do qual gosto de visitar porque as pessoas são muito acolhedoras. É ótimo ver as pessoas na cidade, se divertindo, é realmente uma atmosfera legal. Estou muito ansioso por ter uma boa corrida lá e me divertir no Texas”, completou o brasileiro.

Depois de ter adiado a sua aposentadoria da Fórmula 1, na qual permaneceu para esta temporada depois que Valtteri Bottas, seu ex-parceiro de equipe, foi contratado para o lugar do alemão Nico Rosberg na Mercedes, Massa pode estar vivendo os seus últimos meses como piloto da categoria máxima do automobilismo.

Sem conseguir resultados expressivos há tempos, o brasileiro admitiu recentemente a possibilidade de renovar o seu contrato com a Williams, mas a equipe britânica está avaliando possíveis substitutos para o seu posto, sendo que a outra vaga de titular do time para 2018 já está garantida ao jovem canadense Lance Stroll.

Um dos candidatos a assumir o posto de Massa é Robert Kubica, que participou na última quarta-feira de um teste pela equipe britânica no circuito de Silverstone, para onde o polonês tinha agendado um outro teste nesta terça-feira.

Kubica, que venceu um GP durante a sua passagem pela categoria, precisou se afastar da Fórmula 1 às vésperas do início da temporada 2011 após sofrer um grave acidente de rali. Agora, ele trabalha para voltar ao grid da F-1, também tendo participado de testes pela Renault.

O britânico Paul di Resta, piloto reserva da Williams e que correu o último GP da Hungria após o brasileiro sentir um mal-estar após um dos treinos livres da corrida, é outro candidato a ficar com a vaga de Massa na temporada de 2018.

16 de outubro de 2017

Brasileiros que almejam a F-1 temem futuro do país na categoria sem Massa

Brasil tem os melhores índices em termos de números absolutos de audiência mundialmente na F-1, e é consolidado como um mercado importante para a categoria.

A chance real do Brasil ficar sem um representante por toda uma temporada na F-1 pela primeira vez desde 1969 preocupa os pilotos que estão nas categorias de base mirando chegar ao topo do automobilismo.

Já tendo de lidar com a falta de apoio financeiro, jovens como Sergio Sette Câmara, atualmente no último degrau antes da F-1, e Bruno Baptista, que está na GP3, temem ver o interesse na categoria despencar, mas ao mesmo tempo apostam que o tamanho do mercado brasileiro possa jogar a favor.

Mesmo sendo atualmente o piloto brasileiro mais próximo da F-1, Sette Câmara planeja ficar pelo menos mais um ano na F-2, categoria em que estreou neste ano e na qual vem tendo bons resultados na segunda metade do ano.

"Realmente, a chance é grande de o Brasil não ter uma vaga, mas eu torço para que o Felipe continue porque sempre fomos muito bem representados e continuamos sendo por ele, que é um bom piloto", avaliou o piloto da MP Motorsport à reportagem.

"Caso isso não aconteça, é difícil dizer se afetaria diretamente minha carreira, até porque a audiência da F-1 no Brasil aumentou neste ano, mesmo sem um brasileiro andando na frente. Isso aconteceu porque a categoria ficou mais interessante", completou Câmara.

"Mas, ao mesmo tempo, não ter um brasileiro é um motivo a menos para o pessoal acordar cedo e ver as corridas e, se isso continuar por muito tempo, pouco a pouco a cultura de F-1 pode ir diminuindo. Então depende de como o país vai reagir a isso."

Baptista, por sua vez, já faz as contas: se Massa não ficar na Williams ano que vem, o Brasil deve ficar um ou dois anos sem piloto. E ele mesmo planeja chegar à categoria em três ou quatro temporadas, passando antes pela F-2.

"Acho que pode ajudar e atrapalhar ao mesmo tempo. Por um lado, é muito difícil a F-1 ficar sem um brasileiro. Tenho certeza que, se o Ecclestone ainda estivesse lá, não deixaria a F-1 ficar sem brasileiro, daria uma ajuda para quem está chegando, porque sabia que o Brasil é importante, mas não sei qual a ideia da Liberty Media nesse sentido", lembrou o piloto da DAMS.

Afinal, o Brasil tem os melhores índices em termos de números absolutos de audiência mundialmente na F-1, e é consolidado como um mercado importante para a categoria.

"Mas é claro que, se o Massa sair, tem a possibilidade da própria Globo deixar de mostrar na TV aberta, a cobertura das demais mídias cair. E eu e o Serginho, que somos os pilotos que estão mais perto, vivemos de mídia. Sem mídia, não temos patrocínio, e daí não temos como levantar dinheiro para conseguir correr."

Mais distante da categoria principal do automobilismo, Guilherme Samaia, que fez neste ano seu primeiro ano na F-3 Britânica, acredita que esse momento difícil pode ser benéfico para ele, caso a importância global do país na F-1 desperte interesses de fora. Dentro do Brasil, ele não acredita que haja muito apoio.

"Acredito que o Brasil vá ficar um tempo sem piloto na F-1. Não tem ninguém pronto e, mesmo se tivesse, não vejo ninguém com o apoio suficiente de empresas brasileiras, pois 99% dos que entram, levam um patrocínio forte e depois, se a carreira engrenar, continuam. Isso é porque a tecnologia ficou muito cara o dinheiro passou a fazer parte do esporte. Mas a F-1 precisa de pilotos brasileiros e acho que meu timing é o ideal porque acredito que é eles vão perceber o peso do Brasil e vão apoiar", acredita o atual líder da F-3 Brasil.

"Mas é uma pena que o próprio país não apoie seus atletas. A culpa do Brasil estar nessa situação é do próprio país, que não apoia seus pilotos para que eles se desenvolvam. Se isso mudasse, acho que poderíamos voltar a ter grandes pilotos e voltar a fazer o pessoal acordar cedo no domingo como foi com o Piquet e com o Senna."

Temendo por segredos, rivais tentam atrasar estreia de trunfo da Renault

Renault confirmou recentemente a contratação do ex-diretor técnico da Federação Internacional de Automobilismo, Marcin Budkowski.

A Renault confirmou recentemente a contratação do ex-diretor técnico da Federação Internacional de Automobilismo, Marcin Budkowski, mas os rivais continuam descontentes com o acordo e prometem dificultar a vida do polonês no time francês.

Isso porque seu antigo cargo lhe dava acesso a informações privilegiadas e as demais equipes temem que seus segredos sejam usados pela concorrente.

Mesmo após a FIA liberar Budkowski, as equipes estão tentando nos bastidores adiar ao máximo sua estreia na Renault, a fim de assegurar que suas informações a respeito dos rivais não estejam atualizadas.

A equipe francesa, contudo, pressiona para que o polonês comece a trabalhar efetivamente na equipe já em março.

É comum na F-1 que engenheiros fiquem por pelo menos seis meses parados quando trocam de equipe, mas o caso de Budkowski é tratado de maneira diferenciada pela quantidade de informações que ele pode levar.

Caso a pressão para que ele fique de fora da F-1 por mais tempo não funcione, a Red Bull já deixou claro que fará marcação pesada na Renault.

"Se encontrarmos algo familiar no carro da Renault ano que vem, vamos protestar imediatamente", ameaçou Christian Horner.

São várias as informações privilegiadas que o engenheiro possui. Com a limitação dos testes de pista, a maior parte do desenvolvimento dos carros hoje é feita por meio do túnel de vento e dos programas de CFD, que simulam o fluxo de ar.

E a FIA filma todos os testes de túnel de vento das equipes, uma vez que o regulamento limita o número de horas de trabalho das equipes, além de ter todas as informações sobre as configurações que cada time usa em seus programas de CFD.

Além disso, pelo menos Sauber e Williams admitiram que Budkowski já viu seus projetos para 2018 no túnel de vento.

Outro problema é em relação aos motores, como explicou o chefe da McLaren, Eric Boullier.

"Ele tem os dados da potência de todos os motores. E ele sabe quanta pressão aerodinâmica cada carro produz. No nosso caso, ele sabe quanto trabalho fazemos no CFD e no túnel de vento. E isso é um conhecimento estratégico."

Porém, como o desenvolvimento das equipes é muito dinâmico na F-1, a tendência é que toda essa informação fique obsoleta com o passar do tempo, e por isso os rivais vão tentar ao máximo atrasar a estreia do polonês na Renault.

Pivô de escândalo no caso Nuzman diz ser vítima de racismo e nega propina

Autoridades francesas encontraram pagamento de dois milhões de dólares para contas bancárias controladas por Papa Massata Diack perto do dia em que o Rio foi escolhido como sede das Olimpíadas.

Acusado de ser protagonista do esquema de compra de votos para o Rio de Janeiro ser eleito sede da Olimpíada de 2016 e que colocou Carlos Arthur Nuzman na cadeia, Papa Massata Diack se diz vítima de racismo.

Filho de Lamine Diack, preso desde novembro de 2015 após ser acusado de encobrir doping de atletas russos, o dirigente nega que tenha cometido crime e diz acreditar que entrou na mira da lei por ser negro.

"Essa é a maior mentira no mundo dos esportes. Posso aceitar ser acusado, mas nunca provaram que eu sou o marco zero. Dizem que Lamine Diack e seu filho estão atacando atletas, e depois de 22 meses de investigação onde estão as provas? Apenas artigos na imprensa. Se tivessem provas, teriam ido para o tribunal. É um problema para um homem negro, uma pessoa africana, ter tanto sucesso depois de 16 anos de administração na Federação Internacional de Atletismo [Iaaf]", disse Diack, referindo-se ao cargo ocupado por seu pai, em entrevista ao jornal americano "The New York Times".

Autoridades francesas encontraram pagamento de dois milhões de dólares para contas bancárias controladas por Diack perto do dia em que o Rio de Janeiro foi escolhido como sede das Olimpíadas de 2016. No mesmo dia, o filho do ex-presidente da Iaaf transferiu 300 mil dólares para Frankie Fredericks, que tinha direito a voto.

De acordo com Diack, as transferências são uma "infeliz coincidência", já que na época os brasileiros patrocinavam um novo evento criado pela Iaaf. Na época, o acusado trabalhava como consultor da organização.

Além disso, Diack se defende dizendo que Fredericks e seu pai não votaram no Rio de Janeiro.

"Papa Diack disse, gravou, declarou: Lamine Diack e Frankie Fredericks votaram em Tóquio. Quem diz o contrário está mentindo, e estou pronto para ser intimado pelo meu pai", afirmou.

O caso

A operação que prendeu Carlos Arthur Nuzman, batizada de Unfair Play, é um desdobramento da Lava Jato e investiga compra de voto e pagamento de propina na escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016. Ela foi deflagrada há exatamente um mês com mandados de busca e apreensão contra o então presidente do Comitê Olímpico Brasileiro.

Nuzman é apontado como suspeito de intermediar a compra do voto do representante do Senegal no Comitê Olímpico Internacional para a escolha da cidade do Rio de Janeiro. Para os procuradores, ele é "figura central nas tratativas".

Na denúncia apresentada pelo Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Federal do Rio, Nuzman é tratado como uma peça que, sem ele, a "engenhosa e complexa relação corrupta" não teria ocorrido.

Não há, no documento de 129 páginas divulgado pelo MPF, qualquer menção de que o presidente do COB tenha enriquecido ilicitamente ou tenha ele recebido propinas.

O MPF ainda promete investigar "movimentações suspeitas" nas contas do COB. Uma análise de um relatório de inteligência financeira do COAF mostra que, entre janeiro de 2014 e abril de 2015, foram sacados R$ 1,4 milhão em espécie das contas do COB.

A investigação contou com a colaboração do MP francês. Inicialmente, os procuradores franceses apuravam caso de doping no atletismo. A partir da denúncia de um antigo opositor de Nuzman no COB, o MP da França descobriu existência de um esquema de compra de votos, acionando a Polícia Federal brasileira para cooperação na investigação.

"Se for possível e ele desejar, o São Paulo também deseja", afirma Leco

Será que ele volta? Leco diz que São Paulo está de portas abertas para Kaká

O torcedor do São Paulo ainda estava comemorando a vitória de virada sobre o Atlético-PR  no Campeonato Brasileiro 2017 na noite de sábado (14) - triunfo que fez o time dormir fora da zona de rebaixamento - quando um outro assunto ganhou força: a possível volta de Kaká. 

Depois da partida, o Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo, foi questionado sobre o retorno de Kaká ao tricolor paulista. Ele tentou desconversar, mas acabou falando sobre o tema. E a notícia pode animar ainda mais o torcedor. 

"Não é tema para agora. Agora estamos comemorando essa vitória", começou Leco ao responder sobre a possível volta do meia em 2018. Em seguida, ele emendou: "Se for possível que ele venha, se ele desejar, o São Paulo também deseja". 

Leco disse ainda que isso será conversa para o momento de planejar o time para a próxima temporada. "Possível é, mas não existe nada. É um jogador que tem a ver com a história e a camisa do São Paulo. É um querido, um são-paulino", comentou. "Vamos esperar, isso é para o planejamento de 2018, mas ele é sempre uma figura bem-vinda", concluiu o mandatário. 

Adeus ao Orlando City


Em coletiva, o jogador anunciou que não renovaria com o Orlando City e se despediu do time. Foto: Divulgação/Orlando City

Por aqui, o futuro do meia ainda é incerto, mas na quarta-feira (11), Kaká participou de uma coletiva para afirmar que não irá renovar seu contrato com o time de futebol dos Estados Unidos Orlando City para 2018 - o vínculo com o clube era de três anos e acaba nesta temporada.

 Na entrevista, o brasileiro foi bastante elogiado por Flávio Augusto da Silva, dono do Orlando City, e Alex Leitão, chefe executivo da equipe. Ambos são amigos de longa data do meia, que chegou ao elenco em 2014 com recepção de astro e se firmou como capitão e ídolo para a torcida americana. Nas redes sociais, o time está usando a hashtag "ThankYouKaka" para homenagear o atleta. 

O jogador também agradeceu a todos, desde os dirigentes aos demais funcionários do clube a imprensa e torcida. "Vou honrar essa camisa até o final, como sempe fiz", disse. 

A despedida de Kaká será neste domingo, em um amistoso contra o Columbus Crew SC, que vai arrecadar fundos para ajudar Porto Rico, desvastado foi um furacão recentemente. Depois disso, o meia ainda não tem um futuro definido. Entre as possibilidades estão a aposentadoria e, quem sabe, o retorno ao São Paulo. 

"Como é bom ter goleiro": atuação de Diego Alves empolga torcida na web

A atuação da equipe passou longe de empolgar o torcedor, mas a boa participação de Diego Alves foi comemorada

Apesar das dificuldades que enfrentou para conseguir o gol diante da Chapecoense, o Flamengo voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. A atuação da equipe passou longe de empolgar o torcedor, mas a boa participação de Diego Alves foi comemorada. Depois do drama vivido pelo time na Copa do Brasil, o Rubro-Negro voltou a ter um goleiro sendo decisivo em uma vitória.

Diego Alves chegou ao Flamengo em julho deste ano. Por conta do regulamento, não foi inscrito na Copa do Brasil. A competição acabou se tornando uma espécie de calvário para os goleiros rubro-negros. Alex Muralha e Thiago revezaram a vaga no time titular em praticamente todo o torneio.

Na vitória apertada, por 1 a 0, sobre a Chapecoense, Diego Alves fez pelo menos duas defesas consideradas decisivas. Uma em desvio de Wellington Paulista e outra em cabeçada de Túlio de Melo na pequena área (veja os melhores momentos no vídeo acima). Não por acaso, sua atuação foi apontada pelo técnico da Chape, Emerson Cris, como um dos fatores de influência direta no resultado.

"Do outro lado, tinha um grande goleiro, também outros fatores que podem ter interferido no jogo. Mas isso foge da gente" - disse o técnico da Chape.

O desempenho do goleiro, inclusive, foi o bastante para encher as redes sociais. Foram várias as reações dos torcedores, desde agradecimentos ao goleiro até brincadeiras após os "milagres" na Arena Condá.

Com Brasil em 2º, ranking da Fifa define cabeças de chave

A vitória da Itália sobre a Albânia e o empate contra a Macedônia fizeram a Azzurra subir duas posições e ficar na 15ª posição

A Fifa divulgou nesta segunda-feira (16) a tabela atualizada de seu ranking e manteve a seleção da Alemanha na liderança. O Brasil aparece em segundo lugar, enquanto que Portugal completa o top 3. A Itália subiu duas posições e ocupa a 15ª colocação.   

O ranking será importante para a Copa do Mundo, pois servirá de base ao sorteio dos grupos do mundial, que acontece no próximo dia 1º de dezembro. Com o fim das rodadas das Eliminatórias da América do Sul e da Europa, os cabeças dos oito grupos da Copa do Mundo já foram reconhecidos, são eles: Rússia (país sede), Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia e França. Alemanha, Brasil e Portugal venceram seus respectivos jogos nas rodadas finais das Eliminatórias para a Copa do Mundo e mantiveram suas posições, sendo os três primeiros. 

A vitória da Itália sobre a Albânia e o empate contra a Macedônia fizeram a Azzurra subir duas posições e ficar na 15ª posição, atrás de seleções com menos expressão, como Peru (10º) e Gales (14º).   

Os outros destaques da lista foram as entradas da Espanha (8º) e do Peru no top 10. Além disso, a Áustria (38º) subiu 18 posições e a Escócia (29º), que subiu 14 degraus. Com a eliminação para a Copa do Mundo, o Equador (60º) desceu 25 colocações.   

Confira os 10 primeiros colocados no ranking 1 – Alemanha – 1631 2 – Brasil – 1619 3 – Portugal – 1446 4 – Argentina – 1445 5 – Bélgica – 1333 6 – Polônia – 1323 7 – França – 1226 8 – Espanha – 1218 9 – Chile – 1173 10 -Peru – 1160

15 de outubro de 2017

Dono do PSG quer acelerar processo de defesa em investigação, diz jornal

O procedimento aberto pela promotoria suíça está conectado à investigação sobre o ex-secretário geral da Fifa Jérôme Valcke.

O dono do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, quer se defender o quanto antes de uma investigação aberta pela promotoria da Suíça na quinta-feira (12), informou neste domingo (15) o jornal francês "L'Équipe".
O procedimento aberto pela promotoria suíça está conectado à investigação sobre o ex-secretário geral da Fifa Jérôme Valcke e está relacionada às vendas de direitos de TV da Copa do Mundo à emissora BeIN Sports, da qual Al-Khelaifi é chefe executivo. Houve uma operação de busca na sede em Paris da emissora.
De acordo com o jornal "L'Équipe", o dono do PSG, que bancou a transferência recorde de Neymar ao clube francês no mês de agosto ao desembolsar 222 milhões de euros para o Barcelona, se reuniu neste fim de semana, em Doha, no
Segundo a publicação, a defesa do dirigente pedirá uma auditoria imediata com a promotoria suíça para conhecer os detalhes da acusação e um interrogatório que possa acontecer antes do fim deste mês.


Foto: ESPN

Uma investigação foi aberta em 20 de março por "suspeitas de corrupção privada, fraude, gestão desleal e falsificação de documentos", declarou o MP suíço, afirmando que uma operação "coordenada" foi realizada por vários países neste processo. França, Grécia, Itália e Espanha cooperaram na investigação.
O comunicado da promotoria nesta quinta informa que "novos procedimentos investigativos envolvendo Al-Khelaifi foram abertos por conta de descobertas de possíveis atos criminais após representantes da promotoria interrogarem Valcke no mês de outubro como suspeito".
O comunicado explica que as investigações envolvem também um empresário do mundo esportivo, cujo nome não foi publicado.
"As suspeitas são de suborno, fraude, má gestão criminal e falsificação de documento. Se suspeita que Jérôme Valcke tenha aceitado vantagens indevidas de um empresário no setor dos direitos esportivos em relação à concessão de direitos de mídia para certos países na Copa do Mundo da FIFA em 2018, 2022, 2026 e 2030 e de Nasser Al-Khelaifi em conexão com A concessão de direitos de mídia para certos países nas Copas do Mundo da Fifa em 2026 e 2030", diz a nota.
"Ninguém foi preso e a presunção de inocência se aplica. Até à data, foram recebidos 180 relatórios de suspeita de lavagem de dinheiro em conexão com as investigações de futebol. A Promotoria está conduzindo cerca de 25 processos penais na série de investigações relacionadas ao futebol e atualmente está analisando documentos apreendidos contendo dados", completa.
A emissora BeIN Sports negou qualquer tipo de irregularidade e afirmou que cooperará com as investigações; e também confirmou que autoridades francesas fizeram buscas em seu escritório na França.
"Por conta de um pedido da promotoria, o escritório da BeIN Sports na França foi alvo de busca nesta manhã. Os empregados do local cooperaram com as autoridades até o final das buscas. A BeIN nega todas as acusações. A companhia vai cooperar com as autoridades e está confiante com o desenvolvimento das investigações", completou.
Fifa
Em declaração, a Fifa afirmou que "apoia as investigações". "A Fifa é parte danificada nesta investigação, de acordo com as disposições aplicáveis do direito processual suíço", afirmou o comunicado. "A Fifa não pode fazer mais comentários nesta fase, tendo em vista o fato de que a investigação pelas autoridades está em andamento".

Federer vence a 3ª final do ano sobre Nadal e é campeão em Xangai

O tenista suíço segue atrás no retrospecto, mas agora ostenta cinco triunfos consecutivos no duelo.

O suíço Roger Federer confirmou a excelente fase em um confronto direto no qual tem desvantagem e conquistou neste domingo (15) o Masters 1000 de Xangai ao vencer o espanhol Rafael Nadal por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/3, em uma hora e 12 minutos de partida.
Naquele que é considerado um dos maiores clássicos da história do tênis, Federer segue atrás no retrospecto (23 vitórias a 15 a favor do espanhol), mas agora ostenta cinco triunfos consecutivos no duelo, sendo quatro neste ano e três em finais. Além do título em Xangai, o suíço venceu as decisões do Masters 1000 de Miami e do Aberto da Austrália diante de Nadal em 2017.
"É muito bom estar aqui jogando tão bem contra meu amigo e rival Nadal. No ano passado inaugurei a academia dele em Mallorca, e não imaginava que teria um ano como esse, Está sendo excepcional ter um ano como esse e esperamos continuar assim", disse o suíço após levantar o sexto título na temporada.


Foto: Getty Images

Neste domingo, Federer mostrou logo no primeiro game que estava inspirado. Quebrou o saque de Nadal e não perdeu mais o controle do jogo. Chegou a confirmar o serviço em um game de apenas 50 segundos para abrir 4 a 2.
O segundo set começou mais equilibrado, mas Federer foi mais uma vez preciso. Conseguiu a quebra no quinto game e confirmou a vitória ao vencer a parcial por 6 a 3 com um a nova quebra na última parcial.
Esta foi a segunda conquista de Federer em Xangai e a 27ª em torneios da categoria Masters. Ele ainda igualou Ivan Lendl com segundo maior vencedor de torneios da ATP em simples: 94. O americano Jimmy Connors é o recordista com 109.
Nadal, por sua vez, segue sem vencer no torneio chinês. O espanhol chegou à final defendendo invencibilidade de 16 partidas, incluindo as vitórias para conquistar o Aberto dos Estados Unidos e o Torneio de Pequim.
O título de Federer ainda abre uma disputa entre os dois tenistas pelo número um do mundo. Nadal mantém a liderança do ranking da ATP, mas vê a aproximação do rival para a reta final da temporada (10.465 a 8.505)

14 de outubro de 2017

Leonardo Gryner, braço-direito de Nuzman, deixa cadeia pública em Benfica

Gryner foi solto após decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Ele foi preso na última quinta, durante a operação Unfair Play

Leonardo Gryner, ex-diretor de operações do comitê Rio 2016 e braço-direito do ex-presidente do comitê e do COB Carlos Arthur Nuzman, deixou a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, por volta das 8h deste sábado (14), segundo informações da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Gryner foi solto após decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Leonardo foi preso na última quinta-feira (5) durante a operação Unfair Play. Segundo os investigadores, as provas colhidas na primeira etapa da Unfair Play mostraram evidências de que Nuzman e Gryner foram os agentes responsáveis por fazer a ligação entre o esquema de propinas de Cabral e membros africanos do COI, por meio de Arthur Soares. Eles são suspeitos de intermediar a compra de votos para que o Rio de Janeiro sediasse as olimpíadas de 2016.

Na decisão que revoga a prisão, Bretas argumentou que "não mais subsistem os motivos que ensejaram a prorrogação da prisão temporária do investigado". Na ocasião da prorrogação da prisão temporária de Gryner, o juiz escreveu que havia "possibilidade de o investigado exercer o seu poder de influência em detrimento do andamento das investigações, estas ainda dependentes da análise de vasto material arrecadado e outro ainda não obtido do COB".

No dia 5, Gryner foi preso em casa, em um apartamento de luxo em Laranjeiras, na Zona Sul. Ex-diretor do COB, ele também foi diretor de Comunicação e Marketing da candidatura do Rio à sede olímpica, e teve encontros com o filho do ex-presidente da Federação Internacional de Atletismo, suspeito de ter recebido propina para votar no Rio de Janeiro como sede dos jogos.

13 de outubro de 2017

Técnico dos EUA pede demissão por não se classificar para a Copa

Em comunicado oficial, Bruce Arena citou a derrota para a seleção de Trinidad e Tobago.

Depois da seleção dos Estados Unidos não conseguir se classificar para a Copa do Mundo de 2018, o técnico da equipe Bruce Arena pediu demissão. O treinador deixou um comunicado no site da confederação norte-americana explicando sua saída e citando a derrota sobre Trinidad e Tobago que deixou a equipe fora do Mundial da Rússia.
"É o maior privilégio para qualquer treinador comandar a seleção de seu país e deixo esse cargo hoje. Eu me sinto honrado e agradecido por ter essa oportunidade em minha carreira", disse Bruce Arena, que havia assumido os EUA em novembro de 2016.
"Quando cheguei no último ano, havia um grande desafio à frente, mas do que as pessoas imaginavam. Todos envolvidos deram tudo o que podiam nos últimos 11 meses e, no final, foi um tempo curto demais. Não há desculpas, não fizemos o trabalho e eu tenho a responsabilidade", explicou o treinador sobre a não classificação à Copa.
O treinador vê o futebol norte-americano crescendo, apesar de lamentar a derrotada para Trinidad e Tobago que deixou os EUA fora da Rússia.



"Está é, provavelmente, a maior derrota da seleção dos EUA e questões devem ser feitas para que possamos melhorar. Não há dúvidas de que o processo já começou e vamos continuar progredindo. Eu acho importante também reconhecer os grandes crescimentos e grandes conquistas em duas décadas em todas as áreas incluindo o desenvolvimento de jogadores, treinadores e a liga nacional (MLS). Este trabalho ainda está sendo feito mesmo com o resultado em Trinidad, o futebol está no caminho certo. Trabalhando juntos, tenho certeza de que o futebol no país continuará crescendo," continuou.
"Claro que é muito decepcionante para os torcedores. Como pessoa envolvida no futebol por mais de 40 anos, eu vejo como a torcida cresceu nos Estados Unidos. Eu acredito que falo com todo mundo envolvido e espero que continuemos apoiando o futebol nos Estados Unidos", analisou.
"Enquanto passamos por esse momento de dificuldade, eu acredito que vamos continuar na direção certa e acredito nos jogadores e nos treinadores do país. Eu não sei o que o futuro me reserva, mas posso dizer do fundo do meu coração: do ponto mais alto nas quartas de final da Copa do Mundo de 2002 até o mais baixo que aconteceu dias atrás, eu agradeço todos os minutos que fui parte desse projeto", completou.
Com o 2 a 1 de Trinidad e Tobago sobre a seleção norte-americana, os Estados Unidos acabaram na quinta colocação das Eliminatórias da Concacaf. México, Costa Rica e Panamá se classificaram, enquanto Honduras foi para a repescagem.

Cuca é demitido do Palmeiras após empate em casa

Mais que o rendimento aquém do esperado pelo campeonato nacional, pesou mais para seu desligamento a eliminação precoce pela Copa Libertadores.

O frustrante empate com o Bahia nesta quinta-feira (12), por 2 a 2, pela 27ª rodada do Brasileiro resultou na demissão do treinador Cuca pelo Palmeiras, cinco meses depois de seu retorno.
Campeão nacional no ano passado, Cuca se desligou do clube ao final da temporada, alegando questões particulares. Em maio, voltou para substituir Eduardo Baptista.
O Palmeiras ocupa a quinta colocação do Brasileiro, agora a 14 pontos do líder Corinthians, depois de ensaiar uma reação e até falar em tentar alcançar o rival na tabela.
Mais que o rendimento aquém do esperado pelo campeonato nacional, pesou mais para seu desligamento a eliminação precoce pela Copa Libertadores.
O torneio continental era o grande objetivo do clube na temporada, e o Palmeiras caiu nas oitavas de final, perdendo para o Barcelona de Guayaquil em disputa de pênaltis no Allianz Parque.
O aproveitamento do treinador neste ano foi de 54% em 34 partidas, com 16 vitórias, 7 empates e 11 derrotas. Em comparação, em 2016, o rendimento foi de 64% em 51 partidas, com 29 triunfos, 11 empates e 11 reveses.


Foto: Gazeta Press

Nesta quinta, no Pacaembu, a equipe chegou a abrir 2 a 0 contra o Bahia, equipe ameaçada pelo rebaixamento, mas cedeu o empate.
Ao final da partida, Cuca afirmou que restava ao elenco se concentrar na partida contra o Atlético-GO deste domingo (15), fora de casa. Caberá ao auxiliar Alberto Valentim instruir os jogadores neste duelo.
"Tem que jogar o jogo de domingo, pensar só nisso e nada mais. Não adianta pensar em dez, 11 partidas, é uma a uma. Tem de mobilizar, ter força, grandeza, recuperação. Jogar em time grande tem de estar pronto para outro embate", afirmou o agora ex-treinador.
Pela 26ª rodada, o Palmeiras já havia perdido para o Santos em casa, por 1 a 0.
Em nota oficial, o clube divulgou afirmou que a saída ocorreu após acordo com o treinador:
"Ficou decidido, em comum acordo, pelo encerramento deste ciclo do profissional no Verdão. O treinador Cuca fará um pronunciamento nesta sexta-feira (13), às 14h30, na Academia de Futebol. No sábado (14), o presidente Maurício Galiotte concederá entrevista coletiva, também na Academia, às 11h30. A Sociedade Esportiva Palmeiras agradece ao técnico Cuca pelos serviços prestados e deseja sorte no prosseguimento da carreira", afirmou o clube.
Em breve pronunciamento, Cuca destacou que o time está posicionado na zona de classificação para a Libertadores de 2018, mas admitiu que não tem rendido de acordo com seu potencial. diz que espera voltar ao clube no futuro, com a oportunidade de montar uma equipe:
"Nesse tempo que passei, nessa segunda vez eu tentei ao máximo ajudar o clube de todas as formas, me doando ao máximo, infelizmente o máximo não foi capaz de fazer o Palmeiras ter êxito na Copa do Brasil e libertadores. Ficou assim. Apesar de estarmos classificados diretamente a uma Libertadores hoje, acho que o Palmeiras pode mais e tenho certeza que os jogadores vão se classificar. O topo ainda é possível, se trata de um time bom. Agradeço o empenho comigo e em nenhum jogo podemos dizer que teve má vontade ou deixou de lutar. Meu agradecimento ao presidente, Alexandre [Mattos, diretor de futebol], jogadores. Infelizmente não fui bem como ano passado. Eu vim abortando projetos da minha vida para ajudar ao Palmeiras e todos os torcedores, de quem gosto muito. Conversamos e entendemos que era melhor encerrar o ciclo. Meu agradecimento a todos. A gente se vê no futuro. Quem sabe um dia eu possa voltar e fazer um trabalho tão bom como ano passado e montar uma equipe, que é o que gosto", disse o treinador.

Com futuro incerto, Massa diz que Williams pode "pagar caro" se dispensá-lo

m 11º na classificação com 34 pontos, piloto acredita que Williams deve mantê-lo para ano que vem: " Se a equipe mudar algo, eles podem pagar um preço mais alto do que terá ao me manter"

nico brasileiro na Fórmula 1 nesta temporada, Felipe Massa ainda não tem um cockpit certo para o ano que vem. O brasileiro disputa uma vaga na Williams com Robert Kubica, Paul Di Resta e Pascal Wehrlein. Guiando pelo time britânico desde 2014, o piloto paulistano disse, em entrevista ao site "Autosport", que seria melhor para a equipe mantê-lo em 2018.

- Acho que a equipe sabe 100% do que eu sou capaz. Lance está crescendo muito, e, sendo honesto, estou realmente fazendo um ótimo trabalho como piloto, então acho que pode ser positivo para a equipe deixar as coisas como estão. Se a equipe mudar algo, eles podem pagar um preço mais alto do que terá ao me manter - disse Massa.

Neste ano, Massa está em 11º na classificação com 34 pontos, pouco à frente de seu companheiro de equipe Lance Stroll, de apenas 18 anos, que tem 32 pontos. O brasileiro pontuou em nove etapas, mas seu principal resultado são dois sextos lugares, ainda no início do ano. Já o canadense foi ao pódio no GP do Azerbaijão, em Baku, quando recebeu a quadriculada em 3º.


Foto: Getty Images

- A posição em que estou no campeonato não é por causa dos meus erros, e sim por causa de coisas que aconteceram em três corridas, o que me custou uns 30 pontos. Se eu tivesse os pontos que eu deveria ter, não pelos meus erros durante a temporada, eu estaria lutando bem de perto com os caras da Force India - comentou.

Massa, de fato, teve inúmeros infortúnios no ano. Em algumas corridas, foi envolvido em acidentes, e, em outras, teve problemas mecânicos. No GP da Hungria, por exemplo, ele passou mal, alegando tontura, e teve que abandonar o final de semana, dando lugar ao escocês Di Resta. Agora, o brasileiro quer que a Williams tome uma decisão antes do GP do Brasil, no dia 12 de novembro.

- Acho que será melhor para a equipe e para mim saber antes do GP do Brasil. Estou totalmente motivado para continuar. Sinto que estou tirando o melhor do carro, trabalhando bem com a equipe, e é nisso que acredito - finalizou.

Após perder cinturão, Aldo enfrenta Lamas no Canadá, dia 16 de dezembro

Ex-campeão peso-pena, brasileiro encara lutador americano em Winnipeg, na co-luta principal do evento. UFC também anuncia duelo entre Erick Silva e o canadense Jordan Mein

Depois de perder o cinturão dos pesos-penas para Max Holloway, em junho, no Rio de Janeiro, José Aldo recomeça sua caminhada na divisão até 66kg contra Ricardo Lamas, dia 16 de dezembro, na co-luta principal do UFC Winnipeg (Canadá). A organização anunciou o confronto nesta sexta-feira. Este será o segundo encontro entre os atletas dentro do octógono, já que, em fevereiro de 2014, o brasileiro derrotou o americano por decisão unânime dos juízes.

Aos 31 anos, José Aldo possui um cartel de 26 vitórias e apenas três derrotas. Ex-campeão peso-pena do extinto WEC e do UFC, o lutador manauara perdeu o cinturão da divisão até 66kg pela primeira vez em dezembro de 2015, ao ser nocauteado em 13 segundos por Conor McGregor. Com a migração do irlandês para a categoria de cima, o brasileiro se tornou campeão mais uma vez ao vencer Frankie Edgar por decisão unânime, em julho de 2016. Em seu último combate, em junho de 2017, o atleta da equipe Nova União acabou nocauteado por Max Holloway no terceiro round.

Já Ricardo Lamas, de 35 anos, tem 18 vitórias e cinco derrotas na carreira. O peso-pena americano chega para o confronto em dezembro após duas vitórias: contra Charles do Bronx, em novembro de 2016, com uma finalização no segundo round, e diante de Jason Knight, em julho de 2017, com um nocaute no primeiro round.

UFC anuncia Erick Silva x Jordan Mein para o mesmo card

O Ultimate também anunciou nesta sexta-feira o confronto entre Erick Silva e Jordan Mein, em Winnipeg, dia 16 de dezembro. Aos 33 anos, o brasileiro possui um cartel de 19 vitórias, oito derrotas e um "no contest" (luta sem resultado). Em sua última luta, o meio-médio capixaba acabou nocauteado por Yancy Medeiros, no Rio de Janeiro, no UFC 212, em junho de 2017. Já Jordan Mein, de 28 anos, está em situação complicada na organização, após perder três confrontos consecutivos. O canadense possui 29 vitórias e 12 derrotas na carreira.

UFC Fight Night16 de dezembro, em Winnipeg (CAN)
CARD DO EVENTO (até o momento):Peso-meio-médio: Robbie Lawler x Rafael dos Anjos
Peso-pena: José Aldo x Ricardo Lamas
Peso-meio-pesado: Rogério Minotouro x Jared Cannonier
Peso-meio-pesado: Glover Teixeira x Misha Cirkunov
Peso-médio: Oluwale Bamgbose x Alessio Di Chirico
Peso-médio: Vítor Miranda x Julian Marquez
Peso-mosca: Tim Elliott x Justin Scoggins
Peso-meio-médio: Chad Laprise x Galore Bofando
Peso-meio-médio: Nordine Taleb x Sultan Aliev
Peso-leve: John Makdessi x Abel Trujillo
Peso-meio-médio: Santiago Ponzinibbio x Mike Perry
Peso-meio-médio: Erick Silva x Jordan Mein

Sem Neymar, destaques do futsal mantêm Brasil em evidência no Barça

Quinteto liderado por Dyego e Ferrão tenta acabar com jejum de títulos do clube. Considerado um dos mais fortes da Europa, time tem início de temporada arrasador

Faz pouco mais de dois meses que Neymar deixou o Barcelona rumo ao Paris Saint-Germain, na transferência mais cara da história do futebol. Mas isso não impediu que o Brasil continuasse sendo bastante relevante no clube catalão. É bem verdade que o volante Paulinho aos poucos está vencendo a desconfiança da torcida e conquistando espaço no time. Porém, é no futsal que nosso país vem ganhando mais destaque.

A equipe de futsal do Barcelona já teve muitos brasileiros em sua história, como Ari, Gabriel, Bateria, entre outros. Hoje são cinco no elenco, que conta no total com 16 jogadores. São eles: o ala Dyego (28 anos), os pivôs Ferrão (26 anos) e Esquerdinha (31 anos), o ala Léo Santana (29 anos) e o fixo João Batista (28 anos).

Dyego e Ferrão são os mais antigos - estão na quinta e na quarta temporadas pelo Barça, respectivamente - e têm muita moral no clube. O time bateu na trave na temporada passada e ficou com o vice-campeonato da Liga Espanhola - perdeu para o rival Inter no quinto e último jogo da final -, mas a dupla de brasileiros foi recompensada individualmente. Ferrão foi o artilheiro e melhor pivô, enquanto Dyego foi eleito o melhor ala e também o melhor jogador do torneio.

- Muito importante, fiquei muito feliz. A temporada passada foi especial, apesar de não termos conseguido o título no final. Espero que nesta temporada a gente possa ganhar o título coletivo - disse Dyego.

João Batista, por sua vez, está em sua temporada pelo Barcelona. Esquerdinha - que está se naturalizando russo - e Léo Santana estavam no futsal da Rússia e chegaram na última janela de transferências. O pouco tempo já foi suficiente para aflorar as emoções dos novatos.

- Como jogador profissional, sinto uma coisa surreal. Estreei há uns 10 dias aqui no Palau Blaugrana, com a torcida do Barcelona, escutei o hino do clube... É uma coisa surreal. A cada dia estou aprendendo mais e me sinto mais feliz em defender essas cores - afirmou Léo.

A expectativa para esta nova temporada é muito boa. O Barcelona está entre os favoritos em todos os campeonatos em disputa: Liga Espanhola, Copa do Rei, Copa da Espanha e o mais importante, a Taça da Uefa. E o início é animador: a liga já começou e o time catalão é o líder, com cinco vitórias em cinco jogos. Na competição europeia, estreou nessa quarta-feira com goleada por 7 a 0 sobre o Gyori Eto FC, da Hungria.

A torcida se acostumou a comemorar. Entre 2011 e 2014, o Barça conquistou três vezes o Espanhol e duas vezes a Uefa. Mas desde então o período é de seca. A pressão por títulos é grande.

- Desde o momento em que você chega, já escuta a palavra "títulos". E não pode ser diferente. É um time que briga por tudo. Só participar dos campeonatos ou chegar às finais não vale - disse Esquerdinha.


Esquerdinha (77), João Batista (6) e Léo Santana adentram o Palau Blaugrana (Foto: Site oficial FC Barcelona)

- A gente sabe que, estando neste clube, tem sempre que brigar por títulos e conquistar. Quem vem para cá já sabe da responsabilidade que traz essa camisa. Faz uns anos que não conseguimos ganhar, mas estamos sempre brigando, chegando. Tenho certeza de que nesta temporada vamos tirar a má fase e conseguir título para o Barça - acrescentou Ferrão.

Um ponto negativo de viver em Barcelona neste momento é a alta tensão política que tomou conta da Catalunha. A comunidade quer se separar da Espanha e se tornar um país independente. Mas os jogadores garante que o dia a dia esportivo do Barça não tem sido atrapalhado.

- Não influencia em nada. A gente é pago para treinar, jogar e competir. Aconteça o que acontecer, a gente tem que fazer o nosso trabalho - comentou Dyego.

- Fica mais a nível político, e as consequências saberemos depois. Mas, durante todo esse processo, diretamente não tem influenciado, não - afirmou Esquerdinha.

Os cinco brasileiros têm mais coisa em comum além do Barcelona. Uns mais, outros menos, mas todos eles deixaram o Brasil e moram no exterior há anos. A Espanha, por sinal, tem a liga nacional mais respeitada do planeta, com uma estrutura digna de muitos elogios.

- É diferente. No Brasil se joga muito mais, tem os estaduais. Aqui desde o começo da temporada você sabe quais dias vai jogar, qual torneio vai disputar, então é muito mais fácil e organizado. Em termos de viagem também. Aqui se pode viajar de trem. O Brasil é muito grande. Para jogar fora, às vezes você pega 10, 12 horas de ônibus. É uma viagem rotineira, vamos dizer assim - argumentou Dyego.


Pivô Ferrão deixa a marcação adversária para trás (Foto: Site oficial FC Barcelona)

- A Espanha hoje é um modelo de organização, no marketing, nos jogos da televisão... É uma liga na qual todas as outras se espelham - opinou Esquerdinha.

O futsal brasileiro não passa por um bom momento. Em quadra, a seleção amargou sua pior campanha em Mundiais no ano passado, ao ser eliminada pelo Irã nas oitavas de final. Fora dela, sofre as consequências das constantes mudanças da Confederação. Mas, na opinião dos atletas, tem uma coisa que não muda.

- O Brasil tem os melhores jogadores, tenho certeza disso. Agora está passando por muitas mudanças, isso influencia muito dentro da quadra, e é o que está acontecendo. Mas na questão da qualidade dos jogadores brasileiros, isso é indiscutível. O Brasil com certeza tem os melhores jogadores do mundo - concluiu o ala Dyego.

Felipe Melo agradece torcida em retorno: "Aprendi a amar mais o Palmeiras"

Volante entra na segunda etapa do empate do Verdão contra o Bahia e agora fala em recuperar espaço na equipe titular.

A ousadia de Felipe Melo está de volta ao Palmeiras. Depois de quase três meses longe dos gramados, o volante entrou em campo no segundo tempo do empate alviverde por 2 a 2 com o Bahia na noite desta quinta-feira, e voltou a reescrever uma história que quase teve um ponto final no clube.

Aplaudido pelos torcedores desde o momento em que seu nome foi anunciado no telão do estádio, antes do início da partida, o atleta causou euforia na arquibancada ao ser chamado por Cuca para entrar no lugar de Bruno Henrique, aos 28 minutos da segunda etapa. No fim do jogo, ainda no gramado do Pacaembu, ele lamentou o resultado, mas falou sobre o seu novo momento no Verdão.

- Trabalho todo dia como jogador do Palmeiras e dou sempre o meu melhor. Em toda a minha carreira eu dei o meu melhor, jogando ou não jogando. Agradeço muito a Deus por continuar no Palmeiras e ter tido mais uma oportunidade. Treino sempre como se fosse o último jogo para dar meu melhor. Pude entrar por 20 minutos para fazer o meu melhor, que é correr, dar carrinho, ganha bola de cabeça... Infelizmente hoje não deu, paciência - afirmou Felipe Melo, ao canal Premiere.


Felipe Melo voltou a ser aproveitado por Cuca no Verdão (Foto: Marcello Fim/Raw Image/Estadão Conteúdo)

Questionado sobre o que projeta para a sua sequência no Palmeiras, o volante agradeceu o carinho dos torcedores e do clube e afirmou que trabalha para recuperar a posição na equipe titular.

- Quando eu cheguei aqui lembro na minha entrevista inicial que eu vim para ajudar o Palmeiras. O Palmeiras coloca comida dentro da minha casa. Esse tempo que eu fiquei fora eu aprendi a amar mais o torcedor do Palmeiras, mais o Palmeiras por tudo aquilo que eles fizeram e têm feito por mim. Hoje foi incrível sentir o carinho da torcida. É por isso que dou carrinho. Se tiver de dar carrinho de cabeça eu vou dar carrinho de cabeça. Por eles, pela minha família. Minha ideia é continuar trabalhando muito forte para voltar a ser titular e voltar a história bonita do primeiro semestre quando ganhei prêmio e estávamos em uma crescente boa, inclusive na Libertadores - acrescentou o jogador.

Felipe Melo havia sido afastado por Cuca por problemas de relacionamento após a eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil, no empate em 1 a 1 com o Cruzeiro no dia 27 de julho. De lá para cá, o atleta foi afastado, procurou clube e depois reintegrado ao plantel alviverde. Nas últimas semanas, ele vinha sendo testado pela comissão técnica como zagueiro, mas atuou nesta quinta-feira no meio de campo.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras, que agora soma 44 pontos, enfrenta o Atlético-GO em Goiânia, no domingo, às 17h.

Cruzeiro tem melhor ataque dos pontos corridos e se aproxima de líder

Desde que o modelo de campeonato foi adotado em 2003, equipe mineira é a que tem o ataque mais positivo; além disso, está mais próxima do líder por pontuação

Com a vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, na última quarta-feira, o Cruzeiro alcançou os 100 gols marcados na temporada. A marca contribuiu, ainda mais, para o clube se isolar como o melhor ataque da era dos pontos corridos, modelo de disputa iniciado em 2003. Além disso, a guinada na tabela atual fez a equipe mineira encurtar a distância para o São Paulo, clube com mais pontos até agora no acumulado.

O gol de Sobis foi o 905º marcado pela equipe no modelo. Aliás, o Cruzeiro é o único no quesito a ter ultrapassado a marca dos 900 gols até o momento. Os que mais se aproximam são o Santos, em segundo com 888 gols, e o próprio São Paulo, com 879. O Fluminense vem em quarto com 806 feitos. Os quatro foram os únicos a terem marcado mais de 800 gols nos pontos corridos (confira a tabela abaixo).

A edição em que mais fez gols foi em 2003, vencida pela Raposa, quando o campeonato foi disputado com 26 equipes. Naquele ano, foram 103 gols marcados. Dez anos depois, quando também foi campeão, o time cruzeirense balançou as redes 77 vezes, tornando-se a formação do Cruzeiro com o segundo melhor desempenho do formato.

É bom lembrar que só foram computados os gols marcados e pontos conquistados na elite nacional. Assim, Atlético-MG, Corinthians, Internacional, Atlético-PR e Grêmio - ausentes em algumas edições por estarem na Sérei B - não disputaram a mesma quantidade dos demais que estão no Top 10 de gols.

Chegando

Com a boa campanha na atual edição, o Cruzeiro ainda está encurtando a distância para o São Paulo, que briga contra o rebaixamento, em termos dos pontos acumulados em todas as edições. O time paulista ainda é o melhor com 958 pontos conquistados, mas é seguido pelo Cruzeiro com 931. O Santos, com 904, se junta ao grupo dos três que já fizeram mais de 900 pontos (veja na tabela abaixo).

Antes do Campeonato Brasileiro atual começar, o Cruzeiro tinha 43 pontos a menos que o São Paulo (927 contra 884). Entretanto, com a campanha aliada ao mau desempenho do São Paulo, esta distância caiu para 27 pontos. No ano que vem, caso faça uma campanha de campeão, por exemplo, pode ser que a equipe chegue a marca dos 1000, tanto nos gols, como nos pontos.

Para ajudar na contagem, o Cruzeiro vai buscar a vitória diante do Coritiba, na próxima quarta-feira, ás 19h30 (de Brasília), no Couto Pereira. A equipe celeste está em terceiro lugar da competição, a 11 pontos do líder Corinthians.

Alan Ruschel encabeça lista, e Chape tem 27 contratos encerrados no fim de 2017

Com muitos empréstimos por reconstrução, Verdão avalia negociações para dar sequência ao trabalho. Vinculado ao Inter, sobrevivente é um dos 15 que pertencem a outros clubes

Os resultados da rodada deixaram a Chapecoense a um ponto da zona de rebaixamento, mas manter-se na Série A não é a única preocupação do clube para 2018. Com a proximidade do fim do ano, chega também a necessidade de o Verdão se apressar na avaliação do elenco para renovar contratos. Do grupo atual, 27 vínculos se encerram em dezembro. Alan Ruschel e outros sete titulares estão nesta lista.

O cenário chega a ser natural por conta do processo de reconstrução após a tragédia de 29 de novembro do ano passado. A valorização de parte dos jogadores somada ao vínculo da maioria com outros clubes faz com que o processo seja conduzido de maneira cuidadosa. Dos 27, 15 voltam de empréstimos, enquanto o restante fica livre no mercado - o que facilitaria uma negociação. As informações foram confirmadas no site Rede Futebol, com base no BID.


Lucas Mineiro, Alan Ruschel e Douglas. Volante e zagueiro estão garantidos em 2018 (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

Esta última lista conta com peças importantes, como Wellington Paulista, que vê seu vínculo com o Fluminense também se encerrar em 31 de dezembro, e Túlio de Melo. A situação é a mesma de Neto, que passará em breve por cirurgia no joelho e tem permanência garantida. Por outro lado, Artur Moraes e Luiz Antonio vêm a passagem por Chapecó se aproximar do fim. Jogador mais antigo do elenco, Nenén é quem tem o contrato finalizado primeiro, em 15 de dezembro.

Quem também pode ser colocado neste grupo é Douglas Grolli. O zagueiro segue vinculado ao Cruzeiro após a virada do ano, mas fica livre já em 10 de fevereiro e está apto a assinar pré-contrato. Seu companheiro de zaga, porém, é um dos que dificilmente seguirá no clube. Também do Cruzeiro, Fabrício Bruno valorizou-se no mercado e já recebeu sondagens do Estoril, de Portugal, e, mais recentemente, do Besiktas, da Turquia, que observa seu futebol.

João Pedro e Reinaldo, que pertencem a Palmeiras e São Paulo, respectivamente, são outros que estão em alta e têm o futuro projetado longe do Verdão do Oeste. Há ainda os casos de jogadores que o clube já se mobiliza para manter com a compra dos direitos econômicos, como Jandrei, que pertence ao Tubarão, e Elias, do Juventude.

Sobrevivente da tragédia em Medellín e titular desde a entrada de Emerson Cris, Alan Ruschel tem contrato com o Inter até o fim de 2018 e ainda não foi procurado pela Chape para uma permanência. Luiz Otávio é um caso curioso. Assediado pelo São Paulo no meio do ano, viu o Verdão demonstrar interesse em sua compra, mas a transação ainda não foi concluída com a Luverdense.

Faltando 11 rodadas para o fim do Brasileirão, a Chapecoense segue com a cabeça para fora d´água na luta contra o rebaixamento e aos poucos começa a enxergar terra firme em 2018. Resta agora definir com quem seguir em frente na próxima temporada. Domingo, às 17h (de Brasília), tem jogo com o Flamengo, na Arena Condá.


Vínculo de Neto no BID se encerra em dezembro, mas zagueiro seguirá na Chape (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)

Contratos encerrados em dezembro

Jandrei, Elias, Artur Moraes, Alan Ruschel, João Pedro, Zeballos, Reinaldo, Diego Renan, Fabrício Bruno, Douglas Grolli, Luiz Otávio, Neto, Amaral, Moisés Ribeiro, Moisés Gaúcho, Luiz Antonio, Lucas Marques, Seijas, Dodô, Nenén, Wellington Paulista, Túlio de Melo, Osman, Arthur Caike, Andrei Alba (emprestado), Luiz Felipe (goleiro) e Rodrigo Pelezinho (atacante).

Sem vínculo com outro clube

Artur Moraes, Neto, Diego Renan, Amaral, Luiz Antonio, Lucas Marques, Nenén, Wellington Paulista e Túlio de Melo.

Seguem com contrato

Douglas, Apodi, Roberto, Canteros, Elicarlos, Lucas Mineiro, Nadson, Penilla, Guerrero, Julio Cesar e Perotti, Tiepo e Bryan.

12 de outubro de 2017

Mano Menezes evita confirmar permanência, mas admite priorizar Cruzeiro

O técnico tem contrato até 31 de dezembro deste ano e, apesar do título da Copa do Brasil, pode não permanecer em 2018

Recuperando-se de um procedimento na pele e presente nos camarotes da Arena do Grêmio, onde o Cruzeiro venceu o time gaúcho por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Mano Menezes assegurou que sua prioridade é permanecer no clube mineiro. Ainda assim, ele evitou comentar que a renovação está próxima.

Mano tem contrato até 31 de dezembro deste ano e, apesar do título da Copa do Brasil, pode não permanecer em 2018. Especulado como substituto de Cuca no Palmeiras, o técnico não teria aprovado certas mudanças na diretoria do Cruzeiro.

“Tenho contrato com o Cruzeiro até 31 de dezembro. Está tudo bem. Depois disso, a gente senta e renova o contrato ou não renova. Já pensei (em dar continuidade), já disse isso no final da Copa do Brasil, quando me perguntaram”, avisou o treinador.

Para permanecer no clube, segundo acrescentou Mano, seria importante ter um projeto para o próximo ano, quando o Cruzeiro disputa a Copa Libertadores. “O mais importante é as coisas estarem claras para todos os lados, porque será um ano importante para o clube. Sabemos como são as expectativas. Quando se cria expectativa, precisamos criar maneiras de atender essa expectativa do torcedor para que esse momento bom não vire frustração no ano que vem. Isso é o mais importante de tudo.”

Substituído pelo auxiliar Sidney Lobo nos últimos dois jogos, Mano revelou também que está pronto para retornar aos trabalhos. “Estava precisando ficar um tempinho parado por orientação médica, mas estou liberado para voltar a trabalhar normalmente. Então, isso deixa a gente feliz, assim como o desempenho da equipe”, afirmou.

Paulo Wanderley assume presidência do Comitê Olímpico do Brasil

Sobre a suspensão do COB aplicada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), Wanderley disse que a revisão estatutária poderá ajudar a reverter a medida

Com a renúncia de Carlos Arthur Nuzman apresentada nesta quarta-feira (11), o Comitê Olímpico do Brasil (COB) será presidido por Paulo Wanderley, vice-presidente da entidade desde o começo do ano. A carta de renúncia de Nuzman foi lida por seu advogado, Sergio Mazzillo, durante assembleia extraordinária do COB. Nuzman é investigado pela Polícia Federal (PF) na operação Unfair Play - Segundo Tempo, que apura o pagamento de propinas no processo de escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos 2016. Ele foi detido na última quinta-feira (5) e está preso preventivamente.

Paulo Wanderley, de 67 anos, foi presidente da Confederação Brasileira de Judô entre 2001 a 2017. Em entrevista após a assembleia extraordinária do COB, ele elogiou a trajetória de Nuzman e disse que não pode prometer superar sua contribuição para o desenvolvimento do esporte brasileiro, que seria incalculável. Wanderley disse que trabalhará em favor da credibilidade e do repeito do COB. “É uma coisa eu acho que posso implementar. Dar mais segurança ao nosso público de que as coisas serão corretas. Haverá cobrança interna. Aqui se delega, mas se fiscaliza”.

 
Novo presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley. Foto: Divulgação

Durante a assembleia, foi criada uma comissão para propor uma reforma do estatuto do COB em 45 dias, que deve alterar o processo eleitoral na entidade. Uma das mudanças deverá ser o aumento da participação dos atletas e regras menos rigorosas para composição das chapas para o comando da instituição.

O novo presidente do COB disse que pretende ficar no cargo pelo menos até 2020 e não descartou uma tentativa de reeleição para um novo mandato, que iria até 2024. Aprovada em 2013, a Lei 9.613 estabelece que dirigente de entidade que receba dinheiro público só tem direito a uma reeleição.

“Eu fui eleito para um mandato de quatro anos, um ciclo olímpico, de acordo com o estatuto. A intenção, a pretensão e a legalidade estatutária, prevê mandato de quatro anos, o qual eu pretendo cumprir”, disse Paulo Wanderley.

Sobre a suspensão do COB aplicada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), Wanderley disse que a revisão estatutária poderá ajudar a reverter a medida.

Estatuto

A comissão de reforma do estatuto do COB será presidida pelo representante da comissão de atletas junto ao comitê, o judoca Tiago Camilo. Os demais integrantes são os presidentes das confederações brasileiras de vela, Marco Aurélio de Sá Ribeiro; de esgrima, Ricardo Machado; e de atletismo, José Antônio Martins Fernandes.

“Nós aprendemos muito quando competimos, viajamos, conhecemos outras escolas, outras estruturas e outras formas de gestão. Então nada mais justo que usarmos esta experiência para melhorar a realidade do esporte brasileiro”, disse Tiago Camilo.

Segundo ele, a mudança nas regras internas trará mais transparência para a entidade. “O Brasil clama por mudanças em todas as áreas e não pode ser diferente no esporte. O COB e as federações existem para os atletas. E nada mais justo que os atletas serem mais participativos e atuantes”, acrescentou.

Durante a assembleia, um grupo de atletas e ex-atletas protestou na entrada da sede do COB com cartazes e palavras de ordem pedindo “Diretas já” na entidade. Eles defendem que todos os atletas tenham direito a voto direto na escolha do comando do comitê, reivindicação que não deve ser atendida no momento.

A discussão principal está na ampliação da participação dos atletas na assembleia do COB. Atualmente, apenas o representante da comissão de atletas tem direito voto na assembleia do comitê. Além dele, votam os presidentes das confederações, os membros natos escolhidos pela assembleia e representantes do Comitê Olímpico Internacional (COI).

“Todo mundo está ciente de que é necessária uma mudança, uma modernização. O mundo mudou. Hoje o atleta tem um protagonismo. Outras instituições também têm protagonismo. E está na hora destes protagonistas serem incorporados no processo decisório”, disse Marco Aurélio de Sá Ribeiro, destacando que o COB é uma organização privada, mas que trabalha com muito dinheiro público.

A primeira reunião da comissão que vai atualizar o estatuto do COB deve ocorrer na próxima segunda-feira (16). Para elaborar a proposta, haverá encontros com diversos setores interessados, não apenas os atletas, mas também com a Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados e com juristas e especialistas na área. O documento final será apresentado em 45 dias e levado para a apreciação da assembleia do COB, a quem compete aprovar o novo estatuto.

Rueda não terá Diego, Guerrero e Vinícius Júnior hoje no Fla x Flu

Clássico será disputado nesta quinta-feira, às 17h (de Brasília), depois da paralisação do Campeonato Brasileiro para a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo

Depois de mais de uma semana sem jogos por causa das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, Flamengo e Fluminense se enfrentam nesta quinta-feira, às 17h (de Brasília), no Maracanã. O clássico é válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os rivais estão em situações diferentes na tabela de classificação. O Rubro-Negro, em sétimo lugar com 39 pontos, quer se aproximar do G-4 para ir direto à Libertadores sem precisar disputar as primeiras fases da competição continental. O Tricolor está em 16º, com 31 pontos, e tenta se afastar da zona de rebaixamento - o Sport, 17º, tem 30.

No clássico do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, também no Maracanã, Flamengo e Fluminense empataram em 2 a 2.

O Rubro-Negro, depois da derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, teve tempo para treinar. O treinador colombiano tentou trabalhar posicionamento defensivo e jogadas ofensivas, já que, até então, não tinha tido um período tão grande livre desde a chegada ao Flamengo. A única dúvida é no ataque: Vizeu ou Paquetá disputam a vaga de Guerrero, que volta da seleção peruana só nesta quinta.

Desfalques: Guerrero e Trauco, que estavam com a seleção peruana, Cuéllar, com a Colômbia, e Diego e Vinicius Junior, lesionados.

Pendurados: Cuéllar, Gabriel, Mancuello, Réver e Rodinei.

Para o Fluminense, a semana foi tumultuada. Com protesto no aeroporto, no retorno de Porto Alegre, onde perdeu para o Grêmio, o Tricolor ainda conviveu com exoneração do então vice de futebol Fernando Veiga, recusa ao cargo de Carlos Alberto Parreira e reunião de jogadores com organizadas no CT. Dentro de campo, Abel tentou achar soluções ao time. Renato Chaves, recuperado de lesão muscular, está à disposição.

Desfalques: Frazan (suspenso), Wellington Silva (dores no púbis), Henrique (estiramento muscular) e Luiz Fernando, Marquinho e Marquinhos Calazans (cirurgia no joelho).

Pendurados: Douglas, Lucas, Marlon, Marlon Freitas, Orejuela, Renato Chaves e Wendel.

Kaká analisa situação do São Paulo para decidir próximos passos na carreira

A ideia do ídolo, de 35 anos, é assinar um contrato de seis meses ou de uma temporada com o São Paulo somente se puder contribuir dentro de campo

Quando Kaká anunciou que não seguirá mais no Orlando City, quase todos os são-paulinos já se animaram com a possibilidade de o jogador voltar ao Morumbi em 2018. Para que esse desejo dos tricolores se concretize, no entanto, é necessário ter um pouco de paciência até que o meia e o clube resolvam suas questões.

Segundo apurou o UOL Esporte com pessoas próximas a Kaká, o jogador não tem a intenção de defender o São Paulo outra vez caso não apresente boas condições físicas. A ideia do ídolo, de 35 anos, é assinar um contrato de seis meses ou de uma temporada com o São Paulo somente se puder contribuir dentro de campo. O astro tem medo de arranhar a sua imagem com uma passagem apagada.

Neste sentido, há casos de jogadores que não conseguiram um bom desempenho dentro de campo em seus retornos. Nesta temporada, por exemplo, Lugano disputou apenas 11 partidas e teve até dificuldade para renovar o seu contrato com o São Paulo - tendo até uma redução salarial de R$ 100 mil.

Por isso, Kaká deve utilizar as últimas partidas da Major League Soccer (MLS, a principal liga dos Estados Unidos) para analisar a sua condição física e o poder de recuperação entre os jogos. Caso o desempenho seja positivo, ele pode se inclinar a voltar para o São Paulo. Inicialmente, apesar de reclamar das dores recorrentes em qualquer jogadores, ele acredita ter condições de atuar outra vez no Brasil.

Pelo lado do São Paulo, a diretoria respeita a posição do astro e até pode ver com bons olhos a possibilidade de esperar mais um pouco antes de formalizar uma proposta. A cúpula são-paulina mantém bom relacionamento com o jogador e seu estafe e os contatos ficaram mais intensos no fim de 2016. É bem possível que o próprio presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Filho, o Leco, entre em contato com Kaká e sua equipe nos próximos dias para abordar o caso.

Mas se o jogador quiser mesmo esperar mais um pouco antes de decidir se volta ao São Paulo ou se aposenta, os dirigentes devem respeitar e ter paciência. Afinal, o mandatário e departamento de futebol estão focados agora em tirar o time da crise no Campeonato Brasileiro. Por isso, a ideia é primeiro ver a equipe não correr mais riscos de rebaixamento para, daí sim, passar a analisar com mais carinho o elenco de 2018. Neste cenário, dependendo do rendimento do time nas próximas rodadas as conversas também podem se acelerar.

Com a seleção, piauiense Luís Carlos busca ouro na paracanoagem

O piauiense vai para sua quarta participação em pan-americano e já tem três ouros na canoa e uma prata no caiaque.

Hoje (12) iniciam as disputas do Pan-Americano de Paracanoagem, que acontece em Ibarra, no Equador. A competição vai até o domingo (15) e a delegação brasileira tem 30 atletas na busca por pódio, entre eles o piauiense Luís Carlos Cardoso, que briga por medalha na canoa e no caiaque. A delegação brasileira chegou ao Equador ontem (11) e Luís cai nas águas no domingo (15). O paratleta busca o ouro inédito no caiaque.

O piauiense vai para sua quarta participação em pan-americano e já tem três ouros na canoa e uma prata no caiaque. Agora Luís Carlos busca um ouro inédito na categoria caiaque KL1 200m. “Essa competição é importante primeiro por ser mais um campeonato internacional, onde vamos estar disputando com os melhores atletas de cada país das américas, e segundo pelo fato de, em 2019, a paracanoagem vai estrear nos jogos Pan”, explica.

A temporada 2017 vem sendo grata ao paratleta, que se sagrou em agosto tetracampeão mundial na canoa e conquistou o bronze no caiaque. No Brasileiro, Luís Carlos se sagrou tricampeão e tem o ano com 100% de aproveitamento, subindo ao pódio em todas as competições que participou e chega como um forte nome no Pan, apesar de não saber quem serão seus adversários.

“Ainda não tenho muita noção de quem vou encontrar. Mas creio que, esse ano, o número de atletas vai ser bem maior por causa dos jogos Pan 2019, mas independente de encontrar outros adversários, ou os mesmos, meu foco é sempre fazer dentro da competição tudo que venho trabalhando nos treinamentos”, frisa Luís Carlos Cardoso.

Além de estar no pódio, a meta do paracanoista é conseguir repetir o tempo do Mundial, que aconteceu este ano na República Tcheca e fazer o tempo de 48s, ou até mesmo baixar esse tempo. Como Luís Carlos só compete no domingo (15) as provas de canoa e caiaque 200m, o atleta ainda realiza alguns treinos. “Chegamos aqui no Equador e hoje [ontem] será de descanso. Amanhã [hoje] iremos treinar pela manhã até mesmo como uma forma de adaptação paras as provas”, explica.

Altos contrata atacante Ronny, ex-Botafogo

Presidente do clube diz que outros nomes devem ser confirmados até o dia 20.

O Altos segue se movimentando em busca do elenco ideal para a temporada 2018. Depois da contratação do lateral-esquerdo Wesley, de 25 anos, ex-River, a diretoria Alviverde confirmou o nome do atacante Roniere Pinto, ou Ronny, ex-Remo, como novo reforço para o setor ofensivo. A contratação foi confirmada pelo presidente do clube, Warton Lacerda.

“O atacante Ronny está confirmado no elenco. A contratação foi realizada em comum acordo entre o Ricardo (Diretor de Futebol) e o treinador. Os outros nomes devem ser liberados somente no dia 20 desse mês, quando confirmamos o nome do técnico”, conta Warton Lacerda.


Ronny chegou a disputar a Libertadores pela equipe do Botafogo (Foto: Divulgação)

Ronny, de 26 anos, tem passagens pelo Remo, onde disputou a Série C do Brasileiro esse ano; Cuiabá, Náutico, Confiança, Botafogo (RJ) e Palmeiras (SP). O atacante, natural do Mato Grosso, atua como meia ofensivo e atacante de ponta. Além dele, o nome do lateral-esquerdo, Wesley, de 25 anos, também foi confirmado pela diretoria. Em 2014, o atleta chegou a disputar a Libertadores pela equipe do Botafogo.

Wesley atuou no futebol piauiense durante toda temporada de 2017, vestindo a camisa do River. De acordo com Warton, outros nomes que passaram pelo futebol do Estado estão sendo negociados e podem aparecer na lista. “É um atleta que vestiu bem a camisa do River. Nós acreditamos que ele pode fazer isso também no Altos. Podem aparecer outros nomes que estavam por aqui, mas estamos tendo toda cautela nessas contratações”, ressaltou o presidente.

A equipe do Altos é a única do Estado com calendário completo para temporada 2018. O time disputa o Piauiense, em que é atual campeão, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série D do Brasileiro.

11 de outubro de 2017

Médico anuncia tumor benigno, e Roger se emociona: "Estou curado"

Em coletiva de imprensa, atacante do Botafogo comenta problema de saúde, diz que volta aos treinos em 30 dias e ainda quer jogar no Campeonato Brasileiro

Quatro dias após a cirurgia para a retirada de um tumor no rim direito, Roger, do Botafogo, convocou uma coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira, no hospital Samaritano, na Barra da Tijuca. Emocionado, o atacante falou abertamente sobre a doença e comemorou o resultado da biópsia, revelado pelo médico Raphael Rocha:

- No último domingo fizemos a remoção da lesão. Hoje conseguimos ter o resultado patológico final e evidenciamos um tumor de comportamento benigno. Não faremos nenhum tratamento e a expectativa é que ele esteja curado - disse.

Com a aparência tranquila, Roger agradeceu a todas as mensagens de carinho que recebeu nos últimos dias e falou sobre "o memento mais difícil que passou na vida".

- Primeiramente quero agradecer a Deus porque mais uma vez ele mostrou o carinho que tem por todos nós. Doutor, quero agradecer ao senhor, obrigado. Me emociono, pois foi o momento mais difícil da minha vida. Queria falar curado. Quero agradecer a todos, o povo brasileiro, atletas, treinadores. Sou um cara que sempre luto para esse futebol sem diferenças. Posso dizer que estou curado, e em 30 dias estarei treinando no Botafogo.

Ao lado do médido Raphael Rocha, urologista especializado e responsável pela cirurgia robótica realizada, o jogador se mostrou muito confiante na recuperação e, assim, não descartou voltar aos gramados ainda em 2017.

- Quem sabe eu até consigo diputar os últimos jogos do campeonato? Só de treinar já me deixa feliz. Meu objetivo é jogar contra o Cruzeiro. Não quero dizer que jogarei, mas é um objetivo.

Carreira política vira objetivo para ajudar as pessoas com câncer

O susto fez Roger repensar o futuro. O desejo de virar treinador acabou sendo substituído para o de se tornar político. O objetivo do atacante é poder ajudar as pessoas que não têm as mesmas condições de tratamento que ele teve nos últimos dias.

- Na verdade, eu estou com umas ideias para o futuro e algumas coisas mudaram. Eu quero fazer algo para esse país. Estou repensando a carreira de treinador para ir para uma política. Pensei muito nisso para ajudar essas pessoas, que precisam ser diagnosticadas antes. Fui curado porque tive médicos excelentes e as pessoas precisam ter isso. Tem gente esperando seis meses para fazer o exame do câncer de mama. Eu vou estar muito ligado nisso.

Confira outras declarações de Roger na coletiva:

A doença

No início foi aquele choque. Eu tinha jogado domingo... Uma dor ruim do meu lado esquerdo, procurei o médico e quando descobri um tumor no rim.... A primeira reação foi de muito choro, de dor até porque não sabíamos como era. Mas sinceramente... É a segunda vez que eu choro. A primeira foi quando meus pais choraram.

Apoio

Não tenho palavras para agradecer. Recebi mais de 500 mensagens, quase todos os treinadores me ligaram, jogadores de Seleção, clubes mandando mensagem... Foi algo maravilhoso. Claro que assusta, mas vi como sou querido e vale ter essa personalidade. Quero só agradecer. Minha palavra hoje, como diz o Dudu Cearense, é gratidão.

Questionamento

Cheguei a comentar com o doutor... Vivo a melhor fase da minha vida, estou vivendo um sonho de um grande atleta que é classificar um time como o Botafogo para a Libertadores. Sou um cara privilegiado, tenho uma família linda, sou um atleta de alto nível e seria injusto reclamar com Deus.

Jogadores do Botafogo

Vocês não têm conhecimento, mas estive com eles antes da cirurgia. Agradeci o apoio de todos. Disse que não queria jogar a Pré-Libertadores ano que vem, mas a vaga na fase de grupos (risos). A gente tem que dar esse retorno ao nosso treinador. Isso também é merecedor para o Jair Ventura. Alguns até choraram, mas eu disse que estaria de volta.

Próximos passos

Agora é descansar, aproveitar minha esposa e filhos. Nunca tiveram tanto tempo comigo. Tirar um tempo para jantar com a família. Voltar forte.

Renovação de contrato com o Botafogo

Sempre disse que queria permanecer no clube. Já se iniciou uma conversa. Agora minha saúde está na frente, mas acho que deve caminhar nos próximos dias para a gente continuar.

Roger não precisará fazer quimioterapia e nem radioterapia por ter descoberto o tumor ainda em fase inicial. O tamanho pequeno, entre 3 e 4 cm, e a localização, no polo inferior, perto da extremidade do rim, facilitaram a cirurgia.

Roger é o principal goleador do Botafogo no ano. Em 49 jogos, marcou 17 gols. O centroavante ganhou projeção por se destacar nos clássicos estaduais. Foram oito gols contra os três principais rivais do alvinegro no Rio de Janeiro. Ele tem contrato com o Alvinegro só até 31 de dezembro, mas já negocia uma renovação.

Protesto na frente do COB pede por "Diretas Já' e novas eleições

Cerca de 10 placas foram produzidas, todas pedindo que os atletas tenham direito a votar em eleição direta.

Cerca de 15 pessoas estão desde as 13 horas desta quarta-feira em frente à sede do Comitê Olímpico do Brasil (COB), na Barra, repetindo um único mantra: “Diretas Já”. O grupo, liderado pelo ex-nadador olímpico e ex-secretário nacional de Alto Rendimento Djan Madruga, quer que presidente e vice do COB renunciem e que seja convocada uma eleição direta para escolher a próxima diretoria.

Cerca de 10 placas foram produzidas, todas pedindo que os atletas tenham direito a votar em eleição direta do COB e uma “intervenção” dos atletas. Carlos Arthur Nuzman, preso na Operação Lava Jato e que segue atrás das grades, foi eleito para seu quinto e último mandato em 2016. Ele não pode mais se reeleger, a não ser que o COB abra mão de receber recursos públicos – o que obviamente não vai acontecer.

Depois de ser preso, Nuzman apresentou uma carta pedindo afastamento do cargo, de forma que Paulo Wanderley, ex-CBJ, é quem preside o COB interinamente, ao menos até o começo desta tarde. A assembleia marcada para 14h30 em primeira chamada pode mudar esse cenário.

O grupo liderado por Djan Madruga e pelo também ex-nadador olímpico Luiz Lima, que começou o ano como secretário nacional de Alto Rendimento, no Ministério do Esporte, quer que os presidentes de confederações alterem dois artigos do estatuto do COB. Juntos, eles permitiriam as eleições diretas.

A proposta dos ex-nadadores e de pessoas ligadas às federações cariocas de natação e tênis ainda não está fechada. Eles querem que os atletas possam votar em peso na eleição do COB, não apenas por meio de uma comissão de atletas, hoje pouco ou nada representativa. Mas não é consenso se votariam todos os atletas olímpicos, por exemplo, ou se o colégio eleitoral seria ainda mais amplo.

EUA perdem de lanterna, resultados não ajudam, e americanos estão fora da Copa

Trinidad e Tobago vencem e tiram Estados Unidos do Mundial por causa de vitória com gol polêmico do Panamá, que garante vaga na Rússia, e triunfo de Honduras, que vai à repescagem.

Nada deu certo para os Estados Unidos nesta terça-feira, a começar pelo próprio desempenho de seu time. Jogando fora de casa, o time americano foi derrotado pela lanterna Trinidad e Tobago por 2 a 1. Para aumentar o drama, o Panamá bateu a Costa Rica por 2 a 1, com direito a um gol para lá de polêmico em que a bola não entrou, subiu para o terceiro lugar e garantiu a inédita vaga na Copa. O golpe final foi Honduras superar o México para conseguir ir à repescagem contra a Austrália. No quarto lugar das eliminatórias da Concacaf, os EUA estão fora do Mundial pela primeira vez desde 1990.

Com México e Costa Rica já garantidos na Copa, os Estados Unidos começaram a rodada na terceira posição, garantindo a última vaga da Concacaf. Mas, com apenas 16 minutos de jogo contra a lanterna do hexagonal final, Omar González foi tentar o cruzamento baixo de Alvin Jones, mas acabou chutando para trás, encobriu Tim Howard e fez um gol contra. A situação americana ficou ainda pior aos 35, quando Jones apareceu outra vez, soltando uma pancada de longe para fazer 2 a 0. Pulisic descontou logo no primeiro minuto da segunda etapa, e os EUA foram para cima, mas não conseguiram o empate que garantiria a vaga na Rússia. Restava torcer.


Foto: Reprodução ESPN Brasil

Na Cidade do Panamá, Johan Venegas abriu o placar para a visitante Costa Rica, que foi para o intervalo vencendo por 1 a 0. Mas os anfitriões ganharam esperança aos oito do segundo tempo com um gol para lá de polêmico. Depois da cobrança de escanteio, Gabriel Torres desviou, Blás Pérez foi derrubado na área por Calvo, tentou cabecear mesmo caído, a bola bateu na trave, e a defesa afastou em cima da linha, mas o árbitro apontou para o bandeirinha e deu gol para os donos da casa, de Torres, mesmo sem a bola ter entrado. O sofrimento dos torcedores locais durou até os 43 do segundo tempo. Tejada escorou de cabeça, Roman Torres ganhou na velocidade e chutou forte para fazer 2 a 1. Pela primeira vez em sua história o Panamá vai a uma Copa do Mundo.

No último jogo da noite a terminar, o México chegou a ficar em vantagem duas vezes, com gols de Oribe Peralta e Carlos Vela, e foi para o intervalo vencendo por 2 a 1. Mas Honduras empatou de maneira curiosa aos nove minutos quando o chute de Hernandez bateu no travessão, voltou na cabeça de Ochoa e entrou. E, seis minutos depois, Quioto fez o gol da virada que levou Honduras para a repescagem contra a Austrália.

Tite põe seleção brasileira entre favoritas para a Copa da Rússia-2018

O técnico também afirmou que o grupo não está fechado para a Copa do Mundo e disse estar contente com o futebol apresentado pela equipe.

Após encerrar as eliminatórias sul-americanas com dez vitórias e dois empates, Tite deu a entender que não deve perder muito tempo com testes nos próximos oito meses ao afirmar que uma das prioridades de seu planejamento é consolidar a equipe para a Copa do Mundo.
"Não tenho a capacidade de projetar o que vai ser ali na frente. Tenho que fazer dos jogos e oportunidades o crescimento do time. Pelo pouco tempo, não sei o limite. Mas cada oportunidade vai se mostrando. Comigo vai ter correção do erro, valorização do acerto e combustível para crescer. Até onde? Não sei. Gostaria de enxergar mais, experimentar mais. Mas tenho um dilema: ou fortalece em grandes jogos, ou fica testando em demasia. Pelo pouco tempo, a escolha é pelo fortalecimento", disse o treinador após a vitória da seleção brasileira sobre o Chile por 3 a 0.
O técnico também afirmou que o grupo não está fechado para a Copa do Mundo e disse estar contente com o futebol apresentado pela equipe.
"O futebol que a equipe está apresentando me deixa feliz. Tenho que reconhecer que o grupo de atletas está apresentando um bom futebol. Uma troca de passes para depois verticalizar. Uma marcação por zona [bem feita]", acrescentou o treinador, que coloca a equipe como uma das favoritas ao título do Mundial da Rússia.


O técnico também afirmou que o grupo não está fechado para a Copa do Mundo e disse estar contente com o futebol apresentado pela equipe (Créditos: Rafael Ribeiro / CBF)

"O Brasil é um dos favoritos pelo futebol apresentado, pelo nível. A França está muito forte e a Alemanha teve 100% de aproveitamento".
Tite afirmou também que temeu perder algum jogador expulso durante o duelo contra o Chile. Caso algum atleta recebesse o cartão vermelho, desfalcaria a seleção brasileira na estreia da Copa do Mundo. Philippe Coutinho e Neymar, por exemplo, foram punidos com o cartão amarelo.
"O cartão amarelo [do Neymar] eu quero ver de novo. Para mim, ele foi proteger. Ele abriu o braço no sentido de proteção normal. Temi, sim. Chamei a atenção do Paulinho, do Gabriel Jesus. O que aconteceu no intervalo a gente sabe", disse Tite, citando que alguns jogadores foram provocados pelo volante Medel.
"A gente tem que saber absorver essas situações todas.A mãe dele [Medel] e a minha mãe não merecem [em caso de ofensas]. Vejo todos muito conscientes, um processo de maturidade da equipe", completou.

Messi marca três, Argentina impede vexame e garante vaga na Copa

O craque evitou que o drama com o gol de Romario Ibarra logo no início da partida se transformasse em tragédia

Messi pode não ser na Argentina o mesmo do Barcelona, mas, ao menos nesta terça-feira, mostrou com a camisa azul e branca por que é considerado um dos melhores da história. Sob a pressão de poder protagonizar um dos maiores vexames do futebol do país, chamou a responsabilidade mesmo depois do surpreendente gol relâmpago do Equador e comandou a vitória por 3 a 1, em Quito, ao marcar os três gols salvadores que garantiram o passaporte argentino para a Copa do Mundo.

O craque evitou que o drama com o gol de Romario Ibarra logo no início da partida se transformasse em tragédia. Mesmo com uma Argentina novamente apática e sofrendo com as escolhas erradas do técnico Jorge Sampaoli, assumiu o papel de líder. Jogou praticamente sozinho, mas com tanta qualidade técnica, era o suficiente para superar um Equador em frangalhos.

Os três gols de Messi e a vitória na altitude de Quito levaram a Argentina a 28 pontos, ficando com a terceira vaga direta da América do Sul para a Copa da Rússia. Para o craque, o desempenho pode ter significado ainda a afirmação total com a camisa argentina, após tantas críticas e questionamentos de seus compatriotas.

Além da Argentina, já estão garantidos na Copa: o Brasil, o Uruguai e a Colômbia na América do Sul; a Nigéria e o Egito, na África; Irã, Japão, Coreia do Sul e Arábia Saudita, na Ásia; Bélgica, Espanha, Alemanha, Inglaterra, França, Islândia, Portugal, Sérvia e Polônia, na Europa; e México e Costa Rica, na Concacaf. País-sede, a Rússia também está garantida.

Só que bem ao estilo argentino, a vaga não veio sem drama. Não bastasse a péssima campanha nas Eliminatórias, no último episódio desta trajetória, precisando do triunfo para não cair precocemente, a seleção foi surpreendida segundos após a bola rolar. Mascherano não conseguiu afastar o perigo, Mercado cochilou e o ataque equatoriano aproveitou. Romario Ibarra tabelou de cabeça com Ordoñez e tocou na saída de Romero para abrir o placar.

O golpe deixou a Argentina atônita, quase entregue. Se tivesse forçado, o Equador poderia ter até feito o segundo, tamanha a confusão no sistema defensivo adversário, que proporcionou outra ótima chance perdida por Ordoñez logo aos cinco minutos. Desta vez, o ataque equatoriano desperdiçou.

Só que antes que a tragédia fosse estabelecida, Messi tratou de resolver. Aos 11 minutos, ele arrancou pela esquerda, tabelou com Di María e apareceu sozinho dentro da área. Com a calma que lhe é peculiar, finalizou por baixo do goleiro para empatar.

O ataque da Argentina começava a encontrar muito espaço pela esquerda, e nos pés de Messi, isso seria fatal. Aos 15, ele recebeu com liberdade e bateu em cima de Banguera. Mas aos 19, aproveitou cochilo de Aimar na saída, roubou a bola e encheu o pé da entrada da área, no ângulo do goleiro, que nada pôde fazer.

Os gols de Messi davam à Argentina o resultado necessário, mas não cessaram os erros defensivos. Mascherano, em dia irreconhecível, Otamendi e Mercado acumulavam trapalhadas no setor e assustavam o já desesperado torcedor visitante. No início da segunda etapa, Mercado chegou a escorregar a metros do gol de Romero, mas Romario Ibara foi travado na hora de bater.

Foi então que a genialidade de Messi voltou a resolver. Aos 17 minutos, o craque recebeu com liberdade na intermediária, arriscou bem a seu estilo, cortou o zagueiro e chutou colocado da entrada da área, por cobertura. Um golaço para tranquilizar todo o país e dar ao craque do Barcelona a chance de brigar pelo inédito título da Copa.

Com Gabriel Jesus artilheiro, Brasil vence Chile no fim das eliminatórias

O gol marcado nos acréscimos veio após uma falha do goleiro chileno Claudio Bravo.

A vitória brasileira sobre o Chile por 3 a 0, que começou após uma falha do goleiro Claudio Bravo, no início do segundo tempo, consagrou o atacante Gabriel Jesus artilheiro do Brasil nas eliminatórias para a Copa da Rússia.
Por causa do gol marcado nos acréscimos da partida, o terceiro, Jesus pulou na frente de Neymar e de Paulinho na artilharia do time brasileiro. O ex-atacante do Palmeiras marcou sete vezes, contra seis de Neymar e de Paulinho.
Foi a despedida do Brasil dos gramados brasileiros antes do mundial.
Depois de um primeiro tempo sem ousadia do Brasil, o goleiro chileno, aos 9 minutos do segundo tempo, soltou uma bola defensável, após Daniel Alves cobrar uma falta de longe, da intermediária chilena. Paulinho, na corrida, apenas desviou para o gol e abriu o marcador.
A seleção do Chile, não podendo perder para não ficar fora da Rússia-18, o que acabou ocorrendo, se desestabilizou após sofrer o primeiro gol no Allianz Parque.
Três minutos depois do gol de Paulinho, um contra-ataque rápido do Brasil chegou até Neymar. Dentro da área, eles apenas empurrou para Gabriel Jesus, que apenas rolou para o gol vazio.


Gabriel Jesus marcou dois gols contra o Chile (Foto: Gazeta Press)

Jesus, que voltou a sua casa, como ele mesmo disse antes do jogo, foi um dos mais aplaudidos em campo pelos torcedores que estiveram no campo do Palmeiras.
Ele ainda fez o seu segundo gol no jogo, após todo o time do Chile, inclusive o goleiro, ir ao ataque no último minuto do jogo. O Chile queria fazer um gol ao menos para ainda ter chances de ficar com uma das vagas à Rússia-2018.
O jogo do Brasil em São Paulo bateu recorde de público e de arrecadação. Estiveram no estádio 41.008 o que gerou uma renda de R$ 15.118.391,02.
Com a vitória, está mantido um tabu. O Brasil nunca perdeu para o Chile em jogos pelas eliminatórias jogando em casa. Agora, são 22 vitórias e 5 empates. Em um dos últimos jogos para na preparação para a Copa de 1970, o Brasil goleou o Chile no Pacaembu por 5 a 0.

Brasil
Ederson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro; Philippe Coutinho (Roberto Firmino), Paulinho, Renato Augusto (Fernandinho) e Neymar (Willian); Gabriel Jesus. T.: Tite

Chile
Claudio Bravo; Mauricio Isla, Gary Medel, Gonzalo Jara e Beausejour; Aránguiz (Pulgar), Fuenzalida (Édson Puch), Pablo Hernández (Paredes) e Valdivia; Alexis Sánchez e Eduardo Vargas. T.: Antônio Pizzi

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo
Juiz: Roddy Zambran (EQU)
Cartões amarelos: P. Coutinho e Neymar (BRA); Alexis Sánchex e Maurico Isla (CHI)
Gols: Paulinho (BRA), aos 9 minutos, e Gabriel Jesus (BRA), aos 11 minutos e aos 47 minutos do segundo tempo

Boxes de crossfit incentivam reeducação alimentar

O whole não é uma dieta especifica e, sim, um desafio proposto pelos boxes de crossfit do Brasil inteiro que tem como proposta principal massificar a ideia de uma boa alimentação.

Você já deve ter ouvido falar no programa de nutrição chamado Whole30. A dieta propõe uma reeducação alimentar em 30 dias. O programa foi abraçado pela atividade física crossfit e hoje consiste em desafio que reúne boxes de todo o Brasil. Com isso, a dieta une prática de atividades físicas e 30 dias de alimentação rigorosa, que no caso, se torna 80% do desafio. Em Teresina, alguns boxes estão participando do programa entre eles Terminal 1 e PS Crossfit.

O whole não é uma dieta especifica e, sim, um desafio proposto pelos boxes de crossfit do Brasil inteiro que tem como proposta principal massificar a ideia de uma boa alimentação. De acordo com o nutricionista André Felipe, a intenção é fazer com que whole deixe uma herança na vida de quem fez o desafio. “É um estilo de vida. Transcende a ideia de uma dieta. No que consiste o whole? A regra básica é isentar todo e qualquer consumo de alimento industrializado. Você tem que primar por alimentos naturais, sem a intervenção humana”, frisa André.


A dieta une prática de atividades físicas e 30 dias de alimentação (Foto: Jailson Soares/O Dia)

A base do whole é a chamada dieta paleolítica, que tem os nossos ancestrais como referência usando apenas carnes, frutos e sementes na alimentação. Marcus Nunes, atleta e instrutor fala sobre a importância de unir alimentação e atividade física como uma forma de motivar os participantes. “O esporte junto com esse programa traz uma motivação maior para eles adquirirem uma forma de vida mais saudável”, conta Marcus, que esse ano tem 180 alunos/atletas participando do whole 30.

Entre os alunos que decidiram aceitar o desafio está Raimundo Neto, que treina crossfit há dez meses e, desde então, perdeu 13kg. Ele destaca algumas das dificuldades nos primeiros dias, mas afirma que tudo é questão de adaptação. “Você precisa se abdicar de muita coisa e coisas que estão enraizadas na nossa cultura como o açúcar, que é zero na dieta. A famosa cervejinha aos fins de semana. Estou com dez dias de dieta e já sinto o corpo mais leve e melhor rendimento nos treinos”, ressalta Raimundo.

O desafio whole 30 teve início no dia 1° de outubro e encerra dia 30 de outubro quando é refeita as medições, peso e fotos de todos que participam do desafio e analisado os resultados.

10 de outubro de 2017

Cruzeiro avalia opções para possível saída de Mano Menezes

Apesar dos bons resultados de Mano à frente do clube, a diretoria do Cruzeiro deu carta branca

A diretoria do Cruzeiro espera sacramentar a permanência de Mano Menezes até a próxima sexta-feira (13), mas já se resguarda em relação a uma possível negativa do treinador.
Wagner Pires de Sá, presidente eleito em 2 de outubro, não esconde de ninguém que o seu desejo é manter o técnico que conduziu o clube ao pentacampeonato da Copa do Brasil. No entanto, deu carta branca para Itair Machado, novo homem forte do futebol, fazer uma lista com possíveis substitutos para o gaúcho.
Dois nomes são cotados nos bastidores do Cruzeiro em caso de negativa do comandante. Abel Braga e Levir Culpi são os favoritos.
Um "não" de Mano faria a diretoria iniciar conversas com os técnicos que atualmente defendem Fluminense e Santos, respectivamente. Um agente próximo a Itair Machado confirmou o plano ao UOL Esporte.


Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

O histórico de títulos e a facilidade para lidar com elenco recheado de estrelas, como o atual plantel da Raposa, contam a favor da dupla.
Os dirigentes do Cruzeiro ainda não abriram tratativas com a dupla. Eles são tidos como alternativas viáveis em uma possível saída de Mano, sobretudo o comandante do time das Laranjeiras. O mau momento da equipe carioca faz com que Abel seja considerado um alvo mais fácil.
Embora já prepare uma lista de prováveis nomes, o Cruzeiro segue em busca da manutenção de Mano Menezes. O plano A do clube é segurar o técnico que está na Toca da Raposa desde julho de 2016.
O contrato do gaúcho com o clube se encerra em dezembro de 2017. Liberado para tratar um problema de saúde, o treinador volta às atividades na próxima sexta. Ele é aguardado pela cúpula para iniciar as conversas visando a renovação contratual.

São Paulo vai convocar reunião para diretor esclarecer mesada

O presidente do Conselho Deliberativo do clube deve analisar a petição e convocar a reunião em até 30 dias.

Os bastidores políticos do Morumbi continuam agitados. Grupos de oposição do São Paulo protocolaram nesta terça-feira (10) um pedido de reunião extraordinária. A ideia é que o diretor executivo de futebol, Vinicius Pinotti, esclareça a sua relação com o ex-gerente de marketing, Alan Cimerman, e as mesadas que foram dadas a ele entre entre abril de 2016 e fevereiro de 2017.
"Foi uma iniciativa de alguns grupos da oposição, com o intuito de esclarecer notícias veiculadas pela imprensa do envolvimento de Alan Cimerman com o São Paulo, e pretendemos fazer isso dentro das normas do novo estatuto", disse o conselheiro Dorival Decoussau.
Segundo o estatuto do clube, o presidente do Conselho Deliberativo deve analisar a petição e convocar a reunião em até 30 dias. Para tanto, é necessário que o documento entregue nesta terça-feira tenha ao menos 50 assinaturas de conselheiros - de acordo com a oposição, mais de 55 assinaturas foram colhidas. Essa é a segunda petição feita nesta ano pela oposição. O presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e Pinotti já falaram sobre a demissão do técnico Rogério Ceni.


Vinicius Pinotti, diretor do São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

"Ainda não tive acesso a tal documento. Caso não tenha problemas formais e atenda ao previsto no estatuto são 30 dias para marcar a reunião", afirmou Pupo.
De acordo com os documentos obtidos pelo UOL Esporte, Pinotti, então diretor de marketing na época dos pagamentos, transferiu ao menos R$ 54.600,00 para o antigo funcionário. De acordo com as notas fiscais, os depósitos foram feitos pelo diretor à empresa Team Spirit, de Cimerman, no valor de R$ 9.100,00 cada.
Cimermam foi demitido por justa causa em agosto pelo suposto envolvimento em um esquema de venda irregular de ingressos e camarotes nos shows de U2 e Bruno Mars, que serão realizados no Morumbi em outubro e novembro. O caso está sendo apurado pela polícia e o São Paulo calcula que os compradores foram lesados em ao menos R$ 2 milhões. Pinotti, vale destacar, deixou o marketing para assumir o futebol em abril e não há nenhuma comprovação de que ele estivesse envolvido no esquema. Não há, da mesma forma, nenhuma indicação que o pagamento mensal a Cimerman tenha a ver com algum ato ilícito no marketing são-paulino.

Exigente, São Paulo não vê derrota da seleção brasileira há 54 anos

A última derrota no país ocorreu no estádio do Morumbi em 13 de abril de 1963, quando o Brasil perdeu por 3 a 2 da Argentina.

Há mais de 50 anos, o Brasil não perde um jogo em São Paulo, apesar de a torcida paulistana sempre ser considerada difícil por jogadores e pela própria CBF.
A última derrota no país ocorreu no estádio do Morumbi em 13 de abril de 1963. O Brasil perdeu por 3 a 2 para a Argentina. O técnico era Aymoré Moreira e o ponta esquerda Pepe fez os dois gols da seleção brasileira.
Na noite desta terça-feira (10), pela primeira vez na história, o Allianz Parque, do Palmeiras, vai receber um jogo oficial da seleção.
Mesmo sem perder em um dos gramados paulistanos usados pela seleção há várias décadas, existem exemplos que mostram o conflito entre o Brasil e a torcida de São Paulo, tanto em jogos oficiais quanto em amistosos.


Foto: Lucas Figueiredo/ MoWa Press/ via CBF

Em abril de 2000, o Brasil recebeu o Equador pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2002. O técnico ainda era Vanderlei Luxemburgo.
A torcida, descontente com a ausência de Romário, não apenas vaiou time e técnico como arremessou bandeirinhas no campo de jogo. A seleção ganhou por 3 a 2. Há sete anos, por decisão da CBF, o time brasileiro não atuava em solo paulista.
Bairrismo
Em 1982, outra vez no Morumbi, o Brasil empatou em 1 a 1 com Tchecoslováquia.
Telê Santana escalou o carioca Roberto Dinamite para jogar e uma vaia bairrista ecoou pelo estádio do Morumbi. Careca e Serginho Chulapa, ambos paulistas, eram os preferidos da torcida no estádio.
Na Copa do Mundo de 1950, um empate difícil no Pacaembu. Brasil sofreu para ficar no 2 a 2 com a Suíça. O que fez o time mudar na sequência do campeonato.
Mas também houve vitórias. Em um dos últimos jogos antes da campanha histórica para o México em 1970, o Brasil goleou o Chile por 5 a 0 no estádio do Pacaembu.
O primeiro jogo do Brasil em São Paulo, em 1922, ocorreu no Palestra Itália, campo que virou o Allianz Parque, que será usado hoje. O Brasil ganhou da Argentina: 2 a 1.

Pretendendo ficar no Verdão, Egídio agradece Cuca por volta por cima

Agora, Egídio vive novos dias sem jogos, mas, desta vez, não porque Cuca o preteriu.

Egídio parece ter se consolidado novamente como titular do Palmeiras. Recebendo uma nova sequência do técnico Cuca, o jogador correspondeu e, inclusive, marcou o gol da vitória de sua equipe contra o Fluminense, em pleno no Maracanã, após um verdadeiro cálvario. Renovado, ele valorizou a maneira como o treinador alviverde lidou com seu momento difícil no clube e garantiu que pretende seguir no Verdão, embora esteja em fim de contrato.

"O papel do Cuca foi fundamental, eu ter dado a volta por cima é muito por mérito dele também. Se eu não tivesse demonstrado nos treinamentos… não baixei a guarda. Como eu cheguei bem aqui no Palmeiras, não queria ir embora pelas portas de trás. Sei que o contrato está vencendo, mas não decidimos, tenho vontade de ficar. Me comprometi em casa, com a minha família, de dar a volta por cima. Foi principalmente nesse período que me dediquei, me concentrei, para dar a volta por cima. Continuo desse jeito, não parei por aqui, quero mostrar muito mais do que mostrei nesses últimos jogos", disse Egídio.

Loading ad

Bode expiatório na eliminação do Palmeiras na Libertadores, Egídio ainda tenta superar a grande resistência da torcida. Responsável por desperdiçar a cobrança decisiva nas penalidades, contra o Barcelona de Guayaquil, o lateral-esquerdo, logo em seguida, perdeu a posição e assistiu do banco de reservas sua equipe enfrentar o Vasco, a Chapecoense e o São Paulo.

Agora, Egídio vive novos dias sem jogos, mas, desta vez, não porque Cuca o preteriu. Por conta da pausa para a disputa das Eliminatórias Sul-Americanas, o Palmeiras teve 15 dias para trabalhar visando o duelo contra o Bahia, e o lateral comentou sobre essa pequena intertemporada.

"Sempre a gente quer estar jogando, ainda mais quando soubemos que ficaríamos 15 dias sem jogar. Então, a gente fica meio chateado com essa questão. O importante é a gente se cuidar para quando chegar o momento de voltar, a gente estar em alto nível, poder jogar em prol do Palmeiras", completou o camisa 6.

Entre alívio e o destino de Messi: Argentina pega o Equador para ir à Copa

Um dia que argentinos nunca pensaram viver, equipe de Sampaoli luta contra seca de gols buscar vitória que evitaria vergonha. Uruguai recebe Bolívia para confirmar vaga, e Paraguai tenta milagre

Avião sem asa. Fogueira sem brasa. Futebol sem bola. Mundial sem Messi. Mundial sem Messi? Pode uma Copa do Mundo não ter aquele que faz história a cada fim de semana, a cada quartas e terças, às 15h45, com as cores azul e grená? Será preciso esperar oito anos para ver Messi de novo em uma Copa? E se ele resolver abandonar a seleção de vez, já era? Contra essas dúvidas, contra a possibilidade de um vexame histórico, contra qualquer fantasma e, sobretudo, contra o Equador, a Argentina entra em campo nesta terça-feira, às 20h30 (de Brasília), no estádio Olímpico Atahualpa, para ir à Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Jorge Sampaoli convive com uma única conta: é necessário ganhar para, ao menos, garantir uma vaga na repescagem contra a Nova Zelândia. Com 25 pontos, a Argentina tem o trunfo do confronto entre Peru e Colômbia nesta última rodada. A Colômbia é a quarta, com 26 pontos, e o Peru tem 25, em quinto. Caso vençam, os argentinos estão, pelo menos, na repescagem. Os critérios de desempate são, em ordem: saldo de gols, gols marcados e confronto direto. No momento, os peruanos estão à frente dos argentinos no número de gols. Ambos estão empatados no saldo. E o treinador vai pela vitória, custe o que custar.

"Para mim, o mais importante é o resultado. Sei que se vai chegar a esse resultado com uma forma definida em haja a chance. Vou ficar feliz se a equipe ganha uma partida mesmo que não mereça porque já perdemos pontos que merecíamos. Creio que os argumentos da equipe estão muito relacionados com o que sinto. Espero que se consiga a classificação, porque Argentina merece largamente. Vejo equipes que estão à frente sem merecer",  analisou.

A verdade é que a campanha dos Hermanos até o momento é medíocre. Desde que as eliminatórias assumiram o atual formato, a única vez que chegaram à última rodada com campanha semelhante foi para a Copa de 2010, quando tinham os mesmos 25 pontos, mas estavam em quarto. Para os Mundiais de 1998 e 2014, o torneio qualificatório teve dois jogos a menos – o Brasil não participou. Ainda há o agravante da falta de gols. Nunca a Argentina balançou tão pouco as redes nas eliminatórias. Tem apenas 16 gols em 17 jogos, ataque que só não é pior que o da lanterna Bolívia.

Mas nada disso abala a confiança de Jorge Sampaoli, que ainda não obteve uma vitória em um jogo oficial pela seleção argentina. Sequer viu um jogador seu marcar um gol que não seja por um amistoso. O único feito até agora foi contra, no empate por 1 a 1 com a Venezuela. Após o 0 a 0 contra o Peru, o treinador sacramentou: vão ganhar do Equador. O jornal "Olé" se apegou a uma piscada de Messi antes do treino desta segunda para mostrar que o time está otimista. Campeões mundiais em 1986, Óscar Ruggeri e Burruchaga estão com a delegação no Equador. Não há espaços para erros.

"O grande impedimento que temos hoje está vinculado com o desejo desmedido dos jogadores de ir ao Mundial. O temos tão incorporado que isso joga contra. Se não pensarem tanto, haveria tranquilidade e paciência para ser quem somos. Estamos falando muito para que toda a aplicação que têm até o último terço em que se geram tantas chances tenham a clareza e confiança", disse Sampaoli.

Na véspera do confronto decisivo com os equatorianos, o técnico disse que mantém dúvidas. É provável que ele mude o esquema novamente. O treinador nunca repetiu a escalação desde que assumiu e varia de sistema de jogo a cada partida. Desta vez, passará do 4-2-3-1 utilizado na Bombonera, diante do Peru, para o provável 3-4-2-1. Fazio e Rigoni entram, Banega e Acuña saem. Mascherano passa para o meio-campo.

Os argentinos encerraram a preparação para o jogo em Guayaquil, no litoral equatoriano, e vão para Quito na manhã desta terça. A estratégia visa minimizar os efeitos dos 2,8 mil metros de altitude da cidade. O Equador é o adversário ideal para a Argentina. Tem cinco derrotas seguidas, vive crise institucional após a saída do técnico Gustavo Quinteros, perdeu o artilheiro Caicedo, que renunciou à seleção, e tem um argentino à sua frente. Jorge Célico comanda a equipe.

Técnico brasileiro muda relação da seleção brasileira com fãs

Enquanto as demais seleções sul-americanas se dividem entre eliminadas e ainda aspirantes a uma posição no Mundial, o Brasil vive confortável com sua vaga garantida na Rússia há três partidas

A última partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo, nesta terça-feira (10), às 20h30 (de Brasília), confirma quem é o protagonista da seleção brasileira. Do banco de reservas no Allianz Parque, o treinador Tite comanda o Brasil diante do Chile com a vaga assegurada no Mundial e decisões respaldadas pelo grupo de atletas, CBF, torcida e boa parte da crítica.

Enquanto as demais seleções sul-americanas se dividem entre eliminadas e ainda aspirantes a uma posição no Mundial, o Brasil vive confortável com sua vaga garantida na Rússia há três partidas. Esse status, além de dar tranquilidade, também permite ao treinador impor ideias sem grandes questionamentos internos.

Diante de um grupo de atletas que ainda tem vários pretendentes a uma convocação para a Copa, Tite prefere a manutenção da mesma equipe. Contra o Chile, o último jogo oficial antes da estreia na Rússia, o único efetivamente a receber essa oportunidade é o goleiro Ederson. Alex Sandro se mantém na lateral, mas só porque Marcelo e Filipe Luís estão lesionados. Uma chance no Mundial para ele é algo remoto no momento, salvo problema com a dupla que domina a posição.

Com duas vitórias nas cinco partidas disputadas desde que a vaga ao Mundial foi assegurada, Tite sabe que sua equipe ainda precisa se fortalecer coletivamente e encontrar alternativas. Apesar da invencibilidade nas Eliminatórias, o treinador cobra seriedade dos titulares contra o Chile e busca crescimento. Nesse sentido, a principal figura do time tem um papel especial.

Exaltado por Tite a cada entrevista, Neymar recebe atenção do chefe. Antes de duelo contra a Bolívia, o treinador se reuniu com o camisa 10, acompanhado de Daniel Alves, e reforçou que espera dele uma postura de líder técnico do time, mas sereno e sem excessos cometidos em outros momentos. De modo geral, os pedidos têm sido atendidos.

Tite também falou abertamente sobre a briga de Neymar com Cavani no PSG. O treinador brasileiro não tomou partido no episódio e deixou claro que ele passou despercebido pelo ambiente da seleção, mas afirmou ter torcido e vibrado pelas interações positivas de ambos, como um abraço depois de gol do brasileiro contra o Bordeaux, no dia 30 de setembro.

Neymar, por sua vez, afirma pública e internamente que se encanta pelo estilo de comando de Tite, a quem descreve como o melhor treinador com quem já trabalhou, logo após um período de algumas rusgas com Dunga. A abertura para conversar sobre o time é um dos pontos que reforça esse sentimento no craque.

Um episódio importante entre Neymar e Tite foi o uso da tarja de capitão contra o Paraguai, em março, depois de alguns pedidos de Tite ao atacante para que aceitasse voltar à função. Viver em um ambiente sem cartilhas rígidas, embora com regras básicas, é outro item que deixa o camisa 10 à vontade dentro da seleção atual.

São Paulo 

Se no passado já provocou alguns calafrios dentro da CBF, a segunda visita a São Paulo dentro da mesma temporada é outra novidade que vai na direção do atual treinador. A capital paulista sempre foi vista como a torcida mais crítica com a seleção, mas a figura de Tite, ainda que ídolo do rival Corinthians, fortaleceu a escolha para que o jogo fosse na casa do Palmeiras, o Allianz Parque.

Uma festa especial, por ser a despedida entre torcida e jogadores, foi preparada pela entidade, que tem hoje campanha publicitária desenhada para o Mundial com o técnico como figura principal. Se treinadores anteriores como Carlos Alberto Parreira, Zagallo e Luiz Felipe Scolari foram contestados de maneira muito comum por crítica e público, mesmo em bons momentos da seleção, Tite transita com tranquilidade até entre palmeirenses, de modo geral. Ele trabalhou no clube em 2006 e teve boa passagem, ainda que breve.

Para a festa ficar completa para a seleção, porém, uma vitória sobre o Chile será essencial. Admirador do futebol de seu adversário, atual bicampeão da Copa América, Tite não deixou o time tirar o pé nas Eliminatórias e qualquer rumor sobre a eventual eliminação da Argentina para uma vaga ao Mundial passou longe do ambiente brasileiro. Um dos conceitos-chave do treinador é a construção de uma equipe não apenas concentrada nos jogos, mas que faça um jogo limpo sempre que possível.

Apesar da expectativa por testes com jogadores reservas, como o lateral Danilo, os meias Arthur e o atacante Diego Tardelli, novatos mais falados desta convocação, Tite não deu indícios sobre quem poderá ser usado durante um jogo. Uma ideia dele, porém, é testar Fernandinho e Casemiro lado a lado, o que não ocorreu ainda no trabalho do atual treinador.

Piauienses intensificam treinos visando troféu de Atletismo Sub18

O Norte-Nordeste de atletismo sub18 acontece nos dias 14 e 15 de outubro, em Natal, no Rio Grande do Sul. Além dos atletas da AMCOSAJ, o Piauí vai ter representante do CT Piauí e Atlética.

Neste fim de semana acontece o Troféu Caixa Norte- -Nordeste de Atletismo Sub18. A competição será em Natal, no Rio Grande do Norte e o Piauí vai ter 32 atletas disputando medalhas. Entre as equipes com maior número de representantes está a AMCOSAJ, que realiza seus treinamentos no Parque Lagoas do Norte. O time comandado por Sebastião vai ter dez atletas nas pistas. 

O Piauí terá 32 atletas disputando medalhas (Foto: Jaílson Soares/ O Dia)

Entre os destaques está Evandro, corre 100m e 200m, Artemio Welligton, que compete os 800m e 400m, Matheus Alves, no lançamento de dardo. “Artemio é o campeão dos 800m a nível de Brasil e 400m a nível de Piauí. Além deles, outros nomes que estão treinando muito bem e podem surpreender na competição, fora que a maioria já participou de edições anteriores”, ressalta o técnico Sebastião. 
De acordo com o treinador a parte respiratória e de resistência são as mais importantes principalmente para aqueles que disputam provas mais longas. No caso do Matheus, foi trabalho principalmente a parte de lançamento com o dardo especifico da prova e baseado nos resultados recentes tem grandes chances de subir ao pódio. 
Maria do Socorro, de 16 anos, é um dos fortes nomes nas provas mais longas e também vai para seu segundo ano de Norte-Nordeste. Mostrando confiança a garota afirma saber o que vai encontrar por lá e pretende melhorar seu despenho em relação ao ano passado. “Infelizmente no ano passado tive que uma lesão no pé e tive que desistir no meio da prova. Agora estou muito focada, treinando dois períodos para chegar lá fazer meu melhor e baixar meu tempo tanto nos 800m como nos 2000m com obstáculos”, ressaltou a garota. 
O Norte-Nordeste de atletismo sub18 acontece nos dias 14 e 15 de outubro, em Natal, no Rio Grande do Sul. Além dos atletas da AMCOSAJ, o Piauí vai ter representante do CT Piauí e Atlética. 

09 de outubro de 2017

Sancionada lei que pune clubes cariocas por discriminação

Entre as penalidades previstas, estão advertências, multas e até interrupção das partidas

Foi sancionada, pelo governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), lei que prevê punições aos clubes por atos racistas de seus torcedores nos estádios do estado. O novo código, assinado na sexta-feira, foi publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira.

O texto, aprovado no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro em 14 de setembro, aponta aplicação de advertências, multas de R$ 155 a R$ 155 mil e até mesmo a interrupção das partidas. Mas as punições só serão aplicadas caso os clubes não tomem atitudes em relação à discriminação racial por parte das torcidas. Entre as providências esperadas pelos redatores da lei, está a identificação dos envolvidos nos atos.


Lei prevê punições a clubes do RJ por atos racistas dos torcedores (Foto: Reprodução)

A norma é de autoria do deputado licenciado e atual secretário estadual de Esporte, Lazer e Juventude, Thiago Pampolha, e dos deputados Jânio Mendes e Luiz Martins (ambos do PDT).

Uma das emendas autoriza ainda o Executivo a criar o Fundo Estadual de Combate ao Racismo, que poderá receber os recursos das multas. A lei já entra em vigor hoje, mas os clubes terão 60 dias para se adaptarem ao regulamento.

O secretário deve, agora, promover uma reunião com dirigentes de clubes e torcidas organizadas para debater o tema e trabalhar em conjunto, com ações preventivas e de conscientização.

Infantino diz que "será injusto" se Messi encerrar carreira sem vencer uma Copa

Em entrevista ao jornal "La Nación", presidente da Fifa diz que ganha o Mundial quem merece, e acredita que, mesmo que a Argentina não vá para a Copa, "La Pulga" terá outra chance em 2022.

Argentina vive um drama para se classificar à Copa do Mundo da Rússia, e as exibições de Messi sempre são um ponto de destaque nesse turbilhão. No entanto, se depender das expectativas de Gianni Infantino, atual presidente da Fifa, o camisa 10 da Albiceleste pode alcançar mais por seu país. Em entrevista ao jornal "La Nación", o cartola afirmou que será injusto se "La Pulga" terminar a carreira sem conquistar um Mundial.

- Seria injusto. Bom, se ganha o Mundial se você merece. Tem que ver quem merece mais em 2018 e em 2022. E é assim, temos muitos grandes jogadores que não ganharam o Mundial, e temos muitos jogadores não tão grandes que ganharam. Essa é a beleza do futebol - disse.

No entanto, mesmo se a Argentina não conseguir a vaga para 2018, Infantino ainda espera vê-lo em 2022, no Catar. Quando a competição for disputada no país do Oriente Médio, Messi já estará com 35 anos, em fim de carreira. Apesar disso, o presidente da Fifa acredita que o argentino é tão "intocável" que não terá problemas para chegar em boas condições.


Lionel Messi, camisa 10 da seleção argentina (Foto: AP Photo/Nicolas Aguilera

- Pode ser, pode ser (que Messi jogue em 2022). Quando o vemos jogar, parece que ninguém pode tocá-lo. Nunca se machuca, nunca fica doente. E é tão rápido que, ainda que queiram pegá-lo, não conseguem.

Além disso, Infantino ainda disse que o futebol é "mais feio" sem o argentino, e que Messi atua de uma maneira "absolutamente incrível". Diante de todos os elogios, a pergunta era inevitável: qual é a diferença entre Messi e Maradona? O mundial conquistado por Diego em 1986, disse o dirigente.

- Messi é extraordinário. Os dois marcaram uma época: os anos 80 e 90 foram de Maradona; esses últimos 10 anos, de Messi. Mas claro, Maradona também ganhou uma Copa. Sim, Messi também tem que ganhar uma.

Mesmo garantido na Libertadores, Cruzeiro ainda tem metas no Brasileiro

O time mineiro poderia usar as rodadas finais da competição para testar jogadores e já iniciar a preparação do time para 2018

 Campeão da Copa do Brasil, portanto com presença garantida na Copa Libertadores de 2018, o Cruzeiro vive uma situação tranquila no Campeonato Brasileiro. Distante 11 pontos do líder Corinthians e praticamente sem risco de queda, que é de apenas 0,0002% de acordo com o departamento de matemática da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), o time mineiro poderia usar as rodadas finais da competição para testar jogadores e já iniciar a preparação do time para 2018.

No entanto o momento é de confiança e o elenco ainda quer mais dentro do Brasileirão. O título nacional é algo que não está em pauta na Toca da Raposa, pela distância que o Corinthians abriu e por restarem somente 11 rodadas para a equipe celeste. Porém, mesmo com a Libertadores garantida, o Cruzeiro quer mais neste Brasileiro.

Uma das metas é terminar a competição entre os quatro primeiros colocados. Algo que o time alcançou nesse sábado, ao bater a Ponte Preta por 2 a 1, no Mineirão, com gols de Thiago Neves e Manoel. Com 44 pontos alcançados, o Cruzeiro superou o Palmeiras, mas com um jogo a mais.

"Tem que ser degrau a degrau. Esse jogo era importantíssimo para pontuar e subir na tabela. Agora temos confrontos contra equipe na parte de cima da tabela", comentou Sidnei Lobo, auxiliar técnico que comandou o time contra a Ponte Preta, já que Mano Menezes está liberado para fazer um tratamento médico. E assim vai ser contra o Grêmio, nesta quarta-feira (11), às 21h45, em Porto Alegre.

Como Mano tem retorno previsto ao trabalho somente na quinta, Sidnei seguirá no comando do Cruzeiro. Já que a meta do momento é se manter entre os quatro primeiros colocados, pontuar contra o Grêmio é algo importante para o time.

"Vamos estudar muito bem o Grêmio, apesar de ter jogado várias vezes contra eles. Mas agora é uma outra partida. Nosso objetivo é conseguir o máximo a cada jogo. Aí lá na frente a gente vai saber o que vai acontecer", disse Sidnei Lobo, que não vê o ano do Cruzeiro completo apenas do título na Copa do Brasil.

"Fomos coroados com esse título, que foi importante para todos nós do Cruzeiro, a diretoria, jogadores, comissão técnica e funcionários. Alegrou muito o torcedor, que teve uma temporada de alegria. Mas o trabalho não para por aí, temos de pontuar sempre", completou Sidnei.

Briga entre torcedores suspende partida e deixa feridos no Paraguai

O jornal local ABC Color fala em ao menos seis feridos, alguns deles por armas de fogo e lâminas

Uma briga entre os torcedores do Olimpia, do Paraguai, deixou feridos e suspendeu a partida da equipe com o Sol de América, neste domingo (8), em Pedro Juan Cabellero, cidade a 450 km de Assunção, próxima da fronteira com o Brasil, em Mato Grosso do Sul.

Após sete minutos do jogo, válido pela 12ª rodada do Torneio Clausura (espécie de 2º turno do Nacional), integrantes da organizada "La Barra", do Olimpia, iniciaram um conflito na área onde estavam no estádio Río Parapití.

Alguns torcedores derrubaram o alambrado do lugar e começaram a usar as barras de sustentação e pedaços de pau como arma. Outros trocaram socos e pontapés. Entre eles, havia pessoas encobrindo o rosto com a camiseta para não serem identificadas.

O jornal local ABC Color fala em ao menos seis feridos, alguns deles por armas de fogo e lâminas. Também há relatos de ataques a ônibus e estabelecimentos nas redondezas do estádio da partida.

Imagens da televisão paraguaia mostram trechos do conflito. Outros presentes no estádio também registraram o incidente com imagens nas redes sociais.

A polícia foi chamada para apaziguar o confronto e usou cassetetes contra os torcedores. Jogadores do Olimpia, como o atacante e ídolo da seleção paraguaia Roque Santa Cruz, foram às arquibancadas tentar conversar para acalmar os ânimos.

Sem condições de dar prosseguimento à partida, o juiz da APF (Associação Paraguaia de Futebol) a interrompeu e, após ver que a confusão ainda não havia acabado, suspendeu o jogo.

Segundo o regulamento da entidade, uma vez suspensa, a partida deverá ser realizada no mesmo local, 24 horas depois. Miguel Figueiredo, presidente do Sol de América, afirmou, na sua conta no Twitter, que pedirá a retirada de pontos do Olimpia, conforme está previsto nas regras do torneio.

O clube disse, na rede social, que "expressa sua solidariedade com as vítimas da barbárie e dos vândalos".

Marco Trovato, presidente do Olimpia, afirmou também no Twitter que "não vai comentar sobre a perda de pontos [no campeonato]". "O que é importante agora é segurança das pessoas [no estádio]."

O cartola ainda declarou que vai colaborar com as autoridades competentes para investigar o caso.

Ranking da Fifa que vai definir cabeças de chave tem brecha

Serão os sete melhores colocados do ranking (além da Rússia, país-sede). O sorteio será em 1º de dezembro, em Moscou

Ao examinar o ranking da Fifa, o estatístico romeno Eduard Ranghiuc percebeu existir uma brecha na equação. Não é benéfico para as seleções jogar amistosos. Mesmo que vençam.

"A conta é simples. O time que quiser ficar entre os melhores não deve jogar amistosos. A seleção que desejasse ser cabeça de chave no sorteio dos grupos da Copa deveria tê-los evitado ao máximo", disse Ranghiuc à Folha de S.Paulo.

Ele identificou o problema ao analisar como seria possível ajudar a Romênia a subir no ranking da entidade. Entrou em contato com a federação local e sugeriu que adotassem a estratégia. Apesar de desempenho discreto em campo, o time foi cabeça de chave no sorteio das eliminatórias para o Mundial de 2018.

A lista da Fifa, a ser divulgada no próximo dia 16, vai definir os cabeças de chave dos grupos para a Copa da Rússia. Serão os sete melhores colocados do ranking (além da Rússia, país-sede). O sorteio será em 1º de dezembro, em Moscou.

"Olhe quantos amistosos a Suiça fez nos últimos 12 meses. Você vai entender", explica Ranghiuc.

Foi apenas um. Vitória sobre a Bielorrússia por 1 a 0, em junho deste ano. No ranking de setembro, a equipe está em 7º.

Pela situação atual, é possível que os campeões mundiais França, Espanha, Inglaterra e Itália não sejam cabeças de chave e caiam em em grupos mais difíceis. Podem enfrentar Brasil, Argentina ou Alemanha, por exemplo. A Polônia (6ª colocada), com um amistoso jogado nos últimos 12 meses, será.

A Inglaterra ignorou a matemática há quatro anos. Ranghiuc, que mantém um site de estatísticas no futebol, escreveu para a federação do país em 2013 advertindo que deveria evitar amistosos.

Os ingleses jogaram cinco partidas não competitivas nos 12 meses antes da definição do sorteio para a Copa de 2014: contra Suécia, Brasil (duas vezes), Escócia e Irlanda. Calculados os pontos, descobriram que se tivessem seguido o conselho do romeno, seriam cabeças de chave. Caíram em chave com Itália, Uruguai e Costa Rica. Acabaram eliminados.

"Há momento em que o ranking é relevante: 12 meses antes da definição de cabeças de chave de torneios ou eliminatórias. Deve-se trabalhar com isso", avisa.

 O segredo

A lista é montada a cada mês de acordo com equação montada pela Fifa. Leva em conta resultados das seleções nos últimos quatro anos. Apenas os placares dos 12 meses anteriores são computados 100% (veja quadro ao lado).

A pontuação do jogo é calculada com três pontos por vitória, um por empate e zero por derrota. Estes são multiplicados pela força do rival (usando para isso a posição no ranking), a confederação a que está filiado e a importância da partida. Este componente é o que muda tudo.

Jogo de Copa do Mundo, vale quatro. De torneio continental (como Copa América, por exemplo), três. Eliminatórias, 2,5. Amistoso, um.

O amistoso prejudica a seleção porque a pontuação dos últimos 12 meses é somada e divida pelo número de jogos. Vale a média.

Em novembro de 2016, a Itália fez amistoso com a campeã mundial Alemanha e empatou em 0 a 0. Recebeu 196,02 pontos. Três dias antes, em eliminatória, obteve óbvia vitória sobre Liechtenstein. Ganhou 371,25 pontos. Neste caso, para o ranking, vencer Liechtenstein valeu bem mais do que empatar com campeã mundial.

"Tem de escolher a hora certa, dentro de janela que não vá influir na pontuação antes do sorteio. A França não fez isso", diz Ranghiuc.

Nos últimos 12 meses, a equipe francesa seguiu cartilha de tudo o que o romeno acredita dever ser evitado. Jogou amistosos demais e teve resultados ruins. Ganhou de Inglaterra e Paraguai, empatou com Costa do Marfim e perdeu para Espanha.

Essas partidas fizeram com que a média de pontos nos últimos 12 meses caísse 182 pontos. Computados apenas as eliminatórias, a França (8ª colocada) estaria em 3º.

Amistosos oferecem benefícios técnicos, claro. Servem para testar formações, atletas e entrosar a equipe. Ranghiuc diz haver uma solução.

"Basta combinar com o adversário para que o jogo tenha mais de seis substituições. Isso o tornará inválido para o ranking. Perder um amistoso oficial, já que a pontuação será zerada e a partida contará na média, é catastrófico antes da definição das cabeças de chave de um Mundial", aconselha.

A UEFA vai realizar a Liga das Nações a partir de 2018. Não está definido o impacto que terá no ranking. A reportagem enviou e-mail sobre isso à Fifa, mas não obteve resposta.

Bola de Ouro: Neymar, Coutinho e Marcelo estão entre os 30 finalistas

Revista "France Football" divulga nesta segunda-feira os nomes dos candidatos

revista "France Football" começou a divulgar na madrugada desta segunda-feira os nomes dos 30 finalistas na disputa pela Bola de Ouro. O atacante brasileiro Neymar, do Paris Saint-Germain, foi o primeiro jogador a ser divulgado, seguido pelo croata Modric, do Real Madrid. Também foram revelados os nomes de Dybala (Juventus), Marcelo (Real Madrid) e Kanté (Chelsea).

Na sequência, a revista francesa apontou mais cinco finalistas na disputa pela Bola de Ouro: Philippe Coutinho (Liverpool), Suárez (Barcelona), Sergio Ramos (Real Madrid), Mertens (Napoli), e o goleiro Oblak (Atlético de Madrid).


Os cinco primeiros nomes da lista dos finalistas. Foto: Divulgação

A lista de cinco candidatos seguintes não inclui nenhum brasileiro, e conta em sua maioria com atacantes. De Bruyne (Manchester City), Lewandowski (Bayern), De Gea (Manchester United), Kane (Tottenham) e Dzeko (Roma) foram os indicados.

Ao longo do dia, a "France Football" vai informar os outros jogadores finalistas que concorrem ao prêmio. Cada lista divulgada pela publicação terá mais cinco nomes até completar os 30 jogadores selecionados.

Tradicional honraria do futebol mundial, a Bola de Ouro foi criada em 1956 com o objetivo de escolher o melhor jogador europeu do ano. A partir de 1995, atletas que nasceram em outros países passaram a concorrer. Em 2010, um acordo entre "France Football" e Fifa unificou os dois principais prêmios do futebol, tornando a Bola de Ouro a referência para o melhor jogador do planeta. A parceria acabou em 2015 e os prêmios voltaram e ser oferecidos de forma separada.

Os maiores vencedores da Bola de Ouro, considerando também o período do acordo com a Fifa, são Messi, Cristiano Ronaldo e Platini. O argentino levou cinco vezes (2009, 2010, 2011, 2012, 2015), enquanto o português ganhou em 2008, 2013, 2014, 2016. Michel Platini ganhou três vezes o prêmio (1983, 1984, 1985).

O atual vencedor da Bola de Ouro é o português Cristiano Ronaldo. Ele recebeu a notícia do prêmio em 2016 em Yokohama, quando estava com o Real Madrid na disputa do Mundial de Clubes da Fifa. O time espanhol se sagrou campeão do torneio.

08 de outubro de 2017

Já classificada, Alemanha goleia Azerbaijão e termina com melhor campanha

Com a vitória, os campeões da Copa de 2014 mantiveram o 100% de aproveitamento no Grupo C.

Classificada com uma rodada de antecipação para o Mundial de 2018 na Rússia, a Alemanha goleou por 5 a 1 o Azerbaijão, já eliminado, neste domingo (8), em Kaiserslautern, e se firmou como a melhor campanha das eliminatórias europeias.

Com a vitória, os campeões da Copa de 2014 mantiveram o 100% de aproveitamento no Grupo C. Foram dez vitórias em dez partidas, somando 30 pontos. Os alemães também têm o melhor ataque da competição com 43 gols marcados.

Atual campeã mundial conseguiu vencer todos os jogos que disputou nas eliminatórias (Foto: Divulgação / Seleção de Futebol da Alemanha)

No quesito pontuação, eles só podem ser alcançados pela Suíça, que enfrenta Portugal pela liderança do grupo B no estádio da Luz, em Lisboa, nesta terça (10).

Nas outras partidas, neste domingo (8), da mesma chave da Alemanha, a República Tcheca goleou San Marino por 5 a 0. As duas seleções já estão desclassificas. Já a Noruega, também eliminada, venceu por 1 a 0 a Irlanda do Norte (2º lugar do grupo), que, com o resultado, pode ficar de fora da repescagem.

O Azerbaijão, que fez um bom primeiro tempo, apesar de sofrer a goleada, deixou sua marca de honra aos 35 min da etapa inicial. Em um contra-ataque, Sheydaev partiu em velocidade do meio de campo, marcado pelo zagueiro alemão Mustafi. E de repente, o defensor caiu, sentindo dores.

O atacante azeri continuou o lance, invadiu a área adversária e driblou o goleiro Bernd Leno para fazer fazer outro belo gol e devolver a igualdade ao placar.

Primeiro tempo terminou com empate, mas alemães marcaram mais quatro vezes na segunda etapa (Foto: Divulgação / Seleção de Futebol da Alemanha)

Depois do empate, Mustafi teve que deixar o campo, machucado. O zagueiro, que joga na Inglaterra pelo Arsenal, saiu para a entrada de Ginter, do Borussia Mönchengladbach.

Foi a segunda substituição realizada pelo técnico Joachim Löw ainda no primeiro tempo. Antes, ele havia trocado, também na defesa da Alemanha, Süle, que sentiu dores no joelho, pelo zagueiro Rüdiger.

O zagueiro Rüdiger e os meio-campistas Goretzka (de novo) e Emre Can tornaram a goleada a vitória em que a Alemanha já mostrava superioridade ante os adversários. Aos 18 min do segundo tempo, o defensor alemão ampliou a diferença para 3 a 1, subindo mais alto do que os adversários para completar de cabeça, cruzado, após cobrança de escanteio.

Na sequência, aos 20 min, o Azerbaijão errou um passe na saída de jogo da defesa, e Brandt roubou a bola e tocou na área para Sané, que cruzou rasteiro. Goretzka chegou antes dos rivais e finalizou de primeira para ampliar para 4 a 1.

Para fechar o caixão, Emre Can, do meio da rua, recebeu passe aos 35 min com muito espaço, de frente para a meta adversária. De longe, ele chutou com muita força, sem chance de defesa para o arqueiro Agaev. Com a goleada no placar, a Alemanha apenas administrou a vantagem.

Rüdiger, Emre Can, Sandro Wagner e Goretzka (duas vezes) fizeram os gols da Alemanha, enquanto Sheydaev anotou o único do Azerbaijão (Foto: Divulgação / Seleção de Futebol da Alemanha)

07 de outubro de 2017

Flamengo inicia transição no futebol com novo dirigente e autonomia a Rueda

Análises estão em curso para que mudanças sejam feitas no elenco e também na comissão técnica fixa

O ano de 2018 já começou no Flamengo. Ainda que Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana estejam em disputa, o clube deu o pontapé na transição do futebol para a próxima temporada. Análises estão em curso para que mudanças sejam feitas no elenco e também na comissão técnica fixa, caso seja a decisão final dos envolvidos no processo.
O trabalho está sob a responsabilidade de cinco pessoas. O novo vice-presidente de futebol, Ricardo Lomba, é uma delas. O objetivo é a realização de avaliações criteriosas para que o carro-chefe do clube mais popular do país transforme investimento em resultado, algo que ainda é absolutamente tímido na atual gestão.
O presidente Eduardo Bandeira de Mello, o diretor geral Fred Luz, o diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano e o técnico Reinaldo Rueda completam o grupo de atuação. O comandante colombiano, inclusive, ganhou autonomia da cúpula para definir as substituições que julgar necessárias.


Eduardo Bandeira de Mello presidente do Flamengo (Foto: Vicente Seda)

O treinador tem manifestado insatisfação com o rendimento do time. A frase "temos de falar menos e trabalhar melhor", dita por ele na última entrevista coletiva, funciona como uma espécie de mantra nos bastidores do Ninho do Urubu.
Como chegou no meio do turbilhão, Rueda soma menos de dois meses no cargo e ainda não teve tempo para implementar tudo o que deseja. O comandante, no entanto, chama a atenção pela seriedade no dia a dia.
Atento ao comportamento dos jogadores e ao rendimento da comissão técnica fixa, ele soma anotações no caderno. Tudo que está em observação pesará na avaliação final. Apesar da autonomia dada ao estrangeiro, a dúvida se todas as mudanças discutidas serão realizadas só será respondida ao fim do ano.
"Mudanças acontecem se houver necessidade. Caso exista, sugeriremos. Mas, se identificarmos que estamos no caminho certo, as mudanças não acontecerão. Pensamos em títulos e a minha missão é a de contribuir com o departamento de futebol", comentou o novo vice-presidente da pasta durante a apresentação.
Reinaldo Rueda tem contrato até dezembro de 2018 com o Flamengo e possui a confiança do departamento de futebol para gerir o elenco. A meta é conquistar o título da Copa Sul-Americana e terminar o Campeonato Brasileiro no G-4. Mesmo que um objetivo não seja cumprido, o colombiano não está ameaçado e costuma dizer que veio ao Brasil para transformar o futebol do Flamengo.

Hamilton festeja 1ª pole no Japão: ‘Foram 10 anos tentando’

Hamilton “bateu na trave” na briga pela pole nos últimos anos em Suzuka. Ele foi batido pelo alemão Nico Rosberg nos últimos três GPs no Japão

O piloto inglês Lewis Hamilton comemorou a pole position no GP do Japão de Fórmula 1 em tom de alívio, neste sábado. Não por acaso: foi sua primeira no tradicional e desafiador Circuito de Suzuka. “Foram dez anos tentando”.

“Estou super empolgado. Finalmente consegui!”, festejou. “Se você não consegue pela primeira vez, continue tentando! Eu sabia que em algum momento eu conseguiria. Então, estou agradecido”, declarou o piloto da Mercedes.

Hamilton “bateu na trave” na briga pela pole nos últimos anos em Suzuka. Ele foi batido pelo alemão Nico Rosberg nos últimos três GPs no Japão. Desta vez, sem a concorrência do ex-companheiro de equipe, agora aposentado, o inglês garantiu o primeiro lugar no grid de largada.

Ele atribuiu o feito ao equilíbrio do carro. “Foi um dia muito bom aqui, fiz uma volta fantástica. Eu já fui bem veloz aqui, mas nunca tinha conseguido um bom equilíbrio no carro. Por isso nunca tinha feito um grande treino classificatório”, afirmou o piloto inglês.

A pole position foi uma grande conquista para Hamilton, que terá a chance no Japão de disparar no campeonato, encaminhando o título. No entanto, ele não deve ter vida fácil na corrida deste domingo. Isso porque seu maior na disputa do troféu, o alemão Sebastian Vettel, largar logo ao seu lado, na segunda posição do grid.

“Ele não será mais agressivo que eu na largada”, garantiu o inglês, referindo-se às largadas polêmicas do rival nos últimos GPs. “Tenho oito metros de vantagem e, neste ano, minhas largadas foram muito boas. Vou tentar continuar assim amanhã”, projetou o líder do campeonato, com vantagem de 34 pontos para o piloto da Ferrari.

Com apoio de Léo Moura, escolinha de futebol será inaugurada em Realengo

O jogador resolveu abraçar a ação, que tem também o apoio institucional da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje)

Há 20 anos, Marcelo Noberto, de 47 anos, mantém por iniciativa própria uma escolinha de futebol que atende cerca de 400 crianças em Realengo. Neste domingo, às 14h, na Praça da Cohab, o seu trabalho ganhará um reforço importante com a chancela do lateral-direito Léo Moura, atualmente no Grêmio, mas que fez história com a camisa do Flamengo.

O jogador resolveu abraçar a ação, que tem também o apoio institucional da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje). O atleta vai colaborar doando bolas e uniformes. Com a ajuda do craque, a expectativa agora é que projeto passe a beneficiar até 700 crianças e jovens de 4 a 17 anos.

Morador de Realengo há 46 anos, Noberto, que sempre gostou de montar times de futebol, percebeu que poderia fazer mais pela comunidade onde vive. Ali, nasceu o projeto social voltado para crianças e jovens moradores da Cohab.

- Com a chegada deste apoio, como bolas e uniformes, tenho certeza de que nossa média de atendimento, que é de 400 alunos, vai aumentar. Além da qualidade do material, temos a marca do Léo Moura, que é uma referência para as crianças – comemora Norberto.

Segundo ele, nesses 20 anos de atuação o objetivo sempre foi tentar afastar jovens e adolescentes da criminalidade. Suas equipes, inclusive, já participaram de campeonatos como, por exemplo, a Taça das Favelas. Na última edição, ficaram entre os cinco primeiros colocados entre 64 competidores.

UFC 216 tem volta de Werdum e pode definir próximo rival de McGregor

Evento acontece neste sábado e conta com quatro brasileiros em ação no octógono

O UFC 216, que acontece neste sábado, em Las Vegas (EUA), representa muito para o UFC. Na mesma noite, os fãs de lutas podem ver um recorde histórico ser quebrado, conhecer o novo campeão interino dos leves e, automaticamente, descobrir quem deve ser o próximo rival de Conor McGregor, que deve sair da disputa entre Tony Ferguson e Kevin Lee. 


Werdum enfrenta Derick pelo UFC 216, neste sábado 97. Foto: Divulgação

Embalado por dez vitórias consecutivas, Ferguson encara Lee em disputa pelo cinturão interino dos leves. O combate é a principal luta da noite. Os americanos travaram rivalidade antes da luta e prometem um duelo eletrizante. O vencedor se torna o campeão interino dos leves e provavelmente deve ser o próximo rival de Conor McGregor, campeão absoluto dos leves. 

Na co-luta principal do show, Demetrious Johnson busca garantir sua 11ª defesa de cinturão consecutiva na divisão dos moscas para quebrar o recorde de Anderson Silva e entrar para a história do esporte. Ele terá Ray Borg pela frente no octógono. Enquanto Johnson não sabe o que é perder a 13 lutas, desde outubro de 2011, Borg soma cinco vitórias nas últimas seis lutas. 

O UFC 216 conta ainda com quatro brasileiros em ação. Além de Fabricio Werdum, que retorna contra Derrick Lewis em combate peso pesado, o Brasil terá Thales Leites, Poliana Botelho e Kalindra Faria como representantes. 

Confira as lutas do UFC 216 

Tony Ferguson x Kevin Lee 

Demetrious Johnson x Ray Borg 

Fabricio Werdum x Derrick Lewis 

Mara Romero Borella x Kalindra Faria 

Beneil Dariush x Evan Dunham 

Card preliminar 

Tom Duquesnoy x Cody Stamann 

Lando Vannatta x Bobby Green 

Pearl Gonzalez x Poliana Botelho 

Walt Harris x Mark Godbeer 

John Moraga x Magomed Bibulatov 

Thales Leites x Brad Tavares 

Matt Schnell x Marco Beltrán

Religiosa, avó atribui a recuperação de Jailson no Palmeiras à cura santa

Jailson sofreu uma lesão que nunca havia sido registrada em jogadores de futebol, apenas no futebol americano

A surpreendente recuperação do goleiro Jailson, que correu risco de encerrar a carreira depois de sofrer uma contusão rara no quadril, mas voltou a atuar nesta sexta-feira em um jogo-treino do Palmeiras, foi obra de Nossa Senhora Aparecida. Quem afirma é a avó do jogador, Nacife Nascimento. Para ela, foi quase um milagre. “Eu coloquei a recuperação do Jailson entre as minhas orações e Nossa Senhora ajudou”, disse a avó. “Ele também acredita nisso. O Jailson é devoto”.

Na decisão por pênaltis que eliminou o Palmeiras da Copa Libertadores, Jailson sofreu uma lesão que nunca havia sido registrada em jogadores de futebol, apenas no futebol americano. Para tratá-lo, o Palmeiras chegou a consultar especialistas da NFL. Não foi necessária cirurgia e adotou-se um tratamento conservador. Deu certo.


O goleiro Jaílson está no Palmeiras desde 2014. Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

A “dívida” do neto com a santa está aumentando. Segundo a avó, Jailson ainda precisa visitar o Santuário Nacional de Aparecida, na região do Vale do Paraíba, no interior paulista, para agradecer pelo título Campeonato Brasileiro do ano passado e pela renovação do contrato. Agora, terá de agradecer pela recuperação. O próprio jogador deu para o técnico Cuca uma imagem de Nossa Senhora. “Ele nunca pensou em parar de atuar. Sempre acreditou na recuperação. Se parar, morre”, brincou a avó.

Dona Nacife Nascimento criou Jailson enquanto a mãe, Maria Antonia, saía para trabalhar como empregada doméstica. A avó ajudou na forma física do goleiro. A mamadeira, batida no liquidificador, misturava fígado, beterraba, ovo de codorna e cenoura. Deu no que deu: um “armário” de 1,86 metros e 84 kg.

Quando tinha 15 para 16 anos, Jailson só tinha uma calça de goleiro para treinar. Era dona Nacife Nascimento que lavava todo dia a peça preta, grossa nos joelhos por causa dos remendos. Para dar tempo de secá-la, usava o ferro ou a parte traseira da geladeira.

Nesta sexta-feira, Jailson voltou a jogar depois de dois meses. Sentiu a falta de ritmo e falhou em alguns lances no empate dos reservas por 2 a 2 com o sub-20 do Desportivo Brasil, principalmente no segundo gol. Foi o único que jogou os dois tempos – Cuca mudou o time todo na segunda etapa para observar quem vem jogando pouco.

Ele comprovou estar recuperado, não sentiu limitações e pode voltar a disputar a posição com Fernando Prass. Tem chances de ser relacionado já na próxima partida, na próxima quinta-feira, diante do Bahia, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, seja milagre ou não.

06 de outubro de 2017

CBF pretende usar árbitro de vídeo no último final de semana de outubro

A ideia agora é que a tecnologia passe a ser utilizada na 31ª rodada da competição, que será realizada nos dias 28, 29 e 30 de outubro.

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) trabalha com um novo prazo para a implementação do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro. A ideia agora é que a tecnologia passe a ser utilizada na 31ª rodada da competição, que será realizada nos dias 28, 29 e 30 de outubro.
"Esperamos que tudo esteja alinhado até o final de outubro, mas ainda depende de algumas situações. Estamos ainda negociando com empresas, que fornecerão os equipamentos e os operadores para a utilização do árbitro de vídeo", disse o Coronel Marcos Marinho, chefe da comissão de arbitragem da CBF.
De acordo com Marinho, a entidade fará um teste offline (sem a comunicação entre o árbitro de vídeo e o de campo) antes da implementação oficial.


Foto: Reprodução / Fifa.com

"Vamos fazer esse teste uma rodada antes de colocar em prática. A ideia é fazer o teste seja nos dez jogos da rodada. Só vamos colocar em prática, quando estiver tudo pronto", afirmou.
Desde o último dia 20, a CBF realiza treinamentos para a implementação do sistema para 64 árbitros e assistentes em Águas de Lindoia, interior de São Paulo. Eles foram divididos em quatro grupos, com 16 pessoas -cada turma terá cinco dias. As atividades vão até o dia 11 de outubro.
No curso, os árbitros realizam trabalhos teóricos, assistem vídeos ilustrativos e fazem simulações de lances que podem acontecer durante as partidas. Os jogadores que simulam as jogadas são da categoria sub-17 do Brasilis, time que disputa a Série B do Paulista, equivalente à quarta divisão.
O desejo de implementar o árbitro de vídeo ainda nesta edição do Campeonato Brasileiro é do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. O cartola tomou a decisão no último dia 18 —um dia após o atacante corintiano Jô marcar com o braço um gol na vitória de sua equipe sobre o Vasco por 1 a 0, no Itaquerão.
Segundo Marinho, a ideia do presidente era colocar a tecnologia em prática já na rodada seguinte, marcada para os dias 23, 24 e 25, o que não foi possível.
Outra data cogitada para a implementação era a rodada 28, que será realizada nos 14 e 15, o que não acontecerá.
Fifa
A Fifa permitiu que o Brasil usasse o árbitro de vídeo desde fevereiro de 2016. A ideia inicial da entidade era implementar em agosto do mesmo ano, mas não foi colocado em prática.
Em fevereiro de 2017, a CBF anunciou a mudança na programação para 2018 em razão do custo de R$ 20 milhões somente para arcar com aspectos operacionais.
Antes do erro no lance de Jô, a CBF já trabalhava com o planejamento para implementar somente em 2019.

Experiências do uso do árbitro de vídeo
> Mundial de Clubes-2016
Realizada no Japão, competição marcou a estreia do árbitro de vídeo
> Copa das Confederações
A tecnologia foi testada em todos os jogos do torneio do ano passado, na Rússia
> Mundial sub-20
O campeonato, realizado na Coreia do Sul entre maio e junho, contou com o sistema em todas as partida
> Pernambucano
Árbitro de vídeo foi utilizado nas duas partidas da final do Estadual
> Libertadores
Conmebol decidiu na semana passada usar a tecnologia na semifinal e na final
> Alemanha
Testes começaram há dois anos. Tecnologia foi implementada oficialmente nesta temporada
> França x Espanha
Amistoso realizado em março teve a utilização do árbitro de vídeo
> Italiano
Árbitro de vídeo começou a ser utilizado nesta temporada
> Portugal
Foi utilizado pela primeira vez na final da Copa de Portugal, realizada entre Benfica x Vitória de Guimarães em maio
> Espanha
Será testado na edição deste ano da Copa do Rei

Neymar se acalma, mas mostra lado 'fominha' e passa em branco pela 3ª vez

Das 18 finalizações do Brasil no jogo contra a Bolívia nove saíram dos pés dele

Jogador mais caro do mundo e alvo de um noticiário tumultuado até aqui no PSG, Neymar tem oscilado na seleção brasileira a partir de seu novo status. O empate sem gols em La Paz na última quinta-feira (5) até mostrou um camisa 10 mais tranquilo, conforme havia sido pedido por Tite, mas que insiste em um jogo mais individualista.
Das 18 finalizações do Brasil no jogo, nove saíram dos pés dele. De acordo com o Footstats, Neymar ainda foi o jogador que mais recebeu faltas (sete), o líder em bolas perdidas (dez) e o segundo brasileiro com mais tempo de posse, situação incomum para um atacante. Ele reteve a bola por 2min58s no jogo. Com tantas defesas do goleiro boliviano Lampe, passou em branco pelo terceiro jogo seguido na seleção.


Foto: EFE/Fernando Bizerra Jr.

Diferente de outros momentos, como o jogo com Equador em Porto Alegre, no mês passado, o atacante teve uma postura mais próxima daquilo que o treinador espera no comportamento. Sem bate-boca, reclamações ou qualquer estresse, o craque se mostrou mais calmo. Vencido por Lampe, trocou camisas com o adversário e ouviu que era uma pessoa humilde. Na saída do Hernando Siles, também atendeu jornalistas com tranquilidade, sem sinais de irritação.
Foi apenas nas redes sociais que o atacante aproveitou para desabafar e criticar as condições enfrentadas na altitude de La Paz. "Desumano jogar nestas condições", disse o jogador ao postar uma imagem dele e de seus companheiros com máscaras de oxigênio no vestiário.
Tite, na entrevista pós-jogo, ainda contou que teve uma conversa especial com Neymar e Daniel Alves. "Coloquei para eles que são importantes pela maturidade que têm, pelos títulos que conquistou, pelos técnicos com quem trabalharam. O Neymar é diferente. Os dois são exemplos de conduta, passam senso de equipe. Os dois representaram isso", elogiou o treinador, que certamente ainda espera um jogo mais coletivo de seu camisa 10.


Foto: Leo Correa / Mowa Press

Na Bolívia, a vontade de Neymar encerrar o jejum parecia clara. Além do empenho, ele acabou não servindo companheiros e deixando escapar um lado "fominha" em alguns dos muitos momentos ofensivos do Brasil, sempre com ele como protagonista em arrancadas, cobranças de faltas ou batidas de longe.
No primeiro tempo, por exemplo, com Gabriel Jesus livre na área, Neymar optou por driblar o goleiro Carlos Lampe. Ele tropeçou, chutou duas vezes e viu Valverde, zagueiro rival, salvar em cima da linha. Na ocasião, já era de novo possível tocar para companheiros em melhor situação. Sempre muito incisivo em suas ações, ele ainda deu seis assistências para finalizações de companheiros - a que efetivamente levou perigo, com Paulinho, parou na trave.
Com seis gols, contra cinco de Paulinho e Gabriel Jesus, Neymar ainda assim é o principal goleador do Brasil nas Eliminatórias, mas tem o equatoriano Caicedo (7), o chileno Sánchez (7) e o uruguaio e colega de clube Cavani (9 gols) à sua frente. A última oportunidade de encerrar o jejum e mostrar novamente que pode ser o jogador que treinador espera será na terça-feira (10), contra o Chile, em São Paulo

Entenda do que a Argentina precisa para evitar vexame e ir à Copa

A seleção de Lionel Messi está com a corda no pescoço e pode não conseguir a chance de competir no mundial no ano que vem na Rússia.

Com 17 partidas disputadas, apenas 16 gols marcados e 25 pontos conquistados, a Argentina chega à última rodada das Eliminatórias com uma campanha péssima e risco real de ficar de fora da Copa do Mundo pela primeira vez desde 1970. No jogo decisivo, na próxima terça-feira (10), Messi e companhia visitam o eliminado Equador em Quito. Entenda os cenários que eliminam ou classificam os argentinos:


Mesmo com Messi, Argentina vê risco de não ir para a Copa da Rússia (AFP / Saeed Khan)

Para conquistar a vaga direto para a Copa
Se vencer
Para terminar entre os quatro primeiros colocados das Eliminatórias e carimbar a vaga direta ao Mundial, a Argentina não depende mais só de si. Tem que vencer o Equador e torcer por um dos seguintes cenários: derrota ou empate do Chile diante do Brasil, no Allianz Parque; empate entre Peru e Colômbia; ou vitória do Peru sobre a Colômbia por uma diferença de gols menor que a da vitória argentina.
Se empatar
Já se empatar com o Equador, a Argentina ainda pode conquistar a vaga direta. Neste caso, dependeria de uma vitória do Brasil sobre o Chile por dois ou mais gols, aliada a uma vitória da Colômbia sobre o Peru (ou uma vitória do Peru sobre a Colômbia por dois ou mais gols de diferença). Além disso, o Paraguai não pode vencer a eliminada Venezuela em casa.
Se perder
Caso perca, a Argentina não tem como conquistar a vaga direta.

Para ir à repescagem
Se vencer
A Argentina pode ainda terminar na quinta colocação, o que a mandaria para a repescagem contra a Nova Zelândia, campeã da Oceania, por uma vaga na Copa. Para isso acontecer, basta vencer o Equador. A vitória em Quito, na pior das hipóteses, joga os argentinos para a repescagem.
Se empatar
Já se empatar com os equatorianos, a Argentina precisa novamente torcer por resultados favoráveis em outros jogos. Dependeria da combinação de dois dos seguintes quatro cenários: derrota do Chile por dois ou mais gols contra o Brasil; vitória da Colômbia sobre o Peru; vitória do Peru por dois ou mais gols de diferença contra a Colômbia; tropeço do Paraguai contra a Venezuela.
Se perder
Mesmo se perder em Quito, a Argentina ainda pode ir à repescagem, mas a combinação é bem mais improvável. Para isso, o Peru precisa perder da Colômbia por uma diferença de gols superior à da derrota argentina para o Equador, e o Paraguai novamente tem que tropeçar em casa contra a Venezuela.
*O primeiro critério de desempate nas Eliminatórias é o saldo de gols, e não o número de vitórias.

Com lesão, Thiago Silva pode ser cortado da seleção brasileira

O zagueiro Thiago Silva sentiu uma lesão na coxa direita na partida desta quinta-feira, contra a Bolívia, precisou sair do jogo ainda no primeiro tempo

O Brasil pode ter uma baixa para o jogo contra o Chile, na terça-feira, em São Paulo, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O zagueiro Thiago Silva sentiu uma lesão na coxa direita na partida desta quinta-feira, contra a Bolívia, precisou sair do jogo ainda no primeiro tempo e, segundo o médico Rodrigo Lasmar, dependerá de um exame a ser realizado nesta sexta para ter a presença confirmada em São Paulo.

“Senti um desconforto na parte anterior da coxa direita após um pique e até agora a gente não sabe o certo o que aconteceu. Temos exames para fazer em São Paulo e ter um diagnóstico correto”, disse o jogador na saída do estádio Hernando Siles, em La Paz, onde Brasil e Bolívia empataram sem gols nesta quinta-feira. “Não foi como as últimas lesões, que senti que abriu forte o músculo. Mas vamos ver”, completou.

O defensor começou como titular e precisou sair ainda no primeiro tempo, para a entrada de Marquinhos. O médico da seleção, Rodrigo Lasmar, afirmou que um exame nesta sexta-feira será definitivo.

“As primeiras avaliações apontam para a possibilidade de lesão. O Thiago será avaliado em São Paulo e depois vamos analisar o que pode ser feito”, contou. A seleção treina no CT do São Paulo nesta sexta. A delegação seguiu para a capital paulista logo depois do jogo na Bolívia.

O técnico Tite conta no elenco com os zagueiros Miranda, Marquinhos e Jemerson, além de Thiago Silva. Caso seja preciso cortar o jogador da relação, o treinador pode chamar outro nome para substitui-lo e compor o elenco à disposição para a partida com o Chile, no Allianz Parque.

Brasileira sofreu com lesões e atuou em novela antes de chegar no UFC

Poliana era esperada para o UFC 206, em dezembro de 2016, mas as sucessíveis lesões impediram que a brasileira enfrentasse Valerie Letourneau

 Campeã do XFC, Poliana Botelho, assinou contrato com o UFC em maio de 2016. Passados quase um ano e meio, a brasileira se prepara para, enfim, fazer sua estreia pela principal organização de MMA do mundo. Neste período de inatividade, a lutadora conviveu com lesões e chegou até a fazer uma participação em "A Força do Querer".

A participação na novela das 9 da "Globo" aconteceu no início de junho deste ano. A emissora aproveitou a estrutura do UFC 212 para filmar a cena em que Jeiza, personagem de Paolla Oliveira, se pesava e encarava Poliana Botelho, que seria sua adversária na luta fictícia.


Musa brasileira, Poliana Botelho estreia contra Gonzalez no UFC 216 | Super Lutas. Foto: Divulgação

Na ficção, o combate de Jeiza nunca aconteceu. Ao saber que Zeca (Marco Pigossi) havia sido preso, a policial desiste da luta e volta para o Brasil. Na vida real, Poliana também seguia sem entrar no octógono do Ultimate.

Poliana era esperada para o UFC 206, em dezembro de 2016, mas as sucessíveis lesões impediram que a brasileira enfrentasse Valerie Letourneau. Em sequência, a lutadora teve uma contusão no ombro e duas na mão.

"As lesões acabaram atrasando minha estreia, mas agora estou recuperada. Não é fácil um atleta ficar parado. A segunda vez que quebrei a mão, tentei ao máximo continuar treinando", afirmou.

Neste sábado (7), Poliana subirá ao octógono do UFC 216 para enfrentar Pearl Gonzalez. O duelo será válido pelo card preliminar do evento. "As lutas dela sempre terminam em finalizações e eu sempre nocauteio. Então, acredito que ela irá querer levar o combate para o chão, mas vou manter a luta em pé", completou Poliana.

Brasil ignora rivalidade e promete buscar vitória que ajudará Argentina

O Brasil tem se cobrado para, mesmo já classificado para a Copa, manter o nível de desempenho e continuar com vitórias convincentes, independentemente das condições dos adversários

As equilibradas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, chegam à última rodada, na próxima terça-feira, com seis seleções na busca por três vagas diretas e uma participação na repescagem. Neste contexto de indefinição, o fiel da balança pode ser o já classificado Brasil, que recebe o Chile no Allianz Parque e pode, além de tirar o adversário do Mundial, ajudar a rival Argentina.

A única seleção do continente já classificada para a Copa pretende ficar alheia à polêmica. O Brasil tem se cobrado para, mesmo já classificado para a Copa, manter o nível de desempenho e continuar com vitórias convincentes, independentemente das condições dos adversários. “A motivação nossa é maior ainda por ser o último jogo em casa. É uma forma de agradecer à torcida por tudo o que fizeram. Nós não gostamos de perder, ainda mais em casa, então pode ter certeza de que vamos dar 100% no jogo contra o Chile”, avisou o atacante Neymar.

O Chile é o terceiro colocado das Eliminatórias, com 26 pontos, e em caso de derrota no Allianz Parque pode ser ultrapassado por Argentina, Paraguai e pelo vencedor do confronto direto entre Colômbia e Peru, em Lima. Com a equipe de Messi em sexto lugar e tendo o Equador pela frente, em Quito, uma vitória brasileira seria fundamental para ajudar tirar a seleção vizinha do sufoco vivido atualmente, sendo que a Argentina hoje ocupa uma posição que não dá vaga sequer uma vaga na repescagem.

A seleção brasileira tem várias razões para se manter motivada para a rodada final das Eliminatórias. O primeiro é a despedida do Brasil, pois o jogo é o último em casa antes da Copa do Mundo. “Temos que fechar as Eliminatórias com chave de ouro. É preciso fazer o dever de casa. A seleção sempre tem cobrança e temos de fazer de tudo para vencer o Chile”, disse o meia Willian. A partida no Allianz Parque deve ter uma grande festa para marcar a partida rumo à Rússia.

O segundo motivo para o Brasil se mobilizar é a revanche. Os chilenos foram a única equipe a bater a seleção nas Eliminatórias, ao fazerem 2 a 0 em Santiago em outubro de 2015, na primeira rodada. O outro fator para o grupo é que o técnico Tite tem ressaltado ao elenco que os jogos já devem ser encarados como os de uma Copa do Mundo. Então, muitos jogadores vão querer demonstrar serviço.

“Tratamos o Chile como mais um jogo de preparação para a Copa. Por isso é importante se concentrar, trabalhar e se preparar para merecer vencer”, afirmou o meia Renato Augusto. Apesar de fugir da polêmica, o Brasil terá a torcida na última rodada de pelo menos cinco seleções interessadas no resultado da partida em São Paulo.

Com Sarah Menezes, piauienses disputam Troféu Brasil de judô

Sarah diz que essa é a primeira competição na categoria ligeiro após a transição para a meio-leve

Os piauienses embarcaram para mais um desafio nos tatames. Neste fim de semana acontece o Troféu Brasil de judô, em Minas Gerais, e três piauienses irão disputar a competição: Sarah Menezes (-48kg), Lucas Ramos (-60kg) e Emerson Silva (-55kg). As baixas serão Francinaldo Segundo (+100kg), que se recupera de uma lesão nas costas e Stanley Torres (-73kg) com problemas nas passagens de avião. 
Para a judoca Sarah Menezes, essa será a primeira competição na categoria ligeiro até 48kg, após a transição para a meio-leve (-52kg) e é um torneio que marca o retorno da atleta para categoria que a sagrou campeã olímpica em Londres – 12. “As expectativas são sempre boas e vou dar meu melhor, não olhei chave nem nada, mas deve ter algumas meninas jovens e outras que provavelmente já conheço”, disse Sarah. 

Sarah afirma que as expectativas são sempre boas (Foto: Jaílson Soares/ O Dia)

Outro nome que vai representar o Piauí é Emerson Silva, na categoria ligeiro, uma acima de sua original. O atleta é original da categoria superligeiro (-50kg) e vive um bom momento nos tatames. O judoca recentemente disputou a Copa Sogipa, no Rio Grande do Sul, e voltou com uma prata e ouro nas disputas pelo sub18 e sub21. No Brasileiro sub18, foi o único atleta do estado a subir ao pódio conquistando um bronze. 
“Emerson é um garoto que vai uma categoria acima da sua original, mas vive um bom momento, está confiante e motivado com os seus resultados, e mesmo em outra categoria pode surpreender. Esperamos que faça uma graça e volte com medalha”, afirmou o treinador Fabieldo Torres. 
Lucas Ramos é um nome que morou no Piauí por alguns anos e segue filiada a federação piauiense. No começo desse ano, o atleta voltou para o seu estado natal, Amapá. Apesar disso, segue treinando forte por lá e é uma aposta do treinador Expedito Falcão. “É um garoto forte que passou uma temporada aqui, em Teresina. Lutou bem o regional em que foi vice-campeão sênior, foi medalhista nacional então já tem uma experiência”, destacou o técnico. 
Baixa 
Outro nome que deveria subir aos tatames pelo estado era o Stanley Torres (-73kg), mas por conta de problemas com as passagens o atleta ica de fora da competição. Stanley foi único piauiense medalhista do Troféu Brasil, em 2016, quando conquistou um bronze. As passagens do judoca seriam liberadas pela Fundespi, mas o órgão teve problemas por ter utilizado toda a cota com passagens áreas para levar os atletas do estado aos Jogos Escolares da Juventude, que aconteceram em Curitiba, Paraná.

05 de outubro de 2017

Rafaela Silva e Mayra Aguiar são os principais nomes do Troféu Brasil de Judô

Competição, que conta pontos para o ranking nacional, será realizada neste fim de semana em Belo Horizonte e contará também com os medalhistas olímpicos Sarah Menezes e Rafael Silva.

As judocas Rafaela Silva, medalha de ouro na Rio 2016, e Mayra Aguiar, bicampeã mundial, estão entre os 482 atletas pré-inscritos na 16ª edição do Troféu Brasil Interclubes de Judô. O torneio será realizado neste fim de semana, no Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Além de Mayra e Rafaela, outros grandes nomes do esporte no país, como os medalhistas olímpicos Sarah Menezes e Rafael Silva, o Baby, estarão na disputa que vale pontos para o ranking nacional, um dos critérios de classificação para a seleção brasileira de 2018. Esse ano o Troféu Brasil terá um peso maior, já que distribuirá 145 pontos para os campeões.


Rafaela Silva com a medalha de ouro nos Jogos do Rio (Foto: Andre Mourão/NOPP)

Na segunda-feira, 9, um dia após a competição nacional a arena do Minas receberá o Super Desafio BRA, com duelo por equipes masculinas entre Brasil e Alemanha. Para essa disputa, a CBJ convocou os judocas Felipe Kitadai (60kg), bronze nos Jogos Olímpícos de Londres 2012; Victor Penalber (81kg), bronze no Mundial de Astana 2015; Eduardo Bettoni (90kg); Rafael Buzacarini (100kg) e Ruan Isquierdo (+100kg).

A equipe alemã será composta pelo judocas Lukas Klemm (60kg), Niklas Blochl (81kg), Sandro Makatsaria (90kg), Philipp Galandi (100kg), Sven Heinle (+100kg) e Karl-Richard Frey (100kg), vice-campeão mundial em Astana 2015 .

O Super Desafio BRA será transmitido ao vivo pelo Sportv às 19h.

Em entrevista, Kaká diz que recusou proposta do City antes de ir para o Real

Entrevistado pela "Four Four Two", o meia afirma que tinha tudo certo para atuar junto com Robinho, Jô e Elano no clube inglês. No entanto, não fechou contrato por "incerteza com montagem do elenco"

Kaká fez história no Milan. Foi um dos destaques da conquista da Liga dos Campeões da Europa pela equipe rossoneri. Depois, foi para o Real Madrid e não teve o mesmo sucesso; no entanto, a história poderia ter sido diferente. Em entrevista à revista "Four Four Two", o meia brasileiro disse que recebeu uma proposta de 100 milhões de libras (R$ 413 mi, na atual cotação) do Manchester City em janeiro de 2009, aceita pelo clube italiano. No entanto, ele recusou ir para o clube inglês.

No trecho publicado pela revista em seu site, Kaká afirma que as negociações com a equipe de Manchester estavam bem adiantadas, e faltava apenas assinar o contrato. Ainda assim, ele preferiu não se mudar para a Inglaterra, por causa da incerteza em relação a montagem do elenco naquela época.


Kaká afirma que Manchester City negociou diretamente com o Milan, sem consutá-lo (Foto: Reuters)

- Chegou ao ponto em que todos os números e os detalhes contratuais já haviam sido discutidos. Os salários que me foram oferecidos eram muito, mas muito maiores do que o que eu ganhava no Milan. Eu fiquei pensando como seria minha vida jogando na Inglaterra, como seria difícil para meus filhos e minha esposa para sair de casa. Todos esses pensamentos estavam na minha mente. Eu cheguei a conclusão de que não era o tempo certo para ir ao City, e a principal razão foi a incerteza sobre a montagem do elenco - disse.

Além disso, Kaká disse que não tinha qualquer conhecimento de uma proposta do Manchester City, e que os ingleses foram direto ao Milan para a negociação, sem consultá-lo. Depois de pensar bem, ele decidiu que seria "mais seguro" permanecer na Itália.

- Não ficou claro para mim como o elenco seria remontado e não estava convencido de que funcionaria. Estava sendo pedido que eu trocasse um dos mais históricos e vencedores clubes da Europa por uma equipe que ainda estava no início de seu projeto, onde eu seria o primeiro grande jogador. Era mais seguro permanecer no Milan.

O Manchester City foi comprado pelo Abu Dhabi Sports Group em setembro de 2008. Na ocasião, o time contava com três brasileiros no elenco: Elano, Jô e o zagueiro Gláuber. Logo após a compra, Robinho foi contratado por 32,5 milhões de libras (R$ 134,2 mi, na atual cotação), representando o primeiro investimento da equipe.

Alonso tem problemas com polícia; Massa anda de kart na rua

Os dias que antecedem o GP do Japão foram bastante movimentados para os pilotos da Fórmula 1

Os dias que antecedem o GP do Japão são sempre especiais para os pilotos, que participam de uma série de eventos promocionais que exploram a cultura japonesa e contam com a presença dos apaixonados torcedores locais. Mas Fernando Alonso quis ir além para promover sua marca de roupas a acessórios. E acabou tendo problemas com a polícia em Tóquio.
"Foi um evento organizado pela Kimoa", explicou o espanhol. "Tentamos fazer uma foto com o maior número possível de pessoas na faixa de pedestres fazendo uma ola. Tínhamos pessoas no teto de vários prédios. Meia hora antes, há havia muita gente, então a polícia entrou em contato e falou que seria difícil fazer o planejado. Cinco minutos antes, eles falaram que eu não poderia descer lá porque eles não poderiam garantir minha segurança. Foi uma pena, mas vou encontrar alguns dos fãs que estavam lá aqui na pista."

O problema é que evento aconteceria no cruzamento de Shibuya, o mais famoso e movimentado de Tóquio, e qualquer tipo de aglomeração como a promovida pelo piloto é proibida devido a acidentes que aconteceram no passado. A assessoria do piloto não sabia disso.
Outra ação de Alonso relacionada a sua marca foi entregar pessoalmente as encomendas de alguns japoneses. E o espanhol afirmou ao UOL Esporte que o mais difícil foi ver uma reação normal.
"Primeiro, tive que encontrar as casas, o que não foi fácil. Bati na porta deles e foi incrível. Eles ficaram muito surpresos e foram muito simpáticos. Entramos nas casas, suas famílias ofereceram bebida, falaram para sentarmos no sofá. Eles foram completamente abertos a nós e são pessoas muito bondosas."
Felipe Massa foi outro que se divertiu em Tóquio de uma maneira pouco comum: pilotando um kart nas ruas da cidade, uma brincadeira com o jogo de videogame Mario Kart.
"Em primeiro lugar, é incrível ver uma cidade que autorize que um cara alugue um kart com os amigos para andar na rua", disse o piloto ao UOL Esporte. "Qualquer erro pode gerar um acidente muito grave. Claro que a gente brincou - e também tem uma ideia do que faz - mas pode acontecer um acidente grave em uma brincadeira como essa. Para a gente, foi muito divertido, simulando o Mario Kart - ainda que meu capacete pareça mais o Luigi!"

Em duelo entre brasileiros, Bruno Soares derrota Demoliner

. Após pouco mais de um hora de partida, a dupla favorita do confronto, formada por Jamie Murray e Soares derrotou Marcus Daniell e Demoliner por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4

Na madrugada desta quinta-feira, os brasileiros Bruno Soares e Marcelo Demoliner se juntaram às suas respectivas duplas e duelaram em busca da vaga na semifinal do ATP de Tóquio. Após pouco mais de um hora de partida, a dupla favorita do confronto, formada por Jamie Murray e Soares derrotou Marcus Daniell e Demoliner por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4.

O amplo domínio da dupla cabeça de chave número dois do torneio ficou presente em toda partida. Fechando os game sem que sacavam com facilidade, Murray e Soares dificultaram muito a vida dos adversários buscando uma quebra de serviço.  O esforço foi recompensado no sexto game da partida, quando conseguiram a primeira vantagem no placar. Se aproveitando da dianteira no placar, a dupla fechou o primeiro set em 6/3.

No segundo set, a vantagem em favor da dupla formada pelo brasileiro e inglês foi construída ainda mais cedo. Logo no terceiro set, Murray e Soares conseguiram quebrar o saque de Marcus Daniell e Demoliner e abrir 2/1 no placar. Jogando de maneira confortável e sem dar chances a uma resposta da dupla adversária, os favoritos fecharam a partida com um 2 sets a 0, após um 6/4.

Na próxima fase, Murry e Soares encaram o experiente canadense Daniel Nestor e o britânico Dominic Inglot, que eliminaram o austríaco Dominic Thiem e o argentino Diego Schwartzman por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-3.

Werdum enfrenta Derrick Lewis no UFC 216

O combate é visto pelo brasileiro como o passaporte para o cinturão dos pesados

Até a pé Werdum irá no UFC 216. No evento que será realizado neste sábado (7) em Las Vegas, o brasileiro decidiu: entrará no octógono ao som do hino do Grêmio, clube pelo qual torce e detém o título de embaixador.

"Sou embaixador do Grêmio e sempre assistia aos jogos do clube no Olímpico (antigo estádio do clube) com o meu pai. Então, decidi fazer essa homenagem", explicou Werdum.

O motivo da escolha, também, passa pelo avô da mulher de Werdum, Alceno. Morto recentemente aos 90 anos, era torcedor fanático do clube tricolor. "Ele tinha uma fazenda e bandeira do Grêmio ficava bem na entrada, junto com o mosqueteiro (mascote do clube). Será emocionante, com certeza".

Werdum enfrentará Derrick Lewis no UFC 216. O combate é visto pelo brasileiro como o passaporte para o cinturão dos pesados. Ex-campeão da categoria, o gaúcho acredita que uma vitória convincente o colocará diante de Stipe Miocic, atual detentor do título.

"Fazendo uma luta espetacular, que a galera goste, acho que me credenciarei para enfrentar Miocic no ano que vem. Com um nocaute ou uma finalização, lutarei pelo título", prossegue.

O combate pelo título é apenas um dos cinco que Werdum planeja fazer em 2018. Aos 40 anos, o brasileiro não quer mais perder tempo: quanto mais lutas, melhor.

"Quero lutar mais vezes agora, para estar na ativa. Fiquei um ano sem lutar (entre setembro de 2016 e julho de 2017) e cansei de ficar parado. Já que é o gosto de fazer, então vamos lutar", completou.

O duelo entre Werdum e Lewis será o terceiro mais importante do UFC 216. O evento ainda contará com duas disputas de cinturão. Pelos moscas, o campeão Demetrious Johnson encara Ray Borg. Já Tony Ferguson e Kevin Lee se enfrentarão pelo título interino dos leves.

Brasil enfrenta Bolívia visando quebrar tabu de 32 anos

Com Tite sob o comando, o Brasil perdeu apenas uma partida, o amistoso diante da Argentina em junho deste ano

Já classificado para a Copa do Mundo de 2018, o Brasil enfrentará nesta quinta-feira (5) a seleção da Bolívia, no estádio Hernando Siles, em La Paz. A partida será válida pela penúltima rodada das Eliminatórias sul-americanas.   

A altitude de 3.640 metros é a grande preocupação da seleção brasileira para confrontar os já eliminados bolivianos. Jogando em casa, a Bolívia venceu nestas eliminatórias o Chile e a Argentina. Caso o time de Tite vença, o Brasil quebrará um jejum de 32 anos sem vitórias em solo boliviano. Brasil Na liderança das Eliminatórias com 37 pontos, o Brasil perdeu somente uma partida no torneio, diante do Chile, em 2015, quando Dunga era ainda o treinador da seleção brasileira. Com Tite sob o comando, o Brasil perdeu apenas uma partida, o amistoso diante da Argentina em junho deste ano. O último treino da seleção brasileira foi em boa parte fechado, mas Tite não escondeu o time que vai encarar a Bolívia. A principal mudança entre os 11 titulares é na defesa, pois Thiago Silva irá entrar no lugar de Marquinhos, companheiros de equipe no PSG.   

O atacante Philippe Coutinho volta no lugar de William. Já Alex Sandro ficará na lateral-esquerda para substituir Marcelo, que está lesionado.   

Após o jogo contra a Bolívia, o Brasil irá encerrar sua participação nas Eliminatórias sul-americanas no dia 10 diante do Chile, no Allianz Park, em São Paulo.   

Bolívia Os bolivianos estão na vice-lanterna das Eliminatórias, com 13 pontos, e vão ter que esperar a próxima Copa do Mundo para tentar acabar com o jejum de seis mundiais sem sua presença.   

O jogo para a seleção boliviana será mais festivo do que competitivo. Pois um dos maiores jogadores da história da Bolívia, o zagueiro Ronald Raldes, de 36 anos, fará provavelmente sua despedida da seleção na partida diante do Brasil.   

A campanha da Bolívia nestas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, teve mais destaque nos acontecimentos extra campo. A Federação Boliviana de Futebol (FBF) enfrenta uma grave crise, trocou de presidente quatro vezes e mudou de técnico em três oportunidades.   

Na última rodada, no estádio Centenário, em Montevidéu, a seleção boliviana irá enfrentar o Uruguai, no dia 10.   

Prováveis escalações Brasil: Alisson; Alex Sandro, Miranda, Thiago Silva, Daniel Alves; Casemiro, Renato Augusto, Paulinho; Neymar, Coutinho, Gabriel Jesus. Técnico: Tite.   

Bolívia: Lampe; Valverde, Gutierrez, Raldes; Bejarano, Machado, Justiniano, Arce, Peñaloza; Marcelo Moreno, Fierro. Técnico: Mauricio Soria.

04 de outubro de 2017

'Uma coisa pequena no Flamengo se transforma em um furacão', diz Diego Alves

O tema principal da entrevista coletiva concedida pelo jogador nesta quarta-feira (4) foi a má fase do time, que perdeu a Copa do Brasil e apresentou uma queda no Brasileirão.

O goleiro Diego Alves questionou a dimensão dada aos problemas do Flamengo. O tema principal da entrevista coletiva concedida pelo jogador nesta quarta-feira (4) foi a má fase do time, que perdeu a Copa do Brasil e apresentou uma queda no Campeonato Brasileiro.

O goleiro Diego Alves, do Flamengo (Foto: Arquivo pessoal)

"Deixo com vocês [jornalistas] números, porcentagem de vitórias... São especialistas, fazem as críticas positivas e negativas. O [Reinaldo] Rueda chegou há pouco tempo e o trabalho ainda está no início, isso leva tempo. Sabemos que, no Flamengo, uma coisa pequena se transforma em furacão", afirmou.

No comando do time rubro-negro, o técnico colombiano já disputou 13 jogos. Foram cinco vitórias, seis empates e duas derrotas, o que contabiliza o aproveitamento de 53% dos pontos disputados. Para Diego Alves, o trabalho do estrangeiro é elogiável.

"São praticamente dois meses de Rueda no Flamengo. É lógico que tem uma fase de adaptação. Ainda teve a sorte que alguns jogadores falam o idioma. Ele mesmo já consegue se expressar bem com algumas palavras em português. Percebemos o pensamento de estar sempre perto do jogador e dar confiança. É muito claro e direto com os atletas", comentou.

Em 7º lugar no Brasileirão, com 39 pontos, o Flamengo só volta a campo no dia 12 de outubro, quando tem pela frente o clássico contra o Fluminense, às 17h, no Maracanã. O rival tricolor também será o adversário nas quartas de final da Copa Sul-Americana, dias 25 de outubro e 1º de novembro.

"Um clássico é diferente de tudo. Não tem essa de um time está embaixo e outro por cima. Temos alguns dias importantes pela frente para trabalhar. Vamos nos concentrar sobre o que precisamos fazer de melhor. São dias importantes para o time concentrar todas as forças."

Rodadas finais definem mais da metade das vagas do Mundial

Ao final das rodadas das eliminatórias que começam nesta quinta-feira (5), o Mundial já terá pelo menos 21 classificados definidos.

Se o Brasil, e Neymar, está garantido, o mesmo não se pode falar da Argentina, de Messi, ou de Portugal, e Cristiano Ronaldo. As duas seleções entram em campo pelas eliminatórias para fugir da repescagem. Ao final das rodadas das eliminatórias que começam nesta quinta-feira (5), o Mundial já terá pelo menos 21 classificados definidos. Veja como está a disputa por continentes.

- AMÉRICA DO SUL

O Brasil está garantido na Rússia, enquanto Venezuela e Bolívia não têm mais chances de classificação. A Argentina, que pode ter que jogar a repescagem contra a Nova Zelândia, campeã da Oceania, se ficar na 5ª colocação, tem um confronto direto, e decisivo, contra o Peru. Nesta quinta (5), o Uruguai garante a vaga se vencer na Venezuela.

O QUE VER NA TV, NESTA QUINTA (5)

16h - Bolívia x Brasil

La Paz, SporTV, Globo

17h - Venezuela x Uruguai

San Cristobal, SporTV2

18h30 - Colômbia x Paraguai

Barranquila, SporTV2

20h30 - Argentina x Peru

Buenos Aires, SporTV

20h30 - Chile x Equador

Macul, SporTV3

- AMÉRICA CENTRAL E DO NORTE

O México entra nas duas últimas rodadas do hexagonal final classificado. Enquanto os Estados Unidos, quarto colocado, têm uma partida vital em Orlando contra o Panamá, que está em terceiro, com um ponto a mais. Quem terminar na quarta colocação jogará a repescagem contra Síria ou Austrália. Costa Rica, se vencer, se classifica

Jogos na TV, na Sexta (6)

22h40 - Costa Rica x Honduras

San Jose, SporTV3 e ESPN

20h25 - Estados Unidos x Panamá

Orlando, ESPN Brasil

- EUROPA

A Bélgica é a única seleção europeia que já conseguiu a vaga dentro de campo. A Rússia também está garantida por ser o país sede. Nestas duas rodadas decisivas vão ser preenchidas nove vagas, dadas aos campeões de cada um dos grupos. Outras quatro vão ser definidas, em novembro, na repescagem (jogos de mata mata entre os oitos melhores segundos de cada grupo). Alemanha, Sérvia e Inglaterra se classificam com uma vitória. Itália, Portugal e Suécia tentam fugir da repescagem. Enquanto a Holanda pode ser a grande eliminada da rodada

Na TV, quinta (5)

12h55 - Armênia x Polônia

Erevan, SporTV2

13h - Azerbaijão x República Tcheca

Baku, SporTV3

15h30 - Inglaterra x Slovênia

Londres, ESPN Brasil e SporTV3

15h40 - Irlanda do Norte x Alemanha

Belfast, SporTV2

Na TV, sexta (6)

15h35 - Turquia x Islândia

Eskisehir, ESPN Brasil

12h50 - Georgia x País de Gales

Tibilisi, ESPN, SporTV2

15h40 - Espanha x Albânia

Alicante, SporTV

15h45 - Croácia x Finlândia

Rijeka, SporTV3

Na TV, sábado (7)

12h50 - Suécia x Luxemburgo

Solna, ESPN Brasil

15h30 - Bulgária x França

Sofia, ESPN Brasil, SporTV2

15h45 - Bielorússia x Holanda

Borisov, SporTV3

- ÁFRICA

Faltam duas rodadas, uma neste fim de semana e outra em novembro, para todos os cinco grupos do continente africano. Apenas os campeões de cada chave conseguem vaga ao Mundial. Não há repescagem. A Nigéria, se vencer seu jogo, garante a classificação. Egito e Tunísia também podem definir sua ida à Rússia agora

Na TV, SEXTA (6)

16h - Mali x Costa do Marfim

Bamako, ESPN

Na TV, sábado (7)

10h - Uganda x Gana

Kampala, ESPN

13h - Nigéria x Zâmbia

Uyo, ESPN

14h30 - Cabo Verde x Senegal

Praia, ESPN +

- ÁSIA

Arábia Saudita, Coreia do Sul, Irã e Japão ficaram com as quatro vagas diretas do continente. Nesta quinta (5) e na terça (10), Austrália e Síria decidem quem vai enfrentar o quarto colocado da América do Norte e Central na repescagem de novembro, que decidirá mais um participante da Copa do Mundo

Piqué nega intenção de deixar a seleção de futebol da Espanha

Jogador defende a independência da Catalunha, e isso tem gerado dúvidas sobre sua continuidade na Seleção da Espanha.

Gerard Piqué havia sinalizado a possibilidade de deixar a seleção após a Copa de 2018. O motivo seria por questões políticas e um desconforto com a imprensa espanhola. Nesta quarta-feira, o zagueiro do Barça foi mais direto no assunto e afirmou que sua intenção é continuar no selecionado.

Gerard Piqué é dos destaques da Seleção da Espanha (Foto: Arquivo pessoal)

"Eu quero sair daqui da melhor forma possível. São quase 10 anos com a seleção, um terço da minha vida. Não quero sair daqui pela porta de trás e sentir que acabou mal. Quero continuar por todos aqueles que me apoiam".

"Ir embora agora daria razão a essa gente que entende são melhores, então não darei esse luxo. Estou convencidíssimo de que há muito mais gente partidária de que eu fique", acrescentou.

Nas últimas semanas, os jornais "As" e "Marca" noticiaram que Piqué teria retirado detalhes em vermelho e amarelo da manga da camisa em duelo da Espanha contra a Albânia. Piqué jamais escondeu seu posicionamento pró-Catalunha.

No entanto, o zagueiro não retirou os detalhes das listras na manga do uniforme. A confusão se deu porque as camisas de manga longa não possuem as listras. Piqué desde o início dizia que não havia retirado as listras.

Catalunha e Seleção

Contestado na Espanha por ser favorável à independência da Catalunha, o zagueiro Gerard Piqué concedeu concorrida entrevista coletiva. O jogador do Barça foi bombardeado por perguntas sobre como seria sua participação na seleção espanhola mesmo sendo pró-separação.

Piqué manteve seu posicionamento político, mas defende sua permanência no selecionado.

"Creio que um independentista poder jogar na seleção espanhola. Porque o independentista não tem nada contra a Espanha. O catalão quer a separação não porque está contra a Espanha e tampouco quer sua seleção. No meu caso, por que não um independentista não pode jogar na seleção espanhola?".

"A situação da Espanha e Catalunha é como do filho de 18 anos que quer sair de casa. A Catalunha sempre não é tratada como merece. O pai tenta dialogar, ou o filho vai embora...".

Técnico do Uruguai prega cuidado com seleção da Venezuela nas Eliminatórias

O Uruguai é o vice-líder do qualificatório, com 27 pontos

Apesar da boa situação nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018, o técnico do Uruguai, Óscar Tabárez, pregou cuidado com a Venezuela, adversária do time uruguaio nesta quinta-feira, pela penúltima rodada do qualificatório. O treinador espera um jogo duro na cidade venezuelana de San Cristóbal.

“A Venezuela é uma seleção que vai oferecer muita resistência. É só ver como eles jogaram contra a Colômbia e a Argentina”, disse o treinador uruguaio, nesta terça-feira. Sem mais chances de ir ao Mundial da Rússia, a Venezuela é a última colocada da tabela das Eliminatórias, com apenas oito pontos.

O Uruguai, por outro lado, é o vice-líder do qualificatório, com 27 pontos. Está com a vaga praticamente garantida. Dependendo da combinação de resultados nesta quinta, o time uruguaio já poderá assegurar a classificação nesta penúltima rodada das Eliminatórias. Para tanto, uma vitória sobre a Venezuela será necessária.

Tabárez, contudo, alertou para as qualidades do time da casa. “A seleção venezuelana conta com muitos jogadores de velocidade, de habilidade”, afirmou, antes de apontar a principal arma da Venezuela: “Eles geralmente levam perigo em lances de bola parada, principalmente em cruzamentos na área”.

Depois do duelo com a Venezuela, na quinta-feira, o Uruguai encerrará sua participação nas Eliminatórias diante da Bolívia, na terça que vem, no estádio Centenário, em Montevidéu. A seleção boliviana é a penúltima colocada da tabela.

Neymar pode se igualar a Romário na artilharia da Seleção

Além de Romário, quarto colocado com 55 gols, o atacante revelado pelo Santos terá de superar os 66 gols de Zico, os 67 de Ronaldo, e os 95 tentos de Pelé, o maior goleador

A partida da Seleção Brasileira contra a Bolívia, nesta quinta-feira, em La Paz, pode ter um sabor ainda mais especial para Neymar Jr. O camisa 10 está prestes a completar 80 jogos com a camisa canarinho e muito próximo de se igualar a Romário como o quarto maior artilheiro da história da equipe pentacampeã mundial.

Em 79 partidas disputadas com a Seleção Brasileira, Neymar marcou 52 gols, três a menos que Romário. Somente neste ano o craque do Paris Saint-Germain balançou as redes 27 vezes e deu 18 assistências representando o seu país. O aproveitamento do atacante também é surpreendente. Ao todos ele somou 56 vitórias, 15 empates e oito derrotas.

Além de Romário, quarto colocado com 55 gols, o atacante revelado pelo Santos terá de superar os 66 gols de Zico, os 67 de Ronaldo, e os 95 tentos de Pelé, o maior goleador da história do time canarinho.

Embora o duelo contra a Bolívia, fora de casa, seja marcado pelo receio dos efeitos da altitude, se depender do retrospecto de Neymar contra o adversário andino, a equipe comandada pelo técnico Tite tem tudo para somar mais uma vitória. O craque brasileiro enfrentou os bolivianos três vezes, vencendo em todas as ocasiões, marcando três gols e dando outras duas assistências.

Brasil e Bolívia se enfrentam nesta quinta-feira, ás 17h (de Brasília), no estádio Hernando Siles, a 3600m do nível do mar, em La Paz. Depois, no próximo dia 10, a Seleção volta a atuar em casa, desta vez contra o Chile, no Palestra Itália, às 20h30, em partida que encerra a participação canarinho nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo.

Fiscalização, obras exigidas e dívida maior: Arena Corinthians em debate

Relatório de auditoria assinado por escritório de engenharia agita bastidores do Timão, que vê custo do estádio ser elevado a R$ 1,3 bilhão. Soluções e novas atitudes já são estudadas

O relatório final de uma auditoria realizada na Arena Corinthians pela empresa Claudio Cunha Engenharia e Construções caiu como uma bomba nos bastidores do clube. O documento informa que a dívida corrigida da construção do estádio no bairro de Itaquera já chega a R$ 1,3 bilhão, mas nem é o valor que mais impacta dirigentes, conselheiros e integrantes da comissão criada dentro do Conselho Deliberativo para avaliar o contrato com a construtora Odebrecht. A preocupação interna é sobre as condições do negócio e especialmente a possibilidade de haver obras não realizadas ou malfeitas. 


Tocida vibra ao acompanhar um jogo do Corinthians em casa. Foto: Reprodução/arenacorinthians

Estima-se que a Odebrecht não tenha realizado R$ 150 milhões em obras previstas no contrato original. Além disso, há R$ 60 milhões em reparos necessários e mais cerca de R$ 20 milhões como multa pelo atraso na entrega das obras. Só nesta conta apresentada ao clube já são mais de R$ 200 milhões de "saldo" com a construtora, sem contar R$ 100 milhões em obras que não cumpriram o previsto originalmente. 

As tais obras não realizadas ou malfeitas causam riscos para a Arena Corinthians de acordo com o relatório, que cita possíveis quedas das placas de mármore na área dos elevadores e paredes do estádio e também a queda de forro de gesso , que não foi fixado corretamente e já sofreu uma queda, no início de 2016. Além disso, há citação à drenagem do Setor Oeste e ao sistema de ar condicionado como possíveis problemas, todos negados pela Odebrecht. 

O relatório propõe soluções para os problemas que não são tratados como "emergenciais", referentes às obras. A troca dos CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) pela dívida com a Odebrecht , o rompimento com a OMNI (administradora do programa Fiel Torcedor e responsável pelo repasse do valor de bilheterias ao fundo da Arena) e renegociação da dívida com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) estão entre os principais pontos. 

Para monitorar essas ações, foram propostas duas ações de fiscalização: o CORI (Conselho de Orientação) se tornaria responsável por aprovar contratos da Arena e um departamento de organização de documentação seria criado. As duas ações podem ser colocadas em votação pelo Conselho Deliberativo em breve. 

Enquanto discute questões internas, o Corinthians segue realizando ações inovadoras para ampliar as receitas de seu estádio, que já recebeu gravações de seriados e programas de televisão e se prepara para um grande evento com caminhões chamado Monster Jam, em 16 de dezembro. Além disso, o clube tem comercializado camarotes e setores business em jogos e já recebeu quase 30 mil pessoas em quatro meses desde a criação do Tour da Arena. 

Dentro de campo foram 115 partidas, com 78 vitórias, 28 empates e apenas nove derrotas. O próximo jogo será no dia 11, contra o Coritiba, pela 27ª rodada do Brasileirão.

Sarah Menezes volta a disputar Troféu Brasil de Judô

A competição acontece neste im de semana e marca o retorno de Sarah para a categoria ligeiro (-48kg)

A judoca Sarah Menezes segue em ritmo intenso de treinos pensando na disputa do Troféu Brasil de Judô, que acontece em Belo Horizonte, Minas Gerais. A competição marca o retorno da medalhista olímpica para categoria ligeiro (-48kg) e também o retorno a uma competição nacional. A judoca disputou um Troféu Brasil em 2005 e doze anos depois volta a participar. 

A atleta optou pelo retorno à categoria ligeiro devido às dificuldades de adaptação na meio-leve (Foto: Jaílson Soares/ O Dia)

A atleta optou pelo retorno à categoria ligeiro devido às dificuldades de adaptação na meio-leve, em que suas adversárias têm mais força física e altura algo que dificulta o desenvolver de luta aos olhos de Sarah. Depois de passar por uma bateria de exames a judoca aguarda a resposta da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) se esse retorno vai acontecer também pela Seleção Brasileira. 

“Fiz os exames para voltar pela Confederação para a Seleção Brasileira porque o Troféu Brasil não conta. A Confederação ainda está fazendo avaliação comigo, testes, para eu voltar a ser atleta da seleção na menos 48kg. Na verdade, estou participando do Troféu Brasil por conta da regra, pois para entrar na Seleção Brasileira na categoria você tem que ter participado alguma vez no ano de competição nacional”, explicou Sarah. 

Para o treinador da judoca, Expedito Falcão, a competição marca o recomeço. “A única vez que ela disputou o Troféu Brasil foi em 2005, quando entrou na Seleção Brasileira, e depois disso ela não voltou mais a competir. É a maneira que estamos encontrando para que ela retorne a categoria dela e ela está bem fisicamente já está praticamente no peso, está bem psicologicamente, de judô e isso faz com que tenhamos uma esperança muito grande quanto a resultado”, conta Expedito. 

O Troféu Brasil de Judô acontece neste sábado (7) e domingo (8), em Belo Horizonte, Minas Gerais. Além de Sarah Menezes, Lucas Ramos (-60kg), Emerson Silva (-55kg) e Stanley Torres (-73kg) devem competir pelo Piauí

03 de outubro de 2017

Ferrari confirma que caixa de câmbio no carro de Vettel está intacta

Alemão se chocou com Stroll, após término do GP da Malásia, e temeu que caixa de câmbio pudesse estar danificada. Presidente de escuderia italiana revela irritação com falhas em Sepang.

A maré de azar vivida por Sebastian Vettel nas duas últimas corridas parece ter dado uma pequena trégua. Após se chocar com a Williams de Lance Stroll depois da bandeira quadriculada em Sepang, o alemão temeu que a caixa de câmbio da Ferrari pudesse ter sido danificada. Caso isso acontecesse, a escuderia italiana teria que efetuar a troca da peça, o que acarretaria em uma punição de cinco posições no grid do GP do Japão.

Mas, segundo informações do site "Autosport", o alemão tetracampeão do mundo não precisa se preocupar. Após o GP da Malásia, a Ferrari mandou a caixa de câmbio para sua fábrica em Maranello, na Itália, fez um exame minucioso e concluiu que não existem danos. Agora, a transmissão irá para Suzuka, onde será novamente colocada no carro #5 de Vettel para a disputa da 16ª etapa do campeonato da Fórmula 1.

Após ter problemas no motor durante a classificação em Sepang, Vettel largou da última colocação, fez grande prova de recuperação e terminou em quarto. Com o resultado, o alemão somou 12 pontos, enquanto Lewis Hamilton, o segundo, fez 18. Assim, o inglês da Mercedes ampliou a liderança no campeonato de 28 para 34 pontos, ficando ainda mais próximo do quarto título mundial.

Marchionne irritado com falhas na Malásia

Os problemas no sistema de entrada de ar dos motores de Vettel e Raikkonen, durante o final de semana na Malásia, irritaram o presidente da Ferrari, Sergio Marchionne. Em entrevista ao jornal italiano "La Gazzetta dello Sport", o mandatário ressaltou que a escuderia de Maranello perdeu em duas corridas seguidas a chance de faturar a vitória.


Sergio Marchionne, presidente da Ferrari (Foto: Getty Images)

- Nossos dois carros poderiam ter vencido a corrida de ontem. Isso é um fato. Poderia ter sido o mesmo em Cingapura, isso é outro fato. Outro fato é que nós tivemos problemas com os nossos motores porque temos um time novo cuidando dessa área, mas também por termos algumas peças que não estão no nível certo para um carro de corrida - comentou.

Marchionne também indicou que mudanças serão feitas nos setores responsáveis pela unidade de potência do SF70H.

- Estamos mexendo agora na parte de produção, mas também promovendo algumas mudanças na nossa organização. Ter esse problema na corrida nos deixou bem bravos. Não é um problema tão grande quando um defeito desses acontece na fábrica, durante os testes, mas é muito feio quando você está no segundo lugar do grid e simplesmente não consegue largar - finalizou.

Zanetti vai à final nas argolas, e Caio Souza também avança no Mundial

Campeão olímpico das argolas arranca última vaga na decisão de Montreal; reserva na Rio 2016, Caio vai à decisão do individual geral

sorriso no rosto foi contido depois da aterrissagem no Estádio Olímpico de Montreal, no Canadá. Arthur Zanetti não tinha certeza se poderia comemorar na classificatória desta terça-feira. Uma falha no finzinho da série colocou a dúvida: será que o campeão olímpico das argolas avançaria à final do aparelho? Foi no limite. Com 14,700, Zanetti arrancou a oitava e última vaga na decisão do próximo sábado. Um resultado que não o deixou nada feliz.

- No geral a série foi muito ruim mesmo. Não gostei. Estou zero satisfeito - disse Zanetti.

Ele vai ter a companhia de mais um brasileiro nas finais de Montreal. Caio Souza alcançou sua primeira decisão individual em Mundiais. Ele somou 81,584 pontos nos seis aparelhos, terminou em 14º na classificação geral e vai para a disputa dos ginastas mais completos do mundo na quinta-feira, quando um novo rei vai ser coroado, já que o japonês Kohei Uchimura, imbatível desde 2009, sentiu uma lesão na classificatória. O SporTV transmite ao vivo as finais do Mundial de Montreal a partir de quinta.

Bronze no solo da Olimpíada do Rio de Janeiro, Arthur Nory foi o único brasileiro a se despedir do Mundial ainda na classificatória desta terça. Em um ano de recuperação após duas cirurgias, ele só competiu no solo e na barra fixa e ficou perto da final nos dois, mas não foi o suficiente.

Zanetti no limite

Foi com um toque de drama a classificação de Arthur Zanetti para a final de Montreal. O campeão olímpico das argolas começou muito firme na série, marcando bem as posições de força. No entanto, o ginasta, que se destaca por sua consistência, falhou no fim da prova. Ele deixou as argolas balançarem muito em um movimento de força e deu um pequeno passo na aterrissagem.

- Foi no último elemento mesmo. Hoje, está pesando muito execução. Precisa fazer bem feito.

Zanetti sabia que precisava de no mínimo 14,700 pontos para chegar à decisão, e foi justamente o que conseguiu. No limite. Ainda precisava esperar 17 ginastas se apresentarem nas classificatórias, mas seus principais rivais já haviam passado.

Se no Mundial de Glasgow, em 2015, o campeão olímpico bateu na trave com uma nona colocação, desta vez pôde respirar aliviado ao fim do dia. Voltou a uma final. Continuou a briga por sua quarta medalha em Mundiais.

Primeira final

Depois de ter ficado na reserva na Olimpíada do Rio de Janeiro, Caio Souza cresceu neste início de caminhada rumo à Tóquio 2020 e confirmou essa evolução nesta terça-feira. Ele passou bem pelos seis aparelhos e conseguiu uma vaga na final do individul geral, na quinta-feira. Vai ser a primeira decisão dele em um Mundial.

Ele quase foi ao pódio do individual geral no Pan de Toronto, em 2015. Caio chegou ao Mundial daquele ano como principal generalista do Brasil, mas cometeu falhas na classificatória, caiu no cavalo com alças e nas barras paralelas.


Caio Souza avançou à final do individual geral no Mundial (Foto: Divulgação/CBG)

Desta vez, o ginasta foi crescendo prova a prova. Abriu com 13,566 pontos no solo. Espantou o fantasma do cavalo com alças, com 12,700 e sem queda. Praticamente cravou as argolas (14,200), o salto (14,483) e as barras paralelas (14,433). Só no último aparelho, na barra fixa, uma queda em seu primeiro voo atrapalhou, mas a nota 12,166 não ameaçou tirá-lo da final. Com 81,584 pontos, ele entrou no top 24.

Por um décimo, Nory dá adeus

Bronze no solo da Olimpíada do Rio, Nory sabia que brigar pelo topo no aparelho seria mais difícil desta vez. Ele ainda não recuperou toda a dificuldade de sua série, então precisaria de uma execução quase perfeita para ficar no top 8. Ele foi muito bem, com 14,033 pontos, mas não o suficiente.

Sua maior chance era na barra fixa, e ele também chegou muito perto. Com 13,866 pontos, foi o 12º no aparelho e deixou a classificação escapar por pouco. Nory mudou a série no meio da prova na tentativa de melhorar sua execução. Mas os décimos perdidos em dificuldade fizeram a diferença. O ginasta ficou a um décimo da vaga na decisão.

Arquibancada fora de arena da Copa ganha forma, e imagens chamam a atenção

Ekaterinburg Arena entra na reta final de reforma para o Mundial e vê surgir setores que ficam totalmente fora da cobertura do restante dos lugares, atendendo capacidade de público exigida

Com projetos ousados, a organização da Copa do Mundo da Rússia promete impressionar com os estádios que abrigarão o Mundial do próximo ano. Mas a Ekaterinburg Arena começou a chamar a atenção do público meses antes do torneio. Em reta final da reforma, o antigo Estádio Central de Iecaterimburgo viu surgir setores de arquibancadas que ficam totalmente fora da cobertura do restante dos lugares - em uma imagem inusitada para muitos fãs.

A existência dos dois setores "externos" já era prevista nos projetos de reforma do estádio, construído em 1957 e totalmente reformado para a Copa do Mundo. As arquibancadas, que ficam atrás dos gols, visam atender à capacidade de público mínima exigida pela Fifa para o Mundial. Entretanto, a particularidade da construção - com estrutura tubular e exposta à ação da chuva e do sol - chamou a atenção dos torcedores quando a Fifa divulgou novas imagens da reforma.

Antes do início das reformas, o Estádio Central tinha capacidade para 27 mil pessoas - abaixo do que a Fifa pede para abrigar até mesmo partidas da fase de grupos do Mundial. As obras - que preservarão a fachada clássica do local - farão com que o estádio passe a contar com cerca de 35 mil lugares, contadas as arquibancadas externas. A previsão é que tudo esteja pronto até o fim deste ano.