• Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Polícia

15 de dezembro de 2017

Prefeito contesta versão da polícia e diz que ambulância foi leiloada

Polícia agora vai investigar se o valor adquirido com a venda da ambulância no leilão, realmente chegou às contas da prefeitura

O prefeito de Bertolínia, Luciano Fonseca (PT), contestou a informação dada pela Polícia Civil de que teria vendido a ambulância da Secretaria Municipal de Saúde a um proprietário rural de Landri Sales para pagamento de dívida pessoal. Luciano informou que o veículo já não servia mais à Prefeitura, por estar sucateada, e foi posta em leilão, tendo sido arrematada pelo dono da propriedade na qual foi encontrada.

O prefeito afirmou à reportagem do Portal O DIA que está de posse de todos os documentos que comprovam sua declaração, incluindo o ato de chamada para o leilão público e o contrato de venda firmado com o comprador da ambulância.

De acordo com os documentos, a chamada para o leilão data de 25 de julho de 2015 e foi marcado para acontecer em 10 de agosto do mesmo ano. Na chamada, a Prefeitura informa que estará leiloando bens públicos inservíveis e que mais informações poderiam ser encontradas na cópia do edital, disponível na sede da Prefeitura de Bertolínia. O leilão também foi anunciado no site do Tribunal de Contas do Estado.

O contrato de compra e venda da ambulância foi celebrado entre a Prefeitura Municipal e o senhor Jorge Nolasco Castro, no dia 08 de outubro de 2015. Jorge é o proprietário da Fazenda São Jorge, no município de Landri Sales, onde o veículo foi encontrado. No termo de contrato, a ambulância é descrita como um modelo Ford 250 de 2003, cor branca e placa LWB-4092. O valor mínimo para lance do veículo no leilão era de R$ 30 mil.

Ainda segundo o contrato de compra e venda, a ambulância apresentava estado de conservação razoável, com problemas mecânicos, documentação parcialmente atualizada e com o DPVAT 2015 ainda a pagar. O veículo seria entregue ao comprador assim que comprovado o pagamento do lance.

Luciano Azevedo afirma, portanto, que as informações de que teria vendido a ambulância para quitar dívidas pessoais não são verídicas. “A ambulância simplesmente não servia mais e em lugar de mandar restaurar, optei por fazer o leilão e adquirir outro veículo em seu lugar”, afirma. O prefeito declarou ainda que se encontra à disposição da polícia para prestar todo e qualquer esclarecimento.

Procurado pelo Portal O Dia para comentar as declarações do prefeito, o delegado Everton Ferrer limitou-se a dizer que se Luciano Fonseca tiver todos os documentos que comprovem que a entrega da ambulância foi lícita, ele terá que apresentá-los quando lhe for solicitado. O prefeito ainda não foi oficialmente intimado pela polícia para prestar esclarecimentos. No momento, a Delegacia Regional de Uruçuí busca ouvir João Nolasco, dono do terreno onde o veículo foi encontrado.

“A gente respeita a versão do prefeito, mas há um choque entre o que nós ouvimos do filho do proprietário e o que estamos ouvindo dele agora. Ele vai ser formalmente ouvido, aí sim vai poder dar as informações formais e apresentar o ato de lance do leilão. No momento estamos fazendo a remoção da ambulância para Bertolínia e se for comprovado que há ilícitos no processo, o veículo terá que ser devolvido à Prefeitura”, finaliza o delegado.

A polícia agora vai investigar se o valor adquirido com a venda da ambulância no leilão, realmente chegou às contas da prefeitura.

Homem é assassinado a tiros na porta de casa em Itainópolis

Segundo a polícia, a vítima já tinha passagens por homicídios e o crime seria um acerto de contas. Suspeitos seguem foragidos.

A Polícia Militar registrou um homicídio na localidade Baixa, zona Rural do Município de Itainópolis, a 365 quilômetros de Teresina. Um homem, identificado como João Borges da Silva, 50 anos, mais conhecido como João Bosco, foi assassinado com pelo menos três disparos de arma de fogo na porta de sua residência por volta das duas horas da madrugada desta sexta-feira (15).

Segundo informou o capitão Elias, porta-voz do 4º BPM de Picos, que atendeu à ocorrência, João Borges já teria passagens pela polícia pelos crimes de homicídio e seu assassinato, a princípio, tem características de acerto de contas. “A vítima é natural de São Paulo e tinha chegado à localidade Baixa há aproximadamente um ano. Desde então, já tinha sido visto andando armado diversas vezes. Nós inclusive já apreendemos um revólver dele dentro da agência dos Correios de Itainópolis”, relata o capitão.

O PM conta que os autores do crime chegaram, cada qual em uma motocicleta, à residência de João e o chamaram do lado de fora pelo nome. Assim que a vítima abriu o portão, foi recebido a tiros. Não houve tempo de reação e ele acabou morrendo no local, antes mesmo da chegada da ambulância.

Policiais do 4º BPM fizeram diligências na região para tentar localizar os suspeitos, mas, até o momento, ninguém foi preso.

14 de dezembro de 2017

Passageiros pulam de ônibus em movimento para fugir de assalto

Assaltantes embarcaram no coletivo no Residencial Dignidade, fizeram arrastão e ainda roubaram um carro para conseguir fugir.

Os passageiros de um ônibus que faz linha para a zona Sul de Teresina viveram momentos de pânico na noite de ontem (13) após o veículo ser alvo da ação de criminosos. Uma dupla armada entrou no coletivo em uma parada do Residencial Dignidade e anunciou o assalto pouco depois da Avenida Nações Unidas. Os passageiros, com medo da ação dos bandidos, arrombaram a porta traseira do ônibus e pularam do veículo em movimento.

A informação é do subcomandante do 1ºBPM, major Adão Soares. De acordo com ele, apenas um dos assaltantes estava armado e a polícia acredita que o revólver não estava municiado, porque em momento algum houve tentativa de disparo. “O que nos informaram foi que eles começaram uma discussão, um dizendo ao outro que não tinham dinheiro para pagar a passagem. Foi o momento em que um deles sacou a arma, anunciou o roubo e os dois começaram a fazer um arrastão nos pertences dos passageiros que estavam na frente”, afirma.

Enquanto os bandidos agiam na parte dianteira do ônibus, próximo ao cobrador, os passageiros que estavam na parte de trás se aglomeraram e arrebentaram a porta do veículo com socos, chutes e começaram a saltar aos grupos com o coletivo em movimento. Pelo menos sete pessoas pularam e ficaram feridas nos braços e nas pernas. Cerca de dois pontos de ônibus depois, os criminosos mandaram o motorista parar e desembarcaram, correram um quarteirão e roubaram um carro modelo Siena de um homem cuja identidade não foi informada pela polícia.

Até o momento nenhum dos assaltantes foi localizado. Quanto aos passageiros que saltaram do ônibus, eles foram socorridos por uma ambulância do SAMU e levados para o HUT. Os outros que permaneceram no ônibus se dirigiram para a Central de Flagrantes para registrar a ocorrência.

86 pessoas são presas na segunda fase da Op. Polícia Civil 24 horas

Desta vez a ação acontece em todos os estados brasileiros simultaneamente e no Piauí envolve a participação de 500 policiais civis de 68 delegacias.

Atualizada às 17h16

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança (SSP/PI), o número de presos e apreendidos na Operação PC27 aumentou para 86, sendo 63 por mandados de prisão, 16 em flagrante e 7 apreensões de menores. A operação, de caráter nacional, visa executar a prisão de indivíduos responsáveis por crimes patrimoniais, especialmente furtos e roubos, incluindo autores de latrocínio. A Operação PC27 tem a participação das Polícias Civis de todas as regiões do País, com cumprimento de ordens judiciais no âmbito nacional, realizado de forma simultânea pelas Polícias Civis. 

86 pessoas são presas na segunda fase da Op. Polícia Civil 24 horas. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O Coordenador Operacional nacional da Operação PC27 e vice-presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC), Chefe de Polícia do RS, Delegado Emerson Wendt, ressalta que o objetivo da Operação PC27 é tornar o final de ano da população brasileira mais seguro e com menos delitos contra o patrimônio dos brasileiros, chamando a atenção para o Projeto de Lei 5580/2016, que visa a agravar os delitos patrimoniais praticados com o emprego de violência e cometidos no ambiente interno das residências. A responsabilidade operacional, em cada Estado, fica a cargo dos respectivos delegados-gerais.

Até o momento, as Polícias Civis do Brasil totalizam 368 prisões, 35 apreensões de adolescentes, além de 36 armas e drogas apreendidas.

Os números apresentados pelos estados, até o momento, são:

- Alagoas: 15 presos;

- Amapá: 11 presos;

- Espírito Santo: 8 presos e 1 adolescente apreendido;

- Goiás: 9 presos e 4 adolescentes apreendidos;

- Maranhão: 5 presos e 2 adolescentes apreendidos;

- Mato Grosso: 11 presos;

- Minas Gerais: 36 presos e 1 adolescente apreendido;

- Paraná: 34 presos e 4 adolescentes apreendidos;

- Paraíba: 14 presos;

- Piauí: 71 presos e 6 adolescentes apreendidos;

- Rio de Janeiro: 6 presos;

- Rio Grande do Sul: 105 presos e 8 adolescentes apreendidos;

- Santa Catarina: 6 presos;

- São Paulo: 35 presos e 5 adolescentes apreendidos;

- Tocantins: 2 presos e 4 adolescentes apreendidos.

Matéria original

A polícia deflagrou, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (14), a segunda fase da Operação Polícia Civil 24 horas para cumprir mais de cem mandados judiciais contra crimes de tráfico de drogas, homicídios, lesão corporal, crimes contra o patrimônio, posse ilegal de arma, crimes de trânsito, crimes ambientais e perturbação da ordem pública. Pela manhã, pelo menos 67 pessoas foram presas, parte delas em flagrante e parte em cumprimento às ordens judiciais.

Os mandados estão sendo executados em 26 cidades piauienses, com foco na Grande Teresina e no litoral, regiões onde há um maior fluxo de pessoas durante o final do ano. Das 46 prisões, pelo menos 18 foram feitas na Capital e ao menos 20 em cidades do interior. A informação é do delegado Luccy Keikko, gerente de policiamento metropolitano da Polícia Civil.


Em Teresina, foi detido Michel Clóvis de Sousa, na Vila Prainha, em cumprimento a um mandado de prisão. Com ele, os policiais do 3º DP apreenderam 600 gramas de crack. Já a equipe do 2º Distrito, em ação nos bairros Real Copagre e Aeroporto, prendeu Márcio Araújo Ramos da Silva e Antônio Carlos Vieira da Silva, ambos acusados de roubo.

Em cumprimento a mandados de prisão preventiva no bairro Mafrense, policiais do 22º DP localizaram Luciano Bruno Machado e José Flávio Isaías Oliveira, também acusados de roubo, desta vez contra um delegado da Polícia Civil. Um outro homem, identificado como James Augusto Rodrigues de Sousa foi detido em flagrante pela equipe do 7º DP, comandada pelo delegado Willon Gomes. Com ele foi encontrada um revólver calibre 38 com quatro munições intactas.

A equipe do delegado Marcelo Dias, do 8º DP, prendeu também em Teresina, Raíssa Bruna de Araújo Silva, 24 anos, pela prática de tráfico de drogas. Sua condução se deu em cumprimento a um mandado de prisão preventiva.

Já na cidade de São Raimundo Nonato, uma ação da Delegacia Regional com apoio da Polícia Militar resultou no cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão e um de prisão. Foi detido Gilberto da Silva Alves, conhecido como “João do Berto”, acusado de vários homicídios, tráfico de drogas e assalto aos Correios do Municípios. Com ele a polícia apreendeu diversos papelotes de cocaína, munições e um colete à prova de balas.

Em Altos, o 14º DP, sob coordenação do delegado Jarbas Lima, capturou José Ferreira da Silva com um mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável. O mandado foi expedido pela Comarca de Nhandeara, em São Paulo.

“O objetivo nosso é combater todas as modalidades de crime, intensificando o policiamento e dando cumprimento ao máximo de mandados possíveis para tirar de circulação não só pessoas já procuradas pela Justiça, mas aquelas que ainda agiam na clandestinidade tirando o sossego da população. As ações seguem com mais força até o final do ano, mas a intenção é continuar com esta ação preventiva e repressiva durante todo o ano que vem”, destaca o secretário de Segurança Fábio Abreu, que participou das diligências.

No Piauí, a Operação Polícia Civil 24 Horas conta com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal, mobilizando 500 policiais de 68 delegacias, sendo 28 Regionais, 25 Distritos Policiais e 15 Divisões Especializadas.

13 de dezembro de 2017

Pai mantém o filho sob a mira de uma faca e o faz refém em Piripiri

Fato aconteceu após uma discussão com a mulher. Negociações foram feitas pelo Bope com auxílio do Gerenciamento de Crise da PM.

Duraram cerca de nove horas as negociações entre os policiais e um pai que fez o próprio filho refém na noite da última segunda-feira (11) e madrugada de terça (12) em Piripiri, a 155 quilômetros de Teresina. O homem, identificado apenas como Edvaldo, 40 anos, manteve a criança de cinco anos sob a mira de uma faca das 18 horas até as 3h da madrugada, após uma discussão com a esposa e mãe do menino.

De acordo com o comandante do 12º BPM de Piripiri, major Costa Neto, Edvaldo teria pedido dinheiro à mulher e ficado irado após ela ter se recusado a entregar a quantia. O PM acredita que o dinheiro seria usado pelo homem para comprar droga, uma vez que ele já teria histórico como usuário na cidade.

“Ele pegou o filho e disse que não o soltaria até que o dinheiro fosse entregue. A mulher, então, saiu de casa e veio procurar pela nossa guarnição. Quando chegamos ao local evitamos qualquer aproximação brusca, porque havia uma criança correndo risco lá dentro”, pontua o major.

O Batalhão de Operações Especiais e o Setor de Gerenciamento de Crise da Polícia Militar foram acionados depois que populares revoltados ameaçaram invadir a casa e tirar o menino de dentro à força. Quem esteve no local foi a coronel Júlia Beatriz, que coordenou toda a negociação para que Edvaldo liberasse o filho e se entregasse.

“Foi uma negociação um tanto longa, mas nós conseguimos fazer com que ele saísse da casa com o menino a salvo e se entregasse. A criança foi devolvida à mãe e os dois estão tendo auxílio do Conselho Tutelar. O pai acabou preso, porque o que houve ali foi o cometimento de um crime de cárcere privado e ameaça”, explica a coronel.

Edvaldo foi conduzido pelos policiais do 12º BPM para a Delegacia Regional de Piripiri e encontra-se à disposição da Justiça.


Foto: Piripiri40graus

Justiça aceita denúncia e capitão vira réu pela morte de Camilla Abreu

Na decisão proferida pela titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, o Judiciário levou em conta a materialidade do homicídio e a consistência dos relatórios das testemunhas. Decisção saiu no dia do aniversário de Camilla.

O capitão Alissom Wattson da Silva Nascimento, autor confesso do assassinato da estudante Camilla Abreu, agora é réu no processo. Isto porque a Justiça acatou a denúncia oferecida no último 06 pelo Ministério Público Estadual, através do promotor Benigno Filho.

Na decisão, proferida nesta terça-feira (12) pela juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, o Poder Judiciário levou em consideração a prova da materialidade do fato tal como o laudo cadavérico, o reconhecimento de pessoas através de fotografias e a consistência do relato de testemunhas. Alissom é réu no processo respondendo homicídio qualificado por motivo fútil; impossibilidade de defesa da vítima; ocultação de cadáver e fraude processual.

Para a titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Teresina, “o acusado está suficientemente identificado” e a “classificação dos fatos se encontra em consonância com a descrição da denúncia”.

Com a aceitação da denúncia pela Justiça, a defesa do capitão Alissom terá o prazo de 10 dias, a contar da publicação da decisão, para responder por à sua citação no processo. Assim que for advertido oficialmente da decisão da juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, o réu não poderá mudar de residência nem se ausentar dela sem antes comunicar em juízo onde poderá ser encontrado.

Caso o capitão Alissom Wattson não cumpra a determinação judicial e não seja localizado nos endereços fornecidos nos autos do processo, os trâmites legais serão realizados sem a sua presença. A juíza Maria Zilnar requisitou ainda a certidão dos antecedentes criminais do acusado e determinou a expedição dos mandados necessários para o cumprimento de sua decisão.

Justiça acata decisão no dia do aniversário de Camilla

No mesmo dia em que a Justiça decidiu acatar a denúncia do MP contra o capitão Alissom, a jovem Camilla Abreu completaria 22 anos de vida. O pai da estudante, Jean Carlos, usou as redes sociais para fazer um desabafo, pouco mais de um mês depois de ter perdido a filha em um crime considerado cruel e que revoltou a sociedade teresinense.

Em sua página, o pai de Camilla escreveu: “Hoje era para minha família estar unida. Comendo um bolo, ou uma pizza, quem sabe. Minha filha comemorando seus 22 anos. Aí aparece um sujeito [esse da foto] capitão da Polícia Militar do Piauí. Infelizmente, manchando a farda de bons homens que formam a corporação e sem dó nem piedade tira a vida de uma jovem e joga no mato como se joga um animal morto. No lugar do coração, uma pedra. Um monstro, infelizmente”.


Foto: Reprodução/Facebook

Camilla foi brutamente agredida e assassinada pelo então namorado e capitão da PM, Alissom Wattson, na noite do dia 26 de outubro. Cinco dias depois, a polícia localizou o corpo da jovem em um matagal na zona Rural de Teresina e o capitão confessou a autoria do crime. Desde então, Alissom está recolhido no Presídio Militar, no Quartel do Comando Geral (QCG) em Teresina. Simultaneamente ao processo na Justiça comum, a Corporação iniciou um processo administrativo para tratar da expulsão do acusado do efetivo da PM.

12 de dezembro de 2017

Adolescente que agrediu professora presta depoimento na Delegacia do Menor

Conselheiro tutelar afirma que o episódio tem duas vítimas - a diretora agredida e a própria adolescente, que sofre por conta da "omissão do Estado".

Acontece na manhã desta terça-feira (12), na Delegacia do Menor Infrator, a primeira oitiva com a adolescente de 16 anos que agrediu a diretora da Unidade Escolar Firmina Sobreira, no bairro Poty Velho, no dia 6 de dezembro. Participam da audiência os pais da menina e três representantes do Conselho Tutelar da zona norte.

A diretora já havia registrado um boletim de ocorrência logo após a agressão, e nesta segunda-feira ela compareceu à delegacia especializada para prestar depoimento à delegada Adília Klein.

Unidade Escolar Firmina Sobrinho (Foto: Google Maps)

O conselheiro tutelar Antônio Oliveira afirmou que há duas vítimas na história, e não apenas uma, como está sendo divulgado. "Embora ela tenha agredido a diretora, a adolescente também foi vítima da omissão do Estado e da própria escola, com relação ao tratamento dispensado a ela", afirmou.

O conselheiro revelou que a garota já tinha antecedentes de mal comportamento, mas não especificou o que ela teria feito, e disse que, diante desse fato, a escola já deveria ter tomado providências no sentido de dar o apoio psicológico à adolescente.

Para o conselheiro, o episódio retrata a fragilidade do sistema público de ensino do estado. Ele cita também as expressões usadas pela diretora no momento em que era agredida pela adolescente, o que, segundo ele, demonstra uma falta de preparo dos profissionais que atuam na educação pública.

"Há um despreparo muito grande para lidar com isso na educação pública. No vídeo que foi feito a gente ouve a diretora se referindo à aluna como 'louca' e outras palavras ofensivas, ou seja, chegou-se ao limite de uma relação que já tinha sido mal construída", relata o conselheiro.

Antônio Oliveira informou ainda que, após o episódio, a adolescente se automutilou, tendo marcas de cortes nos pulsos. Além disso, ela seria vítima de bullying praticado pelos colegas.

Os vídeos que mostram o momento da agressão foram anexados ao processo que apura o ato infracional.


Notícias relacionadas:

Conselho tutelar afirma que jovem sofreu surto ao agredir diretora

Vídeo mostra aluna agredindo diretora após discussão por causa do fardamento


Em depoimento a delegada, adolescente diz que era perseguida

Durante a tomada de depoimento, a garota atribuiu seu ato violento às perseguições que sofria. E disse que entendeu a advertência da diretora como uma provocação. 

O conselheiro tutelar Antônio Oliveira (Foto: Moura Alves / O DIA)

De acordo com o conselheiro Antônio Oliveira, o caso se trata de "uma tragédia anunciada", uma vez que a escola tinha pleno conhecimento da situação da adolescente e se omitiu diante dos sinais que ela dava de que não conseguia se encaixar naquele ambiente.

"A situação é tão delicada que a menina não teve coragem sequer de falar na frente dos pais. Ela pediu para que ficassem só ela, a delegada e o Conselho. E relatou que sempre teve problemas para conviver com as outras pessoas da escola", acrescenta o conselheiro tutelar.

A Secretaria Estadual de Educação não encaminhou representantes para a oitiva, mas garantiu que a jovem terá vaga em qualquer outra unidade de ensino público no próximo ano. 

A garota fará ainda este mês, na sede da 4ª Gerência Regional Educação, uma prova final para concluir o ano letivo.



Gari é alvejado com cinco tiros por colega de trabalha na BR-343

Vítima resistiu aos ferimento, mas encontra-se em estado grave na ala de estabilização do HUT.

Um trabalhador da coleta de lixo de Teresina foi alvejado com pelo menos cinco disparos de arma de fogo na madrugada desta terça-feira (12) nas proximidades da rotatória que dá acesso a bairro Tancredo Neves, na BR-343. A vítima foi identificada pela polícia como sendo Josino Carvalho Sousa, 29 anos, e o crime teria sido praticado por um colega de trabalho.

Segundo o cabo Renato, da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran), que esteve no local da ocorrência, a vítima e o suspeito teriam uma rixa antiga e, durante uma discussão, um deles sacou a arma e efetuou os disparos. Josino foi atingido com dois tiros no rosto, dois na coxa esquerda e um no tórax, próximo ao coração.

“Quando nós chegamos ao local, ele ainda estava com vida, talvez porque a arma de onde partiram os tiros não fosse de grosso calibre. Nós acreditamos que se trate de um disparo de calibre 22. Se fosse calibre 30 ou 38, ele provavelmente não teria resistido”, explica o cabo Renato.

Josino foi encaminhado para o Hospital de Urgências de Teresina (HUT) por uma ambulância do Samu. O Portal O hospital informou que Josino está internado no setor de estabilização, mas que seu estado é grave e inspira cuidados. A Polícia Militar fez diligências durante a madrugada nas cercanias do Tancredo Neves à procura do suspeito, mas ninguém foi preso até o momento.

11 de dezembro de 2017

Três pessoas morrem em dois acidentes na BR 135

D20 colidiu frontalmente com carreta e duas pessoas morreram. Em outro acidente, um Gol capotou e passageiro sem cinto faleceu.

Dois acidentes graves deixaram três pessoas mortas, neste domingo (10), na BR 135, no trecho entre as cidades de Corrente e São Gonçalo do Gurgueia, no sul do Piauí.

Óleo na pista pode ter sido um dos fatores que provocaram acidente, segundo a PM 

Segundo a Polícia Militar, o primeiro acidente ocorreu por volta das 6h30 da manhã do domingo, na chamada serra de Santa Marta. O motorista de uma picape D20 perdeu o controle da direção e invadiu a pista contrária, colidindo frontalmente com uma carreta.

Um passageiro da D20, identificado como Ricardo Mijotto, faleceu ainda no local. Enquanto o motorista, chamado Marco Roberto, ficou preso às ferragens e foi retirado ainda com vida, mas morreu momentos depois, em decorrência dos graves ferimentos que sofreu.

O motorista da carreta, Milton Silva Coelho, ficou ileso. A PM acredita que o acidente pode ter sido ocasionado pela presença de óleo na pista.


Outra ocorrência

O outro acidente ocorreu com um veículo modelo Gol (placa OLR 8097, de Piracicaba-SP). Segundo a PM, uma mulher estava dirigindo o veículo e teria tentado ultrapassar três carros de uma vez.

Quando estava perto de concluir a manobra, o Gol colidiu na lateral de uma Pampa e acabou capotando. 

"A Pampa também saiu da BR, mas não capotou. Só que a motorista do Gol não conseguiu segurar o carro e acabou capotando. O marido dela vinha sem cinto e faleceu no local. Já a motorista sofreu apenas alguns arranhões", detalha um dos policiais militares que foi até o local da ocorrência.

O grande número de acidentes fatais que têm ocorrido na BR 135, no Piauí, fez com que ela ficasse conhecida como "rodovia da morte". Os desníveis acentuados entre a pista e o acostamento e a largura reduzida da BR são os dois problemas que mais provocam acidentes na estrada, conforme a Polícia Rodoviária Federal. 

Caso JBS: Operação aponta pagamento de RS 160 mi em propina

"Estima-se que o total de créditos tributários liberados à JBS a partir do esquema chegue a 2 bilhões de reais ao longo do período", acrescentou a PF.

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a operação Baixo Augusta, um desdobramento da Lava Jato baseado nas delações premiadas de executivos da JBS que apontam o pagamento de 160 milhões de reais em propina para facilitar a liberação pela Receita Federal de créditos tributários à empresa, informou a corporação.

De acordo com a PF, estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em São Paulo e nas cidades de Caraguatatuba, Campos do Jordão, Cotia e Lins, todas localizadas no Estado de São Paulo.

"As provas já colhidas no inquérito confirmam o relato de que um esquema de pagamento de propinas funcionava desde 2004 para agilizar a liberação de recursos que a companhia teria a receber do Fisco", disse a Polícia Federal em comunicado, acrescentando que as apurações identificaram a participação de um auditor-fiscal da Receita Federal, um empresário, um contador e um advogado falecido em 2016.

"Estima-se que o total de créditos tributários liberados à JBS a partir do esquema chegue a 2 bilhões de reais ao longo do período", acrescentou a PF.

Além dos mandados de busca e apreensão, a Justiça Federal determinou o afastamento do auditor fiscal que estaria envolvido no caso, assim como o bloqueio de bens dos supostos beneficiados pelo esquema e de empresas a ele vinculadas.

Assessor e gerente do Fluminense são presos em operação da Polícia Civil

O Fluminense é o terceiro time do Rio de Janeiro afetado pela operação da Polícia Civil em conjunto com o Ministério Público do Rio

A segunda fase da Operação Limpidus prendeu nesta segunda-feira (11) o assessor da presidência do Fluminense, Arthur Mahmoud, e Filipe Dias, gerente de operações de arenas do clube carioca. A ação da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e do Ministério Público com o Juizado Especial do Torcedor investiga a relação entre clubes e distribuição de ingressos para integrantes de torcidas organizadas.

Os dois prestaram depoimentos na última semana. Nesta segunda-feira, Filipe não foi encontrado pelas autoridades em sua casa. Mais tarde, contudo, o gerente do Fluminense se apresentou à polícia.

Leandro Schilling, chefe da empresa responsável pelos ingressos dos jogos, também foi preso. Nesta segunda-feira, a polícia ainda pretende cumprir mandados contra dirigentes e funcionários do Vasco e líderes de organizadas. Alesson Galbão de Souza, presidente da torcida organizada Raça Fla também foi detido.

"Essa investigação vem desde março deste ano. A gente descobriu que existe um esquema muito grande de venda, de repasse de ingressos de clubes para presidentes de organizadas. E esses ingressos, muitas vezes, caíam nas mãos de cambistas. Tudo vai ser explicado, clareado, porque todo mundo ganha de alguma forma, e quem perde é a sociedade, o povo, a pessoa de bem, que quer assistir seu jogo e não consegue", disse Daniela Terra, delegada da Polícia Civil responsável pelo caso, à "Globo News".

A operação começou para investigar a relação entre clubes e torcidas organizadas. A polícia identificou que mesmo as torcidas que estão banidas dos estádios recebiam regularmente os ingressos, que eram repassados para cambistas e vendidos a preços altíssimos.

O Fluminense é o terceiro time do Rio de Janeiro afetado pela operação da Polícia Civil em conjunto com o Ministério Público do Rio. No dia 1º de dezembro, a Justiça do Rio determinou o afastamento do vice-presidente de estádios do Botafogo, Anderson Simões, e dois funcionários do Vasco: Rodrigo Granja Coutinho dos Santos, conhecido como "Batata", e Edimilson José da Silva, o "Tubarão".

No mesmo dia, o presidente do Fluminense, Pedro Abad, e o vice de futebol do Vasco, Eurico Brandão, haviam sido conduzidos coercitivamente para prestar depoimento. O dirigente do time tricolor admitiu ter feito um acordo para o repasse de tíquetes para algumas torcidas, como maneira de angariar apoio na arquibancada -o Fluminense chegou a brigar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

A Operação Limpidus já prendeu três membros de torcidas organizadas do Fluminense no último dia 1º de dezembro: Manuel de Oliveira Menezes (presidente da Young Flu), Luiz Carlos Torres Júnior, (vice-presidente da Young Flu), e Ricardo Alexandre Alves, o Pará (presidente da Força Flu).

10 de dezembro de 2017

Marido de policial militar é esfaqueado durante assalto no Dirceu

O homem travou luta corporal com um dos bandidos e acabou ficando ferido na barriga. A policial chegou a atirar contra os suspeitos, que conseguiram fugir.

O marido de uma policial militar do Maranhão foi esfaqueado durante uma tentativa de assalto na manhã de hoje (10) no bairro Dirceu, na zona Sudeste de Teresina. O casal estava chegado em casa quando foi abordado por uma dupla em uma motocicleta. Ao perceber que se tratava de uma tentativa de roubo, homem partiu para cima de um dos suspeitos, que estava armado com uma faca.

De acordo com o capitão Suednei, do 8º BPM, o suspeito esfaqueou o marido da PM na barriga. O ferimento foi superficial e ele foi encaminhado ao HUT. “Enquanto um dos assaltantes lutava com o marido dela, o outro ficou na moto aguardando. Foi então que a policial sacou a arma e atirou contra eles, mas não conseguiu atingi-los. O disparo, na verdade, os atordoou e o rapaz que feriu a vítima deixou cair uma série de objetos roubados em outro assalto praticado anteriormente”, relata o capitão.

Os assaltantes fugiram logo em seguida sem levar nada da policial e de seu marido. Dentre os objetos que eles deixaram cair estava uma bolsa com documentos de outra vítima de assalto da dupla em uma parada de ônibus no Dirceu. O caso já foi encaminhado para o Distrito Policial da área e a PM colheu imagens de câmeras de segurança que registraram a abordagem dos criminosos para conseguir identifica-los.

Até o momento, ninguém foi preso.

08 de dezembro de 2017

Professor é suspeito de pagar alunas para irem a aula sem calcinha

Uma equipe de investigação da Polícia Civil foi designada para averiguar a denúncia de mãe de uma das supostas vítimas.

Um professor da rede municipal de ensino da cidade de Demerval Lobão, localizada na região metropolitana de Teresina, está sendo investigado pela Polícia Civil por suspeita de estar aliciando estudantes menores de idade. Segundo a denúncia, feita pela mãe de uma das estudantes, o professor teria pago para as alunas irem às aulas de saia e sem calcinha.

De acordo com o prefeito de Demerval Lobão, Júnior Carvalho, a denúncia foi feita à direção da Escola Municipal Francisco Luís de Melo, na última quarta-feira (6), pela mãe de uma estudante de 12 anos de idade. No seu relato, a mãe comunicou que a criança foi obrigada a ir para a aula de saia, sem usar calcinha.

Em entrevista ao Portal O Dia, o titular da Delegacia de Demerval Lobão, o delegado José Tomáz de Aquino Neto, informou que uma equipe de investigação foi designada para fazer um levantamento sobre o caso. Segundo ele, até o momento, nem a família da suposta vítima e nem a direção da escola, registraram um boletim de ocorrência sobre o fato.

“Nós ficamos sabendo pela própria imprensa e, a partir disso, resolvemos apurar o caso, fazendo um levantamento das informações, para saber se houve aliciamento ou o abuso sexual propriamente dito, também queremos saber quantas vítimas foram e se isso de fato ocorreu”, afirma o delegado.

Por causa da denúncia, a Secretaria Municipal de Educação decidiu afastar o professor das suas atividades profissionais pelo prazo de 60 dias. O prefeito Júnior Carvalho informou ao O Dia, que o professor alega que a denúncia é uma retaliação das supostas vítimas porque ele teria deixado as alunas fazendo atividades de classe no horário do recreio.

07 de dezembro de 2017

Empresário é preso por agredir ex-namorada com golpes de facão

O crime aconteceu no último dia 12 de novembro, na cidade de Floriano, interior do Piauí.

O empresário Valdeci de Oliveira Leite foi preso preventivamente nesta quinta-feira (7), no município de Presidente Dutra no Maranhão, localizado a cerca de 210 km de Teresina, após ser acusado de ter agredido a ex-namorada com golpes de facão. O crime aconteceu no último dia 12 de novembro, na cidade de Floriano, interior do Piauí.

Segundo informações da titular da Delegacia da Mulher de Floriano, a delegada Nayana da Paz, no dia do crime, o acusado teria levado a vítima para um sítio e, no local, teria agredido a mulher com socos, chutes e golpes de facão. Devido as agressões, a mulher teve uma fratura na mandíbula.

Empresário é preso por agredir ex-namorada com golpes de facão . (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

“Ela procurou a delegacia no dia seguinte as agressões e nós emitimos o mandado de prisão preventiva no dia 14, mas quando fomos para prender ele, ele já fugido da cidade”, conta a delegada. Iniciada as investigações, a Polícia Civil fez levantamentos para saber em quais municípios o acusado teria familiares e chegaram a informação de que Valdeci estava escondido na casa de um irmão, na cidade de Presidente Dutra.

De acordo com a delegada, o empresário já possui um inquérito em aberto por violência doméstica contra a mesma vítima. Nesse caso, as agressões teriam ocorrido dentro da faculdade onde ela estuda , também em Floriano.

Valdeci será indicado pelos crimes de lesão corporal grave, ameaça e injúria contra a ex-namorada. O preso será transferido para Floriano, onde ficará custodiado na Penitenciária de Vereda Grande.

Mulher faz ameaças a delegado nas redes para se vingar do ex-marido

A suspeita teria usado o facebook do ex-marido para ameçar e difamar o delegado Menandro, na tentativa de prejudicar o ex-companheiro.

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática conseguiu desvendar, na manhã desta quinta-feira (7), os crimes de ameaça e injúria tendo como vítima o Delegado Menandro Pedro, titular da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre). Segundo a Polícia Civil, a suspeita de ter cometido os crimes é ex-mulher de um militar do Exército e teria ameaçado o delegado pelas redes sociais para se vingar do ex-marido.

De acordo com o delegado Menandro, as ameaças teriam acontecido há pelo menos oito meses, através do Facebook. Uma pessoa desconhecida teria enviado mensagens proferindo ameaças e palavras de baixo calão contra o delegado. A partir disso, o titular da Depre se dirigiu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática para registrar um boletim de ocorrência e tentar desvendar o caso.

Delegado Menandro Pedro foi ameaçado pelas redes sociais. (Foto: Arquivo/O Dia)

“Eu não falei com ninguém, porque nesses momentos, o que devemos fazer é ficar calado e fazer a investigação. Nós descobrimos que as mensagens estavam sendo enviadas do Facebook de um rapaz que estava servindo ao Exército”, relata o delegado. A partir da foto de perfil, a Polícia conseguiu chegar à identidade do primeiro suspeito, um militar do Exército, identificado pelas iniciais W. L. S. S. 

Ao ser intimado para depor, o militar negou ser dono da conta do Facebook. Com isso, o titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, o delegado Daniel Pires, solicitou ao Poder Judiciário a quebra de sigilo da conta e, através do IP do computador, conseguiu chegar à ex-mulher do militar, identificada pelas iniciais Y. S. R. O, que confessou ter utilizado a conta em nome do ex-companheiro para se vingar de uma traição. "Ela sabia que se ameaçasse um delegado, ele seria descoberto e seria prejudicado, foi uma forma de se vingar", destaca o delegado Menandro.

Delegado Daniel Pires elucidou o caso. (Foto: Arquivo/O Dia)

De acordo com o delegado Daniel Pires, os crimes de injúria e ameaça não são passíveis de prisão, mas a suspeita responderá judicialmente pelos crimes e caberá à Justiça determinar a penalidade a ser aplicada.

Polícia resgata animais silvestres mantidos em cativeiro e prende dois

Segundo delegada, animais foram encontrados em "estado deprimente". Os crimes ambientais praticados podem resultar em penas de dois anos e meio de prisão.

A Polícia Civil do Piauí deflagrou, na manhã desta quinta-feira (7), a operação Ártemis, efetuando a prisão de duas pessoas pela prática de crimes ambientais, no município de Capitão de Campos, distante 144 km de Teresina.

A operação foi realizada em conjunto por equipes do 1º DP, do 2º DP e da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Piripiri, sob o comando dos delegados Jorge Terceiro, Ricardo Oliveira e Lucivânia Vidal.

Operação em Capitão de Campos foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, e contou com a participação de policiais de três delegacias (Fotos: Divulgação / Polícia Civil)

De acordo com o delegado Jorge Terceiro, foram localizados vários catitus, raposas, onças pardas, jabutis, tatus, gato Maracajá, e diversas aves silvestres. "Há cerca de um mês estávamos realizando as investigações. O resultado foi a operação deflagrada hoje pela manhã. Até o momento duas pessoas foram presas e dezenas de animais silvestres foram apreendidos", afirmou o delegado.

Além da Polícia, as equipes do Ibama e da Semar também se deslocaram até o local. 

Segundo o delegado Ricardo Oliveira, a operação ocorreu em duas frentes, sendo a primeira na zona urbana da cidade de Capitão de Campos e a segunda na zona rural, mais precisamente num sítio localizado no povoado Montes.

Foram presos em flagrante o proprietário dos imóveis onde os animais foram encontrados, e o caseiro.

 

 

O proprietário chegou a empreender fuga, mas foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal na altura do município de Campo Maior.

Segundo a delegada Lucivania Vidal, os animais foram encontrados em situações degradantes. "O estado dos animais é deprimente. Alguns estavam presos em cubículos, e a onça parda sofreu visíveis maus-tratos, tendo sido extraídas as presas do animal. Além disso, obtivemos a informação de que, há pouco tempo, outra onça também mantida em cativeiro no sítio acabou morrendo", detalha a delegada.

Os suspeitos foram autuados em flagrante pelo crime de manter animais silvestres em cativeiro, com o agravante de que muitos deles são de espécies ameaçadas de extinção.

Eles foram enquadrados no artigo 29 da Lei Federal nº 9.605/98 (§ 1º, inciso III, e § 4º, inciso I), com pena de até um ano e meio de detenção, e no artigo 32 da mesma lei, cuja pena pode chegar a um ano de detenção.

Nome da operação foi inspirado na mitologia grega

O nome da operação - Ártemis - é uma referência à deusa protetora da vida selvagem, dos animais e da caça. Era filha de Zeus com a deusa Leto e irmã gêmea de Apolo.

 

 

  

 

Oito pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas em Valença

A Operação Vale do Sambito foi deflagrada na manhã de hoje (07) para dar cumprimento a 15 mandados judiciais.

Pelo menos oito pessoas já foram presas durante a Operação Vale do Sambito, deflagrada na manhã desta quinta-feira (07), pela Polícia Civil do Piauí, para combater crimes de tráfico de drogas, uso ilegal de armas de fogo, além de libertar animais que sofriam maus tratos através da prática conhecida como rinha de galos.

Fotos: Divulgação/Polícia Civil


A polícia dá cumprimento a 15 mandados judiciais, sendo três de prisão preventiva (dois dos quais pelo crime de estupro de vulnerável) e o restante de prisão temporária e busca e apreensão. Os alvos da operação estão nas cidades de Valença, Novo Oriente e Aroazes. Além das prisões, a polícia conseguiu ainda retirar de cativeiros pássaros ameaçados de extinção.

A Operação Vale do Sambito acontece com o apoio da Gerência de Policiamento do Interior, mobilizando cerca de 30 policiais das Delegacias de Inhuma, Elesbão Veloso, Picos e Barro Duro.

“São ações que nós estamos intensificando, principalmente neste fim de ano, que é um período em que há um aumento natural da criminalidade em todo o Estado. O objetivo é que toda semana deflagremos operações no sentido de combater principalmente o tráfico de drogas e a circulação de armas para que tenhamos um saldo positivo na redução da quantidade de assaltos, roubos e furtos durante este mês de dezembro”, explica o delegado-geral de Polícia Civil do Piauí, Riedel Batista.

Para a Delegacia Geral, o saldo das ações de fim de ano tem sido bastante positivo. De acordo com o delegado Riedel, a Polícia Civil já deflagrou mais de cem ações de combate a crimes de diversas naturezas em 2017.

Trio é perseguido pela população após assalto no bairro Vermelha

Dois homens e uma mulher roubaram um carro, mas não conseguiram fugir porque o pneu do veículo estourou. Populares cercaram o local para onde tentaram escapar.

Duas pessoas foram presas pela Polícia Militar no final da noite dessa quarta-feira (06) após praticarem um assalto próximo à Igreja do Bairro Vermelha, na zona Sul de Teresina. Mas o que chamou a atenção foi o fato de que a perseguição aos criminosos foi feita pelos populares que passavam pelo local e não pela própria polícia.

Segundo os policiais do 1º BPM, que atenderam a ocorrência, dois homens e uma mulher roubaram um veículo modelo Siena nas proximidades da Vermelha, mas acabaram sendo frustrados na tentativa de fuga. Isso porque um dos pneus do carro estourou e eles perderam o controle da direção em uma curva.

Foi o momento em que os populares, que presenciaram o assalto, se aproximaram e cercaram o veículo e os suspeitos. Estes, por sua vez, fugiram em direção a uma escola, que fica em frente à igreja do bairro, na tentativa de fugir da população. Uma viatura da PM, após receber informações de um tumulto na região, se dirigiu até o local e, ao chegar, se deparou com os populares cercando a escola e fechando a rua para tentar capturar os assaltantes.

Um deles saiu correndo as perceber a presença da polícia e foi perseguido pelos populares, que conseguiram cerca-lo ao final da rua. Além dele, uma mulher, suspeita de homicídio, também foi detida e encaminhada para a Central de Flagrantes. O terceiro suspeito conseguiu fugir e ainda não foi localizado.

“Com eles a gente encontrou um revólver calibre 38 que foi usado para tomar o carro de assalto. Dentro do veículo tinha ainda a bolsa da proprietária e um notebook que foram recuperados. Agora estamos tentando localizar o terceiro participante do delito. O nome nós já temos, os presos nos informaram. É questão de tempo até efetuarmos sua prisão”, informou o coronel Teixeira, comandante do 1º BPM.

O rapaz e a moça suspeitos do assalto foram autuados em flagrante e encaminhados para a Central, onde permanecem recolhidos.

06 de dezembro de 2017

MP denuncia capitão da PM pelo assassinato de Camilla Abreu

A denúncia foi entregue na manhã desta quarta-feira (6) ao Poder Judiciário. Allisson Wattson responderá na justiça criminal por quatro crimes.

O Ministério Público do Piauí denunciou, nesta quarta-feira (6), o capitão da Polícia Militar, Allisson Wattson, pelo feminicídio da estudante de direito Camilla Abreu. A denúncia foi entregue ao Poder Judiciário na manhã de hoje, pelo promotor de Justiça João Mendes Benigno Filho. 

Com a denúncia, o policial responderá por quatro crimes, sendo eles: homicídio qualificado por motivo fútil; impossibilidade de defesa da vítima; ocultação de cadáver e fraude processual. O capitão da PM confessou ter assassinado e ocultado o cadáver da sua então namorada Camilla Abreu, desaparecida no dia 26 de outubro. 

Allisson Wattson e Camilla Abreu eram namorados. (Foto: Reprodução)

O inquérito policial, conduzido pela Delegacia de Homicídios, foi concluído no último dia 30 de novembro, após a análise dos laudos periciais, dos depoimentos das testemunhas e do próprio acusado, além de outros procedimentos de investigação. 

A reportagem do Portal O Dia entrou em contato com o promotor responsável pela denúncia, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Entenda o caso

A estudante Camilla Abreu foi dada como desaparecida pela família no último dia 26 de outubro. Segundo os familiares, a jovem havia sido vista pela última vez na companhia do namorado, o capitão da Polícia Militar, Alisson Wattson. Após seis dias de investigação, o corpo de Camilla foi encontrado em um matagal no Povoado Mucuim, na zona Rural de Teresina. Em depoimento, o namorado da jovem informou para a Polícia Civil onde havia ocultado o corpo e confessou o crime de feminicídio.

Pivô da guerra na Rocinha, traficante Rogério 157 é preso no Rio de Janeiro

Depois de seis dias de confrontos, 950 homens das Forças Armadas cercaram os acessos à Rocinha para tentar prender os envolvidos na disputa

A polícia prendeu, na manhã desta quarta-feira (6), o traficante Rogério Avelino dos Santos, o Rogério 157. Ele foi preso na comunidade do Arará, na zona norte do Rio, durante uma megaoperação das forças policiais nas favelas da capital fluminense.

Rogério 157 é suspeito de liderar uma invasão à favela da Rocinha pelo controle do tráfico de drogas na comunidade. Ele estava foragido e era o criminoso mais procurado no Rio. A Secretaria de Segurança Pública chegou a oferecer R$ 50 mil de recompensa pelo paradeiro dele.

Segundo a polícia, o traficante não ofereceu resistência à prisão e foi encaminhado para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho.


Militares em operação na favela da Rocinha após guerra entre quadrilhas rivais de traficantes pelo controle da área. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Guerra na favela

Desde setembro, a Rocinha é palco de tiroteios e assassinatos. Isso porque houve uma disputa territorial pelo comando da venda de drogas entre os traficantes Nem e Rogério 157. A partir dessa disputa, a crise da segurança se espalhou por ao menos outras seis favelas do Rio.

Nem que até então era líder da facção ADA (Amigos dos Amigos), foi preso em 2011. Segundo as investigações da polícia, de lá para cá, o comando do tráfico na região passou para as mãos de Rogério 157, ex-segurança pessoal de Nem.

Mas houve um racha entre Nem e Rogério 157. Em agosto deste ano, da prisão, Nem deu ordem para que Rogério deixasse o morro, mas ele ignorou. Três aliados de Nem foram encontrados mortos depois disso. Segundo a polícia, as mortes foram executadas a mando de Rogério 157.

No dia 17 de setembro, traficantes da ADA da Rocinha e de outros morros se uniram para invadir a favela e expulsar Rogério 157. Bandidos do Comando Vermelho ofereceram abrigo ao grupo de Rogério em outras comunidades Depois de seis dias de confrontos, 950 homens das Forças Armadas cercaram os acessos à Rocinha para tentar prender os envolvidos na disputa.

Nova operação

Desde a madrugada desta quarta, cerca de 2.900 homens das polícias Civil, Militar e Federal, da Força Nacional e das Forças Armadas realizam uma operação em favelas da zona norte do Rio. A ação está concentrada nas comunidades de Mangueira, Tuiuti e Arará/Mandela.

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança, as Forças Armadas estão responsáveis pelo cerco nas comunidades e baseadas em pontos estratégicos. Algumas ruas, como a Visconde de Niterói, estão interditadas e o espaço aéreo está controlado, com restrições para aeronaves civis. A secretaria informou ainda que não há interferência nas operações dos aeroportos Santos Dumont (doméstico) e do Galeão (internacional).

Polícia prende mais um acusado de estupro no interior do Piauí

Foi a terceira prisão por abuso sexual efetuada pela polícia em menos de 24h. Em Floriano, um vigia e um cuidador de crianças já havia sido detidos pelo mesmo crime.

Dando continuidade a uma série de ações para coibir crimes sexuais no interior do Piauí, a Polícia Civil prendeu, nessa terça-feira (05) mais um homem acusado de estupro, desta vez na cidade de Elesbão Veloso, a 169 quilômetros de Teresina. Trata-se de José Paixão Gomes da Silva, acusado de ter violentado uma mulher na manhã de ontem no município.

De acordo com a Polícia Civil, José teria invadido o quarto da vítima, identificada pelas iniciais M.N.B, e teria tentando força-la a manter relações sexuais com ele. A jovem ainda teria resistido e tentado se defender do agressor, chegando a se lesionar, mas não conseguiu impedi-lo.

Acionada, uma equipe da Delegacia Regional de Elesbão Veloso deu início às diligências e conseguiu efetuar a prisão de José em sua residência no Município horas depois do crime. O acusado confessou a autoria do delito e foi autuado em flagrante por estupro e lesão corporal.

Terceira prisão em 24 horas

Além de José Paixão Gomes da Silva, a Polícia Civil prendeu, dessa vez na cidade de Floriano, a 247 Km de Teresina, mais dois homens acusados de estuprar crianças . Um deles, de nome Alan Kardec Alves Reis, teria abusado sexualmente das próprias filhas e ameaçado a esposa.

O acusado trabalhava como cuidador de crianças com necessidades especiais em Floriano e, diante da informação, a Delegacia da Mulher, que coordenou a ação, está investigando a possível existência de outras vítimas de Alan Kardec, além das próprias filhas do acusado.

O segundo acusado foi identificado como sendo Paulo de Tarso Oliveira Varão, que trabalhava como vigia em uma escola particular da cidade. Segundo a polícia, ele é suspeito de abusar sexualmente de quatro crianças de seis anos, de ambos os sexos, dentro da escola onde exercia seu posto.

05 de dezembro de 2017

Polícia prende suspeito de fazer série de assaltos em Porto do Piauí

Raimundo Nonato é um dos fugitivos da Penitenciária Regional Luiz Gonzaga Rebelo, em Esperantina.

A Polícia Civil e a Polícia Militar do município de Porto, localizado a cerca de 190 km de Teresina, prenderam nesta terça-feira (5), um homem, identificado como Raimundo Nonato Xavier Filho, suspeito de praticar uma série de assaltos na região. Segundo a PM, Raimundo Nonato é um dos fugitivos da Penitenciária Regional Luiz Gonzaga Rebelo, em Esperantina.

O suspeito é apontado como autor de vários delitos cometidos nos últimos dias na cidade de Porto, incluindo os assaltos a um posto de gasolina e uma residência na tarde de ontem (4), cuja ação foi filmada por câmeras de segurança (Veja o vídeo no final desta matéria). Além de Raimundo Nonato, a Polícia Militar acredita que outros assaltantes também estariam envolvidos nos crimes. 

Raimundo Nonato é apontado como autor de vários delitos cometidos nos últimos dias na cidade de Porto. (Foto: Reprodução)

Raimundo Nonato cumpria pena de vinte anos no Presídio de Esperantina pelo crime de latrocínio e foi preso novamente após denúncias de populares. A PM afirma que continua realizando diligências para capturar outros supostos envolvidos nos assaltos cometidos recentemente na região. 

Aterrorizados com a onda de crimes no município, os moradores pretendem realizar uma grande manifestação nas ruas da cidade para chamar atenção das autoridades quanto ao aumento da criminalidade.

Veja vídeos da ação:



Polícia Civil de Floriano prende dois homens suspeitos de estuprar crianças

O primeiro suspeito teria estuprado as próprias filhas menores de 12 anos. Já o segundo, é vigia de uma escola e teria abusado sexualmente de quatro crianças de 6 anos.

A Polícia Civil de Floriano, por meio da Delegacia da Mulher, deu cumprimento, na manhã desta terça-feira (5), a dois mandados de prisão preventiva contra dois homens suspeitos de praticarem estupro de vulnerável contra crianças do município, localizado a cerca de 240 km de Teresina.

Segundo informações da titular da Delegacia da Mulher de Floriano, a delegada Nayana da Paz, o primeiro suspeito, identificado como Alan Kardec Alves Reis, teria estuprado as duas filhas, menores de 12 anos. Já o segundo, identificado como Paulo de Tarso Oliveira Varão, é suspeito de ter abusado sexualmente de quatro crianças de seis anos, de ambos os sexos, dentro da escola na qual trabalhava como vigia.

O primeiro caso chegou ao conhecimento da Polícia, após a esposa de Alan Kardec registrar um boletim de ocorrência por violência doméstica. Na delegacia, as assistentes sociais do município foram informadas que, além de violentar e ameaçar a esposa, o suspeito também teria estuprado as duas filhas. 

Alan Kardec é suspeito de estuprar as duas filhas menores de 12 anos. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

De acordo com a delegada, a prisão preventiva foi pedida com urgência após a Polícia ser notificada que Alan Kardec também trabalhava como cuidador de crianças com necessidades especiais na rede municipal de ensino da cidade.

“No caso da criança com necessidade especial, é muito difícil que elas relatem qualquer tipo de abuso. Nós esperamos que, com essa prisão dele, os pais podem vir a se atentarem a mudanças no comportamento dos filhos e também venham denunciar qualquer abuso que possa ter sido cometido pelo suspeito”, afirma a delegada.


Vigia teria estuprado crianças de seis anos

O segundo preso, por sua vez, era vigia de um colégio particular da cidade e acusado de ter praticado atos libidinosos em quatro crianças de apenas 6 anos de idade. A Polícia Civil só tomou conhecimento dos crimes que estariam sendo cometidos pelo vigia, após uma das crianças contar para a mãe sobre ter sido vítima de abuso sexual.



Titular da Delegacia da Mulher de Floriano, delegada Nayana da Paz. (Foto: Reprodução)

“As crianças começaram a conversar entre si, sobre o que o vigia fazia com elas, e a professora viu essa conversa e indagou os alunos”, conta a delegada Nayana da Paz. Após serem levados para a diretoria e relatar os abusos, uma das crianças contou para a mãe, que foi até a Delegacia do município registrar um boletim de ocorrência.

De acordo com a delegada, para cometer os abusos, o vigia colocava as crianças no colo e tocava as partes íntimas das vítimas. Uma das crianças chegou a ser levada pelo suspeito para um depósito dentro da escola e foi vítima de estupro.   

Ambos os suspeitos negam as acusações e deverão ser indiciados pelo crime de estupro de vulnerável. A Delegacia da Mulher de Floriano está conduzindo as investigações sobre os dois casos e deverá concluir o inquérito em até 10 dias. Paulo de Tarso e Alan Kardec foram conduzidos para a Penitenciária de Vereda Grande, em Floriano.

Paulo de Tarso é suspeito de abusar sexualmente de quatro crianças menos de seis anos. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Preso escapa de presídio e sindicato alerta que fugas aumentam no fim do ano

Superlotação, falta de estrutura e número reduzido de servidores agrava situação do sistema prisional piauiense, denuncia Sinpoljuspi.

Um preso identificado como Wanderson Silva Ferreira fugiu da Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina, em Parnaíba. Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), não se sabe exatamente o horário da fuga, mas se estima que ocorreu durante a madrugada.

Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina, em Parnaíba (Foto: Google Maps)

O detento que fugiu foi condenado por furto, e estava numa cela localizada na ala 2 do presídio.

O presidente do Sinpoljuspi, José Roberto Pereira, afirma que a fuga foi facilitada porque havia apenas um cadeado no portão da cela, embora o correto seria haver três cadeados. "O preso forçou a parte de baixo e conseguiu passar entre o chão e a grade. Outros dois estavam no local, e se quisessem também teriam escapado", afirma o sindicalista.

A Penitenciária de Parnaíba tem capacidade para abrigar 157 presos, mas atualmente possui cerca de 530 detentos. "É uma situação complicada, porque, além de ser superlotada, essa unidade não tem estrutura adequada para funcionar como presídio. O prédio era um mercado público e foi adaptado para se tornar uma penitenciária. Para se ter uma ideia, as paredes são de tijolos, o que deixa o presídio completamente exposto a esse tipo de ocorrência. Mas é importante ressaltar que o sistema prisional do Piauí sofre por conta de três problemas principais. Além da falta de estrutura e da superlotação, há ainda o baixo efetivo de servidores", afirma José Roberto Pereira.

Em novembro, o Sinpoljuspi encaminhou um ofício ao Governo do Estado solicitando medidas destinadas a reforçar a segurança nas unidades penais neste final de ano, período em que, historicamente, há um aumento no número de fugas. "Se o Estado não tomar as providências que cabe a ele tomar, o resultado de todo esse descaso não pode ser imputado ao servidor, de forma alguma", acrescenta José Roberto Pereira.

No documento, o sindicato exige também que o Governo convoque para o curso de formação os 316 candidatos aprovados no concurso para o cargo de agente penitenciário feito pela Secretaria de Justiça. Por enquanto, foram confirmados no curso apenas 75 classificados.

Por meio de nota, a Gerência da Penitenciária de Parnaíba informou que está "em procedimento de buscas, com apoio dos órgão de segurança pública e prisional", para localizar o fugitivo.

Mãe denuncia o próprio filho à polícia por assaltos na zona Sul de Teresina

Segundo a polícia, a mulher não estaria mais sabendo lidar com a agressividade do rapaz e resolveu entrega-lo junto com um comparsa quando estes praticavam assaltos.

A Polícia Militar, por meio da uma guarnição do 17º BPM, no bairro Porto Alegre, apreendeu dois adolescentes suspeitos de cometer assaltos na zona Sul de Teresina, na noite desta segunda-feira (04). Mas o que surpreendeu os policiais foi o fato de que um dos suspeitos foi entregue pela própria mãe, que estaria cansada de lidar com a agressividade do filho.

A informação é do coronel Iran Moura, comandante do Batalhão. De acordo com ele, a mulher sabia que o filho tinha saído, junto com um comparsa, para cometer assaltos pela região. Então decidiu procurar uma viatura e informar a localização dos rapazes, que foram pegos em flagrante.

“Ela nos disse que havia uma dupla assaltando transeuntes na Rua Felicidade, na Vila Irmã Dulce. Nós nos dirigimos até o local e encontramos os supostos acusados. Um empreendeu fuga, mas o outro acabou sendo capturado: o filho da senhora que tinha feito a denúncia.

Segundo o cabo Vieira, comandante da guarnição que atendeu à ocorrência, o rapaz ficou sem reação quando a polícia chegou e soube que sua mãe o havia denunciado. “Ele estava atônito, não teve nem a reação de correr”, afirmou o cabo.

Com o adolescente, a polícia apreendeu uma motocicleta roubada modelo Honda 125 de placa NIU-7991 e um smartphone também roubado. O rapaz foi autuado em flagrante por assalto e encaminhado para a Central, onde permanece recolhido.

“É uma situação com a qual a gente nunca espera se deparar, mas se uma mãe chega ao ponto de denunciar o próprio filho, é porque de fato a situação já está insustentável”, resume o coronel Iran.

04 de dezembro de 2017

Assaltantes fazem arrastão em casa e posto de gasolina em Porto do PI

Segundo informações da PM, os criminosos são fugitivos da Penitenciária de Esperantina. A ação criminosa durou menos de 30 minutos.

Dois homens armados, ainda não identificados pela Polícia, fizeram um arrastão na cidade de Porto, localizada a cerca de 190 km de Teresina. Segundo informações da Polícia Militar, os assaltantes teriam roubado um posto de gasolina e uma residência no município. A ação criminosa teria durado menos de 30 minutos. Esse é o segundo assalto ao mesmo posto de gasolina em menos de uma semana. 

Assaltantes fazem arrastão em casa, loja e posto de gasolina em Porto. (Foto: Francisco Barbosa)

De acordo com o sargente Jota Luís, os criminosos são fugitivos da Penitenciária de Esperantina e estariam fazendo uma série de assaltos na região. Na ação, os assaltantes levaram cerca de R$ 200 em dinheiro e uma motocicleta de um cliente que estava no posto de gasolina no momento do ocorrido. Após assaltar o posto, a dupla armada se dirigiu para o bairro Alto Bonito, onde adentraram uma residência e teriam rendido uma mulher grávida.

"Depois que saíram dessa casa, eles ainda entraram em uma loja de eletrodomésticos, mas desistiram e saíram sem levar nada. Nós saímos em perseguição, mas eles entraram no mato, em uma região onde a viatura não podia entrar e acabamos perdendo eles de vista", relata o sargento.

Uma equipe da Polícia Militar ainda está em diligências em busca dos suspeitos. Ainda não há confirmação sobre a identidade dos indivíduos envolvidos no assalto.

Jogador é morto a caminho da delegacia para denunciar assalto

Segundo a Polícia Civil, zagueiro Paulo Alex foi assassinado quando seguia para a delegacia para prestar queixa de um roubo que sofreu na Baixada Fluminense. Ele tinha 20 anos

Um jogador de futebol foi morto a tiros após ser assaltado na madrugada deste domingo em Queimados, na Baixada Fluminense. De acordo com a Polícia Civil, Paulo Alex Silva Machado, de 20 anos, foi assassinado quando ia prestar queixa de um assalto que sofreu no bairro Porteira. Ele teve o carro e pertences roubados por quatro homens armados.

Paulo Alex foi morto durante assalto no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo a Polícia Civil, o jogador, que estava acompanhado de um amigo e da família, estava seguindo para a delegacia a pé, quando os mesmos suspeitos passaram com o carro roubado e atiraram na direção do grupo na Avenida Pedro Jorge. Paulo Alex morreu na hora e outras duas pessoas ficaram feridas em estado grave.

Ainda de acordo com a polícia, Paulo e um amigo saíram de casa por volta da 0h com o carro do pai do jogador e retornaram por volta das 3h20, informando que haviam sido assaltados pelos suspeitos, que estavam em duas motos.

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense. A polícia informou que irá utilizar imagens de câmeras de segurança para identificar os autores do crime. Até o fechamento da reportagem, nenhum suspeito havia sido detido.

Criado na base do Artsul, Paulo Alex era zagueiro e ainda havia jogado pelo Madureira e pelo Riograndense-RS.

Denúncia por apologia ao nazismo demora 8 anos para ser julgada

No Facebook, réu disse que o Brasil precisa de um novo holocausto. Ele responde a outro processo como membro da Irmandade Homofóbica.

Tramita desde 2013 um inquérito policial instaurado pela Delegacia de Crimes Virtuais, que investigou os crimes de manifestação de ódio contra LGBT, negros, judeus e apologia ao nazismo, praticados através das redes sociais. A primeira audiência na 9º Vara Criminal foi marcada somente para 2021, ou seja, oito anos depois de oferecida a denúncia.

O réu chama-se Lucas Veríssimo de Sousa, que já responde a outro processo como suposto membro da Irmandade Homofóbica. Em novembro aconteceu a primeira audiência de instrução sobre esse caso, mas o julgamento foi adiado para o mês de maio, devido à ausência de algumas testemunhas.

No processo por apologia ao nazismo, o Ministério Público ofereceu a denúncia com base na análise do IP do computador de Lucas Verísssimo, acusado de criar o perfil “Resistência NS Piauí”, através do qual postava mensagens de conteúdo racista e homofóbico. Em uma das postagens, o administrador da página escreveu que africanos são ladrões, traficantes, assaltantes e fedorentos. Em outro texto, ele defendeu que “o Brasil precisa de um novo holocausto”.

As denúncias contra Lucas Veríssimo têm pena de até cinco anos de prisão e pagamento de multa. A punição pode ser maior porque os crimes de apologia ao nazismo e manifestação de ódio contra LGBT, negros e judeus foram praticados através da internet.

O Portal O DIA não conseguiu contato com o réu. Seu advogado informou que só atua no processo relacionado à Irmandade Homofóbica. 


03 de dezembro de 2017

Agentes penitenciários abortam tentativa de fuga no Presídio de Floriano

Detentos teriam tentado fugir fazendo um buraco na parede de umas das celas. Uma corda feita de panos e lençóis teria sido usada na tentativa de fuga.

Os agentes penitenciários do Presídio Gonçalo de Castro Lima, em Floriano, abortaram uma tentativa de fuga na tarde deste sábado (02), durante uma vistoria nas celas da unidade prisional. Segundo informações do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), os detentos teriam feito um buraco na parede de uma das celas para tentar fugir. Durante a vistoria ao pavilhão, os agentes encontraram ainda uma “Teresa”, espécie de corda feita com panos e lençóis, que seria utilizada na fuga.

De acordo com o presidente do Sinpoljuspi, José Roberto, o buraco foi encontrado no pavilhão A, que abriga atualmente cerca de 90 presos, durante uma vistoria de rotina. Ao fazer a contagem dos presos, os agentes penitenciários teriam notado uma movimentação estranha no local e acionado a Força Tática de Floriano para auxiliar na entrada ao pavilhão. No local, estão detidos presos que cumprem pena pelos mais diversos tipos de crime, entre eles, assaltos, estupros e homicídios. 

Buraco foi encontrado em uma das celas. (Foto: Divulgação/Sinpoljuspi)

Para o presidente do Sinpoljuspi, a estrutura do presídio facilita esse tipo de fuga, uma vez que as paredes da unidade são feitas com tijolos comuns. “Ao contrário da Casa de Custódia, em que muitas vezes os presos cavam buracos para passar por baixo da estrutura de concreto, no presídio de Floriano, a estrutura é da década de 70, feita com tijolos comuns. A penitenciária antes era um depósito do Exército que foi transformado em um presídio, então até com colheres de plástico, eles conseguem cavar um buraco na parede”, relata. Segundo ele, os detentos planejavam empreender fuga no período da noite.

Em nota, a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus) informou que tão logo recebeu a informação sobre a tentativa de fuga dos presos, enviou reforços do Comando de Operações Prisionais (COP) e de militares da Força Tática do 3° Batalhão da Polícia Militar para o local. Segundo o órgão, a gerência da Penitenciária de Floriano está adotando medidas disciplinares e um procedimento administrativo será aberto para investigar o ocorrido.

Veja a nota da Sejus na íntegra:

Uma tentativa de fuga foi abortada, por volta das 15h desse sábado (2), na Penitenciária Gonçalo de Castro Lima, em Floriano.

A gerência da unidade recebeu informações da Diretoria de Inteligência e Proteção Externa da Secretaria de Justiça (Dipe), de que detentos tentariam fugir.

Devido à informação, reforço do Comando de Operações Prisionais (COP) e militares da Força Tática do 3° Batalhão da Polícia Militar foram chamados para evitarem fuga de presos.

As equipes de segurança vistoriaram pavilhões e encontraram um buraco em uma das celas. Uma "teresa" (corda feita de panos e lençóis) foi encontrada.

A gerência da Penitenciária de Floriano está adotando medidas disciplinares e um procedimento administrativo será aberto para investigar o ocorrido.

A saga de uma mãe virou espiã nas redes para achar assassino de filho

Maik tinha 19 anos quando foi morto por motivo fútil em uma festa em Cuiabá; sua mãe, Patrícia Gusmão, monitorou parentes de criminoso pelas redes sociais até ter pistas de seu paradeiro.

Diariamente, a comerciante Patrícia Gusmão, de 40 anos, se recorda do filho caçula enquanto se arruma para ir à universidade, onde cursa o terceiro semestre de Direito, em Cuiabá. As lembranças de Maik Joilson Gusmão costumam ser mais intensas no momento em que ela vai estudar. Foi por conta do jovem, assassinado em 1º maio de 2016, que a mulher começou a faculdade.

O curso de Direito nunca foi um sonho para a comerciante, que é formada em serviço social. Ela somente decidiu fazer a segunda faculdade após se ver perdida em meio a termos jurídicos que constavam no processo referente ao assassinato de seu filho.

"Eu ficava incomodada por não entender o que o juiz estava dizendo e por precisar sempre recorrer ao advogado para compreender os termos", conta.

Patrícia fez questão de acompanhar cada passo das investigações oficiais e dos trâmites jurídicos relacionados à morte do filho. Maik foi assassinado enquanto participava da festa de aniversário de um dos irmãos, em um clube, na capital mato-grossense. Conforme denúncia do Ministério Público Estadual de Mato Grosso, o jovem foi morto por motivo fútil. Ele estava na comemoração, quando Elton Victor Silvestre da Silva, de 20 anos, pulou o muro do clube.

O criminoso, conhecido como Vitinho, entrou no local após ser impedido pela portaria, por estar armado com uma pistola 380. Testemunhas relataram à Polícia Civil que o rapaz teria iniciado uma discussão com participantes da festa e Maik teria tentado apartar a confusão.

Maik - que comemorava sua reabilitação, após fraturar o fêmur durante um acidente de trabalho - foi empurrado, caiu no chão e levou três tiros. Ele morreu ali mesmo, três dias antes de completar 20 anos. "Eu perdi o meu chão", diz Patrícia.

Logo após disparar contra a vítima, Vitinho atirou na perna de um amigo de Maik e fugiu para destino desconhecido. Abalada com a morte do filho mais novo, Patrícia Gusmão vivenciou intensamente o luto nas primeiras semanas. Porém, percebeu que as investigações sobre o homicídio do filho pouco evoluíam.

"A Polícia Civil estava muito empenhada, mas sei que há outros diversos casos. Como era eu que tinha perdido meu filho e era a mais interessada nisso, decidi ir atrás do assassino."

A comerciante passou a investigar o caso por conta própria. Ela utilizou um perfil de Facebook antigo da irmã, adicionou parentes de Vitinho e passou a acompanhar a rotina deles, por meio de publicações na rede social. A primeira pista que teve foi por meio de uma prima do rapaz. "Essa moça sempre marcava o assassino nas publicações e também interagia com a namorada dele, como se estivesse passando recados, então passei a ficar atenta nisso."

A descoberta sobre o paradeiro de Vitinho veio após a prima dele comemorar a descoberta de uma gravidez. "Ela publicou a foto de um exame e anunciou que estava grávida. Nisso, ela marcou muita gente, incluindo o assassino do meu filho. Depois de ver essa postagem, tive certeza que eu estava perto de descobrir para onde ele havia ido."

Patrícia conta que a publicação da prima de Vitinho mostrava o nome da clínica na qual fora feito o exame. Com base nisso, a comerciante procurou a delegada responsável pelo caso.

"Pedi que ela me ajudasse a descobrir onde ficava aquele lugar, porque seria uma ajuda importante para as investigações", relata. A Polícia Civil fez um levantamento e descobriu que a clínica estava localizada no município de Araputanga (MT). "Eles foram até lá e pediram, com mandado judicial, o endereço da prima do assassino."

Depois de monitorar a residência da jovem grávida, a Polícia Civil localizou Vitinho. O rapaz estava no local desde que fugiu de Cuiabá. Ele foi preso em 20 de junho do ano passado. Durante interrogatório, confessou o crime. Depois foi encaminhado à Penitenciária Central de Mato Grosso e foi indiciado por homicídio qualificado, por ter dificultado a defesa da vítima, e motivação fútil. Em razão do tiro na perna do outro jovem, ele foi indiciado também por crime de lesão corporal.

Responsável pelo inquérito policial do crime, a delegada Juliana Chiquito Palhares, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá, considera a participação da mãe da vítima como extremamente relevante para as investigações. "Ela trazia ao nosso conhecimento todas as informações que ouvia sobre o crime. Ela era como um catalizador de informações."

A delegada frisa que a comerciante foi orientada a não tomar nenhuma atitude por conta própria. "A investigação é uma atividade que exige qualificação e muita segurança, por isso ela nunca foi incentivada a praticar os atos por si. Isso foi muito importante, porque desta forma conseguimos estabelecer uma parceria produtiva", afirma.

A prisão do rapaz representou a conclusão do capítulo inicial da busca de Patrícia por justiça. "Eu fiquei mais aliviada, mas depois que ele foi preso, fiquei acompanhando todo o caso, para ter certeza de que ele não seria solto", comenta a mãe.

Condenação

O rapaz permaneceu em prisão preventiva até a data do júri popular, em 25 de setembro deste ano. Patrícia acompanhou o julgamento. "Eu queria que ele ficasse preso pelo resto da vida, para que não fizesse com outra pessoa o que fez com o meu filho."

Vitinho não possuía antecedentes criminais e argumentou à Justiça que cometeu os disparos como legítima defesa. A tese não foi acolhida pela juíza Monica Catarina Perri Siqueira, da Primeira Vara Criminal de Cuiabá. "Provas colhidas durante a instrução processual e ratificadas hoje em plenário revelam que Elton desfechou três disparos contra Maik, dois deles, inclusive, quando ele já estava caído ao solo, circunstância apta a demonstrar o firme desejo homicida do réu", assinalou a magistrada.

A juíza reafirmou que o crime teve motivação fútil e os disparos contra Maik foram feitos em razão de o jovem ter intervindo em uma briga protagonizada pelo réu. "O comportamento da vítima não influenciou na prática delitiva, uma vez que era um dos responsáveis pelo evento e pretendia apenas evitar que ocorressem entreveros naquele local."

O Tribunal do Júri condenou Vitinho pelos crimes cometidos em 1º de maio do ano passado. A magistrada determinou que ele continue recluso por 16 anos e cinco meses, em regime inicialmente fechado. A advogada do réu chegou a solicitar que ele cumprisse a pena em liberdade vigiada, mas o pedido não foi acolhido pela juíza.

Patrícia Gusmão ficou insatisfeita com a pena. "A decisão não foi o que eu esperava, pois acredito que ele estará na rua em um tempo muito menor do que 16 anos. Mas como eu já me desgastei muito com tudo isso, preferi aceitar, porque nada que seja decidido pela Justiça vai trazer meu filho de volta."

A defesa do réu recorreu e pediu redução de pena. Agora o caso tramita no Tribunal de Justiça de Mato Grosso e aguarda uma nova decisão.

Acalentando a perda

Desde que o filho morreu, Patrícia busca formas para seguir em frente. O estudo foi uma das alternativas que encontrou. "Eu tinha prometido ao meu filho que um dia iria fazer Direito, por isso me dedico tanto à universidade. Ainda não sei o que farei depois de formada, porque isso nunca foi um sonho pra mim. Mas é uma forma que encontrei para homenageá-lo", diz.

Logo após a morte de Maik, a comerciante mudou de casa - junto com os outros dois filhos e o marido - porque as lembranças de Maik estavam por todos os lados. "Eu sempre ficava na janela olhando, porque eu acreditava que ele fosse voltar. Meus outros filhos não entendiam, mas eu tinha essa sensação."

Na nova residência, ela guardou um quarto somente para o jovem, onde colocou tudo o que pertencia a ele. O cômodo se tornou o refúgio da comerciante, que não conseguiu se desfazer de nenhum item relacionado ao filho. "É aqui que venho quando não estou bem ou estou com muita saudade dele", diz, enquanto senta na cama de Maik.

Em meio às lembranças, ela revela que um de seus maiores alentos é justamente ter conseguido localizar o assassino do filho. "Eu não gostaria de viver tudo isso novamente, porque é muito triste. Mas eu sei que se eu não tivesse encontrado o assassino, ainda estaria buscando, até que ele fosse encontrado."

01 de dezembro de 2017

Mulher é presa suspeita de aplicar golpe do falso emprego em Parnaíba

Ana Catarina Brito Cunha teria cobrado um valor de R$ 350 para cadastro do currículo das vítimas na Prefeitura e no Governo do Estado. Após o pagamento, a suspeita sumia com o dinheiro.

Foi presa nesta sexta-feira (01), uma mulher identificada como Ana Catarina Brito Cunha, suspeita de aplicar o golpe do falso emprego em pelo menos 15 vítimas no município de Parnaíba, localizado a cerca de 340 km de Teresina. A prisão foi efetuada pela Polícia Civil de Parnaíba, por meio da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio de Parnaíba (Depatri), após investigação presidida pelo delegado Igor Gadelha.

Segundo o titular da Depatri, o delegado João Rodrigo Luna, a suposta estelionatária entrava em contato com as vítimas pela internet para oferecer vagas de emprego e cobrava uma taxa de R$350 pelo cadastro do currículo na Prefeitura e no Governo do Estado. Com a falsa promessa de serem empregadas por Ana Catarina, as vítimas pagavam a taxa e recebiam até um recibo comprovando o pagamento. Após o pagamento, a mulher sumia com o dinheiro das vítimas.

“A pessoa colocava o currículo à procura de emprego, ela analisava o currículo e dizia que tinha um contato na Prefeitura e no Governo do Estado e que ia conseguir uma vaga, mas antes precisava do pagamento dessa taxa”, relata o delegado João Rodrigo Luna. Através do cumprimento do mandado de busca e apreensão na residência de Ana Catarina, a Polícia Civil encontrou os recibos que a suspeita repassava para as vítimas. A suspeita é de que o golpe estaria sendo aplicado há cerca de quatro meses.

Ana Catarina já possui diversas passagens pela Polícia pelo crime de estelionato, e foi presa dentro da Delegacia, após ser intimada para prestar esclarecimentos sobre outros processos. “Foi expedida a intimação e, ao chegar aqui, verificamos que ela também tinha um mandado de prisão em aberto, a partir de uma investigação presidida pelo delegado Igor Gadelha”, destaca o titular da Depatri.

A suspeita foi conduzida para a Central de Flagrantes de Parnaíba, onde encontra-se à disposição da justiça. A Polícia Civil solicita ainda à população local a realização de denúncias anônimas de crimes, medida esta que tem surtido efeito e traz benefícios a sociedade. Para denunciar basta clicar no link abaixo e preencher os campos.

Clique aqui: bit.ly/denunciapcphb 

PF investiga sumiço de jovem do MT que viajou nas férias para Síria

A família de Juliana Cruz, que mora em Cuiabá, procurou a PF para registrar um boletim de ocorrência. O órgão afirmou que mantém contato com a embaixada do Brasil na Síria.

A Polícia Federal de Mato Grosso investiga o suposto desaparecimento da jovem Juliana Cruz, que mora em Cuiabá e viajou para a Síria em novembro durante as férias. A família da jovem registrou um boletim de ocorrência na quarta-feira (29) depois que Juliana não retornou da viagem como prometido e não entra em contato com os familiares.

A PF afirmou ao G1 que está em contato com a embaixada do Brasil na Síria e outros órgãos internacionais. Não há, no entanto, nenhuma informação concreta sobre o caso.

Juliana Cruz viajou para a Síria em novembro durante as férias (Foto: Facebook/Reprodução)

No Facebook, a jovem postou uma foto com o emoji da bandeira da Síria (Foto: Facebook/Reprodução)

No Facebook, Juliana compartilhou informações sobre o embarque para a viagem. No dia 14 de novembro, segundo a postagem dela, ela estava no Aeroporto de Guarulhos. Em outro techo da viagem, a jovem publicou uma foto com o emoji da bandeira da Síria.

Nas redes sociais, Juliana mantinha contato com perfis de pessoas árabes. O G1 tenta contato com os familiares da jovem.

Juliana é servidora da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM). Em nota, a instituição afirmou que o computador usado pela funcionária foi entregue para análise da PF.

Ainda segundo a AMM, a previsão é que as férias da jovem terminem na próxima semana.

Polícia Militar encontra plantação de maconha em Ilha Grande do Piauí

Segundo a PM, os responsáveis pela plantação podem ter fugido momentos antes da chegada das viaturas.

A Polícia Militar localizou, na manhã desta sexta-feira (1º), uma plantação de maconha na localidade Ilha das Batatas, zona rural de Ilha Grande do Piauí, município situado 446 km ao norte de Teresina, no litoral do estado.

Os policiais encontraram cerca de 150 pés da planta sendo cultivados no meio de um matagal. O local da plantação foi informado por meio de uma denúncia anônima, mas ninguém foi preso.

Segundo a PM, os responsáveis pela plantação podem ter fugido momentos antes da chegada das viaturas. No percurso até o local, os policiais se depararam com alguns mecanismos feitos com fios de náilon ligados a sinos, que serviam, supostamente, para alertar os criminosos quando alguém estivesse se aproximando.

A Polícia Federal foi acionada e está sendo aguardada pela PM no local da plantação. Até o momento ninguém foi preso.

Ainda segundo a Polícia Militar, os pés de maconha devem ser incinerados ainda nesta sexta-feira, no mesmo local onde foram encontrados.

Bando fortemente armado explode o Banco do Brasil de Santa Cruz

Este já é o segundo ataque a banco registrado no interior do Piauí em apenas dois dias.

Homens fortemente armados explodiram um terminal de autoatendimento da agência do Banco do Brasil de Santa Cruz do Piauí, a 306 quilômetros de Teresina. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira (01), um dia após outra quadrilha ter atacado a agência bancária de Miguel Alves.

De acordo com o coronel Cordeiro, do 4º BPM, além de explodirem o caixa do BB, os bandidos ainda arrombaram os portões da Casa Lotérica da cidade. Pelo menos 12 homens participaram da ação. “O que temos até o momento, é que eles fugiram em direção a Paquetá e Picos e nós já acionamos as guarnições destas cidades para fecharem as estradas”, relata o coronel.


Até o momento, o Banco do Brasil não informou se algo de valor chegou a ser levado da agência nem qual quantia teria sido subtraída pelos criminosos. A polícia segue em diligências na região à procura dos suspeitos, mas nenhuma prisão foi feita ainda. Serão colhidas imagens das câmeras de segurança da agência no sentido de tentar identificar os criminosos responsáveis pelo ataque.

Segundo caso em dois dias

O ataque à agência do BB de Santa Cruz aconteceu no dia seguinte à explosão de um caixa eletrônico no Banco do Brasil de Miguel Alves. Segundo a polícia, o crime foi praticado por seis pessoas fortemente armadas. Na fuga, os criminosos chegaram a atear fogo em um carro na estrada para evitar que a polícia conseguisse se aproximar.

Operação deflagrada para combater crimes a instituições financeiras

No início da semana, a Polícia Civil, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) havia anunciado a deflagração de uma operação de combate a crimes contra instituições financeiras no Piauí. Denominada de “Refranata”, a ação resultou na prisão de oito pessoas envolvidas em ataques e explosões de caixas eletrônicos em cidades do Piauí e Maranhão.

Médium Parnayha: secretário é investigado por envolvimento com o tráfico

A Polícia Civil está cumprindo 45 mandados judiciais em cidades do Piauí, Maranhão e São Paulo. Funcionário dos Correios está entre os presos.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre), deflagrou, na madrugada desta sexta-feira (1º) a Operação Médium Parnahyba, para cumprir 45 medidas judiciais contra o tráfico de drogas nas cidades piauienses de Teresina, Água Branca, Barro Duro e São Pedro, na cidade maranhense de Caxias e na cidade de São Paulo.

Dentre os mandados judiciais há 24 de prisão preventiva e temporária, além de mandados de busca e apreensão e mandados de condução coercitiva. Até por volta do meio-dia desta sexta, a Depre já havia apreendido cerca de 100 kg de drogas e efetuado 20 prisões.

Um dos alvos da polícia foi a residência do secretário municipal de obras de Água Branca, Valmir Moraes de Sales, investigado na operação por envolvimento com traficantes. Ele foi conduzido coercitivamente até a Delegacia Regional da cidade para prestar depoimento.

Segundo o coordenador da operação, delegado Menandro Pedro, o secretário seria ligado a três pessoas acusadas de tráfico. Em sua residência, a polícia encontrou três armas de fogo, duas delas guardadas no quarto de Valmir. “Nós temos pistolas de grosso calibre, revólveres, rifles várias munições, inclusive munição de fuzil”, detalha o delegado. Ao todo, foram apreendidas sete armas de fogo na operação.

O delegado Menandro Pedro é o coordenador da Operação Médium Parnahyba (Foto: Moura Alves / O DIA)

Além das equipes da polícia, auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) também participaram da diligência na casa do secretário para recolher um cofre e documentos que indiquem possíveis atos ilícitos cometidos na administração pública de Água Branca. A presença do TCE na operação se deu a pedido do promotor de Justiça do Município, Mário Normando.

O secretário foi conduzido para a Delegacia de Água Branca, para prestar esclarecimentos a respeito de sua ligação com investigados e até mesmo sentenciados pela Justiça. Ele será autuado em flagrante por conta das armas encontradas em sua residência.

Dentre os presos, a Polícia Civil afirma que pelo menos três elementos também têm passagem por homicídio. "É uma operação que vinha sendo planejada há quase um ano. Com o apoio da Justiça e do Ministério Público, conseguimos efetuar todas essas prisões e conduções coercitivas, inclusive de um servidor federal e de um gestor público", detalha o delegado Menandro.

Mandados em Teresina

Na capital piauiense, equipes da Depre se concentraram nos bairros Lourival Parente e Bela Vista, na zona Sul, onde duas pessoas foram presas por tráfico de drogas. Uma delas é funcionário dos Correios e seria o responsável por transportar a droga dentro do Piauí. Os presos foram encaminhados para a sede da Depre, no bairro Saci, onde prestam depoimento ao delegado Tales Gomes.