• BSL NE
  • VIP TAXI teresina
  • bbrock
  • assinatura jornal

Notícias Polícia

24 de junho de 2017

Mulher é baleada no Complexo do Alemão, mas disparo atinge celular

O aparelho, da marca Samsung, ficou destruído, mas salvou a vítima no Rio de Janeiro

Uma mulher foi baleada na manhã deste sábado (24) no Complexo do Alemão, na Zona Norte da cidade, mas foi salva graças a um telefone celular que estava no bolso. A bala atingiu o aparelho e evitou que a vítima se ferisse de forma mais grave. As informações foram antecipadas pelo Jornal Voz das Comunidades e confirmadas pelo G1 com um parente da mulher.

"Ela só sentiu o impacto. Inclusive, se assustou, mas [a bala] só atingiu o celular. Ficou vermelho do impacto, mas não foi nada de grave", contou o cunhado da vítima, o segurança Eder Queiroz.

Aparelho de vítima foi atingido por bala durante tiroteio no Alemão  (Foto: Reprodução Voz Da Comunidade)

De acordo com Eder, a vítima, Elida (irmã da esposa dele) estava na loja de motos do pai quando começou o tiroteio, na Rua Antônio Austragésio, uma das principais vias do conjunto de favelas. Segundo o segurança, tudo ocorreu por volta das 10h. O aparelho, da marca Samsung, ficou destruído, mas salvou Elida.

Eder contou, ainda, que a troca de tiros começou "do nada" e que, por isso, "não deu tempo do pessoal correr".

O comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, comunicou que policiais faziam um patrulhamento na Rua Austregésilo quando criminosos armados atiraram contra a equipe, por volta das 10h. A PM confirma que houve confronto, mas os criminosos fugiram. Além de Elida, a UPP informou que, até às 15h50, não havia registro de presos ou feridos no incidente.

Abdelmassih deixa hospital em Taubaté e segue para prisão domiciliar

Com problemas de saúde, ex-médico conseguiu autorização da Justiça para cumprir pena em casa. Ele é monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

O ex-médico Roger Abdelmassih deixou no fim da noite desta sexta-feira (23) o hospital São Lucas em Taubaté (SP) e seguiu para a capital paulista, onde irá cumprir prisão domiciliar. Ele chegou à sua casa, em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo, no início da madrugada deste sábado (24). Abdelmassih foi condenado a 181 anos de prisão por estuprar pacientes.

O ex-médico deixou o hospital no interior de São Paulo por volta de 23h, em um carro sedan. Ele deve seguir o tratamento de saúde em casa, monitorado por meio de uma tornozeleira eletrônica.

 Ex-médico Roger Abdelmassih chega a São Paulo para cumprir pena de prisão domiciliar na madrugada deste sábado (24). Fonte: G1

Na quarta (21), uma decisão da Justiça determinou que Abdelmassih cumprisse a pena em casa por causa de problemas de saúde. Ele não deixou imediatamente o hospital porque, segundo a reportagem apurou, terminava um tratamento contra uma bactéria que havia contraído e estava com infecção urinária.

O hospital não prestou informações sobre o quadro clínico do paciente, que estava acompanhado da esposa desde quinta (22).

O médico de 74 anos tenta, desde outubro de 2016, o indulto humanitário, apontando que sofre de graves doenças, entre elas enfermidades do coração. A defesa pedia que, caso não fosse dado o indulto, que a Justiça concedesse a prisão domiciliar.'q

Ele estava cumprindo pena na Penitenciária 2, em Tremembé, desde 2014, mas foi internado no dia 18 de maio no hospital de Taubaté com broncopneumonia, que é uma inflamação dos pulmões.

Na decisão, a Justiça negou o indulto – que é uma forma de extinção da pena –, mas concedeu a prisão domiciliar, justificando que o quadro de saúde dele se agravou nos últimos meses e que Abdelmassih precisa de cuidados constantes, que não poderiam ser oferecidos no presídio.

Assim, o ex-médico poderá cumprir a pena em casa, sendo liberado para tratamento médico em unidades hospitalares que escolher, com a prévia autorização judicial. Ele deve usar tornozeleira eletrônica e não pode deixar, sem autorização, a cidade de moradia que indicar à Justiça.

Ele terá que passar por perícia médica a cada três meses, ou em menos tempo se a Justiça determinar, para avaliar o quadro de saúde. Caso tenha condições, ele deverá retornar à prisão.

Histórico

Roger, que era considerado um dos principais especialistas em reprodução humana no Brasil, foi condenado a 278 anos de reclusão em novembro de 2010. Foram considerados 48 ataques a 37 vítimas entre 1995 e 2008. Abdelmassih não foi preso logo após ter sido condenado porque um habeas corpus do Superior Tribunal de Justiça (STJ) dava a ele o direito de responder em liberdade.

O habeas corpus foi revogado pela Justiça em janeiro de 2011, quando ex-médico tentou renovar seu passaporte, o que sugeria a possibilidade de que ele tentaria sair do Brasil. Como a prisão foi decretada e ele deixou de se apresentar, passou a ser procurado pela polícia.

Em 24 de maio de 2011, o Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) cassou o registro profissional de médico de Abdelmassih.

Após três anos foragido, quando chegou a ser considerado o criminoso mais procurado de São Paulo, Abdelmassih foi preso no Paraguai pela Polícia Federal (PF), em 19 de agosto de 2014. Em outubro daquele ano, a pena dele foi reduzida para 181 anos, 11 meses e 12 dias, por decisão judicial. Entretanto, pela lei brasileira, nenhuma pessoa pode ficar presa por mais de 30 anos.

23 de junho de 2017

Dois homens são presos por estelionato pela PRF em Piripiri

Com os acusados foram encontrados uma quantia em dinheiro, cartões de crédito, débito e de benefícios sociais de terceiros.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na tarde de hoje (23), dois homens suspeitos de praticarem estelionato, no município de Piripiri, a 158km de Teresina. Segundo informações da PRF, os acusados estavam em um veículo de modelo Clio, placa LWC-4437, quando foram abordados na BR-343, km 189.

Durante a abordagem, os policiais constataram que os dois homens, identificados como  C.C.P.J., de 37 anos, e J.V.G., de 57 anos, estavam em posse de R$ 1.001,00 e ainda 13 unidades de cartões de crédito, débito e benefícios sociais de terceiros. Ao serem questionados sobre o material, os acusados não souberam dar uma justificativa plausível para o fato.

Dois homens são presos por estelionato pela PRF em Piripiri. (Foto: Reprodução/PRF)

Os policiais rodoviários federais, ao consultarem os dados dos ocupantes do veículo, constataram que ambos respondem, em um mesmo processo, pelo crime de estelionato. Além disso, em consultas preliminares, junto aos bancos, a PRF confirmou fraudes em contas correntes de dois titulares dos cartões encontrados com os suspeitos.

Diante dos fatos, os indivíduos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Piripiri, para providências cabíveis e poderão ser enquadrados no artigo 171,  que determinada a ilegalidade de "obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento".


Dupla armada invade e rouba dinheiro de igreja no Mocambinho

Com capacete escondendo o rosto, assaltantes levaram apurado de dez dias da paróquia. Segundo padre, local já foi assaltado várias vezes no mesmo horário.

A administração da igreja de Santa Joana Darc, no bairro Mocambinho, foi invadida por uma dupla de assaltantes armados, que levaram cerca de R$ 5 mil da paróquia. O dinheiro, fruto de dízimo, é o apurado dos últimos 10 dias. “Pode parecer pouco, mas é muito dinheiro para nós, que vivemos disso”, desabafou o padre Gerson.

Além dos assaltos recorrentes, paróquia é alvo de pichadores (Foto: Divulgação)
De acordo com o padre, o assalto aconteceu por volta de 11 horas da manhã de ontem (22). Os dois homens entraram na secretaria da igreja como se procurassem atendimento. Com os rostos cobertos pelos capacetes, eles sacaram a arma e ameaçaram os funcionários. Uma secretária chegou a ser empurrada.

A ação dos bandidos foi filmada pelas câmeras de segurança da igreja. O padre Gerson comenta que a igreja já sofreu vários outros assaltos, o que motivou a instalação do sistema de monitoramento. “A gente está percebendo que os assaltos acontecem geralmente nesse horário, de 10h30min até o meio-dia”, comentou.

Segundo ele, na praça que fica diante da igreja há intenso consumo e venda de drogas. “Ao redor, aqui no Mocambinho, infelizmente há muitos focos de uso de drogas. Com as câmeras aqui na igreja, reduziu o número. Mas não acabou, só inibiu”, disse o padre Gerson.

As imagens a seguir, capturadas pelo sistema interno de monitoramento mostram a ação dos bandidos:


22 de junho de 2017

Em nova fase da Operação Pastor, Polícia Federal vai à cidade de Porto

Policiais averiguaram documentos relativos à contratação da empresa Olho d’Água, vencedora de uma licitação no município

A Polícia Federal já iniciou uma nova fase da Operação Pastor, que foi deflagrada nesta quarta-feira (21) com o objetivo de investigas desvio de recursos públicos. Hoje, agentes da PF estiveram em Porto, a 197 km de Teresina, para averiguar documentos relativos à contratação da empresa Olho d’Água, vencedora de uma licitação no município.

A construtora foi contratada para reformar uma escola e duas creches. O prazo era de dois meses, a contar do dia 27 de janeiro deste ano. O valor das obras era de aproximadamente R$ 120 mil.

Três sócios da construtora Olho d’Água foram presos na Operação Pastor, sendo eles o ex-prefeito de Dom Inocêncio, Inocêncio Leal; o empresário Décio de Castro, que também é sócio da Construtora Jenipapo e o ex-vereador de Porto, Edgar Neto. Mais cinco pessoas foram presas e não tiveram os nomes revelados.

Na primeira fase da Operação Pastor, a polícia tinha mandados de prisão a cumprir nos municípios de Teresina, Dom Inocêncio, São Raimundo Nonato e Brasília. Os alvos da Operação são empresários e gestores municipais suspeitos de desvio de recursos públicos.

Nesta segunda fase, de acordo com o controlador municipal de Porto, Adail Ferreira Neto, os policiais federais estiveram na sede da prefeitura pegar informações sobre o processo licitatório envolvendo a construtora Olho d’Água. “Eles tiraram umas cópias e não fizeram apreensão de documentos”, disse.

Em coletiva de imprensa realizada ontem, o delegado da Polícia Federal Albert Moura afirmou que todas as prefeituras que mantiveram contrato com as empresas denunciadas, também seriam investigadas. Ao todo, 15 municípios estão da mira da PF.

Juiz determina prisão preventiva de tenente acusado de matar namorada

A decisão foi tomada após ser verificada a gravidade da conduta do acusado.

O juiz Arilton Rosal Falcão Júnior, da Central de Inquéritos, determinou a prisão preventiva do tenente do Exército, José Ricardo da Silva Neto, acusado de cometer feminicídio contra a namorada, Iarla Lima Barbosa, e disparar com arma de fogo contra outras jovens na madrugada da última segunda-feira (19), na zona Leste de Teresina. 

Nos autos do processo, do dia 20 de junho, o juiz afirma que a decisão foi tomada após ser verificada a gravidade da conduta do acusado. Tendo em vista que o suspeito é oficial do Exército Brasileiro e teria praticado o crime por motivo torpe, contra várias vítimas, tendo uma delas vindo a óbito, e as outras terem corrido sério risco de morte, uma vez que os disparos foram efetuados à queima roupa dentro de um veículo.

O juiz determina ainda que as medidas cautelares alternativas à prisão não se aplicam a esse caso. “Mantém-se a custódia provisória do paciente que demonstra periculosidade incompatível com o estado de liberdade extraído das circunstâncias fáticas e do modus operandi com que praticou o crime de homicídio qualificado contra a ex-companheira”, diz a decisão judicial.

A audiência de custódia do acusado não foi realizada, pois o mesmo se encontrava internado em um hospital particular de Teresina, após ter atirado contra a própria perna na noite do crime.  Apesar de o suspeito apresentar condições favoráveis à concessão de liberdade provisória, como não possuir certidão negativa criminal e ter residência fixa, o magistrado entendeu que estas não são suficientes para conceder o habeas corpus, que foi indeferido pelo juiz.

Entenda

José Ricardo da Silva Neto é tenente do Exército Brasileiro e acusado de matar a estudante Iarla Lima Barbosa, com quem namorava há uma semana, na madrugada da última segunda-feira (19). O crime aconteceu após o tenente, a namorada, a irmã da vítima e uma amiga saírem de um bar localizado na Avenida Nossa Senhora de Fátima, na Zona Leste de Teresina. 

No carro, o tenente teria tido uma crise de ciúmes e atirado à queima roupa contra a jovem e contra as outras duas mulheres. Iarla morreu ainda dentro do veículo, enquanto Ilana Lima Barbosa e Joseane Mesquita pularam do carro em movimento para fugir dos disparos. Ilana, irmã de Iarla, foi baleada de raspão na cabeça, enquanto Joseane, amiga de Iarla, foi atingida por um tiro no braço direito. As duas passam bem.

Após matar a namorada e ferir as outras duas jovens, José Ricardo teria ido para seu apartamento na zona leste, levando consigo o corpo da Iarla dentro do veículo. Em casa, o tenente atirou contra a própria perna e horas depois foi detido pela Polícia Militar.

Segundo o Mapa da Violência contra a Mulher, 13 mulheres são assassinadas diariamente no Brasil. Boa parte delas são mortas pelos próprios companheiros, por motivos fúteis.

Templo de umbanda é invadido e depredado durante a madrugada

Portas de vidro, imagens, objetos de cerâmica e instrumentos musicais foram destruídos.

Um terreiro de umbanda teve suas portas arrombadas e o interior depredado durante a madrugada na zona Sudeste da capital. O Templo de Umbanda Nossa Senhora de Montserrat, localizado no Loteamento Cidade Verde teve seus símbolos destruídos e os espaços ficaram repletos de cacos de vidro pelo chão.

O crime aconteceu na madrugada de quarta-feira (21), por volta das 4 da madrugada. Vizinhos do local ouviram o barulho feito pelos invasores, e chamaram pessoas ligadas ao templo que moram na região. Quando finalmente chegaram ao local, os criminosos já haviam fugido.

Materiais foram destruídos e espalhados pelo interior do templo (Foto: Reprodução)

Portas de vidro, imagens, objetos de cerâmica e instrumentos musicais foram destruídos. Uma caixa onde haviam várias garrafas de vidro foi trazida para a frente do templo, e os vazilhames foram quebradas no chão. “Entraram em todos os cômodos e misturaram tudo, quebraram tudo”, lamenta a mãe de santo Ester de Iansã.

Segundo mãe Ester, não é a primeira vez que o templo é alvo desse tipo de violência. “A gente vive sofrendo isso. Às vezes só quebram, as vezes quebram e roubam”, relata. Ela disse acreditar que a depredação foi motivada pela intolerância contra os praticantes de religiões de matriz africana. “De certa forma parece ser isso. Uma pessoa que entra num templo para fazer isso, por mais que esteja drogado, não faz por acaso”, argumenta.

Tanto mãe Ester de Iansã como os outros membros e frequentadores do templo temem não só pela segurança do lugar, mas como deles mesmos. “Se uma pessoa dessas pega a gente na rua, bate, mata. A gente se sente inseguro, fica com medo”, disse. Um boletim de ocorrências foi registrado na DP da área. Os religiosos ainda estão organizando o lugar e ainda não estipularam o valor do prejuízo financeiro causado.

“O prejuízo maior é a falta de respeito que eles tem conosco, com o nosso sagrado, com a nossa cultura”, disse Mãe Ester. Ela, entretanto, não esmorece: “Isso não vai me parar. Na verdade nos fortalece mais ainda”.

Empresário é suspeito de assediar menino de 11 anos em Picos

Promotor de eventos de uma agência de modelos na cidade teria assediado menino e comprado fotografias pornográficas envolvendo crianças.

Um empresário da cidade de Picos foi alvo de uma operação da Polícia Civil. Ele é suspeito de pedofilia e exploração sexual de menores. O homem trabalha em uma empresa de modelos na cidade, e estaria aproveitando-se dos serviços prestados para assediar um menino de 11 anos.

A ”Operação Verdades” foi deflagrada na manhã de hoje (22), e cumpriu mandados de busca na casa e na empresa do suspeito, que não teve o nome divulgado pela Polícia. Os policiais apreenderam o celular e outros aparelhos, para que passem por uma perícia. Os policiais acreditam que podem encontrar mais provas em fotos e vídeos desses dispositivos.

Os investigadores irão periciar o celular dele em busca de fotos, vídeos, mensagens e todo o material relacionado ao crime. Quem preside a investigação é o delegado Jonatas Brasil. Até o momento, os policias encontraram indícios de dois crimes praticados pelo acusado: assédio de criança com fim de praticar ato libidinoso e a compra de fotografias com cena pornográfica envolvendo criança.

O acusado não chegou a ser preso. Ele foi levado até a delegacia, prestou depoimento e foi liberado em seguida. Os policiais chegaram a pedir a prisão do empresário, mas apenas os mandados de busca e apreensão foram concedidos. A investigação continuará, buscando informações sobre uma suposta rede de exploração sexual, tanto de menores como de adultos.


21 de junho de 2017

Mulher grávida de nove meses é detida por porte de drogas em THE

A mulher foi flagrada em atitude suspeita por policiais do Depre e tentou correr para esconder a droga.

Uma mulher grávida de nove meses, ainda não identificada, foi conduzida para a Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpeces (Depre) na tarde de hoje (21), após ser flagrada por policiais da Depre portando maconha, no bairro São João, zona Leste de Teresina. Segundo informações do delegado Menandro Pedro, os policiais estavam na região cumprindo mandados de busca e apreensão, quando avistaram a mulher em atitude suspeita. 

De acordo com o delegado, ao avistar os policiais, a jovem que está em uma gravidez de risco, correu e tentou esconder a droga com a sua mãe, mas foi capturada pelos policiais da Depre. “Nós passamos em frente a casa dela e ela estava em atitude suspeita. Agora você imagina, uma mulher grávida de nove meses, em uma gravidez de risco, saiu correndo ao ver os policiais”, relatou o delegado.

A jovem é monitorada via tornozeleira eletrônica e possui passagem pela polícia por receptação de produtos como armas, drogas e dinamites utilizadas em roubos a caixas eletrônicos. Na delegacia foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrências (TCO) e o caso encaminhado para o judiciário para reavaliar a concessão do monitoramento eletrônico. “Nós mandaremos para o juiz avaliar, já que ela continua cometendo crime, mesmo sendo usuária de tornozeleira eletrônica”, diz o delegado, acrescentando que a jovem foi liberada em seguida.

Odival Andrade é liberado após pagar fiança de 10 salários mínimos

Ex-prefeito de Piripiri, detido na manhã de hoje sob acusação de ter subtraído documentos públicos, responderá ao processo em liberdade.

O ex-prefeito de Piripiri, Odival Andrade, detido na manhã de hoje (21), sob acusação de ter subtraído documentos públicos referentes à prestação de contas do município no período em que ele esteve à frente do Poder Executivo local, foi liberado após o pagamento de fiança no valor de 10 salários mínimos. A informação é do Delegado Regional de Piripiri, Jorge Terceiro, responsável por dar cumprimento ao mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito.

De acordo com o delegado, após a prisão, o prefeito foi encaminhado para a Delegacia Regional de Piripiri, onde foi autuado em flagrante, e liberado após decisão do juiz João Bandeira Monte Júnior, titular da 1º Vara Criminal de Piripiri, mesmo juiz a expedir os mandados de busca e apreensão. Odival Andrade foi liberado por volta das 13h30, ao pagar a fiança arbitrada no valor de 10 salários mínimos, equivalente a R$ 9.370,00. O ex-prefeito responderá a acusação em liberdade.

Entenda

O ex-prefeito de Piripiri, Odival Andrade, foi alvo de uma operação da Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (21), acusado de ter subtraído documentos públicos referentes à prestação de contas do município no período em que ele esteve à frente do Poder Executivo local. Assim que deixou a Prefeitura de Piripiri, Odival teria levado consigo todas as documentações que deveriam ter sido repassadas à atual gestão, do prefeito Luiz Menezes (PMDB).

A procuradoria da Prefeitura, então, decidiu solicitar à Justiça um mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito, com o objetivo de reaver toda a documentação que fora supostamente subtraída por Odival.

Ao dar cumprimento ao mandado judicial, a Polícia Civil constatou que, de fato, todos os documentos que haviam m desaparecido da Prefeitura estavam na residência de Odival, que pode responder pela prática de crime previsto no artigo 305 do Código Penal brasileiro - "Destruir, suprimir ou ocultar, em benefício próprio ou de outrem, ou em prejuízo alheio, documento público ou particular verdadeiro, de que não podia dispor".


Ex-prefeito de Piripiri, preso na manhã de hoje, foi liberado e responderá ao processo em liberdade. (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

A penalidade prevista para quem cometer o crime é a reclusão de dois a seis anos, e multa, se o documento é público, ou reclusão de um a cinco anos, e multa, se o documento é particular.

O delegado Jorge Terceiro, titular da Delegacia Regional de Piripiri, afirma que foram encontradas na casa de Odival 65 caixas contendo documentos públicos originais pertencentes ao município de Piripiri, referentes aos anos de 2013 a 2016. 

"Realizamos na manhã desta quarta-feira a Operação Archeion [Arquivo, em grego], durante a qual localizamos essas 65 caixas contendo documentos públicos. Foi feita uma autuação do ex-gestor pelo crime previsto no artigo 305 do Código Penal, na modalidade de ocultação de documento público ", detalha. 

Jorge Terceiro afirma que o inquérito policial possui elementos probatórios consistentes que apontam para a prática do crime citado. "Além da denúncia feita pela atual gestão, outros elementos de informação presentes nos autos, como fotografias, dão conta de pessoas que retiraram caixas de arquivos da prefeitura e levaram para outro local. Em razão disso, nós entramos com um pedido junto ao Judiciário, informando a situação. O Ministério Público foi ouvido, o promotor deu parecer favorável e o juiz emitiu os mandados de busca nas casas do ex-prefeito e do ex-funcionário", acrescenta Jorge Terceiro, que comandou a operação juntamente com o delegado Ricardo Oliveira. 

Segundo o advogado Antônio Mendes, a atual gestão corria o risco de ser responsabilizada pela falta de prestação de contas do ex-gestor, o que fez com que a procuradoria da Prefeitura recorresse à Justiça com o intuito de recuperar os documentos que estavam sumidos.

Ex-prefeito de Piripiri, preso na manhã de hoje, foi liberado e responderá ao processo em liberdade. (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

"O Tribunal de Contas do Estado do Piauí estava sempre ameaçando bloquear as contas do município em decorrência da falta de prestação de contas da gestão do ex-prefeito Odival Andrade. Assim que ele deixou a Prefeitura no final do ano [de 2016], ele levou toda a documentação, o que impediu que o atual gestor prestasse contas do município ao TCE. Em razão desse fato praticado pelo ex-gestor, Odival Andrade, nós entramos com um pedido de abertura de inquérito policial e solicitamos ao delegado que representasse ao juiz, através de uma medida de busca e apreensão, para que fossem buscados esses documentos, porque nós sabíamos que esses documentos estavam na casa do ex-prefeito", afirma o advogado, acrescentando que o município de Piripiri tem total interesse em reaver toda a documentação usurpada da Prefeitura.

Antônio Mendes afirma ainda que, ao levar os documentos consigo, a intenção do ex-prefeito era "dificultar, obstruir e causar transtornos à atual gestão."

Ex-prefeito diz que guardava apenas cópias dos documentos públicos em sua residência

Em entrevista ao portal O DIA por telefone, o ex-prefeito Odival Andrade afirmou que o material levado à Delegacia Regional de Piripiri são apenas cópias dos originais, que ele decidiu guardar quando encerrou sua gestão para evitar possíveis transtornos provocados pelo grupo político opositor.

"Essa documentação que estava aqui em casa é a minha via, da minha gestão. Tem a via da Prefeitura, tem a via da Câmara, tem a via do Tribunal de Contas do Estado e tem a minha via. A via da Prefeitura eu não sei onde está. Se eles perderam ou não quiseram dar, problema deles lá [...] Eu tenho 30 dias para fazer minha defesa e estou em casa. O que ocorreu foi um procedimento normal", afirma.

Odival afirma que o procedimento que ocorreu na manhã desta quarta-feira foi absolutamente "normal", e reitera que não foi preso ou sequer conduzido coercitivamente, mas sim que compareceu voluntariamente à delegacia. Por outro lado, o delegado Jorge Terceiro confirmou que o ex-gestor foi autuado.

O ex-prefeito afirma, ainda, que está sendo alvo de uma manobra política fomentada por opositores.

Presa dupla suspeita de assassinar comerciante na zona leste de Teresina

Crime ocorreu no início da tarde da última segunda-feira (19). Vítima teria reagido a assalto e foi baleada.

A Polícia Civil efetuou, na manhã desta quarta-feira (21), a prisão de dois homens suspeitos de assassinar o comerciante Valdemir Prado Neto no início da tarde da última segunda, 19. A vítima teria sido baleada ao reagir a um assalto na Avenida Pedro Almeida, bairro São Cristóvão, zona leste de Teresina.

Os suspeitos foram identificados como Yago Ramon Alves Ferreira e Guilherme Silva da Costa, ambos de 22 anos. 

Os dois tentaram assaltar o comércio da família de Valdemir, que reagiu e acabou sendo baleado, morrendo ainda no local.

Yago Ramon (à esquerda) e Guilherme da Costa (à direita, de boné)

Segundo o delegado Francisco Baretta, o suspeito Guilherme Silva da Costa foi quem disparou contra o comerciante, enquanto Yago Ramon Alves estava dando suporte ao assalto.

Por volta do meio-dia desta quarta-feira o delegado Baretta começou a ouvir a versão dos suspeitos, na Delegacia de Homicídios.

A Polícia Civil conseguiu identificar os suspeitos com o auxílio de imagens feitas por câmeras de monitoramento situadas próximo ao local do latrocínio. Os registros mostram o momento em que os assaltantes chegaram ao comércio, cada um numa motocicleta.

O crime de latrocínio tem pena de reclusão de 20 a 30 anos, além de multa.


Notícias relacionadas:

Zona leste registra segundo caso de latrocínio em 12 horas 

Zona leste registra oito homicídios em menos de 48 horas 



Operação da PF terá novas fases para investigar fraudes em 15 municípios

Foram presos preventivamente o ex-prefeito de Dom Inocêncio e um empresário; mais seis mandados de prisão temporária foram cumpridos

Operação Pastor, deflagrada pela Polícia Federal e pela Controladoria Geral da União nesta quarta-feira (21), terá novas fases à medida que as investigações envolvendo fraudes em contratos entre prefeituras e empresas forem avançando. Os empresários investigados são responsáveis pelas construtoras Jenipapo, Rubem & Rubem e outra que foi mantida em sigilo.


Coletiva de imprensa na Polícia Federal (Foto: Moura Alves/ODIA)

Segundo o delegado da Polícia Federal, Albert Moura, além de atuar no município de Dom Inocêncio, de onde se estima o desvio de pelo menos R$ 5 milhões de recursos públicos, os empresários investigados mantêm ou mantiveram relações com mais 15 prefeituras do Piauí. As construtoras também já estavam mantendo contatos e tinha projetos de expansão para os estados da Bahia e do Pernambuco. “Obras e os pagamentos destinados a essas empresas serão investigados. Isso tende a aumentar o valor dos desvios”, acredita o delegado.

Hoje, os policiais cumpriram dois mandados de prisão preventiva em Teresina. Os alvos foram o ex-prefeito de Dom Inocêncio no período de 2009 a 2012, Inocêncio Leal, e o sócio administrador da Construtora Jenipapo, Décio Castro.

A PF descobriu ainda que o ex-prefeito Inocêncio Leal tinha participação, juntamente com um dos sócios da Construtora Jenipapo, no quadro societário de umas das empresas que foi alvo da Operação Pastor. Esta empresa não teve o nome revelado.

Mais seis mandados de prisão temporária foram cumpridos em São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio. Entre os detidos estão contadores, o ex-secretário de administração e o ex-secretário de finanças de Dom Inocêncio. Em Brasília, está em aberto um mandado de prisão coercitiva em nome de um agente público que era responsável por articular contratos entre as prefeituras e a sede dos órgãos da Funasa. Os nomes ainda serão divulgados.

O delegado Albert Moura (foto ao lado) afirmou que todas as pessoas conduzidas têm relação direta com a administração do município ou com as empresas contratadas. Os ex-secretários trabalhavam na fiscalização das obras e atestavam falsamente a conclusão delas, usando notas falsas nas prestações de contas”, disse.

Os recursos desviados deixaram de ser aplicados na construção de creches, cisternas e no sistema de abastecimento de água. “Maior do que o prejuízo financeiro é o prejuízo social. Toda uma geração de pessoas foi privada de serviços básicos de saúde e de educação para que os administradores do município enriquecessem delituosamente”, opinou o delegado da PF.

Os presos estão em São Raimundo Nonato e em Teresina e permanecerão no local onde foi cumprido os mandados, até que o juiz da comarca de São Raimundo Nonato expeça ordem para transferência.

Ex-prefeito Odival Andrade é alvo de operação da Polícia Civil, e vai depor

Documentos da Prefeitura de Piripiri foram encontrados na residência de Odival Andrade, que pode ser sentenciado a até seis anos de prisão.

O ex-prefeito de Piripiri, Odival Andrade, foi alvo de uma operação da Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (21), sob a acusação de ter subtraído documentos públicos referentes à prestação de contas do município no período em que ele esteve à frente do Poder Executivo local.

Assim que deixou a Prefeitura de Piripiri, Odival teria levado consigo todas as documentações que deveriam ter sido repassadas à atual gestão, do prefeito Luiz Menezes (PMDB).

A procuradoria da Prefeitura, então, decidiu solicitar à Justiça um mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito, com o objetivo de reaver toda a documentação que fora supostamente subtraída por Odival.

Ao dar cumprimento ao mandado judicial, a Polícia Civil constatou que, de fato, todos os documentos que haviam m desaparecido da Prefeitura estavam na residência de Odival, que pode responder pela prática de crime previsto no artigo 305 do Código Penal brasileiro - "Destruir, suprimir ou ocultar, em benefício próprio ou de outrem, ou em prejuízo alheio, documento público ou particular verdadeiro, de que não podia dispor".

A penalidade prevista para quem cometer o crime é a reclusão de dois a seis anos, e multa, se o documento é público, ou reclusão de um a cinco anos, e multa, se o documento é particular.

O delegado Jorge Terceiro, titular da Delegacia Regional de Piripiri, afirma que foram encontradas na casa de Odival 65 caixas contendo documentos públicos originais pertencentes ao município de Piripiri, referentes aos anos de 2013 a 2016. 

De acordo com o delegado, caberá ao juiz da Comarca decidir se o ex-prefeito responderá à acusação em liberdade, até o julgamento, ou se deverá ser preso. "Realizamos na manhã desta quarta-feira a Operação Archeion [Arquivo, em grego], durante a qual localizamos essas 65 caixas contendo documentos públicos. Foi feita uma autuação do ex-gestor pelo crime previsto no artigo 305 do Código Penal, na modalidade de ocultação de documento público, e o juiz da Comarca já foi comunicado. Como se trata de um crime sem violência ou grave ameaça, cremos que o juiz despachará ainda hoje e deve conceder a autorização para ele responder ao procedimento em liberdade", detalha. 

Jorge Terceiro afirma que o inquérito policial possui elementos probatórios consistentes que apontam para a prática do crime citado. "Além da denúncia feita pela atual gestão, outros elementos de informação presentes nos autos, como fotografias, dão conta de pessoas que retiraram caixas de arquivos da prefeitura e levaram para outro local. Em razão disso, nós entramos com um pedido junto ao Judiciário, informando a situação. O Ministério Público foi ouvido, o promotor deu parecer favorável e o juiz emitiu os mandados de busca nas casas do ex-prefeito e do ex-funcionário", acrescenta Jorge Terceiro, que comandou a operação juntamente com o delegado Ricardo Oliveira. 

Segundo o advogado Antônio Mendes, a atual gestão corria o risco de ser responsabilizada pela falta de prestação de contas do ex-gestor, o que fez com que a procuradoria da Prefeitura recorresse à Justiça com o intuito de recuperar os documentos que estavam sumidos.

 

"O Tribunal de Contas do Estado do Piauí estava sempre ameaçando bloquear as contas do município em decorrência da falta de prestação de contas da gestão do ex-prefeito Odival Andrade. Assim que ele deixou a Prefeitura no final do ano [de 2016], ele levou toda a documentação, o que impediu que o atual gestor prestasse contas do município ao TCE. Em razão desse fato praticado pelo ex-gestor, Odival Andrade, nós entramos com um pedido de abertura de inquérito policial e solicitamos ao delegado que representasse ao juiz, através de uma medida de busca e apreensão, para que fossem buscados esses documentos, porque nós sabíamos que esses documentos estavam na casa do ex-prefeito", afirma o advogado, acrescentando que o município de Piripiri tem total interesse em reaver toda a documentação usurpada da Prefeitura.

Antônio Mendes afirma ainda que, ao levar os documentos consigo, a intenção do ex-prefeito era "dificultar, obstruir e causar transtornos à atual gestão."

Ex-prefeito diz que guardava apenas cópias dos documentos públicos em sua residência

Em entrevista ao portal O DIA por telefone, o ex-prefeito Odival Andrade afirmou que o material levado à Delegacia Regional de Piripiri são apenas cópias dos originais, que ele decidiu guardar quando encerrou sua gestão para evitar possíveis transtornos provocados pelo grupo político opositor.

"Essa documentação que estava aqui em casa é a minha via, da minha gestão. Tem a via da Prefeitura, tem a via da Câmara, tem a via do Tribunal de Contas do Estado e tem a minha via. A via da Prefeitura eu não sei onde está. Se eles perderam ou não quiseram dar, problema deles lá [...] Eu tenho 30 dias para fazer minha defesa e estou em casa. O que ocorreu foi um procedimento normal", afirma.

Odival afirma que o procedimento que ocorreu na manhã desta quarta-feira foi absolutamente "normal", e reitera que não foi preso ou sequer conduzido coercitivamente, mas sim que compareceu voluntariamente à delegacia. Por outro lado, o delegado Jorge Terceiro confirmou que o ex-gestor foi autuado.

O ex-prefeito afirma, ainda, que está sendo alvo de uma manobra política fomentada por opositores.

 

PF prende gestores e empresários acusados de desviar R$ 5 milhões

Policiais cumprem mandados de prisão preventiva, temporária e condução coercitiva em Dom Inocêncio, São Raimundo Nonato e Teresina

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Federal deflagram, nesta quarta-feira (21), no Piauí, a Operação Pastor. O objetivo é desarticular organização criminosa responsável por desvios de recursos públicos federais no município de Dom Inocêncio, São Raimundo Nonato e Teresina envolvendo verbas das áreas da Educação, Integração Nacional e Saúde. Os trabalhos estão sendo realizados conjuntamente com a Controladoria Geral da União (CGU).

O prejuízo apurado até o momento ultrapassa o montante de R$ 5 milhões, desviados do Ministério da Educação, da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). A apuração demonstrou que a empresa integrante da organização criminosa recebeu valores por serviços que não foram executados. 

A CGU contribuiu para a investigação ao constatar a não realização, por parte do município, de obras conveniadas com a Codevasf e a Funasa. A investigação, iniciada pela Polícia Federal, além de constatar irregularidades em Dom Inocêncio, durante os exercícios de 2009 a 2012, apurou ainda que a organização criminosa continua a articular práticas ilícitas, além de expandir a atuação fraudulenta para outros municípios piauienses.

O grupo criminoso formado por gestores municipais e empresários é investigado pela prática de desvio, peculato, fraudes em licitações, corrupção passiva e ativa.

A Operação Pastor cumpre dois mandados de prisão preventiva, seis de prisão temporária, cinco de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão, nos municípios de Dom Inocêncio, São Raimundo Nonato e Teresina. Participam da ação mais de 60 agentes, entre policiais federais e auditores e técnicos da CGU. Os mandados foram expedidos pelo juiz titular da comarca de São Raimundo Nonato.

Mais informações serão dadas em entrevista coletiva marcada para as 10:30 horas na sede da Polícia Federal em Teresina.


20 de junho de 2017

Mulher é assassinada pelo companheiro em Caldeirão Grande

Este é o segundo caso de feminicídio registrado no Piauí em apenas dois dias. Vítima foi encaminhada para o Hospital de Fronteiras, mas não resistiu aos ferimentos.

Mais uma mulher foi assassinada pelo companheiro no Piauí. Desta vez o crime aconteceu no começo da tarde desta terça-feira (20), na cidade de Caldeirão Grande, a 434 quilômetros de Teresina. A vítima foi identificada como sendo Francisca Sousa, morta a facadas por um homem conhecido como “Kinino”, com quem vivia em união estável. A polícia não informou qual teria sido a motivação do assassinato.

O crime aconteceu dentro da residência do casal e populares relataram que a mulher foi encontrada ensanguentada quando tentava fugir do local. Francisca estava caída no chão e foi levada por populares até o Hospital Regional de Fronteiras, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu pouco depois de dar entrada.

O PortalODia.com conversou com um morador da cidade de Caldeirão Grande. José Charles contou que a cidade foi tomada por um clima de insegurança. “A gente fica com medo, porque um crime como esse choca. A mulher estava toda machucada, tão ferida que não aguentou e a gente sabe que a pessoa que fez aquilo está solta por aí. Então a cidade fica naquela tensão”, relata José Charles.

Com relação ao suspeito do crime, a Polícia Militar, juntamente com a Polícia Civil, está em diligências à sua procura, mas até o momento não se tem informações de onde Kinino possa estar. Populares disseram que o viram deixando a cidade em uma motocicleta pouco antes de encontrarem Francisca.

A Delegacia Regional de Simões vai cuidar da investigação

Segundo feminicídio

O assassinato de Francisca Sousa é o segundo caso de feminicídio registrado no Piauí só nestes dois dias. Na madrugada de ontem (19), Iarla Lima Barbosa foi assassinada pelo namorado, o tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto. O Ministério Público se manifestou sobre o caso e o classificou como “crime de motivação machista”.

Zona Leste registra oito homicídios em menos de 48 horas

Nas ocorrências, pelo menos quatro pessoas ficaram feridas. Dentre os crimes há dois latrocínios e um feminicídio, além de um homicídio triplo.

Desde ontem (19) que a zona Leste de Teresina tem vivido momentos de tensão por conta da violência, que está chegando a níveis extremos naquela região: em menos de 48 horas, a Polícia Militar já registrou oito homicídio naquela área da cidade, sendo dois deles latrocínios e um feminicídio. Além das oito vítimas, as ocorrências deixaram pelo menos quatro pessoas feridas.

O último caso registrado aconteceu por volta de 12h30min, na Rua Ilhotas, bairro Teresa Brito, entre o Planalto Uruguai e o Santa Bárbara. De acordo com o capitão Hildebrando, do 5º BPM, a vítima é do sexo masculino e estava acompanhado de uma mulher em uma motocicleta, quando foi cercado por um veículo preto ainda não identificado. A mulher, que estava na garupa, sofreu escoriações e foi encaminhada para o HUT. Já a vítima, foi atingida com disparos de arma de fogo e veio a óbito no local. A PM ainda não tem sua identificação.

Violência em série

O primeiro caso de homicídio destes dois na zona Leste aconteceu na madrugada desta segunda-feira (19), quando um tenente do Exército matou a namorada e feriu mais duas mulheres na saída de um bar.  Iarla Lima Barbosa veio a óbito ainda no local e sua irmã, Ilana Lima Barbosa, junto com uma amiga, Joseane Mesquita, foram encaminhadas para o HUT. O Ministério Público do Piauí se manifestou sobre o caso e o classificou como “crime de motivação machista”, uma vez que o tenente teria matado a namorada por ciúmes.

Já o segundo homicídio se deu no começo da manhã de ontem, quando um caminhoneiro reagiu a um assalto na Avenida Dom Severino . Ele descarregava um material do veículo e foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta, que levaram sua bolsa e seu celular.

Cerca de cinco horas depois, por volta das 13 horas desta segunda, a PM foi chamada a atender outro caso de latrocínio na zona Leste, desta vez na Avenida Pedro Almeida , onde Valdemir Prado Neto foi alvejado com dois tiros após resistir a uma tentativa de assalto contra o comércio de sua família. Segundo o major Antônio Marcos, os criminosos haviam tentado assaltar o estabelecimento pela manhã, mas sem conseguir concluir o roubo, retornaram armados e, durante a ação, acabara tirando a vida de Valdemir.

Já na madrugada de hoje (20), a polícia registrou um homicídio triplo . Quatro homens foram alvo de dezenas de tiros próximo ao povoado Soinho. Três deles foram assassinados, mas um conseguiu escapar com vida. As vítimas estavam em um carro, seguindo pela estrada da Cacimba Velha, quando foram cercados por duas motocicletas.

Já na manhã desta terça-feira, o sétimo homicídio registrado na zona Leste de Teresina: o corpo de Deusdete Mendes Aguiar, 46 anos, foi encontrado dentro de sua residência na Rua Rocha Andrade, bairro São João. Segundo a polícia, a vítima seria usuária de drogas e costumava receber visitas de outros usuários em casa. A suspeita é que um deles tenha cometido o homicídio.

Irmã de jovem morta pelo namorado recebe alta no HUT

Uma amiga das irmãs também foi baleada pelo tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto, que teve uma crise de ciúmes.

A jovem Ilana Lima Barbosa recebeu alta por volta das 9h30 desta terça-feira (20) do Hospital de Urgência de Teresina Professor Zenon Rocha (HUT). Ela é irmã de Iarla Lima Barbosa, que na madrugada de segunda-feira foi assassinada pelo namorado, o tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto, lotado no 2º Batalhão de Engenharia de Construção.

Além de matar a namorada, o militar ainda efetuou disparos contra a cunhada, Ilana, e contra uma amiga das irmãs, identificada como Joseane Mesquita.

Ilana foi baleada de raspão na cabeça, enquanto Joseane foi atingida por um tiro no braço direito, e recebeu alta ainda na segunda-feira.

O velório de Iarla iniciou ainda na segunda-feira, e o sepultamento acontece nesta terça, na cidade da família, Governador Eugênio Barros (MA), a 211 km de Teresina.

 

Iarla Lima Barbosa e o tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto (Fotos: Reprodução / Arquivos pessoais)

O tenente José Ricardo teria efetuado disparos contra as três jovens durante uma crise de ciúmes. Na noite de domingo, os quatro participaram de uma festa num bar localizado na Avenida Nossa Senhora de Fátima, e o crime ocorreu assim que eles deixaram o local.

Após matar a namorada e ferir as outras duas jovens, José Ricardo foi para seu apartamento na zona leste, levando consigo o corpo da Iarla dentro do veículo. Horas depois ele foi preso pela Polícia Militar.

Segundo o Mapa da Violência contra a Mulher, 13 mulheres são assassinadas diariamente no Brasil. Boa parte delas são mortas pelos próprios companheiros, por motivos fúteis.

Ex- Restart e namorada são acusados de agredir a mãe do cantor

Leni Lanza afirma que o filho lhe deu socos e que ela foi mordida, arranhada e levou uma panelada da namorada do cantor

O vocalista do Restart, Pedro Gabriel Lanza Reis, conhecido como Pe Lanza, está sendo acusado por sua mãe, Leni Lanza, de agressão. Leni abriu dois boletins de ocorrência no 89º Distrito Policial de São Paulo, no Morumbi, um contra Pe Lanza e sua namorada, Gabriela Medeiros Merjan, e outro somente contra a moça.

De acordo com o investigador de polícia do 89º DP Mauricio Leopoldo Hoffmann, no primeiro boletim, registrado no dia 8, Leni afirma que teve um desentendimento com Gabriela, que lhe deu um tapa no rosto, mordeu sua mão e arranhou seu pescoço, causando diversas lesões.

No segundo boletim, registrado no dia 10 de junho, Leni afirma que pediu ao filho que não trouxesse mais a namorada para sua casa, já que ela costumava passar a noite lá. Pe Lanza, então, teria partido em sua direção e desferido diversos socos em seus braços e costas, tendo ajuda de Gabriela. Leni afirma que, em seguida, Gabriela desferiu uma panelada em sua direção, ferindo seu dedo.

Nos comentários de seu perfil no Instagram, Gabriela acusou a sogra de ter começado a briga e afirmou que o músico não bateu na mãe, apenas tentou separá-las. “Ela veio me xingar, na verdade já é de tempos que ela me odeia e me xinga, chutava meu cachorro”, escreveu. “Até que um dia eu não aguentei mais ser xingada quieta e xinguei também! Aí ela não aguentou, veio para cima de mim e tudo mais, aí eu bati pra me defender, o Pedro berrava para a gente parar, e ela não largava meu cabelo, eu já estava no chão e ela continuava a me bater. Até que o Pedro segurou os braços dela, ela veio com uma tesoura de ponta falando que iria me matar. Foi quando eu falei que iria embora e me tranquei no quarto.”

A equipe de Pe Lanza afirma que não está conseguindo contato com o cantor e por enquanto não vai se pronunciar. Em um áudio divulgado pelo programa Cidade Alerta, Pe Lanza afirma que não agrediu a mãe, mas que ela e a namorada realmente tiveram desentendimentos. “Eu tentei a todo momento apaziguar e separar as duas”, diz. “Eu tenho até um vídeo, de um momento em que a briga começou a ficar muito séria e muito feia, eu consegui separar as duas e a minha mãe pegou essa panela e foi em direção à Gabriela. (…) No vídeo, quando ela (mãe) percebe que eu estou gravando, ela solta a panela na minha mão.”

“Eu nunca imaginei que eu fosse me decepcionar com a minha mãe”, continua. “Não é a primeira vez que ela perde a cabeça a esse ponto, ela mandou o meu pai para fora de casa há uns quatro anos, jogou as roupas dele no entulho. Eu não sou médico para dar laudo nenhum, mas ela sempre teve muito ciúme, por ela ser muito sozinha. E ela também tem vestígios de depressão.”

Pe Lanza está em carreira solo. O Restart, composto por Pe Lanza, Pe Lu, Koba e Thomas, anunciou um hiato em 2015.

Cinco réus acusados de matar travesti Laura Vermont seguem soltos

MP e assistente da acusação querem inclusão de vídeo da agressão; juiz decidirá se grupo vai a júri popular.

travesti Laura Vermont, de 18 anos, foi morta a socos e pauladas durante uma briga há exatos dois anos na Zona Leste de São Paulo. Neste período, os cinco réus acusados de agredi-la e matá-la seguem soltos. Sequer há decisão da Justiça para saber se eles serão julgados ou não pelo crime.

“Se estivesse viva, com certeza a Laura iria à Parada Gay”, disse a comerciante Zilda Laurentino, de 52 anos, mãe da travesti, sobre a Parada do Orgulho LGBT realizada no último domingo (18) na Avenida Paulista. “A última vez dela no evento foi dias antes de ser brutamente assassinada por esses ‘monstros’.”

Os "monstros", segundo Zilda, que nas redes sociais adotou o sobrenome Vermont em homenagem à filha, são Van Basten Bizarrias de Jesus, de 26 anos; Iago Bizarrias de Deus, de 24; Jefferson Rodrigues Paulo, 26; Bruno Rodrigues de Oliveira e Wilson de Jesus Marcolino, 22. Além de amigos, parte dos cinco rapazes são parentes.

O G1 não conseguiu localizar os acusados ou seus advogados para comentarem o assunto.

Câmeras de segurança gravaram o grupo batendo em Laura em 20 de junho de 2015. Outro vídeo mostra a travesti caminhando com o rosto ensanguentado. O funcionário do posto que gravou as imagens com o celular pergunta: “O que foi?”. A vítima responde e pede ajuda: “Você sabe como é que é. Você me leva para o pronto-atendimento?”

Apesar das filmagens, uma decisão judicial de agosto de 2015 revogou a prisão dos cinco jovens por entender que eles colaboraram com investigação policial, assumindo a agressão a Laura. O Ministério Público (MP) e a assistente de acusação pediram à Justiça para que os vídeos sejam incluídos no processo. Atualmente, só fotos dos vídeos constam no documento. O G1 teve acesso a algumas dessas fotografias das agressões que circulam via WhatsApp e as divulga acima.

A travesti Laura Vermont postou esta última foto no Facebook na sexta-feira (19) (Foto: Reprodução/Facebook/Laura Vermont)

5 réus

Em sua decisão, a juíza Érica Aparecida Ribeiro Lopes e Navarro Rodrigues justificou a soltura alegando que “não havendo indícios de que os acusados tenham procurado furtar-se à sua responsabilização criminal ou prejudicar a instrução probatória, pois confessaram a prática do delito e individualizaram suas condutas, entendo cabível a substituição da custódia preventiva pelas seguintes medidas cautelares".

Entre as medidas cautelares que os cinco réus terão de cumprir estão: permanecerem em São Paulo; não frequentarem bares ou casas noturnas que vendam bebidas alcoólicas; não saírem de suas residências à noite e nos finais de semana; além de não procurarem testemunhas e parentes de Laura.

O juiz Luís Filipe Vizotto Gomes, da 1ª Vara do Júri no Fórum da Barra Funda, Zona Oeste da capital, deverá decidir se os acusados devem ser julgados ou não pelo crime de homicídio. Caso submeta os réus a júri popular, ele deverá marcar uma data para o julgamento. O promotor do caso é João Carlos Calsavara, representante do Ministério Público (MP), responsável pela acusação.

A soltura dos réus revolta os familiares de Laura ainda hoje. “Tem vídeos que mostram a agressão, mas mesmo assim ainda não prenderam essa cambada de ‘monstros’?!”, criticou Rejane Laurentino, 35, comerciante e irmã de Laura. “Só a gente sabe a falta que minha irmã faz e a dor que deixou. Enquanto isso, tem esses vagabundos curtindo a vida.”

Os parentes da travesti também não concordam com a conclusão da Polícia Civil, de que a agressão que causou a morte de Laura foi causada por uma discussão. “Não foi isso. Para mim a motivação do crime foi homofóbica ”, disse Rejane. "Esses rapazes mexeram com ela, e ela retrucou, aí eles foram para cima agredi-la. Isso é homofobia", completou Zilda.

LGBT

O fato é que o assassinato de Laura provocou a reação de travestis nas redes sociais. A repercussão foi tamanha que, em julho de 2016, a prefeitura inaugurou o Centro de Cidadania LGBT 'Laura Vermont', em homenagem à travesti. O local fica na mesma via onde ela foi morta, a Avenida Nordestina, em São Miguel Paulista.

A expectativa da advogada Carolina Souza Dias Gerassi, assistente da acusação, contratada pela família de Laura para defender os interesses dos parentes da vítima, é a de que os réus sejam levados a julgamento.

“Infelizmente processos judiciais são notoriamente lentos. Nesse caso em específico, como os réus respondem o processo soltos, já que tiveram a prisão preventiva substituída rapidamente por liberdade provisória, há prioridade no julgamento e prática dos demais atos processuais de feitos com réus presos em detrimento da celeridade destes em que os réus respondem o processo em liberdade”, disse a advogada.

O MP e a advogada entraram com recurso contrário a soltura dos acusados, mas esse pedido ainda não foi julgado.

“Tivemos informações que eles foram viajar e frequentavam bares a noite, isso significa que violaram as condições impostas pelo juízo para que permanecessem em liberdade provisória", disse Carolina. "Entretanto, da mesma forma que ocorre com o processo em primeira instância, o fato de eles estarem soltos, faz com que o julgamento do recurso não seja prioritário para o Tribunal de Justiça [TJ].”

Traumatismo

De acordo com a investigação policial, Laura, que tem no registro o nome de David Laurentino Araújo, brigou com várias pessoas antes de morrer, chegando até a roubar um carro da Polícia Militar (PM). Segundo o 32º Distrito Policial (DP), Itaquera, que investigou o caso, câmeras de segurança de uma padaria gravaram a briga entre os cinco rapazes e a travesti. A investigação descartou a possibilidade de o crime ter sido motivado por homofobia.

Para a polícia, a morte da travesti decorreu de um desentendimento entre os envolvidos. Laudo do Instituto Médico-Legal (IML) concluiu que a causa da morte da travesti foi em decorrência do traumatismo craniano que ela sofreu.

“Um dos detidos confessou que pegou um pedaço de pau e deu três pauladas na cabeça de Laura”, afirmou em julho de 2015 o delegado José Manoel Lopes, que investigava se mais pessoas contribuíram para a morte da travesti.

Transexual

De acordo com o delegado, na madrugada de 20 de junho, antes de apanhar dos cinco rapazes, Laura havia pego carona com o cliente de uma travesti amiga dela, que se prostituía, e se desentendido no veículo com as duas pessoas. Ela queria que o rapaz a levasse para sua casa, mas ele se recusou, segundo a polícia. Durante a discussão, Laura cortou a colega com um canivete.

Segundo o delegado, o motorista parou o veículo e as duas desceram na Avenida Pires do Rio e continuaram a brigar. Foi quando um motoboy passou e arrancou o canivete das mãos de Laura, que estaria alterada. “A investigação aguarda o resultado dos laudos periciais para saber se ela consumiu drogas e bebida”, disse Lopes na época do crime.

Em seguida, de acordo com o delegado, Laura atravessou a avenida e se desentendeu com um casal, puxando o cabelo de uma mulher. Depois, ela passou em frente a uma padaria da Avenida Nordestina onde estavam cinco jovens que haviam bebido no local. Ao passar por eles, a travesti teria discutido com o grupo, que passou a agredi-la.

PM

Posteriormente, a PM foi à região para atender um chamado por conta da briga entre Laura e os rapazes. Ao chegar ao local, dois policiais militares contaram que a travesti entrou no carro da corporação, se aproveitando de um momento de distração dos agentes, e dirigiu até bater num muro. Durante o trajeto, um policial estava dentro do veículo tentando impedir o roubo.

Esse policial, que é o soldado Diego Clemente Mendes, de 22 anos, ainda atirou no braço de Laura. Ele e o sargento Ailton de Jesus, de 43 anos, teriam deixado de socorrer a travesti.

O corpo de Laura foi encontrado esfaqueado e com um tiro no braço. Os policiais Diego e Ailton chegaram a ser presos pela Polícia Civil por mentirem durante o depoimento que prestaram sobre o caso no 63º DP, Vila Jacuí. Depois foram soltos por decisão da Justiça.

Eles teriam omitido o fato de que um deles atirou no braço da travesti, que sobreviveu ao disparo. A dupla ainda teria orientado uma testemunha a omitir o disparo, dando a ela uma folha de papel com o que deveria falar. O MP não denunciou os dois PMs, mas solicitou que eles fossem investigados por seus superiores pela suspeita de terem cometido crimes de falso testemunho e fraude processual.

19 de junho de 2017

Irmã de jovem morta por tenente ainda não sabe sobre o assassinato

A jovem foi internada no Hospital de Urgências de Teresina após ser atingida com um tiro de raspão na cabeça. Seu quadro de saúde é estável.

Ailana Lima Barbosa, irmã de Iarla Lima Barbosa, jovem assassinada na madrugada de hoje (19) pelo namorado na Zona Leste de Teresina, está internada no Hospital de Urgências de Teresina e o seu quadro de saúde é estável. De acordo com o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, a jovem ainda não sabe sobre a morte da irmã e está sendo acompanhada por uma equipe de psicólogos do hospital.

O diretor do HUT informou que, apesar de ter sofrido traumatismo craniano por conta do disparo, a jovem não precisou passar por cirurgia e deve voltar para casa nos próximos dois dias. Ailana e uma amiga das irmãs, identificada como Joseane Mesquita, foram atingidas por disparos de arma de fogo deflagrados pelo tenente do 2º Batalhão de Engenharia de Construção e cunhado de Ailana, José Ricardo da Silva Neto, ao saírem de um bar localizado na Zona Leste.

José Ricardo da Silva Neto é acusado de matar namorada e disparar contra duas mulheres na Zona Leste. (Foto: Reprodução)

Ailana foi atingida de raspão na cabeça, e Joseane Mesquita foi atingida no tórax e no braço. Já Iarla Lima Barbosa, namorada do acusado, foi atingida e veio a óbito ainda dentro do carro do tenente. Segundo o diretor do HUT, Joseane já recebeu alta do hospital. As duas não correm risco de morte.

Entenda o caso

Uma mulher foi assassinada e mais duas ficaram feridas na madrugada desta segunda-feira (19). O acusado é um tenente do 2º Batalhão de Engenharia de Construção, José Ricardo da Silva Neto, que teria matado a namorada Iarla Lima Barbosa e atirado na irmã dela Ailana Lima Barbosa e na amiga Joseane Mesquita. O crime ocorreu após os quatro saírem de um bar na zona Leste de Teresina.

De acordo com o coronel Alessandro Silva, comandante do 2º BEC, as circunstâncias do crime ainda estão sendo apuradas, mas as informações iniciais são de que o tenente estava no bar Bendito por volta da 1h da madrugada, acompanhado das três mulheres. Alguns minutos depois, duas delas retornaram ao bar, feridas, afirmando que o tenente atirou nelas dentro do veículo.

A namorada morreu dentro do carro, umas das vítimas foi atingida no braço e no lado direito do tórax. A terceira vítima levou um tiro de raspão na cabeça. O acusado também feriu a si mesmo na coxa direita e está em um hospital particular.

Ele passará por cirurgia para retirada da bala e ficará internado por cerca de cinco dias. As duas mulheres que sobreviveram estão sendo atendidas no Hospital de Urgência de Teresina. Nenhum dos três corre risco de morte.

Após praticar o crime, o tenente José Ricardo foi para seu apartamento na zona Leste, onde a Polícia Militar encontrou o carro com o corpo da namorada dentro. “Nos solidarizamos com as vítimas e seus familiares. O 2º BEC está apurando o caso e tomará todas as medidas administrativas e disciplinares”, disse o coronel Alessandro, em nota.

O tenente Silva Neto está no 2º BEC desse agosto de 2014, oriundo do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Recife. Em dezembro daquele ano, ele conseguiu autorização para adquirir uma pistola Taurus .380, mas não tinha o porte de arma. A solicitação feita em 2016 foi negada duas vezes, pois os argumentos para solicitar o porte foram considerados inconsistentes. 

Zona Leste registra segundo caso de latrocínio em 12 horas

Homem reagiu a assalto dentro de estabelecimento comercial na Avenida Pedro Almeida no começo da tarde.

Esta segunda-feira (19) está sendo marcada pela violência na zona Leste de Teresina, onde já foi registrado, no começo da tarde, um segundo caso de latrocínio (roubo seguido de morte). Desta vez a vítima era um homem, identificado como Valdemir Prado Neto, que reagiu à abordagem de criminosos em um estabelecimento comercial na Avenida Pedro Almeida, próximo ao Camarão do Elias.

De acordo com o major Antonio Marcos, hoje pela manhã, um rapaz tentou assaltar o comércio da família de Valdemir, mas a tia da vítima teria reagido à ação. O assaltante, então, teria saído sem conseguir concluir o roubo. Já no começo da tarde, o mesmo criminoso retornou ao estabelecimento, dessa vez acompanhado de um comparsa e armado. "Coincidiu de na hora o Valdemir estar no local com a tia. Ele reagiu à investida dos criminosos e acabou sendo alvejado", afirma o major. 

Zona Leste registra segundo caso de latrocínio em 12 horas. (Foto: Elias Fontenele)

Até o momento, a polícia não tem identificação dos suspeitos, mas não descarta a possibilidade de serem os mesmos que cometeram o latrocínio contra o caminhoneiro na manhã de hoje na Avenida Dom Severino. "Eles saem dispostos a tudo e quando começam, não param. Geralmente assaltam em série e saem cometendo delito atrás de delito, então é de se considerar que a dupla possa ser a mesma que matou o senhor pela manhã", diz o major Marcos.

Zona Leste registra segundo caso de latrocínio em 12 horas. (Foto: Elias Fontenele)

Segundo testemunhas, os dois assaltantes estavam em duas motos. A perícia criminal, que esteve no local conversando com familiares e vizinhos do comércio, constatou que a vítima foi alvejada com dois disparos, um que transfixou o pescoço e o outro nas costas. Imagens de câmeras de segurança localizadas no entorno do local do crime serão colhidas pela perícia para investigar se houve registro da ação. 

O corpo de Valdemir foi recolhido e encaminhado para o Instituto Médico Legal.

Zona Leste registra segundo caso de latrocínio em 12 horas. (Foto: Maria Clara Estrêla)

Dia violento

Já nas primeiras horas da manhã, a Polícia Militar foi acionada no Bairro de Fátima para atender a uma outra ocorrência de latrocínio. Na ocasião, um caminhoneiro, que não teve o nome divulgado, foi alvejado quando fazia a descarga de material de seu veículo. O crime, segundo a polícia, foi praticado por uma dupla, que levou a bolsa e o celular da vítima.

Os dois casos seguem sob investigação da Delegacia de Homicídios.

Policial tem casa incendiada e bandidos levam munição de pistola

Tenente reformado de São João do Piauí foi vítima de ação de criminosos. Polícia acredita que ação foi represália.

O tenente Djalma Alves, lotado na cidade de São João do Piauí, teve sua casa furtada e incendiada durante a noite de sábado (17). A polícia acredita que o crime foi uma forma de represália a diversas prisões de traficantes de drogas que o PM fez na região. Os bandidos levaram uma televisão e uma caixa de munições .40 e fugiram.

(Foto: Divulgação/ PM)

O capitão Edilson Sousa, comandante da Polícia Militar de São João do Piauí, destaca que o caso tem características de crime premeditado. O tenente saiu de sua casa, um sítio onde mora sozinho, por volta das 22h. Menos de duas horas depois uma viatura da Força Tática passava pela região e os policiais avistaram a casa em chamas. Eles logo acionaram os bombeiros, que estavam na cidade por ocasião dos festejos de São João Batista.

Os bandidos invadiram o local arrombando uma porta nos fundos da casa, furtaram uma televisão e uma caixa de munições para pistola e usaram gasolina para atear fogo a casa. “Os bombeiros tentaram apagar, mas fogo consumiu muito rápido por conta da gasolina, e o tenente praticamente perdeu tudo: móveis, televisão, ar condicionado...”, relata o capitão Edilson, que afirma que a PM da cidade está a procura dos responsáveis. “Tudo indica que fizeram isso devido a ele ter feito algumas prisões de traficantes, pode ser um tipo de represália”, comenta o capitão.

O tenente, que estava de volta à ativa a cerca de três meses, está agora hospedado no quartel da Polícia Militar. Os policiais têm feito uma campanha para ajudar o policial a recuperar sua casa. “Se deus quiser nós vamos reerguer a casa dele logo, logo”, disse o capitão Edilson.

Preso um dos suspeitos de matar jovem e incendiar veículo em Timon

Outro jovem e um adolescente também teriam participado do crime, mas ainda não foram localizados pela Polícia.

A Polícia Civil efetuou a prisão de um homem identificado como José de Jesus Pinto Neto, vulgo "Paizim", 19 anos, suspeito de participação no latrocínio que teve como vítima o jovem Marco Antônio Oliveira. 

O rapaz foi visto pela última vez no dia 4 de junho, um domingo, quando saiu de casa dizendo à família que não demoraria. Ele, no entanto, não retornou, e seu corpo só foi encontrado uma semana depois, no dia 11 de junho, a cerca de alguns metros do seu carro, que foi incendiado. 

O corpo e o veículo foram achados às margens da BR 226, no trecho conhecido como estrada do Baú, que liga a cidade de Timon a outros municípios localizados na região central do Maranhão.

O delegado Antonio Valente, titular da Delegacia de Homicídios de Timon (Foto: Cícero Portela / O DIA)

José de Jesus Pinto Neto foi preso por policiais civis de Timon por volta do meio-dia do último domingo (18). Outro jovem, identificado como Ricardo César Barbosa, 21 anos, também teria participado do latrocínio, bem como um adolescente.

Contra os dois maiores de idade a Polícia obteve mandados de prisão temporária junto à Justiça. Já o menor deve ser encaminhado para a delegacia especializada assim que for localizado.

José de Jesus Pinto, o "Paizim", confessou o crime. Ele disse que, inicialmente, a intenção era só roubar, mas a vítima conhecia o adolescente, e por isso o trio decidiu executar Marco Antônio.

José de Jesus, no entanto, nega que ele e seus comparsas tenham incendiado o veículo.

"A gente recebeu muitas informações da comunidade e também nos baseamos na área onde o crime ocorreu, que é uma área onde esse rapaz que foi preso atua muito. Os informes nos levaram até ele. Com a prisão ele admitiu o crime, indicou os outros participantes e, agora, nós estamos tentando localizá-los", afirma o delegado Antonio Valente, titular da Delegacia de Homicídios de Timon.

O jovem Marco Antônio Oliveira teve um anel de formatura e uma quantia de R$ 50 roubados. Suspeito diz que ele foi executado porque conhecia um dos assaltantes (Foto: Arquivo pessoal)

José de Jesus já havia sido preso por roubo. Ele foi solto em janeiro, com uma tornozeleira eletrônica, mas em meados de maio violou o equipamento e permanecia livre sem ser monitorado pela Justiça. Segundo o delegado, já havia outros mandados de prisão decretados contra José de Jesus pelo cometimento de crimes de roubo. 

O outro suspeito, Ricardo César Barbosa, já havia sido autuado por porte ilegal de arma de fogo, mas pagou fiança e respondia o processo em liberdade.

O trio teria levado uma quantia de R$ 50 da vítima, e seu anel de formatura.

Tenente do Exército mata a namorada e fere mais duas mulheres

A namorada morreu dentro do carro, umas das vítimas foi atingida no braço e no lado direito do tórax. A terceira vítima levou um tiro de raspão na cabeça

Uma mulher foi assassinada e mais duas ficaram feridas na madrugada desta segunda-feira (19). O acusado é um tenente do 2º Batalhão de Engenharia de Construção, José Ricardo da Silva Neto (foto abaixo), que teria matado a namorada Iarla Lima Barbosa (foto ao lado) e atirado na irmã dela Ailana Lima Barbosa e na amiga Joseane Mesquita. O crime ocorreu após os quatro saírem de um bar na zona Leste de Teresina.

De acordo com o coronel Alessandro Silva, comandante do 2º BEC, as circunstâncias do crime ainda estão sendo apuradas, mas as informações iniciais são de que o tenente estava no bar Bendito por volta da 1h da madrugada, acompanhado das três mulheres. Alguns minutos depois, duas delas retornaram ao bar, feridas, afirmando que o tenente atirou nelas dentro do veículo.

A namorada morreu dentro do carro, umas das vítimas foi atingida no braço e no lado direito do tórax. A terceira vítima levou um tiro de raspão na cabeça. O acusado também feriu a si mesmo na coxa direita e está em um hospital particular.

Ele passará por cirurgia para retirada da bala e ficará internado por cerca de cinco dias. As duas mulheres que sobreviveram estão sendo atendidas no Hospital de Urgência de Teresina. Nenhum dos três corre risco de morte.

Após praticar o crime, o tenente José Ricardo foi para seu apartamento na zona Leste, onde a Polícia Militar encontrou o carro com o corpo da namorada dentro. “Nos solidarizamos com as vítimas e seus familiares. O 2º BEC está apurando o caso e tomará todas as medidas administrativas e disciplinares”, disse o coronel Alessandro, em nota.

O tenente Silva Neto está no 2º BEC desse agosto de 2014, oriundo do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Recife. Em dezembro daquele ano, ele conseguiu autorização para adquirir uma pistola Taurus .380, mas não tinha o porte de arma. A solicitação feita em 2016 foi negada duas vezes, pois os argumentos para solicitar o porte foram considerados inconsistentes. 

O Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid) enviou nota à imprensa, repudiando o ato de violência cometido pelo tenente do 2º BEC José Ricardo da Silva Neto. Para o órgão, o crime teve motivação machista. "Repudiamos profundamente tal ato de violência e reforçamos a fundamental necessidade de enfrentamento ao machismo e opressão", diz a nota.

Segundo o Mapa da Violência contra a Mulher, 13 mulheres são assassinadas diariamente no Brasil. "Não podemos aceitar de forma omissa a revoltante realidade de que todas as mulheres estão a mercê dessa violência arbitrária e de tratamento desigual e opressor. Chega de feminicídio, chega de violência! Por todas as mulheres, vamos continuar lutando pelo fim do machismo!", conclui o Nupevid.

Operação Corpus Christi: PRF registra 29 acidentes, 12 pessoas morreram no Pi

Operação foi realizada entre os dias 14/06 a 18/06. Além da fiscalização, houve também campanha educativa com cinema rodoviário e movimento desacelerar para refletir

A Polícia Rodoviária Federal do Piauí (PRF-PI) divulgou o relatório da Operação Corpus Christi, realizada entre os dias 14/06 a 18/06. O objetivo principal da operação era fiscalizar as rodovias do estado por conta do feriado prologado, quando a movimentação é maior. Nos cinco dias a Polícia Rodoviária Federal registrou 29 acidentes, 65 pessoas ficaram feridas e 12 morreram. 

Segundo Relatório da PRF/PI foram realizados 900 testes de Alcoolemia (bafômetro), 2.201 veículos e 2.381 pessoas foram fiscalizados. 853 veículos foram flagrados em excesso de velocidade. 14 pessoas foram presas por ocorrências criminais e um veículo foi recuperado.

Das irregularidades no trânsito: 123 pessoas foram multadas por estarem sem capacete, 44 sem sinto de segurança e 8 por crianças sem a cadeirinha. 26 pessoas foram presas por alcoolemia. Foram contabilizadas 88 ultrapassagens irregulares.

Acidentes

Ônibus da empresa Gênesis que perdeu controle na BR-135. Foto: Divulgação/PRF-PI

No último sábado (17), um ônibus da empresa Gênesis, que transportava passageiros vindos da cidade de Boa Viagem (CE) com destino a São Paulo, perdeu o controle no final de uma curva fechada em declive, a cerca de 15 km do município de Redenção do Gurgueia, na BR-135 sul do Piauí. De acordo com PRF, 9 pessoas morreram, 19 pessoas ficaram feridas e 2 passageiros saíram ilesos do acidente.

Ônibus da empresa Gênesis que perdeu controle na BR-135. Foto: Divulgação/PRF-PI

Na cidade de Pedro II, BR 404, a 44 Km da capital, houve um atropelamento de pedestre, o veículo não foi identificado. A vítima identificada com as iniciais  L.F.F.S, de 61 anos, faleceu.

Em Amarante ocorreu uma colisão frontal envolvendo um carro e uma moto. O piloto da moto, identificado por M.P.S, 63 anos, morreu.  O motorista do carro saiu ileso.

Em Angical do Piauí, BR 343, ocorreu uma colisão traseira entre dois veículos. 21 pessoas ficaram feridas, não sendo possível indicar a gravidade das lesões de todas as vítimas. Uma das vítimas veio a óbito no domingo (18).

17 de junho de 2017

28 pessoas morreram em 4 meses na "Estrada da Morte", a BR-135

Somente no mês de junho deste ano já foram registrados dois acidentes com 16 vítimas fatais na rodovia, que liga o Piauí ao estado da Bahia.

A BR-135, que liga o Piauí ao estado da Bahia, é conhecida como “Estrada da Morte”. O nome, dado pelos motoristas que trafegam pelo local, faz menção ao número de mortes em acidentes na rodovia, considerado fora dos padrões até mesmo pela Polícia Rodoviária Federal. De acordo com a PRF, de janeiro a junho deste ano foram contabilizadas, pelo menos, 28 mortes em acidentes em um trecho de 400km da BR-135. Desde 2015, são contabilizadas 82 vítimas fatais na rodovia.

Somente no mês de junho, já foram registradas 16 mortes na rodovia. Neste mês, o primeiro acidente, ocorrido na última segunda-feira (12), vitimou seis pessoas, entre elas uma criança de três anos de idade. A colisão aconteceu entre os municípios de Bom Jesus e Gilbués, próximo ao povoado Eugenópolis. Já no segundo acidente, ocorrido na manhã de hoje (17) em uma curva a cerca de 15 km do município de Redenção do Gurgueia, sul do Piauí, vieram a óbito dez pessoas.

Na manhã de hoje, um ônibus que transportava passageiros para São Paulo, virou em uma curva a cerca de 15 km do município de Redenção do Gurgueia. (Foto: Reprodução)

Veja notícias sobre os acidentes:

26/02: Cristalândia – PI: 04 vítimas fatais 

28/02: Cristalândia – PI: 04 vítimas fatais 

10/03: Bom Jesus – PI: 01 vítima fatal 

07/05: Monte Alegre – PI: 02 vítimas fatais 

10/05: Corrente – PI: 01 vítima fatal 

12/06: Bom Jesus – PI: 06 vítimas fatais 

17/06: Redenção do Gurgueia – PI: 10 vítimas fatais 

PRF avalia riscos da rodovia

Em coletiva realizada na sede da PRF em Teresina, no último dia 09 de maio, a Polícia Rodoviária Federal fez uma avaliação sobre as condições da rodovia. Devido à situação da rodovia, considerada alarmante, e ao grande número de acidentes com vítimas fatais, a PRF informou que iria pedir a restrição de veículos em determinado trecho da BR. 

Acidente ocorrido em fevereiro, quando duas mulheres e duas crianças morreram após carro bater em árvore (Foto: Reprodução)

Na ocasião, o superintendente da PRF, Wellendal Tenório, informou que uma das principais falhas é o desnível de até 30 cm entre o asfalto e a área lateral da pista. “Esse efeito degrau, agrava os acidentes com saídas de pista, porque o motorista perde o controle do veículo e sofre tombamento. Num trecho assim, se um pneu sai da pista, não consegue mais voltar, e o resultado é o acidente”, explicou o superintendente.

Quatro pessoas morreram em colisão de carro com caminhão tanque em fevereiro, no município de Cristalândia (Foto: Reprodução)

Em avaliação de uma equipe de peritos da PRF do Sergipe, que estiveram no Piauí em março deste ano para avaliar a via com um equipamento não encontrado no estado, foi constatado que a rodovia apresenta condição classificada como “Ruim”, e a geometria da via foi considerada “péssima”. Estas falhas graves contribuem para ocorrências com vítimas fatais.

No relatório apresentado pela PRF foram listados os problemas que precisam ser resolvidos na BR-135, tais como: alargamento da pista, que em alguns pontos tem apenas 5,2 metros, quando deveria ter 7 m; eliminação do efeito degrau, que chega a medir 35 cm; implantação do acostamento, inexistente em boa parte da via; sinalização vertical (placas) e horizontal (pintura da pista) é comprometida; drenagem da água (pista acumula água – precisa adequação); recuperação do asfalto; implantação de radares para reduzir velocidade;

Detento tenta matar esposa durante visita íntima na Penitenciária Irmão Guido

A ação ocorreu durante a visita íntima do casal, momento em que os detentos e as visitas ficam sozinhos, sem supervisão dos agentes penitenciários.

Um detento identificado como Raimundo Alves dos Santos tentou matar a sua esposa por volta do meio dia desta sexta-feira (16), na Penitenciária Irmão Guido, na BR-316, zona Sul de Teresina. Segundo informações do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), a ação ocorreu durante a visita íntima do casal, momento em que os detentos e as visitas ficam sozinhos, sem supervisão dos agentes penitenciários.

De acordo com o diretor sindical do Sinpoljuspi, Jefferson Dias, a mulher sofreu várias perfurações de faca e só sobreviveu porque os agentes penitenciários ouviram os gritos de socorro e a retiraram do recinto onde acontecia a visita. A jovem foi levada para um hospital de Teresina e não há informações sobre o seu estado de saúde.

"Nós suspeitamos que a faca que foi utilizada no crime tenha sido jogada por cima do muro do presídio. Geralmente esses objetos, como faca, pilhas, celulares, são jogados por cima do muro e eles conseguem pegar à noite. Essa é a única maneira de ter entrado", explica Jefferson Dias.

Segundo o diretor sindical do Sinpoljuspi, o crime teria tido motivações passionais. No entanto, ainda não há confirmação sobre o que teria levado o detento a cometer a tentativa de homicídio. O acusado foi conduzido para Central de Flagrantes de Teresina, onde foi registrado um boletim de ocorrência. 

Caso ocorreu na Penitenciária Irmão Guido, na BR-316, zona Sul de Teresina. (Foto: Arquivo O Dia)

PRF confirma 10 mortos e 18 feridos em acidente envolvendo ônibus na BR-135

Após o primeiro atendimento no hospital de Redenção do Gurgueia, pelo menos oito vítimas foram encaminhadas para Bom Jesus, entre elas duas crianças

A Polícia Rodoviária Federal confirmou na tarde de hoje (17) o número de mortos e feridos em um acidente envolvendo um ônibus na BR-135 na manhã deste sábado. Um ônibus da empresa Gênesis, que transportava passageiros vindos da cidade de Boa Viagem (CE) com destino a São Paulo, perdeu o controle no final de uma curva fechada em declive, a cerca de 15 km do município de Redenção do Gurgueia, sul do Piauí. De acordo com  PRF, 10 pessoas morreram, 18 pessoas ficaram feridas e 3 passageiros saíram ilesos do acidente.

Ônibus vinha do Ceará com destino a São Paulo. (Foto: Reprodução)

Após o primeiro atendimento no hospital de Redenção do Gurgueia, pelo menos oito vítimas foram encaminhadas para o hospital de Bom Jesus, entre elas duas crianças e um homem que teve a perna direita amputada. “Os casos mais graves foram levados diretamente do local do acidente para Bom Jesus por ambulâncias do Samu e outras cedidas pelos municípios vizinhos”, afirmou o prefeito.

De acordo com a PRF, após perder o controle na curva, o ônibus tombou ao colidir com uma barra de ferro de proteção (guard rail), localizada no acostamento da rodovia, que entrou na lataria do ônibus e cortou os corpos de algumas vítimas. “O médico do Samu me disse que algumas pessoas ficaram irreconhecíveis”, disse Ângelo Sena.

Na mesma curva onde ocorreu o acidente de hoje, vários carros já viraram. A BR-135 tem sido local de constantes acidentes com múltiplas vítimas. Na última segunda-feira (12), uma colisão frontal entre um carro de passeio e uma caminhonete deixou seis mortos, entre eles uma menina de três anos de idade.

Veja vídeo divulgado pela PRF:


Veja fotos do acidente (Créditos: Divulgação/PRF):


16 de junho de 2017

Bombeiros resgatam corpo de outra criança neste sábado, no Rio Parnaíba

A primeira criança, de 11 anos, foi localizada ontem. O segundo corpo, de um menino de 14 anos, estava próximo à Ponte Metálica

O corpo da segunda criança que estava desaparecida desde ontem (16) foi localizado neste sábado, próximo à Ponte Metálica. O menino de 14 anos brincava no Rio Parnaíba com o amigo, outra criança de 11 anos, quando os dois se afogaram. O primeiro corpo foi encontrado ainda na sexta-feira.

Atualizado às 9h do dia 17/06

O Corpo de Bombeiros resgatou na tarde de hoje (16), o corpo de uma criança no Rio Parnaíba, nas proximidades da Ponte Metálica. Segundo informações do Comando de Socorro do Corpo de Bombeiros, a vítima de afogamento é uma criança de aproximadamente 11 anos, identificada como M. C. L. S, que morreu afogada no rio na tarde de ontem (15), durante o feriado de Corpus Christi, enquanto banhava com um amigo que morreu afogado, mas cujo corpo ainda não foi encontrado.

Esse é o segundo corpo resgatado pelos Bombeiros no Rio Parnaíba em menos de 24 horas. A primeira vítima de afogamento foi um homem identificado como Everaldo Alves dos Santos. Os casos aconteceram com apenas 15 minutos de diferença, quase exatamente no mesmo local do rio.

De acordo com os Bombeiros, o corpo da criança foi resgatado e encaminhado para o IML da cidade de Timon, onde reside a família do jovem. No entanto, a guarnição continua em buscas de uma outra criança, amiga da vítima, que também teria se afogado na tarde de ontem (15), durante o feriado de Corpus Christi.

Três vítimas

De acordo com o tenente Miguel, do Corpo de Bombeiros, o primeiro afogamento foi o do senhor, identificado como Everaldo Alves dos Santos. Ele estava tomando banho com a família no Rio Parnaíba, próximo à Ponte Metálica, quando seus dois filhos caíram em buraco, junto com sua mulher. Populares que também banhavam no local, ajudaram no socorro e conseguiram resgatar as crianças e a esposa, mas o senhor Everaldo acabou sendo levado pela correnteza e sumindo da superfície algum tempo depois.

Cerca de 15 minutos após o ocorrido, duas crianças que também banhavam próximo à Ponte Metálica, começaram a descer pelo meio do rio e uns 50 metros depois, caíram no mesmo buraco onde ocorreu o afogamento do senhor Everaldo Alves. A informação é do Corpo de Bombeiros. “Estávamos na busca por este senhor, quando de repente esses meninos vieram na água, descendo, e depois caíram em um buraco. Infelizmente não foi possível o salvamento e eles acabaram morrendo afogados”, relata o tenente Miguel.

Os dois afogamentos aconteceram mais para o lado das margens de Timon, mas mesmo em outros pontos do Rio Parnaíba, os banhistas devem ter cautela. O Corpo de Bombeiros recomenda que as pessoas evitem tomar banho no rio, porque ele apresenta profundidade irregular, com a formação constante de buracos que não são visíveis, o que aumenta o risco da formação de redemoinhos e acaba puxando os banhistas para baixo.

“A correnteza em certos pontos é muito forte e as pessoas não conseguem lutar contra sua força. Se a pessoa não souber nadar muito bem, pode acontecer uma fatalidade, então nós recomendamos que evitem banhar no Rio Parnaíba, mesmo nessas áreas próximas às coroas, porque a segurança é sempre vulnerável”, finaliza o tenente Miguel.

O corpo do senhor Everaldo Alves foi retirado do rio ainda durante a noite pelos populares, mas as buscas pelos corpos das duas crianças seguem durante todo o dia de hoje.

14 de junho de 2017

PM aposentado é preso acusado de estupro na cidade de Lagoinha

Policial tem 71 anos e teria abusado de uma menina por pelo menos dois anos. Junto com ele, mais três pessoas foram presas pelo mesmo crime.

Um policial militar aposentado de 71 anos foi preso nesta quarta-feira (14) na cidade de Alagoinha, acusado de estuprar uma menina de 13 anos, na cidade de Lagoinha do Piauí. Segundo a Polícia Civil, a vítima começou a ser abusada quando tinha apenas 11 anos e desde então, os atos eram praticados constantemente.

A operação foi denominada Vulneráveis I e tem o objetivo de combater crimes de estupro na região de Água Branca. De acordo com o major Lacerda, comandante da PM do município, a Justiça expediu cinco mandados de prisão preventiva, dos quais quatro foram cumpridos com sucesso, ou seja, além do policial aposentado, mais três pessoas também foram presas acusadas de praticar o mesmo crime contra a mesma vítima. Dentre os detidos há uma mulher.

“A Polícia Civil foi acionada pelo Conselho Tutelar de Água Branca, denunciando que a menina vinha sofrendo abusos constantes há pelo menos dois anos. A investigação iniciou há umas duas semanas e desde então, em todas as diligências, ficou-se clara a ligação dos presos com a práticas dos estupros contra a vítima. A Polícia Civil, então, pediu a prisão e a Justiça atendeu, expedindo os mandados a que ajudamos a dar cumprimento hoje”, relata o major Lacerda.

Os presos foram localizados em suas respectivas residências em Lagoinha e três deles foram encaminhados para a Delegacia Regional de Água Branca, onde permanecem recolhidos. Eles serão ouvidos pelo delegado Thiago Damasceno, que comanda as investigações.

Quanto ao policial militar aposentado, ele foi trazido para Teresina, onde está detido no Presídio Militar. Segundo o major Lacerda, a Corregedoria da PM já foi acionada a respeito da acusação e deve cuidar dos próximos procedimentos a respeito do policial.

Incêndio criminoso destrói barracas em festejo em Alvorada do Gurgueia

Freezers, mesas e cadeiras de plástico e até dinheiro foi consumido pelas chamas. Prejuízo pode chegar a R$ 100 mil; três pessoas foram presas.

Um incêndio criminoso destruiu várias barracas de vendas de bebidas durante os Festejos de Santo Antônio, na cidade de Alvorada do Gurgueia. As barracas, com cobertura de palha, foram completamente destruída, bem como tudo o que havia dentro delas. O prejuízo pode chegar a R$ 100 mil.


Populares tentaram controlar o fogo, mas não conseguiram (Foto: Divulgação/ PM)

Segundo o tenente Pinheiros, da Polícia Militar de Bom Jesus, o incêndio foi provocado por volta das 3h de hoje (14), quando ainda haviam pessoas dançando e bebendo no local. Era o último dia do festejo.

“Lá foi um incêndio criminoso. Pessoas da comunidade tiveram desavenças, e o fogo foi provocado como vingança”, conta o tenente Pinheiros. “Quando fizemos a vistoria do local, encontramos um balde com gasolina. A pessoa usou esse balde, aproximadamente cinco litros de gasolina, para molha a palha e atear fogo. Se não fosse pela gasolina, as pessoas que estavam lá na hora teriam conseguido controlar as chamas”, comenta.


O fogo consumiu tudo o que havia. Freezers, mesas e cadeiras de plástico, garrafas de cerveja e até dinheiro foi destruído pelas chamas. Como era o último dia do Festejo de Santo Antônio, alguns barraqueiros guardavam o dinheiro apurado durante todo o evento, e se preparavam para prestar conta com as distribuidoras de bebidas. Em uma delas, R$ 5 mil em dinheiro viraram cinzas. Ao todo, nove barracas foram destruídas.

Três pessoas foram presas, suspeitas de terem iniciado o fogo. O tenente Pinheiros informou que eles foram levados para a Delegacia de Bom Jesus para prestar esclarecimentos, junto com duas testemunhas. O caso passa a ser investigado pela Polícia Civil, que vai determinar a autoria do crime.

Ao todo nove barracas foram destruídas (Foto: Divulgação/ PM)

Polícia apura participação de bancários em fraude de financiamento

Uma pessoa foi presa e duas estão foragidas, entre elas um empresário. A quadrilha usava documentos falsos e laranjas para tirar dinheiro dos bancos

Os policiais da 12º DP desarticularam hoje (14) um esquema de fraude em financiamentos de veículos em Teresina. Um homem foi preso e há ainda dois foragidos, entre eles um empresário. O grupo usava nome de pessoas humildes, principalmente do interior do estado, como laranjas. Algumas vítimas já estavam negativadas no SPC e Serasa.

O delegado Ademar Canabrava, titular do 12º DP, explica que o esquema funcionava da seguinte forma: usando os documentos dos laranjas, os acusados conseguiam o financiamento junto aos bancos. O carro era pago, mas o comprador não recebia o veículo, já que sequer sabiam o que era feito em seu nome. Os criminosos, portanto, ficavam com o carro e o dinheiro do financiamento.

A polícia agora vai investigar a participação de gerentes e outros funcionários de bancos, pois acredita que havia facilitação para liberar o financiamento à quadrilha. "Até carro de sucata era financiado. O banco tinha obrigação de fazer uma análise. O crédito era liberado com comprovante de residência falso e contracheque falso", relata Canabrava.

Segundo o delegado, já foram ouvidos alguns funcionários de bancos e, a partir da apreensão feita hoje, outros envolvidos no esquema podem ser descobertos. "Será a pedida a prisão de todos que tiverem participação, seja gerente de banco, seja quem for. A investigação começou há seis meses, mas agora que vamos descobrir mais informações com as apreensões feitas", disse.

Os polícia cumpriu um mandado de prisão contra Paulo Sérgio Pires, que era um intermediário. Ele é acusado de encontrar os laranjas e conseguir os documentos para realização da fraude. Há ainda dois foragidos: o dono da revendedora de carros usados Teresina Veículos, Fábio Pereira de Almeida, e uma segunda pessoa que não teve o nome revelado. 

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na residência de Paulo Sérgio e na loja Teresina Veículos. "Encontramos muitos documentos, DUT de veículos, e dois carros quem estavam em nomes de laranjas foram apreendidos na casa do Paulo Sérgio", disse o delegado.

O empresário foragido iria se apresentar ainda pela manhã na delegacia, mas não o fez. Com isso, o delegado Canabrava decidiu pedir a conversão da prisão preventiva em prisão temporária. 

Ao todo, 14 mandados de prisão foram pedidos, mas ainda não estão liberados, o que significa que uma nova operação pode acontecer nos próximos dias.

13 de junho de 2017

Pela segunda vez, PM é acionada por suspeita se bomba em Teresina

Cofres abandonados estavam jogados próximos à sede da Polícia Federal, o Bope foi chamado para abrir os objetos, mas nada que representasse risco foi encontrado.

Após o episódio com uma mochila que foi encontrada no bairro Piçarra contendo supostos explosivos  na noite de ontem (12), o Batalhão de Operações Policia Especiais (BOPE) foi acionado novamente no começo da tarde de hoje (13) para atender mais uma ocorrência por suspeita de explosivos, desta vez na zona Leste de Teresina.

Dois cofres foram abandonados próximos à sede da Polícia Federal, na Avenida João XXIII e a Polícia Militar foi chamada até o local para fazer o isolamento da área até que o esquadrão antibombas chegasse. De acordo com o comandante do 8º BPM, capitão Suednei, havia a suspeita de que os objetos guardassem explosivos, mas a hipótese foi refutada quando os objetos foram abertos.

“Os homens do Bope constataram que, a princípio, não havia nada nos cofres que representasse perigo. Agora como houve aquele evento de ontem, é normal que as pessoas vejam essas peças abandonados e já criem um certo temor. Nesse caso, o procedimento é padrão: acionar a divisão especializada para manusear os objetos suspeitos”, explica o capitão Suednei.

O porta-voz da Polícia Militar, coronel John Feitosa, informou que os cofres pertenceriam a uma senhora que mora próximo à sede da PF e que teria colocado os objetos do lado de fora para que fossem levados por alguém. O coronel frisa que nenhum artefato que representasse perigo foi encontrado dentro das peças de metal e que a informação de que haveriam explosivos no interior não são verdadeiras.

Polícia desvenda crime de calúnia cometido via Facebook e Whatsapp

Proprietária de um estabelecimento difundiu imagens da vítima atribuindo-lhe a autoria de um crime de roubo que teria ocorrido no bairro Saci.

A Polícia Civil cumpriu, na manhã desta terça-feira (13), um mandado de busca e apreensão numa empresa situada na Avenida Centenário, bairro Aeroporto, na zona norte da capital.

Segundo o delegado Daniell Pires Ferreira, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, o mandado judicial foi expedido em razão da prática do crime de calúnia, previsto no artigo 138 do Código Penal brasileiro, tendo como vítima um servidor público estadual.

O delegado Daniell Pires Ferreira, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (Foto: Jailson Soares / Arquivo O DIA)

De acordo com a Polícia, a prática criminosa teria iniciado no final de março. Depois de obter imagens da vítima a partir do circuito fechado de vigilância do seu estabelecimento, a proprietária passou a divulgar as imagens como sendo de um criminoso, através da rede social Facebook e do Whatsapp, aplicativo de troca de mensagens instantâneas.

Em depoimento na DRCI, a mulher confessou ter propagado as imagens da vítima atribuindo à mesma a autoria de um crime de roubo que teria ocorrido no bairro Saci, zona sul da capital.

"A solução desse crime demonstra que qualquer crime realizado nesses ambientes será prontamente investigado por essa especializada, impossibilitando assim que possíveis criminosos virtuais fiquem impunes", afirma o delegado Daniell Pires.

A pena para o crime de calúnia é de detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

Policiais ficam feridos durante ataque com granada no Rio de Janeiro

Na madrugada de hoje (13), enquanto trabalhavam na Praça Américo Brum, criminosos lançaram uma granada contra os policiais que se feriram com estilhaços do explosivo.

Quatro policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Providência, no centro da cidade, ficaram feridos durante um ataque de criminosos. Na madrugada de hoje (13), enquanto trabalhavam na Praça Américo Brum, criminosos lançaram uma granada contra os policiais que se feriram com estilhaços do explosivo.

Os quatro foram encaminhados para o Hospital Central da Polícia Militar, que fica no Estácio, próximo ao Morro da Providência. Apenas um policial continua internado para a realização de novos exames, segundo o comando das UPPs.

De acordo com a UPP, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) reforçou o policiamento da comunidade, após o ataque. Na manhã de hoje, policiais de outras UPPs foram deslocados para a Providência para ajudar no policiamento.

Propina de traficantes

Nove policiais militares foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público (MP). Acusados de receber propina durante operação na Cidade Alta, na Zona Norte do Rio, em 2 de maio. Todos os PMs são sargentos, estavam lotados no 16º Batalhão de Polícia Militar e pertenciam ao Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). A informação foi divulgada na segunda-feira, pelo MP.

De acordo com os promotores de Justiça Alexandre Themístocles e Eduardo Rodrigues Campos. A notícia sobre o recebimento de propina foi feita por um dos 45 traficantes presos durante a operação.

Carlos Alberto de Assis Farias, conhecido por Cachoeira, preso após a tentativa de retomada. Revelou um acordo entre os policiais investigados para que dessem apoio na manutenção do terreno, em troca de propina.

De acordo com o MP, o traficante fez a denúncia por se sentir enganado pelos policiais, já que pagou para ter apoio na retomada da comunidade, mas a PM prendeu 45 integrantes da facção e apreendeu 36 fuzis. Há suspeita de que os policiais também tenham recebido propina nas outras tentativas da facção de retomar o território, já que todas ocorreram quando o mesmo grupo de PMs estava de serviço.

A pedido do MP, a juíza Tula Mello, da 20ª Vara Criminal da capital, determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal dos policiais. Na denúncia, o MP requereu a conversão da prisão temporária dos policiais em preventiva.

PF prende irmãos acusados de desviar mais de R$ 1 milhão da previdência

Eles já haviam sido detidos em flagrante em três ocasiões distintas, por crimes relacionados à clonagem de cartões e fraudes previdenciárias

Dois irmãos foram presos nesta terça feira (13) em Teresina na Operação Duo Frates, deflagrada pela Polícia Federal do Maranhão. Eles são acusados de liderar um esquema de fraude que teria desviado R$ 1,15 milhão da previdência social. A PF cumpriu, além dos mandados de prisão preventiva, mais três mandados de busca e apreensão.

Os irmãos presos hoje já haviam sido detidos em flagrante em três ocasiões distintas na cidade de Bacabal, no Maranhão, por crimes relacionados à clonagem de cartões e fraudes previdenciárias. Por esses fatos respondem em liberdade.

Em fevereiro de 2016, equipe da Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários da PF no Maranhão cumpriu mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados em Trizidela do Vale, ocasião em que foram localizados diversos documentos relacionados a fraudes previdenciárias. Após o cumprimento deste mandado, os dois irmãos se mudaram para Teresina e passaram a adotar nomes falsos.

Analisando os documentos apreendidos, que abrangem desde cartões magnéticos e documentos de identificação (RG, CPF e CTPS) a anotações manuscritas, extratos de pagamentos e consultas de Sistemas do INSS, foram identificados mais de 300 benefícios previdenciários e 40 documentos de identidade falsos.

A PF afirma que os acusados ostentavam um patrimônio incompatível com suas rendas declaradas. Só de veículos os irmãos possuíam um patrimônio de quase R$ 500 mil.

As investigações ocorrem desde 2015, quando a Polícia Federal começou a identificar o esquema criminoso. Os acusados falsificam documentos públicos e realizam saques post mortem de benefícios previdenciários e assistenciais.

A justiça determinou o sequestro de valores e de bens, incluindo veículos e propriedades dos investigados, além da suspensão de mais de 100 benefícios e a convocação de 200 titulares para a realização de auditoria.

O prejuízo evitado à previdência social é de R$ 5,7 milhões, tomando como base a expectativa de vida dos titulares dos benefícios objeto de suspensão judicial.

São investigados os crimes de estelionato previdenciário, uso de documento falso, falsidade material e ideológica, lavagem de capitais e associação criminosa, cujas penas máximas somadas podem chegar a mais de 30 anos de prisão.

O nome da operação, Duo Frates, vem do latim e significa dois irmãos, em alusão ao laço de parentesco dos principais investigados.

12 de junho de 2017

Comerciante reage a assalto e é morto a tiros em Piripiri

O comerciante tentou reagir ao assalto e foi atingido no peito com disparos de um revólver calibre 32.

Um comerciante identificado como Edgar de Araújo Melo, de 69 anos, foi morto a tiros na manhã de hoje (12), na cidade de Piripiri, a cerca de 158km de Teresina. Segundo informações da Polícia Militar, o crime ocorreu por volta de 6h da manhã, momento em que a vítima abria o seu comércio, localizado em frente à sua residência, no bairro Estação.

De acordo com o tenente-coronel Erisvaldo Viana, comandante do 12º BPM de Piripiri, o comerciante tentou reagir ao assalto e foi atingido no peito com disparos de um revólver calibre 32. “Esse crime foge de todos os padrões de crime aqui na cidade, pelo horário em que ocorreu, pela violência, e por ser em um bairro considerado tranquilo”, explica.

O comandante explica ainda que o modus operandi dos assaltantes leva a polícia a acreditar que os envolvidos conheciam a rotina do comerciante e que alguém teria passado informações sobre a vítima. “Acreditamos que foi uma ‘parada dada’, alguém que sabia que ele estava com dinheiro para pagar um boleto e resolveu assaltar”, conclui.

Segundo um portal de notícias local, a esposa de Edgar estava em casa no momento do latrocínio e chegou a ouvir os disparos. "Por que não levaram só o dinheiro e deixaram ele vivo?", lamentou dona Raimunda, esposa da vítima, ao portal.

A Polícia Militar está em diligências em busca dos suspeitos de terem cometido o latrocínio. O corpo de Edgar de Araújo Melo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal do município.a

Criminosos abandonam caminhão com R$ 5,4 milhões após assalto

Polícia Civil está contando o dinheiro que já soma mais de R$ 5,4 milhões. Quadrilha também deixou para trás 68,7 kg de dinamites.

Os criminosos que explodiram a agência do Banco do Brasil em Gurupi, sul do Tocantins, na noite deste domingo (11), abandonaram um caminhão e duas caminhonetes durante a fuga. Nos veículos, a polícia encontrou pacotes de dinheiro e contabiliza o valor que já soma R$ 5,4 milhões. Os suspeitos também deixaram para trás 68,7 kg de dinamites. Os veículos foram deixados num matagal, em uma fazenda, perto de Cariri do Tocantins. Até as 14h desta segunda-feira (12) nenhum suspeito havia sido preso.

Ainda segundo o delegado, 12 a 20 criminosos participaram do assalto. Eles invadiram a cidade, explodiram a agência do Banco do Brasil, fizeram reféns e incendiaram carros. Depois fugiram dando tiros. Algumas lojas tiveram as vidraças quebradas. Uma mulher foi atingida durante o tiroteio e precisou passar por cirurgia. A ação é conhecida como crime do "novo cangaço". Os assaltantes invandem a cidade, roubam e fogem deixando pânico e destruição.

Oliveira informou ao G1 o dinheiro foi deixado para trás por causa do cerco feito pela Polícia Militar. Os homens fugiram pela pista do aeroporto da cidade.

Segundo o delegado, a suspeita é que o grupo faça parte da 'Quadrilha dos Pipocas', organização especializada em assalto a bancos e a carros-fortes. A quadrilha, do Ceará, em uma das mais articuladas do país.

Na madrugada de domingo, um homem de 45 anos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal na BR-153, perto de Gurupi. A polícia informou que ele é membro dessa quadrilha e foi capturado durante uma abordagem, porque tinha um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

O delegado acredita que esse homem estava a caminho de Gurupi para participar da ação. "Essa é uma das nossas hipóteses", disse.

A Polícia Militar disse que intensificou as buscas no intuito de localizar os suspeitos.

Noite de terror

O assalto aconteceu na noite deste domingo. A PM disse que algumas pessoas foram feitas reféns, dentre elas, cinco homens. Eles foram liberados em uma estrada vicinal conhecida como Baliza. Informou ainda que quatro veículos estacionados perto do banco foram incendiados, sendo três carros e uma motocicleta.

O morador da cidade Rômulo Bonfim disse que estava a caminho de casa com a namorada. Os dois tinham acabado de sair do centro, por causa dos ataques, quando os bandidos atiraram no carro dele. Um dos disparos atingiu o ombro da namorada. Ela foi socorrida e levada para o Hospital Regional da cidade, onde passou por uma cirurgia.

A Secretaria de Estado da Saúde disse que a paciente Raylane Rocha Morais foi prontamente acolhida pela equipe multiprofissional do hospital, passou por cirurgia e seu estado de saúde é grave.

O garçom Alexandre Souza que trabalhava em um restaurante no momento do ataque conta que viu quando os homens fizeram clientes de reféns e levaram para a agência. "Foi tiro para todo o lado e pessoas em pânico entrando no restaurante, quebrando tudo. Eles fizeram um terrorismo na cidade".

Um dos reféns, o empresário José Filho, conta os momentos de medo e terror. "Quando eles direcionaram aos bancos, eu pensei: 'A situação é mais grave, vão nos colocar como refém'. Foi o que eles fizeram, nos tiraram a camisa e nos colocaram nos pontos estratégicos. Um na esquina do banco, e o outro pessoal na esquina de lá. E daí muitos tiroteios, os fuzis ficaram perto da nossa cabeça e informando que qualquer ação da polícia nós iríamos morrer primeiro".

Durante os ataques à agência do Banco do Brasil, os criminosos também explodiram portas que dão acesso ao cofre e depois fugiram pelo portão dos fundos. A polícia não informou se eles conseguiram roubar dinheiro.

Os homens queimaram carros em vários pontos da cidade. Um dos veículos era do autônomo Humberto Divino. "A gente ficou sabendo que eles estavam colocando fogo nos carros e fechando as ruas e avenidas. Foi mais ou menos 1h ou 1h30 de tiroteio. Quando os assaltantes foram embora da cidade, que a gente foi conferir o fato, eu cheguei aqui e vi que um dos carros era meu. Eu estava ansioso porque meu carro fica na rua perto do banco".

Durante a ação, muitos moradores que estavam nas ruas da cidade tiveram que deitar no asfalto para não serem atingidos pelos disparos.

A Polícia Militar do Tocantins confirmou que policiais de várias cidades foram deslocados para Gurupi. Militares de Porangatu, extremo norte de Goiás, também dão auxílio nas buscas.

Dupla é presa em Gilbués transportando 91 tabletes de maconha

Suspeitos disseram à Polícia que seguiam de Goiânia (GO) a Brejo da Cruz (PB), e que escolheram o Piauí como rota porque acreditavam que a fiscalização do estado seria frágil.

A Polícia Militar do Piauí efetuou a prisão de dois homens que estavam transportando numa picape 91 tabletes de maconha prensada. O flagrante ocorreu no município de Gilbués, 825 km a sudoeste de Teresina, e a dupla disse aos policiais que estava trazendo a droga da cidade de Goiânia, capital de Goiás, tendo como destino o município de Brejo da Cruz, na Paraíba, cidade de origem dos dois suspeitos.

Eles foram identificados como Wilson Robson de Oliveira da Silva, de 35 anos, e Pedro de Freitas García, de 22 anos, e serão autuados por tráfico de drogas.

Os tabletes da maconha apreendida totalizaram 84,7 kg. Segundo o major Hortêncio, comandante do 7º Batalhão da PM, em Corrente, a droga estava guardada num fundo falso da picape. E o veículo foi encontrado num matagal situado próximo à zona urbana de Gilbués.

Os suspeitos foram descobertos depois de terem brigado entre si num bar da cidade. "Eles estavam hospedados num hotel de Gilbués e foram beber na noite deste domingo, mas houve um desentendimento entre eles e chegaram às vias de fato. A população, então, acionou a Polícia e um deles foi preso ainda na noite de domingo. O outro conseguiu fugir, mas o que foi detido confessou que estavam transportando uma quantidade de droga, e que o veículo estava escondido num matagal", relata o major Hortêncio.

Ainda de acordo com o oficial, os suspeitos deixaram a picape próximo à residência de uma família e disseram que o carro havia quebrado. "Na realidade, o fundo falso onde a droga estava armazenada que quebrou, e, por conta disso, cerca de trinta tabletes caíram na estrada, quando eles ainda estavam em Goiás. Depois que descobriram a abertura no fundo falso, eles fizeram uma gambiarra e vieram devagar para não perder mais droga. Aí pararam na cidade de Gilbués e estavam procurando alguém que consertasse o veículo para seguirem viagem", acrescenta o major.

Os suspeitos ainda disseram aos policiais militares que decidiram vir pelo Piauí por acreditarem que a fiscalização seria mais frágil. "Eles admitiram que já tinham transportado drogas em outras ocasiões, mas sempre iam pelo estado da Bahia. Desta vez resolveram vir pelo Piauí, pois acreditavam que a fiscalização seria menor, e acabaram caindo. Imagina se tivesse fiscalização", ironizou o major Hortêncio.

A prisão da dupla foi efetuada por policiais do Grupamento da PM em Gilbués, com o apoio da Força Tática de Corrente.

Justiça ouve 51 testemunhas em audiência sobre morte de cabo do Bope

Esta é a primeira vez que a família do cabo Claudemir Sousa fica de frente com os sete acusados do crime. Parentes esperam condenação.

Começou nesta segunda-feira (12) a audiência de instrução do processo relativo ao homicídio do cabo da Bope, Claudemir Sousa, O PM foi assassinado no dia 06 de dezembro ao sair de uma academia no bairro Saci e sete pessoas foram presas acusadas de ter participação no crime.

A audiência tem previsão para encerrar na quarta-feira (14) e durante estes três dias, serão ouvidas 51 testemunhas de defesa e acusação do crime. Dentre elas, os policiais que participaram das diligências de prisão dos acusados e pessoas que passavam pelo local no momento do fato. O rito acontece na sede do Tribunal de Justiça e é presidido pelo juiz Antônio Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Após os debates da defesa e acusação, caberá ao magistrado dar a sentença e dizer se os acusados irão a júri popular. São acusados do crime: Leonardo Ferreira Lima e Maria Ocionira Barbosa, tidos como os mandantes; José Roberto Leal da Silva, Igor Andrade Sousa, Thaís Monait Neris de Oliveira, Weslley Marlon Silva e Flávio Willame da Silva.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Em conversa com o PortalODia.com, o defensor de Thaís Monait, Joaquim Magalhães disse que o argumento usado é o de que a acusada estava apenas no lugar errado, na hora errada e que não teve participação no crime como aponta a acusação. “Ela está sendo colocada como uma das olheiras, que ficou de prontidão, observando os passos da vítima para informar aos atiradores o melhor momento de investir. Mas ela estava apenas na companhia do namorado em um trailer, fazendo um lanche. Não tem nenhuma prova material que a ligue diretamente ao crime”, argumentou o defensor.


Defensor Joaquim Magalhães, responsável pela defesa de Thaís Monait (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

Já a defesa do acusado Weslley Marlon utiliza o argumento de que o crime foi, na verdade, uma tentativa de assalto que culminou com a morte do cabo Claudemir e que não houve a premeditação que a acusação sustenta. “O Weslley foi apontado como um dos atiradores, que estaria agindo com um comparsa, seguindo todo um combinado com os outros acusados, mas isso não se aplica. O que houve foi um latrocínio que terminou como terminou. E meu cliente não foi o que atirou. Aconteceu de seu comparsa disparar, mas ele não teve envolvimento direto nisso”, diz o defensor Francisco Moura.

Os defensores dos outros acusados ainda não tinham se manifestado a até o fechamento desta matéria. A audiência vai seguir durante a tarde de hoje (12).


Foto: Assis Fernandes/O Dia

“Faz a gente reviver tudo de novo”

Presente na audiência de instrução, os familiares do cabo Claudemir Sousa esperam a condenação dos acusados. Uma das irmãs do PM disse que esta é a primeira vez que os parentes veem os responsáveis pelo crime frente a frente e que o rito judicial para conclusão do processo acaba por fazê-los reviver os momentos de dor por conta da perda.


Cabo Claudemir Sousa (Foto: Arquivo Pessoal)

“Foi há seis meses, mas quando passamos por aquela porta, tivemos a sensação de que foi ontem que tudo aconteceu. E ver aquelas setes pessoas sentadas ali na nossa frente, tão perto, nos faz questionar como que um ser humano é capaz de se juntar para fazer o mal desse jeito e tirar a vida de uma pessoa. Então ficamos meio que sem entender, inconformados de certa forma e tentamos nos confiar na Justiça que é o que tem a ser feito neste momento”, diz.

O cabo Claudemir Sousa fazia parte do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Piauí e era especialista em explosivos. As informações apuradas pela polícia à época do crime davam conta de que sua morte teria sido um crime passional arquitetado por Maria Ocionira Barbosa e Leonardo Ferreira Lima. Ocionira teria um relacionamento amoroso com Claudemir, o que estaria atrapalhando seus planos com Leonardo. Estes dois foram apontados como mandantes do crime.

Acidente na BR-135 deixa seis mortos, entre eles uma criança

Colisão entre carro e caminhonete, que teria ultrapassado em local proibido, ocorreu próximo de Bom Jesus. Três pessoas sobreviveram

Uma colisão frontal entre um carro de passeio e uma caminhonete na manhã desta segunda-feira (12) deixou seis mortos, entre eles uma menina de três anos de idade. O grave acidente ocorreu na BR-135, entre os municípios de Bom Jesus e Gilbués, próximo ao povoado Eugenópolis.

De acordo com informações repassadas pela Polícia Rodoviária Federal, o carro menor estava com sete passageiros e cinco morreram. Foram identificadas entre as vítimas fatais, além da criança, Deuzirlei Alves de Melo, de 35 anos e José Alves de Melo, de 71 anos. Sobreviveram um menino de dois anos e Francisco Rafael Mello Lustosa, de 30 anos.

A caminhonete vinha do município de Barreiras do Piauí e provavelmente realizou uma ultrapassagem proibida. O motorista que provocou o acidente fugiu do local. Um dos mortos, identificado como Neurivan da Silva dos Santos, de 43 anos, era passageiro da caminhonete. Outras três pessoas ficaram feridas e uma delas será transferida para Teresina, devido à gravidade dos ferimentos.

A identificação dos demais envolvidos no acidente ainda não foi confirmada. Os feridos e os corpos das vítimas foram levados para o hospital de Bom Jesus.

Este foi o segundo acidente ocorrido praticamente ao mesmo tempo, em menos de 24 horas. As condições da via, aliadas à imprudência dos motoristas, teriam contribuído para as ocorrências.

Fim de semana

No final de semana, a PRF contabilizou oito acidentes em rodovias federais, que deixaram 12 pessoas ficaram feridas, quatro vítimas fatais. Os dados fazem parte dos relatórios operacionais realizados no último final de semana.

Em Fronteiras, após capotamento do veículo uma das vítimas faleceu a caminho do hospital. Em Teresina, houve uma colisão frontal entre dois carros, com 5 vítimas, o condutor de um dos carros não resistiu e faleceu no local. Em Dom Expedito Lopes, ocorreu uma colisão transversal, sentido decrescente, entre uma moto e um trator. As duas pessoas que estavam na moto morreram no local.


'Ninguém conhece a história dele', diz mãe de adolescente que foi tatuado

Vania Rocha afirmou que menino tem problemas mentais e precisa de tratamento contra dependência química e alcoolismo. Tatuador e comparsa foram presos em São Bernardo do Campo-SP

A auxiliar de limpeza Vania Rocha, mãe do adolescente que teve a testa tatuada por dois agressores em uma pensão em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, disse que o filho foi tratado com crueldade por parte do tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos, e o vizinho dele, Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos. Eles foram presos em flagrante por tortura nesta sexta-feira (9). "Meu filho não é boi, não é animal. Ele não é bicho."

Ela está preocupada com a recuperação do filho, que estava desaparecido desde 31 de maio até sofrer a agressão. "A gente precisa tirar isso do rosto dele porque ele não é bicho. Muita gente está julgando ele, mas ninguém conhece a história dele. A única coisa que a gente quer é Justiça."

Vania disse que não conseguiu até agora assistir ao vídeo em que o filho é tatuado na testa. "Infelizmente eles vão pagar pelo erro deles. Só tenho pena da família deles. Quando eu recebi o vídeo eu não consegui assistir. Eu vi a foto e isso acabou comigo, acabou com a família. Como ele vai sair por aí? Ele é vítima da sociedade."

A mãe espera conseguir tratar a dependência química do filho. "Ele precisa de ajuda, de tratamento, a gente não tem condições de pagar, a gente é pobre. Eu sou auxiliar de limpeza e estou desempregada. Eu estou acabada, ele pode ser o que for, mas o ser humano não tem direito de fazer isso. Ele é uma criança, ele é doente, não precisa de críticas, precisa de ajuda, de tratamento."

O adolescente disse que "teve vontade de morrer" quando se olhou no espelho e viu a frase "Sou ladrão e vacilão" marcada para sempre em seu rosto. "Comecei a chorar". Ele foi reencontrado neste sábado (10) e passou a tarde deste domingo (11) com a avó, a mãe, tio e amigos.

O rapaz de 17 anos negou que tenha roubado uma bicicleta de um deficiente físico, como alegaram os dois homens que o torturaram. "Eu estava bêbado, esbarrei na bicicleta e ela caiu", afirmou.

Os responsáveis pela tortura estão presos no 3º Distrito Policial de São Bernardo do Campo e devem ser transferidos para um Centro de Detenção Provisória. A juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva deles neste sábado.

"Ele é muito querido no bairro e muitas pessoas começaram a procurar por ele. Vieram nos avisar onde ele estava e os amigos foram buscá-lo. Agora ele está na casa da avó, descansando. Vamos cuidar da saúde dele", disse Vando Rocha, tio do adolescente.

Além de ter a testa marcada com uma tatuagem, o adolescente revelou que teve o cabelo cortado e teve os pés e as mãos amarrados por Ronildo e Maycon. "Eu comecei a puxar o cabelo para a frente para tentar esconder e eles então cortaram meu cabelo."

O advogado da família, Leonardo Rodrigues, disse ao que deve se reunir com a família para saber quais medidas jurídicas deve tomar nos próximos dias. "Vamos avaliar. Primeiro vamos cuidar dele, ele foi medicado, está assustado com o que passou. Muitas pessoas compartilharam a imagem dele fazendo julgamento sem conhecer os fatos. Ele não fez nada do que foi dito e espalhado na internet."

O crime

A tatuagem foi filmada com o celular de Maycon, compartilhada no WhatsApp e o vídeo viralizou rapidamente. Nas imagens é possível perceber que o adolescente não reage às provocações do tatuador e do vizinho dele. Em certo momento, um deles diz: "vai doer, vai doer". Em outro momento eles perguntam ao menino o que ele quer tatuar e forçam a resposta: "ladrão."

Com o vídeo em mãos, a família foi até o 3º DP de São Bernardo do Campo para tentar localizar o paradeiro do adolescente. Com as informações passadas pela família, uma equipe de investigadores seguiu até a Rua Jurubatuba, no Centro da cidade, onde localizaram o tatuador na calçada. No local não funciona um estúdio de tatuagem, mas uma pensão onde Ronildo e Maycon eram vizinhos.

Na delegacia, os dois disseram para a delegada Carolina Nascimento Aguiar que o adolescente teria tentado furtar uma bicicleta na região e ficaram revoltados com isso e "resolveram tatuar o mesmo como forma de punição".

A tatuagem foi filmada com celular e compartilhada no WhatsApp e o vídeo viralizou rapidamente. Nas imagens é possível perceber que o adolescente não reage às provocações do tatuador e do vizinho dele. Em certo momento, um deles diz: "vai doer, vai doer". Em outro momento eles perguntam ao menino o que ele quer tatuar e forçam a resposta: "ladrão."

Polícia de Timon refaz os passos do jovem encontrado morto

Carro de Marco Antônio Oliveira foi visto cruzando ponte para Timon no dia de seu desaparecimento.

Atualizada às 11h17min

O delegado Antônio Valente, titular da Delegacia de Homicídios de Timon, irá presidir o inquérito sobre a morte de Marco Antônio Oliveira. Ele disse que a investigação já está em andamento, procurando refazer os últimos passos da vítima.

Marco Antônio saiu de casa no dia 4 de junho, um domingo, por volta de 13h, dizendo que não demoraria. Segundo o delegado Valente, por volta das 14h30, o carro que Marco dirigia foi registrado pelas câmeras de segurança da Ponte Noronha Almeida, conhecida como Ponte Nova, seguindo em direção à cidade de Timon. Esta foi a última vez que se teve notícias de rapaz.

As imagens obtidas pelas câmeras da ponte serão analisadas para determinar se Marcos estava ou não sozinho no carro quando foi para a cidade vizinha. Para o delegado Valente, se Marcos tiver sido levado por outra pessoa até o local onde foram encontrados o carro e o corpo, esta outra pessoa provavelmente conhece bem a região.

As informações já apuradas pela Polícia Civil de Teresina também serão juntadas, já que se investigava o desaparecimento do rapaz.

De acordo com o relatório da Polícia Militar de Timon, o corpo de Marco estava a aproximadamente 30 metros do carro. O corpo ainda será oficialmente reconhecido através de uma análise da arcada dentária da vítima. Marco não teve o corpo carbonizado, mas o avançado estado de decomposição em que se encontra impossibilita o reconhecimento a olho nu. Óculos e sandálias da vítima foram encontrados no local. Um tio de Marco reconheceu o veículo que foi incendiado.


Policiais militares de Timon encontraram na noite de ontem um veículo completamente carbonizado em uma estrada próximo à cidade. Próximo ao veículo, os policiais encontram o corpo de um homem. De acordo com as informações do carro, o corpo pode ser do jovem Marco Antônio Oliveira, de Teresina, desaparecido mais de uma semana.

Marco Antônio Vieira está desaparecido desde o dia 2 de junho (Foto: Reprodução)

O veículo foi encontrado na BR 266. É um modelo VW Gol, de placa OUB 8059. Os policiais encontraram o carro por volta das 23h de ontem (11). As informações, modelo e placa, batem com as do carro que Marco Antônio dirigia ao sair de casa no dia 4 de junho. Desde esse dia, o jovem não mais foi visto.


Saiba mais:

Família procura jovem desaparecido há dois dias em Teresina 


A família de Marco Antônio Oliveira estava desde o dia 4 de junho promovendo uma campanha para encontrar o rapaz.

De acordo com informações da Polícia Militar de Timon, a confirmação sobre o corpo virá com a perícia, a ser realizada pelo Instituto Médico Legal (IML).


(Foto: Reprodução)

11 de junho de 2017

Jovem é morto dentro de casa durante assalto na zona Norte

Três homens entraram em residência durante a madrugada e atiraram contra a cabeça de rapaz de 19 anos. Duas adolescentes presenciaram o crime.

Um rapaz de 19 anos, identificado como Ítalo Lima, foi morto dentro de uma residência localizada na Vila Apolônio, na zona Norte de Teresina. Três homens invadiram a casa, durante a madrugada, e atiraram contra a cabeça do jovem. Na saída, levaram o celular dele e de duas adolescentes que estavam com ele e presenciaram o crime.

O tenente Miranda, oficial do 9° BPM, comenta que os moradores da região demonstram medo de passar informações sobre esse crime. “Estive lá hoje pela manhã, e o silêncio predomina: as pessoas mantém as casas fechadas, ninguém diz nada”, relata o policial.

O tenente disse que o crime ocorreu por volta da 1 da manhã de hoje (11). De acordo com o que foi apurado pela Polícia Militar, duas adolescentes que moram na residência estavam em uma festa, e teriam pedido ao rapaz que lhes desse uma carona para casa. Ítalo teria atendido ao pedido, e quando chegaram ao destino, ele entrou na casa junto com as duas.

Mais tarde, à 1 da manhã, três homens teriam batido no portão. Uma das moças abriu, e os três invadiram o local, anunciando um assalto. “Lá, no momento, eles mandaram que todos entrassem no quarto. Mandaram que as meninas, que estavam numa cama, se cobrissem com o lenço, e atiraram na cabeça do rapaz, que estava deitado no chão”, explica o tenente Miranda.

Com as cabeças cobertas, as duas adolescentes não conseguiram identificar os criminosos ou o veículo que utilizaram. Os celulares dos três foram levados. Ainda segundo o tenente, Ítalo chegou a ser atendido por uma equipe do SAMU, mas não resistiu. O caso passa para a Delegacia de Homicídios.

Adolescente que teve testa tatuada é encontrado por amigos

O tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis foram presos em flagrante por tortura.

O adolescente de 17 anos, que teve a testa tatuada com a inscrição: "eu sou ladrão e vacilão", foi encontrado por amigos no fim da tarde deste sábado (9), na Estrada dos Casa, em São Bernardo do Campo. Ele prestou depoimento à polícia, no 3º Distrito Policial da cidade, negou ter cometido qualquer furto, foi levado ao posto médico para ser medicado e voltou para a casa da avó.

Os responsáveis pela tortura são o tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos. Na tarde deste sábado, a juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva deles.

Um dos tios do adolescente afirmou que o menino está bastante assustado com o ocorrido. "Ele é muito querido no bairro e muitas pessoas começaram a procurar por ele. Vieram nos avisar onde ele estava e os amigos foram buscá-lo. Agora ele está na casa da avó, descansando. Vamos cuidar da saúde dele."

Além de ter a testa marcada com uma tatuagem, o adolescente revelou que teve o cabelo cortado e teve os pés e as mãos amarrados por Ronildo e Maycon.

O advogado da família, Leonardo Rodrigues, disse que deve se reunir com a família para saber quais medidas jurídicas deve tomar nos próximos dias. "Vamos avaliar. Primeiro vamos cuidar dele, ele foi medicado, está assustado com o que passou. Muitas pessoas compartilharam a imagem dele fazendo julgamento sem conhecer os fatos. Ele não fez nada do que foi dito e espalhado na internet."

Ele estava desaparecido desde 31 de maio e a família o reconheceu no vídeo gravado e divulgado em redes sociais pelos dois agressores, que foram presos em flagrante.

Antes do desaparecimento, o jovem chegou a passar por acompanhamento de conselheiros tutelares em atendimento no Centro de Apoio Psicossocial (Caps) de São Bernardo do Campo. Segundo a família informou à polícia, ele era usuário de drogas e sofre de problemas mentais.

O crime

A tatuagem foi filmada com o celular de Maycon, compartilhada no WhatsApp e o vídeo viralizou rapidamente. Nas imagens é possível perceber que o adolescente não reage às provocações do tatuador e do vizinho dele. Em certo momento, um deles diz: "vai doer, vai doer". Em outro momento eles perguntam ao menino o que ele quer tatuar e forçam a resposta: "ladrão."

Com o vídeo em mãos, a família foi até o 3º DP de São Bernardo do Campo para tentar localizar o paradeiro do adolescente. Com as informações passadas pela família, uma equipe de investigadores seguiu até a Rua Jurubatuba, no Centro da cidade, onde localizaram o tatuador na calçada. No local não funciona um estúdio de tatuagem, mas uma pensão onde Ronildo e Maycon eram vizinhos.

Na delegacia, os dois disseram para a delegada Carolina Nascimento Aguiar que o adolescente teria tentado furtar uma bicicleta na região e ficaram revoltados com isso e "resolveram tatuar o mesmo como forma de punição".

Vaquinha para retirar a tatuagem

Os responsáveis pelo coletivo Afroguerrilha criaram uma vaquinha pela internet para ajudar o adolescente a custear um procedimento para retirada da tatuagem na testa. O valor estipulado na campanha é de R$ 15 mil. Até o fechamento desta reportagem havia sido arrecadado mais de 30% do valor.

10 de junho de 2017

PM suspeito de tentar estuprar enteadas na PB é licenciado da corporação

Caso ocorreu em 2015, na cidade de Sousa, onde o policial era lotado. Mãe das meninas denunciou troca de mensagens pedindo 'prova de amor'.

Um soldado da Polícia Militar da Paraíba foi licenciado após a corregedoria e o comando da corporação concluírem um procedimento administrativo que investigou a suspeita do policial pedir a sua companheira para fazer sexo com as duas filhas dela de 4 e 14 anos na época do caso, em 2015. O licenciamento do policial foi publicado no dia 1º de junho deste ano em um boletim interno da Polícia Militar na Paraíba, de acordo com o corregedor da corporação, coronel Gerônimo de Araújo.

O policial, que estava lotado no 14º batalhão da Polícia Militar em Sousa, no Sertão, teria enviado mensagens para a namorada pedindo para que ela o ajudasse a fazer sexo com duas filhas dela, de 4 e 14 anos. Nas mensagens, o homem pedia que a mulher dope as meninas para que ele pudesse ter relações sexuais com elas.

Mensagens foram flagradas pela criança. (Foto: Reprodução)

Segundo a defesa do PM, era tudo uma "estratégia" para terminar o relacionamento com a mãe das crianças. Já a namorada do PM alegou que não tinha intenção de deixar o ato ser concretizado e que estaria apenas “dando corda ao PM para ver até onde a conversa iria”. Um laudo pericial divulgado em outubro de 2015, cerca de um mês após as denúncias, confirmaram que o policial não havia estuprado as duas enteadas.

O licenciamento é o primeiro passo para a exclusão do policial dos quadros da corporação. De acordo com o corregedor, o investigado pode recorrer em duas instâncias, ao comandante-geral da Polícia Militar e ao governo do estado, por meio da Procuradoria-geral. “O licenciamento foi determinado pelo próprio coronel Euller Chaves, comandante-geral, a pedido da corregedoria. Mas como vivemos em um regime democrático de direito, cabe a ele o direito de recorrer da decisão”, explicou coronel Gerônimo.

Mesmo licenciado por decisão do comando da Polícia Militar, o soldado, que está lotado no 13º Batalhão de Polícia Militar em Itaporanga, no Sertão paraibano, continua recebendo salário até que seja confirmada a exclusão definitiva, após os recursos serem recusados e a expulsão publicada no Diário Oficial do Estado (DOE). O corregedor explicou ainda que as denúncias foram muito graves e o durante o procedimento administrativo e disciplinar ficou entendido que as acusações era significativas.

“A história veio à tona quando a filha da então namorada do policial pegou o celular da mãe e flagrou a conversa. A adolescente, que a princípio era a enteada que o policial nutria uma certa paixão, mostrou a uma amiga e as conversas chegaram a até a família do pai dela, que resolveu denunciar”, explicou Gerônimo. O PM chegou a ser afastado das funções logo após a denúncia e transferido para o 13º Batalhão de Polícia Militar em Itaporanga, também no Sertão.

O soldado tem um prazo de 15 dias, a contar da publicação do licenciamento no boletim interno da Polícia Militar, para recorrer, segundo o corregedor. Desde 2011, quando o comandante-geral coronel Euller Chaves assumiu, 60 policiais militares foram excluídos dos quadros da corporação. Até esta terça-feira (6), a corregedoria da Polícia Militar da Paraíba abriu 33 procedimentos administrativos e disciplinares por denúncias contra policiais militares no estado.