• assinatura jornal

Preso um dos suspeitos de matar jovem e incendiar veículo em Timon

Outro jovem e um adolescente também teriam participado do crime, mas ainda não foram localizados pela Polícia.

19/06/2017 11:08h

A Polícia Civil efetuou a prisão de um homem identificado como José de Jesus Pinto Neto, vulgo "Paizim", 19 anos, suspeito de participação no latrocínio que teve como vítima o jovem Marco Antônio Oliveira. 

O rapaz foi visto pela última vez no dia 4 de junho, um domingo, quando saiu de casa dizendo à família que não demoraria. Ele, no entanto, não retornou, e seu corpo só foi encontrado uma semana depois, no dia 11 de junho, a cerca de alguns metros do seu carro, que foi incendiado. 

O corpo e o veículo foram achados às margens da BR 226, no trecho conhecido como estrada do Baú, que liga a cidade de Timon a outros municípios localizados na região central do Maranhão.

O delegado Antonio Valente, titular da Delegacia de Homicídios de Timon (Foto: Cícero Portela / O DIA)

José de Jesus Pinto Neto foi preso por policiais civis de Timon por volta do meio-dia do último domingo (18). Outro jovem, identificado como Ricardo César Barbosa, 21 anos, também teria participado do latrocínio, bem como um adolescente.

Contra os dois maiores de idade a Polícia obteve mandados de prisão temporária junto à Justiça. Já o menor deve ser encaminhado para a delegacia especializada assim que for localizado.

José de Jesus Pinto, o "Paizim", confessou o crime. Ele disse que, inicialmente, a intenção era só roubar, mas a vítima conhecia o adolescente, e por isso o trio decidiu executar Marco Antônio.

José de Jesus, no entanto, nega que ele e seus comparsas tenham incendiado o veículo.

"A gente recebeu muitas informações da comunidade e também nos baseamos na área onde o crime ocorreu, que é uma área onde esse rapaz que foi preso atua muito. Os informes nos levaram até ele. Com a prisão ele admitiu o crime, indicou os outros participantes e, agora, nós estamos tentando localizá-los", afirma o delegado Antonio Valente, titular da Delegacia de Homicídios de Timon.

O jovem Marco Antônio Oliveira teve um anel de formatura e uma quantia de R$ 50 roubados. Suspeito diz que ele foi executado porque conhecia um dos assaltantes (Foto: Arquivo pessoal)

José de Jesus já havia sido preso por roubo. Ele foi solto em janeiro, com uma tornozeleira eletrônica, mas em meados de maio violou o equipamento e permanecia livre sem ser monitorado pela Justiça. Segundo o delegado, já havia outros mandados de prisão decretados contra José de Jesus pelo cometimento de crimes de roubo. 

O outro suspeito, Ricardo César Barbosa, já havia sido autuado por porte ilegal de arma de fogo, mas pagou fiança e respondia o processo em liberdade.

O trio teria levado uma quantia de R$ 50 da vítima, e seu anel de formatura.

Por: Cícero Portela

Deixe seu comentário