• TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Notícias Garrincha

19 de janeiro de 2019

A coisa está ficando cada vez mais complicada no Brasil

Com um presidente das forças armadas, este país passa por uma fase crítica no que se relaciona a segurança pessoal de cada qual.

Desarmando

Gentes boas, leitores caseiros e useiros, a coisa está ficando cada vez mais cheia de complicações na sociedade brasileira. O tema agora é a  arma. Com um presidente das forças armadas, este país  passa por uma fase crítica no que se relaciona a segurança pessoal de cada qual. Você, por exemplo, quando vai ao futebol leva seu chapéu de sol? Depende do tempo, dirá você para este perguntador. Mas é claro, dona Maria do Amparo. Tem que haver o preparo. Assim como no casamento tem o namoro e o noivado, na vida civil tem o armado e o desarmado. No futebol, o nosso rame-rame, uma das funções mais importantes é a armação.Um time tem que ter volante e meia armador. E por favor, não confundir, armador (meio campo) com armador de rede. A não ser que seja da rede Globo.Mas o maior problema hoje  é a falta de segurança de cada qual. Os homens estão sendo vistos como uns prováveis autores de delitos porque quem vê cara não vê coração e muitas vezes o sorriso te leva ao prejuízo. No futebol, por exemplo, desarmamento é uma coisa primordial para uma equipe. Porque tem o meia armador que é o meia-esquerda ,mas tem também o desarmador que é o beque central, é o lateral canhoto e ás vezes, até o árbitro desarma porque ninguém sabe o que acontece nas “entrelinhas” e não levem a mal estas palavras minhas. Mas a bola rola e este escriba não enrola,o tema de hoje-desarmamento- nos leva a pensar nos meias armadores e desarmadores.Uns “escondem” a bola e outros são incríveis no desarmamento, ninguém lhes toma a bola e o Didi, do Botafogo era uma coisa impressionante  assim como o Gringo nosso Flamengo no tempo do doutor Jesus. E ainda tem quem receba “bolas”...No tempo atual, onde capitão manda em general, o povo  deve andar desarmado, não obstante ser mal amado. O futebol nos ensina uma coisa muito importante: a armação.  Um time que presta tem que ter um bom meia armador, além de ser bom no volante. Porque  é primordial o fornecimento de bolas para o ataque que deve fazer gols, bola para frente que atrás vem gente. Você poderá até argumentar que “se armar” é uma prevenção.. Tudo bem. Um time não vai para frente se não tiver um bom meia armador mas é bom lembrar que tem que desarmar o outro, o adversário senão é bala para lá e bala  para cá, tanto no Piauí como no Ceará.E tomara que esta onda fique  mesmo lá, não venha para cá. Saravá!


Armação

Um excelente meio armador para os dias atuais. Bala e bola são palavras parecidas mas muito diferentes. A gente chupa balinha mas não chupa bolinha...


Sábado tem

O Galo começa o campeonato jogando na Parnaíba. Oliveira Canindé, o técnico, acha que vai trazer ponto lá do litoral. Um ou dois mas vai trazer. E para  que isto aconteça ele quer uma equipe aguerrida contra o time da praia, este tal de Tubarão da família Alelaf. O treinador riverino, um cabra cearense, cheio de ciência, macaco  velho, diz que o seu Galo vai entrar tinindo contra o tal de Tubarão porque Galo canta no seco e Tubarão só tem força dentro dagua salgada. Se votar numa piscina dagua doce ele morre. Assim sendo, reverendo, o Galo da capital se previna porque não vai ser  moleza, lá no litoral. E se, por acaso, o River ao menos um ponto de lá trouxer, vai ser por causa do nome do treinador que é Canindé...


As águas  vão  rolar...

O riverino Júlio Arcoverde, deputado estadual, fez um gol de placa  com a lei de sua autoria liberando a venda e uso de cachaça e “derivaldos” nos estádios de futebol, alegria do povo. Esta liberação saiu porque uma fábrica  da “cerva” só patrocinaria o clube se pudesse vender o produto para riverinos e flamenguistas no bar do Cabeça de Pato ou do Assis do Verdão. Mas quem beber deve se comportar  direito porque a lei é dura e manda botar pra fora o individuo “mala” e ainda paga multa e se não tiver dinheiro vai preso porque o lugar do liso e mal elemento é na cadeia. O autor da lei, como bom consumidor da gegé, legislou em causa própria, disseram alguns despeitados da oposição e flamenguistas.

11 de janeiro de 2019

Lá se vem os meninos...

Meus caros leitores o que é bom dura pouco.

O nosso representante legal no certame nacional de juniores, a falada Copa São Paulo, o River Atlético Clube já se vem embora de mala e cuia. Até que não fez feio não, chegou a uma final com um time  de Goiás e perdeu de 2 x 0, um tal de Trindade. A nossa rapaziada sob o comando de Maradona até que não fez feio não. E assim sendo, reverendo, mais uma copinha na saga riverina e vida que segue. Agora, Juvenal, é pensar no estadual e formar um time de peso e medida á altura das tradições tricolores porque o Galo é o mais premiado de todos, uma vida longa a gloriosa. Depois dele, vem o Flamengo e neste aí eu fico preocupado porque as notícias que me chegam não são nada alvissareiras e acho que34 lá tem é muitos pregos nas chuteiras. Porque um time de futebol é uma imensa família. Tem que ter um pai e não é todo mundo que presta para ser pai. Tem o pai bom que é o pai nosso que está no céu e santificado seja o seu nome. Que venha a nós a pimenta do reino e tempere a carne á sua vontade. E assim sendo, eu recomendo, paz e amor, guerra não senhor. Embora o futebol seja uma guerra, uma luta campal visto que travada em um campo que pode ser oficial ou mesmo na praça. Porque o mundo, seu Zé Raimundo, é uma bola e este cronista não embroma e nem enrola, embora seu sapato já esteja carecendo de uma meia sola. Ora, direi, ouvis estrelas mas lhes digo que é bom ouvi-las mas é melhor vê- las para não ficarem chamando a gente de doido  como chamam o João Cláudio Moreno, aquele que veio de Piripiri e eu sei que ele é doido mas é por dinheiro e por mulher. Mas eu comecei foi falando dos juniores do River porque quem não tem cão caça com gato e quando falta gato  bota o Chico Rato na presidência da Apcdep. Mas deixa isto para lá, vem prá cá que o presidente da federação é um tal de Carcará e segundo o João do Vale, ele pega, mata e come. Só não vai é morrer de fome! E assim sendo, seu Rosendo, vamos para frente que atrás vem gente e agora o foco é o campeonato profissional e temos três clubes  da capital, dois  ou três do interior e um do litoral. O mar não está para peixe na  atual conjuntura onde tem sapo mudando de lagoa por causa das muriçocas. Mas bola pra gente, que atrás vem gente !

A pedidos

Recordar é viver e um colega da velha guarda do Banco do Brasil pediu para ver na minha coluna a sua foto quando jogava bola. Eis aí o time da AABB, Teresina: Eu e Carlos Alelaf como cartolas (dois craques). Marden, filho do Ademir, Quilson, Ademir e Érico. Agachados: Expedito, Não me lembro, Dourado e Me esqueci.

Está faltando...

A Federação Piauiense de Futebol, agora sob a direção de Robert Brown Carcará, dois nomes em inglês e o sobrenome é uma ave carnívora que pega, mata e come. Pois este senhor, oriundo das Barras de Maratoan é agora o dirigente mor do futebol Cabeça de Cuia. Ex-peladeiro, era um craque de bola e hoje está uma bola.Presidindo este futebol que já tem um Bolinha nas comunicações mas que muita gente diz que é “futebol de meia tigela” lembrando  um programa de um falecido companheiro de rádio, Rui Dourado. Pois  este Carcará tomou posse e nada fez para ”adular” a imprensa divulgadora dos seus seis feitos. Passou o Natal e  não viu Papai Noel. Como diria aquele coleguinha de rádio: Ah, não! Assim não vai !

Cadê o futsal ?

O esporte de quadra mais assistido e praticado em Teresina era o futebol de salão. Tínhamos campeonatos emocionantes com Cipal, AABB, River, Flamengo, Rio Negro, Piauí, Auto Esporte, Benfica, Banespa, Banorte e outros bancos e a mocidade não engordava tanto como agora na era do celular. Hoje o futsal não é mais praticado entre a juventude que prefere o aparelho mágico entre os dedos. Onde estão os amantes do voleibol, do basquetebol, do handbol e até do tênis de mesa? Alguma coisa tem que se feita para  evitar este engorduramento global. Você que está me lendo, aí sentado, tomando gelado, já fez hoje um esforço físico ? Não vale a força que faz quando vai ao banheiro.

12 de dezembro de 2018

Na minha vida de bancário do BB, aprendi muita coisa útil e muita inútil

Na minha vida de bancário do BB, aprendi muita coisa útil e muita inútil

Dentre das úteis eu configuro o “modelo próprio”

Modelo Próprio

Eu me lembro muito bem que na minha vida de bancário do BB, aprendi muita coisa útil e muita inútil. Dentre das úteis eu configuro o “modelo próprio”. Nas instituições bancárias tem o modelo de se fazer o que eles chamam de “as partidas”. Você bota o “modelo” na máquina e taca os dedos na máquina, dizendo na linguagem bancária a finalidade, para onde vai o principal que o dinheiro chamado de capital. Como no futebol, tem o nome de lançamento. O contrário tem o nome de lance de voleibol. É o saque. Quando você saca, no banco ou caixa, está tirando da sua conta. Daí veio o nome feio que a gente diz quando uma pessoa é mala, é sacana, o que tira e não bota. Às vezes, ele bota e tira e a pessoa pergunta: Estás me sacaneando? -Não estou sacando... Sim mas a prioridade é pagar o décimo terceiro, antes de janeiro, diz o Uelton, peladeiro de final de fins de semana. E lá, o presidente do clube como é um homem “cortez” separa a água do governador-jogador. Quando ele está com sedo não toma água comum, não. Ele bebe é água de coco. WD é doido para fazer um gol de folha seca no campo da AABB, onde joga nas manhãs de domingos.  Agora está cuidando do pagamento da folha cheia.  É ligado ao futebol mas não  sabe  aplicar uma “folha seca”  que é uma jogada de  classe no futebol e foi inventada pelo inesquecível Didi do Botafogo e  favor não confundir  prioridade com pior idade  que é essa que estou  passando  em boas companhias como Galego, Bolinha, Bogea, Walteres Arraias, Pedro Tamanco, Arimatea Azevedo, os dois Magalhães, o do conjunto e o da Nadir, Didimo de Castro, Chico Silva, Ueiden Cunha, Pedro Cueca, Joel Silva, Rosemiro Róseo, Odilio Teixeira, Baiguel, Loco Piter, Tadeu de Lilásia, Gilvan Barbosa, Amadeu Campos, Feitosa Costa, Feitosa de frente, Morais Filho, Carlos Said e muitos  outros colegas da imprensa falada e  mal escrita. Mas a bola rola e este cronista não enrola e a prioridade do governo estadual é pagar o décimo-terceiro, antes de chegar janeiro. “Uelton” falou e disse: “-O primeiro dinheiro é o do servidor. É o seu presente de Natal.” É um rio grande que tem no norte. Maior do que o Parnaíba de Pedro Alelaf. Um Papai Noel indígena. Segue a máxima:” Mateus, primeiro os teus!”. Está muito certo porque o servidor é a base para servir bem. Um time com atletas de salários atrasados é um time inconfiável, capaz de fazer até gol contra. É como mulher de marido prevaricador, safado, mala. É a tal de vingança que está na canção popular onde o poeta corno diz” vingança., vingança, aos santos clamar!” Você há de rolar como as pedras que rolam na estrada.... sem ter nunca um cantinho de seu para poder descansar...” E assim sendo, reverendo, na falta do modelo próprio, futebol de profissionais do Piauí, vamos botar uma foto da Escolinha do Promorar, futebol de meninos. Ainda existem pessoas que trabalham com crianças no setor de esporte, com a intenção séria porque tem uns que são malas e trem outras intenções. Mas a vida é mesmo assim e bola prá frente que atrás vem gente.


Escolinha do Promorar

Sempre haverá pessoas bem intencionadas e mal intencionadas em todas atividades humanas. As escolinhas de futebol  são focos de boas e más intenções. É preciso ter cuidado com os “professores”.


Jogador do Ano

O melhor jogador do mundo. Quem não quer ser? Quem não deseja ser um Pelé? Agora está havendo esta disputa na Europa. Lá é o “foco” do mundo, vasto mundo, se eu me chamasse Raimundo e fosse Pão moraria em Piripiri e não aqui. Mas a escolha é do jogador do maior jogador do mundo que é uma bola. Interessante, né? Procura-se o maior jogador de bola que é a própria terra, uma bola do universo porque existem muitas bolas assim como muitas camisas de outros planetas,  e o maior exemplo é a camisa de Venus, por sinal, muito usada nos países baixos.. E assim sendo, reverendo, lá na Europa estão escolhendo quem é o maior do mundo e tem Neimar e mais 4 brasileiros (Firmino (primo deste nosso prefeito), Crisrtiano Ronaldo, Messi,Luis Suarez, Salah,Mbapé. Sadio Mané, Levandowiki, Kane, Griezman, Dezeko, Dybala, Cavani e Bale. Estou sentindo falta do “De ran”...


Mandem noticias...

Quero avisar aos meus distintos leitores que a coluna é aberta para todos e se você tem uma nota de esporte pode mandar pelo ar (telefone) ou pelo computador ou celular. Esporte é vida, esporte é ação e faz a gente ficar esperta. Pode mandar foto de futuros craques e não é só de futebol,xadrêz, dominó, jogo da velha, da nova. O importante é jogar bola e movimentar a musculação.  Não pode é ficar vivendo celularizado. Ligadão ou ligadona neste aparelho tão pequeno e tão dominador. A nota apode vir pelo celular (99911754 ou pelo email [email protected] Esporte é vida, é saude, é movimentação. Não vale é tomar umas e outras porque tem muita gente que diz “Eu bebo por esporte.”Quem já viu “bêbado” saber jogar nada ? A única cosia que ele faz é jogar carne na boca...

11 de dezembro de 2018

Estamos atravessando uma das mais deficitárias fases de nosso futebol

A coisa não anda nada boa para o desporto profissional piauiense.

Escolinhas

Meus amigos, estamos atravessando uma das mais deficitárias fases de nosso futebol. A coisa não anda nada boa para o desporto profissional piauiense. Teresina, a capital, com três clubes profissionais, River, Flamengo e Piauí, tem dois estádios, o Lindolfinho do Firmino e o Albertão do “Uelton”. O litoral tem o Parnahyba e o interior é representado pelo 4 de Julho de Piripiri, Campo Maior tinha dois, Caiçara e Comercial e não sei quem vem de lá, porque não tem mais nem “carbureto” para botar no fogo porque o futebol deixou de ser um esporte “Comercial”. Os Picos até que eram fogosos com o jogo de bola mas agora o fogo apagou e não se ouve mais falar em time de futebol na terra do Warton Santos. Nem as Barras de Maratoan se “manin”...festam e lá tem um “monte” de jogador dando para engordar e outros engordando mesmo sem dar. Porque meus amigos, esporte é saúde, é movimentação, é correr e mergulhar de cabeça no rio, é ação. Esporte é danação. Não esporte é acomodação. Que é parente daquela pessoa que bebe muito e até o locutor da televisão puxa o saco mandando o povo beber com ela. Em toda propaganda de cerveja, vem a recomendação: Beba com “moderação.” Mas eu falava era de nossos campos de futebol e me lembro que um dos melhores deste Estado é o da cidade de Barras que, não sei porque cargas dagua acabou com o seu grande time de futebol profissional e que deu tantas alegrias e emoções aos barrenses e o dono do time era o Maninho Rêgo grande. Grande administrador, foi prefeito de valor. Foi quem revelou Brown Carcará, hoje presidente da Federação Piauiense de Futebol, assumindo a vaga de Cesarino Oliveira, de falecimento precoce, no mês passado. Pois, a direção deste nosso futebol está nas mãos e nos pés de um barrense que tem um muito perigoso cognome que é Carcará. Segundo a canção interpretada pela Maria Betânia é uma ave de rapina que “pega, mata e come”. “Só não vai é morrer de fome”. João do Vale, o seu autor, diz que “é pássaro malvado feito gavião”. Eu sei que o nosso jogo de bola profissional perdeu um grande líder com a “última viagem” do titular, vamos dar a César o que foi de Cesarino mas a vida é como uma bola ela e ela rola e este Garrincha não enrola e vamos para frente porque atrás vem gente. Assim sendo, reverendo, estou aqui com um dente doendo e o meu amigo Tarciso diz que é o dente do sizo. Apostando na administração de Brouwn Carcará. Naturalmente que ele deverá sempre ouvir o decano deste futebol, o Alfredo Nunes, o homem que sabe tudo de entidades do futebol, é o papa deste desporto e deixou seu nome gravado na história. Mas eu ia falar de “Escolinhas” e já estou citando professores catedráticos mas é isso mesmo, a bola rola e este Garrincha não enrola. Até amanhã...


Convite recebido e atendido

Jantar de confraternização da Federação Piauiense de Futebol. Foi na Vila Vilmary, no Casarão que Cesarino Oliveira   e Brow Carcará receberam os convidados para festa de encerramento do ano esportivo. Entre “comes e bebes”, abraços e carinhos sem ter fim e aquele ambiente de alegria comum quando a negrada vai para comer e beber de graça. E tem gente que ainda leva para casa...


Na falta de homem...

Meus amigos, na falta de modelo próprio (masculino) como a gente dizia no Banco do Brasil, vamos saudar uma atleta piauiense que arrebatou dois troféus no “Brasilerão 18”. Ela é jogadora de futebol é da seleção brasileira. Nunca tivemos um macho para ser isto aí que ele é. Ela joga no Corinthians de São Paulo, é craque de bola, e no sexo masculino não tivemos ainda nenhum jogador de futebol profissional que atingisse este nível. Adriana, chamada de a Maga. Não é a magra é a Maga, a mágica. Aqui, em Teresina, quando chamavam o Carlos Said de Magro de Aço ele dizia que era o “Mago de Aço” porque fazia magia lá na Bete. Comia o  Cuscuz e  desaparecia...Mas o nosso  grau dez de hoje é para a Adriana Maga, a menina de União, terra do  Valdemir Mota, Paulo Guy, meus colegas de banco.


Mudou o de lá...

O Flamengo do Rio de Janeiro tem um novo presidente. Entra no lugar do Eduardo Bandeira de Mello que ainda chega a ser parente/aderente do Geraldo Bandeira de Melo e do Hélio Melo, pai do Edson Melo vereador. Tudo é Melo. Pois o presidente é o Rodolfo Landim, ainda parente do nosso Pais Landim. O Landim de cá não foi reeleito mas o do Rio ganhou a presidência do Flamengo e o mandato até 2o21. Quem perdeu foi o Ricardo Lomba. Já no Flamengo de cá, a coisa não anda muito boa porque as últimas  administrações não foram muito produtivas nem no futebol nem no social. Também, no material. Atualmente, o clube mais popular do Piauí, está sendo presidido pelo desportista Everaldo, o Ducha, que segundo as pesquisas, até riverino é. Mas na falta do modelo próprio......

24 de novembro de 2018

O campeonato piauiense 2019 contará com meia dúzia de clubes

O campeonato piauiense 2019 contará com meia dúzia de clubes

E deverá começar no dia vinte, que é dia de São Sebastião, um santo muito famoso

Com meia dúzia...

Meus amigos, os números são importantes porque tudo é matemática, diz o Assis da Paraíba. E nossos números no quesito futebol são reduzidos. Rapaz, o campeonato piauiense de jogo de bola profissional sob a presidência de Bráulio Carcará “Pega Mata e Come” deverá começar no dia vinte, que é dia de São Sebastião, um santo muito famoso. O certame estadual deverá contar com meia dúzia de clubes, o que é uma lástima, Chico Paulo, porque há tempos idos e vividos tinha mais de seis só em Teresina. Artístico, Auto Esporte, Rio Negro, Flamengo, Piauí, Botafogo, River e o inesquecível Fluminense de Belchior Barros. E vinham os do interior e o do litoral porque Parnaíba já botou dois no campeonato e um time era o Paissandu. E até Timon ousava botar time no campeonato do Piauí. Ah, gentes boas, o tempo passa, dizia Newton Nunes quando transmitia jogo de futebol na Rádio Difusora com comentários de William Bibio. E neste passar de tempo atual as coisas vão se reduzindo, “minuindo” e hoje temos só seis, meia dúzia de equipes aptas à disputa do certame estadual. Dos seis, metade da capital, dois do interior e um do litoral. Sendo o futebol, o esporte mais querido deste país e partindo da premissa de que Piauí é Brasil, faz-me crer que estamos um tanto ou quanto destoando do contexto porque o futebol piauiense está mais fraco do que caldo de bila, de bola de gude. Na capital os três restantes, River, Flamengo e Piauí, todos com seus patrimônios vendidos e mal pagos. O Galo e o Rato, com terras na zona Leste, onde hoje estão supermercados e prédios de apartamentos onde eles não têm nem um quarto de dormir. Dizem que tem um presidente que ainda tem um. Eu não sei e nem quero saber porque não gosto de fofoca. Mas vamos ao jogo. Agora, o comando do futebol piauiense está nas mãos de um rapaz de Barras de Maratoan. Este moço tem um sobrenome muito forte que é de um bicho danado feito gavião que pega mata e come. Carcará. Diz a modinha que ele, Carcará, só não vai morrer de fome. Sucede a César. Cesarino de Oliveira. Irmão do Riba da prefeitura. Ele deverá seguir a meta do seu colega de chapa porque eram muito ligados e formavam uma boa dupla de área. Cesarino e Carcará. Tudo começando na letra C de certo. E vamos dar a César o que foi de Cesarino. Nunca se falou mal de sua administração. Sim, mas eu falava do início do certame piauiense profissional que foi marcado para dia 20 de janeiro, um domingo que é dia de São Sebastião, o santo guerreiro. E muito bem colocado porque futebol é uma guerra, uma batalha campal com estratégias. E assim sendo, reverendo, mesmo com meia dúzia de equipes, vamos à luta porque o que não serve é diabo nada. E o certame cabeça de cuia de 2019, na era “Carcará pega mata e come” vai começar no dia vinte, dia em que o BB paga seus funcionários, ativos e aposentados. Como eu que estou aposentado em quase tudo...


Eis o homem


Sobre seus ombros estão colocados os ônus e bônus do futebol cabeça de cuia. Sucede a Cesarino Oliveira, falecido recentemente. O campeonato começa dia 20 de janeiro, dia de São Sebastião. Seis clubes. Um do litoral, dois do interior e três da capital. Convenhamos: está meio sem sal. (Foto: Elias Fontinele/ODIA)


Auricélia Nunes

Olhem aí, essa menina que ainda deve ser minha parenta porque ela Nunes, ganhando seis, meia dúzia de medalhas lá no Peru. Ela é  para atleta e começou agora a sua maravilhosa carreira no desporto e vem fazendo bonito no Sul e no Pan americano e trouxe meia dúzia de medalhas. É a primeira colocada no ranking dela no mundo e isto nos alegra muito porque prova a raça do nordestino, seja menina ou menino. Ela agradece o apoio da sua faculdade que nem ela nem o jornal disseram qual era, na entrevista. Mas isto é comum e acontece nas melhores entrevistas e revistas do mundo. Daqui as minhas homenagens a esta garota do Piauí tão medalhada. Deveria ser mais divulgada. Na escrita, na falada e na televisada.


Um grande goleiro

Jogador de futebol é como remédio. Tem prazo de validade. Aliás, como tudo no mundo. Principalmente a mocidade que como o nome diz é a idade moça. Embora tenha muitos machões digam que determinadas criaturas são “moças só na idade”. São aqueles faladores, fofoqueiros da vida alheia. O que é uma coisa muito feia. Mas o que eu quero dizer é que o guarda-metas do Botafogo, meu time de coração, o Jeferson está se despedindo do Botafogo, do gol do alvi-negro porque chegou a idade e futebol é como mulher da “vida fácil”. Quando chega a idade não serve mais. E só quer saber de rapaz... Mas no futebol, a idade é tirana e afasta o atleta chegado nos anos porque as articulações já não obedecem mais e a barriga cresce, a agilidade desaparece. Isto em todas as posições. Qual é o caminho, dona Maria? Aposentadoria...