• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

A agremiação altoense de futebol fez o seu dever de casa

Surrou o Flamengo pelo marcador de 4 a 2. Foi uma taca média, quase uma goleada que foi atenuada por causa do dois gols recebidos.

15/03/2019 11:21h

Dever de casa

A agremiação altoense de futebol, o representante deste Estado em competições nacionais, fez o seu dever de casa quando surrou o Flamengo  pelo marcador de 4 a 2. Foi uma taca média, quase uma goleada que foi atenuada por causa do dois gols recebidos. Se tivesse sido ”a zero” é que era goleada. Embora a perda de pontos no certame não leve em consideração o placar mas tem o lado moral e uma goleada, meus amigos, é sempre uma goleada. É como o sujeito apanhar na cara. E se for uma taca de mulher é muito pior ainda. Na realidade, perder nunca foi coisa boa em qualquer atividade. Raras exceções como “perder o medo”, perder a vergonha. Mas nossa própria vida é um eterno perde e ganha e no campo da vida a bola rola para gregos e baianos. Mas eu falava da taca que o time da prefeita deu no nosso Flamengo do Everaldo Ducha e que tem até uma casa lá nos Altos de João de Paiva. Sim, o nosso Menguinho caiu de quatro e isto não é nada bom para uma agremiação de tanto nome no pebol cabeça de cuia. Tudo bem que o nosso rubro-negro vem lutando com muitas dificuldades de sobrevida porque a situação não está nada boa nem para gregos e baianos. O grande dilema, o problema capital é a falta de capital que deixa muita gente num “estado” de nervos ruim. Não se sabe se é melhor ficar ou “pior ir” pro Ceará. E assim a bola rola, este cronista não enrola e o tempo bom era aquel em queo meio de Campo do River era Giri, Derivaldo e Mariola. Mas agora o nosso “River” é o Altos e temos que se conformar e por este time vibrar. E vamos torcer por ele nesta Copa do Nordeste quando joga com o Botafogo da Paraiba, terra de cabra da peste. E assim, a bola rola e este escriba não enrola e sejamos todos Altinos na falta  de um  modelo próprio.” Quando não tem tu vai tu mesmo”.

Nosso time

“Quando não tem tu vai tu mesmo”, e a nossa capital não tem nem River nem Flamengo nem Piauí como campeão do Estado e quem vai é o arrumado esquadrão da cidade vizinha que vem honrando a camisa da terra da Elvira.

Fagep informa...

Estou sentindo falta deste “dizer” no som do Albertão que agora só tem imagem. O som acabou. Servia pra dar os avisos de coisas perdidas no campo do governo estadual. Até menino perdido. E o“ Fagep informa” era aguardado pelo público como se fosse o “seu gosto na berlinda” de Roque Moreira na Rádio Pioneira.Naquel tempo não existia nem celular. Era o “orelhão” parta escutar. Nunca mais se ouviu falar o “Fagep informa” e acho que neste tempo de internet e celular, serviço de som é melhor calar. A bola rola, este escriba não enrola e melhor refrigerante ainda é a Coca Cola.

Federações

As entidades esportivas que cuidam do jogo de bola em quadras cobertas ou descobertas, chamadas federações andam meias que  recolhidas a uma paralização total. O telefone celular que deveria servir pra comunicar, serve é para isolar porque vem concorrendo com as atividades do desporto e levando nítida vantagem. Menino que dormia com a bola na cama, hoje adormece é com o aparelho transmissor de mensagens e quem era craque na bola, agora , aqui ou  no Iraque, hoje é dedo vivo no zapzap, seja aqui ou em Maranguape. Em Teresina, as federações estão sem ações. Em campos  maduros ou “Verdões.


Deixe seu comentário