• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • Clínica Shirley Holanda
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

Antes um Rivengo era manchete de jornal. Hoje está de escanteio

Um canto de página para um Rivengo, seu Mamulengo

28/02/2019 11:12h

Quem te viu...

Rapaz, o tempo passa... diz no rádio o locutor. Antigamente, um Rivengo era manchete de jornal, era página central, fotografia e coisa e tal. Hoje está de escanteio. Um canto de página para um Rivengo, seu Mamulengo. E é porque, um, o Galo pode ganhar e ir pras cabeças. Já o outro, o Mengo pegou uma taca salgada lá na Parnaíba e vai querer se dar bem contra o Carijó, o  seu mais feroz adversário deste jogo de bola tupiniquim. E por falar em “tupiniquim”, uma leitora, outro dia me reclamou, via email, que eu tinha a mania de dizer que as coisa daqui eram tupiniquins e ela, a leitora, protestava dizendo que nunca tinha usado um piniquim porque tem a beiradas estreitas e o xixi vai para escanteio. Mas cada um chove no seu quintal e vamos ao nosso rame-rame que é o jogo de bola oficial, municipal, agora sob o comando de Arco Verde, um riverino de coração. E o jogo foi realizado bem ali, no Lindolfinho, vizinho ao ginásio Verdão e á Casa do Estudante, lá onde o filósofo esportivo, Wiliam Bogea,”o Vei”, morou quando veio do Maranhão para cá e era um estudante “Caxias”. Um clássico que era a maior expressão do futebol piauiense, um Rivengo, jogo também esperado o ano todo por timonenses e por teresinenses, duas nações unidas.E tivemos até um timonense por  muito  anos comandando o pebol piauiense que foi o seu Lula, genro de Alfredo Nunes, casado com dona Luiza, cunhado de Beto Caverna. Hoje nossa mentora está sob a direção de Robert Brouwn Carcará que tem este nome difícil mas é bem dali de Barras do Maratoan, mesmo terra de Francy Monte. Sim, mas o jogo foi ontem e eu lamento não dizer aqui quanto é que saiu, o resultado da peleja porque a matéria é feito de “O Dia” e a partida foi de noite do mesmo dia. Jogo pelo campeonato cabeça de cuia que já vai na sua oitava rodada. Que teve também Altos contra o Piauí (deve ter sido uma taca boa no Enxuga-rato) e no litoral, uma partida intermunicipal: 4 de Julho versus Parnahyba. Uma partida que deve ter sido pau  a pau porque  os dois times estão muito  bem preparados e a rivalidade entre ambos é conhecida. É o clássico “Parna-piri” ou “Piri-parná”. Quem vai ganhar ?

Presidente da Semel

Marcos Teixeira entrevista Julinho Arcoverde, um piauiense ainda parente do Maduro. Entra no lugar de Renato BG, outro riverino de muitas lutas pelo esporte cabeça de cuia. Outro dia me perguntaram porque todo presidente da Semel foi presidente do River... Sei lá...

Sinal VERDE no Verdão

Fagep informa: Sai Renato BG entra Júlio Arcoverde, um riverino depois de outro, por sinal, ex-presidentes do Galo. Uma beleza para o nosso futebol profissional e amador. Como diz o povo, gente da mesma atividade política. Desejamos ao novo gerente do esporte amador deste Estado de necessidade um produtivo trabalho à frente do esporte amador da cidade, passando agora por uma fase muito difícil, porque a nossa mocidade hoje entrou na mania do telefone celular, e não quer mais se exercitar. Desejamos uma profícua admistracao ao novo gestor dos esportes amadores deste Estado de necessidade.

Homem rodado

A agremiação altense agora arrumou um treinador de currículo cheio. O cara ainda relativamente novo é mais rodado do que bolsa de rapariga. Chegou dizendo que vai acender o time e teve gente que não gostou, porque acender lembra lanterna, e lanterna no futebol é coisa ruim. Tem mais de vinte anos como jogueiro, agora passou a ser treineiro e tem boa conversa. A agremiacão altense, ultimamente, vem mudando muito de treinadores e isto deixa a gente preocupado. Esperamos este Maurílio seja duradouro para obtermos ~altos~ resultados.Sen’ao, troca-troca porque  como diz o povo desta terra? O caminho do feio  eh por onde veio.


Deixe seu comentário