• Novo app Jornal O Dia
  • ITNET
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner
Garrincha

Lá se vem os meninos...

Meus caros leitores o que é bom dura pouco.

11/01/2019 11:30h

O nosso representante legal no certame nacional de juniores, a falada Copa São Paulo, o River Atlético Clube já se vem embora de mala e cuia. Até que não fez feio não, chegou a uma final com um time  de Goiás e perdeu de 2 x 0, um tal de Trindade. A nossa rapaziada sob o comando de Maradona até que não fez feio não. E assim sendo, reverendo, mais uma copinha na saga riverina e vida que segue. Agora, Juvenal, é pensar no estadual e formar um time de peso e medida á altura das tradições tricolores porque o Galo é o mais premiado de todos, uma vida longa a gloriosa. Depois dele, vem o Flamengo e neste aí eu fico preocupado porque as notícias que me chegam não são nada alvissareiras e acho que34 lá tem é muitos pregos nas chuteiras. Porque um time de futebol é uma imensa família. Tem que ter um pai e não é todo mundo que presta para ser pai. Tem o pai bom que é o pai nosso que está no céu e santificado seja o seu nome. Que venha a nós a pimenta do reino e tempere a carne á sua vontade. E assim sendo, eu recomendo, paz e amor, guerra não senhor. Embora o futebol seja uma guerra, uma luta campal visto que travada em um campo que pode ser oficial ou mesmo na praça. Porque o mundo, seu Zé Raimundo, é uma bola e este cronista não embroma e nem enrola, embora seu sapato já esteja carecendo de uma meia sola. Ora, direi, ouvis estrelas mas lhes digo que é bom ouvi-las mas é melhor vê- las para não ficarem chamando a gente de doido  como chamam o João Cláudio Moreno, aquele que veio de Piripiri e eu sei que ele é doido mas é por dinheiro e por mulher. Mas eu comecei foi falando dos juniores do River porque quem não tem cão caça com gato e quando falta gato  bota o Chico Rato na presidência da Apcdep. Mas deixa isto para lá, vem prá cá que o presidente da federação é um tal de Carcará e segundo o João do Vale, ele pega, mata e come. Só não vai é morrer de fome! E assim sendo, seu Rosendo, vamos para frente que atrás vem gente e agora o foco é o campeonato profissional e temos três clubes  da capital, dois  ou três do interior e um do litoral. O mar não está para peixe na  atual conjuntura onde tem sapo mudando de lagoa por causa das muriçocas. Mas bola pra gente, que atrás vem gente !

A pedidos

Recordar é viver e um colega da velha guarda do Banco do Brasil pediu para ver na minha coluna a sua foto quando jogava bola. Eis aí o time da AABB, Teresina: Eu e Carlos Alelaf como cartolas (dois craques). Marden, filho do Ademir, Quilson, Ademir e Érico. Agachados: Expedito, Não me lembro, Dourado e Me esqueci.

Está faltando...

A Federação Piauiense de Futebol, agora sob a direção de Robert Brown Carcará, dois nomes em inglês e o sobrenome é uma ave carnívora que pega, mata e come. Pois este senhor, oriundo das Barras de Maratoan é agora o dirigente mor do futebol Cabeça de Cuia. Ex-peladeiro, era um craque de bola e hoje está uma bola.Presidindo este futebol que já tem um Bolinha nas comunicações mas que muita gente diz que é “futebol de meia tigela” lembrando  um programa de um falecido companheiro de rádio, Rui Dourado. Pois  este Carcará tomou posse e nada fez para ”adular” a imprensa divulgadora dos seus seis feitos. Passou o Natal e  não viu Papai Noel. Como diria aquele coleguinha de rádio: Ah, não! Assim não vai !

Cadê o futsal ?

O esporte de quadra mais assistido e praticado em Teresina era o futebol de salão. Tínhamos campeonatos emocionantes com Cipal, AABB, River, Flamengo, Rio Negro, Piauí, Auto Esporte, Benfica, Banespa, Banorte e outros bancos e a mocidade não engordava tanto como agora na era do celular. Hoje o futsal não é mais praticado entre a juventude que prefere o aparelho mágico entre os dedos. Onde estão os amantes do voleibol, do basquetebol, do handbol e até do tênis de mesa? Alguma coisa tem que se feita para  evitar este engorduramento global. Você que está me lendo, aí sentado, tomando gelado, já fez hoje um esforço físico ? Não vale a força que faz quando vai ao banheiro.


Deixe seu comentário