• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

Picos enfrenta Oeirense em jogão nesta sexta-feira

Confira o texto publicado na coluna Prego na Chuteira no Jornal O Dia.

18/10/2019 08:14h

Dia do Professor 

Meus amigos, anteontem foi comemorado o Dia do Professor. Muito bem. O “professa” merece toda nossa estima e consideração porque a sua atividade laboral é das mais úteis à sociedade. Ele ensina a quem não sabe de nada e até aos que pensam que sabem e estes são os mais difíceis de aprender porque quando você vai ensinar o A eles já estão no Bê. E assim, Benjamim, a bola rola, este escriba não enrola e futebol não se aprende na escola ao contrário do samba aonde a mulata rebola atrás do dólar. Bola pra frente que atrás vem gente e quando o freguês é pobre se diz que indigente. Mas se falando em professor, não podemos olvidar um grande mestre que foi o professor Vilmar. Claro que estou falando na minha pequena área que é o futebol alegria do povo. E Vilmar foi um grande mestre do pebol piaulino e a bola o chamava de senhor. O reverenciava. E assim sendo, todos os treinadores de futebol são professores  numa atividade lúdica e proveitosa que é o esporte maior deste “pais tropical abençoado por Deus e bonito por natureza”. O jogador de futebol profissional atende às recomendações do seu técnico, o seu orientador dentro de campo e às vezes até hora dele. Ele é o seu professor de fato e de direito e eu mesmo tive bons professores de Direito na velha Salamanca. E a bola rola no gramado e o nosso professor Carlos Said não se cansa de dar aulas a gregos e baianos, apedeutas e pascácios mandando-os para os blinguidins do infernos e ai e ui! E sendo este dia do professor, é hora de se exaltar o maior de todos Mestre Ziza, que foi de um time que eu nem gosto que é um tal de Flamengo de Futebol e Regatas. Mas o que fazer se o povo é alucinado por ele e até “bota fogo” nas casas dos outros em qualquer Canto do Rio? Ah, gentes boas, o futebol é também um grande professor pois ele nos ensina que quem perder hoje pode ganhar amanhã e para que maior ensinamento do que saber que o mundo é uma bola, redondinho como ela? O mundo, Raimundo, não é um campo, é uma bola que rola para lá e para cá e quem for bom goleiro pode até agarrar. E com ela se abraçar, beijar. Não pode deixá-la murchar. Bola murcha é sinal de decadência. A bola deve estar sempre cheia. Não é como a maré. Que enche e vaza. Vocês leitores meus, estão com suas bolas cheias neste dia do professor? Quem não tiver, vaza... 

Eram felizes e não sabiam... 

Mão Santa  governador, Temistócles deputado, Carlos Lobo Vereador, Zenilton assessor, Robércio “Malatoan”, Fernando Said, Itamar, era todo o PMDbola numa felicidade de governistas. Toni Black deitado. Queria ser diferente...Ah tempo bom...

Nos “isquitiobais”

Rapaz, no diagnóstico do nosso menino de ouro, Neymar, deu uma lesão nos “esquitiobias esquerdos” e o Servo de Deus, lendo aqui no jornal do Valmir esta observação, veio até me indagar se estes tais de “esquitiobais” são aquelas partes chamadas de “melindrosas” e que os mais prevenidos resguardam com o uso de um “suporte”, ali onde os grangeiros guardam os ovos. Pois o nosso menino de ouro, o Neymar está com uma lesão lá nos tais de esquisitos que ainda é até do PT. São os esquerdos. É Lula lá e o Neymar cá. Ai, mamãe, me dê um refresco de maracujá....

Nos Picos

Nesta sexta-feira, de noite, lá nos Picos, vai ter um jogão. O time da casa recebe um adversário forte como só. É o Oeirense de Chaguinha e Bil. Lá no “cocho” o Oeirense deu nos Picos. Foi só de 1 a 0 mas foi taca caseira. Agora é a volta e no campo picoense, no Helvidio Nunes, onde o time de casa deita e rola na sombra da graviola. A grande novidade do time de Oeiras será a participação de Conceição Pipoca como madrinha do time e Bil como mascote. Chaguinha de Mara já confirmou sua presença. Tadeu de Lilásia também já garantiu que vai ver este jogo.


Deixe seu comentário