• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

Sim, irmãos, hoje tem Brasil e Argentina, o maior clássico sul-americano

São dois adversários figadais cada um querendo ser mais.

02/07/2019 07:19h

Hoje tem

Sim, irmãos, hoje tem Brasil e Argentina, o maior clássico sul-americano. Um jogo que é um Fla-Flu no Rio de Janeiro, um Rivengo no Piauí. São dois adversários figadais cada um querendo ser mais.  É a Copa América chegando às finais e logo mais, no Belo Horizonte deste Brasil, o grande duelo de bola de couro número cinco, valendo pela Copa América. Eles lá têm o Messi como menino de ouro e nós estamos sem Neimar. Nem Mar nem rio. O jogão vai ser no Mineirão, depois da novela das nove.  Eles têm o Messi como a gente tinha o Pelé, o Garrincha e agora o Neymar. Vetera, o  argentino é muito  conservado na casca do alho e é tido e havido como muito responsável. Não é como os nossos que se deixam enganar pelas mulheres da vida complicada que alguns dizem que é fácil. E estão aí, as duas maiores forças  do pebol sul-amaricano, Brasil e Argentina, frente a frente, em jogo da Copa América  onde o adversário além de ser bom de bola ainda tem um cara que é chamado do “melhor do mundo”, como no tempo em que a gente tinha o Pelé e ninguém contestava. A nosso favor tem o fato de nosso defesa ser virgem há quatro partidas do certame e desde que começou jogar não perdeu para seu ninguém e espero e Deus e em São Francisco do Canindé que nós vamos dar nos platinos com Messi e tudo. Nosso principal problema foi a papeira que um jogador pegou, o Richarlison que é metedor de gols e pegou essa caxumba não se sabe onde ganhou esta papeira que é doença de menino nordestino e não de jogador de futebol que é mais fácil pegar blenorragia do que caxumba. E o pior é que se o cara não tiver “resguardo”, ela desce para os melindrosos que a parte delicada do ser humano masculino. Ah, meus amigos, futebol é coisa séria, como diz o filósofo da Cacimba Velha, William Bogéa e para tanto é preciso ter cautela porque todo cuidado é pouco e em casa de caboclo, um é pouco dois é bom e três é demais. E os dois gigantes do pebol sul-americano vão se comer na semifinal de hoje, em Belo Horizonte, às nove e meia da noite, metade da quarta que é a semi. O bicho deles é o tal de Messi que já está coroa mas continua danado e a gente continua sem o menino de ouro. ”Nem mar” nem terra. E assim, gentes boas, a bola rola, este escriba não enrola e nem tudo se aprende na escola. E assim sendo, reverendo, parece que maré não está prá peixe pro nosso lado porque até caxumba, catapora, está nos atrapalhando.

A pedidos, Piauizão Vibrante

Time do Piauí em 1985 com Cicero, Sansão,Toreca, Ari, Galote, Raimundo,Catita. Sima, Xavier, Geraldo José, Helio Baiano e o treinador Djalma. Cirilo. O presidente era o João Maguim. Foi campeão com este time. Começava a era do Enxuga-rato.

Mandem

Aviso aos desportistas locais que a coluna está à disposição dos leitores para a divulgação de notícias de seus clubes amadores, inclusive com fotos.  Entreguem na portaria. Divulgar é preciso e ninguém sabe o que o calado quer a propaganda é a alma do negócio. Pode ser até com fotos mas   papel. Não me mandem via celular que eu sou da outra era.O negócio é com papel. Como dinheiro. O esporte citadino anda muito devagar e o vôlei, basquete e o salobol estão muitos parados. E sem se movimentar, o povo está dando para engordar.

Jogos Estudantis

No meu tempo, os jovens praticavam muitos os esportes de quadras e cada colégio tinha sua tradição e seu carisma. Uma rivalidade positiva entre a juventude e dali surgiam os namoros, os relacionamentos por causa do esporte. Os pais acompanhavam os filhos às quadras e viam que era tudo esporte e alegria. Hoje em dia, as competições amadoras foram ficando escassas e as quadras esportivas deixaram de ser utilizadas nas suas finalidades e nossos atletas, dos dois sexos passaram a engordar, aumentando o número de calções e camisas.


Deixe seu comentário