• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
M³

Sempre semipronta

Sem script fechado nem fim programado, os dias são repletos de imprevistos

03/04/2011 00:00h

Pronto, a tarefa das crianças está feita e na mochila, mas amanhã vem mais um tanto de atividades para fazer. Pronto, estamos com o cabelo arrumado, unhas feitas e sobrancelhas alinhadas, mas sabemos que na próxima semana tudo precisa ser refeito. Pronto, conseguimos zerar as pendências da agenda e cumprimos todas as tarefas, mas sabemos que amanhã tudo começa do zero, ou melhor, com pelo menos dez itens a cumprir.

Pronto, o guarda-roupa está arrumado de acordo com as cores das roupas, mas sabemos que no final da próxima semana estará tudo embaralhado de novo, afinal, não teremos paciência para colocar cada peça no lugar certo durante a semana. Pronto, o supermercado está feito e, por mais uns dois ou três dias, não vamos precisar passear entre aquelas gôndolas. Pronto, mais algumas páginas da dissertação estão escritas, mas na próxima semana o orientador vai mandar trabalhar melhor o autor X ou incluir a autora Y. Pronto, terminamos de ler aquela reportagem que tínhamos separado mas que não tínhamos conseguido parar para ler.

Pronto, agora poderemos narcotizar o estresse assistindo a uma novela ou um episódio do seriado que gostamos. Pronto, já podemos apagar as luzes da casa, trancar as portas e nos entregar ao sono. Pronto, podemos experimentar mais uma noite de insônia pensando na nossa incapacidade de gerenciar tudo.

Pronto, precisamos admitir que nunca estaremos prontas e, claro, nunca teremos tudo pronto. O recomeço está em cada começo de dia ou de noite. Se a cada dia o nascer do sol nos lembra que temos mais 24 horas para preencher, não deixa de ser um lembrete também de que temos atividades sem fim para terminar e que 24 horas nem sempre são suficientes. E que, para falar a verdade, se entre cada nascer do sol tivéssemos 10 horas a mais, encontraríamos mais vinte coisas inadiáveis para fazer.

Essa incompletude tem tons de angústia e de agonia, mas não poderia ser mais estimulante. Sem script fechado nem fim programado, os dias são repletos de imprevistos (às vezes bons, outras vezes nem tanto), mas que fazem com que cada dia tenha cheiro e sabor de desafio.

"A fibra tropeça no muro
força a costura na prática
alinhava a próxima esteira.
Viver exige esforço
prematuro
e sangue quente
de guerreiro".
Por Simone Aver


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas