• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Mochileiros do Piauí

Bem Vindos a Cuzco, o umbigo do mundo

Os mochileiros do Piauí visitam essa cidade que foi a capital do Império Inca

13/07/2014 18:52h - Atualizado em 15/07/2014 13:50h

Texto e Fotos: Samuel Brandão e Clébert Clark

Ao sair de Lima, capital peruana, sabíamos que além do frio estávamos partindo para um novo desafio, a altitude. Cuzco fica a 3500 metros acima do nível do mar e a essa altura, o corpo reage de maneira diferente, dependendo de pessoa para pessoa, o que aqui pode causar o chamado Soroche ou Mal da Altitude. Esse mal estar é facilmente superado com uma boa adaptação ao ambiente procurando não fazer muito esforço nos primeiros dias. No nosso caso, não sentimos nada.

Cuzco foi fundada, segundo relatos históricos, no século XI ou XII D.C. pelo imperador Inca Manco Capac. Essa civilização teve seu inicio e apogeu em apenas 200 anos de história, chegando a um nível de organização social que possibilitou a construção de obras monumentais como: templos, palácios, fortalezas, muralhas, canais de drenagem de água, terraços para plantio diversificado e uma série de construções grandiosas que impressionam pela destreza de suas edificações em regiões de difícil acesso, principalmente nas montanhas, além disso utilizavam pedras colossais, algumas chegando a 12 toneladas que eram geometricamente encaixadas umas nas outras. Eles também inovaram em construções funcionais que serviam para armazenar alimentos, controle de desabamentos, plantação diversificada e a sua arte era impregnada de símbolos de adoração à natureza e aos elementos. O mais impressionante é que o nível de organização social e desenvolvimento de suas construções se compara com outros grandes impérios da humanidade como os Egípcios, os Maias, Astecas e os Mesopotâmios, porém não havia qualquer contato entre os Incas e esses outras civilizações.

Em 1532, Francisco Pizarro, um conquistador espanhol, impressionado com os ornamentos do imperador inca e de sua comitiva, que eram banhados em ouro, conseguiu através da diplomacia adentrar as muralhas do império inca e lá, invadiu e saqueou toda a cidade, submetendo os povos que ali viviam, o que culminou na derrocada deste magnífico império.

Um passeio pelas ruas de Cuzco, por suas vielas, escadarias, prédios seculares e muralhas, o reportará à história da cultura Inca e da dominação espanhola, atraindo o olhar para uma guerra silenciosa que se remonta entre tijolos sobrepostos a rochas como uma vitrine indelével do tempo.

O que visitar em Cuzco

Em Cuzco, é quase que obrigatório fazer um City Tour pelas agências de turismo da cidade. Essas empresas disponibilizam o transporte e um guia para a visita aos principais monumentos históricos que são: Qoricancha (Templo do Sol), Saqsayhuamán (Lugar da Divindade), Tambomachay (Banho Inca), Pukapukara e a caverna de Q’uenqo. Além desse pacote turístico, o boleto ainda dá a possibilidade de visitar outros pontos mais distantes da cidade e esses, sem dúvida, são os mais emocionantes. São eles: Pisac (Cemitério Inca), Moray, Chinchero e, depois de se deslumbrar com a paisagem fascinante do Vale Sagrado, chega-se até Ollantaytambo, que é o ultimo ponto antes de chegar a Machu Picchu. Uma dica importante é não visitar Machu Picchu antes desses outros monumentos, pois os mesmos perdem toda a graça diante dessa cidade encravada nas montanhas. Próximo destino: Águas Calientes e o Vale Sagrado de Machu Picchu.

  

Fonte: Mochileiros do Piauí
Edição: Samuel Brandão
Por: Samuel Brandão

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas