• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Roda Viva

Elmano defende a Lava Jato

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

18/06/2019 08:39h - Atualizado em 17/06/2019 19:58h

Elmano defende a Lava Jato

O senador Elmano Férrer fez um pronunciamento nesta segunda-feira (17) em defesa da Operação Lava Jato e do pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, o ex-juiz federal Sérgio Moro. Na tribuna do Senado, Elmano ressaltou que o Brasil precisa de uma série de medidas que recoloquem o país nos trilhos da prosperidade e do crescimento. Para isso, ponderou o parlamentar, é necessário restabelecer a segurança da população. Férrer também declarou solidariedade a Moro. Segundo o parlamentar, a aprovação do pacote anticrime, que tramita no Congresso Nacional, é a medida mais importante a ser tomada para que se reforce o combate à criminalidade e à corrupção. “O pacote anticrime traz providências efetivas e eficazes contra o crime organizado e, por isso, conta com maciço apoio popular. Uma dessas providências é a ampliação do Banco Nacional de Perfis Genéticos, tema que foi objeto de projeto de Lei de minha autoria, em análise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, para facilitar a identificação de criminosos e a resolução de crimes em que há vestígios biológicos”, afirmou Férrer. Sobre a Operação Lava Jato, o senador disse concordar com a opinião do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, de que estaria em andamento no país uma campanha destinada a desacreditar a operação. “Eu tenho mais de 70 anos, e testemunhei, durante toda a minha vida, inúmeras vezes, na pequena cidade onde nasci e cresci, no interior do Ceará, Lavras da Mangabeira, somente o pobre e o negro serem presos. Nos dias de hoje, desde 2014 para cá, passei a ver poderosos serem presos em nosso país. Quero render a minha homenagem àqueles que fazem essa Operação Lava Jato, a que chamo de grande revolução, que vai nos tirar das garras enraizadas da corrupção em nosso país”, concluiu Elmano.

Pastores evangélicos fizeram uma homenagem ao perfeito Firmino Filho (PSDB) na manhã desta segunda-feira (17), em agradecimento ao projeto Vitória, voltado para a "capacitação de profissionais para a confecção de moda evangélica e executiva". O projeto é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest), que é comandada pelo vereador licenciado Ricardo Bandeira (PSL), que é evangélico.

Interconfessional 

O prefeito, por sinal, tem um bom trânsito em todas as religiões. Em novembro de 2017, por exemplo, Firmino inaugurou no Parque Lagoas do Norte a Praça dos Orixás, primeiro monumento público da capital piauiense em homenagem às religiões de matriz africana. Na ocasião, o tucano foi acompanhado por vários representantes de terreiros da região. A inauguração foi prestigiada até pelo mestre Bita do Barão, pai de santo de Codó (MA) que faleceu em abril deste ano, e que, em vida, tornou-se uma das maiores referências da umbanda no país. 

Wellington vai à China

A convite do Global Reporting Initiative (GRI Club), o governador Wellington Dias viaja para a China no mês de agosto, onde apresentará pautas importantes para o desenvolvimento do estado. O GRI Club reúne investidores, executivos, desenvolvedores, financiadores e outros tomadores de decisão de mais de 50 países.

50 procedimentos cirúrgicos

O Hospital Estadual Dr. Júlio Hartman (HEJH), em Esperantina, realizou neste final de semana, dias 14 e 15, um mutirão de cirurgias pediátricas. Foram feitos 50 procedimentos em crianças de oito meses a 14 anos. Todos os pacientes passaram por uma triagem, incluindo consultas pré-operatórias e exames laboratoriais.

O deputado estadual Franzé Silva (PT) apresentou um projeto de lei que estabelece que recursos públicos sejam exclusivamente destinados para a contratação de artistas locais em eventos patrocinados ou apoiados pelo Governo do Estado ou por prefeituras de municípios do Piauí. A regra também se estenderia às emendas parlamentares. Segundo o parlamentar, a proposta tem a intenção de prestigiar a cultura local. O projeto prevê apenas uma exceção: os festivais que existem há mais de dez anos, nos quais seria permitido apoio público para contratar artistas de fora do estado.


Deixe seu comentário