• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Brasil chega a 200 medalhas no Parapan 2019 de Lima

Halterofilista potiguar João França Júnior foi o encarregado de garantir a emblemática premiação.

30/08/2019 11:52h

O sexto dia de competições dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, ontem, com a superação de uma marca importante. A delegação brasileira chegou à medalha de número 200 somente nesta edição da principal competição continental. Desde os primeiros pódios, no sábado, 24, até o fechamento dessa edição, nossos atletas obtiveram 78 ouros, 66 pratas e 57 bronzes (202 no total). 

O Parapan de Lima se encerra no domingo, dia 1º de setembro, e até lá restam pouco mais de 80 finais a serem disputadas. Os Estados Unidos estão em segundo lugar no quadro de medalhas, com 50 ouros entre as 141 conquistas. Para desbancar o Brasil os americanos teriam que ser campeões em mais de 33% das finais e os brasileiros não poderiam ganhar nenhum ouro a mais. 

A emblemática medalha de número 200 veio apenas dois dias após o Brasil atingir a casa das centenas. Na terça-feira, o bronze de Fabrício Ferreira nos 400m da classe T12 do atletismo rendeu à delegação verde-amarela a 100ª medalha. 

A glória pela 200ª conquista em solo peruano coube ao halterofilista potiguar João França Júnior. Ele foi ouro na categoria até 49 quilos, na abertura das disputas da modalidade no Parapan. Foi a primeira prova do dia, e ele bateu recorde do Parapan com 141 quilos na barra. 


Ana Karolina Soares Prata levou a medalha pelos 200m livres no Parapan, em Lima, no Peru - Foto: Ana Cabral/CPB

“Só caiu a ficha que eu estava aqui em Lima, neste evento gigantesco, ontem [quartafeira, 28], e é minha estreia. Estou sabendo agora que sou o medalhista de número 200 é motivo de muito orgulho e felicidade”, disse o atleta, que nasceu com artrogripose, doença que comprometeu o movimento de suas pernas.

O amazonense Lucas Manoel ficou com o bronze, a 201ª conquista nacional, com 123 quilos. A prata coube ao colombiano Johnny Morales (125 quilos). 

A natação contribuiu, e muito, para que a barreira das 200 medalhas fosse rompida nesta manhã de quinta-feira. Dois pódios duplos na abertura da a sessão fizeram o Brasil saltar das 195 conquistas com as quais terminou a quarta-feira, para 199. 

A primeira dobradinha veio de Lucas Mozela e Ruiter Silva, respectivamente, ouro e prata nos 200m medley da classe S9. É a segunda vez que o paulistano Mozela é campeão em Lima. Na noite anterior, compôs o time que triunfou no revezamento 4x100m medley 34 pontos (soma da classificação funcional dos participantes). Ele também foi prata nos 100m costas em emocionante chegada com o paulista Andrey Garbe, na terça- feira. 

A prata de Ruiter nos 200m medley de ontem foi sua quarta em Lima. Ele já acumulara nos 100m borboleta e nos 400m livre, além do ouro nos 50m livre. 

A segunda dobradinha brasileira de ontem veio com a pernambucana Maria Carolina Santiago e a paraense Lucilene da Silva Sousa, nos 400m livre da junção das classes S12/ S13. Carol bateu primeiro na borda em 4min59s66, e Lucilene chegou 11 segundos mais tarde. A atleta de Recife já tem um ouro, nos 100m peito, alcançado na terça-feira, 27, e nadará mais duas provas em Lima até o sábado, 31: 50m livre e 100m livre.

Fonte: Jornal O Dia

Deixe seu comentário