• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Ronaldinho participa de jogo de futebol na cadeia, diz imprensa paraguaia

Em entrevista à rádio Ñanduti, o comissário Blas Vera, chefe do local, disse nessa sexta (13) que o ex-atleta jogou uma partida de futebol na quadra da penitenciária.

14/03/2020 10:31h

Preso desde o último dia 6 na Agrupação Especializada da Polícia Nacional, em Assunção, no Paraguai, Ronaldinho Gaúcho tem interagido com colegas de detenção. Em entrevista à rádio Ñanduti, o comissário Blas Vera, chefe do local, disse nessa sexta (13) que o ex-atleta jogou uma partida de futebol na quadra da penitenciária.

Há dias, diversos veículos de imprensa paraguaios especulam sobre a participação do ex-jogador em um campeonato de internos, cujo o prêmio seria um leitão. Em um deles, Dinho, como é carinhosamente chamado no Paraguai, teria aceitado participar, mas, por regra dos presos, ele não poderia marcar gols.

O relato diverge da informação do site Hoy, de que em sua estreia na cadeia, Ronaldinho tivesse marcado 5 gols e dados 6 assistências na goleada por 11 a 2 de seu time. A descrição da partida foi feita pelo jornalista Iván Leguizamón ao canal ABC TV.

Também nesta sexta, o Tribunal de Apelação negou o recurso interposto pelos advogados dos brasileiros Ronaldinho Gaúcho, 39, e Roberto de Assis, 49, e manteve os dois presos na Agrupação Especializada.

Essa foi a terceira tentativa de recurso dos irmãos Assis. Na terça (10), Amarilla atendeu a contra-argumentação do Ministério Público e negou aos brasileiros a prisão domiciliar. O Ministério Público apontou que havia o risco de fuga dos brasileiros.


Ronaldinho participa de jogo de futebol na cadeia, diz imprensa paraguaia. Reprodução

Segundo o Ministério Público paraguaio, os brasileiros entraram no país na quarta (4), portando passaportes e cédulas de identidades adulterados. Os números dos documentos apreendidos pertencem a outras pessoas.

Além dos irmãos, há pelo menos 12 envolvidos no esquema, segundo o Ministério Público. Entre eles, funcionários do governo paraguaio e o empresário brasileiro Wilmondes Souza Lira, que teria apresentado a Ronaldinho e Assis a empresaria Dalia López, acusada de ter sido a responsável pela fabricação dos documentos falsos.

López é considerada foragida. Segundo o seu advogado, Marcos Estigarribia, ela está com problemas de saúde e deverá se apresentar na quarta-feira (18).

Ronaldinho e Assis viajaram para o Paraguai convidados pela empresária para uma série de eventos. A paraguaia já era investigada em caso de lavagem de dinheiro no país.

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário