• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Agricolândia

Deputados federais chegam a Teresina para discutir violência contra a mulher

O desembarque deles na capital está previsto para as 8h40

13/06/2013 07:55h - Atualizado em 13/06/2013 08:37h

Uma comitiva de deputados federais chegará a Teresina na manhã de hoje (13) para debater a questão da violência contra a mulher no Piauí. Eles compõem a Subcomissão da Violência contra a Mulher, ligada à Comissão de Seguridade Social da Câmara Federal. O desembarque na capital do Estado está previsto para as 8h40.

Na agenda dos parlamentares, uma audiência na Assembleia Legislativa do Piauí, um debate na Universidade Federal do Piauí e visitas a órgãos ligados à defesa da mulher vítima de violência.

Os deputados federais que virão ao Piauí são Nilda Gondim (PMDB-PB)  presidente da Subcomissão, Rosane Ferreira (PV-PR) , Erika Kokay (PT-DF), Dr. Rosinha (PT-PR) e Dr. Paulo César (PSD-RJ).

A deputada federal Iracema Portella, única mulher representante do Piauí na Câmara dos Deputados, acompanha a subcomissão e destaca que o trabalho do grupo é uma forma de fiscalizar o atendimento à mulher vítima de violência em todo o país.

“O Piauí tem o menor índice de homicídios de mulheres, mas ainda assim a situação é preocupante, pois os casos de violência são crescentes. Somente em 2012 foram registradas mais de 13 mil denúncias”, comenta a parlamentar.

A presidente da Subcomissão, a deputada Nilda Gondim, explica que as sessões no Piauí marcam o início de um plano de trabalho, que ocorrerrá também em outros estados.

“Não temos poder para investigar, mas vamos tratar de assuntos ligados à violência contra mulheres e meninas. Começaremos fazendo diligências nas regiões Norte e Nordeste, focadas de um lado, nos equipamentos de proteção à mulher vítima de violência, como delegacias especializadas, juizados, casas abrigo e centros de referência, e de outro lado, na impunidade”, afirmou.

Conforme o Mapa da Violência 2012, embora o Piauí tenha o menor índice de homicídios de mulheres, Teresina é a nona capital com maior índice.

A pesquisa, que coloca o Piauí como o estado com menos feminicídios, é contestada pela União das Mulheres Piauienses (UMP). Para a entidade, os números reproduzem uma “falsa realidade” e contribuem para que não haja uma preocupação efetiva com o tema. 

Só de janeiro a dezembro de 2012, o Estado registrou aproximadamente 13.500 denúncias de violência contra mulheres.

Programação

Dia 13/06

Chegada ao Aeroporto Petrônio Portella

11 às 13h30 – Sessão especial sobre violência contra a mulher e saúde mental – Assembleia Legislativa do Piauí

16h – Reunião da Subcomissão da Violência contra a Mulher para debater o tema com a sociedade civil – Sala de Retratos do Departamento de Ciências Jurídicas da UFPI

Dia 14/06

9h – Visita à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – Rua 24 de Janeiro, 500, Centro

9h45 – Visita ao Centro de Referência para Mulheres Vítimas de Violência “Francisca Trindade” – Rua Gabriel Ferreira, 155, Centro

10h30 – Visita ao Serviço de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Sexual – SAMVVIS – Maternidade Dona Evangelina Rosa – Av. Higino Cunha, 1552

11h15 – Visita à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – Buenos Aires – rua Bom Jesus com Oscar Clark, s/n, Buenos Aires.

A confirmar:


Visitas a Casa Abrigo Mulher Viva; Juizado de Violência Doméstica e Familiar em Teresina; Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência (Defensoria Pública) e Núcleo das Promotorias de Justiça da Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar.


Fonte: Com informações da Ascom

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas