• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia
Cajueiro da Praia

1º Festival Choro Jazz começa dia 12 em Barra Grande

1º Festival Choro Jazz começa dia 12 em Barra Grande

09/11/2015 10:35h

Hermeto Pascoal, Renato Braz, Quarteto Maogani, Trio Curupira, Josué Costa, Aquarela do Choro são as atrações do 1º Festival Choro Jazz, que será realizado no período de 12 a 14 de novembro, em Barra Grande, no Cajueiro da Praia – PI. 

O evento tem parceria do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Cultura.

Coordenado por Tothe Ibiapina, O 1º Festival Choro Jazz tem como objetivo trazer grandes shows e oficinas para o público piauiense. O evento combina boa música com cenários paradisíacos.

O 1º Festival Choro Jazz segue o formato do evento consolidado em Fortaleza e Jericoacoara e propõe encontros inusitados que transitam entre os gêneros que batizam o festival, levando o público a conhecer novos panoramas de uma música que não tem muito espaço nos veículos de mídia em massa.

Todas as apresentações musicais e oficinas serão totalmente gratuitas, uma vez que o projeto em sua totalidade é destinado ao livre acesso do público, já que o Choro Jazz está baseado na ampliação ao acesso à arte e à democratização cultural.

Além da grade de programação do evento, serão realizadas as oficinas de piano e prática de conjunto com André Marques, guitarra e baixo com Fábio Gouveia, bateria com Cleber Almeida e percussão com Fábio Pascoal. As inscrições já podem ser realizadas.

Paralela às atividades musicais, também será criada uma Biblioteca Comunitária para Barra Grande. “Então, solicitamos aos que puderem, que levem um ou mais livros para doação. Basta levar nos dias dos eventos e entregar a produção local”, afirma Tothe, citando que este é a primeira edição de muitas que virão.

Grupos que marcam presença no Festival Choro Jazz

Direto do Ceará, o Murmurando foi criado em 2006 e tem o choro como essência de seu repertório. O grupo tem forte influência dos mestres Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo, entre outros.

Em 2007, foi contemplado com a aprovação no I Edital de Incentivo às Artes da Fundação de Cultura, Esporte e Turismo de Fortaleza (SECULTFOR), na área de Música, categoria Manutenção de Grupos Musicais, com o projeto “Choro Brasileiro de Jovens Para Jovens”. No mesmo ano, abriu o “I Festival Mel, Chorinho e Cachaça”, em Viçosa do Ceará, e foi uma das principais atrações da II Mostra de Música Petrúcio Maia.

O Murmurando é formado por jovens reconhecidos músicos na cena cearense. Os integrantes Cleylton Gomes (flauta transversal e flautim), Giltácio Santos (clarinete), Lauro Viana (cavaquinho) e Samuel Rocha (violão 7 cordas) têm instrução formal nos cursos de Música do Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET-CE), e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Hermeto Pascoal e Grupo

Nascido em Olho d´Água e criado em Lagoa da Canoa, na época município de Arapiraca, estado de Alagoas, em 22 de junho de 1936, Hermeto Pascoal é filho de Vergelina Eulália de Oliveira (dona Divina) e Pascoal José da Costa (seu Pascoal). Foi no seu alistamento militar que colocaram o pré nome de seu pai como seu sobrenome.

Os sons da natureza o fascinaram desde pequeno. A partir de um cano de mamona de “gerimum” (abóbora), fazia um pífano e ficava tocando para os passarinhos. Ao ir para a lagoa, passava horas tocando com a água. O que sobrava de material do seu avô ferreiro, ele pendurava num varal e ficava tirando sons. Até o 8 baixos de seu pai, de sete para oito anos, ele resolveu experimentar e não parou mais. Dessa forma, passou a tocar com seu irmão mais velho José Neto, em forrós e festas de casamento, revezando-se com ele no 8 baixos e no pandeiro.

Atualmente, Hermeto Pascoal apresenta-se com cinco formações: Hermeto Pascoal e Grupo, Hermeto Pascoal e Aline Morena, Hermeto Pascoal Solo, Hermeto Pascoal e Big Band e Hermeto Pascoal e Orquestra Sinfônica. Diz ele que, por enquanto, é só!! Esse é o nosso “CAMPEÃO”!!!

Para Hermeto, público, shows e discos têm o mesmo grau de importância. Não há melhor público, nem melhor show, nem melhor disco. São todos filhos muito amados por ele. Portanto, o que foi mencionado nessa biografia refere-se apenas a um resumo dos fatos que foram lembrados.

Renato Braz e Quarteto Maogani por Luiz Nassif

Além de um dos maiores cantores brasileiros, Renato Braz tem capacidade de agregar talentos e montar projetos originais o transformou em uma referência absoluta da música contemporânea, um elo imprescindível entre os diversos gêneros e os artistas contemporâneos.

Qual outro artista que teria a ideia de juntar os clássicos latino-americanos com o extraordinário Quarteto Maogani, uma rapaziada que inovou o modelo de quarteto de violões?

Trio Curupira

O grupo homenageou o personagem mítico do folclore brasileiro encarregado de proteger as florestas e os animais, o trio assumiu a missão semelhante de defender a música e a cultura brasileira com uma sonoridade densa, harmonia rica e personalidade marcante.

O projeto, aprovado pelo edital do Programa de Ação Cultural de São Paulo da Secretaria de Estado da Cultura, disseminará aos espectadores a música popular brasileira instrumental, como uma alternativa em contraposição às músicas comerciais de fácil acesso distribuídas pelos meios de massa, ampliado as referências e raízes da cultura musical brasileira.

Os artistas apresentaram seus arranjos expressivos em festivais e shows em Manaus (AM), Buenos Aires, La Plata, Córdoba, Bahia Blanca, Santa Fé e Resistência (Argentina), Rio de Janeiro, Porto Alegre (RS), Joinville (SC), Brasília (DF), Recife (PE), Garanhuns (PE), Bonito (MS), Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG).

Programação

Dia 12 de novembro

21h – Aquarela do Choro

22h30 – Josué Costa Trio

Dia 13 de novembro

21h – Renato Braz e Quarteto Maogani

22h30 – Trio Curupira

Dia 14 de novembro

21h – Grupo Murmurando

22h30 – Hermeto Pascoal e Grupo

O Fetival Choro Jazz vai proporcionar oficinas para o público.

Fonte: Ascom

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas