• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Coelho Neto - MA

‘Faria de novo’, diz homem queimado ao retirar criança de ônibus no MA

Após quase três meses fazendo tratamento em Goiânia

05/04/2014 07:11h

Por Luís Pablo 

Márcio pode voltar para casa, mas terá de voltar a Goiânia uma vez por mês

Márcio pode voltar para casa, mas terá de voltar a Goiânia uma vez por mês

Após quase três meses fazendo tratamento em Goiânia, o entregador de frangos Márcio Ronny da Cruz, 37 anos, já está liberado pela equipe médica para retornar ao Maranhão, onde vive. Ele teve 72% do corpo queimado ao retirar uma criança de um ônibus em chamas em São Luís, no dia 3 de janeiro. Ainda usando roupas especiais devido aos ferimentos, Márcio concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (4). Agradeceu aos médicos que ajudaram na sua recuperação, disse que não vê a hora de abraçar a família e garantiu: “Faria tudo de novo”.

Nesta semana, ele foi liberado para voltar para casa, mas terá de retornar à capital goiana pelo menos uma vez por mês para continuar o tratamento. Feliz, ele não vê a hora de rever sua família. “Eu estou ansioso para voltar para casa e dar um abraço na minha esposa, nos meus filhos e, principalmente, na minha mãe”, aguarda.

Durante a entrevista, o entregador de frangos relembrou o que ocorreu no dia em que se feriu e acredita que estava predestinado a embarcar naquele ônibus, incendiado por criminosos. “Passaram três ônibus da mesma linha antes e eu não quis entrar. Estavam muito cheios. Depois que eu consegui entrar, 20 minutos depois, os homens o pararam, mandaram todo mundo descer e tacaram fogo”, diz.

Ele explicou que os criminosos jogaram gasolina em sua camisa e que, quando conseguiu sair, já em chamas, se jogou em uma poça de lama. “Foi quando eu ouvi a mãe e as duas meninas gritando. Naquela hora, eu vi que não tinha ninguém para ajudar e saí correndo para tirar elas do fogo”, recorda-se.

Mesmo ferido, Márcio conseguiu retirar a menina Ana Clara Santos Sousa, 6 anos, do ônibus. Ele a abraçou ao sair do veículo, pois o corpo da criança estava em chamas. A garota teve mais de 90% do corpo queimado e morreu no dia 6 de janeiro.

Após o atentado, o entregador chegou a fazer tratamento em São Luís, mas no dia 8 de janeiro foi transferido para o Hospital Geral de Goiânia (HGG). Ele passou por três cirurgias e foi levado para o Hospital de Queimaduras, no dia 13 do mesmo mês. Depois de um período de internação, foi liberado para ficar em casa com as irmãs, no último dia 21 de março.

Agradecimento

Antes de voltar para casa, Márcio fez questão de voltar ao HGG esta tarde para agradecer o trabalho feito pelos médicos e também a toda população goiana. “Me ajudaram em tudo que precisamos. Até quando eu precisei de doação de sangue, os goianos que nem me conheciam foram lá e me ajudaram”, disse.

Ele pretende fazer o mesmo gesto com os profissionais do Hospital de Queimaduras, onde também realizou tratamento.

Com os irmãos, Márcio faz sinal de positivo: predestinado

Com os irmãos, Márcio faz sinal de positivo: predestinado

Irmã de Márcio, a educadora Assunção da Cruz Neves o acompanha desde quando ele desembarcou em Goiânia. Ela espera um encontro emocionante: “Vai ser o melhor presente de Dia das Mães que ela vai ter: receber o filho vivo”.

Outros dois irmãos do paciente viajaram a Goiânia para acompanhá-lo. A expectativa é de que todos eles embarquem para São Luís nas próximas duas semanas.

 


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas