• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia
Coelho Neto - MA

Câmara inicia trabalho em casa improvisada e sessão termina em confusão

Ao final da sessão, o repórter tentou se aproximar da vereadora

25/11/2014 08:40h


Empurra-empurra, xingamentos, bate-boca e agressões marcaram nesta segunda-feira (24), a sessão ordinária "improvisada" na Câmara de Vereadores de Caxias. O estopim para toda a confusão foi a presença pela segunda vez no município, de uma equipe do CQC - Custe o Que Custar, da TV Band/SP.

A sessão teve início às 18h12, com a presença dos 19 parlamentares. Temas como saúde, educação, agricultura e infra-estrutura predominou na ordem do dia. Os trabalhos foram realizados de forma improvisada no auditório Dr. Marcelo Thadeu, uma vez que a plenária da Câmara, que funciona na parte da frente do prédio, está interditada por ameaça de desabamento.

A equipe do CQC, com o repórter Lucas Salles, chegou de surpresa à sessão. Por alguns segundos os vereadores pareciam não entender a situação, mas, os trabalhos tiveram continuidade.

A presença novamente de uma equipe do CQC em Caxias seu deu por conta da repercussão nacional sobre as mortes de crianças na Maternidade Carmosina Coutinho. O tema é tão relevante, que outras emissoras como Globo e SBT já sinalizaram possibilidade de mandar equipes para cobrir o caso.

Em meio aos trabalhos do Parlamento, Lucas Salles conseguiu entrevistar a presidenta Ana Lúcia, que disse aguardar um relatório da Comissão de Saúde da Casa para poder dar um posicionamento.

Mas, o principal foco do CQC na Câmara, era conseguir entrevistar a vereadora Taís Coutinho, que está grávida e no último mês de gestação, com todo o pré-natal sendo realizado em Teresina,em hospital particular, onde deverá ocorrer o parto.

Ao final da sessão, o repórter tentou se aproximar da vereadora para fazer justamente essa pergunta. Porque tudo no Piauí, ela não confia na saúde de Caxias?Ela se negava a responder. Lucas Salles insistiu em saber por que ela usou redes sociais para ofender o colega de trabalho, Oscar Filho, o primeiro a cobrir o caso para a Band. Neste momento os ânimos ficaram exaltados.

Começou dentro do Parlamento um bate-boca e um empurra-empurra, envolvendo inclusive outros vereadores contra a equipe da Band. Cerca de 8 Guardas Municipais tentaram impedir o trabalho da imprensa. Muitos curiosos também chegaram a aumentar o volume da confusão e todos foram postos para fora do prédio.

Taís Coutinho foi levada por funcionários da Casa até os fundos, que não tem porta de saída. A presidenta Ana Lucia pediu reforço da polícia militar. Passaram-se 18 minutos, após o fim da sessão e surgem no local, além dos PM"s, cerca de 6 seguranças particulares da família Coutinho para escoltá-la.

Uma confusão se formou no pátio da Câmara com a presença de muitas pessoas. Instante depois, Taís saiu do prédio e o repórter do CQC insistiu em entrevistá-la, ele acabou levando um soco nas costas. Outros profissionais da imprensa local também foram empurrados pelos protetores da parlamentar que rapidamente saiu em um veículo sem abrir a bica.

A equipe do CQC deve permanecer até quinta-feira em Caxias. A missão é novamente tentar entrevistar o prefeito Leonardo Coutinho e o Secretário de Saúde Dr. Vinícius Araújo sobre as mais de 118 (número atualizado), mortes de bebês na Maternidade Carmosina Coutinho.

 

Fonte: Mano Santos

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas