• assinatura jornal

Notícias Corrente

29 de junho de 2016

Mais de 650 cirurgias encerram o Programa Olhar Bem com sucesso

Mais de 650 cirurgias encerram o Programa Olhar Bem com sucesso

O programa de mutirão de catarata Olhar Bem, feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre os dias 22 e 25 de junho, em parceria com a Prefeitura de Corrente, apresenta em números o resultado dos trabalhos realizados, embora dificilmente consiga representar a real grandeza do serviço prestado: foram 1.886 procedimentos, sendo destes, 653 cirurgias de catarata, atendendo a pacientes de todos os municípios do território da Chapada das Mangabeiras.

Na prática, muitas vidas mudaram, muitos problemas foram resolvidos e muitas lágrimas de emoção foram derramadas. Composto por uma equipe de cem operadores, o programa contou ainda com o apoio de mais sessenta profissionais da saúde do município de Corrente, além de profissionais de outras áreas, como arquitetos, eletricistas, pedreiros e equipe de apoio, totalizando mais cem pessoas, que se mobilizaram para dar suporte e fazer com que o programa funcionasse da melhor forma possível.

No dia 24, o programa recebeu a visita da vice-governadora Margarete Coelho e do secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, que conversaram pessoalmente com as pessoas beneficiadas. “Fiquei muito emocionada em escutar todos os depoimentos que presenciei, essa região é muito importante e precisa de um olhar especial. Estamos juntos para trabalhar pelo Piauí”, frisou a vice-governadora.

Para o secretário Francisco Costa, a melhoria de vida para as pessoas é gratificante. ”Não faltarão esforços do governo para facilitar o acesso à saúde de qualidade para a Chapada das Mangabeiras, devolver o olhar para essas pessoas, além de saúde é um projeto de cidadania”, reforça.

O prefeito Jesualdo ressaltou a importância do programa. “Para nós é uma satisfação muito grande participar desse evento. Esse programa provocou uma verdadeira revolução nessa região do sul do estado, pois ele é muito importante para a população e nós estamos prestando um serviço essencial em termos de política pública. Eu acredito em políticas públicas, como esta que está sendo executada aqui, porque ela atende a todos indistintamente. Todo mundo, como cidadão, tem direito a ter acesso a esse benefício. Parabenizamos a todos que tiveram acesso a esse benefício!”.

Das 653 cirurgias realizadas, 348 correspondem a pacientes do município de Corrente, um total de 54%. No próximo dia 16 de julho, uma equipe do programa retorna ao município para a realização das consultas de retorno dos pacientes operados, quando uma nova estrutura, em menor proporção, será montada para receber esses pacientes.

29 de abril de 2016

MP, Educação, Conselho Tutelar e Polícia debatem sobre violência

Ministério Público, Secretaria Municipal de Educação, Conselho Tutelar, Polícia Militar e Polícia Civil debatem sobre violência

A 1ª Promotoria de Justiça de Corrente promoveu na última terça-feira (26) uma reunião com a Secretaria Municipal de Educação de Corrente, Conselho Tutelar, Polícia Militar e Polícia Civil com o objetivo de tratar sobre ocorrências policiais envolvendo menores de idades, assim como violência e furtos em escolas. A reunião foi coordenada pela promotora Gilvânia Alves Viana.

A primeira questão debatida foram as inúmeras chamadas feitas ao Conselho Tutelar, algumas delas sem critério. A promotora esclareceu que o Conselho deve ser acionado somente quando houver casos em que os menores forem vítimas, ou por solicitação do delegado, quando as ocorrências forem encaminhadas à delegacia, normalmente quando os responsáveis não forem localizados.

A Secretária de Educação, Maria do Socorro Cavalcanti, por sua vez, destacou as inúmeras ocorrências de furtos e invasões sistemáticos às escolas, sendo que na maioria delas a comunidade sabe quem são os criminosos, mas têm medo de denunciar. “No período em que o delegado Rodrigo Morais esteve em Corrente, as ocorrências caíram bruscamente, pois ele tinha uma alta resolutividade nos casos. Depois disso a violência explodiu; todos os finais de semana, há mais de um ano, nós temos ocorrências e isso está acabando com o patrimônio das escolas”, colocou.

A gestora ponderou ainda que o município não tem condições de contratar vigias para o período noturno e finais de semana, já que para cumprir com a legislação trabalhista, teriam de ser no mínimo quatro por escola. “Estamos estudando a viabilidade de colocar monitoramento eletrônico nas escolas, mas até lá nós precisamos de uma parceria da polícia para evitar esses constantes arrombamentos”.

Por solicitação do Capitão Carlos, a Secretaria de Educação irá elaborar um relatório sobre as escolas que têm problemas com assédios de traficantes, usuários de drogas e problemas com furtos e arrombamentos. “Com esta lista, a Polícia Militar poderá realizar rondas nestas escolas, estar presente, agindo de forma preventiva, que é um dos focos da corporação”, pontuou.

O delegado Danilo Barroso destacou que pretende investigar as inúmeras ocorrências registradas, atuando efetivamente para a solução dos furtos e arrombamentos.

A promotora colocou ainda sobre a situação dos menores que circulam em casas noturnas, bares, eventos e shows, o que pretende combater de forma mais incisiva, o que foi apoiado pelo Capitão Carlos, que destacou a importância da atuação preventiva.

“No ano passado, juntamente com o Conselho Tutelar,  nós realizamos uma ação durante a Micareta e gostaria de contar com a parceria dos órgãos aqui presentes para realizar algum tipo de trabalho semelhante nos próximos meses. Lembrando que a permanência destes menores em ambiente noturno é proibida por lei e os estabelecimentos que forem flagrados vendendo bebida alcoólica para menores serão responsabilizados, assim como os responsáveis pelos menores”.

Ao final da reunião, a Secretária de Educação destacou que inúmeras ações têm sido realizadas nas escolas municipais sobre o combate e prevenção à violência, envolvimento da família e conscientização e solicitou à promotora a sua participação nas atividades, através de palestras, o que ela prontamente se disponibilizou a estar presente.

04 de abril de 2016

Município adere ao programa Piauí Digital, da Junta Comercial do Estado

Município de Corrente adere ao programa Piauí Digital, programa de modernização da Junta Comercial

Secretários, fiscais e servidores da prefeitura municipal de Corrente participaram, nesta quarta-feira (30), da apresentação do Projeto Piauí Digital, processo de modernização implementado pelo Governo do Estado, através da Junta Comercial do Piauí, que visa agilizar o processo de abertura de empresas no estado.

O objetivo é integrar todos os processos dos órgãos e entidades responsáveis pelo registro, inscrição, alteração e baixa das empresas, através de entrada única de dados e de documentos acessados via internet.

Na ocasião, o prefeito Jesualdo Cavalcanti assinou o Termo de Adesão do município de Corrente ao Sistema Integrador Estadual (SIGFÁCIL),  que viabiliza a integração à Rede Nacional para Simplificação do Registro e Legalização de Empresas e Negócios (Redesim).

De acordo com a Secretária de Orçamento e Finanças do município, Terezinha de Jesus, o sistema vai contribuir para uma melhora significativa no andamento dos processos de abertura das empresas. “Atualmente , por causa da burocracia, a abertura de uma empresa é um processo lento e burocrático. A partir da adesão do município ao sistema, a abertura de empresas poderá ser feita pelo contador de forma online na Junta Comercial, com emissão imediata do alvará provisório de 180 dias, durante o qual o empreendedor terá o tempo viável para providenciar as licenças sanitária, ambiental e do alvará definitivo. Sem dúvida é um grande salto para agilizar a abertura de empresas”, informa

Outros aspectos positivos pontuados pela gestora são a possibilidade de acompanhamento online do processo na JUCEPI; emissão de nota fiscal online para os gestores que abrirem as empresas a partir do funcionamento do sistema no município, a princípio; integridade dos cadastros das empresas dos municípios; diminuição da informalidade; aumento da receita e emissão da inscrição municipal, dentre outros.

Na próxima quarta-feira, 6 de abril, servidores, fiscais e contadores do município participarão de um treinamento com a equipe Piauí Digital, que habilitará os diversos agentes a trabalharem com o sistema. 

02 de abril de 2016

Prefeito E comitiva vistoriam diversas obras da municipalidade

Prefeito Jesualdo Cavalcanti e comitiva vistoriam diversas obras da municipalidade

O prefeito Jesualdo, acompanhado pela secretária de Educação, Maria do Socorro Cavalcanti, pelo secretário de Urbanismo e Trânsito, Narciso Amaral, secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Ubirajara Carvalho, e demais comitiva, vistoriaram diversas obras da municipalidade na manhã dessa quinta-feira (31).

No bairro Morro do Pequi, a equipe esteve na escola Luiz Avelino, que acaba de ser reformada e ampliada. Além da construção de uma nova cantina com depósito, os banheiros foram totalmente reformados, assim como diversas salas que tiveram sua estrutura reformada. A entrada da escola passou a ser pela rua transversal à escola e não mais pela rua principal do bairro, garantindo segurança aos estudantes.

A obra de reforma do prédio do Terminal Rodoviário Sebastião Barros também foi vistoriada. De acordo com o secretário Narciso Amaral, a realização da reforma foi necessária para corrigir alguns equívocos da última ampliação do prédio. "A ampliação do imóvel não foi devidamente realizada, por isso algumas paredes racharam. Na vistoria técnica que realizamos, foi constatado que a estrutura original do imóvel não havia sido afetada e estamos seguros de que a reforma irá sanar todos os problemas", informa.

No antigo Cibrazen, o prefeito vistoriou o início das obras que transformarão o espaço num Centro Cultural, discutindo detalhes e modificações que serão realizadas na estrutura do prédio. Após a reforma, o prédio abrigará a Escola Municipal de Música, Dança e Artes Cênicas, biblioteca digital, auditório multifuncional com capacidade mínima para 200 pessoas, além da praça externa, com um palco para realização de eventos ao ar livre.

O calçamento da rua Albert Sabin, no bairro Aeroporto, também recebeu a visita do prefeito e comitiva, que conversaram com o empreiteiro responsável pela execução da obra.

Por fim, o gestor esteve na obra da nova Unidade de Saúde do Centro, que se encontra bastante adiantada, assim como da nova sede do CRAS.

01 de abril de 2016

Acessibilidade no centro comercial é discutida em audiência pública

Acessibilidade no centro comercial de Corrente é discutida em audiência pública

O conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (COMUDE), em parceria com o Instituto Federal do Piauí e com a Prefeitura Municipal de Corrente, promoveram na manhã desta terça-feira (29) uma audiência pública, no plenário da Câmara de Vereadores, para discutir sobre acessibilidade no centro comercial de Corrente e as possíveis diretrizes a serem tomadas para a melhoria da mobilidade urbana.

O Ministério Público marcou presença da reunião, a APAE, a Associação Comercial e Industrial do Extremo Sul do Piauí (ACIESPI), o Executivo municipal, a Câmara de Vereadores, a Polícia Militar, assim como diversos estudantes do Instituto Federal do Piauí.

O presidente do COMUDE, Paulo Henrique Dourado, destacou a importância da audiência para a luta pelos direitos das pessoas com deficiência. “A realização dessa audiência é a realização de um sonho, pois ela representa o marco inicial da verdadeira mudança que queremos para a cidade de Corrente. A garantia dos direitos da pessoa com deficiência não é um favor, é um direito assegurado por lei e nós queremos que essa lei seja cumprida!”, enfatizou.

O professor de Educação Física do IFPI, Leonardo Coelho, na ocasião representando a instituição, explanou acerca da pesquisa desenvolvida com os alunos que realizou um levantamento das condições de acessibilidade no centro comercial da cidade. “De forma geral, a maioria dos estabelecimentos comerciais de Corrente não está adaptada para a acessibilidade das pessoas com deficiência. A mentalidade predominante é de que a adaptação envolve muitas mudanças para beneficiar apenas uma, duas ou três pessoas. Bastaria apenas uma pessoa para que fosse necessário; caso contrário, nós estamos contribuindo de forma substancial para a incidência de depressão entre elas, conforme comprovação de resultados científicos, dado o isolamento social. A forma de nós mudarmos essa situação é através de discussões como essa, levadas a sério”, destacou.

A Promotora de Justiça, Gilvânia Alves Viana, apresentou a legislação vigente que garante os direitos das pessoas com deficiência. “Respeitar os deficientes é reconhecer que eles têm os mesmos direitos que nós; é ter uma série de cuidados para que eles não sejam excluídos do nosso convívio e a acessibilidade faz parte desse respeito. Ela significa, para essas pessoas, o acesso aos bens e serviços disponíveis para os cidadãos comuns e para isso o Congresso Nacional aprovou uma legislação que garante esse respeito e o Ministério Público tem trabalhado assiduamente para que essa legislação seja respeitada por todos”.

O procurador do município, João Augusto Paranaguá e Lago, destacou que, mais do que seguir e fiscalizar o cumprimento da legislação, garantir a acessibilidade é uma questão de conscientização. “A constituição física do centro comercial de Corrente, pela sua falta de planejamento, favorece a exclusão das pessoas com deficiência. Mas não basta que a sociedade seja fiscalizada e cobrada, ela precisa mudar a sua forma de pensar, iniciando pelo cidadão comum, que deveria, por exemplo, respeitar as vagas de estacionamento exclusivas para deficientes, para começar. A prefeitura tem contribuído desde o início dessa gestão, criando a Gerência de Inclusão da Pessoa com deficiência e adaptando os prédios públicos para garantir a acessibilidade, mas a sociedade também precisa participar”, colocou.

A aluna do IFPI, Ana Beatriz Souza, lembrou da responsabilidade de todos para a garantia da acessibilidade das pessoas com deficiência. “Mais do que a nossa obrigação legal, nós temos o dever como cristãos de ajudar e garantir a acessibilidade”, enfatizou.

O presidente da ACIESPI, Fabiano Fernandes de Melo, declarou que os comerciantes de Corrente promoverão discussões para viabilizar as modificações necessárias no centro comercial, de forma a ampliar a acessibilidade. “A Associação, que acaba de iniciar seus trabalhos, está à disposição. Todos nós queremos garantir a acessibilidade; nossa cidade precisa de muitas melhorias nesse sentido e faremos o possível para mudar a atual situação”.

O vice-presidente do COMUDE, o estudante de Direito Apolo Louzeiro da Cunha Louzeiro, que é deficiente visual, parabenizou as instituições pela iniciativa da audiência. “Como estudante de Direito, eu sinto a necessidade de discutir a acessibilidade das pessoas com deficiência. Precisamos da colaboração de toda a sociedade, nós já temos algumas conquistas aqui na cidade, mas nós precisamos de mais. Corrente não foi constituída pensando nas pessoas com deficiência, mas as melhorias devem ser feitas para permitir que toda a comunidade participe da vida em sociedade”, defendeu.

O vereador Dionízio Júnior falou acerca da Lei Municipal 457/2009, de sua autoria, que incentiva a construção de calçadas na cidade de Corrente.
O Secretário Municipal de Urbanismo e Trânsito, o arquiteto Narciso Amaral, falou sobre a situação física do centro comercial, a legislação vigente e as possibilidades de adaptações para garantir a acessibilidade. Narciso deu ênfase ainda à necessidade de uma mudança cultural. “Todos nós precisamos pensar em nós mesmos no futuro e partir disso começar a repensar como iremos projetar os imóveis de forma a atender as nossas possíveis necessidades. Precisamos sair de nossas “ilhas” pessoais e nos conectarmos a realidade da qual poderemos fazer parte”, colocou.

A audiência pública seguiu com a participação da comunidade, através de perguntas e colocações acerca da acessibilidade e as necessidades de mudança cultural no município de Corrente.

A partir das sugestões e colocações feitas durante a audiência, será elaborado um documento, que será assinado por todos os órgãos e instituições representados, para traçar uma meta de ações a serem executadas no município.