• assinatura jornal
Gilbués

Chuvas aliviam o sofrimento em municípios do Extremo Sul do Piauí

Gilbués

15/11/2017 09:31h - Atualizado em 15/11/2017 09:39h

As chuvas dos últimos dias na região do Extremo Sul do Piauí, foram suficientes para começar a mudar o cenário da paisagem seca e cinzenta da caatinga e do cerrado, que aos poucos, já está sendo substituída por uma nova relva em matizes verdejantes.

A vida multicolorida que alegra nossos campos já começa a brotar, cobrindo a terra com vegetação que serve de alimento para os animais neste sertão de solo esturricado.

Em muitas comunidades, de Cristalândia a Manoel Emídio, de Santa Filomena a Avelino Lopes, as aguadas começam a encher novamente, o que faz renovar a esperança dos produtores rurais.

Em Cristalândia a chuva chegou após oito meses de seca, alagou ruas, encheu barragens e amenizou a situação de milhares de famílias que estavam sendo abastecidas por caminhão pipa. 

Em Morro Cabeça no Tempo e Curimatá a situação não era diferente. Vários caminhões pipa percorriam centenas de quilômetros diariamente para abastecer a população sedenta. Estes municípios não tinham água sequer para a labuta doméstica. Em algumas localidades na zona rural o lombo do jegue era o transporte mais eficiente.

Em Avelino Lopes, onde a chuva mais demorou de chegar, não chovia a nove meses. Por lá, a situação era preocupante; o gado magro e as pastagens muito seca tirava o sono de muita gente.

Em Corrente, Sebastião Barros e Parnaguá a chuva foi um alívio para os criadores de gado que nos últimos anos reduziram os rebanhos para diminuir os prejuízos.

Estas cidades sofreram um forte impacto no comércio de gado devido à longa estiagem. A principal reação será percebida na produção do leite e seus derivados que aumentará significativamente nas próximas semanas; o gado leiteiro já se alimenta da nova vegetação, ganhando peso e produzindo mais do precioso e nutritivo alimento.

Em Bom Jesus, Palmeira do Piauí, Currais, Gilbués e Santa Filomena cada pingo no chão representava a esperança de dias melhores, renovando a fé dos produtores de grãos e dos trabalhadores da agricultura, significando o aumento da oferta de emprego na região com o início do plantio da safra 2018.

Com a chegada das chuvas as esperanças se renovam, principalmente, para quem se mantém da renda da agricultura familiar.

A expectativa é de que em breve aumente a produção de frutas, legumes e outros alimentos como: mandioca, o milho e o feijão, amenizando a fome na região.

A chuva é a beleza e a alegria do sertão. O semblante de alegria já visível no rosto de cada cidadão do extremo sul piauiense.

Fonte: Fort Notícias
Edição: Henrique Guerra
Por: Henrique Guerra

Deixe seu comentário