• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Luzilândia

Agricultores acompanham beneficiamento de caju

. A atividade faz parte das metas da Chamada Pública 101

05/09/2012 11:46h

Cerca de 200 agricultores do município de Luzilândia acompanharam, neste fim de semana, o processo de beneficiamento do caju. A atividade, coordenada pelo escritório regional do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí (Emater), contemplou agricultores de 10 comunidades do município. A atividade faz parte das metas da Chamada Pública 101, proposta pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para o território.

Dentro da Programação do "Dia de Campo" os agricultores participaram de oficinas comandadas por agrônomos e técnicos que passaram informações desde a abertura e adubação da cova, espaçamento, tratos culturais e fitossanitários, colheitas a processamento da polpa que vai desde o processo de como fazer a cajuína, industrialização da polpa, de como fazer o doce, rapadura e outros produtos da polpa do caju.

A extensionista social da Emater, Marcia Mendes, explica que a Chamada Pública 101 é uma nova modalidade de extensão rural, porque trabalha não somente a questão econômica. "O diferencial é que a gente trabalha a família do agricultor, considera a unidade de produção como todo, onde a mulher e os filhos jovens também são parte dessa geração de renda não visando apenas o processo econômico, mas também visando o aspecto social e cultural", afirma.

O técnico agrícola Antônio de Pádua explica que dentro do processo que se estende a visita às famílias e palestras nas comunidades os agricultores são incentivados e auxiliados a ter acesso às politicas de mercado, no intuito de potencializar a produção agrícola familiar como o Programa Nacional de Aquisição de Alimento- PAA .

"Nós como técnicos também incentivamos os agricultores para que tenham acesso a essas politicas publicas do governo federal que dão suporte a essas unidades, para isso eles precisam se organizar e conhecer essas oportunidades, é claro que eles não vão deixar de plantar o arroz, o feijão, a mandioca, mas precisam enxergar outras potencialidades que possam gerar renda", afirma.

Fonte: LuzilândiaPiauí

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas