• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Parnarama

Direito de Resposta - Matéria sobre creches

Direito de resposta

02/09/2015 09:33h - Atualizado em 02/09/2015 09:51h

A educação no município de Parnarama tem melhorado significativamente nesses dois anos e meio de mandato do Prefeito Dr. David Carvalho.  A carência de espaço adequado e sucateamento dos prédios escolares era uma triste realidade quando recebemos o município em 2013, especialmente para a Educação Infantil. 

Os prédios das duas creches que havia eram apenas galpões com piso de cimento bruto onde os alunos ficavam amontoados. Ao assumirmos, Imediatamente cuidamos de melhorar essa situação e a oferta de vagas,  alugando prédios para funcionarem como anexos objetivando atender ao maior número possível de crianças.

Dentre as possíveis melhorias almejadas pela atual gestão, buscamos proporcionar primeiramente espaços adequados para o ensino. Quando o município foi contemplado com duas creches do programa PROINFANCIA do Governo Federal, uma Tipo C– para o Povoado Paiol do Centro e outra Tipo B para o Bairro Agrovema, ficamos felizes pois teríamos espaços com padrão MEC de qualidade,  que atenderiam a demanda naquelas localidades. 

Ao final de 2013 fizemos a adesão ao Pregão Nacional para construção das duas creches com Metodologia Inovadora (pré-moldados), seguindo orientações do MEC e da empresa ganhadora da licitação nacional – MVC – COMPONENTES PLÁSTICOS sediada no Paraná, (ganhadora do pregão para atender Maranhão e Piaui)  que nos garantiram  que as creches estariam prontas em seis meses. A  contrapartida do município foi a doação do terreno e terraplenagem. 

A empresa, que foi licitada pelo Governo Federal – portanto, sem qualquer vínculo com o município - deu inicio a construção da creche do bairro Agrovema e já havia colocado material na do povoado Paiol do Centro. Aguardamos ansiosos pela construção dos prédios e aos poucos fomos observando que a empresa não conseguiria dar continuidade. Pararam a construção da creche da Agrovema e retiraram parte do material da creche do Paiol do Centro. 

Foi alegado pela empresa MVC a falta de pessoal capacitado para aquele tipo de construção bem como vários problemas de gerenciamento da empresa, entre outros motivos não mencionados nem esclarecidos pela mesma. Mantivemos contato com seus dirigentes e engenheiros e também com técnicos do MEC (Ministério da Educação), que nos orientaram a fazer o distrato  com a MVC e informaram que em agosto seria disponibilizado uma aba no PAR (Plano de Ações Articuladas)  para as prefeituras que quisessem converter as obras para o sistema convencional (alvenaria) E assim foi feito e estamos aguardando a avaliação do MEC. O próximo passo será o município fazer nova licitação e construir as creches.

Sendo assim, embora a obra tenha sido empenhada pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e o dinheiro enviado para uma conta específica no município, este não poderia efetuar o pagamento da obra, na medida em que não foi finalizada. Dessa forma, faz-se mister informar ao autor da referida matéria, em respeito aos cidadãos parnaramenses e, em especial, em respeito ao trabalho desempenhado por tantos profissionais da educação infantil, então ignorados pela imperícia do noticiante em desconhecer e não informar-se sobre os fatos, que foram inclusive tratados em rede nacional pelo programa em TV aberta, Fantástico, que tratou sobre a problemática entre as empresas licitadas e o Ministério da Educação.  

É absolutamente improcedente a informação de que a realidade da educação básica no município corresponde ao descaso com nossos alunos. Sendo assim, convém esclarecer as conquistas da referida gestão municipal, Prefeitura e Secretaria de Educação. Em pouco mais de dois anos e meio, conseguimos inserir no ensino inúmeras crianças e adolescentes anteriormente não assistidos pelo sistema educacional municipal. 

Para tanto, também não negligenciamos o espaço físico das escolas, como supõe equivocadamente o Portal de notícias. Foram recentemente reformadas 15 Unidades Escolares e outras 05 já foram iniciadas por todo município, que se encontravam com estrutura física totalmente incompatível com a demanda de conforto, qualidade de aprendizado, e até mesmo de saneamento básico, numa situação precária e insustentável.

 Mas, obviamente, não é possível corrigir em apenas dois anos tantos atropelos da gestão anterior e tampouco erradicar tantas precariedades e sucateamentos no ensino municipal herdados desta. Sendo assim, não se pode negligenciar o trabalho de tantos profissionais empenhados em promover a melhoria da estrutura educacional do município com base em especulações sem fundamento ou qualquer tentativa de buscar as reais informações que comprovam a total desinformação dos autores que as noticiam.

A Prefeitura de Parnarama tão logo obtenha o resultado da avaliação do MEC ao pedido de conversão, tomará as providências necessárias para que as creches sejam construídas o mais breve possível, na tentativa de reverter todo o transtorno vivido. Enquanto isso, reformamos nossas creches recentemente, que estão atendendo de forma satisfatória a demanda do município. Estamos também providenciando o melhoramento das creches da zona rural. Em função da preocupação de que as creches não fossem construídas em tempo hábil, a gestão se empenhou ao máximo para otimizar a oferta de vagas nas creches enquanto as novas não fossem construídas.

Acreditando no nosso trabalho, fizemos de todo possível para amenizar o transtorno diante da problemática entre a empresa licitada e Governo Federal. Solicitamos, portanto, a retratação oficial do Portal, assim como do autor da matéria, que equivocadamente insinuou, diante do título “Educação Roubada” que o dinheiro havia sido retirado da conta e destinado para outros fins privados do Secretário Municipal de Fazenda. Este , sendo o ordenador das despesas, foi acusado gravemente com base em insinuações de cunho totalmente político, unilateral e irresponsável, sem qualquer preocupação em veicular a verdade ou em, pelo menos, buscar informações contundentes, o que deveria ser prática ética de qualquer jornalista de respeito.

EXTRATOS CONTA

CRECHES - ANTES E DEPOIS

 ESCOLA DO PAIOL DO CENTRO (ANTES DA REFORMA)

ESCOLA DO PAIOL DO CENTRO (DEPOIS DA AMPLIAÇÃO E REFORMA)

Fonte: Ascom

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas