• Marcas Inesquecíveis 2018 02/02
  • assinatura jornal 2018

Notícias Brasil

23 de fevereiro de 2018

PF cumpre no Rio mandados de prisão por desvio de recursos

A operação, chamada Jabuti, é um desdobramento da Operação Calicute, que investiga esquemas de corrupção envolvendo o ex-governador do Rio

Policiais federais fazem hoje (23) uma operação para investigar desvio de recursos da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ). Os agentes cumprem quatro mandados de prisão, sendo um de prisão preventiva e três de prisão temporária. Além disso, há dez mandados de busca e apreensão.

A operação, chamada Jabuti, é um desdobramento da Operação Calicute, que investiga esquemas de corrupção envolvendo o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, que está preso em Curitiba.

Além dos desvios de recursos, a Polícia Federal investiga crimes de lavagem de dinheiro e de pagamento de cerca de R$ 180 milhões em honorários advocatícios com recursos da Fecomércio.

Segundo as investigações da PF, pessoas ligadas à  Fecomércio-RJ estariam envolvidas em operações irregulares incluindo o desvio de recursos, lavagem de dinheiro e pagamento, com recursos da entidade, de vultosos honorários a escritórios de advocacia. Entre os escritórios beneficiados está o de Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral.

Também foi apurado que diversas pessoas receberam, por anos, salários da entidade, embora nunca tenham trabalhado na Fecomércio. “Algumas dessas pessoas, na verdade, trabalhavam para o ex-governador preso, e outras são familiares próximos de outros membros da organização criminosa”, diz a nota da PF.

22 de fevereiro de 2018

PSB apresenta exigências para apoiar Alckmin na disputa presidencial

Os dirigentes do partido listaram Estados onde reivindicam o apoio do PSDB aos candidatos do PSB aos governos.

A cúpula do PSB apresentou, na noite desta quarta-feira (21), suas condições para vir a apoiar o governador Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa presidencial. Reunido com o vice-governador de São Paulo, Márcio França (PSB), dirigentes do partido listaram Estados onde reivindicam o apoio do PSDB aos candidatos do PSB aos governos.
Entre os Estados, estão Espírito Santo e Tocantins, além do Distrito Federal. O comando do PSB também deseja o apoio do PSDB à candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda ao governo de Minas Gerais, mas enfrenta resistência do PSDB mineiro, que tem o senador Aécio Neves como principal líder.
Os dirigentes do PSB alegaram, durante a reunião, que nos Estados onde PSDB e PSB estão prestes a compor essa articulação acontecerá independentemente da aliança nacional, e que Alckmin deverá se empenhar mais para garantir apoio do partido à sua própria candidatura. Em outras palavras, enquadrar o tucanato onde o PSDB resiste a uma composição com candidatos do PSB.


Foto: Luis Blanco/ A2img

Alckmin, segundo o comando do PSB, também deveria se esforçar para melhorar a relação com o partido em Pernambuco, onde o PSDB faz frontal oposição ao governador, Paulo Câmara.
Segundo integrantes do PSB, Márcio França fez um relato de sua situação para a disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. Aos dirigentes do PSB, o vice-governador de São Paulo disse acreditar na candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria, ao governo do Estado. França afirmou não se incomodar com a hipótese de Alckmin ter dois palanques em São Paulo: o seu e o de Doria. 
França ficou encarregado de enviar o recado a Alckmin. Outra hipótese em discussão é o apoio à candidatura de Ciro Gomes (PDT). O lançamento do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa ao Palácio do Planalto foi considerada remota pela cúpula do PSB.

21 de fevereiro de 2018

Forças Armadas direcionaram Orçamento para ação no Rio de Janeiro

Meirelles acrescentou que o pedido deve vir das Forças Armadas, mais especificamente, do general Walter Souza Braga Netto, designado como interventor

As Forças Armadas estão redirecionando o próprio Orçamento deste ano para a ação no Rio de Janeiro, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. "Nós temos verbas disponíveis dentro do Orçamento para a ação das Forças Armadas no Rio de Janeiro. Até o momento não há nenhum pedido especifico de recursos adicionais", disse hoje (21) à jornalistas. 


Ministro Meirelles diz que o governo possui verbas disponíveis para ação das forças armadas no Rio (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Na segunda-feira (19), o ministro afirmou que, com o Orçamento de 2018 já no limite do teto de gastos, o governo federal terá que remanejar recursos de outras áreas para investir nas Forças Armadas, caso o Exército precise de mais dinheiro para atuar no Rio de Janeiro. Esses recursos podem ser usados, por exemplo, para combustível ou armamento. 

Meirelles acrescentou que o pedido deve vir das Forças Armadas, mais especificamente, do general Walter Souza Braga Netto, designado como interventor. Cabe ao estado do Rio de Janeiro manter os pagamentos usuais. "O Rio de Janeiro segue cumprindo com as suas despesas normais de pagamento dos policiais, do trânsito, do combustível dos veículos, da polícia. Isso não altera, continua normalmente", diz Meirelles. 

O ministro acrescentou que a pasta está trabalhando pela recuperação financeira do estado, por meio do Regime de Recuperação Fiscal dos Estados. O governo do estado recebeu um empréstimo bancário de cerca de R$ 2,9 bilhões a partir da penhora de ações da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro. 

Segundo o ministro, um novo empréstimo, que tem como garantia royalties do petróleo e deverá ser de aproximadamente R$ 1 bilhão, deverá ser feito ao Rio de Janeiro.

20 de fevereiro de 2018

STF deve livrar da cadeia mães com filhos até 12 anos

Habeas corpus pode definir também soltura de grávidas presas

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve conceder, nesta terça-feira, um habeas corpus que pode beneficiar 4.560 mulheres presas em todo o país. Em uma só ação, o Coletivo de Advogados em Direitos Humanos (CADHu) pediu a transferência para a prisão domiciliar de mulheres gestantes, lactantes, ou que tenham filhos de até 12 anos. O caso será julgado na Segunda Turma do STF, composta de cinco ministros. A tendência é a maioria conceder o habeas corpus, que atingiria apenas presas provisórias – ou seja, que ainda não foram condenadas. A discussão passará mais pelo direito das crianças de terem uma vida digna, do que pelo direito à liberdade das mães.

Se o resultado for mesmo esse, os ministros vão começar a discutir a hipótese de levar o assunto para o plenário, que é formado pelos onze integrantes da corte. A ideia é editar uma súmula vinculante para tornar regra que mulheres grávidas, ou com filhos de até 12 anos fiquem em prisão domiciliar. Mas a regra admitiria exceções. Ou seja, uma criminosa muito perigosa poderia ser levada para a cadeia nessas condições, se o juiz fundamentar o decreto de prisão com os motivos que o levaram a tomar essa atitude.

O assunto ganhou força recentemente, quando Jéssica Monteiro, de 24 anos, foi flagrada com 90 gramas de maconha e foi presa. Um dia depois, ela entrou em trabalho de parte em uma cela com condições insalubres. Foi levada a um hospital e, depois dias depois de ter parido, voltou a ser presa. Jéssica é ré primária e mãe de um menino de três anos.

O pedido de habeas corpus coletivo chegou ao STF em maio de 2017 e está sob a relatoria do ministro Ricardo Lewandowski. A ação era genérica, mas o ministro pediu que os estados enviassem os nomes e a quantidade de presas nessa situação, para que o habeas corpus pudesse beneficiar cada uma delas. Como os estados enviaram os números sem um padrão, não é possível saber ao certo quantas mulheres trocarão as celas pela prisão domiciliar no caso da concessão do habeas corpus de hoje.

Sabe-se, no entanto, o universo de mães de crianças de até 12 anos, gestantes e lactantes vivendo em prisões é de 4.560 mulheres. O número foi obtido pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM); o Instituto Terra, Trabalho e Cidadania (ITTC); e a Pastoral Carcerária Nacional. Segundo o levantamento, a quantia representa quase 10% do total de mulheres presas no país.

Mesmo com relatos de tortura e condições subumanas a que são submetidas algumas detentas nos presídios, o Ministério Público Federal é contra a concessão do habeas corpus coletivo. “Não se desconhece as condições carcerárias em que tais mulheres precisam se submeter. No entanto, o habeas corpus não pode ser utilizado como política pública prisional, nem para garantir 'direitos individuais homogêneos' ou 'direitos difusos'", argumentou o MPF, afirmando ainda que a conversão da prisão preventiva em domiciliar no caso de gestantes e mães não é um benefício automático.

19 de fevereiro de 2018

Justiça condena dupla que tatuou testa de adolescente no ABC Paulista

Rapaz que teve testa tatuada com frase 'Sou ladrão e vacilão' faz tratamento em clínica particular.

Os dois rapazes que tatuaram a testa do adolescente em São Bernardo do Campo com a frase "Eu sou ladrão e vacilão" foram condenados pelos crimes de lesão corporal gravíssima e constrangimento ilegal. A decisão foi proferida pelo juiz da 5ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo na sexta-feira (16). Eles estão presos desde 9 de junho de 2017.

Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 28 anos, recebeu pena de três anos de reclusão em regime inicial semiaberto pelo crime de lesão corporal gravíssima e de quatro meses e 15 dias de detenção em regime inicial semiaberto pelo crime de constrangimento ilegal.

Ronildo Moreira de Araújo, 30 anos, foi condenado a três anos e seis meses de reclusão em regime inicial fechado pelo crime de lesão corporal gravíssima e de cinco meses e sete dias de detenção em regime inicial semiaberto pelo crime de constrangimento ilegal.

Não foi concedido aos réus o direito de recorrer em liberdade.

Os dois são responsáveis por tatuar a inscrição "eu sou ladrão e vacilão" na testa de um adolescente, que hoje tem 18 anos. O crime, segundo informações da polícia, foi cometido na manhã do mesmo dia em que foram presos. Na ocasião do crime, o adolescente estava desaparecido desde 31 de maio.

Para o conselheiro do Condepe, Ariel de Castro Alves, "as penas são baixas para um caso que se tornou emblemático. Infelizmente a Lei dos Crimes de Tortura não foi aplicada."

Segundo ele, na tortura o cumprimento de pena inicial é sempre no regime fechado. Nas lesões corporais, pode ser semiaberto, dependendo do tempo de pena.

"A progressão de pena, na tortura precisa cumprir 2/5 para conseguir progredir de regime fechado pra semi aberto, por exemplo." Nas lesões corporais, basta cumprir 1/6 da pena, para poder ter progressão de regime.

Segundo Alves, os condenados já poderão pedir para sair da prisão, pois já estão presos há oito meses.

Vítima internada

Internado desde 13 de junho do ano passado em uma clínica para tratamento contra o vício de crack e álcool, na Grande São Paulo, o adolescente que teve a testa tatuada por dois homens em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, disse que vive um dia por vez e que perdoa os responsáveis pela marca que ainda carrega em sua pele.

“Estou aprendendo a viver. A gente tem de viver um dia de cada vez. Já sei o que posso fazer da minha vida: estudar, trabalhar e viver a vida como cidadão. Hoje sei o limite das coisas. Droga derrotou muito a minha vida e a da minha família. Não quero mais, não tenho mais vontade de usar, só quero ficar limpo e andar para frente”, disse ele.

Reféns são libertados após rebelião no presídio Milton Dias, em Japeri

Motim teve início após tentativa de fuga na tarde deste domingo (18). Bope e Choque foram acionados e três detentos foram baleados.

Terminou no início da madrugada desta segunda-feira (19) a rebelião no presídio Milton Dias, em Japeri, na Baixada Fluminense, que teve início após uma tentativa de fuga, na tarde de domingo (18). Um total de 18 reféns -- 8 agentes penitenciários e 10 internos -- que ficaram em poder dos detentos foram libertados.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), não há mais reféns em poder dos detentos e três armas, uma granada de efeito moral e uma lanterna, que estavam com os presos, foram entregues.

Antes da libertação, o Grupo de Intervenção Tática (GIT) da Seap entrou no presídio e três detentos foram baleados. Eles foram levados para o Hospital Pedro II e até 23h49 tinham quadro de saúde estável.

Os agentes foram abordados durante contagem dos presos por detentos com dois revólveres e uma pistola. A PM enviou para o local o Batalhão de Choque, o Bope e todos os batalhões da Baixada Fluminense. A orientação na corporação é que nenhum policial tem autorização para entrar na unidade.

O presídio Milton Dias tem capacidade para 884 detentos e mantinha, em janeiro, 2.027presos, segundo o Conselho Nacional de Justiça. Em outubro, o RJTV mostrou um esquema fraudulento que garantia privilégios para alguns dos detentos no Milton Dias.

'Medidas de controle'

A rebelião acontece no dia em que a Secretaria de Administração Penitenciária informou que antecipou 'medidas de controle' para evitar reações da população carcerária à intervenção federal na Segurança do Rio.

A secretaria não explicou quais foram as medidas, mas, segundo o jornal O Globo, a Seap decretou alerta máximo nas 54 unidades prisionais do estado, onde estão presos 51 mil detentos. A medida, ainda de acordo com a publicação, foi tomada para evitar possíveis tentativas de fuga, após a divulgação da notícia da intervenção federal na Policia Civil, na Polícia Militar, nos Bombeiros e na própria Seap.

Em nota, a Seap informou que "na tarde deste domingo, inspetores de segurança e administração penitenciária frustaram uma tentativa de fuga de internos" o que deu início a "um motim".

Ainda de acordo com a nota, "o secretário de Administração Penitenciária, David Anthony Gonçalves Alves ativou o centro de crise no Centro Integrado de Comando e Controle".

18 de fevereiro de 2018

10 órgãos abrem as inscrições nesta segunda para 1,1 mil vagas

Os cargos são de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ R$ 11.434,19.

Pelo menos 10 órgãos abrem nesta segunda-feira (19) as inscrições de concursos públicos para 1,1 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 11.434,19.

Veja as informações de cada concurso abaixo:

Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul)

  • Inscrições até 22/03/18
  • 3 vagas
  • Salários de até R$ 1.200,00
  • Cargos de nível fundamental e médio
  • Veja o edital

    Prefeitura de Anori (AM)

  • Inscrições até 23/02/18
  • 188 vagas
  • Salários até R$ 5.000,00
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

    Prefeitura de Corinto (MG)

  • Inscrições até 20/03/18
  • 134 vagas
  • Salários de até R$ 2.401,30
  • Cargos de nível fundamental, médio e superiorCorintoMinas Gerais
  • Veja o edital

    Prefeitura de Iranduba (AM)

  • Inscrições até 21/02/18
  • 259 vagas
  • Salário de R$ 1.357,20
  • Cargos de professores
  • Veja o edital

    Prefeitura de Nova Roma (GO)

  • Inscrições até 14/03/18
  • 98 vagas
  • Salários de até R$ 5.039,19
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

    Prefeitura de Pompéu (MG)

  • Inscrições até 20/03/18
  • 87 vagas
  • Salários de até R$ 4.767,47
  • Cargos de nível alfabetizado, fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

    Prefeitura de Santa Maria do Pará (PA)

  • Inscrições até 18/03/18
  • 203 vagas
  • Salários de até R$ 2.144,14
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

    Serviço de Assistência Médica de Francisco Morato (SP)

  • Inscrições até 23/03/18
  • 46 vagas
  • Salários de até R$ 11.434,19
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

    Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

  • Inscrições até 12/03/18
  • 61 vagas
  • Salários de até R$ 4.180,66
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

17 de fevereiro de 2018

Horário de verão termina neste fim de semana no Brasil

Ajuste deve ser feito por moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

horário de verão, em vigor desde outubro do ano passado, acaba na primeira hora deste domingo (18). À meia-noite entre sábado e domingo, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem atrasar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Com isso, o horário no leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia fica 1 hora "atrasado" em relação a Brasília, enquanto oeste do Amazonas e Acre ficam 2 horas atrás.

Economia de energia

O horário de verão foi instituído com o objetivo de economizar energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar.

A medida foi usada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte.

O governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão neste ano, depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia indicou que o programa vem perdendo efetividade. A análise mostrou que a intensidade de consumo de energia elétrica estava mais ligada à temperatura do que ao horário, com picos nas horas mais quentes do dia.

Porém, o Brasil enfrenta um período de estiagem, com hidrelétricas com níveis de água reduzidos, o que vem obrigando o governo a ligar as termelétricas (de operação mais cara) e até mesmo a importar energia de outros países.

Começa mais tarde

O presidente Michel Temer acabou editando um decreto que reduz a duração do horário de verão, e não o elimina. Assim, neste ano, ele começará em 4 de novembro, um fim de semana após o segundo turno das eleições, marcado para 28 de outubro.

A mudança foi um pedido do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, para evitar atrasos na apuração dos votos e na divulgação dos resultados do pleito. Um dos exemplos citados pelo tribunal foi o Acre, onde as urnas são fechadas três horas depois de a contagem de votos já ter sido iniciada nas regiões Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste.

Fórum Mundial da Água acumula 15 mil sugestões de debate

O interesse da sociedade em debater o tema é resultado da importância que a questão da água vem ganhando no mundo

Faltando 30 dias para a abertura do 8º Fórum Mundial da Água, evento que, em março, transformará Brasília no centro dos debates sobre recursos hídricos do planeta, a participação da sociedade já é grande. Além dos 1.300 palestrantes, das autoridades de 110 países e dos 5 mil inscritos para o evento, cerca de 40 mil pessoas de dezenas de países enviaram contribuições aos organizadores e 15 mil sugestões foram apresentadas por meio da ferramenta Sua Voz, disponível no site do evento.

O interesse da sociedade em debater o tema é resultado da importância que a questão da água vem ganhando no mundo. Em entrevista exclusiva à Agência Brasil, o diretor de Operações do Fórum, Rodrigo Cordeiro, disse que, a partir das crises hídricas que têm ocorrido com frequência no Brasil e em outras partes do mundo, houve uma tomada de consciência maior tanto das autoridades quanto dos consumidores. “A questão da água entrou na pauta da sociedade”, afirmou.

Além disso, organizações não governamentais (ONGs) e a sociedade organizada também se mobilizam para participar do Fórum Mundial. Segundo a coordenadora do projeto Observando os Rios, da Fundação SOS Mata Atlântica, Romilda Roncatti, em mensagem no Facebook do Fórum, estão mobilizados mais de 50 voluntários de 17 estados para participar do 8º Fórum Mundial da Água, dispostos a mostrar os resultados desse trabalho.

Montagem da estrutura

Com o tema Compartilhando Água, o 8º Fórum Mundial ocorrerá de 18 a 23 de março em dois espaços. O Centro de Convenções Ulysses Guimarães será palco dos debates, das palestras e das sessões temáticas. Enquanto isso, o Estádio Nacional Mané Garrincha abrigará a Expo (restrita aos participantes do fórum), a Feira e a Vila Cidadã (aberta ao público em geral).

A montagem dos espaços está adiantada. Na área do Estádio Mané Garrincha, trabalham 100 pessoas desde o dia 5 deste mês, entre montadores, produtores, arquitetos e assessores. Em apenas 10 dias, dos 38 mil metros quadrados (m2) do espaço, quase a metade do piso (16,5 mil m2), e 3 mil m2 da cobertura metálica estão prontos. A previsão é que a montagem seja concluída até 5 de março. No Centro de Convenções, a implantação da estrutura começa no próximo dia 26.

Espaços do Fórum

A Vila Cidadã, uma das grandes atrações do fórum, terá atividades interativas voltadas para a construção de diálogos com a sociedade, com exposições lúdicas repletas de tecnologia, palestras, cinema e apresentações artísticas. É um espaço aberto a todos que quiserem participar e incentivar debates voltados para aumentar o uso consciente da água.

Na Feira do Fórum, o acesso também é livre ao grande público e instituições apresentarão o que pensam e fazem em prol da água. É uma vitrine para produtos, serviços e soluções entre empresas públicas e privadas, consumidores, organizações não governamentais, sociedade e interessados no tema.

Já a Expo, com acesso exclusivo aos inscritos no fórum, será um local para países e organizações mostrarem produtos e serviços para outras empresas, governos, países, estados, municípios e universidades.

Serviço

A Vila Cidadã e a Feira funcionarão a partir do dia 17 de março, um dia antes da abertura oficial do evento, sempre das 9h às 22h. Por meio do site do evento – www.worldwaterforum8.org - é possível baixar no celular o aplicativo Water Forum 8, conhecer a programação e fazer a inscrição, além de acessar outras informações do evento.

O Fórum Mundial da Água é organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC); pelo governo federal, com o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Nacional das Águas (ANA); e pelo governo do Distrito Federal, pela Agência Reguladora de Águas e Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa).

Polarização e crise influenciam postura do eleitor para eleições em 2018

Para Bruno Mello Souza, doutor e mestre em Ciência Política, a tendência da negação aos partidos e políticos tradicionais é bastante forte neste pleito.

Após quatro anos de polarização e crise, os brasileiros voltarão às urnas e o cenário eleitoral permanece embaralhado. É certo que fazer qualquer exercício de previsão no Brasil tem sido um desafio considerável, porém os mais de 30 anos de redemocratização do país deixam a cargo de uma peça principal o que esperar do Brasil nos próximos quatro anos: o eleitor. É a autonomia da vontade popular que escolherá, mais uma vez, os representantes da população em níveis federal e estadual. E a grande pergunta é: como este eleitor irá às urnas? Nesta reportagem, ODIA escutou especialistas de diferentes áreas e os protagonistas deste pleito para debater que cenário pode se esperar das eleições de 2018.

Para Bruno Mello Souza, doutor e mestre em Ciência Política, o ambiente que envolve o eleitorado brasileiro para o pleito de 2018 é de descrença em relação aos políticos e às instituições. Isto porque, como explica o pesquisador, o eleitorado brasileiro foi se irmando, ao longo do tempo, à margem da real participação política no país.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

“É um eleitorado que, em grande parte, costuma votar em pessoas, deixando partidos em segundo plano, e inclusive a ter certo orgulho disso. Em comparação com 2014, a eleição de 2018 tende a, novamente, gravitar em torno do petismo/antipetismo. O que muda é que se antes o PSDB aparecia como uma força vista como antagônica ao PT, hoje ele é visto como mais do mesmo”, destaca Bruno. Para o pesquisador, a tendência da negação aos partidos e políticos tradicionais é bastante forte. “É difícil prever antes de as peças se posicionarem devidamente no tabuleiro e sem o desenvolvimento da campanha, que segue uma dinâmica muito própria. Porém, mais do que nunca, está posta a oportunidade de êxito de uma candidatura "outsider", ou que pelo menos tenha capacidade para se vender como tal, e captar o espírito de insatisfação vindo do "clima de opinião" existente no país”, afirma.

Outsider é a expressão em inglês usada para definir aquele perfil ‘fora’ da tradicional figura do político. O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa define o outsider como a “pessoa que não pertence a determinado grupo; estranho, intruso, forasteiro”. Encaixam-se nesse parâmetro, por exemplo, nomes que já foram ventilados para a disputa eleitoral de 2018 como João Doria, Henrique Meirelles, Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, que se colocam em um certo padrão do ‘antipolítico tradicional’ e querem mostrar-se diferentes de tudo o que está aí.

Mas na disputa eleitoral que se avizinha, o cenário é plural. Existe o líder nas pesquisas, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva - em uma situação legal precária, e um presidente impopular, que terá dificuldades para influenciar diretamente na escolha do seu sucessor. Em crescente ascensão, encontra-se Bolsonaro a se agigantar por, entre muitos aspectos, insistir em um discurso moralista e com base em pontos chaves no país: a segurança.

“Numa eleição pautada por tantas incertezas e interrogações, a certeza que podemos ter é de que a polarização deve dar a tônica da decisão do eleitorado. Porém, por mais paradoxal que pareça à primeira vista, isso não significa que um discurso moderado não possa colher seus frutos nesse cenário. Há várias formas pelas quais essa polarização pode se materializar na disputa política real. Mesmo que um discurso desse tipo, por si só, dificilmente atraia uma grande parcela do eleitorado, poderia jogar todas as fichas na possibilidade de surgir como "mal menor", como negação de uma força que não se queira ver no poder, como catalisador dos temores de lado a lado. Em suma, alguém que conseguisse aparecer como "menos pior que o PT" para quem hoje prefere Bolsonaro e "menos pior que Bolsonaro" para quem hoje votaria no PT. Esse é o proveito que se poderia tirar”, analisa.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Democracia como solução

Apesar da conturbação que continua a ser o atual cenário político do país, o pesquisador Bruno Mello avalia que a real efetivação da democracia, com diálogo e participação popular, pode dar impulso para mudanças e reais melhorias.

“Na posição de analistas, nos deparamos também com as aflições e desencantamentos de um cená- rio político desolador. Mas devemos canalizar as mudanças que queremos por dentro da democracia. É pela educação, pela informação, pelo exercício da cidadania, que cada um de nós deve promover transformações no atual estado de coisas. Um primeiro passo para isso, provavelmente, seja desarmar os ânimos”, comenta.

Bruno finaliza reafirmando que ouvir o contraditório, dialogar e sair dos ataques vazios para chegar a consensos - mínimos que sejam - poderão levar toda sociedade a uma situação mais propositiva. “A divisão dos de baixo só contribui para que os de cima permaneçam em suas zonas de conforto, trocando favores e utilizando o patrimônio público para fins privatistas. Essa lógica perversa só pode ser revertida pela atuação democrática e cidadã da população”, finaliza.

Fake News podem influenciar rumos na política

As chamadas Fake News, notícias falsas, tornaram-se uma epidemia que percorre o mundo inteiro. Com o próximo pleito eleitoral, um perfeito campo de batalha se forma para que os embates políticos se tornem cada vez mais acalorados – e distorcidos. Desde o processo que acabou no impeachment da presidenta Dilma Rousseff, por exemplo, os jogos de informações inverossímeis se propagaram na internet fazendo a já indicada polarização se fortalecer.

 O jornalista e webdesigner, Marcos Sávio, explica que a prática não é tão moderna quanto se acredita, mas tem se ampliado e preocupa em um contexto de eleições. “A Fake News sempre existiu, mas com o advento da internet, ela se potencializou. Mas efetivamente não é uma novidade. Joseph Goebbels, ministro das propagandas nazistas, era um especialista neste assunto. Ele manipulou a sociedade com vídeos falaciosos, de conspiração contra a Alemanha para ganhar a simpatia do povo. É dele a famosa frase “Uma verdade dita mil vezes torna-se verdade” - o termo é a essência do Fake News”, considera.

Principalmente nas redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e dispositivos de mensagens instantâneas como o Whatsapp, as notícias falsas circulam em uma proporção assustadoramente veloz. No Twitter, tam- b é m são usados robôs, também conhecidos como bots, que são programas capazes de mover centenas de perfis nas redes sociais que aparentam ser de pessoas.

“Para a maioria das pessoas, é mais fácil compartilhar uma notícia falsa quando a notícia vai ao encontro do que ela acredita. Por exemplo, se uma pessoa de “Direita” recebe uma informação que denigre a imagem da “Esquerda”, dificilmente ela fará uma análise do conteúdo com responsabilidade e certamente passará para a frente, sem avaliar se é verdadeira ou não”, alerta Marcos.

No Brasil, ainda não há punição específica e nem lei para desestimular esta propagação de Fake News.

Lavrador líder de rede de pedofilia é preso após investigação

Homem foi encontrado em Eldorado, cidade de pouco mais de 15 mil habitantes, no interior de São Paulo

Um lavrador de 35 anos foi preso em Eldorado, na região do Vale do Ribeira, interior de São Paulo, após uma investigação conjunta entre as polícias do Brasil e da Espanha o apontarem como um dos responsáveis por manter uma rede de pedofilia internacional. Estima-se que ele tenha compartilhado 10 mil imagens ilícitas.

Policiais federais da Delegacia de Santos, no litoral de São Paulo, responsável pela região, cumpriram dois mandados de busca e apreensão em endereços do alvo na sexta-feira (16). Contra o homem, cuja identidade não foi revelada para não atrapalhar as investigações, havia uma ordem de prisão preventiva estabelecida pela Justiça.

As investigações começaram após um alerta das autoridades espanholas à Polícia Federal brasileira nos últimos meses. Os órgãos identificaram que o suspeito integrava uma rede responsável por compartilhar vídeos e fotos contendo pornografia infantil, como também era considerado um dos líderes desse grupo.

Pelo celular, conectado à internet, o lavrador recebia e enviava conteúdo a pessoas espalhadas pelo mundo em uma rede social. As investigações apontaram que o lavrador, que é casado com uma jovem de 18 anos e tem um enteado bebê, integrava, ainda, outras comunidades semelhantes que possuem o mesmo objetivo.

Em depoimento à Polícia Federal, ele admitiu que compartilhava o material, mas negou ser líder dos grupos, o que o tornaria capaz de administrá-los. O homem justificou que, para atingir esse patamar nessas comunidades, teria primeiro que produzir imagens próprias com crianças e adolescentes e, então, publicá-las.

A partir disso, mesmo com a negativa do lavrador de que fotografou e gravou conteúdo, os policiais federais passam a investigar eventuais vítimas dele na região do Vale do Ribeira. Há a suspeita de que ele tenha estuprado menores de idade, mas a confirmação dependerá da prova testemunhal de jovens.

Também serão analisados os materiais apreendidos nos endereços relacionados ao investigado, assim como o celular. Após ser encaminhado à Delegacia da Polícia Federal em Santos, o homem foi levado à Penitenciária 1 de São Vicente, também no litoral paulista, onde permanece preso sem previsão de liberdade.

16 de fevereiro de 2018

Governo federal decide decretar intervenção na segurança pública do RJ

Decreto será publicado nesta sexta-feira (16), segundo o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Decisão foi tomada em meio à escalada de violência na capital carioca

presidente Michel Temer decidiu decretar intervenção na segurança pública no Estado do Rio de Janeiro. O decreto deve ser assinado no início da tarde desta sexta-feira (16).

Com essa medida, as Forças Armadas assumem a responsabilidade do comando das Polícias Civil e Militar no estado do Rio. A decisão ainda terá que passar pelo Congresso Nacional.

Durante a intervenção, a Constituição Federal não pode ser alterada, o que pode afetar o andamento a reforma da Previdência, que é uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e tem votação marcada para a semana que vem.

Dentro do governo, foi discutida a hipótese de suspender a intervenção durante a votação da Previdência, e depois retomá-la. Mas ainda não há definição sobre essa estratégia.

A decisão foi tomada após reunião de emergência no Palácio da Alvorada, na noite de quinta-feira (15). A intervenção na segurança teve a anuência do governador Luiz Fernando Pezão.

Temer designou também que o General Walter Souza Braga Neto, do Comando Militar do Leste, será o interventor. Ele foi um dos responsáveis pela segurança durante a Olimpíada do Rio, em 2016.

O Congresso Nacional será convocado para apreciar o decreto, como prevê a Constituição. Cabe agora ao presidente do Congresso, Eunício Oliveira, convocar em até 10 dias a sessão para que Câmara e Senado aprovem ou rejeitem a intervenção.

A reunião foi longa. Estavam no Palácio da Alvorada o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, os ministros Raul Jungmann, da Defesa, Torquato Jardim, da Justiça, Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional, Henrique Meirelles, da Fazenda, Dyogo Oliveira do Planejamento e Moreira Franco, da secretaria geral da presidência. Além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia e do senado, Eunício Oliveira.

Participantes do encontro relataram que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi, inicialmente, contrário a essa solução para a escalada da violência no Rio. Mas depois foi convencido a aceitar a decisão já que o próprio governador estava de acordo.

O texto do decreto foi escrito durante o encontro. Eunício Oliveira disse que, até o fim da reunião, não ficou estabelecido o período que a intervenção vai durar.

Violência no RJ

A reunião, logo após o carnaval, ocorreu em meio à escalada de violência registrada no Rio de Janeiro. Houve arrastões, assaltos nos blocos, pessoas foram roubadas a caminho da Sapucaí, saque a supermercado, entre outros crimes, da Zona Sul até a Zona Norte da capital. Além disso, três PMs foram mortos durante o carnaval.

O governador Luiz Fernando Pezão admitiu que houve falha no planejamento de segurança. "Não estávamos preparados. Houve uma falha nos dois primeiros dias, e depois a gente reforçou aquele policiamento. Mas eu acho que houve um erro nosso", disse na quarta-feira (14).

15 de fevereiro de 2018

Youtuber baleada no Paraná tem morte cerebral confirmada

Isabelly Cristine Santos, de 14 anos, foi atingida por um tiro na cabeça depois de uma 'fechada' no trânsito; órgãos vão ser doados.

modelo e youtuber Isabelly Cristine Santos, de 14 anos, teve a morte cerebral confirmada na noite de quarta-feira (14), no Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá. A informação foi relatada pelo médico Marcelo Sader. O diagnóstico saiu por volta das 22h.

Os órgãos de Isa, como era conhecida, serão doados. De acordo com a Central Estadual de Transplantes, a retirada dos órgãos ocorreu nesta quinta (15).

Na madrugada de quarta-feira, a adolescente levou um tiro na cabeça na PR-412, entre os balneários Ipanema e Praia de Leste, em Pontal do Paraná, no litoral do estado.

Suspeitos presos

A PM prendeu dois suspeitos do crime na manhã de quarta em uma casa em Pontal do Paraná. Eles são irmãos e moram em Curitiba.

Os presos, conforme a polícia, não têm antecedentes criminais, e a arma encontrada com eles é registrada.

O caso é investigado pela Delegacia de Pontal do Paraná.

"A princípio, não houve briga, não houve discussão. Houve, sim, uma fechada de um veículo no outro. Daí saiu em pequena perseguição e acabou culminando no disparo", afirmou a delegada Vanessa Alice.

Inicialmente, a Polícia Militar (PM) chegou a dizer que o tiro foi dado depois de uma discussão de trânsito.

Um dos disparos contra o carro atingiu, então, a vítima. A adolescente foi encaminhada em estado grave ao Pronto-Socorro Municipal (PSM) de Praia de Leste, e depois, ao Hospital Regional do Litoral.

Boletim de Ocorrência

No Boletim de Ocorrência final da polícia, consta que, no momento da abordagem dos suspeitos, um deles confessou ser o autor dos disparos e o outro afirmou estar junto quando os tiros foram efetuados.

Everton Vargas, o atirador, afirmou que houve um desentedimento de trânsito e que o motorista do outro carro teria realizado uma manobra brusca. Ao sentir-se ameaçado, efetuou os disparos em direção ao veículo.

Mais tarde, em depoimento, Everton e Cleverson Vargas preferiram ficar em silêncio. O advogado deles disse à RPC que estuda os detalhes do caso e que tudo será explicado com a apuração jurídica dos fatos.

Eles foram autuados em flagrante por homicídio qualificado, segundo a delegada Vanessa Alice.

O tiro

Isa foi baleada um pouco acima do olho esquerdo, por volta das 2h. Ela estava no banco de trás de um veículo branco, junto com a mãe. Na frente, conforme a polícia, estavam um amigo e o pai do amigo.

O pai do amigo é Herbert Luiz de Félix, que dirigia o veículo. Em depoimento à Polícia Civil, ele disse que foi fechado por um carro pouco antes do acidente.

Ele relatou ainda que, logo após a fechada, o carro parou a cerca de 60 metros e que um dos ocupantes do veículo, sem descer do mesmo, efetuou três disparos contra o carro onde estava Isabelly.

O advogado e amigo da família André Tavares falou, ainda na quarta, sobre o que aconteceu.

"A mãe dela contou que outro carro tirou o delas da pista, cortou a frente. Quando elas tentavam fazer o retorno, começaram a disparar do outro carro, que estava a mais ou menos 25 metros. Não sabemos se era motorista ou passageiro", disse

Protocolo de morto cerebral

No fim da manhã de quarta-feira, o neurologista Marcelo Sader informou que havia dado início ao protocolo de morte cerebral, que envolveu uma bateria de exames antes do diagnóstico final.

Mesmo antes da confirmação, a mãe de Isabelly chegou a usar o Facebook da filha para informar a morte encefálica da jovem.

Isa Top Show

Antes de ser baleada, Isa tinha ido entrevistar o MC Gustta no balneário de Shangri-la, em Pontal do Paraná, e retornava para Paranaguá, onde mora. A entrevista é para o canal dela, o Isa Top Show.

A página de Isa no Youtube tinha mais de 47 mil inscritos e 110 publicações.

Os vídeos, conforme a própria youtuber descrevia no seu perfil, têm entrevistas, atualidades, dicas de beleza e de moda, além de outros assuntos.

14 de fevereiro de 2018

Horário de verão termina neste domingo em 10 estados e DF

Ajuste deve ser feito por moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

O horário de verão, em vigor desde outubro do ano passado, acaba na primeira hora deste domingo (18). À meia-noite entre sábado e domingo, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem atrasar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Com isso, o horário no leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia fica 1 hora "atrasado" em relação a Brasília, enquanto oeste do Amazonas e Acre ficam 2 horas atrás.

Economia de energia

O horário de verão foi instituído com o objetivo de economizar energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar.

A medida foi usada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte.

O governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão neste ano, depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia indicou que o programa vem perdendo efetividade. A análise mostrou que a intensidade de consumo de energia elétrica estava mais ligada à temperatura do que ao horário, com picos nas horas mais quentes do dia.

Porém, o Brasil enfrenta um período de estiagem, com hidrelétricas com níveis de água reduzidos, o que vem obrigando o governo a ligar as termelétricas (de operação mais cara) e até mesmo a importar energia de outros países.

Começa mais tarde

O presidente Michel Temer acabou editando um decreto que reduz a duração do horário de verão, e não o elimina. Assim, neste ano, ele começará em 4 de novembro, um fim de semana após o segundo turno das eleições, marcado para 28 de outubro.

A mudança foi um pedido do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, para evitar atrasos na apuração dos votos e na divulgação dos resultados do pleito. Um dos exemplos citados pelo tribunal foi o Acre, onde as urnas são fechadas três horas depois de a contagem de votos já ter sido iniciada nas regiões Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste.

12 de fevereiro de 2018

Desfile da Paraíso do Tuiuti satiriza Temer com "presidente vampiro"

Escola traz enredo com críticas a reforma trabalhista. Professor que viveu o 'vampiro' não admite abertamente que ele representa Michel Temer, mas é a favor de protestos contra o presidente

Com o enredo "Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, a Paraíso do Tuiuti, do carnavalesco Jack Vasconcelos trouxe críticas a reforma trabalhista em seu desfile na madrugada desta segunda (12). No último carro, um componente viveu um "presidente vampiro" do neoliberalismo.

O vampiro foi representado pelo professor de história Léo Morais no último carro da escola o navio 'neo tumbeiro'. Leo trabalha como assistente do carnavalesco Jack Vasconcelos, que o convidou para representar o personagem no desfile. Leo não admite abertamente que o vampiro é o Michel Temer, mas afirma que é a favor dos protestos contra o presidente.

“Sou professor de história e o protesto tem tudo a ver comigo. Esse protesto é a minha cara. Eu acho que é uma retomada dos enredos críticos. A gente está num momento que tem que gritar mesmo”, afirma.

“Eu acho que a gente está fazendo uma coisa que todo mundo quer. Todo mundo quer botar pra fora, as pessoas querem gritar o “Fora Temer”, as pessoas querem se manifestar e é forma de manifestar da minha parte”, explicou Léo que está representando um personagem pela primeira vez na Tuiuti.

Outra crítica do carnavalesco foi colocar na avenida uma ala com fantasias de 'manifestantes fantoches', ironizando manifestantes que pediram impeachment.

Dois PMs são baleados em noite de assaltos no Leblon e em Ipanema

Um deles foi atingido de raspão no rosto e o um outro foi alvejado na perna. O suspeito dos tiros conseguiu fugir.

A noite deste domingo (11) no Leblon e em Ipanema, bairros vizinhos na zona sul do Rio, foi marcada por arrastões. Lotada de turistas durante o Carnaval, a região sofre com a desordem depois que cai a noite.
Dois Policiais Militares foram atingidos por tiros na avenida Afrânio de Melo Franco, uma das mais movimentadas do Leblon, no fim da noite de domingo. Os agentes tentaram impedir o roubo de um carro. O suspeito reagiu e disparou. Moradores locais relataram clima de pânico no bairro que tem o metro quadrado mais caro do Rio.
Um policial foi atingido por um tiro de raspão no rosto. O segundo foi alvejado na perna. Ambos foram levados ao hospital e apresentam quadro de saúde estável, sem risco de morte. O suspeito conseguiu fugir.
Ipanema tem recebido grande quantidade de turistas e foliões neste Carnaval. Durante a noite, grupos têm feito arrastões principalmente na orla do bairro.
Por volta das 5h desta segunda, duas jovens foram assaltadas por um grupo de homens, em frente ao Hotel Fasano, na orla do bairro. Uma equipe da TV Globo flagrou o momento em que as jovens são cercadas e têm seus pertences roubados.
Nas redes sociais outros flagrantes de assaltos foram registrados no bairro. Um vídeo que circula na internet mostra um grupo de pelo menos dez pessoas perseguindo uma pessoa na orla do bairro durante a noite de domingo. O grupo consegue alcançar a vítima, que cai na areia, é espancada e tem seus objetos roubados.
O descontrole ocorre mesmo com o aumento do efetivo policial para o Carnaval. O governo colocou 17 mil policiais nas ruas para o patrulhamento durante a folia. O contingente é 43% maior do que o destacado no ano passado. Mesmo assim têm sido frequentes relatos de roubos com o emprego de violência. Furtos também têm ocorrido nos blocos.

11 de fevereiro de 2018

Zeca Pagodinho ignora João Doria em camarote no Anhembi

O prefeito de São Paulo teria pedido para fazer uma foto com o cantor, que teve que ser convencido pelo dono do camarote a permitir o registro.

O prefeito de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB), passou por uma saia-justa na noite deste sábado (10) no camarote de uma cervejaria no Sambódromo do Anhembi, na zona norte de São Paulo.

Após passar no camarote da Prefeitura de São Paulo, o tucano resolveu visitar outro em que vários artistas acompanham os desfiles da escolas de samba. Doria chegou animado e distribuindo sorrisos para todos até encontrar o cantor e compositor Zeca Pagodinho em uma área Vip.

Ao ver a aproximação do tucano, Zeca Pagodinho foi para o canto e não deu muita atenção ao prefeito. Doria cumprimentou o cantor e quis tirar uma foto com ele. Pagodinho fechou a cara e se afastou. O empresário Álvaro Aoas, dono do camarote, teve que intervir para convencer o pagodeiro a fazer a foto. Depois de muita insistência, Doria conseguiu sua imagem, porém, não ao lado do cantor.


João Doria cumprimenta Zeca Pagodinho(foto: Eduardo Martins / AGNEWS)

Entre Pagodinho e Doria ficou o jogador Amaral com sua mulher. Ao fundo, Ronaldão também aparece na imagem. Na noite anterior, Zeca Pagodinho expressou seu descontentamento com a política brasileira. Ele afirmou que deseja "um Brasil melhor".

Procurada pela reportagem para comentar o assunto, a assessoria do prefeito não se manifestou até a publicação deste texto.

Mais magro

Aos 59 anos recém-completos no último dia 4 de fevereiro, Zeca Pagodinho apareceu no Carnaval paulista com uma nova forma física. O cantor afirmou que resolveu fazer uma dieta para emagrecer.

Apesar de não saber exatamente quantos quilos já eliminou, a assessoria do cantor e compositor afirmou que teria sido em torno de dez quilos. "Foi um inverno muito grande no Rio e a cerveja diminuiu", brincou Zeca, sobre o novo shape.

Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 70 milhões no próximo sorteio

Os números sorteados foram 06, 23, 30, 36, 53, 56. Próximo sorteio acontece na quarta-feira (14).

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2013 da Mega-Sena sorteada neste sábado (10), em Santana/AP, e o prêmio acumulou. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o prêmio do próximo concurso, a ser realizado na quarta-feira (14), será de R$ 71 milhões. Os números sorteados foram: 06, 23, 30, 36, 53, 56. Confira o rateio:
Sena - 6 números acertados - Não houve acertador
Quina - 5 números acertados - 159 apostas ganhadoras, R$ 25.057,74
Quadra - 4 números acertados - 8.465 apostas ganhadoras, R$ 672,37


Foto: Rafael Nedermeyer/Fotos Públicas

Quina
O concurso 4.604 da Quina deste sábado (10) também não teve ganhador. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o prêmio para o próximo concurso deverá ser de R$ 1 milhão. Os números sorteados foram: 05, 15, 49, 65, 78.
Confira o rateio:
Quina - 5 números acertados - Não houve acertador
Quadra - 4 números acertados - 65 apostas ganhadoras, R$ 4.965,76
Terno - 3 números acertados - 4.206 apostas ganhadoras, R$ 115,40
Duque - 2 números acertados - 107.284 apostas ganhadoras, R$ 2,48

Timemania
O sorteio da Timemania também não teve ganhador no concurso 1.143, que foi realizado neste sábado (10). As dezenas sorteadas foram: 06, 11, 14, 36, 56, 66, 68.
O time do coração foi o Botafogo/PB. O prêmio para o próximo concurso deve ser de R$ 700 mil. Veja o rateio:
7 números acertados - Não houve acertador
6 números acertados - 4 apostas ganhadoras, R$ 18.087,90
5 números acertados - 131 apostas ganhadoras, R$ 789,00
4 números acertados - 2.408 apostas ganhadoras, R$ 6,00
3 números acertados - 23.276 apostas ganhadoras, R$ 2,00
Time do Coração: Botafogo/PB - 6.658 apostas ganhadoras, R$ 5,00

Dupla-sena
Ninguém acertou os dois sorteios do concurso 1.755 da Dupla Sena realizado neste sábado (10). A Caixa Econômica Federal prevê um prêmio de R$ 1,1 milhão para o próximo o concurso.
Os números do 1º sorteio foram: 10, 23, 25, 26, 39, 46. Já as dezenas do 2ª sorteio são: 07, 13, 20, 30, 38, 48.
Confira o rateio:
Premiação - 1º Sorteio
Sena - 6 números acertados - Não houve acertador
Quina - 5 números acertados - 10 apostas ganhadoras R$ 4.979,43
Quadra - 4 números acertados - 653 apostas ganhadoras R$ 87,14
Terno - 3 números acertados - 13.538 apostas ganhadoras R$ 2,10
Premiação - 2º Sorteio
Sena - 6 números acertados - Não houve acertador
Quina - 5 números acertados - 11 apostas ganhadoras R$ 4.074,08
Quadra - 4 números acertados - 636 apostas ganhadoras R$ 89,47
Terno - 3 números acertados - 12.242 apostas ganhadoras R$ 2,32

Federal
O concurso 05257 da Federal também ocorreu neste sábado (10). Confira os bilhetes sorteados e o rateio:
1º bilhete: 63928 - R$ 1.000.000,00
2º bilhete: 60971 - R$ 13.000,00
3º bilhete: 45048 - R$ 12.000,00
4º bilhete: 41493 - R$ 10.000,00
5º bilhete: 33090 - R$ 9.489,00

09 de fevereiro de 2018

Barraqueiro usa tampas de isopor e salva casal de turistas de afogamento

Caso aconteceu nesta quinta-feira (8) na Praia do Forte, na Zona Leste da capital potiguar.

O barraqueiro João Paulo Venâncio de Mendonça, de 33 anos, não teve muito tempo de pensar, antes de se jogar no mar com duas tampas de isopor para salvar um casal de turistas argentinos que estava se afogando na Praia do Forte, na Zona Leste de Natal. Ele passou mais de 40 minutos dentro da água, com os turistas, à espera da chegada de salva-vidas do Corpo de Bombeiros. Todos foram resgatados e passam bem.

João Paulo (ao centro) usou duas tampas de caixas de isopor para salvar o casal de turistas na Praia do Forte, em Natal (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O caso aconteceu por volta das 15h30 desta quinta-feira (8), em Natal. Segundo João Paulo, o casal estava dentro da água, mas em um local raso, com os pés na areia, quando foi puxado por uma corrente de retorno que existe na região.

"Aqui existem arrecifes que geram essa corrente de retorno. Eles acabaram sendo puxados para próximo das pedras. As pessoas que estavam na minha barraca perceberam e avisaram, então peguei as tampas das caixas de isopor e pulei lá, pra tentar ajudar eles", conta o barraqueiro.

João Paulo não tinha forças para tirar os turistas da água, então resolveu ficar boiando com os dois até a chegada do corpo de bombeiros. Ele afirma que também tentou acalmar os argentinos, que estavam bastante cansados e já tinham até engolido água do mar.

"Perguntei de onde eles eram, há quanto tempo estavam em Natal. Enquanto isso, ficava nadando só com os pés, pra ver se a gente não era levado pro alto mar", explica.

Outros casos

Há cinco anos, João Paulo trabalha 12 horas por dia na sua barraca na Praia do Forte, em Natal, de onde tira o sustento para a família. Ele tem três filhos. Essa não foi a primeira vez em que ele precisou resgatar pessoas, que estavam se afogando, na região.

Ele também conta que geralmente leva uma prancha de surfe para a barraca, justamente para ajudar em situações como essa, porém, nesta quinta (8), tinha deixado ela em casa, no bairro das Rocas, também na Zona Leste. Por isso, precisou usar as tampas de isopor.

Apesar dos riscos de afogamento da região, o barraqueiro afirma que quase não vê salva-vidas por lá.

Após o socorro, os turistas ficaram muito agradecidos ao barraqueiro e foram levados por outras pessoas, que estavam na praia, ao hotel em que estavam hospedados, no bairro de Ponta Negra, Zona Sul da capital.

O caso foi compartilhado nas redes sociais pelos próprios bombeiros que participaram do resgate.

Rio de Janeiro registra mais um caso de vítima bala perdida

Desta vez, uma mulher foi baleada nas costas quando estava do lado de fora de um bar na rua Canavieiras, no bairro Grajaú, zona norte da cidade

O Rio de Janeiro registrou mais um caso de vítima de bala perdida na noite desta quinta-feira (8). Desta vez, uma mulher foi baleada nas costas quando estava do lado de fora de um bar na rua Canavieiras, no bairro Grajaú, zona norte da cidade.

Segundo a Polícia Militar, não havia confronto entre militares e criminosos na região no momento em que a vítima foi baleada. Ela foi levada por policiais de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da região ao Hospital Federal do Andaraí, onde permanece internada.

A PM não divulgou o nome da mulher, mas disse que o estado de saúde dela é estável.

O caso ocorre um dia depois de uma criança ser atingida por uma bala perdida na Favela da Linha, no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio.

Após ser baleado na noite quarta (7), o menino foi levado por familiares ao Hospital Estadual Alberto Torres, onde continua internado.

MORTES

Na última terça (6), uma criança de 3 anos e um adolescente de 13 foram mortos em diferentes episódios de violência no Rio.

No primeiro caso, na madrugada, um casal com a filha de três anos foi abordado por criminosos no bairro de Anchieta, na zona norte, e teve seu carro atingido por ao menos dez tiros a polícia ainda não sabe a razão.

Baleada, Emily Sofia morreu antes de chegar ao hospital. A mãe, ferida de raspão, abandonou atendimento em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) quando soube que a filha não havia sobrevivido. O pai foi atingido no tórax, passou por cirurgia e seu estado de saúde é estável.

A Delegacia de Homicídios investiga as mortes. O que se sabe é que um grupo de criminosos da favela da Pedreira estava fazendo uma série de roubos de veículo na região, próximo ao local onde a família deixava uma lanchonete em um posto de gasolina.

Na tarde de terça (6), uma operação policial no Complexo da Maré, também na zona norte, deixou o adolescente Jeremias Moraes da Silva, 13, morto após uma série de confrontos. O complexo é formado por ao menos 16 favelas, com 129 mil habitantes, segundo o Censo de 2010.

A operação havia começado no fim da madrugada. Moradores relataram nas redes sociais que os tiros começaram por volta das 5h40.

À tarde, a polícia recebeu a informação de que policiais teriam sido sequestrados nas favelas da Nova Holanda e Parque União. O território da Maré é comandado por mais de uma facção criminosa, além de grupos de milícias.

Houve confronto, e o jovem teria sido baleado nessa ação. Nas redes sociais, moradores reclamam dos constantes conflitos. A página Maré Vive, mantida por moradores locais com informações sobre segurança, resumiu na tarde desta terça o clima na favela.

"Já estamos indo pra 10 horas de operação policial aqui na Maré. Os tiros não cessam, confrontos de grosso calibre em praticamente todo o Complexo", dizia a postagem.

08 de fevereiro de 2018

Discriminação de gênero afeta 86% das jornalistas, diz estudo

Segundo a Abraji, 70% das mulheres afirmam terem se sentido desconfortáveis com comentários sobre sua aparência recebidos durante exercício da profissão

Pesquisa da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e do portal "Gênero e Número" com cerca de 500 jornalistas brasileiras mostra que 86% das entrevistadas dizem já ter passado por pelo menos uma situação de discriminação de gênero no trabalho.
Os resultados da pesquisa "Mulheres no Jornalismo Brasileiro", feita com jornalistas de 271 veículos do país, apontam para a presença de atitudes sexistas em relações às jornalistas dentro e fora das redações.
Entre as entrevistadas, 70% dizem já ter presenciado ou tomado conhecimento de assédio a colegas mulheres no ambiente de trabalho.
Quase 60% afirmaram também ter sentido alguma vez que ser mulher lhes prejudicou na distribuição de tarefas, enquanto 39% viram barreiras para a obtenção de uma promoção.
A pesquisa afirma que "o mercado jornalístico mudou significativamente nas últimas décadas e a proporção de homens e mulheres nas redações se tornou mais equilibrada". Ainda assim, há desigualdades: 65% das entrevistadas disseram haver mais homens em cargos de poder (editores, coordenadores, diretores) em seus veículos do que mulheres.


Foto: Divulgação

Para Maiá Menezes, diretora da Abraji, o dado mais preocupante é o que diz respeito ao assédio das fontes no exercício do trabalho, "e o quanto isso pode dificultar a apuração de uma reportagem e constranger ou mesmo condicionar o acesso à informação", disse à "Gênero e Número".
Cerca 70% das entrevistadas afirmam terem se sentido desconfortáveis com comentários sobre sua aparência recebidos durante o exercício da profissão -46,3% relataram "cantadas" vindas de colegas homens, 36,9%,  de fontes masculinas e 27,9% ouviram de um superior hierárquico.
Canais
Apenas 15%, no entanto, denunciaram à empresa situação de assédio ou machismo no ambiente de trabalho. Das entrevistadas, 30% disseram que seus veículos possuíam canais para receber e responder às denúncias.
"Acho que há alguns canais, e há a possibilidade de diálogo com compliances [controle de conduta] de empresas. A própria Abraji poderia abrir canais por meio dos quais seja possível receber denúncias de que o assédio estaria obstruindo o acesso à informação jornalística", sugere Menezes.
O estudo recomenda que os veículos produzam cartilhas para funcionários e colaboradores definindo o assédio cometido por uma fonte e indicando os procedimentos a serem adotados pelas repórteres quando forem vítimas desses atos.
Recomenda ainda que as redações criem um canal de comunicação interno para que vítimas de abuso e assédio possam fazer denúncia formal.

Luciano Huck vai decidir se lança candidatura após o Carnaval

O apresentador tende a se candidatar pelo PPS, que lhe ofereceu a legenda, mas já há aliados articulando apoio ao DEM.

O apresentador Luciano Huck vai anunciar se aceita concorrer à Presidência depois do Carnaval. Hoje, ele tende a se candidatar pelo PPS, partido que lhe ofereceu legenda, mas já há aliados articulando o apoio de siglas como o DEM.
Segundo a reportagem apurou, o catalisador final para o processo decisório de Huck, que vem sendo assediado a se lançar candidato apesar de já ter negado a possibilidade publicamente, foi um ultimato dado pelo seu empregador, a Rede Globo.
Nesta quarta (7), a emissora disse que o apresentador do "Caldeirão" deveria tomar sua decisão, por temer que haja a associação natural entre o eventual presidenciável e seu nome. A entrevista que Huck deu ao "Domingão do Faustão" em janeiro já rendeu a ele e à rede de TV explicação formal ao Tribunal Superior Eleitoral para negar que estivesse ocorrendo propaganda antecipada.
Huck ainda não disse a aliados o que vai fazer, apenas que irá passar o Carnaval pensando no assunto. Nesta quinta (8), ele deverá se consultar com o mentor de sua candidatura, Fernando Henrique Cardoso.
Ex-presidente e decano do PSDB, FHC tem irritado correligionários ao estimular o apresentador e empresário. O governador Geraldo Alckmin (SP), presidenciável da sigla, reagiu à conversa tergiversando: disse que o tucano e o global, a quem elogiou, são amigos pessoais.
A pressão sobre Huck vem do fato de que ele poderia encarnar o "novo" numa eleição que ficou aberta com provável ausência de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que pode ser barrado pela Lei da Ficha Limpa por ser condenado em segunda instância por corrupção.
O desempenho fraco de Alckmin, pré-candidato declarado, nas pesquisas, é outro motor do movimento: Huck e o tucano empatam em 8% no mais recente Datafolha em cenário sem Lula.
O PPS, que ofereceu a legenda a Huck  e ao movimento de renovação política Agora!, do qual faz parte, é o porto natural do global, caso busque se filiar -o prazo para poder concorrer é abril. FHC já deu declarações considerando a estrutura do partido insuficiente, e já há conversas entre seus aliados e estrategistas sobre a eventualidade de o DEM entrar na composição.
Nesta semana, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (MDB), visitou FHC acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ). Liderança do DEM, Maia vem circulando como eventual presidenciável, mas até aqui é mais provável que ele busque cacifar a legenda para ocupar uma vaga de vice-presidente -seja na chapa de Alckmin, seja uma eventual de Huck.
Mesmo Hartung é lembrado, aqui e ali, como um nome a dar peso institucional ao neófito Huck. Só que ele é do MDB, partido do impopular presidente Michel Temer e um dos alvos prioritários de denúncias no âmbito da Operação Lava Jato.
Procurados, nem Huck, nem FHC responderam a questionamentos da reportagem.

Gilmar Mendes substitui prisão de ex-secretário do Rio por medidas cautelares

Côrtes é acusado de fraudes em licitações para fornecimento de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e para a Secretaria de Saúde.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, determinou hoje (8) a suspensão da prisão preventiva do ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro no governo de Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes.

Acusado de fraudes em licitações para fornecimento de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e para a Secretaria de Saúde fluminense, Côrtes foi preso em abril do ano passado, por decisão da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Em sua decisão, o ministro Gilmar Mendes determinou que a prisão preventiva seja substituída por outras medidas cautelares, como a proibição de Côrtes fazer contato, por qualquer meio, com outros investigados na chamada Operação Fatura Exposta– um desdobramento das operações Calicute, que resultou na prisão de Sérgio Cabral, em 2016, e Eficiência, que determinou a prisaõ do empresário Eike Batista, em 2017.


O ministro determinou que a prisão preventiva seja substituída por outras medidas cautelares, como a proibição de Côrtes fazer contato com outros investigados na chamada Operação Fatura (José Cruz/Agência Brasil)

O ex-secretário de Saúde também ficará proibido de deixar o Brasil, devendo entregar seu passaporte em até 48 horas a partir da notificação. Além disso, Côrtes não poderá deixar sua residência durante a noite e nos fins de semana.

Na sentença, Mendes afirma que os fundamentos que levaram à decretação da prisão preventiva há quase um ano “se revelam inidôneos para manter a segregação cautelar. O magistrado compara a situação de Côrtes a dos empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita, presos na mesma Operação Fatura Exposta. Mendes já havia substituído as prisões preventivas de Iskin e Estellita por medidas cautelares, determinando que os dois fossem soltos.

Em nota, a defesa de Côrtes informou que pediu à Justiça Federal do Rio de Janeiro autorização para que, independentemente da remição da pena, o ex-secretário de Saúde continue prestando atendimento médico aos detentos do presídio de Benfica, como vinha fazendo durante o período de detenção. Para os advogados, a suspensão deste trabalho traria prejuízos aos internos da unidade.

Maia diz que Congresso vai discutir 'excessos' em auxílio-moradia

Assunto faz parte da reunião que Rodrigo Maia teve hoje com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o Congresso vai discutir a regulamentação de pagamentos de auxílio-moradia e outros penduricalhos nos três Poderes, com o objetivo de coibir excessos.

O assunto fez parte da reunião que ele teve na manhã desta quinta-feira (8) com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia.

Reportagens da Folha de S.Paulo nos últimos dias mostraram que pagar auxílio-moradia a beneficiados que têm imóvel próprio ou patrimônio elevado é uma prática no Judiciário, Executivo e Legislativo.

"Todos os Poderes estão discutindo de forma harmônica a regulamentação desses temas. Não só auxílio-moradia. Essa regulamentação vai atingir todos os Poderes, e ela precisa ser feita e será feita durante o mês de março, de forma harmônica, para que se organize do jeito que a sociedade espera, mas entendendo a realidade de cada um", disse Maia.

O presidente da Câmara afirmou que a lei tem de ser feita para coibir excessos, sem que os exercícios de um mandato ou uma função fiquem prejudicados.


Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

Perguntado sobre casos em que favorecidos pelo auxílio têm em seus nomes casa própria na cidade em que trabalham, Maia respondeu que o benefício "talvez não seja necessário".

"Essa questão precisa ser resolvida. Tem a lei para resolver isso. Vamos discutir. Eu pessoalmente acho que talvez ter o auxílio-moradia não seja necessário [para esses casos]."

Na cúpula do Judiciário, 26 ministros do Superior Tribunal de Justiça, do Tribunal Superior do Trabalho e do Superior Tribunal Militar fazem parte da lista.

Em São Paulo, quase metade dos juízes que recebem auxílio-moradia têm propriedades na capital paulista. Um deles, o campeão, tem 60 imóveis em seu nome.

Integrantes da cúpula da PGR (Procuradoria-Geral da República) e ministros do TCU (Tribunal de Contas da União), órgãos que entre outras funções são responsáveis pela fiscalização do dinheiro público, também se encontram na mesma situação.

Criança de 4 anos é atingida por bala perdida no Rio de Janeiro

O caso ocorre um dia depois de uma criança de 3 anos e um adolescente de 13 terem sido mortos em diferentes episódios de violência no Rio

Uma criança de 4 anos foi atingida por bala perdida na Favela da Linha, no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, por volta das 19h30 desta quarta-feira (7). Não havia operação da PM na região quando ele foi baleado.

O menino foi levado por familiares ao Hospital Estadual Alberto Torres, onde permanece internado em estado grave.

O caso ocorre um dia depois de uma criança de 3 anos e um adolescente de 13 terem sido mortos em diferentes episódios de violência no Rio.

No primeiro caso, na madrugada de terça (6) um casal com a filha de três anos foi abordado por criminosos no bairro de Anchieta, na zona norte, e teve seu carro atingido por ao menos dez tiros a polícia ainda não sabe a razão.

Baleada, Emily Sofia morreu antes de chegar ao hospital. A mãe, ferida de raspão, abandonou atendimento em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) quando soube que a filha não havia sobrevivido. O pai foi atingido no tórax, passou por cirurgia e seu estado de saúde é estável.

A Delegacia de Homicídios investiga as mortes. O que se sabe é que um grupo de criminosos da favela da Pedreira estava fazendo uma série de roubos de veículo na região, próximo ao local onde a família deixava uma lanchonete em um posto de gasolina.

Na tarde de terça (6), uma operação policial no Complexo da Maré, também na zona norte, deixou o adolescente Jeremias Moraes da Silva, 13, morto após uma série de confrontos. O complexo é formado por ao menos 16 favelas, com 129 mil habitantes, segundo o Censo de 2010.

A operação havia começado no fim da madrugada. Moradores relataram nas redes sociais que os tiros começaram por volta das 5h40.

À tarde, a polícia recebeu a informação de que policiais teriam sido sequestrados nas favelas da Nova Holanda e Parque União. O território da Maré é comandado por mais de uma facção criminosa, além de grupos de milícias.

Houve confronto, e o jovem teria sido baleado nessa ação. Nas redes sociais, moradores reclamam dos constantes conflitos. A página Maré Vive, mantida por moradores locais com informações sobre segurança, resumiu na tarde desta terça o clima na favela.

"Já estamos indo pra 10 horas de operação policial aqui na Maré. Os tiros não cessam, confrontos de grosso calibre em praticamente todo o Complexo", dizia a postagem.

07 de fevereiro de 2018

Após atestado de pena, goleiro Bruno pode deixar prisão ainda em 2018

Segundo documento, réu pode pedir a progressão de pena a partir de 24 de novembro; há uma semana, Justiça negou recursos da defesa

Após ter o atestado de pena atualizado, o goleiro Bruno pode deixar a prisão ainda em 2018. De acordo com o documento, emitido nesta sexta-feira (2), o réu poderia pedir a progressão de pena para o regime semiaberto a partir do dia 24 de novembro.

Bruno Fernandes está no presídio de Varginha, no Sul de Minas Gerais, desde abril de 2017. O goleiro foi preso em 2010 e condenado pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samúdio e por sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas esta pena foi extinta, já que o crime prescreveu.

A progressão, no entanto, ainda deve ser recalculada removendo 42 dias de remissão da conta. A medida vai ser tomada após o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) atender a um recurso do Ministério Público que contestava parte do período trabalhado na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) de Santa Luzia. Procurado pelo G1, o advogado Fábio Gama, que defende o goleiro, afirmou que já recorreu da decisão.

A revisão é necessária também porque o atestado mais recente ainda não engloba o período de trabalho após o dia 30 de setembro de 2017. Ou seja, Bruno já tem direito a mais dias de remissão, uma vez que continou trabalhando no Núcleo de Capacitação para Paz (Nucap), em Varginha, após essa data - o que deve manter a data permitida para a progressão de pena ainda no 2º semestre de 2018.

O que Bruno precisa:

Para conseguir o direito à progressão de pena para o regime semiaberto, Bruno precisa ter cumprido:

2/5 da pena por homícidio triplamente qualificado (17 anos e 6 meses) de Eliza Samúdio: 7 anos

1/6 da pena por sequestro sequestro e cárcere privado do filho Bruninho (3 anos e 3 meses): 6 meses e 15 dias

total: 7 anos, 6 meses e 15 dias

O que mostra o atestado:

Segundo a contagem de tempo, Bruno já tem:

tempo preso: 5 anos, 8 meses e 2 dias

tempo remido: 609 dias

Essa contagem de tempo não leva em consideração todo o tempo em que Bruno ficou preso antes de 2 de abril de 2013, quando o réu cometeu uma falta grave na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG). A punição é válida para o cálculo de progressão de pena e não afeta o tempo total a ser cumprido - que segundo o atestado seria concluído em 06 de julho de 2031.

Absolvição de falta grave

O único período em que Bruno não ficou trabalhando no Nucap, desde que conseguiu o direto ao trabalho externo em Varginha, aconteceu justamente na última semana. Após uma discussão com um guarda no Presídio de Varginha, o réu foi punido com uma falta grave, que poderia acarretar em um grande prejuízo para a obtenção da progressão de pena.

Com base nesta punição, o juiz da 1ª Vara Criminal e Execução Penal de Varginha, Tarciso Moreira de Souza, havia suspendido o direito de Bruno ao trabalho externo. A decisão foi expedida no dia 29 de janeiro. No entanto, o goleiro foi absolvido da falta e, posteriormente, teve o direito ao trabalho no núcleo reestabelecido. Ele voltou a trabalhar no local nesta segunda-feira (5).

Recursos negados

Essa, no entanto, foi a única boa notícia vinda dos tribunais para o goleiro na última semana. Na mesma decisão, o juiz negou três recursos apresentados pela defesa de Bruno:

pedido de revisão da falta grave cometida em Contagem: porque já houve julgamento anterior e indeferimento do recurso.

pedido de revisão de atestado de pena: porque as remissões "encontram-se devidamente registradas", não cabendo espaço para discrepância.

pedido de autorização para jogar pelo Boa Esporte: por "inviabilidade prática", porque o Estado teria de dispor de um agente de segurança somente para acompanhar o goleiro.

O advogado Fábio Gama se disse "indignado com a decisão" e informou que recorreu com embargos declaratórios e que espera uma revisão da decisão. "Esperamos que essa decisão possa ser revista ainda aqui em Varginha", completou.