• assinatura jornal

“Acabou sendo uma escolha de valores”, diz mãe sobre mensalidade escolar

Thacyara Borges relata sua saga para encontrar uma boa escola para o seu filho, mas que o preço que caiba no seu bolso

13/01/2018 09:26h - Atualizado em 13/01/2018 09:50h

Todo início de ano os pais se deparam com diversos reajustes, inclusive os escolares, como mensalidade, material escolar e fardamento. Quando somado, o valor total chega a assustar alguns pais, que precisam se desdobrar para arcar com esses custos. Mas, quanto eles estão dispostos a pagar para garantir uma boa educação de seus filhos? E porque está tão caro manter os filhos em escolar particulares? 

Para a estudante Thacyara Borges, a educação de seu filho Pedro, de 3 anos, vem acima de tudo. Desde novembro do ano passado, ela tem feito pesquisa de preço das mensalidades para que o filho ingresse na escola. Porém, os valores surpreenderam a jovem, que chegou a encontrar mensalidades que variavam de R$ 700 a mais de R$ 1 mil. No final, a escolha da instituição acabou sendo feita pelo valor. 


Foto: Jailson Soares

“Eu fui ligando para as escolas e os valores das mensalidades não eram baratos. Entrei em contato com quase todas as escolas mais conhecidas, mas o preço era altíssimo, então fui pesquisar nas escolas de bairro e ainda assim também estavam acima de R$ 500. Acabou sendo uma escolha de valores e para realmente não ter que ir para uma escola pública”, disse. 

Thacyara conta que tentou priorizar as instituições com tradição de ensino e anos de mercado, contudo, as mensalidades eram bastante elevadas. Quase sem opções, a estudante conseguiu, através de seu tio, um desconto em uma das escolas pesquisadas, cuja mensalidade era de R $600. Com abatimento de 50%, o valor caiu pela metade, ficando mais acessível.

Porém, era preciso arcar com os custos do material escolar, que também não são baratos. “A lista de material é imensa, com materiais como folhas das mais diversas formas. Por alto, esse material vai sair uns R$ 1.300, que eu vou pagar parcelado, porque não tem como pagar à vista, até porque eu ainda estou buscando um estágio na minha área e quem está pagando tudo é o pai do meu filho”, fala.

Além do material escolar, há ainda o custo com fardamento, que pode chegar a R$ 300. Com a compra de todos esses itens, Thacyara Borges acredita que irá gastar, em média, R$ 2 mil. Orçamento apertado A solução encontrada para conseguir cumprir com esse compromisso é economizar e apertar o orçamento. A ajuda de parentes também tem dado um bom suporte neste momento.

De acordo com a estudante, alguns tios têm dado auxílio, ajudando na medida do possível, para que seja possível adquirir o necessário para colocar seu filho em uma boa escola. “Estamos tendo que apertar o orçamento, sem comprar nada para nós por enquanto para focar nesse início do ano com as coisas do Pedro. A gente pede ajuda para uma madrinha, uma tia, minha irmã também tem ajudado. O pessoal dá algumas coisas, mas está bem apertado”, pontua.

Com relação ao material didático pedido pela escola, Thacyara acredita que a lista poderia ter menos itens, vez que alguns livros não são utilizados por completo durante o ano. A redução de livros faria com que pesasse menos no orçamento familiar dos pais de alunos e ainda garantiria que todo conteúdo fosse estudado.

Confira a matéria completa no Jornal O Dia.



Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário