• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

“A dança é feita para todos que visam se construir como ser social”

Especial 'O Palco é Deles': profissional ainda destaca que os tabus são conceitos falsos lançados sobre algo e, no caso da dança, é preciso que ela percorra diversos espaços da sociedade.

21/09/2019 08:44h

Ravenna Silva Santana é professora de dança e enfatiza que dançar é uma forma de expressão humana através de gestos e ritmos desencadeados pelo próprio corpo, fazendo uso da coordenação motora. É também a possibilidade de interação social entre indivíduos de um mesmo grupo, reunindo pessoas com objetivos comuns, independentemente da cor da pele, da sexualidade ou qualquer outra especificidade. Para ela, como uma manifestação da arte, a dança é feita para todos que visam, por meio dela, se construir como ser social.

“A dança é livre de qualquer preconceito, partindo desse pressuposto, qualquer pessoa, em qualquer idade, pode dançar, exceto se esta possuir alguma limitação física que a impeça. Do contrário, dançar será um dos mecanismos que lhe proporcionará inclusão social, bem-estar físico, melhor condicionamento e longevidade”, comenta.


Leia também:

Homens rompem preconceito e se destacam no universo profissional da dança 

'O Palco é Deles': apoio da família é essencial para superar desafios 

'O Palco é Deles': dançar também é levar conhecimento para todos 


A profissional ainda destaca que os tabus são conceitos falsos lançados sobre algo e, no caso da dança, é preciso que ela percorra diversos espaços da sociedade, como academias, convidando alunos, além da popularização.

“Os alunos precisam ser convidados a uma aula gratuita como elemento motivador. Uma rápida explanação em vídeo pode ocorrer nas academias, em pequenos telões ou televisões e a academia realize momentos de dança na comunidade, por exemplo. É necessário que estratégias pedagógicas sejam usadas neste espaço para atrair as pessoas e ser reconhecida como importante para homens e mulheres”, enfatiza.


Ravenna destaca os benefícios da dança - Foto: Arquivo Pessoal

Ravenna é professora há 16 anos e trabalha também com produção cultural no contexto escolar, além de montagens coreográficas para eventos em geral e produção artística personalizada na dança. Segundo ela, apesar de ter sua importância secundarizada durante décadas, a dança tem se desenvolvido muito em Teresina, nas academias e em espaços públicos, como a zumba. Com isso, percebe-se que a população já tem reconhecido sua real importância para a manutenção da qualidade de vida.

“Sou professora de ritmos gerais, como forró, ballet clássico, jazz, estiletto, danças folclóricas, entre outros. A receptividade dos alunos é sempre muito boa, trabalho com o que gosto, por isso estou sempre me aperfeiçoando e dando o melhor de mim, afinal, me preocupo com o desenvolvimento de cada aluno. É necessário não apenas dançar, mas também perceber se seu aluno consegue aprender, quais suas dificuldades e como potencializar suas habilidades, a fim de que a dança se torne para ele algo significativo”, disso.

Por: Isabela Lopes, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário