• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

“Passo a noite acordada quando escuto um trovão”, diz moradora

A precariedade das moradias, localizadas em pontos historicamente suscetíveis a alagamento são uma junção perigosa para a vida das pessoas.

13/01/2020 08:53h

A chuva deixa em alerta as pessoas que tem moradia fixa. Em Teresina, 52 locais identificados pela Defesa Civil são considerados áreas de risco por conta do período chuvoso. A precariedade das moradias, localizadas em pontos historicamente suscetíveis a alagamento são uma junção perigosa para a vida das pessoas. 

A Vila Apolônio, na zona Norte de Teresina, é um desses locais. Vanda Tavares já passou momentos de pesadelo com os filhos e o marido em dias de chuva onde mora. A casa, perto de uma lagoa, recebe uma grande quantidade de água que mina do solo e, por vezes, já deixou o imóvel todo alagado. Morar no lugar, para a família, é questão de necessidade. Com quatro filhos e apenas a renda do marido para custear todos os membros, pagar aluguel não é uma opção. 

Vanda Tavares já passou por momentos de pesadelo com os quatro filhos e o esposo. (Foto: Jailson Soares/O Dia)

“A gente não dorme direito nesse período chuvoso. Passo a noite acordada quando escuto um trovão. Só eu, Deus e meu marido sabe o que a gente já viveu”, explica. 

Em uma das chuvas do ano passado, Vanda, que ainda estava de resguardo do último filho que hoje tem 11 meses, teve de sair de casa às pressas por conta de um alagamento repentino. Ela ainda lembra das incontáveis vezes que, junto ao esposo, trabalhou em obras de reforço e proteção às chuvas. 

Na parte de trás da casa, onde iniciam os alagamentos, as obras de intervenção já começaram para o novo período chuvoso. Lonas, um pequeno muro de contenção e reforço no piso tentarão fazer com que, este ano, o pesadelo de ver a casa alagada não retorne a acontecer. 

De acordo com as análises climatológicas, o período chuvoso em Teresina ainda está dentro do esperado, sem precipitações tão elevadas.

“Estamos no começo da estação chuvosa, então as possibilidades de eventos de chuva intensa são variáveis, não podemos ter certeza absoluta. Mas já registramos precipitações de 34 milímetros de chuva até agora. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia temos um volume esperado de 1755 milímetros para o mês. Até agora, estamos dentro da média entre 50 e 55 milímetros”, explica Ewerton Costa. 

Por: Glenda Uchôa

Deixe seu comentário