• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Amado Batista comemora 44 anos de carreira e visita o Sistema O DIA

Em quatro décadas de história, Amado Batista não apenas ganhou milhares de fãs como também passou a fazer parte da cultura brasileira com seu jeito próprio de produzir canções.

12/02/2020 18:01h - Atualizado em 14/02/2020 00:43h

Sucesso nas rádios e nos corações apaixonados de milhares de fãs durante quatro décadas, Amado Batista, de 68 anos, comemora 44 anos de carreira de forma especial: o lançamento comemorativo em CD e DVD de seus maiores sucessos denominado “Amado Batista – 44 anos”. Na tarde desta quarta-feira (12), o artista visitou os estúdios do Sistema O DIA de Comunicação e concedeu uma entrevista à FM O DIA.

Amado Batista e seu filho Rick Batista. Foto: Elias Fontenele.

“Muitas coisas boas aconteceram, muitas músicas boas surgiram. Graças a vocês que sempre tocaram as minhas músicas, mostraram o meu trabalho para as pessoas. Sou muito grato a todos vocês”, disse.

Antes mesmo de entrar no prédio, Amado foi recepcionado por fãs que distribuíram muito carinho. Maria Deuzimar, de 59 anos, mora no bairro Piçarreira e se emocionou ao abraçar o artista que, segundo ela, fez parte da sua adolescência.

“Desde os meus 15 anos sou apaixonada pelas músicas do Amado Batista. É uma emoção que vem de dentro, não sei explicar. Cheguei no prédio era antes das 13h, já são quase 16h. Moro na Piçarreira e estou muito feliz por esse momento”, conta.

Amado Batista. Foto: Elias Fontenele. 

Em quatro décadas de história, Amado Batista não apenas ganhou milhares de fãs como também passou a fazer parte da cultura brasileira com seu jeito próprio de produzir canções. Nos anos 70, teve a ideia de unir a sonoridade das modas de viola, o apuro melódico da Jovem Guarda, o viés popular da música brasileira e escreveu músicas em forma de crônica.

O projeto “Amado Batista – 44 anos” traz as músicas mais tocadas e visualizadas do cantor no YouTube durante quatro décadas. Na rede social, ele possui mais de 300 milhões de visualizações. São 17 faixas além de três músicas inéditas para ninguém botar defeito.

“Foi muito fácil fazer esse projeto porque são as músicas mais visualizadas e ouvidas no YouTube no mundo. Então escolhi as 17 com maiores visualizações e coloquei três músicas inéditas. Eu ia colocar duas, aí aparece meu filho (Rick Batista) compondo maravilhosamente bem”, brincou.

Filho segue os passos do pai

Rick Batista falou como é ser filho de um dos cantores mais renomados da música brasileira. Seguindo os passos do pai, o artista lançou a música “Golpe Fatal”, que já ganhou as rádios do Brasil e do mundo. Os outros dois lançamentos vêm logo na sequência, "Larga Tudo e Vem Correndo" e "Amor".

“Não pesa ser filho do Amado. Meu pai é muito amigo, temos a mesma mentalidade na questão musical e isso faz com que nos demos muito bem. É muito gratificante ter meu pai como meu conselheiro, meu amigo, parceiro... A cada dia que passa, eu percebo o quanto eu sou parecido com ele. Então, meu pai pra mim é meu ídolo, meu rei”, disse.

Os sucessos

Mesmo sobrevivendo à diversidade musical existente na sociedade, o “Amado Batista – 44 anos” presenteia os fãs com hits de todas as fases, primeiro, "Desisto", de 1977, lançado inicialmente em compacto.

Dos anos 80, "Seresteiro das Noites", "Chance", "Mulher Carinhosa", "Ex-Amor" e "Folha Seca". As duas últimas trazem Jorge, da dupla Jorge e Mateus, e Simone e Simaria como convidados, respectivamente.

Já para os apaixonados dos anos 90, o trabalho contempla sucessos como "Princesa", "Amar Amar", "Quem Foi o Ladrão", "Não Quero Falar com Ela" e mais duas com convidados e amigos. Junto a Moacyr Franco, visivelmente emocionado, canta "Madrugada na Cidade".

Com o cantor Kell Smith, Amado Batista faz dueto em "Separação". Do novo milênio, o artista canta "Estou Só", "Alucinação" e "Solidão Sem Fim". 

Em quatro décadas de história, essa é 40º lançamento. Ao final do projeto, Amado Batista homenageia o filho na última canção, onde mostra a pegada romântica em "Da Porta Para Fora". 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário