• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Piauí

03 de setembro de 2019

Piauí tem 40 municípios excluídos do Mapa do Turismo Brasileiro

Piauí tem 40 municípios excluídos do Mapa do Turismo Brasileiro

Estado tinha 77 municípios e retornou aos 30 que tinha antes de 2017. Setur alega que novas exigências do governo retiraram municípios.

Nos últimos dois anos 47 municípios do Piauí foram excluídos do Mapa do Turismo, do Governo Federal. O estado, que antes possuía 33 municípios no mapa, chegou a quantia de 77, e hoje possui apenas 30.

As informações são do deputado estadual Henrique Pires (MDB), que esteve a frente do cargo de Secretário Nacional de Estruturação do Turismo  até o mês de abril deste ano. O mapa funciona como uma espécie de cadastro feito pelo Governo Federal para facilitar a destinação de recursos para os municípios desenvolverem ações e obras de fomento ao turismo. Em suma, a saída dos municípios do mapa implica na perda de recursos financeiros.


Por dois anos a frente do cargo, o deputado diz que buscou junto a prefeitos e ao Governo do Estado formas de aumentar o número e lamenta a perda de municípios incluídos no mapa.

“Sem você estar no mapa não é possível alocar recursos, não consegue, é lei, a não ser que tenha mudado. Fiquei surpreso quando vi cair de 79 pra 33, ou seja, vamos voltar a [situação] de dois anos e cair por terra todo esse esforço”, afirma o deputado.


Deputado Henrique Pires em entrevista a TV O Dia. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Municípios como Campo Maior, Barras, Batalha, Bom Jesus foram excluídos do mapa. Para exemplificar a importância da inclusão dos municípios no cadastro , o deputado cita o exemplo do município de Pio IX, incluído entre os anos de 2016 e 2019 e de Parnaíba, que recentemente recebeu uma nova rota de acesso para a Lagoa do Portinho.

“O bairro Bezerro em Pio IX, uma região completamente degradada, vai ficar a coisa mais linda do mundo. Parnaíba, a nova rota para a Lagoa do Portinho, ‘botei’ dois milhões. Está inaugurada, iluminada, linda, porque estava no mapa. Se está fora do mapa você não consegue recursos”, ressalta Henrique.


Novo Mapa do Turismo já traz a quantidade de 30 municípios cadastrados. (Reprodução/Min. do Turismo)

Recursos federais 'voltam' todos os meses, segundo deputado

Henrique também falou do retorno de recursos federais por falta de iniciativa de muitos agentes públicos do estado. O parlamentar não citou nomes, mas reforça o pedido de compromisso de gestores e agentes públicos para evitar o retorno das verbas. Um exemplo citado pelo deputado é o do recurso de R$ 4 milhões destinados para obras do PAC no município de Batalha, que segundo Henrique, “se perdeu”.

“Eu não vou ‘fulanizar’, porque às vezes a gente termina batendo em quem não quer, mas infelizmente o Estado do Piauí devolve recursos todo mês. Acho que está na hora de todos aqueles que são pagos pelo dinheiro público, eu nem digo dos que não são, a sociedade civil organizada também tem sua parcela de culpa, mas deputado federal, secretário de estado, vereador, prefeito tem que ter compromisso para que dinheiro que venha do Governo Federal não seja jogado na lata do lixo” afirma o deputado.

Novas exigências retirou municípios do mapa, diz Setur

A Secretaria de Estado do Turismo (Setur) informou por meio de nota que a redução do número de municípios se deu por conta de exigências do Governo Federal que não existiam na composição do mapa do ano de 2017, como a criação de Conselhos Municipais de Turismo, por exemplo. A secretaria informou ainda que está buscando os prefeitos municipais para auxilar na criação dos conselhos . 

Leia abaixo a nota completa da Setur:

Em nota, a Secretaria de Estado do Turismo informa que no cadastramento do Mapa do Turismo Brasileiro  referente ao ano de 2017, algumas exigências como a obrigatoriedade do Conselho Municipal de Turismo e possuir estabelecimentos cadastrados no Cadastur, não era necessário, havendo assim a inserção de vários municípios piauienses com potencial turístico. 

Neste ano de 2019, foi acrescentado que somente municípios com Conselhos Municipais já criados e com pelo menos um estabelecimento credenciado no Cadastur pudessem ser inseridos no mapa, o que ocasionou na diminuição da quantidade de municípios. 

A Secretaria informa ainda que já está se articulando para apresentar aos gestores municipais um plano de trabalho onde destacará a importância da criação do Conselho de Turismo, assim como auxiliar na criação deste. O trabalho já é realizado por uma equipe de turismólogos, coordenados pela representante do Programa Regional do Turismo (TRT), mas será ainda mais intensificado.

Ouvidoria da Alepi é criada e irá integrar rede estadual de ouvidorias

Ouvidoria da Alepi é criada e irá integrar rede estadual de ouvidorias

Lançamento aconteceu em sessão solene na Alepi na manhã desta terça-feira (03).

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou na manhã desta terça-feira (03) uma sessão solene  para a instalação da Ouvidoria Geral do Poder Legislativo. A sessão solene foi proposta pelo deputado Gessivaldo Isaias (Republicanos) e contou com as presenças de representantes das ouvidorias da Prefeitura de Teresina, OAB Seccional Piauí, Câmara Municipal de Teresina e representantes da sociedade civil organizada.

A nova Ouvidoria irá integrar a Rede Ouvir, de ouvidorias do estado. O pedido foi realizado durante a sessão de lançamento pelo ouvidor-geral de Teresina, Hassan Said, que é presidente da rede que é formada por todas as ouvidorias do Estado. 

Hassan Said também parabenizou o deputado estadual Gessivaldo Isaías (Republicanos) pelo novo desafio.Apesar da evolução o piauí ainda não cumpriu o requisito legal da Lei nº 13.460 - que determina que a criação de todas as ouvidorias nos entes municipais, estaduais e federal.

Segundo Hassan Said, apenas 25% dos municípios do Estado possuem ouvidorias formalizadas e por isso a criação da Ouvidoria da Alepi é importante, servindo de modelo e paradigma para as prefeituras organizarem suas ouvidorias. 


Mesa de Honra durante sessão de instalação da Ouvidoria Geral do Poder Legislativo. (Foto: Ascom/Alepi)

“Geralmente as pessoas que tem acesso as ouvidorias já passaram por outros órgãos e não tiveram seus pleitos respondidos. A nossa função precípua é ouvir, mas também fazer e cobrar”, acrescentou.

Ao se pronunciar, o deputado Gessivaldo Isaías considerou “desafiadora essa missão de ser o primeiro ouvidor geral da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí.

"A ouvidoria é o elo de ligação entre o povo e o poder legislativo. A Ouvidoria aproxima as pessoas das pessoas. Juntos desejo trabalhar e cumprir com a nossa missão”,  afirmou o deputado.

Ouvidoria nos municípios - A ouvidora geral do Estado, Soraya Castelo Branco, parabenizou a Assembleia Legislativa pela criação da Ouvidoria Geral e afirmou que o órgão fará com que o Poder seja mais participativo e transparente. A ouvidora falou durante a sessão solene de instalação da Ouvidoria Geral da Assembleia Legislativa.  Acrescentou a ouvidora geral do Estado que “estamos à disposição da Assembleia Legislativa para a troca de experiências”. Ela defendeu ainda que as ouvidorias sejam criadas em todos os municípios do Piauí.

Prefeitura quer conceder a coleta lixo em Teresina à iniciativa privada

Prefeitura quer conceder a coleta lixo em Teresina à iniciativa privada

Empresa que ganhar licitação fará o dimensionamento dos aterros sanitários e recuperar áreas degradadas.

A Prefeitura de Teresina enviou à Câmara de Vereadores, nesta segunda-feira (02), um projeto de lei que autoriza a concessão dos serviços de coleta e tratamento de lixo doméstico da Capital à iniciativa privada. O texto prevê abertura de licitação para escolher a empresa que fará o dimensionamento dos aterros sanitários e recuperar a área degradada do aterro controlado.

O objetivo, segundo a PMT, é dar mais eficiência ao trabalho de coleta e tratamento de resíduos em Teresina, sobretudo no que respeita à destinação final do lixo. Conforme informou a Secretaria Municipal de Parcerias e Concessões, a concessionária será responsável por todos os investimentos e despesas necessários para o novo sistema de coleta e transporte de lixo, além da ampliação do aterro sanitário e sua substituição progressiva por outras formas de tratamento e destinação de resíduos.


Foto: O Dia

“Nosso aterro atualmente tem uma vida útil de mais cinco anos e precisamos encontrar formas ambientalmente adequadas de dar um destino a esse lixo que vai para ele. Importante ressaltar que o projeto atende aos requisitos da Política Nacional de Resíduos Sólidos, inclusive no que respeita ao aproveitamento da mão de obra que realiza a catação de lixo no aterro atual”, pontuou Monique Meneses, secretária municipal de Parcerias e Concessões.

Dentre as medidas que o projeto encaminhado à Câmara prevê está a oferta de melhores condições de trabalho a quem trabalha na coleta de lixo na Capital e também a construção de uma usina de reciclagem e acompanhamento organizacional para comercialização dos produtos reciclados.

Como acontece hoje

Atualmente, a Prefeitura de Teresina é que arca com a maior parte dos custos referentes à coleta, já que a taxa arrecadada em cobrança junto ao IPTU é considerada insuficiente. A Secretaria de Parcerias e Concessões ressaltou, no entanto, que a entrega dos serviços para a iniciativa privada não incorrerá em taxações extras aos teresinenses. “A taxa existente será reestruturada, já que existe para cobrir a coleta domiciliar do resíduo, seu transporte e destinação correta. Esse valor ainda será definido após os estudos”, explicou Monique Meneses.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Produção de gás combustível

Segundo o projeto de lei, a concessão dos serviços de coleta de lixo permitirá, ainda, ampliar gradativamente o reaproveitamento e reciclagem dos resíduos secos e também dos orgânicos, reduzindo o valor transportado para o aterro. A Prefeitura estuda ainda a possibilidade de produzir gás combustível e também adubos, a partir do lixo orgânico, contribuindo para redução da emissão de gases do efeito estufa.

Projeto de concessão da coleta de lixo não é o primeiro

Este projeto de lei prevendo a concessão da coleta e tratamento de lixo à iniciativa privada não é o primeiro do gênero proposto pela Prefeitura de Teresina. No último dia 26, o Executivo encaminhou ao Legislativo Municipal uma proposta semelhante, mas referente aos terminais de ônibus do sistema Inthegra. A ideia é que as 67 estações de passageiro passem a ser administrados pela iniciativa privada, através de um contrato de duração de cinco anos. 

O projeto também foi elaborado pela Secretaria de Concessões e Parcerias e a empresa vencedora da licitação teria entre suas atribuições conservar os terminais, além de poder explorar comercialmente os espaços através de publicidades e locação de pontos comerciais.

02 de setembro de 2019

Calendário muda e IPVA deverá ser cobrado entre janeiro e março

Calendário muda e IPVA deverá ser cobrado entre janeiro e março

Com novas regras, pagamento do imposto deixa de ser de acordo com o final da placa e será entre os meses de janeiro e março.

A partir de 2020 o calendário de pagamento do IPVA  no Piauí terá mudanças no Piauí. As adequações seguem a tendência nacional e estabelecem, dentre outras mudanças, que os veículos que até este ano pagam o imposto de acordo com o final da placa do carro, passem a ser cobrados entre os meses de janeiro e março

A medida está amparada na Lei nº 7192 de 29 de março de 2019 e regulamentada no decreto 18.461 publicado no Diário Oficial do Estado do dia 30 de agosto.

De acordo com a Secretaria de Fazenda (Sefaz), o tradicional desconto de 15% na cota única vai permanecer, só que agora para quem pagar o IPVA  em janeiro. Quem optar por pagar em fevereiro terá um desconto de 10% e em março, 5%.

“Estamos nos adequando a uma tendência que já é realidade há anos em outros estados. Aqui ainda vamos ter um diferencial que é estender o desconto nos três meses destinados ao pagamento. Quem optar pela cota única tanto em janeiro, fevereiro ou março, pagará com o desconto, que é gradual de acordo com o mês”, explica o superintendente da Receita, Emilio Junior.

Semelhantes ao Piauí, adotam o pagamento entre os meses de janeiro e abril os estados de Minas Gerais, São Paulo, Alagoas, Amazonas, Ceará, Goiás, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Tocantins.

Após ser adiado, Alepi lança edital de concurso público

Após ser adiado, Alepi lança edital de concurso público

Concurso será realizado para vários cargos com salários que variam entre R$ 4.068,39 e R$ 2.030,14

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) oficializou, na manhã desta segunda-feira (2), o lançamento do edital do concurso público  para contratação de novos servidores da Casa, previsto para acontecer na semana passada. O certame prevê ao todo 41 vagas e será organizado pela Comissão Permanente de Seleção (Copese) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). CONFIRA O EDITAL. 


Presidente da Alepi e Reitor da UFPI lançam edital do concurso. (Foto: Ascom/Alepi)

A previsão é que o concurso seja realizado  no dia 17 de janeiro do próximo ano e o resultado final divulgado no dia 17 de março. Os aprovados devem ser empossado até julho de 2020. O documento contendo todas regras do concurso estará disponível no site da UFPI.

O presidente da Alepi, deputado Themístocles Filho (MDB), afirmou que o intuito deste certame é qualificar os quadros de servidores do legislativo estadual. “É muito importante para a Assembleia este processo, nossa meta aqui na Casa sempre foi essa de melhorar os serviços oferecidos para a população e o concurso é parte deste processo”, disse.

Entre os cargos disponíveis no edital estão o de consultor legislativo, de nível superior e assessor técnico legislativo, de nível médio, com salário que variam entre R$ 4068,39 e R$ 2.030,14, respectivamente.

Relatório aponta 200 áreas de risco em torno do Aeroporto de Teresina

Relatório aponta 200 áreas de risco em torno do Aeroporto de Teresina

A situação do Aeroporto de Teresina foi debatida durante audiência pública na Câmara de Vereadores, nesta segunda-feira (2).

A polêmica envolvendo o Aeroporto de Teresina parece não ter chegado a um ponto definitivo. Na manhã desta segunda-feira (2), a reforma do Aeroporto Senador Petrônio Portella, localizado no bairro Aeroporto, ou a instalação de um novo terminal em outra área da Capital, foram debatidos em audiência pública realizada na Câmara dos Vereadores. Participaram da audiência, lideranças comunitárias, autoridades da Administração Pública e parlamentares teresinenses.

Segundo estudo desenvolvido pela Secretaria Nacional de Aviação Civil, a região do atual terminal possui em torno de 200 áreas de risco, que segundo recomendação, precisam ser retirados, como residências, o Ginásio Verdão e a Paróquia da Vila Operária. Para o secretário de Transportes, Gustavo Aquino, a situação do terminal reforça a necessidade de implantação de um novo aeroporto, em local ainda não definido.

Aeroporto de Teresina é alvo de discussões desde 2011. (Foto: Arquivo O Dia)

Há três anos, a Secretaria de Transportes elaborou um estudo preliminar para verificar a viabilidade do terminal, com alternativas de terreno para construção de um novo aeroporto em outra zona de Teresina. “É importante que o Governo do Estado, junto com a Prefeitura, formatasse uma proposta concreta e consistente para podermos apresentar ao Governo Federal. Esse aeroporto é federalizado, sob administração da Infraero, então os investimentos precisam vir do Governo Federal”, afirma o secretário de Transportes.

Segundo ele, os técnicos da Secretaria Nacional de Aviação Civil, da Infraero e do Governo do Estado e da Prefeitura de Teresina, são unanimes em dizer que o aeroporto, no local em que está, inviabiliza o crescimento da cidade. "Dentre vários outros tipos de problema, principalmente em relação aos riscos que causa”, declara.

O secretário confirmou a informação de que o Aeroporto de Teresina está na lista do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), com previsão de ser leiloado para a iniciativa privada no segundo semestre de 2020. O Governo do Estado foi comunicado da decisão após reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, há cerca de um mês.

Já de acordo com a secretária municipal de Planejamento, Jhamile Almeida, é importante que a Infraero repense, dentro da proposta de privatização, um estudo técnico para determinar o melhor local para um novo aeroporto. “Nós sabemos que o aeroporto precisa ser repensado, ser colocado num local mais adequado, para a questão do crescimento urbano da cidade. É muito cômodo ele estar no lugar onde já tem algumas conectividades diárias, porém a gente tem essa necessidade em relação à altura de edifícios, edificações, entre outros fatores”, destaca.

Contraponto

A Infraero, órgão responsável pela administração do Aeroporto de Teresina, garante que o Aeroporto de Teresina apresenta todas as condições de segurança e operacionalidade para funcionamento no local atual. De acordo com o superintendente do aeroporto de Teresina, Fernando Nicássio, o terminal recebe uma média de 14 voos diários, com cerca de 1,1 milhão de passageiros por ano, com capacidade para atender o dobro.

“Nós temos feito um trabalho com as prefeituras de Teresina e de Timon, no sentido de eliminar vários obstáculos para garantir a segurança. Esse trabalho é contínuo e tenha certeza de que se o aeroporto tivesse uma segurança que não permitisse a operação, os órgãos que fazem essa fiscalização, como a Anac, já teriam tomado uma medida para interdição. O que a gente precisa é viabilizar continuamente essas condições de segurança para dar longevidade ao aeroporto”, argumenta.

Casos confirmados de dengue aumentam 313% em 2019, diz Sesapi

Casos confirmados de dengue aumentam 313% em 2019, diz Sesapi

Até o momento, 5.432 casos foram confirmados no estado. Em 2018, foram 1.315 ocorrências da doença.

Segundo boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (2) pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), o número de casos confirmados de dengue aumentou 313% em relação ao mesmo período do ano passado. Até o momento, 5.432 casos foram confirmados no estado. Em 2018, foram 1.315 ocorrências da doença. O boletim leva em consideração as notificações das doenças entre o 1º de janeiro a 24 de agosto de 2019.

De acordo com o boletim, 166 municípios piauienses tiveram notificação da doença, com Teresina liderando o ranking com maior número de casos prováveis, incluídos os casos inconclusivos, ignorados/brancos, dengue, dengue com sinais de alarme e dengue grave. Somente na capital, foram 3.668 notificações até o momento. Segundo lugar está o município de Picos (363), seguido de Uruçuí (167), Bom Jesus (140) e Simplício Mendes (126).

Os cinco municípios com maior número de casos prováveis nas últimas quatro semanas epidemiológicas são: Teresina (34), Bom Princípio do Piauí (23), Caraúbas do Piauí (18), Picos (18) e Jacobina do Piauí (12). Até o momento duas mortes causadas por dengue foram confirmadas no estado, sendo uma em Bom Jesus e uma em Teresina.

Casos confirmados de dengue aumentam 313% em 2019, diz Sesapi. (Foto: Arquivo O Dia)

Vale lembrar que existem quatro tipos de vírus de dengue (sorotipos 1, 2, 3 e 4). Cada pessoa pode ter os 4 sorotipos da doença, mas a infecção por um sorotipo gera imunidade permanente para ele. Entre os principais sintomas da dengue são: febre alta, acima de 38.5ºC; dores musculares intensas; dor ao movimentar os olhos; mal estar; falta de apetite; dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo.

Zika e Chikungunya

Os casos de Zika e Chikungunya também apresentaram um aumento em relação ao ano de 2018, ambas também são transmitidas através da picada do mosquito Aedes Aegypti. O vírus Zika foi responsável pela notificação de 43 casos prováveis no estado, um aumento de 48,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 29 casos foram notificados. 

Segundo o Ministério da Saúde, todos os sexos e faixas etárias são igualmente suscetíveis ao vírus Zika, porém mulheres grávidas e pessoas mais velhas têm maiores riscos de desenvolver complicações da doença. Esses riscos aumentam quando a pessoa tem alguma doença crônica, como diabetes e hipertensão, mesmo tratada. Entre os principais sintomas da doença estão: “vermelhão” em todo o corpo com muita “coceira” depois de alguns dias; febre baixa, muitas vezes não sentida; conjuntivite (olho vermelho) sem secreção; dores musculares e dor de cabeça; dor nas juntas.

Já em relação ao vírus Chikungunya, 44 municípios piauienses tiveram um notificações, um total de 842 no período. O número representa um aumento de 61%. Entre os municípios, com maior número de casos prováveis notificados de Chikungunya estão: Teresina (531), Picos (168),  Parnaíba (51), Campo Grande do Piauí (11) e  Luís Correia (09).

O Ministério da Saúde alerta que todas as faixas etárias são igualmente suscetíveis ao vírus Chikungunya, porém as pessoas mais velhas têm maior risco de desenvolver a dor articular (nas juntas) crônica e outras complicações que podem levar à morte. Assim com o Zika vírus, o risco de gravidade e morte aumenta quando a pessoa tem alguma doença crônica, como diabetes e hipertensão, mesmo tratada.

Os principais sintomas da chikungunya são febre, dores intensas nas juntas, em geral bilaterais (joelho esquerdo e direito, pulso direito e esquerdo, etc), pele e olhos avermelhados, dores pelo corpo, dor de cabeça, náuseas e vômitos. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. Normalmente, os sintomas aparecem de dois a 12 dias da picada do mosquito, período conhecido como incubação. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida.

Sesapi cinvestiga cinco casos de Febre do Nilo Ocidental no Piauí

Em relação a Febre do Nilo Ocidental, infecção viral causada pela picada de mosquito, cinco casos estão sendo investigados no Piauí. De janeiro a junho deste ano, 58 supostos casos da doença foram investigados, sendo que, destes, 44 foram descartados por meio de exames laboratoriais.

Em julho, a Sesapi já havia confirmado a primeira morte do Brasil causada pela doença neuroinvasora. A paciente, uma idosa residente em Piripiri, morreu com quadro agudo e fulminante de encefalite. O caso foi notificado em 2017, mas os laudos conclusivos da morte da paciente só foram liberados este ano. Até o momento o estado já confirmou três casos da doença.

Desde a confirmação do primeiro caso de doença neuroinvasiva pelo vírus da febre do Nilo Ocidental, em 2014, a SESAPI recomendou a investigação laboratorial de todos os casos agudos de encefalite, mielite, encefalomielite, meningite asséptica e polirradiculoneurite sem causa conhecida que ocorressem no estado. Os únicos municípios piauienses com casos confirmados até o momento são: Aroeiras do Itaim (um caso), Picos (um caso) e Piripiri (um caso).

Segundo a Sesapi, a ampla investigação procedida no estado colaborou com as modificações no protocolo para diagnóstico laboratorial da doença no laboratório de referência nacional, o Instituto Evandro Chagas. Estas modificações favoreceram uma maior agilidade na conclusão laboratorial das investigações. Dos 58 casos suspeitos notificados no primeiro semestre de 2019, apenas cinco permanecem com exames laboratoriais sob análise. 

Consumo de energia no B-R-O-Bró corresponde a 36% do total do ano

Consumo de energia no B-R-O-Bró corresponde a 36% do total do ano

O aumento nos gastos com a luz e aparelhos eletrônicos sobe de 6% a 12% nos meses mais quentes do ano. Veja dicas de economia.

O Piauí entrou oficialmente no período mais quente do ano. Conhecido como B-R-O-Bró, os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro possuem como marca registrada as altas temperaturas, baixa umidade relativa do ar e a quase ausência de chuvas. Diante do calor e da sensação térmica por vezes desconfortável, os piauienses encontram nos aparelhos de ar condicionado, umidificadores de ar e ventiladores uma saída para tentar amenizar o calor.


O Piauí entrou oficialmente no B-R-O-Bró - Foto: Jailson Soares/O Dia

Com o uso mais intenso e frequentes destes aparelhos, é normal e até esperado o aumento nas contas de energia. Segundo o levantamento feito pela Cepisa Equatorial, concessionária dos serviços de produção e distribuição de energia no Piauí, o consumo de energia elétrica no B-R-O-Bró corresponde a 36% do consumo total de energia do ano. O aumento vai de 6% a 12%% nas contas dos clientes, conforme o que diz o eletrotécnico da empresa, Gilvan Monteiro.

A demanda também aumenta. Por conta do acréscimo considerável do uso da rede elétrica, ela se torna mais suscetível a falhas, como quedas de energia, por exemplo. Para evitar problemas e ficar sem energia, a Equatorial Energia pede que os usuários evitem situações de desperdício e não deixem equipamentos ligados sem que alguém esteja utilizando. Isso serve não só para não sobrecarregar a rede, como também para reduzir os impactos na conta de luz ao fim do mês.


Clientes devem ficar atentos para o aumento do consumo de energia neste período - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Aparelhos de ar condicionado, geladeiras, lavadoras de roupa, equipamentos ligados em modo de espera ou celulares carregando por mais tempo que o essencial podem ser grandes vilões para quem quer manter uma fatura dentro do orçamento familiar previsto. Confira abaixo algumas dicas para reduzir o consumo de energia durante o B-R-O-Bró sem passar calor.

  • Optar por utilização ventiladores ao invés de ar condicionado;
  • Caso utilizar ar-condicionado, tentar utilizar e programar a função “timer” para evitar o uso contínuo durante todo um turno;
  • Desligar o “stand by” ou modo de espera de equipamentos, retirando-os da tomada quando não estiverem em uso;
  • Reduzir o tempo de banho no chuveiro elétrico;
  • Evitar abrir a geladeira o tempo todo, fazer manutenção das borrachas de vedação da porta e optar pela utilização de garrafa térmica para beber água;
  • Não deixar celulares, câmeras, notebooks e outros equipamentos “dormirem” carregando/
  • Trocar as lâmpadas de incandescentes e fluorescentes por lâmpadas de LED, que são mais econômicas e tem maios vida útil.

Instituto Federal cancela 20 bolsas após anúncio de corte pelo Cnpq

Instituto Federal cancela 20 bolsas após anúncio de corte pelo Cnpq

Bolsas ausentes podem comprometer pesquisas na área de silagem no semiárido e na análise de produção e tratamento de água.

Restrição de recursos e corte de benefícios. É esta a realidade pela qual o ensino superior brasileiro vem passando nos últimos meses, desde que o Ministério da Educação anunciou o contingenciamento de recursos repassados às universidades e institutos federais. Após a Ufpi anunciar uma perda de cerca de R$ 33 milhões de suas verbas, foi a vez de o Instituto Federal do Piauí (Ifpi) adotar medidas.

O Instituto cancelará 20 bolsas de Iniciação Científica (PIBIC, PIBITI e PIBIC EM) que haviam sido garantidas em edital junto ao CNPQ.  Pesquisas na área de silagem, que são desenvolvidas no semiárido piauiense, e na área hídrica, como produção e tratamento de água, poderão ficar comprometidas e até parar. O anúncio do cancelamento dos benefícios vem após o próprio CNPQ suspender mais de 400 bolsas nas instituições que compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A medida foi anunciada pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, ainda na semana passada. À imprensa nacional, o gestor falou em total falta de recursos e de condições de sustentar o fornecimento dos benefícios a pesquisadores e estudantes.

“Nós fomos pegos de surpresa com esses cancelamentos, porque tínhamos um edital em vigência, inclusive preparando a divulgação do resultado de quem pleiteou essas bolsas de iniciação científica. Vamos manter o edital, enquanto aguardamos um posicionamento do MEC sobre a possibilidade de a situação se resolver e caso isso ocorra, as bolsas poderão ser entregues”, explica o professor José Luís Silva, pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Ifpi.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Ufpi estuda adesão ao Future-se

Em meio aos cortes de recursos e cancelamentos de bolsas, as universidade federais brasileiras avaliam a possibilidade de aderirem ou não ao Future-se, o programa do Ministério da Educação que propõe, dentre outros pontos, que as instituições gerem as próprias receitas e possam fechar parcerias com o setor privado. Aqui no Piauí, a Universidade Federal está com um grupo de trabalho, estudando o projeto mais a fundo antes de anunciar um posicionamento.

Hoje (02), o reitor, professor Arimateia Dantas Lopes, deve se reunir com o Conselho Universitário para deliberar sobre o assunto. Em sua página eletrônica, a Ufpi disponibilizou um documento contendo todas as diretrizes do Future-se para que a população de maneira geral, não só a acadêmica, tome conhecimento do que está sendo proposto e opine sobre o assunto.

“Investimento privado se daria em detrimento do investimento público”

Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação apresentou ressalvas quanto às propostas do MEC , sobretudo quanto aos cortes de recursos anunciados recentemente pela pasta. Para a presidente da entidade, Flávia Calé, ao facilitar parcerias público-privadas, o Future-se retira do Estado sua função primordial de oferecer de forma gratuita educação de qualidade.

Em entrevista, ela acrescentou ainda que os programas de pós-graduação por todo o país já estão sofrendo com a baixa de pesquisadores, sobretudo aqueles que começariam agora a desenvolver suas primeiras pesquisas. “Dizem que estão cortando bolsas ociosas, mas uma bolsa nunca fica ociosa. Ela encerra e passa automaticamente para outro aluno que passou na seleção. Com isso, os pesquisadores sequer ingressam nos programas e acaba refletindo na redução no número de pesquisas e de gente trabalhando nos laboratórios”, afirmou Flávia.

01 de setembro de 2019

Parada da Diversidade reúne 100 mil contra a intolerância

Parada da Diversidade reúne 100 mil contra a intolerância

Com show da cantora Sandra de Sá e DJs locais, parada trouxe a mensagem do respeito para a avenida.

Neste domingo (01) milhares de pessoas participaram da 18ª Parada da Diversidade de Teresina, que trouxe o tema “Rexistirmos – a que será que se destina?”, uma mensagem contra a intolerância e pela resistência da luta em busca de direitos. 

Além da causa LGBTT+, a parada trouxe a mensagem  contra a intolerância religiosa e conservadorismo da sociedade brasileira.

De acordo com a coordenadora do Grupo Matizes, Marinalva Santana, o evento é uma forma de mostrar a existência de uma parcela da população que ainda sofre com o preconceito, discriminação e a intolerância. O temor é que a onda de conservadorismo e intolerância façam retroagir os direitos já adquiridos e as conquistas do movimento.

“Acreditamos que em um contexto de retirada de direitos e aumento do conservadorismo resistir é a melhor resposta contra a ameaça do fascismo, contra a ameaça do fundamentalismo religioso que nos assombra cada dia mais”, afirma.


Marinalva Santana, coordenadora do Grupo Matizes. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Ainda segundo a coordenadora, pelo menos 100 mil pessoas participaram do evento, seguindo a média de público dos últimos anos. As religiões de matriz africana também estiveram representadas na avenida e reafirmaram o discurso de igualdade de direitos e o respeito em um ato no início do desfile. Para o Babalorixá Di Logumede o evento marca um pedido de paz e em favor do respeito.

“Quando falamos de diversidade, orgulho de ser, devemos ter o amor, amor ao próximo como a si mesmo. Tanto a religião de matriz africana, como as pessoas homoafetivas, que sofrem intolerância, sofrem preconceito, essa caminhada não é só pra quem é homossexual  essa caminhada está enaltecendo a bandeira do respeito, do amor, principalmente amor ao próximo”, comentou o líder religioso.


Religiões de matriz africana participaram da Parada da Diversidade. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Para quem participou na avenida, a parada da diversidade é uma forma de pedir o fim da intolerância, como o caso da estudante de design Sarah Evelin, que já foi vítima de preconceito . É o segundo ano que ela participa e vê na representatividade do evento uma forma de mostrar para a sociedade que os direitos devem ser iguais para todos e o respeito deve prevalecer.

“É um evento que traz muita representatividade pra um grupo que não tem isso na mídia e é muito importante ver todo mundo reunido, lutando pela mesma causa”, diz Sarah.


Sarah Evelin revela que já foi vítima de preconceito e participa pela segunda vez da Parada da Diversidade. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Além da mensagem, o evento traz consigo o trabalho de pessoas como o senhor Edilson da Costa, que é natural do estado do Pará. Edilson trabalha como ambulante todos os anos na Parada da Diversidade e reconhece a luta e diz que somente respeitando o espaço de cada um é possível chegar a uma sociedade mais pacífica.

“Todo mundo tem seu espaço, então a gente tem que respeitar o espaço de cada um. Todos os eventos que podem dar um retorno pra um pai de família ganhar o seu pão são válidos. Estão aqui o vendedor de cerveja, vendedor de água, eu optei por vender bandeiras, então é válido, respeitando o espaço de cada um”, diz Edilson.


Edilson da Costa, vendedor ambulante, vem todos os anos para a Parada da Diversidade. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

A Parada da Diversidade encerrou com show da cantora carioca Sandra de Sá  no estacionamento da Ponte Estaiada.



Exército premia melhores colocados na Corrida do Soldado

Exército premia melhores colocados na Corrida do Soldado

Nesta edição, a corrida teve 450 participantes e foram premiados os melhores colocados em mais de 25 categorias.

Aconteceu na manhã deste domingo (1º), a Corrida do Soldado, evento beneficente em comemoração ao Dia do Soldado, organizado pelo 25º Batalhão de Caçadores (25 BC) em parceria com o 2º Batalhão de Engenharia de Construção (2º BEC). Nesta edição, a corrida teve 450 participantes e foram premiados os melhores colocados em mais de 25 categorias. Todo o valor arrecadado com as inscrições será revertido em alimentos para o Lar de Maria e para o Lar da Criança Maria João de Deus. 

Segundo o comandante do 25º Batalhão de Caçadores, o tenente-coronel Márcio Costa, a corrida é um incentivo do Exército Brasileiro ao esporte e aos atletas piauienses. A estimativa é que, na primeira edição, mais de 1 mil pessoas tenham comparecido ao 25 BC, na Praça Marechal Floriano Peixoto, entre familiares, atletas e amantes do esporte.

Exército premia melhores colocados na Corrida do Soldado. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

“O Exército ao longo de sua história vem sempre incentivado o esporte e nós fazemos corridas em diversos locais do país, eu mesmo pude organizar uma corrida no passado. Para nós é muito importante a participação da sociedade, essa interação com o Exército Brasileiro. Nós estamos aqui para comemorar o Dia do Soldado e também trazer um pouco de esporte pra população de Teresina, que já é uma cidade que o pessoal gosta muito de corrida de rua. Ficamos muito felizes em termos essa rápida adesão e pro ano que vem vamos tentar fazer uma corrida ainda melhor”, afirma o comandante.


O comandante do 25 BC enfatizou ainda a importância de proporcionar uma interação entre a sociedade piauiense e o Exército Brasileiro através do evento. “A razão de ser das Forças Armadas é justamente a nossa população. Para nós é importante que a população conheça o Exército. Em Teresina, as pessoas gostam de frequentar o Exército, nessa Semana do Soldado, por exemplo, tivemos diversas escolas participando de atividades dentro dos batalhões”, destaca.

O coronel Alerrandro Farias (à esquerda) e o comandante do 25 BC, coronel Márcio Costa (à direita). (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

De acordo com o comandante do 2º Batalhão de Engenharia e Construção (BEC), coronel Alerrandro Leal Farias, idealizador do evento, a Corrida do Soldado contou com a participação também de pessoas de outros estados. Na ocasião, o Exército Brasileiro teve a oportunidade de apresentar o trabalho que é desenvolvido pelos batalhões de Teresina. “A participação das duas unidades é muito importante, e é uma oportunidade para mostrarmos um pouco do nosso trabalho. Nós trouxemos barracas onde temos material de emprego militar, dentro e fora do quartel, então vamos proporcionar um evento diferente pra sociedade teresinense, onde o atleta possa vir e ter contato com o Exército”, diz.

O comandante do 2º Batalhão de Engenharia e Construção (BEC), coronel Alerrandro Leal Farias. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Além dos melhores colocados na categoria geral, nos percursos de 5 km e 10 km, também foram premiados os melhores atletas por faixa etária, nas categorias masculino e feminino. Nesta edição, a corrida também teve uma competição voltada para o público infantil, em que foram premiados os três primeiros colocados com idades entre 4 e 12 anos.

Preparação e boa forma conquistam os melhores lugares no pódio

Em conversa com o O DIA, os atletas vencedores foram unanimes em afirmar que a preparação e a boa forma física são essenciais para conquistar os melhores lugares no pódio. É o que explica Anderson Rafael, de 17 anos, primeiro colocado geral no percurso de 5 km. O atleta revelou ao O DIA que treina seis vezes por semana há três anos. Para conquistar o melhor lugar no pódio, o jovem explica que é preciso muita dedicação.

“Eu coleciono medalhas, essa não é a minha primeira. Mas estou muito honrado de estar em primeiro lugar, só tenho a agradecer ao meu treinador, à minha equipe de treino e à minha família. O Exército está de parabéns pela organização, os corredores são todos de alto nível. Me dediquei bastante para conquistar uma boa colocação e estou muito feliz por ter ganhado”, afirma.

Anderson Rafael, de 17 anos, foi o primeiro colocado geral no percurso de 5 km.  (Foto: Elias Fontenele/ O Dia)

A atleta Maria Suziane de Sousa, primeira colocada geral no percurso de 10 km, explica que, apesar de já estar familiarizada com o pódio, foi uma surpresa ter conquistado o 1º lugar entre o público feminino. “É uma sensação maravilhosa. Apesar de já saber que eu estaria no pódio, não imaginaria que ganharia o primeiro lugar, esperava ficar entre as três. Eu treino três vezes por semana e já participei de diversas corridas, e posso dizer que o Exército está de parabéns pela organização”, declarou.

Maria Suziane de Sousa foi a primeira colocada geral no percurso de 10 km. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Os competidores da terceira idade também compareçam à primeira edição da Corrida do Soldado. Com 70 anos, a aposentada Marlene Dourado coleciona troféus. Ao todo, segundo ela, são mais de 50 troféus e medalhas em diferentes competições. Além da corrida, a aposentada também dedica o seu tempo à dança e musculação. 

“Agora tenho mais um troféu para colocar na minha coleção e esse é lindo demais. Eu ia viajar para São Luís e pedi para o meu filho não comprar a passagem porque eu queria competir nessa corrida. Aconselho a todas as pessoas com mais de 60 anos a fazerem uma caminhada, corrida, ou qualquer atividade física. Não se deixem ficar numa cadeira de rodas ou deitado em uma cama, vão à luta como eu fui”, diz emocionada.

Com 70 anos, a aposentada Marlene Dourado coleciona troféus. (Foto: Elias Fontenele/ O Dia)

No entanto, a corrida também atraiu competidores amadores que correm para melhorar a saúde ou pela diversão. É o caso da aposentada Deusenir Leite, de 63 anos. A atleta amadora conta que, devido às atividades físicas, em especial à corrida, conseguiu abandonar a medicação para diabetes e leva uma vida saudável.

“Eu tomava a medicação pra diabetes há 11 anos e, depois que comecei a correr há dois anos, finalmente consegui parar a medicação. Fui ao médico, fiz todos os exames e minhas taxas estão todas normalizadas, estou há três meses sem tomar medicação. Eu amo correr, amo estar na rua correndo com meu marido”, enfatiza.

Zumba, capoeira e massagem

Nesta edição da Corrida do Soldado, o público também foi presentado com atividades lúdicas e relaxantes. O evento contou com a apresentação de uma roda de capoeira com crianças atendidas do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), um aulão de zumba e um posto de massagem. 

Aulão de zumba. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

O professor Childerico Robson, do Grupo Iê Berimbau, coordena o Projeto Novos Titãs, voltado para crianças e jovens atendidos pelo Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). Segundo ele, o grupo topou o desafio de abrir a corrida e inspirar os corredores. Após a competição, o grupo também fez uma roda de capoeira e integrou crianças e atletas. 

Grupo de capoeira Novos Titãs. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

"Procuramos oportunizar e mostrar para a sociedade que não existem barreiras e nem limitações. A gente procura um potencial nessa meninada. Se você busca aquilo que no seu parceiro é eficiente, você não vai estar percebendo as deficiências dele. Então viemos energizar e inspirar os corredores a darem o seu melhor. Sabemos que quem vem pra corrida é porque quer dar o seu melhor, quer fazer o menor tempo, quer terminar o percurso com tranquilidade, então a gente vem sempre no início das corridas para inspirar e trocar essa energia e no final a gente costuma fortalecer nossa participação com uma roda de capoeira, para que o público também veja um pouco mais do nosso trabalho", afirma.

Veja abaixo a lista dos melhores colocados:

FEMININO - 10 KM

1º LUGAR: MARIA SUZIANE DE SOUSA

2º LUGAR: THAYSE RIVANE DE MOURA

3º LUGAR: RAFAELA MOREIRA DA COSTA SOARES

FEMININO - 5 KM

1º LUGAR: INÊS VIANA

2º LUGAR: ILANA MARA SOUSA COSTA

3º LUGAR: CREUSA RODRIGUES

MASCULINO - 10 KM

1º LUGAR: EDINALDO UCHOA

2º LUGAR: MÁRIO WAGNER DE SOUSA

3º LUGAR: ANDRÉ DA CRUZ SILVA

MASCULINO - 5 KM

1º LUGAR: ANDERSON RAFAEL

2º LUGAR: FRANCISCO WENDER PEREIRA DOS REIS

3º LUGAR: CARLOS EDUARDO


31 de agosto de 2019

Justiça determina que o Estado retome as obras da PI-245 em 30 dias

Justiça determina que o Estado retome as obras da PI-245 em 30 dias

Rodovia liga Picos a Itainópolis. Caso decisão seja descumprida, Estado terá que pagar multa e pode ter recursos bloqueados novamente.

A juíza Marina Marinho Machado, titular da comarca de Itainópolis, determinou que o Estado retome as obras de recuperação e recapeamento da rodovia PI-245, que liga os municípios de Picos e Itainópolis, e fixou um prazo de 180 dias para que os serviços sejam totalmente concluídos. A decisão da magistrada atende a uma ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Estadual contra o Departamento de Estradas e Rodagem do Piauí (DER). Veja a decisão na íntegra.

A sentença foi publicada no Diário Oficial de Justiça na última quinta-feira (29). No documento, a juíza Marina Machado lembra que em 2017 o DER-PI abriu licitação e contratou uma empresa para a realização da obra na rodovia com prazo de conclusão de 240 dias, mas que ainda naquele ano, os trabalhos foram suspensos, não tendo sido retomados até o momento. Segundo a decisão, foram recuperados apenas 10 Km, sendo que o trecho abrange 39 Km.

Em julho de 2018, a justiça ordenou que o Governo retomasse a obra da PI-245 no trecho citado, mas a decisão foi descumprida, o que levou a juíza Marina Machado a determinar o bloqueio, por medida cautelar, de R$ 10,5 milhões do Estado.  Nesta última sentença, a magistrada afirmou que “o direito à livre locomoção [...] está sendo inviabilizado a toda uma comunidade, devido às péssimas condições de tráfego da PI-245”. A juíza menciona ainda que há violação da segurança por conta do aumento do risco de acidentes em razão das condições da estrada.


Foto: Reprodução/Pontal Piauí

Marina Machado contestou ainda as alegações do Governo de que há empecilhos financeiros e orçamentários para a retomada da obra. “A obra estava prevista em orçamento, tendo sido inclusive licitada [...]. Conforme manifestou o Ministério Público [...] dentre as verbas recentemente liberadas do programa FINISA I, haveriam valores para o trecho objeto desta lide, ressaltando-se ainda que na última manifestação, o Estado afirmou/confessou que os valores estão liberados”, discorre na decisão.

A magistrada determinou o início das obras em até 30 dias e sua conclusão em até seis meses, sob pena de multa diária de R$ 50 mil a cada um dos requeridos no processo. Em caso de descumprimento da ordem de início das obras, foi fixada também um novo bloqueio de R$ 10,5 milhões das contas do Estado”

A reportagem tentou contato com o diretor do DER, Castro Neto, mas as ligações foram para a caixa de mensagem. O espaço permanece aberto paras futuras manifestações do órgão.

Ainda suspenso pelo PDT, Flávio Nogueira avalia acionar Justiça

Ainda suspenso pelo PDT, Flávio Nogueira avalia acionar Justiça

O deputado segue fazendo críticas quanto à postura da Executiva Nacional do partido em relação a alguns parlamentares.

Ainda suspenso pelo conselho de ética do PDT, o deputado Flávio Nogueira segue tecendo críticas quanto a postura tomada pela Executiva Nacional em relação a ele e outros sete parlamentares foram punidos por não seguirem a orientação partidária e votarem a favor da aprovação da Reforma da Previdência. 

Além das atividades partidárias nas comissões da Câmara Federal, o parlamentar está impedido de exercer a presidente da legenda no Piauí pelo período de 60 dias. Ele questiona a demora para solução do episódio e não descarta acionar a Justiça para resolver o impasse. 

“Está em banho-maria, o que é pior. Fizeram a confusão toda, acho que mais para a mídia, e não resolve o problema [...] Estou suspenso, mas se por acaso demorar mais vou provocar a Justiça, pois quero que resolva”, disse o deputado piauiense. 


O deputado afirma que como militante, seu interesse é permanecer na sigla - Foto: O Dia

Umas das prováveis punições é a expulsão do partido, mas os parlamentares também podem sofrer sanções mais brandas, como uma advertência. Nogueira afirma que apesar de não querer deixar o partido, avalia neste momento quais caminhos deve seguir. 

“Estou estudando isso, mas a minha intenção como militante é não deixar o partido, apesar de estar muito magoado, pelos anos que tenho no partido, 20 anos praticamente, liderando-o. Liderar um partido assim como o PDT não é fácil, mas estou amadurecendo umas ideias, pois não posso ficar assim, com desdém do partido”, argumentou o ainda pedetista.


Leia também:

PSB expulsa Atila Lira por voto a favor da reforma da Previdência 


30 de agosto de 2019

Bombeiros usam viaturas reservas para reforçar combate a incêndios

Bombeiros usam viaturas reservas para reforçar combate a incêndios

Com expectativa de aumento das queimadas, corporação irá manter reforço nas equipes até o final do ano.

Com a chegada do período mais quente do ano, o Corpo de Bombeiros reforça o alerta para a população, a fim de evitar incêndios seja em ambientes abertos, seja dentro de casas ou estabelecimentos comerciais.

Em entrevista à FM O Dia nesta sexta-feira (30) a Major Najra Nunes explica que o Corpo de Bombeiros reforçou as guarnições de combate a incêndio e agora passará a utilizar até as viaturas de reserva no combate às chamas.

Segundo a Major Najra, a atenção no combate ao incêndio irá perdurar até o final do ano será mantida. Em números divulgados recentemente, somente em Teresina os bombeiros realizam uma média de 12 a 15 atendimentos de combate a incêndio por dia .

“A tendência é ter um aumento desses atendimentos , mas nós contamos com a conscientização da população para que a gente acabe com essa cultura com as queimadas”, afirma.

Apesar das dificuldades, a Major Najra cita avanços obtidos para o Corpo de Bombeiros nos últimos anos, como Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para cada integrante da corporação e novas viaturas, distribuídas pelos batalhões dos bombeiros no estado.

““Estamos com uma estrutura boa para o atendimento dessas ocorrências que estão tendo agora. Uma estrutura bem diferente do que tínhamos há uns anos atrás”, afirma a Major Najra.


Major Najra Nunes, explica o reforço nas equipes de combate a queimadas. (Foto: Rodrigo Antunes/O Dia)

Apesar de grande parte dos incêndios serem registrados em ambiente aberto, muitas vezes os incêndios ocorrem em ambientes fechados, e são consequências do descuido em retirar aparelhos da tomada, verificar os possíveis vazamentos de gás e até oscilações elétricas.

“Muitas vezes os incêndios são causados por pequenos acidentes domésticos, esquecimento de eletrodomésticos ligados na rede mesmo sem estar em uso e aí sofre com oscilação de energia ou vazamento de GLP, tudo isso junto com o tempo quente e seco ocasionam os incêndios”, diz a major Najra.

Para situações como essa, os bombeiros orientam os donos de estabelecimentos comerciais, que geralmente demandam mais energia e tem maior probabilidade de causar incêndios, a manterem equipamentos, como extintores de incêndio, sempre em dia.

Em caso de queimadas, o número 193 é disponibilizado para chamada aos bombeiros. O número é de abrangência nacional e direciona a ligação para o quartel do Corpo de Bombeiros mais próxima do local. As recomendações são para que evite queimadas, cuidado ao descartar baganas de cigarros e evitar acúmulo de lixo em quintais e terrenos baldios.

Justiça bloqueia R$ 7 mi do Estado por subutilização de recursos

Justiça bloqueia R$ 7 mi do Estado por subutilização de recursos

Decisão atende a procedimento aberto pelo Ministério Público, que constatou irregularidades em obras no Hospital Infantil Lucídio Portela.

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 7 milhões em verbas do Governo do Estado do Piauí devido à subutilização de recursos assegurados para obras de infraestrutura na área da saúde. A decisão da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública atende a um procedimento administrativo aberto pelo Ministério Público Estadual (MPE-PI) decorrente de reformas e processos licitatórios inacabados no Hospital Infantil Lucídio Portela. 

Foram bloqueados cerca de R$ 1,1 milhão de Emenda Parlamentar, R$ 178 mil do Governo do Estado, que deviam ser usados exclusivamente na obra de 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva do Hospital. Também foram bloqueados outros R$ 6 milhões, oriundos de Emenda, que deveriam ser usados na reforma do bloco da antiga biblioteca do local para abrigar a UTI provisória do Centro Cirúrgico e das Enfermarias.


Irregularidades foram encontradas em obras no Hospital Infantil Lucídio Portela

De acordo com o promotor Eny Pontes, os objetivos aos quais se destinaram os valores acima discriminados não foram alcançados. Diante das irregularidades apontadas pelo ente ministerial, a Justiça concedeu decisão liminar favorável à ação. “De 2015 até a presente data, consoantes relatórios de fiscalização do MP em 2019, não houve efetivação de reforma, sendo fundado o temor do autor e utilização dos recursos para outras despesas o que violaria as regras constitucionais e legais em relação a improbidade administrativa e responsabilidade fiscal”, explica a juíza  da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, Carmelita Angélica Lacerda Brito de Oliveira na decisão.

Em sua decisão, a magistrada determinou ainda que o Estado conclua os processos licitatórios necessários para início das execuções das obras em um prazo de 120 dias, e que apresente um cronograma para acompanhamento dos prazos das conclusões das duas etapas. Caso não cumpra o determinado, a Secretaria Estadual de Saúde e o Governo do Estado estarão sujeitas ao pagamento de multa diária 

O outro lado

A Secretaria de Estado da Saúde e o Governo do Estado do Piauí ainda não se manifestaram a respeito da decisão. O espaço permanece aberto para futuras manifestações dos órgãos.

Após bater em ônibus, Camaro pega fogo na Avenida João XXIII

Após bater em ônibus, Camaro pega fogo na Avenida João XXIII

Camaro amarelo colidiu com o coletivo do Consórcio Urbanus na altura do Banco do Brasil. Não há informações sobre feridos até o momento.

Um veículo modelo Camaro de cor amarela e placa PEO-0880 colidiu com a traseira de ônibus do transporte coletivo de Teresina e acabou tendo um princípio de incêndio na manhã desta sexta-feira (30). O acidente aconteceu por volta das 11 horas, na altura do Banco do Brasil da Avenida João XXIII.  A Polícia Rodoviária Federal teve que ser acionada para conter fazer um resfriamento do motor do carro e evitar que as chamas se alastrassem por todo o veículo.


Foto: Reprodução/Whatsapp

Ainda não há informações de feridos, mas, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os airbags do carro foram acionados e sua frente ficou parcialmente destruída. Foi no motor que o fogo começou. “Estamos ainda fazendo o levantamento do local, mas não sabemos dizer se alguém ficou ferido ou não. O impacto se concentrou mais no capô do carro, mas todos os mecanismos de segurança do veículo foram acionados. O que houve foi um princípio de incêndio que já foi controlado”, explicou o inspetor Alexandro Lima, porta-voz da PRF.


O ônibus no qual o Camaro amarelo colidiu faz linha para a zona Leste de Teresina e pertence ao Consórcio Urbanus (faixa vermelha). Por conta do trabalho da PRF e da espera pela chegada da perícia, o trânsito na Avenida João XXIII encontra-se parcialmente interrompido na marginal leste-centro.


Aguarde mais informações.

Baixa umidade do ar pode causar ressecamento das vias respiratórias

Baixa umidade do ar pode causar ressecamento das vias respiratórias

Os cuidados com a saúde nesse período devem ser redobrados, como orienta otorrino.

O monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe) e do Sistema de Previsão Climatológica (Climatempo) apontam que Teresina se encontra em um nível de alerta para índices de umidade relativa do ar, que tem atingido patamares mínimos, em torno de 25%. O percentual é bem abaixo dos índices considerados ideais pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é entre 60% e 80%. Por isso, os cuidados com a saúde devem ser redobrados, ainda mais com o B-R-O-Bró se aproximando.

O otorrinolaringologista Antônio Luís de Lima explica que, a partir do mês de agosto, as temperaturas tendem a aumentar e, consequentemente, ocorre a queda da umidade. Essa baixa umidade do ar pode causar problemas de saúde que vão desde dificuldade em respirar até o ressecamento da pele e das mucosas. Para evitar esses sintomas, a hidratação é fundamental.

“O recomendado é se hidratar bastante, coisa que nem sempre costumamos fazer, sendo que moramos em uma cidade de clima quente e seco, além de ficarmos sempre em um ambiente com ar-condicionado, que acaba retirando a umidade externa e deixando o ambiente interno mais seco”, comenta.

Quem tem problema de ressecamento nasal, a indicação é lavar o nariz, além de aplicar um gel hidratante de mucosa. Outra orientação é fazer uso de equipamentos, como climatizadores de água, que podem melhorar a umidade do ar.

“Em casa, a pessoa pode colocar uma toalha molhada ou uma bacia de água, o que ajuda a amenizar essa sensação de ressecamento nas vias áreas. Por conta do período, devem ainda redobrar a atenção com idosos e crianças. O idoso, por conta da fragilidade, além de naturalmente não gostar de beber água, correm o risco de desidratação e até de evoluir para um quadro de infecção urinária ou de via aérea”, explica Antônio Luís de Lima, ressaltando que, quando a mucosa resseca, há uma maior chance de ter infecção, como sinusite, bronquite ou até pneumonia.

Crianças

Com relação às crianças, os pais também devem ficar atentos e oferecer líquidos ao longo do dia, mesmo que a criança não peça, especialmente para as crianças menores e que ainda não falam.

O otorrino enfatiza que o horário mais indicado para prática de atividade física é no início da manhã, devido à umidade relativa do ar ainda estar consideravelmente favorável, e à noite. “Durante o dia, depois das 10h até às 16h, a umidade sofre uma baixa, então não aconselhamos que seja praticada atividade física nesses horários, nem ao ar livre e nem em academia”, conclui o otorrino Antônio Luís de Lima.

Workshop ‘Bons de Fogo’ traz a Teresina o chef Bruno Salomão

Workshop ‘Bons de Fogo’ traz a Teresina o chef Bruno Salomão

Especialista em churrasco americano irá apresentar diversas técnicas no evento deste fim de semana.

A escola ‘Bons de Fogo’ traz para Teresina o renomado chef Bruno Salomão, do maior canal do Youtube de churrasco americano, o ‘Cansei de Ser Chef’. Bruno ministrará um workshop nos dias 31 de agosto, das 8h às 17h; e dia 1º de setembro, das 8h às 13h, na churrascaria La Ganadaria, zona Norte da Capital.

No primeiro dia de evento, Bruno Salomão irá apresentar técnicas americanas de barbecue e churrasco defumado, onde será estudada a história do churrasco americano, química e física do churrasco, além das bases para transformar esse produto em negócio.


“Além de falar da história do churrasco americano, também vamos ver as técnicas do churrasco, como temperatura, tempo e algumas curiosidades. A pessoa que não sabe fritar um ovo pode vir que vai sair de lá cozinhando. Cria-se misticismos dentro da cozinha, que nada mais é do que técnica; então, aprendendo a técnica, você faz qualquer coisa. Não estamos aqui para ensinar receita, queremos ensinar a técnica, porque, treinando, você faz na casa ou na sua empresa”, pontua o chef.


Foto: Divulgação

Já no segundo dia de workshop, Bruno Salomão fará uma viagem por diversas regiões do país. Com o tema ‘Comida Brasileira’, o chef trará um pouco da história da gastronomia brasileira e irá preparar pratos como carne de sol com manteiga de garrafa, paçoca de porco na lata, moqueca baiana e arroz de suã.

“Vamos percorrer a cozinha brasileira de raiz, indo de Norte a Sul do País. Vamos aprender a fazer cinco receitas, onde iremos mostrar um pouco de cada lugar e, assim, termos uma abrangência um pouco maior do nosso País. E isso é muito legal porque se criou microculturas dentro da cultura brasileira”, comenta.

Esse será o primeiro curso no Piauí com certificação Pitmaster Brasil. Além disso, todos os participantes poderão degustar dos cortes e pratos realizados durante o workshop, além de apreciar a cerveja Amstel. O curso terá investimento de R$ 600 e o pagamento pode ser feito via transferência bancária ou no cartão em até 3x. Para mais informações, basta entrar em contato através do telefone (86) 99922-1321.


Foto: Divulgação

Bruno Salomão

Premiado pelo Youtube Brasil e Américas, o canal ‘Cansei de ser chef’ está agora com um novo programa, ‘Égua Doido’, que traz receitas e pratos da cozinha brasileira. Bruno Salomão é formado em Gastronomia e em Publicidade e Propaganda, com pós-graduação em Gestão Empresarial. Na gastronomia, o chef é especialista em churrasco americano (churrasco defumado). Além disso, é consultor e participa da Seleção Pitmaster Brasil.

“Cozinhar, para mim, é sobrevivência, na forma mais pontual da palavra. Não somente pela alimentação e nutrição, mas por eu não saber fazer outra coisa na minha vida. Eu nasci para fazer isso e sou escandalosamente feliz fazendo o que faço. Ser chefe não quer dizer nada, apenas que você comandava uma equipe. Eu entrei na gastronomia para ser cozinheiro, eu sou um técnico, gosto de estar na cozinha, sujar tudo e fazer uma comida incrível”, conclui.

Especialistas alertam: hábito de fumar prejudica saúde bucal

Especialistas alertam: hábito de fumar prejudica saúde bucal

Diagnósticos vão de mau hálito, a caries, perdas dentárias até câncer de boca. Secretaria de Estado da Saúde implementou o Programa de Controle do Tabagismo.

Para quem faz do fumo um hábito, as chances de ficar doente são ampliadas. Isto porque, através das substâncias presentes no cigarro, o usuário absorve substâncias tóxicas à saúde, capazes de levar à morte. Na saúde bucal não é diferente. Há uma grande chance em desenvolver um mau hálito, doença periodontal, cárie, perdas dentárias e até câncer de boca por conta do uso contínuo de cigarro.

O dentista César Gustavo, do Conselho Regional de Odontologia do Piauí (CRO-PI) , diz que os agravos trazidos pelo uso do cigarro podem acontecer em qualquer faixa etária. “As substâncias do cigarro atingem os tecidos de sustentação dos dentes por conta da nocividade da nicotina. O aumento da temperatura da boca devido ao uso do cigarro também contribui para acumular placa e tártaro. Então, desde novos, pacientes jovens, mas fumantes, apresentam indícios da formação de alguma patologia, que pode ser mancha, mau hálito ou até doenças mais graves”, explica.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Outro sinal bastante conhecido do hábito de fumar são os dentes amarelados. Isso acontece porque o cigarro apresenta componentes, como nicotina, alcatrão e amônia, que acabam ficando impregnados na superfície dentária.

Toda vez que o fumante inala a fumaça do cigarro aceso, ela passa por toda a sua boca e deixa resquícios desses componentes nos dentes. Com o passar do tempo, o acúmulo desses resíduos forma manchas — inclusive, quem fuma há muitos anos corre o risco de adquirir manchas impossíveis de remover.

“A gente sabe que o cigarro é extremamente prejudicial e as pessoas acabam negligenciando o cuidado com a boca. O mau hálito, por exemplo, vem por conta da fumaça ressecar a boca e inibir a produção de saliva. Isso acaba deixando que permaneçam substâncias que a gente consome na boca que, depois, exalarão o mau odor”, explica o dentista.

Outros tipos de diagnósticos comuns são as doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite, inflamações decorrentes do acúmulo de bactérias. A questão é que como o cigarro tende a causar uma vasoconstrição sistêmica, a gengiva não sangra muito e a pessoa não percebe que algo está errado.

Outras possíveis ocorrências são inchaço e retração da gengiva, amolecimento dos dentes e perda óssea. Por tudo isso, não é difícil encontrar fumantes que já tenham perdido alguns dos seus dentes e tiverem que fazer implantes.

Normalmente, o tabagismo é uma porta de entrada para diversas doenças que afetam a saúde de modo geral. Existe ainda o risco do câncer de boca, que está estampado nas embalagens de cigarro como alerta para a população.

Além da boca, o uso de cigarro também atinge pulmões, garganta e nariz. Por isso, o dentista César Gustavo, lembra que a melhor prevenção para a saúde é a suspensão do uso do hábito de fumar.


Foto: O Dia

Piauí reduz em 70% o número de fumantes

O estado do Piauí reduziu em 70% o número de adultos fumantes em nove anos. Para diminuir ainda mais esse quantitativo, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) lança a campanha “Tabaco e Saúde Pulmonar”. O objetivo é alertar a população sobre o uso do tabaco como fator de risco para várias doenças, como explica a coordenadora de Saúde do Adulto e Idoso da Sesapi, Valdite Leão.

“O fumo é um desencadeador de várias doenças, mas principalmente de câncer de pulmão, traqueia e brônquios. O tabaco fumado em qualquer uma de suas formas é responsável por 90% de doenças pulmonares. E alertar sobre esses riscos à saúde é uma das estratégias da nossa campanha”, destaca Leão.

Em 2009, a Secretaria de Estado da Saúde implementou o Programa de Controle do Tabagismo, que vem avançando significativamente. Neste ano, já são 190 municípios piauienses que oferecem o tratamento em 912 postos de saúde, o que colaborou para a queda do número de fumantes.

“Quando começamos os trabalhos em 2009, o Piauí tinha 18,9% de sua população adulta fumante e, no ano passado, esses números reduziram para 5,5%”, ressalta a coordenadora.

Além de alertar sobre os riscos para a saúde, a iniciativa quer chamar a atenção para os serviços disponibilizados, que ajudam no tratamento de quem quer parar de fumar. “Estamos fazendo capacitações nas onze regionais de saúde. Nossa meta para 2020 é que os 224 municípios piauienses possam oferecer esse serviço, para que esses números caiam ainda mais”, afirmou Valdite Costa.

Para os que desejam parar de fumar, a Secretaria de Estado da Saúde orienta que procure o posto de saúde mais próximo de sua casa, onde será atendido por uma equipe multidisciplinar e contará ainda com medicamentos gratuitos à sua disposição. Outras informações podem ser consultadas na Coordenação de Controle ao Tabagismo da Sesapi, ou por meio do Disque Saúde 136.

29 de agosto de 2019

Dia da Visibilidade Lésbica alerta sofre violências e discriminação

Dia da Visibilidade Lésbica alerta sofre violências e discriminação

Celebrado no dia 29 de agosto, a data propõe o fim do silenciamento e da violência contra mulheres lésbicas.

O Dia Nacional da Visbilidade Lésbica, celebrado nesta quinta-feira (29), tem como objetivo denunciar a invisibilização e as violências sofridas pelas mulheres lésbicas no Brasil. Segundo as ativistas do movimento lésbico a data não é para “comemoração”, mas para fazer uma provocação e um questionamento sobre o silenciamento histórico das mulheres lésbicas na sociedade brasileira.

Marinalva Santana, coordenadora do Grupo Matizes. (Foto: Arquivo O Dia)

De acordo com a socióloga Diana Duarte, ser lésbica numa sociedade que silencia as mulheres e secundarizam os seus afetos é duplamente difícil, uma vez que, além de sofrerem opressões por serem mulheres, elas também são oprimidas pela sua sexualidade. “Um casal lésbico é visto como um fetiche sexual (porque as mulheres são objetos sexuais) ou com desprezo, em função da homofobia. Essa invisibilidade é a causa também da falta de políticas públicas na área da saúde para combater, por exemplo, as DST's”, alerta.

Segundo ela, o Dia da Visibilidade Lésbica deve ser organizado de modo a tensionar as estruturas que condicionam as mulheres lésbicas a lugares de silenciamento. “É um dia que as mulheres lésbicas fazem mobilizações para dizer que nossos desejos são legítimos, que nossos desejos sexuais e afetivos não cabem homens, a existência ou mesmo a ideia de um falo para a satisfação de nossos prazeres ou a garantia de legalidade de nossa família”, destaca.

A socióloga explica que, ao exporem a sua sexualidade, muitas mulheres lésbicas são submetidas a violências para que se conformem com o padrão de feminilidade imposto pela sociedade. “Devido o fato de mulheres se relacionarem entre si sem o desejo de haver um homem, passamos a um lugar de risco muito grande, como os estupros corretivos, já que existe a ideia de que as mulheres se relacionam com outras porque não encontraram o homem ideal”, afirma.

Semana do Orgulho de Ser traz atividades pelo Dia da Visibilidade Lésbica

Em Teresina, o Dia da Visibilidade Lésbica está sendo marcado por atividades da 15ª Semana do Orgulho de Ser, evento organizado pelo Grupo Matizes, e que traz espaços voltados para a discussão sobre o movimento LGBT.

Segundo a coordenadora do Grupo Matizes, Marinalva Santana, a Semana do Orgulho de Ser é pensada também como forma de dar visibilidade ao movimento lésbico, uma vez que as atividades são desenvolvidas todos os anos ao longo da última semana do mês de agosto. “A gente faz uma luta cotidiana pela ampliação dos direitos LGBT e como o Matizes é protagonizado por lésbicas, nós lésbicas somos sujeitas políticas dessa luta, pelo conhecimento de direitos de nós lésbicas e contra a discriminação. Nesse sentido, a as atividades ocorrem na última semana de agosto porque é uma forma da gente lembrar também da visibilidade lésbica”, afirma.

Entre as atividades programadas para fazer alusão à causa está o lançamento do livro Letras da Diversidade: Cenas de Livre Expressão, organizado por Marinalva Santana e Marleide Lins, duas mulheres lésbicas e ativistas dos direitos da população LGBT. O lançamento do livro ocorre às 19h na Galeria Nonato Oliveira, na Universidade Federal do Piauí. “Amanhã também teremos uma festa para reafirmar a nossa condição de mulher que vivenciamos nossa sexualidade com outras mulheres”, diz Marinalva Santana. A festa “Eu gosto de (ser) mulher” acontece nesta sexta-feira (30), a partir das 19 h, no Recanto Caseiro, bairro Cristo Rei.

Maria da Penha recebe título de cidadã piauiense na Alepi

Maria da Penha recebe título de cidadã piauiense na Alepi

A ativista cobrou melhorias no serviço prestado às mulheres vítimas de violência no Piauí e a criação de centros de referência no interior do estado.

A farmacêutica e ativista dos direitos da mulher Maria da Penha Maia Fernandes foi agraciada com o título de cidadã piauiense, em solenidade realizada na manhã desta quinta-feira (29), no plenário da Assembleia Legislativa do Piauí. A proposta de homenagem, de autoria da deputada Lucy Soares (PP), foi aprovada pelos 19 deputados presentes na sessão plenária ocorrida no último dia 13.

A luta da farmacêutica contra a violência doméstica inspirou a lei que leva o seu nome. Sancionada em agosto de 2006, a lei Maria da Penha cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher e é um dos principais instrumentos usados no enfrentamento à violência de gênero no Brasil.

Segundo a deputada Lucy Soares, que presidiu a sessão em um ato simbólico, a concessão do título de cidadã piauiense à Maria da Penha é uma forma de dar voz à luta contra a violência doméstica no Piauí. “Para dizer que a nossa luta continua como mulher. Precisamos de maior atenção por parte do Governo do Estado. Recentemente, visitei alguns serviços estaduais e estão todos a desejar, precisamos fortalecer essa rede, precisamos de um posicionamento do Governo em relação as nossas mulheres. O índice de violência é crescente, precisamos tomar uma atitude”, alerta a deputada.

Deputada Lucy Soares. (Foto: Arquivo O Dia)

Durante a solenidade, Maria da Penha lembrou seu histórico de luta por justiça e a negligência e omissão do Estado Brasileiro em relação à violência doméstica praticada contra as mulheres brasileiras. Foi somente em 2006, mais de 20 anos após as duplas tentativas de feminicídio sofridas por Maria da Penha, que a lei foi criada.  “Os homens matavam suas mulheres e não eram penalizados, muitas vezes essas mulheres morriam e a defesa do agressor levava para o julgamento distorções sobre a conduta moral da mulher, e ele não era punido e saia do fórum em liberdade”, lembra.


A lei, segundo a ativista, é uma “carta de alforria das mulheres”, uma vez que, através dela, as mulheres podem denunciar casos de agressão e verem seus agressores punidos pelos crimes que cometeram. A legislação engloba, além da agressão física, outras formas de violência às quais as mulheres são submetidas cotidianamente, como a violência psicológica, patrimonial, sexual e moral.

Maria da Penha aproveitou a oportunidade para cobrar melhorias no serviço prestado às mulheres vítimas de violência no Piauí, em especial em relação à fiscalização das políticas públicas criadas para atender a Lei Maria da Penha. Para ela, é necessário que as mulheres tenham confiança nas políticas públicas que são criadas e que o serviço seja prestado por profissionais capacitados para que as mulheres sejam atendidas com “dignidade”, evitando, assim, que sofram também uma violência institucional.

A farmacêutica Maria da Penha. (Foto: EBC)

“[Peço] para que cada deputado dessa casa consiga convencer os prefeitos dos pequenos municípios da necessidade de criar o Centro de Referência da mulher em todo município, por menor que ele seja. Esse centro não é pra ser criado com pompas e num espaço próprio. Esse centro tem que ser criado dentro de um posto de saúde ou de um CRAS, que é o lugar que a mulher vai comumente levando seus filhos, ou ela mesma vai ao posto de saúde quando tiver um ferimento, quando for vítima da violência física e precisar ser cuidada”, destaca.

Cidadã teresinense

Além do título de cidadã piauiense, a farmacêutica Maria da Penha também foi agraciada com o título de cidadã teresinense. A homenagem foi realizada durante um diálogo na Praça dos Orixás, São Joaquim, onde a ativista celebrou os 13 anos de implantação da Lei Maria da Penha, que é um dos principais instrumentos usados no enfrentamento à violência de gênero no Brasil. O título foi proposto pelo vereador Venâncio Cardoso.

O momento que fez parte da programação do aniversário de 167 anos de Teresina, contou ainda com apresentações culturais. Além de Maria da Penha, o responsável por divulgar a lei em cordel nas escolas, Tião Simpatia, também recebeu o título de cidadão teresinense.

THE é a capital que mais atende às condições de concessão Bolsa Família

THE é a capital que mais atende às condições de concessão Bolsa Família

Dados são do sistema e-Gestor Atenção Básica e mostram 7 em cada 10 famílias teresinenses estão em dia com as exigências do programa.

Dados do e-Gestor Atenção Básica, sistema de informação da Atenção Básica em saúde do país, indicam que Teresina está em primeiro lugar entras as capitais do Nordeste com maior cobertura no cumprimento das condicionalidades do Programa Bolsa Família na vigência 2019/1 com o percentual de cobertura de 69,4%.

“Sabemos a dificuldade que é chegar até essas famílias beneficiárias em uma capital, por conta das dimensões territoriais e o fluxo migratório dessas pessoas. Elas mudam muito de local. Então para nós, estar com essa cobertura de 69,4% , ou seja, praticamente 7 dentre 10 famílias sendo acompanhadas pelas condicionalidades em saúde é muito bom e nós da prefeitura ficamos muito felizes e parabenizamos todos das Equipes de Saúde da Família e da gestão”, explica Theonas Gomes, técnica da Gerência de Ações Estratégicas da Fundação Municipal de Saúde.

O Programa Bolsa Família foi instituído em 2004 e desde então vem sendo aperfeiçoado. “Nós da área da saúde temos que cumprir algumas condicionalidades, ou seja, no momento que o beneficiário do Bolsa Família assina que vai receber o benefício ele sabe que terá o compromisso de cuidar de sua saúde. E nós como política pública temos a obrigação de cuidar dessa família já que ela está em situação mais vulnerável. Esse cuidado significa o que?! Duas vezes ao ano ter um olhar especial para mulheres de 14 a 44 anos, crianças de 0 a 7 anos, que são parte do público alvo”, diz Theonas Gomes.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Ela fala ainda que essas pessoas são convocadas pelos Agentes Comunitários de Saúde para ir até a Unidade Básica de Saúde e lá serem feitos os atendimentos em saúde. Averiguando as condições como: “Uma mulher, ver se fez citologia, se estiver gestante ver como está o pré-natal, a vacinação, pesa, mede, se tem doença crônica, avaliação quanto a obesidade, alimentação, todo um cuidado. Na criança a mesma coisa. Se é uma criança que faz as consultas, se for bebê se está amamentando bem, como está a vacinação. Ou seja, fazemos uma busca ativa junto a essas famílias”. 

Se o agente comunitário de saúde não encontra essa família, mas ela, família, é ciente de que precisa cumprir as condicionalidades em saúde e procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Os serviços estão disponíveis a elas. 

“Nós utilizamos algumas estratégias de mobilização junto a essas famílias beneficiárias do Bolsa Família. Foi implantado um cartão, onde a família que consulta no primeiro semestre já fica com agendamento de consulta para o próximo semestre, garantindo o retorno dessas pessoas à unidade de saúde. Outra estratégia utilizada que também deu muito certo foi o prontuário eletrônico nas Unidades Básicas de Saúde, pois agora as próprias Equipes Estratégia Saúde da Família colocam as informações pertinentes dos pacientes no sistema”, fala Theonas Gomes. 

Antes as informações eram preenchidas de forma impressa e mandadas ao nível central e lá as informações eram digitadas. A partir do segundo semestre de 2018 isso mudou e as informações já vão direto para sistema no momento que são coletadas, com o novo sistema do Bolsa Família. Então cada Equipe Estratégia Saúde da Família tem a gestão sobre as pessoas que moram nas comunidades assistidas.

28 de agosto de 2019

Maria da Penha denuncia falta de repasses para políticas de gênero

Maria da Penha denuncia falta de repasses para políticas de gênero

Em visita à Teresina, nesta quarta-feira (28), a ativista alertou sobre falta de verbas do Governo Federal para enfrentamento à violência doméstica.

A ativista dos direitos das mulheres, Maria da Penha, participou de uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (28) para falar sobre os principais desafios e conquistas da lei que leva o seu nome. Em visita à Teresina, a ativista celebrou os 13 anos de implantação da Lei Maria da Penha, que é um dos principais instrumentos usados no enfrentamento à violência de gênero no Brasil.

Durante a entrevista, Maria da Penha alertou para a falta de repasses de verbas do Governo Federal para as políticas de atendimento da Lei Maria da Penha no Brasil e para as Casas da Mulher Brasileira, centro de atendimento humanizado e especializado no atendimento à mulher em situação de violência doméstica. "Não se pode cuidar da mulher em situação de violência com o descaso que o Governo Federal tem apresentado", alertou.


Maria da Penha denuncia falta de repasses para políticas de gênero. (Foto: Lalesca Setúbal/O Dia)

Segundo ela, a violência de gênero parte de uma cultura enraizada de que os homens são proprietários das mulheres e afirma que muitos dos agressores vêm de um contexto de violência doméstica e acabam por normatizar e reproduzir as agressões que presenciaram ainda na infância. “Muitos desses homens que provocaram a agressão se sentiam donos dessa mulher, porque se acharam no direito de bater ou assassinar. Esses homens foram criados numa família onde o pai batia na mãe e o avô na vó”, relata.

O Projeto Lei Maria da Penha em Cordel nas Escolas, desenvolvido há cinco anos pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, é, segundo a ativista, um dos instrumentos que reflete a importância de se conscientizar sobre a violência de gênero ainda na infância. Com a iniciativa, já foram atendidas mais de 70 mil crianças em mais de 180 unidades da rede municipal de ensino da capital.

“As crianças de hoje serão os homens de amanhã, devido a essa atitude de sensibilizar as crianças, o índice de violência doméstica em Teresina, perante o Brasil, vai ser um dos mais baixos. Toda tradição, todo costume, se desconstrói quando a cultura se desconstrói através da educação”, afirma.

Maria da Penha foi categórica ao afirmar que acredita na reabilitação de homens agressores e na educação de homens e meninos para a prevenção de novos casos de violência contra a mulher no país. “Esse agressor que foi sensibilizado por essa política de conhecimento sobre a lei e sobre a importância da harmonia do lar talvez não tenha condições de voltar para o relacionamento que causou a sua prisão, mas espera-se que, se ele entendeu o recado, no outro relacionamento ele seja uma pessoa diferente”, destacou.

Maria da Penha denuncia falta de repasses para políticas de gênero. (Foto: Nathalia Amaral/O Dia)

Para Maria da Penha, um dos desafios da lei é quebrar o ciclo do silêncio no qual muitas das mulheres vítimas de violência doméstica se encontram. Segundo ela, as mulheres são educadas a aceitarem as agressões e a silenciarem diante de situações de violência. “Muitas dessas mulheres não contam para ninguém porque elas acham que é vergonhoso. É como se ela fosse culpada de alguma coisa. Então, precisamos encontrar estratégias para chegar à essa mulher”, enfatiza.

A ativista denuncia ainda que a maioria dos municípios do interior ainda possui déficit no atendimento à mulher vítima de violência. De acordo com ela, os mecanismos definidos pela legislação só funcionam a contento nas capitais e grandes centros urbanos. Por isso, é necessário que os municípios façam investimentos para garantir espaços de acolhimento, informação e denúncia para vítimas de violência doméstica. O primeiro passo, segundo Maria da Penha, é a implantação de um Centro de Referência da Mulher Vítima de Violência nessas cidades, para que as vítimas recebam atendimento especializado. 

Em Teresina, as mulheres vítimas podem buscar acolhimento através do Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência - Esperança Garcia, localizado na Rua São Pedro, número 1775, no Centro de Teresina. No local, as mulheres em situação de risco recebem acompanhamento jurídico, psicológico e com a assistência social. 

Além do centro, as mulheres também podem denunciar casos de violência em uma das delegacias especializadas na proteção de direitos da mulher. Ou através do aplicativo Salve Maria, disponível gratuitamente para Android e iPhone (iOS). Através do aplicativo, a vítima pode acionar a polícia por meio da opção “Botão do Pânico” ou ainda enviar denúncias anônimas sobre episódios de agressão. O aplicativo permite incluir também fotos, vídeos e detalhes sobre o caso.

Confira os endereços das delegacias especializadas em atendimento à mulher:

Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher - Centro

End: Rua 24 de Janeiro, 500, Centro-Norte, Teresina-PI

Tel: (86) 3222-2323

Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher - Sudeste

End: Conj. Dirceu Arcoverde (por trás 8º DP), Teresina-PI

Tel: (86) 3216-1572

Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher  - Norte

End: Rua Bom Jesus, s/n, bairro Buenos Aires, Teresina-PI

Tel: (86) 3225-4597

Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher  - Sul

End: Rua Marechal Hermes da Fonseca, no Centro Social Urbano (CSU), bairro Parque Piauí.

Tel: (86) 3220-3858

População do Piauí cresce e atinge 3,27 milhões em 2019, diz IBGE

População do Piauí cresce e atinge 3,27 milhões em 2019, diz IBGE

A população piauiense total cresceu 0,27% entre 2018 e 2019. Um aumento de 54 mil pessoas em relação ao ano passado.

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Diário Oficial da União, desta quarta-feira (28), apontam um aumento da população piauiense em 2019. Segundo a estimativa, o estado possui 3.273.778 habitantes. O número representa um crescimento de 54 mil pessoas em relação ao ano passado. Em 2018, a estimativa populacional era de 3.219.257 habitantes. Os dados têm como referência o dia 1º de julho de 2019.


O levantamento do IBGE também mostra que o estado registrará o seu pico populacional por volta de 2030, quando terá uma média de 3,33 milhões de habitantes. A partir deste ano, a estimativa é de que haja uma redução populacional a partir de 2032, podendo chegar a 2.948.119 em 2060, 325 mil habitantes a menos do que nos dias atuais. 

População do Piauí cresce e atinge 3,27 milhões em 2019. (Foto: Arquivo O Dia)

A população piauiense total cresceu 0,27% entre 2018 e 2019. Entre 2017 e 2018, havia crescido 0,28%.

Envelhecimento da população

Atualmente, 8,74% da população piauiense possui idade superior aos 65 anos. A população em idade adulta, entre 15 e 64 anos, continua sendo predominante no estado, representando 68,60% do número total de habitantes. Já a população jovem, com idade entre 0 e 14 anos, representa 22,66% do total. 

No entanto, segundo o IBGE, esse quadro será revertido até 2060, com a população idosa superando a população jovem. A estimativa é de que até esse período, 24,63% da população será de idosos com mais de 65 anos; 60,31% população estará na idade adulta (15 a 64 anos); e 15,06% será de jovens.

População idosa irá superar a população jovem até 2060. (Foto: Arquivo O Dia)

O envelhecimento da população também é observado através de outro dado divulgado pelo IBGE. O relatório aponta que o índice de envelhecimento da população, ou seja, a relação existente entre o número de idosos e a população jovem numa certa região, que atualmente é de 38,33 no Piauí, chegará a 162,91 em 2060. O cálculo do índice de envelhecimento é expresso em número de residentes com 65 ou mais anos por 100 residentes com menos de 15 anos.

Distribuição percentual de homens e mulheres

Já a distribuição percentual de homens e mulheres continua equilibrada. Os números apontam que as mulheres continuam sendo maioria no estado, com 51,52% do número total de habitantes. A população feminina também continua tendo a maior expectativa de vida ao nascer, com 75,97 anos. 

De acordo com o relatório, os homens piauienses possuem uma expectativa de vida inferior a média nacional, que é de 73 anos. No Piauí, a expectativa de vida dessa população ao nascer é de 67,34 anos. A média total no estado, incluindo homens e mulheres, é de 71,59.

Homens piauienses possuem expectativa de vida inferior à média nacional. (Foto: Arquivo O Dia)

Municípios

Segundo a resolução publicada no Diário Oficial da União, Teresina continua sendo o município mais populoso do estado, com 864 mil habitantes. A capital ocupa a 17º posição no ranking da população das capitais. Em primeiro lugar está a cidade de São Paulo, com mais de 12 milhões de habitantes.

No Piauí, os municípios mais populosos, além de Teresina, são: Parnaíba (153 mil), Picos (78 mil) e Piripiri (63 mil), Floriano (59 mil), Barras (47 mil), Campo Maior (46 mil), União (44 mil), Pedro II (38 mil), José de Freitas (39 mil), Esperantina (39 mil), Oeiras (37 mil), Luís Correia (30 mil), Piracuruca (28 mil), Cocal (27 mil), Batalha (26 mil), Corrente (26 mil), Uruçui (26 mil), Canto do Buriti (21 mil), Uruçuí (21 mil),  Paulistana (20 mil), São João do Piauí (20 mil), Valença do Piauí (20 mil).

Confira abaixo a lista atualizada de todos os municípios piauienses.

UF: Piauí

Acauã 7.084

Agricolândia 5.139

Água Branca 17.411

Alagoinha do Piauí 7.651

Alegrete do Piauí 4.915

Alto Longá 14.304

Altos 40.524

Alvorada do Gurguéia 5.419

Amarante 17.598

Angical do Piauí 6.788

Anísio de Abreu 9.880

Antônio Almeida 3.164

Aroazes 5.835

Aroeiras do Itaim 2.551

Arraial 4.727

Assunção do Piauí 7.846

Avelino Lopes 11.289

Baixa Grande do Ribeiro 11.586

Barra D'Alcântara 3.951

Barras 47.066

Barreiras do Piauí 3.348

Barro Duro 7.032

Batalha 26.857

Bela Vista do Piauí 4.015

Belém do Piauí 3.566

Beneditinos 10.467

Bertolínia 5.501

Betânia do Piauí 6.205

Boa Hora 6.781

Bocaina 4.500

Bom Jesus 25.179

Bom Princípio do Piauí 5.630

Bonfim do Piauí 5.670

Boqueirão do Piauí 6.407 Brasileira 8.329

Brejo do Piauí 3.875

Buriti dos Lopes 19.781

Buriti dos Montes 8.244

Cabeceiras do Piauí 10.586

Cajazeiras do Piauí 3.559

Cajueiro da Praia 7.642

Caldeirão Grande do Piauí 5.776

Campinas do Piauí 5.613

Campo Alegre do Fidalgo 5.045

Campo Grande do Piauí 5.943

Campo Largo do Piauí 7.279

Campo Maior 46.833

Canavieira 3.950

Canto do Buriti 21.187

Capitão de Campos 11.417

Capitão Gervásio Oliveira 4.100

Caracol 10.916

Caraúbas do Piauí 5.868

Caridade do Piauí 5.067

Castelo do Piauí 19.716

Caxingó 5.424

Cocal 27.787

Cocal de Telha 4.891

Cocal dos Alves 6.153

Coivaras 4.020

Colônia do Gurguéia 6.484

Colônia do Piauí 7.656

Conceição do Canindé 4.803

Coronel José Dias 4.682

Corrente 26.644

Cristalândia do Piauí 8.294

Cristino Castro 10.423

Curimatá 11.388

Currais 4.954

Curral Novo do Piauí 5.343

Curralinhos 4.443

Demerval Lobão 13.817

Dirceu Arcoverde 7.011

Dom Expedito Lopes 6.904

Dom Inocêncio 9.556

 Domingos Mourão 4.355

Elesbão Veloso 14.602

Eliseu Martins 4.915

Esperantina 39.737

Fartura do Piauí 5.307

Flores do Piauí 4.463

Floresta do Piauí 2.558

Floriano 59.935

Francinópolis 5.348

Francisco Ayres 4.348

Francisco Macedo 3.184

Francisco Santos 9.319

Fronteiras 11.625

Geminiano 5.442

Gilbués 10.690

Guadalupe 10.499

Guaribas 4.562

Hugo Napoleão 3.877

Ilha Grande 9.426

Inhuma 15.308

Ipiranga do Piauí 9.811

Isaías Coelho 8.549

Itainópolis 11.530

Itaueira 11.019

Jacobina do Piauí 5.741

 Jaicós 19.104

Jardim do Mulato 4.504

Jatobá do Piauí 4.865

Jerumenha 4.452

João Costa 3.008

Joaquim Pires 14.354

Joca Marques 5.443

José de Freitas 39.208

Juazeiro do Piauí 5.478

Júlio Borges 5.627

Jurema 4.763

Lagoa Alegre 8.542

Lagoa de São Francisco 6.758

Lagoa do Barro do Piauí 4.655

Lagoa do Piauí 4.064

Lagoa do Sítio 5.177

Lagoinha do Piauí 2.845

Landri Sales 5.295

Luís Correia 30.311

Luzilândia 25.486

Madeiro 8.310

Manoel Emídio 5.349

Marcolândia 8.492

Marcos Parente 4.549

Massapê do Piauí 6.441

Matias Olímpio 10.936

Miguel Alves 33.760

Miguel Leão 1.246

Milton Brandão 6.613

Monsenhor Gil 10.564

Monsenhor Hipólito 7.749

Monte Alegre do Piauí 10.613

Morro Cabeça no Tempo 4.532

Morro do Chapéu do Piauí 6.796

Murici dos Portelas 9.159

Nazaré do Piauí 7.339

Nazária 8.570

Nossa Senhora de Nazaré 4.870

Nossa Senhora dos Remédios 8.692

Nova Santa Rita 4.374

Novo Oriente do Piauí 6.565

Novo Santo Antônio 2.991

Oeiras 37.029

Olho D'Água do Piauí 2.459

Padre Marcos 6.868

Paes Landim 4.129

Pajeú do Piauí 3.389

Palmeira do Piauí 5.043

Palmeirais 14.539

Paquetá 3.945

Parnaguá 10.791

Parnaíba 153.078

Passagem Franca do Piauí 4.313

Patos do Piauí 6.392

Pau D'Arco do Piauí 4.045

Paulistana 20.523

Pavussu 3.677

Pedro II 38.742

Pedro Laurentino 2.536

Picos 78.222

Pimenteiras 12.127

Pio IX 18.425

Piracuruca 28.791

Piripiri 63.742

Porto 12.568

Porto Alegre do Piauí 2.710

Prata do Piauí 3.151

Queimada Nova 8.992

Redenção do Gurguéia 8.778

Regeneração 17.978

Riacho Frio 4.312

Ribeira do Piauí 4.477

Ribeiro Gonçalves 7.341

Rio Grande do Piauí 6.432

 Santa Cruz do Piauí 6.240

Santa Cruz dos Milagres 4.019

Santa Filomena 6.253

Santa Luz 5.860

Santa Rosa do Piauí 5.257

Santana do Piauí 4.634

Santo Antônio de Lisboa 6.415

Santo Antônio dos Milagres 2.161

Santo Inácio do Piauí 3.798

São Braz do Piauí 4.448

São Félix do Piauí 2.942

São Francisco de Assis do Piauí 5.755

São Francisco do Piauí 6.423

São Gonçalo do Gurguéia 3.041

São Gonçalo do Piauí 5.015

São João da Canabrava 4.608

São João da Fronteira 6.042

São João da Serra 6.139

São João da Varjota 4.840

São João do Arraial 7.989

São João do Piauí 20.601

São José do Divino 5.346

São José do Peixe 3.745

São José do Piauí 6.705

São Julião 6.363

São Lourenço do Piauí 4.573

São Luis do Piauí 2.644

São Miguel da Baixa Grande 2.452

São Miguel do Fidalgo 3.039

São Miguel do Tapuio 17.662

São Pedro do Piauí 14.291

São Raimundo Nonato 34.710

Sebastião Barros 3.469

Sebastião Leal 4.294

Sigefredo Pacheco 10.041

Simões 14.633

Simplício Mendes 12.711

Socorro do Piauí 4.569

Sussuapara 6.730

Tamboril do Piauí 2.919

Tanque do Piauí 2.765

Teresina 864.845

União 44.485

Uruçuí 21.558

Valença do Piauí 20.918

Várzea Branca 4.947

Várzea Grande 4.391

Vera Mendes 3.077

Vila Nova do Piauí 2.971

Wall Ferraz 4.462

Por irregularidades, MP suspende o funcionamento de abrigo de idosos

Por irregularidades, MP suspende o funcionamento de abrigo de idosos

Visita de promotores constatou que o Instituto Nacional Seara não possui qualquer documento que autorize o recebimento de idosos. Acolhidos serão remanejados.

O Ministério Público do Estado do Piauí (MPE) determinou, nesta terça-feira (27), que todas as atividades desenvolvidas pelo Instituto Nacional Seara, abrigo de longa permanência para idosos em Teresina, sejam suspensas devido a irregularidades em seu funcionamento. É que uma vistoria feita por membros da 28ª Promotoria da Capital, constatou que o abrigo recebia os idosos sem ter qualquer tipo de autorização para isso.

Na semana passada, uma audiência conduzida pela promotora Marlúcia Evaristo ouviu os representantes do Instituto Nacional Seara. Na ocasião, o diretor do abrigo, Francisco das Chagas Costa, reconheceu que o espaço está funcionando na informalidade, mas ressaltou que não há e nem nunca houve registros de maus-tratos aos idosos e que já estava nos planos da direção regulamentar as atividades do abrigo.


Foto: O Dia

O MP concedeu o prazo de dez dias para que o Instituto Nacional Seara tome as providências necessárias e regularize sua condição. O diretor do abrigo deverá apresentar toda a documentação solicitada pela promotoria dentro deste prazo, mas até que isso aconteça, todas as atividades do local estão suspensas.

“O CREA [Centro de Referência de Assistência Social] da zona Sudeste vai retirar dois idosos do abrigo e encaminhá-los para o Lar de Santana, que já disse ter disponibilidade. Já os outros idosos deverão retornar para o convívio familiar e caso não seja possível o retorno deles para casa, o CREA deverá, junto com a Semcaspi, adotar as medidas necessárias para o acolhimento destes idosos”, foi o que determinou a promotora Marlúcia Evaristo.

Ufpi cria grupo de trabalho para discutir adesão ao Future-se

Ufpi cria grupo de trabalho para discutir adesão ao Future-se

Programa do Ministério prevê, dentre outros, fechamento parcerias público-privadas com as Federais e a geração de recursos próprios pelas instituições.

No último dia 14, o Ministério da Educação prorrogou até 29 de agosto o prazo para a consulta pública do Future-se, programa do Governo Federal que prevê a criação de um fundo de natureza privada para financias universidade federais e institutos federais. Uma das propostas do Future-se é fechar parcerias público-privadas e permitir que as instituições arrecadem receitas próprias.

Os reitores das universidades e IFES têm autonomia para decidir se vão aderir ou não ao Future-se e. Pelo menos 20 instituições já teriam demonstrado apoio e manifestado interesse em fazer parte do programa. A informação foi repassada pelo secretário de Ensino Superior do MEC, Arnaldo Lima, durante o 3º Internacional de Jornalismo de Educação, que aconteceu em São Paulo nos últimos dias 19 e 20 de agosto, em São Paulo.


Arimateia Dantas Lopes, reitor da Ufpi - Foto: Jailson Soares/O Dia

A Universidade Federal do Piauí, no entanto, ainda não definiu um posicionamento a respeito. Em conversa com a reportagem de O Dia, o reitor da Ufpi, professor Arimateia Dantas Lopes, informou que criou um grupo de trabalho formado por professores de Economia e Direito para analisarem a proposta. O documento com as diretrizes do Future-se está disponível na página da Ufpi na internet, aberto ao público.

O objetivo do grupo de trabalho é basicamente nortear a administração superior da universidade sobre os prós e contras do programa e definir os impactos que ele teria a longo prazo sobre a universidade. Na próxima segunda-feira (02), o reitor se reunirá com membros do Conselho Universitário para apresentar o documento e deliberar a respeito da adesão ou não à proposta do MEC.

“Estamos ainda cautelosos quando ao posicionamento e queremos ouvir a opinião da comunidade para não ser a posição do reitor e sim a posição da comunidade acadêmica e da comunidade como um todo”, explicou Arimateia.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Na avaliação do reitor, o Future-se possui pontos positivos, mas nem tudo que ele prevê vai ao encontro das necessidades e desejos das universidades federais. Uma dessas divergências, segundo ele, é a questão da arrecadação própria pelas instituições. “Se a arrecadação gerada pela universidade ultrapassar o orçamento previsto, a receita não fica pra instituição, ela vai para a União e o que queríamos era uma legislação que flexibilizasse essa relação”.

Outra crítica que Arimateia faz diz respeito à gestão da universidade poder ser feita por uma organização social, segundo o que propõe o Future-se. Para ele, as federais devem ter administração própria e não ter decisões tomadas por entes que não conhecem de dentro o funcionamento das instituições.

“Tenho certeza que no momento oportuno, aderirão”, diz secretário do MEC

Para o secretário de Ensino Superior do MEC, Arnaldo Lima, a adesão das universidades federais ao Future-se é apenas uma questão de tempo. No seu entendimento, quantificar as instituições que já apoiaram o programa não é o objetivo no momento. É tempo para esclarecer pontos que por ventura gerem dúvidas e dar subsídios para que as instituições tomem decisões conscientes.

“Não há que se falar em apoiar ou não apoiar o Future-se, porque ele ainda está em fase de consulta. Mas recebemos o apoio de pelo menos 20 reitores que já entendem que o programa pode dar certo. Recebemos todos os gestores, ligamos para eles e o principal desafio que eles citaram era a liberdade em relação às receitas próprias. Isso é tudo que o Future-se faz. Então todos aqueles que chegaram e pediram, eu tenho certeza que no momento oportuno, consultado o Conselho Superior, aderirão”, disse o secretário.


Arnaldo Lima participou de um debate com a reitora da URF, Denise Carvalho; o reitor da USP, Vahan Agopyan e a presidente da Associação Nacional dos Programas de Pós-Gradução, Flávia Calé - Foto: Divulgação/Jeduca

Lima destacou que o carro-chefe do Future-se é o fomento ao empreendedorismo e o combate à evasão, através do diálogo com as empresas juniores e a geração de startups. A ideia, segundo ele, é premiar os resultados e dar incentivos para que os alunos não abandonem as universidades. As oportunidades de trabalho também se ampliariam. No entendimento do representante do MEC, apoiadas por instituições privadas, as universidades poderão ser uma ponte maior entre os recém-formados e o mercado de trabalho.

Universidades criticam

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de Roraima (UFRR) estão entre as que criticaram duramente as propostas do Future-se, alegando, dentre outras coisas, falta de clareza.  A reitora da UFRJ, professora Denise Pires de Carvalho, participou de uma mesa no 3º Congresso de Jornalismo de Educação, em São Paulo, na presença do secretário do MEC e destacou que o Future-se, a princípio, não fortalece a autonomia da universidade.

Além destas três instituições, a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e a Universidade Federal do Ceará (UFCE) também já se manifestaram contra o Future-se.

ITA quer aderir

O Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) anunciou nesta quarta-feira (28) que quer aderir ao Future-se. A intenção foi anunciada pelo  comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, e pelo reitor do ITA, Cláudio Jorge Pinto Alves. O reitor destacou que o programa abre a possibilidade de ampliar os recursos para os trabalhos, pesquisas e infraestrutura do ITA. “O Future-se, eu acredito, vai facilitar e vai viabilizar uma série de intenções que pessoas e empresas têm, de colaborar com o ITA, e de ter seu nome associado à instituição”, observou Cláudio Alves.

Corpo de Bombeiros recebe de 12 a 15 chamadas de incêndio por dia

Corpo de Bombeiros recebe de 12 a 15 chamadas de incêndio por dia

Ocorrências são tanto na área urbana, quanto na área rural e a maioria decorrente de ação humana.

Altas temperaturas, tempo seco e vento forte elevam os números de queimadas no Piauí. Segundo a major Nájra Nunes, do Corpo de Bombeiros do Piauí, a corporação atende uma média de 12 a 15 ocorrências somente de incêndios, por dia, além de outras demandas.

“São incêndios ocorridos tanto em áreas urbana e rural”, diz, citando que a maioria das queimadas ocorre em razão da ação humana. Ela alerta à população para ter os devidos cuidados com a limpeza de terrenos e na zona rural chama a atenção da preparação do solo para plantação. “Estamos num período muito seco e os ventos fortes levam as fagulhas para vegetação”, explica a major.

A major explica os focos de queimadas são registrados tanto em Teresina quanto no interior e informa que o Corpo de Bombeiros não recebeu qualquer chamada para atender parques e reservas ambientais. “Estamos em alerta para atender a população”, garante a major e recomenda ainda que a população evite atear fogo em qualquer local.


Foto: O Dia

Em caso de necessidade, como os agricultores que preparam suas roças, é importante fazer o aceiro e observar qual o melhor tempo e horário. Outra recomendação do Corpo de Bombeiros é que os terrenos baldios sejam mantidos limpos, sem entulhos e se alguém perceber algum foco deve entrar em contato imediato com o Corpo de Bombeiros, através do telefone 193.

O secretário de Estado da Defesa Civil, Geraldo Magela afirma que a região do semiárido é a mais crítica e a Defesa Civil do Piauí está tomando todas as providências no sentido de prevenir queimadas. “Todas as coordenações da Secretaria estão orientando a população, estamos fazendo campanhas educativas e até agora não houve no Piauí nenhum incêndio que provocasse grandes danos à população”, diz.

Telefones úteis

193 - (Corpo de Bombeiros) - para relatar ocorrência de focos de incêndio

191 - (Polícia Rodoviária Federal) - para relatar acidentes e focos de incêndio em rodovias


Valor do litro da gasolina tem queda 0,19%, aponta ANP

Valor do litro da gasolina tem queda 0,19%, aponta ANP

Proprietário de posto acredita que a capital piauiense seja a cidade cuja venda do combustível gere a menor margem de lucro do país.

Um levantamento divulgado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que o valor da gasolina teve queda entre os dias 18 e 24 de agosto, no Piauí. A pesquisa afirma que o preço caiu 0,19%, passando de R$ 4,512 para R$ 4,503.

Todavia, a ANP registrou que os valores encontrados no Estado variam de R$ 4,373 a R$ 4,790. A equipe de reportagem do Jornal O DIA, então, foi às ruas da Capital para verificar com o consumidor final se a redução do valor do combustível foi sentida nas últimas semanas.

Flávio Cordeiro é proprietário de um posto de combustível na Capital. Ele explica que essa diferença de preço no repasse para os postos, que passou de R$ 4,04 para R$ 4,02, é insignificante. “Nós somos o elo mais fraco, enquanto as distribuidoras mantêm a margem de lucro, nós, infelizmente, não podemos fazer isso. Em Teresina, talvez seja a cidade onde a margem de lucro seja a mais baixa do Brasil”, conta.

O advogado Daniel Coimbra concorda que o valor que baixou é muito pouco e quase não se percebe a variação. “É muito relativo. Eu, particularmente, não tenho sentido essa redução, acho que não chegou no consumidor final. Rodando na cidade, a gente percebe que a diferença de preço é de um a três centavos de um posto para o outro”, diz.


Em Teresina, a gasolina comum está sendo vendida entre R$ 4,46 e R$ 4,59 - Foto: O Dia

Ao andar pela cidade, a equipe constatou que o valor da gasolina comum varia de R$ 4,46 a R$ 4,59. E o frentista José Raimundo conta que a maior queda aconteceu nos últimos 8 meses. “Os motoristas não têm reclamado do preço, mas, nas últimas semanas, está instável, a diferença maior é do início do ano pra cá; fora isso não dá pra sentir a diminuição”, fala.

O mototaxista Carlos Alberto, que trabalha na área há 12 anos, ressalta a importância de estar atento aos postos de combustíveis que ofertam um valor muito baixo. “A gente procura preço melhor nos postos de gasolina, mas se a gente não se preocupar em ver que a maioria pode ser adulterada, pode causar problema no transporte. Eu muitas vezes já senti o efeito na minha moto, já tive até que fazer motor por causa disso”, afirma.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Donos dos Postos de Combustível no Piauí, Alexandre Castelo Branco, a alteração nos valores da refinaria acontece diariamente, só que não é divulgado. “A gasolina é como uma bolsa de valores, todo dia sobe e todo dia desce, e existe um ‘delay’ do tempo de quando a gasolina sobe na refinaria para chegar nos postos, pois não compramos da refinaria e sim as distribuidoras. Mas de uma semana pra cá, o preço da gasolina em Teresina esteve em queda”, expõe.

850 pacientes aguardam transplante de medula óssea

850 pacientes aguardam transplante de medula óssea

Possibilidade de encontrar um doador compatível é de um para cada 100 mil pessoas. Por isso, é importante que mais pessoas se cadastrem.

Brasil possui o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do mundo. No Registro Nacional de Doadores (Redome), mais de cinco milhões de pessoas estão cadastradas como voluntárias e, no Piauí, quase 90 mil pessoas estão nesse banco.

Apesar da grande quantidade de voluntários, a fila de espera por um transplante de medula óssea soma 850 pacientes. Para se ter uma ideia, a possibilidade de encontrar um doador compatível é de um para cada 100 mil pessoas. Por isso, é importante que mais pessoas se cadastrem no Redome.

“O cadastro é simples: a pessoa vai ao hemocentro e assina um Termo de Responsabilidade e é colhido em torno de 5 ml de sangue. Dessa amostra é feito um exame de histocompatibilidade e esse DNA é encaminhado para o Inca (Instituto Nacional do Câncer) através do Redome, onde a história genética do voluntário será confrontada com a dos pacientes que estão aguardando na fila de espera, que são 850 em todo o Brasil”, explica Jurandi Martins, diretor do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado do Piauí (Hemopi).


Para fazer o cadastro, é colhida apenas uma amostra de 5 ml de sangue - Foto: O Dia

A medula óssea é uma substância encontrada nos ossos do ser humano, senda na bacia o local com maior quantidade de medula. É uma célula que gera mais células e serve para cura de algumas doenças do trato, sobretudo hematológicas, infectocontagiosas. O transplante consiste na substituição de uma medula óssea doente ou deficitária por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável. “Essas pessoas que estão precisando de medula óssea, na sua maior parte, só têm condições de vida e saúde reestabelecidas caso realize o transplante”, frisa Jurandi Martins.

Os hemocentros regionais são os responsáveis por cadastrar os interessados em se tornar doadores de medula óssea. Um indivíduo pode ser voluntário para a doação de sangue, doação de medula ou de ambos. É importante que esse desejo seja explicitado no momento do cadastro. No Piauí, os interessados podem se cadastrar nos hemocentros de Teresina, Parnaíba, Picos e Floriano.


“A pessoa que tem entre 18 e 55 anos pode se dirigir até um dos nossos hemocentros"


“A pessoa que tem entre 18 e 55 anos pode se dirigir até um dos nossos hemocentros. Em Teresina, funcionamos de segunda a sábado, das 7h15 às 18h, inclusive no horário do almoço, feriados, e estamos abertos tanto para doador de sangue como de voluntário de medula óssea. No interior do Estado, os regionais são abertos de segunda a sexta, das 8h às 18h”, comenta.

Se houver compatibilidade do voluntário com o paciente que está na fila de espera, todo o procedimento, desde deslocamento, hospedagem e o próprio transplante é custeado pelo Inca. Jurandi Martins reforça que é importante conscientizar a população que vai se cadastrar no banco de voluntários para a espontaneidade do voluntarismo, ou seja, que a pessoa possa ir necessariamente para ajudar ao próximo, seja ele quem for, e não para ganhar algum benefício ou bônus.

Atualização do cadastro

Cerca de 40% das pessoas que estão cadastradas no Redome estão com o endereço desatualizado, o que tem dificultado que o Inca entre em contato, em caso de compatibilidade. Por isso, sempre que possível, deve-se acessar o site e atualizar as informações.

“O doador deve informar sempre que houver alteração em qualquer dado do cadastro (endereço, telefone, etc.). Esta informação pode ser encaminhada pelo site do Redome ou através do Hemocentro que o cadastrou”, finaliza Jurandi Martins, diretor do Hemopi

27 de agosto de 2019

Justiça determina que Governo reforme 15 escolas públicas

Justiça determina que Governo reforme 15 escolas públicas

Após ação ingressada pelo Ministério Público, juíza determinou que Governo reforme 15 escolas consideradas em estado precário.

Uma decisão liminar da titular da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina, a juíza Carmelita Angélica Lacerda Brito de Oliveira, determina que o Governo do Estado elabore e apresente as planinhas de obras e projetos arquitetônicos para a reforma de 15 escolas públicas estaduais consideradas em estado precário na Capital. A decisão é referente a ações civis públicas ingressadas pelo Ministério Público do Piauí, por meio da 38ª Promotoria de Justiça de Teresina.

A decisão da magistrada contempla escolas da zona Sul, Sudeste, Norte, Leste e Centro de Teresina. São elas, as unidades escolares: Ruy Leite Berger Filho, Professora Adamir Leal, Sigefredo Pacheco, Professor Pires de Castro, Professor Milton Aguiar, Cristino Castelo Branco, Firmina Sobreira, Anita Gayoso, Helena Carvalho, Heli Sobral, Engenheiro Sampaio, Benjamin Batista, Teresinha Nunes, Anicota Burlamaqui e Godofredo Freire.

Segundo MPPI, situação das escolas é precária. (Foto: Reprodução)

Além das ações que geraram as liminares, o MPPI ingressou com mais três ações civis públicas contra o Estado, totalizando cinco, nas quais requer a melhoria de outras unidades de ensino, além das mencionadas. As ações tiveram como base inquéritos civis públicos instaurados pela Promotoria de Justiça e que constataram a precariedade na estrutura de 25 escolas, somente na capital.

Após inspeções nas escolas mencionadas, o MPPI constatou que as unidades escolares precisam de reparos e melhorias, pois apresentam problemas estruturais, como: goteiras no telhado, instalações elétricas, falta de sistema de combate a incêndio, bebedouros precários, janelas avariadas, sala de informática desativada, ausência de subestação, que impede o funcionamento dos aparelhos de climatização e precariedade dos aparelhos hidrossanitários. 

Segundo o MPPI, até o momento, o Governo do Estado não adotou medidas para resolver os problemas e regularizar a situação das unidades de ensino vistoriadas, "melhorando a infraestrutura, com a finalidade de garantir o direito fundamental de acesso à educação e o padrão de qualidade de ensino, previstos na Constituição e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação", disse o MPPI em nota.

Em petição com caráter de urgência, foi determinado que o Estado do Piauí, através da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), seja compelido a reformar os prédios onde funcionam unidades escolares para que todas as deficiências estruturais existentes sejam resolvidas. O objetivo é garantir que o ambiente escolar seja propício a uma educação de qualidade às crianças e adolescentes que frequentam os educandários, no prazo máximo de seis meses a contar da ciência da decisão.

Contraponto

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou, por meio de nota, que até o momento não foi notificada pela 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina sobre a decisão. Independente disto, a Seduc comunicou que um plano já está sendo elaborado para reformar estas e outras escolas da Rede Pública Estadual.

Alerta: asma mata mais de 2 mil pessoas por ano no Brasil

Alerta: asma mata mais de 2 mil pessoas por ano no Brasil

Segundo dados do Ministério da Saúde, o problema respiratório acomete 20 milhões de pessoas

A asma, doença que levou à óbito a escritora e roteirista Fernanda Young nesse domingo (25), é responsável por quase 250 mil internações e mais de dois mil óbitos todos os anos no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, o problema respiratório acomete 20 milhões de pessoas, sendo que 20% dos casos são considerados graves, ou seja, os sintomas são mais agressivos e a sensibilidade aos gatilhos da doença é maior.

De acordo com o pneumologista Bráulio Dyego Martins Vieira, quase 10% da população tem asma de forma mais leve, caracterizada por sintomas como tosse, chiado no peito e sensações recorrentes por falta de ar, especialmente no turno da noite e no início da manhã.

“Casos como o da Fernanda Young, que é uma pessoa jovem, são emblemáticos. Nos faz pensar que a asma é uma doença simples, mas ela é potencialmente fatal. A asma mata, não é uma doença inocente. Esses sintomas são leves, mas em alguns casos podem ser mais graves e os sintomas, se intensificarem, podem gerar um quadro de insuficiência respiratória, hipoxemia, levando a uma parada cardiorrespiratória, que é o que pode ter ocorrido com a Fernanda”, explica o médico.

O especialista comenta ainda que, na maior parte dos casos, a asma é uma doença genética, ou seja, adquirida do pai ou da mãe que tem o gene da doença. Porém, o problema pode ser adquirido no decorrer da vida, geralmente por pessoas que se expõem a alguns trabalhos, especialmente em indústrias, ou têm contato com determinados produtos, como de limpeza, sendo esta a asma adquirida.

“Se a pessoa estiver com suspeita de asma, ela deve procurar o médico pneumologista para fazer uma avaliação e exames confirmatórios, dentre eles o exame da espirometria, que detecta que a pessoa tem asma. Além de procurar um médico e ter seu tratamento medicamentoso prescrito, é importante que o asmático siga outras orientações, como evitar infecções, através das vacinações, tomando anualmente a vacina contra Influenza e a cada cinco anos contra pneumococo”, ressalta o pneumologista.

O que evitar?

É fundamental que a pessoa com asma evite ainda exposições alérgicas, como poeiras, ácaros, pólen, pelo de animais, agentes irritantes químicos, como produtos de limpeza, além de fumaça de cigarro, fuligem de queimadas, entre outros. O médico Bráulio Dyego Martins Vieira lembra que a poluição ambiental vem sendo cada vez mais estudada e tem se tornado um dos principais fatores desencadeantes de crises nos asmáticos.

Tratamento é personalizado

Quando o asmático começar a ter crises de falta de ar, chiado e tosse que não melhoram com o tratamento, deve-se procurar o médico, pois as crises podem se identificar e gerar uma hipoxemia e parada cardiorrespiratória. O pneumologista Bráulio Dyego Martins Vieira lembra que o tratamento é feito de forma individualizada e deve ser passado de acordo com orientações médicas.

“Na grande maioria das vezes, pode não acontecer uma hipoxemia, mas em alguns casos sim, por isso, sempre que tiver intensificação desses sintomas de falta de ar, é recomendado procurar o médico para que ele aumente o tratamento naquele período. O tratamento é feito de forma personalizada, ou seja, não existe uma receita de bolo. Alguns pacientes que têm um espectro mais leve vão precisar de bronco-dilatadores, corticoides inalatórios, sendo este o pilar do tratamento. Contudo, algumas pessoas irão precisar de uma quantidade maior de medicamentos, podendo utilizar inclusive drogas que vão agir especificamente na sua doença e que foram recém-estudadas e incorporadas ao tratamento”, salienta o especialista.


Foto: Divulgação

Dados da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) apontam que 47% das pessoas diagnosticadas com asma não utilizam a medicação de forma regular e 73% delas não seguem todas as orientações médicas para o controle da doença, o que pode agravar o problema.

Convivendo com a doença

O professor Bruno Thompis Alves Siqueira Barbosa é asmático e conta que o diagnóstico veio ainda na primeira infância, devido às crises respiratórias que tinha por conta do ambiente e após uma crise grave de pneumonia. Nessa época, ele utilizava bombinha, assim como inalador com bronco-dilatador para conter as crises.

“Recentemente, tive uma crise que me fez retomar o uso da bombinha As crises dependem bastante do ambiente. Se ele é ofensivo à respiração, as crises são mais frequentes. Depois da idade adulta, tenho tido menos crises, mas até os 19 anos as crises eram frequentes. Quando sinto algo mais grave, como dificuldade de respirar, sempre recorro ao inalador e à bombinha. A bombinha só voltei a utilizar recentemente e, quando não a tinha, procurava sempre um posto médico onde sou medicado, normalmente com injeções”, comenta.

Bruno Thompis comenta ainda que, em geral, as crises de asma vêm com gatilhos alérgicos, como poeira, pelos de animais, além da mudança climática e muito esforço físico. Para controlar a crise, o professor destaca que realiza a respiração diafragmática, técnica que aprendeu com um terapeuta.