• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Após hospitais, comissão parlamentar da Alepi vistoria campus da Uespi

Dentro as irregularidades encontradas estão atrasos de salários de servidores, banheiros insalubres e biblioteca desatualizada.

01/10/2019 11:30h - Atualizado em 01/10/2019 12:07h

Assim como já vem fazendo em relação aos hospitais regionais do Estado, a Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) esteve, na manhã desta terça-feira (01), no campus Clóvis Moura, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), localizado no bairro Dirceu Arcoverde, em Teresina, para apurar uma série de denúncias e reivindicações da comunidade acadêmica e de servidores da instituição.

De acordo Carla Daniele, estudante do segundo semestre do curso de Pedagogia da Uespi, os problemas, no geral, estão relacionados a falta de pagamento de servidores terceirizados, que comprometem o funcionamento dos serviços no local. Mas ela também cita o atraso no repasse das bolsas e a estrutura precária do prédio. 


Carla Daniele fala da situação precária do campus Clóvis Moura - Foto: Assis Fernandes/O Dia


Leia também:

Uespi tem mais de 500 disciplinas sem professor, afirma sindicato 

Bolsistas da Uespi estão sem receber o benefício há três meses 


“Vemos o descaso do Governo do Estado com nosso campus, que está abandonado, onde não há manutenção nem reforma para uma estrutura melhor. Nosso campus precisa de uma reforma urgente, precisa ser notado”, denunciou a universitária durante a vistoria realizada pelos parlamentares.

A deputada Teresa Britto (PV), presidente do colegiado, lembrou que o Governo havia se comprometido, ainda quando da greve docente realizada no início deste ano, a solucionar os problemas quanto à estrutura e os salários atrasados dos servidores terceirizados, o que segundo ela, não foi cumprido.

“Ficamos esperando que eles agissem e cumprissem [...] Eles silenciaram e não estão pagando nem fazendo nada. Precarizou mais ainda, de janeiro para cá as coisas só pioraram muito”, disse Britto. Ela defendeu mais autonomia financeira à instituição, que hoje precisa de autorização da Secretaria de Fazenda para movimentar os recursos orçamentários.


Teresa Britto e Gustavo Neiva se reuniram com estudantes e vão levar relatório ao governador Wellington Dias - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Membro da comissão e líder da oposição no parlamento estadual, o deputado Gustavo Neiva (PSB) reiterou as críticas e cobrou solução do Governo e mais fiscalização dos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público do Piauí (MP-PI). “O que encontramos aqui foi o desprezo, o abandono e uma Uespi relegada ao segundo plano, o que é inadmissível, pois é a maior instituição de ensino superior do nosso estado”, finalizou.

Insegurança e carência do básico

Em conversa com o Portal O Dia, a estudante de Letras Português, Maria Vitória Gomes, comenta que os corpo discente da Uespi enfrenta uma situação de abandono, insegurança e carência de itens básicos para uma instituição de ensino, como livros e professores. “A biblioteca está desatualizada, tem problemas nos computadores, tem turma que tem até duas disciplinas sem professor. É frustrante”, diz a aluna.


“A biblioteca está desatualizada, tem problemas nos computadores, tem turma que tem até duas disciplinas sem professor. É frustrante”, diz Maria Vitória Gomes - Foto: Assis Fernandes/O Dia

A falta de segurança no campus também preocupa os estudantes. Maria Vitória conta que na semana passada, uma pessoa foi assaltada na entrada da Uespi do Dirceu quando ia pegar um aluno. Pela manhã, também são frequentes as ações criminosas, na chegada dos alunos. Segundo a estudante, há apenas um segurança para cobrir todo o campus Clóvis Moura.

Fotos: Assis Fernandes/O Dia


Além da falta de efetivo para a segurança e para o corpo docente, os alunos relatam ainda quadras esportivas sem condições mínimas de uso, banheiros insalubres e acúmulo de lixo nos corredores do campus. Até restos de vidro e lâmpadas quebradas se acumulam no material que fica jogado próximo aos muros.

Em uma volta pelo campus Clóvis Moura foi possível ver placas de turmas se deteriorando e cobertas por teia de aranha, portas de banheiro sem fechar direito, acúmulo de folhas, barras de ferro e material de construção próximos aos muros que delimitam o campus e bebedouros sem limpeza.

Comissão anuncia emendas

Após a vistoria, os membros da Comissão de Educação da Alepi se reuniram com estudantes para assinar um termo de compromisso no qual atestaram que conseguiriam recursos para serem investidos na Uespi. Os deputados Teresa Britto (PV) e Gustavo Neiva (PSB) garantiram, ao final da reunião, a destinação de emendas parlamentares para o campus Clóvis Moura.

Serão destinados R$ 100 mil por ano de cada deputado para a Uespi do Dirceu, o que representa uma ajuda de R$ 800 mil ao longo de quatro anos. “Vamos analisar com os demais parlamentares uma emenda de bancada para auxiliar as demandas da Uespi", disse Teresa Britto. 

Por: Breno Cavalcante e Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário