• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Atletismo muda vida de adolescentes no interior do Piauí

A atleta segue agora em preparação para campeonato brasileiro da categoria.

29/08/2019 08:30h - Atualizado em 29/08/2019 08:36h

“Não temos o material adequado, mas nada é desculpa para gente se superar”, esse é o pensamento de Dllyla Sobrinho, de 14 anos, atleta do projeto AMORMED. Treinos com varas de bambu e em colchões comuns. Essa é a realidade dos quase 100 alunos atletas que treinam na equipe que tem como sede o estádio Arturzão, Em Monsenhor Gil, à 62 km da capital Teresina.

O projeto AMORMED surgiu em 2013 com apenas quatro atletas. Atualmente são quase 100 garotos e garotas treinando diariamente. No último final de semana disputaram o Campeonato Norte Nordeste de Atletismo, em Fortaleza e voltaram com medalhas. Em seis anos, o projeto formou campeões piauiense, regionais e brasileiros.

Dllyla Sobrinho treina há quatro anos e competição do final de semana foi mais que especial para a garota que mesmo voltando de lesão conseguiu conquistar medalha de ouro, e de quebra estabeleceu novo recorde na prova a nível regional, saltou 1m85cm. “Os últimos meses foram difíceis por conta da lesão, quando subi no pódio fiquei muito satisfeita”, conta.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Resultado de encher os olhos da mãe Denise, que fala com orgulho da determinação da filha. “Ela saiu dizendo que iria ser campeã e cumpriu a promessa. Quando soube eu liguei logo pros avós dela, que são muito presentes. Dllyla é muito determinada, gosta de ser independente eu acredito que isso é algo que faz diferença no esporte, pois aqui eles fazem milagres” cita Denise Sobrinho.

Atualmente eles se prepararam para Campeonato Piauiense Sub18, que acontece nos dias 14 e 15 de setembro e servirá como seletiva para o Brasileiro Sub18 e também treinam para o Brasileiro Sub16. O atletismo é unanimidade dentro da pequena cidade no interior do Piauí e o projeto AMORMED já colhe frutos fora das pistas.

“Tem alguns meninos aqui que ainda não saíram do ensino médio, porém já estão garantidos em Faculdade, pois foram contemplados com bolsas exatamente por conta desses resultados em Norte Nordeste ou Brasileiros, elas (faculdades) querem que eles os representem. Então eles têm uma perspectiva de futuro através do esporte”, afirma Jozimar, técnico AMORMED.

Diariamente eles treinam com varas de bambu e em colchões comuns. A pista para as provas de velocidades é de piçarra e cheia de buracos. Ao longo dos treinos, água? Só se trouxer de casa, mas mesmo sem estrutura adequada o discurso e a determinação de cada um deles surpreende.

“Treinamos com vara de bambu e quando chegamos na competição é outra vara. Os colchões também são oficiais e a altura é diferente, mas apesar disso a gente não se importa. Queremos competir e seguir competindo, pois o atletismo virou uma paixão”, disse George Luidi, atleta do projeto.

A próxima competição será no dia 14 e 15 de setembro quando acontece a seletiva piauiense para o Campeonato Brasileiro Sub16, na pista de atletismo da UFPI, em Teresina. A equipe da AMORDED terá cerca de 30 atletas competindo.

Por: Pâmella Maranhão - Jornal O Dia

Deixe seu comentário