• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Campanha Papai Noel dos Correios já recebeu 10 mil cartas

População já pode adotar uma cartinha nos postos espalhados pela cidade. Campanha segue até o dia 10 de dezembro

08/11/2019 07:12h

A campanha Papai Noel dos Correios chega a sua 30ª edição em 2019 e já conta com mais de 10 mil cartinhas recebidas. A ação deste ano foi lançada ontem (7) na CMEI Natureza, localizada no bairro Água Mineral, zona Norte de Teresina, que atende 70 crianças. As cartinhas dos alunos foram adotadas pelos funcionários dos Correios e os presentes já foram entregues pelo Papai Noel, que foi recebido com muita alegria pelas crianças.

O superintendente estadual do Correios no Piauí, Raimundo Gomes, lembra que, nesta época do ano, a empresa recebe milhares de correspondências que são encaminhadas ao Papai Noel e ficam à disposição da sociedade para serem adotadas. Ele enfatiza ainda que este é um momento de solidariedade ao próximo, especialmente para as crianças mais carentes.

“Estamos nos aproximando de dezembro e já sentimos o cheiro do Natal e nós, dos Correios, ajudamos a fazer essa magia acontecer, tornando o desejo dessas crianças em realidade. Ano passado, nós presenteamos 8.266 crianças, de um total de 8.856 cartas cadastradas”, disse.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Para este ano, os Correios trazem uma novidade. Ao mesmo tempo que estão fazendo a campanha, já iniciaram a entrega dos presentes nas escolas públicas. Mas, quem desejar entregar sua carta pode fazer até o dia 10 de dezembro nos pontos de adoção localizados na Agência Central dos Correios de Teresina, próximo ao Palácio de Karnak, no centro de Teresina; e na Agência dos Correios do Shopping Riverside, na zona Leste. Já a entrega dos presentes às crianças acontece até o dia 13 de dezembro.

“Essa é uma ação que se espalhou e uniu toda a sociedade. Qualquer pessoa de bom coração pode ir pegar uma ou várias cartinhas e ajudar a manter essa magia do Natal para as crianças do Piauí e do Brasil inteiro”, pontua.

Brinquedos e material escolar entre os presentes mais pedidos

A CMEI Natureza, local de lançamento da campanha deste ano, atende crianças de 3 a 6 anos, nos turnos manhã e tarde. A diretora da escola, Marinalva Sena, conta que os presentes mais pedidos pelos alunos foram brinquedos, como bonecas e carrinhos, além de material escolar.

“Criança gosta de brinquedo. Algumas pediram massinha de modelar, só para você ver como elas são inocentes. Outros pediram piscina porque está muito calor. Alguns pediram mochila escolar porque não têm”, conta a diretora.

Esse já é o terceiro ano que a CMEI Natureza envia as cartas dos alunos para a campanha Papai Noel dos Correios, e este ano foram os escolhidos para o lançamento da ação. Para a diretora, foi uma grande satisfação receber a equipe dos Correios e poder proporcionar esse momento de alegria para as crianças. 


A campanha Papai Noel dos Correios chega a sua 30ª edição em 2019 - Foto: Assis Fernandes/O Dia

“É uma honra receber essa parceria e proporcionar isso para as crianças é algo único na vida deles, pois são janelas afetivas abertas para o futuro. A criança é um ser único e verdadeiro, então o que eles pediram foram coisas que realmente queriam ou não tem oportunidade de ter, como brinquedos”, conclui Marinalva Sena.

A pequena Maria Helena Campelo, de 5 anos, foi uma das alunas que teve o prazer de conhecer o Papai Noel dos Correios pessoalmente. Assim como os outros estudantes da CMEI Natureza, ela escreveu uma cartinha para o bom velhinho e contou o que pediu de presente. “Eu pedi uma massinha de modelar porque adoro brincar e fazer esculturas. Eu gosto muito do Papai Noel e estou muito feliz em poder vê-lo”, disse.

Ser Papai Noel

Há mais de 30 anos, o carteiro Gilvan Cardoso veste, literalmente, o personagem de Papai Noel e, desde então, vem fazendo a alegria de milhares de crianças todos os anos. Ele conta da emoção que é fazer parte dessa grande ação dos Correios.

“Todo ano tem seu diferencial, emoções e, mesmo nesse projeto há 30 anos, não conseguimos conter as lágrimas, pois as crianças relatam, no papel, os sonhos, esperanças e expectativas. A sociedade precisa se unir para este grande ato de solidariedade e colocar o sorriso no rosto de uma criança que vivem em vulnerabilidade”, fala Gilvan Cardoso.

Por: Isabela Lopes, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário