• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Feriado teve cinco acidentes por dia nas rodovias piauienses, diz PRF

As ultrapassagens proibidas lideram como a principal infração realizada pelos condutores. Sete pessoas morreram e 26 ficaram feridas.

18/11/2019 07:47h - Atualizado em 18/11/2019 19:46h

Desde a meia noite da última quinta-feira (14), a Polícia Rodoviária Federal do Piauí vinha intensificando a fiscalização nas estradas piauienses em razão do feriado prolongado da Proclamação da República, que teve lugar no último dia 15 (sexta-feira). O objetivo era reduzir o número de acidentes, mas, mesmo assim, o que se observou foi imprudência de motoristas e números considerados preocupantes.


Em quatro dias de operação, foram registrados pela corporação um total de 20 acidentes, o que significa a média de pelo menos cinco ocorrências a cada 24 horas. Estes acidentes deixaram sete pessoas mortas e 26 feridas. Um dos fatores que impulsionou o número de ocorrências foram as ultrapassagens proibidas, que está entre as infrações que mais matam nas rodovias federais brasileiras. 


Foto: Divulgação/PRF

De acordo com o balanço da PRF, foram detectadas 245 ultrapassagens em locais proibidos e este tipo de manobra está diretamente associado às colisões frontais, que são considerados os tipos de acidentes mais graves e com o maior grau de letalidade nas estradas.

Ao longo do feriado, cerca de 57 mil veículos deixaram Teresina, sendo 26 mil em direção ao sul do estado, pela BR 316, e 31 mil em direção ao norte e litoral, pela BR 343. Foram estas as rodovias que mais registraram fluxo de veículos.


Foto: PRF/PI

Foto: Divulgação

Ao todo, foram fiscalizados 4.469 veículos e 5.590 pessoas. A PRF realizou durante estes dias 1.908 testes do bafômetro e detectou que pelo menos 30 condutores dirigiam sob efeito de álcool. Destes, quatro acabaram presos em flagrante por níveis altos de embriaguez ao volante. Um total de 206 veículos foram recolhidos por estarem em desacordo com o Código Brasileiro de Trânsito.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário