• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

MP apura fraudes em concursos realizados em Altos e Coivaras

Concursos foram promovidos pela empresa Crescer, investigada na Operação Dom Casmurro, deflagrada ontem pela Deccor.

08/11/2019 10:15h - Atualizado em 08/11/2019 10:30h

O Ministério Público do Piauí expediu recomendação administrativa à Prefeitura Municipal de Altos, com orientações para a imediata suspensão do prazo de validade de concurso público organizado pela empresa Crescer Consultoria, um dos alvos da Operação “Dom Casmurro” , deflagrada nesta quinta-feira (07) pela Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor).

A recomendação também foi direcionada ao Município de Coivaras, termo judiciário da comarca de Altos, que está realizando teste seletivo por meio da mesma empresa.

“Os certames podem apresentar irregularidades, a partir de fatos que eventualmente serão revelados no decorrer da operação. Por isso, instauramos procedimento administrativo para pleno acompanhamento de todas as fases de apuração do caso”, pontua o promotor de Justiça Paulo Rubens Parente Rebouças.

O concurso público promovido pela Prefeitura de Altos consta como encerrado e encontra-se em fase de nomeação de aprovados. Já em Coivaras, foi divulgado o resultado final para posterior homologação. 

Nos termos da recomendação, as duas Prefeituras devem se abster de realizar nomeações – no caso de Altos, pelo prazo de até 90 dias – até que se esclareça a existência de eventual fraude no processo de contratação da empresa organizadora.

Entenda

A empresa Crescer é investigada por suspeita de envolvimento em fraudes em licitações e fraudes em concursos públicos do município de Cocal. Em entrevista ao O Dia, o delegado Ferdinando Martins, coordenador da Deccor, informou que as investigações preliminares apontavam que os concursos públicos realizados por duas empresas eram feitos de maneira irregular. 

Deccor investiga fraudes em licitações no município de Cocal. (Foto: Divulgação)

Também foi constatado que as duas empresas alvos dessa operação ganhavam constantemente as licitações para elaborar concursos públicos municipais a partir de editais direcionados

Além da empresa Crescer, o Instituto Machado de Assis, que possui a mesma administração, também é investigado na operação. Ambas são suspeitas de estarem envolvidas com resultados de concursos polêmicos nos estados do Piauí e Maranhão. 

Na mesma operação, foram afastados cautelarmente dos cargos o Secretário de Administração de Cocal e pessoas que atuaram como membros da Comissão Permanente de Licitação do referido município no ano de 2018.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário