• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

PI: Motocicleta lidera número de indenizações por mortes no trânsito

Levantamento aponta que das 1.111 indenizações pagas no estado durante o ano de 2018, 816 foram destinadas a casos envolvendo motocicletas.

24/09/2019 12:46h

A motocicleta é o veículo com maior número de indenizações por morte pagas no Piauí, é o que revela um relatório especial desenvolvido pela Seguradora Líder sobre mortes no trânsito no país. Entre as 1.111 indenizações pagas no estado durante o ano de 2018, um total de 816 foram pagas por mortes ocasionadas por acidentes com motocicletas.


Leia mais:

Ainda segundo o levantamento, o Piauí possui o segundo maior indicador de benefícios por morte no trânsito do Brasil. Em 2018, o país atingiu a quantidade de 34 indenizações pagas, pelo Seguro DPVAT, a cada 100 mil habitantes. 

Acidente com motocicleta em Teresina. (Foto: Arquivo O Dia)

O cálculo considera o número de pagamentos em relação a estimativa populacional. Por isso, apesar de possuir menos indenizações do que outras unidades da federação, como Minas Gerais e São Paulo, e menos do que o líder da tabela, Tocantins, o estado acabou figurando na segunda colocação.

A análise revela que, além da motocicleta, 200 benefícios pagos por acidentes fatais foram destinados a vítimas de acidentes com automóveis, 65 para caminhões e pickups, 19 para ônibus e 11 para ciclomotores.

Já os motoristas são as principais vítimas fatais em acidentes no trânsito, com 64,9% das indenizações pagas, seguido pelo número de pedestres (19,2%) e passageiros (15,9%). Quando analisada a faixa etária, os adultos de 45 a 64 anos foram os que mais morreram, com 276 dos sinistros pagos por morte pelo Seguro DPVAT no último ano.

Os dados revelados durante a Semana Nacional do Trânsito, iniciada no último dia 18 e que termina amanhã (25), revelam que o trânsito ainda deixa milhares de vítimas fatais todos os anos no país. 

No caso do Piauí, o levantamento aponta um crescimento no número de mortes ao longo dos anos. Quando observada apenas a quantidade de benefícios pagos por acidentes fatais, entre 2009 e 2018, sem relacionar à estimativa populacional, o Piauí teve um crescimento de 42%. Em 2009, foram 780 indenizações pagas. 

Ao contrário de outros estados, como São Paulo e Rio Grande do Sul que tiveram redução de cerca de 50% nas indenizações pagas por acidentes fatais entre 2009 e 2018. Somente no Acre, a redução foi de 95%.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário