• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Piauiense cria coleção inspirada na representatividade da cantora Iza

A cantora Iza, com seu visual afrodescendente, foi inspiração para a estudante de moda Vitória Nascimento, que revelou talento e ousadia em sua primeira coleção que também soa como um grito contra o racismo e o preconceito

07/12/2019 09:32h - Atualizado em 09/12/2019 11:11h

Com menos de 30 anos, a cantora Iza ganhou notoriedade ao postar vídeos cantando no Youtube. Hoje, é referência quando o assunto é música, beleza e representatividade afrodescendente. Dona de uma voz poderosa - tanto em cima do palco como fora dele, Isabela Lima foi a inspiração da estudante de Moda Vitória Nascimento ao desenhar sua primeira coleção de encerramento do curso.

Estudante Vitória Nascimento à esquerda. Foto: Arquivo Pessoal.

Quando soube que o trabalho final do curso de Design de Moda seria que os alunos se inspirassem em uma personalidade feminina como macrotema, Vitória disse que não teve dúvidas: sabia que iria escolher a cantora Iza. "Além de acompanhar o trabalho dela e ser muito sua fã, admiro a força que ela tem. Ela é uma mulher com personalidade empoderada, com voz, ela representa as mulheres negras que lutam todos os dias por espaço", afirma a estudante, lembrando ainda que por ter conseguido alcançar sucesso a nível nacional - em 2017 ela emplacou a música "Quem Sabe Sou Eu" na trilha sonora da novela "Rock Story", Iza é ainda exemplo de superação e determinação.

Desfile. Foto: Arquivo Pessoal

Sobre as peças, a estudante apostou no conhecimento que tem do estilo de Iza e sua personalidade, buscando características fortes dela na brincadeira das cores, nas peças assimétricas e sensuais. E a moda, como um espaço inclusivo, é ideal para expor a importância de pessoas com visibilidade passarem mensagens positivas. "A moda é sim um espaço inclusivo, e a cada dia ela vem quebrando padrões, valorizando estilos, mostrando personalidades diferentes e mostrando que cor não influencia", diz Vitória.

A coleção de Vitória, que busca dar voz à população afrodescendente, também homenageia sua família. "Essa coleção é pra da voz a eles também, pois o racismo e o preconceito não escolhem posição social ou cara, não ecolhe pessoas, ele simplesmente ataca", explica ela.

"As pessoas querem nós limitar pela nossa cor e isso interfere muito no nosso cotidiano, sempre gostei de mostrar claramente minha raízes e tenho orgulho da minha cor, do meu cabelo e da minha história", afirma. "Assumir essa identidade e lutar contra o preconceito e o racismo é pagar um alto preço que muitas vezes pode custar minha vida", lamenta ela.

A estudante lembra que sua coleção não deixa de ser uma mensagem, e que seu objetivo é que ela chegue ao maior número possível de mulheres - seja mostrando a força de alguém que trabalhou para criar, seja para mostrar a importância da Iza na sociedade atual. "Não é fácil ser mulher nos dias de hoje, e ser negra é muito mais difícil. Minha coleção traz uma mulher forte ousada e determinada e empoderada, quero encorajar elas a assumirem essa identidade com orgulho, que elas se aceitem como são, que ame seu cabelo a sua cor que não aceitem que pessoas preconceituosas racistas, que falem que a nossa cor nós limita a conquistar nossos sonhos", Vitória afirma, concluindo que "juntas somos mais forte e vamos conquistar o mundo".

Por: Biá Boakari, de São Paulo

Deixe seu comentário