• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Semar nega interdição em praias do Piauí por conta de manchas de óleo

A informação foi confirmada pela secretária estadual do Meio Ambiente (Semar) Sádia Castro, durante entrevista ao O Dia News 1ª edição

16/10/2019 16:05h - Atualizado em 17/10/2019 17:08h

Atualizada às 18h18

É falsa a informação de que praias do litoral piauiense estão improprias ou interditas para banho devido as manchas de óleo que atingiram a região no último dia 30 de setembro. A informação foi confirmada pela secretária estadual do Meio Ambiente (Semar) Sádia Castro, durante entrevista ao O Dia News 1ª edição, na tarde desta quarta-feira (16). 



LEIA MAIS: Instituto encontra vestígios de óleo em tartarugas mortas no litoral piauiense 


Até o momento, as manchas de óleo chegaram a seis praias do Piauí. São elas: Pedra do Sal, Coqueiro, Atalaia, Arrombado, Peito de Moça e Cajueiro da Praia. A Semar informou que intensificou equipes para ajudar investigar e limpar as manchas do desastre ambiental no Piauí. 

Sádia Castro explica a situação das praias do Piauí. Foto: Elias Fontenele

“A Semar em parceria com as prefeituras de Parnaíba e Luís Correira, CMBIL, Capitania dos Portos, IBAMA, além das comunidades, pescadores e atletas todos estão mobilizados para fazer a limpeza da praia. Graças a Deus até o última dia 30 de setembro não foi encontrada nenhuma ocorrência de mancha nas nossas praias”, disse Sádia. 

A secretária considerou “Fake News”, notícia falsa, a informação de que as praias da região estariam impróprias ou interditada para o banho. 

“Não tem praias interditadas no Piauí, é Fake News. Inclusive, notícia diz que é o IBAMA que fez a interdição. O que libera ou interdita as praias é órgão gestor estadual, ou seja a Semar. Até agora não temos qualquer indicativo de interdição e nunca foi cogitada essa possibilidade porque as nossas ocorrências foram pontuais e as praias estão sendo limpas”, explicou. 

Sádia Castro fala de animais encontrados mortos no litoral piauiense. Foto: Elias Fontenele

Questionada sobre o registro de animais mortos em decorrências do óleo, Sádia afirmou que uma necropsia foi feita e identificou a substância em tartarugas. Contudo, segundo ela, não é possível afirmar que os animais morrem em função do óleo. 

“Na praia da Pedra do Sal foram encontradas algumas tartarugas mortas e foi feita uma necropsia em três delas, sendo que em duas foram encontrados resquícios de óleo. Contudo, não podemos afirmar que a morte delas foram provadas pelo óleo ou se elas já estavam mortas e foram oleadas. Na Pedra do Sal tem um ponto de encalhe e sempre aparece animais mortos. Os estudos continuam para identificar todas essas situações”, disse.

---

Cenário Nacional 

A empresa Petrobras informou nesta quarta (16) que já recolheu mais de 200 toneladas de resíduos oleosos em praias do Nordeste atingidas pelo vazamento de origem ainda desconhecida. Segundo a companhia, cerca de 1.700 agentes estão envolvidos nas operações. A estatal disse ainda que o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis - IBAMA - segue ajudando na limpeza das praias nordestinas. 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário