• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Sindicato pedirá a bancos que aumentem limites diários de transações online

Medida visa evitar a ida das pessoas às agências, a formação de aglomeração no interior destes locais e garantir que quem precisa, permaneça em casa.

20/03/2020 10:37h - Atualizado em 20/03/2020 12:26h

Com o decreto de calamidade pública assinado ontem (19) pelo Governo do Estado, ficarão suspensas todas e quaisquer atividades que não sejam consideradas essenciais para a população. Apenas farmácias, mercados, hospitais e serviços bancários deverão continuar funcionando mas, mesmo assim, com restrições para evitar a formação de aglomerações que dissemine o Novo Coronavírus.

Com relação ao sistema financeiro, o Sindicato dos Bancários do Piauí pede que as pessoas evitem ir às agências sem necessidade. Todas as transações que puderem ser feitas online, via aplicativo ou pela internet, devem ser feitas de casa. A ida ao banco deve ficar como última opção. Para garantir que os clientes consigam ter atendimento sem precisar se deslocar, a entidade vai solicitar que os bancos aumentem os limites diários de seus clientes para as transações básicas.

Quem explica é o tesoureiro do Sindicato dos Bancários do Piauí, Arimateia Passos: “em diversos países, os bancos não estão mais atendendo as pessoas presencialmente, então para garantir que elas consigam fazer suas transações, estamos pedindo aos bancos que aumentem os limites para pagamentos e transferências online, bem como os saques nos terminais de autoatendimento. É uma medida simples e que ajuda num momento como esse que estamos vivendo”, diz.


Sindicato pedirá aos bancos que aumente limites diários de transações online - Foto: O Dia

A ideia, segundo Arimateia, é que os bancos mudem os perfis dos seus clientes temporariamente, enquanto perdurar a necessidade do isolamento social. Com isso, o Sindicato espera que as pessoas evitem idas desnecessárias aos bancos e, consequentemente, evitem a formação de aglomerações em filas. Se houver algum caso em que o cliente não consiga resolver pelo autoatendimento, ele será conduzido até a presença de um funcionário, mas ficará dentro de uma cabine, separado dele. A intenção é evitar contatos diretos.

Entidade pede que bancos aumentem horários do autoatendimento

Além de solicitar o aumento dos limites das transações, o Sindicato dos Bancários pedirá também que os bancos estendam o horário de funcionamento dos terminais de autoatendimento nas agências centrais. É que por medida de segurança, muitos entes financeiros começaram a restringir o autoatendimento ao horário comercial, o que impedia as pessoas de fazerem transações simples como um saque, por exemplo, após as 18 horas em alguns locais.

Mas diante da atual crise sanitária, isso deverá ser revisto. “Recomendamos que as agências periferias trabalhem como já trabalham hoje, mas que o banco indique uma agência central, maior e com mais aparato de segurança, para que o autoatendimento permaneça funcionando em horário estendido. Pensamos o seguinte: se restringirmos o horário de funcionamento das agências, mais gente deve procura-las ao mesmo tempo, o que pode gerar aglomeração. Como queremos evitar isso, vamos solicitar que o autoatendimento de alguns pontos funcione até mais tarde”, explica Arimateia Passos.

Quem usar os terminais deve tomar cuidados

Para aqueles que precisarem utilizar os caixas eletrônicos, é importante se atentar às seguintes orientações que os bancários dão: higienizar o terminal (botões, tela e sensor de impressão digital) com álcool em gel antes de iniciar a operação. E quando encerrar, utilizar álcool em gel nas próprias mãos, ao sair da agência. Higienizar também as canetas disponibilizadas nos balcões para preenchimento de envelopes antes de usá-las.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário