• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

THE: Agência bancária fecha após suspeita de coronavírus em funcionário

A agência teve que ser fechada para higienização e voltará a funcionar na próxima segunda-feira (30).

26/03/2020 16:32h - Atualizado em 26/03/2020 17:05h

A Caixa Econômica Federal informou nesta quinta-feira (26) que a agência bancária Dirceu Arcoverde, localizada na Zona Sudeste de Teresina, afastou um funcionário por suspeita de coronavírus. A agência teve que ser fechada para higienização e voltará a funcionar na próxima segunda-feira (30).

A assessoria de comunicação da Caixa informou que o empregado está em isolamento domiciliar e que os demais funcionários da agência receberam orientações da doença e foram liberados para trabalho remoto em casa. Os sintomas apresentados pelo funcionário não foram detalhados pela empresa.

O último Informe Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde aponta para oito casos confirmados do novo coronavírus no Piauí e 167 pessoas estão sendo investigadas. Até o momento, 173 casos foram descartados pelo Laboratório Central (Lacen).

A caixa disse vem adotando uma série de ações preventivas sobre o Covid-19 para funcionários e clientes. Entre as ações, estão à substituição de reuniões, treinamentos e pontos de controle por chats, vídeos ou audioconferência. Os trabalhadores que estão no grupo de risco foram liberados para o trabalho remoto. De acordo com a empresa, gestantes e pessoas com mais de 60 anos, imunossuprimidos, diabéticos e portadores de doenças crônicas estão desempenhando suas atividades de casa. 

Em relação aos clientes, a empresa informou que disponibilizou recursos para adesão de produtos essenciais na prevenção do Covid-19 e solicitou a intensificação de limpeza de suas unidades. A caixa assegurou que está controlando a entrada e saída de pessoas nas agências bancárias bem como o gerenciamento das filas para atender os clientes do grupo de risco. O fluxo de clientes dentro das agências está sendo limitado a 50% da capacidade dos assentos, para que seja possível manter a distância de no mínimo 1 metro entre as pessoas.

A empresa disse que segue acompanhando a situação, com o objetivo de avaliar medidas futuras que podem ser tomadas em decorrência da evolução da doença no Estado. 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado

Deixe seu comentário