• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Carro que levou acusados de matar jogador era de piauiense

A Land Rover na qual estavam Edison Brittes e Cristina Brittes, réus pela morte do jogador do São Paulo Daniel Correa, pertence a um jogador de futebol piauiense.

03/09/2019 12:20h - Atualizado em 03/09/2019 17:27h

O nome do jogador piauiense Rondinelle Paixão Alves foi citado no processo do assassinato do também jogador de futebol Daniel Correa, que atuava pelo São Paulo, e foi morto a facadas em outubro do ano passado no Paraná. É que o veículo no qual os réus pelo crime foram presos está no nome do futebolista piauiense. A informação consta em uma reportagem publicada pela UOL nesta terça-feira (03).

Segundo a matéria, Rondinelle colocou o veículo à venda por meio de uma loja de carros de Curitiba. Ele foi adquirido por alguém, mas o piauiense não sabia quem era o comprador. Toda a negociação foi mediada pela loja Itupava Motors, de acordo com o advogado de Rondinelle. Seu representante acrescentou ainda que ele teria recebido somente uma parte do valor pedido no carro e, por conta disso, nunca transferiu o veículo de seu nome para o nome do novo dono.

Pelo calote, Rondinelle processou a Itupava Motors e o imbróglio em torno do veículo foi parar na Justiça de Curitiba. Uma audiência de conciliação chegou a ser feita em abril deste ano, mas sem acordo entre as partes. A última vez que a Land Rover Evoque de Rondinelle foi vista foi justamente na noite de 31 de outubro, quando os acusados pela morte de Daniel Correa foram presos. Edison e Cristiana Brittes estavam no veículo, que era conduzido por Dênis Araújo.

Em entrevista ao UOL, Dênis Araújo afirmou que o carro era seu, apesar do veículo estar registrado em nome do jogador piauiense. Segundo ele, o veículo foi devolvido à Evoque no dia seguinte à prisão, porque era duas portas, o que o teria desagradado. Ainda de acordo com Dênis Araújo, o Land Rover foi devolvido e ele teria recebido um veículo Amarok em troca.

Segundo o UOL, o advogado de Rondinelle teria explicado que a Justiça determinou a busca e apreensão do carro de luxo, mas até o momento o mesmo não foi encontrado. O representante do jogador disse não ter informações sobre o atual proprietário e nem o paradeiro do veículo.

A advogada da loja de veículos foi procurada pelo site de notícias, mas preferiu não comentar o caso.



Por: Nathalia Amaral e Maria Clara Estrêla, com informações do UOL.

Deixe seu comentário