• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Homem de 38 anos é preso por estuprar a filha de 6 anos

Mandado de prisão por estupro de vulnerável foi expedido pela Central de Inquéritos, e o acusado foi preso no bairro Piçarreira, zona Leste de Teresina

17/07/2019 16:15h

A Polícia Civil do Piauí prendeu, na manhã desta quarta-feira (17), um homem de 38 anos que é suspeito de ter estuprado a própria filha, que tinha apenas seis anos à época do crime.

O mandado de prisão por estupro de vulnerável foi expedido pela Central de Inquéritos, e o acusado foi preso no bairro Piçarreira, zona Leste de Teresina, por policiais civis das Gêrencias de Polícia Especializada (GPE) e Metropolitana (GPM).

Em 2018, o Conselho Tutelar fez a denúncia à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, em virtude de comportamentos estranhos da criança na escola municipal onde ela estuda, momento em que fora iniciada a investigação pela Polícia Civil. 

Nos autos do inquérito constam os depoimentos da criança e de terceiros, juntamente com relatório de acompanhamento de equipe multidisciplinar e laudo pericial, que atestam o crime em questão. 

De acordo com o delegado Matheus Zanatta, coordenador da Gerência de Polícia Especializada (GPE), a criança foi retirada do âmbito familiar e se encontra em um abrigo.

"Em 2018 nós abrimos o inquérito policial, começamos a colher os elementos informativos, a criança foi escutada por psicólogos e assistentes sociais. Temos um relatório do acompanhamento dessa criança e também temos outros depoimentos que indicam a veracidade desses fatos. Representamos pela prisão preventiva, o juiz da Central de Inquéritos deferiu e nós cumprimos a prisão preventiva. Esse indivíduo já tem passagem pela Polícia, foi preso em flagrante pelo crime de roubo, no ano de 2005, na cidade de Campo Maior. Essa criança está afastada do seio familiar, encontra-se num abrigo. E agora o próximo passo é relatar e concluir as investigações", afirma Zanatta.

Matheus Zanatta acrescenta que o inquérito continuará investigando se a mãe ou outro familiar tinha ciência do crime e foi condescendente com o acusado. "A princípio, está sendo feito um levantamento para verificar se a genitora tinha conhecimento desses fatos e estava omitindo. Mas no bojo do inquérito policial temos elementos que dão conta de que esse investigado ameaçava a criança se ela contasse para a sua mãe. Temos esses elementos que confirmam essas ameaças", acrescenta o delegado.

Por: Francisco Filho

Deixe seu comentário