• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • Clínica Shirley Holanda
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Suspeito de matar comerciante durante roubo é preso no Piauí

Suspeito foi preso no dia do seu aniversário no município de Campo Maior. O comerciante morto com tiro no tórax.

09/11/2019 11:47h - Atualizado em 10/11/2019 09:44h

Um homem identificado como Gleison Lima da Silvafoi preso suspeito de participar do roubo que terminou com a morte do comerciante Paulo Wellington Alvarenga, no dia 24 de setembro deste ano, no bairro Alto da Ressurreição, na zona Sudeste de Teresina .

Na época, dois homens em uma motocicleta invadiram o estabelecimento, anunciaram o assalto, mas Paulo Wellington teria reagido a ação e, em seguida, foi atingido com um tiro no tórax. O comerciante chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Jarbas Lima, o suspeito foi detido durante diligências no município de Campo Maior. O delegado contou ainda que a prisão ocorreu no dia do seu aniversário.

“Ontem foi justamente o dia do aniversário do Gleison, mas quem tá ganhando o presente é a sociedade por estar tirando um elemento altamente perigoso das ruas. Ele é suspeito de matar o comerciante com ajuda do comparsa chamado Henrique. A prisão foi feita por policiais militares e civis durante diligências na região de Campo Maior”, disse.

Delegado do DHPP, Jarbas Lima. Foto: Jailson Soares. 

Em depoimento à polícia, Gleison disse que foi “contratado” para roubar a S10 da vítima e, que pelo crime, receberia uma quantia de R$ 5 mil. A investigação constatou também que os suspeitos levaram no dia do crime um celular, o carro e mais R$ 1 mil.

A polícia informou ainda que imagens de uma câmera de segurança do mercado registraram toda a ação e ajudaram na identificação dos suspeitos.

Gleison foi encaminhado para Central de Flagrantes onde deverá responder pelo crime de latrocínio, quando há roubo seguido de morte.

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário