• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Quadrilha que roubava gados causou prejuízo de R$ 600 mil

Organização criminosa é suspeita de atuar nos estados do Piauí, Pará, Ceará, Pernambuco e Maranhão.

22/11/2019 08:26h - Atualizado em 22/11/2019 08:53h

O 21º Distrito Policial, coordenado pelo delegado Odílio Sena, conseguiu desarticular uma quadrilha especializada no roubo e furto de gados em pelo menos cinco estados, incluindo o Piauí. De acordo com informações do titular do 21º DP, o grupo é suspeito de causar prejuízo de cerca de R$ 600 mil aos criadores de gado na região das cidades de Altos e Teresina.


Leia também: Polícia investiga esquema de distribuição de drogas em escolas 


O grupo, que atuava desde 2014, era bem organizado e possuía uma grande estrutura para praticar as ações criminosas no Piauí, Pará, Ceará, Pernambuco e Maranhão. No início da noite desta quinta-feira (21), o suposto gerente da quadrilha, identificado como Luís Sousa das Neves, vulgo Luisinho, foi preso agentes do 21º DP por suspeita de envolvimento nos crimes. Junto com o suspeito, foi apreendido um caminhão que teria sido usado nas ações.

“Ele ia nessas localidades na parte da noite, levava caminhões de diferentes tipos, tinha uma estrutura grande, com carros, caminhonetes, aqueles caminhões que carregam gado. Para eles não importava se era gado de raça, mestiço, de leite ou de carne”, explica o delegado Odílio Sena.


A ação foi coordenada pelo delegado Odílio Sena, titular do 21º DP de Teresina - Foto: Reprodução

Segundo o delegado, o grupo ia até as fazendas durante a noite e tocava o gado para dentro dos caminhões. Os animais roubados eram levados para uma comunidade na zona Rural da cidade de Timon, de difícil acesso. Lá, os animais eram abatidos clandestinamente e a carne era revendida no mesmo município.

“Um policial militar aposentado que mora em Timon teve um prejuízo de 38 carneiros de raça, cada carneiro custa em média R$ 2 mil reais. Eles foram a noite, quebraram a cerca e levaram os carneiros de raça. Somente essa vítima teve prejuízo de quase R$ 100 mil”, relata o titular do 21º DP.

No começo do ano, a quadrilha já havia trocado tiros com a Polícia após serem flagrados cometendo o crime. Na troca de tiros, um dos assaltantes veio a óbito e outros dois foram presos. O dono da quadrilha, indiciado pelos crimes, recebia em torno de 50% do valor apurado com o esquema criminoso. O líder não teve o nome revelado pela Polícia.

As investigações do 21º DP continuam com o apoio da Polícia Civil e do Grupo de Pronto Emprego (GPE) de Timon. O grupo também é suspeito de envolvimento com outros crimes, como pistolagem.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário