• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Assis diz que ganhará eleição do PT com, no mínimo, 80% dos votos

Eleição interna do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores acontece em setembro, e Assis quer ser reconduzido para a presidência.

22/07/2019 16:43h

O deputado federal Assis Carvalho, candidato à reeleição para a presidência do diretório regional do PT no Piauí, afirmou nesta segunda-feira (22) que ganhará a eleição com, no mínimo, 80% dos votos válidos. 

Na semana passada, Dudu afirmou que o grupo de Assis Carvalho estaria tentando anular mais de duas mil filiações de petistas com o objetivo de enfraquecer as chapas opositoras, sobretudo a dele, Dudu.

denúncia também foi feita pelo vereador Deolindo Moura, que, inclusive, faz parte da mesma corrente de Assis no PT, mas, ainda assim, decidiu apoiar o colega de Câmara Municipal, por considerar que o deputado federal não é a melhor opção para comandar o partido no momento.

O deputado federal Assis Carvalho rebateu acusações feitas pelos vereadores Edilberto Borges Dudu e Deolindo Moura (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Assis nega de forma veemente a acusação e diz que não tem qualquer influência sobre a executiva do PT na capital, embora seja aliado do ex-vereador Gilberto Paixão, que é o atual presidente do diretório municipal.

"Eu não tenho governança na direção municipal. Eu só vim tomar conhecimento disso depois que ele [Dudu] anunciou. Eu fui examinar, e aí tomei conhecimento de que ele filiou, e propositadamente não encaminhou [as filiações], pra tentar criar um fato. Eu não tenho governança nenhuma lá [no diretório municipal]. A maioria é ele. Ele que filia, ele que desfilia, ele é quem tem a governança do partido [no diretório municipal]. Eu não tenho participação nenhuma, porque trabalho mais no interior. Mas eu não vou ligar pra isso, porque eu tenho mais o que fazer", afirmou Assis.

Em entrevista a O DIA, deputado petista também fez duras críticas ao texto da reforma da Previdência que foi aprovado há duas semanas na Câmara, em primeira votação (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Reforma da Previdência é crime contra a população mais pobre, diz Assis

Em entrevista ao telejornal O DIA News 1ª edição, o deputado petista ainda fez duras críticas ao texto da reforma da Previdência que foi aprovado pela Câmara Federal no último 10 de julho, por 379 votos a 131.

Assis classificou a reforma como um "crime" contra os brasileiros mais pobres, afirmando que ela só vai beneficiar os grandes bancos, o mercado financeiro e a pequena parcela mais rica da população. 

"Eu dei meu voto contra essa reforma e farei o mesmo no segundo turno [da votação], mesmo sabendo que a posição do esquema rentista, do setor financeiro e dos grandes bancos será vencedora. Eles vencem e o povo paga a conta, infelizmente. E eu lamento profundamente que deputados do Nordeste, cuja população depende tanto da Previdência, tenham colocado suas digitais numa maldade tão grande como essa", afirmou Assis.

Assis Carvalho foi entrevistado no telejornal O DIA News 1ª edição (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

O parlamentar piauiense também diz não acreditar que, durante a tramitação na Câmara e no Senado, o texto da reforma sofrerá novas mudanças que possam melhorar as regras para a população mais pobre. "Eu não acredito que no Senado tenha novidades, até porque nós estamos com um governo cujo único projeto é agredir o Nordeste, agredir os humildes e ficar de joelhos para os interesses norte-americanos. Não há nenhuma razão para que tenhamos esperança de que o país, sobretudo a classe mais humilde, possa receber algum benefício desse governo cruel", acrescenta o deputado.

Assis diz, ainda, que as novas regras da Previdência Social devem levar muitos municípios brasileiros à falência, uma vez que a economia desses entes é aquecida, em grande parte, pela circulação de dinheiro proporcionada pelas aposentadorias dos idosos.

Por: Cícero Portela

Deixe seu comentário