• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Ciro Nogueira defende revisão na política de preços do gás de cozinha

Atualmente, os preços são revistos a cada trimestre e o aumento têm gerado impacto negativo nas contas familiares.

10/07/2019 06:53h

Em constante mudança nos últimos anos, a atual política de preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, que propõe reajustes a cada três meses, é questionada pelo senador Ciro Nogueira (Progressistas). Ele defende uma maior discussão sobre o assunto que afeta diretamente o orçamento das famílias brasileiras.

“É importante que seja verificado se esta política de preços é a mais correta e benéfica para o cidadão, assim como se o preço final pode ser reduzido”, afirma o parlamentar. Ele ainda cita a resolução do Conselho Nacional de Política Energética que reconhece a prática de preços diferenciados para o gás de cozinha como sendo de interesse para a política energética nacional.

O senador piauiense quer todos os representantes que atuam no setor energético em discussão - Foto: Poliana Oliveira/O Dia

Atendendo a um requerimento de Ciro Nogueira, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado realiza, nesta quarta-feira (10), uma audiência pública com entidades e órgãos ligados ao setor acerca da atual política de preços do gás de cozinha. Um dos principais objetivos é discutir se o valor final repassado ao consumidor pode ser reduzido, tendo em vista as fortes altas acumuladas do produto nos últimos anos.

Antes do atual modelo de reajustes, o preço de revenda da Petrobras teve um período de congelamento, o que foi alterado em 2015. Em 2017 adotou-se a política de reajustes mensais, levando a uma alta acumulada de 67%. Hoje os preços são revistos trimestralmente. 

Por: Breno Cavalcante - Jornal O Dia

Deixe seu comentário